A Última Libertação - 1ª Fase

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

A Última Libertação - 1ª Fase

Mensagem por Tahlus em Sab 16 Nov 2013 - 10:19

"Se você está lendo isso é porque é um herói (ou vilão) poderoso o suficiente para atender a esse chamado. O que você tem em mãos nesse instante é um pedido de ajuda. Mas não de uma pessoa, mas sim do nosso mundo, que amamos proteger ou destruir. O Inimigo ataca o nosso mundo sem tempo para pensar, e todos somos artonianos contra essa ameaça. A ameaça que leva o nosso mundo a loucura e destruição.
 
 Mas há uma chance de vitória. E, como toda chance, devemos agarrá-la com todas as nossas forças. Uma página de um antigo tomo foi encontrada no Reino Divino de Tanna-Toh e, pelo pouco que sabemos, é capaz de aprisionar a Tormenta definitivamente. Porém, as forças aberrantes também sabem da existência de tal tomo e estão caçando essas páginas pelo cosmos. Nós possuímos 6 páginas de um total de 380, e eles possuem, infelizmente, 103 páginas. Estamos em enorme desvantagem. Nossa missão é recuperar essas páginas, capturar as que estão em posse da Tormenta, preparar uma investida militar colossal, e, se tudo der certo, vencermos...
 
 Se você pode ajudar seu mundo, escreva "Sim" nessa carta e um transporte será enviado onde você está.
 
 Obrigado, e que os Deuses nos Acompanhem!!
 


 Libertadores de Valkaria"


--------------------



Este tópico foi criado com o intuito de armazenar o conteúdo da 1ª parte da campanha, jogada no fórum da Jambo. Todo o conteúdo foi dividido em capítulos, de forma a facilitar a transferência de informação para cá, bem como não dificultar a pesquisa dentro deste material.


Índice

Capítulo I - O Início (Apresentação dos personagens)
Capítulo II (Encontro dos Personagens e Primeira Reunião)
Capítulo III (Viagem no "Primavista" e decisão de ir atrás de Shura)
Capítulo IV (Encontro com Shura; Chegada à Terra da Dama de Gelo e encontro com a mesma)
Capítulo V (Batalha ba Floresta Gélida e Surgimento da Área de Equidna)
Informação Adicional (Dados dos Libertadores. Já mudaram muita coisa, mas ta aí de qualquer forma...)
Capítulo VI (Segunda Reunião, ida para Tapista e Encontro com Aurakas)
Capítulo VII ("Passeios" por Tapista)
Capítulo VIII (Reencontro do grupo e planejamento para invasão à casa do Senador corrompido)
Capítulo IX (Invasão - Grupo de Invasores)
Capítulo X (Invasão - Grupo de Ataque)
Capítulo XI (Combate na mansão)
Capítulo XII (Batalha contra o "Mini- Gatzvalith")
Capítulo XIII (Traição de Havoc e Revolta dos Militares de Yuden)
Capítulo XIV (Reunião com Aukaras e Shivara; Volta dos Militares de Yuden)
Capítulo XV (Primeira reuinão com Jack e o Genger Bender coletivo)
Capítulo XVI (Viagem ao Templo de Lena e encontro com Camila e Eelai)
Capítulo XVII (Encontro com o Dragão Dourado e Ritual de Lena)
Capítulo XVIII (Encontro e bate-papo com Lena)
Capítulo XIX (Encontro com Dornelles e combate com o Lich Tarrak-Zut)
Capítulo XX (Viagem até Giluk)
Capítulo XXI (Transformação de Thomas/Elizabeth)
Capítulo XXII (Chegada a Giluk; Encontro com a Dragoa Tintaglia)
Capítulo XXIII (Combate contra a Tormenta; Perda das Uivantes)




.


Última edição por Tahlus em Seg 18 Nov 2013 - 22:06, editado 5 vez(es)

_________________
"Força Bruta: se não funcionou, é porque você não usou o bastante"
-Um sábio...
avatar
Tahlus
Mentor
Mentor

Mensagens : 102
Data de inscrição : 14/11/2013
Idade : 27

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Última Libertação - 1ª Fase

Mensagem por Tahlus em Sab 16 Nov 2013 - 10:22

Capítulo I - O Início
 
 
Tarde de outono.
 
 O vento gélido já começava a anunciar o rigoroso inverno que se aproximava daquelas terras. As arvores pintavam a paisagem nas mais variadas cores. O cheiro de terra molhada trazia o sabor de nostalgia ao local. Mas os que ali estavam não estavam contemplando a natureza. Um novo templo havia sido erguido. Um templo em homenagem a seres sem rosto, mas que estarão na memória de todos artonianos pela eternidade.
 
 O Templo dos Heróis Caídos.
 
 Um local em homenagem a aqueles que tanto fizeram por pessoas que eles amavam e por aqueles que eles não conheceram. Uma enorme estatua com centenas de guerreiros sem rosto, mas seu semblante altivo faz parecer que estão sempre em combate. Sempre protegendo Arton.
 
 O orador, um homem grisalho de idade, mas forte de batalhas, olhava para os que ali estavam com respeito, afinal muitos foram os caídos. A Guerra foi imensa. A vitória quase havia se esvaído, mas com coragem foi alcançada. Arton foi um e foi muitos ao mesmo tempo e isso foi demais para seus inimigos, que só sabiam lutar como um. Todos aguardavam, ansiosos, o orador começar o discurso.
 
 —Lembro-me de quando conversava com a Rainha-Imperatriz sobre a batalha do Exercito contra as forças da Tormenta. Que havia possibilidade de vencer, e foi vencida. Lembro também de quando ela chamou os maiores heróis do mundo para a sala do trono para aquela que seria a maior guerra de nossa história. A Guerra de todas as Guerras. Este templo é em homenagem àqueles que morreram no dia que a Vida valia a pena. Por Arton!
 
 
 Pyra, O Reino Divino de Thyatis. Ele sobrevoava um oceano de lava quando teve essa visão. Não conseguia ter profecias sobre a Tempestade Rubra desde sua chegada, e aquela visão não o deixava mais relaxado. Muito pelo contrário. “Só de ver o futuro, ele se altera”, como ele dizia. O Deus da Ressurreição e Profecia sabia que aquele futuro ele deveria forçar a acontecer.

 
 
----------
 
 
Valkaria – Dia do Reencontro -- Tarde Ensolarada
 

 Fazia aproximadamente um mês desde que os Libertadores enviaram as cartas aos heróis capazes de fazer ajudar nessa que pode ser uma missão suicida. Primavista aproximava-se de Valkaria levada por bons ventos. O Cavaleiro estava olhando a estatua da Deusa quando Isadora o abraça por trás.
 
 —Calma, Cavaleiro, é apenas mais uma cidade, não há motivos para ficar nervoso. Ramona está preparando suas coisas. Você vai poder saltar antes de chegarmos a Valkaria. Você sempre fica assim quando chegamos a um território novo.
 
 —Não é nada disso, Isa. Você sabe como essa missão é importante. Sabe que não haverá espaço para erros.
 
 Isadora tinha programado uma série de espetáculos na capital em comemoração ao Dia do Reencontro, e sua equipe estava feito louca com os preparativos. O Cavaleiro pegou suas coisas e saltou num prédio mais alto, quando Primavista preparava-se para atracar. Desciam vários artistas do Teatro Voador.
 
 Era uma verdadeira festa que a chegada de Primavista fazia na cidade, enquanto o Cavaleiro checava o local para ver se está seguro. Entre um soco e outro, ele limpava as ruas da capital do Reinado.
 
 
----------
 
 
"Escuridão, solidão, vozes em sua mente como únicas companheiras. Eu? Quem sou eu? Nós? Quem somos nós? Qual a diferença entre eu e nós? Há alguma diferença?"
 
 
 Vendar balança a cabeçorra insetoide e leva sua garra à fronte.
 
— Ordenar meus pensamentos. Não ceder. Eu sou Vendar Matirazo, artoniano (e lefeu).
 
 Vendar estava em sua mansão. O local para onde ele voltava entre as missões. O local tinha poucos servos, pois ele preferia assim. Até porque poucos se sujeitariam a trabalhar para um monstro como ele. A mansão comprada com o dinheiro de suas aventuras era um local grande e vazio que nunca recebia visitantes, com um ar pesado como se refletisse os sacrifícios de seu dono. Fora isso o local era uma mansão normal, exceto pelos aposentos de Vendar. O local era proibido aos criados e mesmo que não fosse nenhum deles tinha coragem de entrar lá. Em seu local de solidão Vendar fazia algo que ele fazia com cada vez mais frequência, se lembrava. Sua mente devaneava pelo seu passado, por tudo o que havia perdido e pelo que havia ganho. Ele ficava assim, às vezes por dias inteiros, pois ele não era humano o suficiente para precisar de coisas como comida ou água.
 
 Após algum tempo ele olha para a carta em suas mãos. Ele já havia lido e não achou surpresa. Ele sempre avisara que o inimigo não perderia tempo, só agora resolveram ouvi-lo. Ele sai de seus aposentos e fala com uma criada, que estava quase acostumada a ter um monstro inumano como chefe.
 
—Estarei em missão. Não sei quando voltarei. Cuide de tudo até lá.
 
 Ele então escreve um sim no bilhete.
 
 
----------
 
 
"Uma missão dessas...", pensou Dante ao ler a carta que havia chegado a suas mãos a poucos dias. O elfo tomou um gole de vinho e olhou a taverna em volta, todos brincavam, cantavam e dançavam. Tolos, concluiu ao se levantar e sair.
 
 Dante percebeu a movimentação nas ruas, olhou para o alto e viu. Navio?Não, outra coisa. Não achou muito incomum, afinal estava em Valkaria. Levou a mão à espada na cintura, olhou em volta e viu um escrivão sujo e rasgado que escrevia num caixote, lhe tomou a pena e escreveu sim na carta, que seja, Keen está comigo, pensou. Sorriu, deu meia volta e caminhou em direção ao teatro flutuante.
 
 
----------
 
 
Muitos conheciam, muitos temiam e muitos clamavam por suas visões. Melissandre era uma conhecida e poderosa sacerdotisa de Thyatis, Deus da Ressurreição e Profecia. Seus poderes eram espantosos e poucos dentro da ordem tinham tamanho, alguns até acreditavam que ela era a mais poderosa e que deveria ter ascendido a Sumo-sacerdotisa muito antes.
 
 Mas o fato era que Melissandre era uma vidente e sonhou com muitas coisas que aconteceram, mas o sonho com a chegada da carta havia algo, ela podia sentir que essa missão na qual ajudaria seria de escala grande, seria algo que poucos em Arton teriam poder para completar, mas ela sabia que esse dia chegaria e usaria seu melhor para ajudar.
 
 Era conhecida como a Sacerdotisa Vermelha, devido as suas vestes e seu colar de rubi que muitas vezes parecia possuir vida própria. Quando sua carta finalmente chegou, ela nem leu seu conteúdo, e com um gesto arcano assinou magicamente com um sim. Seu dia de partir havia chegado e ela estava preparada.
 
 
----------
 
 
 Aeron andava por Malpetrin sem muitas preocupações. Havia retornado a cidade ha pouco tempo, e por hora não tinha planos definidos. Quando estava escurecendo, retornou para a estalagem em que costumava ficar na cidade. Chegando a seu quarto, recebeu uma estranha carta. Após le-la, sentou em sua cama, e olhou para o colar que havia recebido muito tempo atrás. Na época, ele possuía uma pedra de verde intenso, mas hoje em dia ela havia se tornado completamente negra... Encarando a pedra, ele pensou "parece que a hora esta chegando...".
 
 
 Após alguns dias, Aeron estava novamente em Valkaria. Andava pela cidade, se recordando da primeira vez que fora lá, e notando o tanto que a cidade mudava a cada nova visita. Havia mandado sua resposta, e esperava o próximo contato. Não dava muita atenção para as "esquisitices" da cidade, se contentando em analisar seus próprios assuntos...
 
 
----------
 
 
 Era um bordel bem conhecido de Yuden, e frequentado por Militares de alta patente, o Dama errante. Muitos militares iam para lá para Relaxar. Já Roy Mustang ia para lá aproveitar a vida enquanto seus subordinados separavam as cartas que ele havia recebido*
 
 
—General - Disse Riza Hawkeye, tenente coronel e subordinada direta de Roy - o Senhor recebe mais cartas de Admiradoras do que cartas realmente importantes, não tem nada aqui que se resuma a real trabalho, e mais uma coisa, por que estamos fazendo isso em um Bordel ?
 
—Por que não existe lugar melhor para isso. É, isso é uma democracia, nós votamos e você é o Hugles perderam, acostume-se com isso...
 
 Tudo ia bem é calmo, enquanto Roy aproveitava os dotes de uma das "moças" da casa seus subalternos separavam a correspondência, até que um deles achou uma carta que tinha como remetente os Libertadores de Valkaria. Somente a menção a aquela cidade imunda já dava nojo a Mustang, mas ele realmente ficou curioso...
 O que um bando de desocupados que se intitulavam salvadores de uma teórica Deusa, queriam com um homem serio e de assuntos importantes como ele? Isso era uma incógnita. Roy tomou a carta da mão de Havoc e se pôs a ler com calma, e no final riu e achou que era uma grande piada.
 
—Tem alguém tentando me fazer de tolo, só pode ser... Acham mesmo que aqueles desocupados iriam fazer algo contra tormenta, patético. Bem, aqui diz para eu assinar sim se quiser ajudar, vou dizer sim só para entrar no jogo...  Deve ser palhaçada de alguém aqui da primeira companhia...
 
 Todos os subordinados de Roy riam junto com ele com exceção da seria Tenente-coronel Hawkeye, depois disso ele assina o sim e deixa a carta esquecida próximo a outras menos importantes, depois de tudo terminado o General e sua tropa se levantam da mesa e Roy paga a conta.
 
 —Bem agora vamos, temos muito a fazer amanhã e já esta ficando tarde...
 
 Depois disso, Mustang sai meio ébrio do Bar em Yuden em direção ao seu palacete.
 
 
Os postes públicos iluminavam com algo que queimava fortemente, mas deixava a calçada parecendo meio turva pelo excesso da fumaça; não, era a cor. Um tipo de cor que não se definia, mas se misturava na noite, deixava o ar com um sabor estranho enquanto a visão da paisagem ficava poluída por ele. Todavia, o sabor da bebida, hoje mais forte que o de costume, ainda estalava ao paladar do oficial espantando o infortúnio.
 
 As poucas figuras que encontrava apenas aumentavam seu desejo de repouso: um feirante dormindo sobre os produtos de sua barraca e um guarda vergonhosamente dormindo em seu posto. Um tanto peculiar foi passar por um homem dormindo à própria porta da casa, roncando alto, com a porta ainda entreaberta. Curioso, mas nada espetacular.
 
 Caminhava sossegado, não por ter um falso senso de segurança. Todo yudeano era prontificado à luta. Aquilo era a experiência; ele sabia onde estava. Nenhum cocheiro a vista para facilitar-lhe a viagem, mas não demoraria, estaria descansando em um bom colchão.
 
 O soldado então parou. De forma quase sobrenatural, ele pode perceber que algo passara por ele muito acima, entre as edificações; algo pesado. Não era voo, ele sentira e sabia destingir um inimigo de outro, mas podia ser apenas um gatuno ou, mais improvável, um semi-humano azarado. Coisa rara.
 
 Roy achou que era hora de seriedade, absorveu todo aquele ambiente, a fumaça, as figuras, suas impressões e sensações desde quando deixou a companhia de seus homens e da tenente para trás. Nisso, o gosto da bebida voltava, era algo marcante e que lhe espantava o sono. Então, em sua mente um raciocínio se formou, já tinha certeza de tudo.
 
 Como por telepatia, adiante uma figura surgia entre a nuvem artificial exalada pelo combustível que alimentava os postiços. Era algo tão surpreendente para as pessoas comuns quanto antiquado para Roy: uma armadura completa adornada com um manto nobre e peças de heráldica que lembravam Portsmouth, um reino sobre a benção de Keen nos últimos anos. Ele cumprimentou primeiro:
 
—Boa noite, general Mustang. Espero que o drinque tenha sido de vosso agrado. Um labor apenas um pouco mais forte que o habitual, eu acredito, mas uma necessidade, embora eu considere de mau agrado temperar o drinque alheio sem permissão, mesmo que necessário. Sem isso estaria dormindo junto com a maior parte da cidade-militar. Tive o cuidado de convencer mercadores distantes que tais plantas secas seriam um combustível muito melhor, embora halflings sejam imunes as propriedades da coca. Em vista de tal trabalho herculano, espero que me conceda uns minutos seus antes de ir deitar-se.
 
O cenário agora era claro a Roy, interrogar o sujeito, ou mesmo queima-lo de imediato. Então, uma sombra chamou-lhe a atenção ao lado. De entre uma murada e um barril d'água, um horror do passado ressurgia: ao som de dobradiças forçadas, uma figura semi-decomposta com forte odor químico salta para a luz das luminárias, ela tem algo tatuado em sua testa e pesadas manoplas de ataque, enquanto uma nuvem de vapor parece saltar de sua fronte.
 
—Planeja me atacar com uma especie de Golem?  Hunf, tudo bem.
 
 *Roy usa o talento Toque da ruína que inflige 10d6 de dano, CD24 fortitude se a criatura atacar*.
 
—É realmente o quer? Me enfrentar? Mas qual o motivo? Não me diga que aquela carta não era uma piada e sim uma armadilha?
 
(Off: Roy rola 5 +20 em seu ataque de toque contra CA21 do alvo, VITÓRIA!)
 
 Roy é muito mais ágil que a coisa semi-viva diante dele. O soldado corta o espaço até ela e, enquanto ela ergue suas pesadas manoplas, conjura sua magia de toque.  As forças negativas são canalizadas e jorram para a miríade de carne e cadáver conservado. PORÉM, o monstro não era algo natural a ser atingida por aquele tipo de energia.
 
 (Off: Roy usa Toque da Ruína, que causa 40 pontos de dano por energia negativa, mas o alvo é imune a esse tipo de dano.)
 
 A coisa então termina de descer seu ataque poderoso sobre Roy.
 
 (Off: o atacante rola 2+5+8especial contra a CA20 de Roy, FALHA!)
 
 Roy esquiva no último momento com um salto para trás a tempo de assistir a calçada de pedra rachar ante a força daquela coisa. De vagar, o monstro olhou para o namalkiano com olhar maligno e deu a se voltar em sua direção de novo.
 
—A carta não era piada , general. E nem isto é. Esse protótipo foi feito para matar gente com o seu talento. Se não puder vencê-lo é melhor que morra aqui mesmo do que nós atrapalhar.
 
—Os libertadores estão mais atrevidos do que eu pensava, mas tudo bem, geralmente não gosto de usar isso, mas vamos ter que improvisar...
 
 *Roy toma cuidado com a população e procura não atingir ninguém*
 
 [cone Glacial]
 
 Posso ser chamado de mago das chamas, mas meu arsenal não se resume a isso...
 
Um cone de 9m se irradia num turbilhão de gelo e neve cobre a calçada e cai ruidosamente, mas nenhuma alma viva surge para protestar. A coisa, que apenas avançava, é engolida por uma chuva de pedras de gelo e granizo.
 
 (Off: O alvo é incapaz de esquivar-se, recebendo diretamente 27 pontos de dano.)
 
—Agora sim estamos indo a algum lugar em nossa discussão, general Mustang. Mas ainda há pontos a serem realçados.
 
 O monstro surge do outro lado, repleto de escoriações, da tempestade glacial, tentando agarrar o guerreiro das chamas (e agora também do gelo).
 
 (Off: O atacante tenta um ataque de agarrar e rola 9+5+3 contra a CA20 de Roy, Falha.)
 
 Roy escapa de seu abraço gélido e salta para longe.
 
Mustang olha para mosntro e diz:
 
 —Sei que não é educado quebrar coisas dos outros porém...
 
 [Mustang usa raio polar]
 
(OFF: Roy conjura Raio Polar contra o alvo que não esquiva, causa 44 pontos de dano.)
 
 Diante da fronte de Mustang a coisa se joga sobre ele, apenas para ir parando vagarosamente numa pose de fúria enquanto gelo nasce nela e ao redor, até que o que reste seja uma figura congelada e estática que já destinava a rachar onde estava. Estava terminado. Mas ainda havia o que se resolver ali.
 
-- Muito bem, general Mustang. Você provou ser apto a lidar contra os perigos de Arton. Vejamos agora como se sai contra algo "estrangeiro".
 
 Do alto de um dos prédios próximos, aquela sensação que Mustang sentira antes, que o seguiu e o vigiou desde que saiu da estalagem. O troço saltava habilmente, ao som de garras que rosavam na pedra dos muros e paredes para dar estabilidade. Posou diante de Roy grande e ameaçador.
 
 Era do tamanho de um ogre, mas tinha pele em couro e casca, antenas malformadas saltavam de sua cabeça, enquanto olhos grandes e negros aliados a uma mandíbula animal se voltaram ao filho da terra dos cavaleiros. A coisa era pior a luz; repleta de parafusos reforçados por gosmas, tinha pedaços substituídos por um metal pesado e escuro, como se algum anão demente tivesse tentado substituir-lhe metade do corpo por metal.
 
 Mustang se preparava quando achava que o novo monstro ia se mover, mas então ele parou e começou a sofrer um misto de convulsões e surto de crescimento.
 
—Aquele outro era o protótipo, general. Apenas o protótipo.
 
 Uma monstruosidade vermelha que encheu a realidade saltou de dentro do corpanzil para se modelar num pesadelo vivo. A vermelhidão escura criava um buraco na própria noite, ferindo a existência de tudo que era natural.
 
---O que merda você pensa que esta fazendo, isso é perigoso seu imbecil... Aqui é uma área civil, monstro, droga...
 
 
 [Surto Heroico, Parar o tempo, Roy Usa um mata Dragão acelerado e depois a magia desejo para conter a explosão e não danar a cidade]
 
 No fim ele olha para o adversário e diz com um sorriso:
 
—Sabe, não gosto de ser atacado depois de sair um bordel, isso realmente me deixou irritado...
 
Depois ele fica serio e diz:
 
 —Ninguém mexe com Roy Mustang e sai ileso.
 
(PS: Só um detalhe, o Roy é um General, é a ultima patente que ele ganha no FMA.)
 
O monstro antinatural começa a exalar uma nuvem verde, Roy não espera para saber do que se trata. Ele conjura dois poderosos encantamentos quase ao mesmo tempo, e a realidade cessa a movimentação ante sua vontade.
 
 A mera existência estrangeira daquilo feria mente e a vontade de Roy, ele tinha certeza do que fazer. A segunda magia, talvez um dos maiores evocamentos, a Mata Dragão eclode num raio de poder descomunal ameaçando engolir tudo, incluindo Roy e o monstro, mas não é assim que ocorre.
 
 O mago e guerreiro deseja que tudo ocorra em paz e segurança para os yudeanos ali. As energias então percorrem até a presença alienígena e a devoram numa combustão nuclear até que quase nada além de fragmentos minúsculos e cinzas restem.
 
 Agora, ele se volta ao inimigo de outrora, o desafiante. Para ele, apena um instante deve ter se passado, e fora como se a criatura simplesmente se desmantelasse naqueles restos que sobraram e a nuvem verde que sumia inofensiva agora.
 
—Ah, mas isso não foi uma agressão, foi só uma conversa amistosa. Sabe, há uma ordem hierárquica nova diante dos adversários que iremos enfrentar. Vim aqui conhecê-lo, "coronel". E parece que consegui. Espero que não tenha ficado assustado com meu pequeno projeto. Para onde vamos, eles são apenas soldados rasos. Nos veremos na Torre dos Libertadores, então?
 
 Uma grande brecha rachou atrás do sujeito de armadura e manto. Uma poderosa luz banhou a noite com energia e saúde. Era o plano positivo, qualquer um que entrasse ali sem proteção queimaria e se desintegraria apenas pelo excesso de poder que emanava de todo o lugar. Um passo para trás e ele caiu dentro daquele plano de existência. A entrada ficou aberta por um momento a espera de Roy, então, fechou-se.
 
 
----------
 
 
Os poderosos humanoides estavam aterrorizados com a presença de algo alienígena entre eles e reagiram como um guerreiro faria: com violência. No entanto, o borrão escarlate indistinto moveu-se com fluidez entre os Legionários de Tapista mesmo depois de várias lanças parecerem tê-lo trespassado. A adrenalina deixava aquele grupo de soldados, para quem o combate era algo cotidiano, com os pêlos eriçados. No entanto, desta vez havia um frio no estômago que era indicativo de algo incomum a eles: medo.
 
 Todos já tinham ouvido falar sobre o horror que se instalara próximo aos seus fortes: a Área de Tormenta. A Inteligência do Império tinha poucas informações, mas as que existiam eram sussurradas com receio e deferência. Depois do ataque do Dragão da Tormenta os Legionários estavam incertos sobre seu poderio diante de tal ameaça. E agora, surgido em meio à vastidão branca das Uivantes um fantasma rubro espalhava morte entre eles.
 
 O branco da neve já apresentava grandes manchas vermelhas quando o sangue quente do Capitão dos filhos de Tauron se uniu ao de seus soldados. Estranhamente, ele se sentiu liberto quando percebeu que o toque que lhe arrancou o braço para depois perfurar a garganta era frio e conhecido: aço e morte, apenas.
 
 O borrão parou de se mover, permitindo aos cinco minotauros restantes verem o rosto humano e barbado que os atacava com ferocidade. Por um momento seus músculos relaxaram: não era o que suas mentes tentavam bloquear.  Em um movimento ensaiado os cinco Legionários abriram mão das longinus para sacar os gládios, mais adequados ao combate tão próximo e avançaram num bloco coeso, protegidos pelos pesados escudos de corpo. A espada larga ignorou solenemente o carvalho reforçado com aço para atingir a carne além e enviar mais uma alma aos deuses. Os quatro gládios estocaram com a determinação do guerreiro que vê os olhos da morte, mas a espada larga estava novamente em posição defensiva para desviar as lâminas antes mesmo que estas tocassem a bizarra armadura que tanto horror causara.
 
 A Espada de Velk tinha um objetivo maior, levar destruição à Tormenta. No entanto, não se fez de rogada ao ceifar aquelas vidas.  Quando tudo o que restava eram corpos, ou melhor, diversos pedaços deles cobertos com muito sangue, Fenris lembrou-se do que fê-lo atacar os minotauros. Caminhou com respiração muito regular para a atividade física que acabara de realizar, e golpeou o enorme cadeado de ferro que unia as correntes e mantinha fechada a porta da jaula em cima da carruagem, fazendo-o cair ao chão, dividido em dois pedaços.
 
— Estão livres! – O borrão escarlate disse.
 
 As mulheres que estavam lá dentro ouviram as palavras com dúvida e receio. Quando finalmente perceberam que as palavras eram verdadeiras seus rostos se iluminaram em sorrisos, e o choro os acompanhou. Quando saíram da jaula e contemplaram seu salvador, a felicidade se transformou em medo, e este em horror quando a figura rubra e indistinta caminhou em direção a elas.
 
 Quando percebeu o que ocorria Fenris parou e caminhou para longe da carruagem, permitindo às mulheres se acalmarem, mas certo de que elas jamais esqueceriam a visão.
 
 Suas mãos estavam sujas de sangue dos minotauros, mas não eram eles seus inimigos, não mais. A carta falava em heróis e vilões se unirem. Tentou descobrir em qual das categorias se encaixava, sem êxito, e pensou que tinha mesmo sentido uma união dessas para vencer a Tormenta. Mas elfos e goblinóides e minotauros e humanos e anões lutariam juntos mesmo que fosse para salvar a existência?
 
 Goblinóides, humanos, minotauros, todos guerreiam por terras, mulheres, ouro, glória, liberdade, bebida, ou simplesmente por guerrear, mas contra este inimigo a Guerra era por algo além, a própria existência. Se valia a pena lutar por nada, valia a pena lutar por algo.
 
 O vento gélido das Montanhas Uivantes atingiu corpo de Fenris e fê-lo tremer mesmo debaixo das camadas de pele grossa. Em sua barba negra havia pequenos cristais brancos de gelo. O homem trajado como um demônio olhou a imensidão branca enquanto refletia sobre os acontecimentos recentes.
 
 Olhou a carta uma vez mais e lembrou-se que já havia se unido a um grupo de aventureiros antes. Formavam um conjunto mortal e eficiente, ainda que fossem uma colcha de retalhos. Eram habilidades, personalidades, motivações e egos muito distintos. A carta era assinada pelos Libertadores de Valkaria, aventureiros tão poderosos que salvaram uma Deusa. Seria uma honra lutar ao lado deles, e era uma honra ser convidado para tanto.
 
 Mas o Guerreiro tinha um débito de mil vidas a quitar. Não podia se entregar a outra tarefa antes de cumprir essa. Além do mais, nada entendia de tomos de magia, e procurar por páginas perdidas parecia algo muito vago para um guerreiro. Depois, talvez, mas agora tinha uma dívida a pagar. Exterminar mil demônios era uma tarefa digna e adequada para um guerreiro. Não precisava de ninguém para lhe ajudar nisso. Guardou a carta no bolso sem escrever sim nem não e caminhou resoluto até a Área de Tormenta.

_________________
"Força Bruta: se não funcionou, é porque você não usou o bastante"
-Um sábio...
avatar
Tahlus
Mentor
Mentor

Mensagens : 102
Data de inscrição : 14/11/2013
Idade : 27

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Última Libertação - 1ª Fase

Mensagem por Tahlus em Sab 16 Nov 2013 - 10:38

Capítulo II
 
 
A guerra tomava todos os pontos do Reinado, e uma a uma, Arton perdia as batalhas. Sckharshantallas caíra. Trebuck caíra. Bielefeld era uma enorme Área de Tormenta, assim como todo o Império de Tauron. Apenas Valkaria ainda resistia. Um bastião na luta por se manter Arton. A cada dia, mais refugiados chegavam ao ultimo ponto de resistência de Arton. Valkaria triplicara de tamanho em poucos meses, e era um local onde preconceitos não valiam de nada. Hobgoblins ficavam ao lado de elfos nas muralhas, yudenianos aguardavam ao lado de minotauros nas paredes de escudos que se seguiam nas noites, quando hordas e mais hordas de lefeu eram arremessadas contras as paredes artonianas. A esperança desaparecia pouco a pouco dos semblantes dos sobreviventes. Alguma coisa precisava ser feita.
 
 
 Thyatis tivera aquela visão e a enviara a todo o seu clero, que gritara durante a visão. Era um piado de dor, como se a própria Fênix sentisse dor através dos seus clérigos. A preocupação era cada vez maior e os sacerdotes também podiam sentir a preocupação quando viam aquelas visões.

 
 
----------
 

Palácio Imperial – Noite
 


 O sinete do Reinado dava entrada ao hall de recepção, onde tantos outros aventureiros aguardavam. O Protetorado do Reino se fazia presente naquela reunião, assim como contava também com Mosqueteiros Imperiais, Cavaleiros de Khalmyr e os Cavaleiros Libertadores. Alenn Toren Greenfield marcava a presença da Ordem da Luz no local. Podia-se ver que a coisa era séria quando Gwen Haggenfar, sumo-sacerdotisa de Wynna e vilã procurada, teletransporta-se para dentro da sala. Talude e Vectorius debatiam “civilizadamente” em um ponto da sala. Reynard lia um livro num canto. Lisandra observava tudo. Sckhar também aparecera para fazer os que ainda estavam descrentes que aquela reunião era diferente.
 
 Poucos minutos depois, a Rainha-Imperatriz Shivara Sharpblade também entrara no recinto. Ela trajava uma armadura completa, mas que deixava certos pontos amostra, para dar liberdade de movimentos, e também trazia consigo Carthalkhan, a Espada Cristalina.
 
—Boa noite. Eu agradeço a presença de todos que atenderam o chamado de nosso mundo. Os aqui presentes são os melhores dentre os melhores. E é para isso que chamamos vocês. Não há distinção entre heróis e vilões nessa sala. Todos somos artonianos, e como tal é nosso dever proteger nosso mundo. Estava reunida com os Libertadores de Valkaria para definir os detalhes dessa campanha. A campanha que vai acabar com aquelas coisas de uma vez por todas. Essa missão será mais secreta do que a guerra contra Arsenal. Há cultistas em toda parte. Serão designadas missões a cada grupo que será escolhido pelos Libertadores, que será desde preparar novas magias mais devastadoras, até organizar exércitos. Mas como eu já disse, o sigilo será parte fundamental de nossa estratégia. Eles estão nos vencendo por terem traidores em suas fileiras. Eles sabem como agimos, então teremos que ser completamente diferentes de antes. Devemos ser tão organizados e disciplinados quanto às legiões de Khalmyr, e tão desorganizados quanto Nimb. Nossos inimigos não devem ter a mínima ideia de como vamos agir, e para isso devemos deixar até nossos aliados sem entender o que pretendemos. Cada grupo receberá suas ordens independente de saber o que outros grupos. Os líderes de Ordens receberão missões para suas respectivas ordens. Alguma dúvida?
 
—Cada libertador irá liderar uma equipe? - perguntou "Dante", o elfo guerreiro, sem demora, olhando para todos ao redor. - Caso seja isso, sugiro que eles escolham bem e mantenham as equipes equilibradas.
 
-----
 
Vendar estava sentado em uma das mesas. Ele observava a presença de tantas pessoas poderosas. Ele sabia que estavam no mesmo patamar, todos poderosos, todos capazes de vencer qualquer desafio, e todos completamente desesperados contra um inimigo invencível. Ele não deixava de achar irônico. Com o comentário de Lady shivara Trevor se levanta e curva-se para a rainha imperatriz.
 
—Essa é uma boa forma de agir Lady Shivara. E, como sempre, este corpo condenado está à disposição de Arton contra nossos inimigos. Conte comigo. Qual será nossa missão?
 
 Ele tenta avaliar as reações das demais pessoas nesse aposento. Afinal enquanto eram todos artonianos, Trevor era o mais próximo do inimigo. Uma aberração lutando contra as demais aberrações com o pouco que sobrou de um humano no comando. Dentro daquela sala apenas Reynard e talvez Vectorius e Talude tivessem noção de como era a situação de Trevor e o quanto ele era capaz de proteger o mundo, ou destruí-lo.
 
-----
 
O golem seguia bem seu papel, enquanto ainda em Porthsmouth, o herdeiro dos Ricador acompanha a reunião sem descuidar de seus inimigos, o Abutre e os mercenários de Tyr. Através de Vidência e Impor Missão podia sim.  Fora uma pena o que houvera com seu tosco meio-golem de ferro aprimorado com simbionte, mas fora um teste valido. Um modelo similar iria levar suprimentos dentro de uma área de Tormenta não podia ter menor desafio do que um mago de pavio-curto como Mustang.
 
(Off: Golem de Ferro, construção: 80.000/3 pelas habilidades Prata da Casa, mais Nada Detém o Progresso, Cinto de Utilidades e Inovação Tecnológica __Acessibilidade para 5 Cargas Mágicas: Alterar-se, Enfraquecer o Intelecto, Impor Missão, Teletransporte, Viagem Planar__plano da luz/energia positiva. Total: 41.656 T.O.
Equipamento: Ele está armado com uma espada grande obra-prima amigável giratória explosiva flamejante __Inovação Tecnológica, Nada Detém o Progresso e Acessibilidade; Total: 13.500 T.O.)
 
O Filho de Ricardo cumprimentou e evitou cada um dos visitantes através dos olhos do golem, conforme a necessidade da cordialidade e também da sutileza, pois muitos eram tanto possíveis aliados como inimigos terríveis. Alguns estavam ali por convite do mesmo, uma forma de testar invenções contra inimigos e ainda se justificar que estava a fazer o trabalho a mando dos Libertadores, ainda que fosse um tanto ousado havia como se justificar. Quando El Filho de Ricardo avista Roy Mustang, ele o cumprimenta com um aceno sem recuar do desgosto que o oficial deveria ter por sua pessoa.
 
-----
 
Aeron se mantinha quieto, se concentrando em seus próprios assuntos, e aparentemente sem dar muita bola para o fato de tanto seres poderosos estarem reunidos ali. Quando Shivara fala, ele começa a encarar os outros "convidados", imaginando quem cairia no mesmo grupo que ele, e se eles conseguiriam agir em grupo...
 
 Aeron se mantém quieto, esperando as respostas de Shivara, para considerar a situação e talvez dar seu parecer...
 
-----
 
Melissandre chega com seu vestido de seda esvoaçante enquanto anda pela sala, cumprimentando os presentes com pequenos acenos de cabeça. Sabia que estavam destinados a algo grande, mas poucos seriam os vitoriosos. O rubi em seu pescoço brilhava intensamente, como se estivesse vivo e pulsante, mas a maga permanecia impassível.
 
—Sou Melissandre, Sacerdotisa da Grande Fênix e estou aqui para ajudá-la, vossa majestade. Ela fala isso olhando para Rainha Imperatriz.
 
 Olhava a todos e tentava rapidamente analisar seu poderes e itens carregados, para saber o quanto poderiam ajudar nessa empreitada.
 
—O grande Thyatis nos deu revelações a todos os seus servos, mas muitos de nós tivemos a mente perturbada com tais visões. Mas estou aqui, pois me foi revelado e esse dia, por isso ajudaria da forma que puder.
 
 Ela então vai até uma cadeira sentar-se, com seu vestido rodopiando atrás de si.
 
-----
 
Mustang entra com toda sua seriedade Militar e olha o ambiente com calma e ao entrar vê magos como Reynard, Gwen e os mestres máximos da magia, eles pouco lhe interessam, ele estava a procura de um homem em especifico.  O maldito desgraçado que ousara testa-lo, e ao ver o infame que havia lhe atacado em sua casa ele apenas olha e depois se acalma e não devolve o cumprimento, não quer começar um incêndio dentro do palácio imperial e o pior com a rainha imperatriz presente, e depois de ouvir diz:
 
—Então temos que confundir a tormenta o bastante par que ela não faça ideia do que vai acontecer, é isso? Simples e pouco eficaz, já pensou que a senhora será alvo dos cultitas para tentativas de sequestro já que esta informada em todo o esforço de guerra? Mas se quiser que eu vá Imperatriz, eu vou, afinal estou aqui para proteger a população e combater o mal do mundo... Além do fato de que ha maneira fácil de destruir lefeu, somente a difícil e pratica como dizem os corvos, temos que bater e destruir forte e rápido.
 
 Junto com Mustang está sua guarda-costas pessoal, Riza Hawkeye, que diz sem titubear:
 
—O general esta certo, temos que ter um exército formado e bem estruturado, mas apenas yudenianos como eu e o General Mustang sabem reconhecer isso, é papel do exército atacar a Tormenta e não de, com o perdão da palavra, aventureiros com treinamento duvidoso e pouco confiável.
 
—Vocês falam como se o exercito fosse capaz de proteger os inocentes. - Responde o Cavaleiro mascarado. - Onde estava o exercito durante o ataque a Norm? E durante os ataques dos minotauros? Vocês são uns cães que usam a frase "Eu recebi ordens" para justificar a sua falta de caráter e hombridade, massacrando o povo que deviam proteger. Agora, criancinha, se você ainda tiver um pau entre as pernas, vai se calar e juntar-se a esse esforço por Arton.
 
Diante da conversa entre o general e o mascarado, Aeron esboça um pequeno sorriso sarcástico, e entrelaçando os dedos de suas mãos a sua frente, ele diz:
 
—Vocês acham que seu exercito é tão útil assim? O senhor, General, já esteve alguma vez em uma Área de tormenta? Porque eu já estive, e posso lhe falar, mesmo o seu "exército exemplar" iria se desmanchar no meio da tempestade rubra. É possível que alguns de seus homens mantivessem a sanidade, mas se acha que um mero exército irá ser tão eficiente, você esta simplesmente subestimando o inimigo. Se discorda do que eu digo, pergunte à imperatriz o que ela acha disso, e talvez ela lhe recorde sobre o que aconteceu na Batalha de Amarid...
 
 
 Aeron tinha certeza que Shivara não gostaria de tocar nesse assunto, mas era melhor acabar com esse tipo de pensamento suicida o mais cedo possível...
 
Vendar ouvia a tudo e não conseguiu resistir, começou a gargalhar. Uma gargalhada forte, misturada com chiados e cliques inumanos. Qualquer pessoa normal que ouvisse um som tão pavoroso teria pesadelos por semanas. Quando ele consegue se acalmar ele fala.
 
— Este é o problema dos Yudenianos. Sempre acham que são melhores que o inimigo.
 
 Ele então volta seus olhos bulbosos para o minúsculo homem diante de si. O desafiador não consegue se lembrar da época em que era pequeno como ele.
 
— O nosso inimigo lefeu é maior que o seu exército, é maior que os cavaleiros do corvo, é maior que o reinado. Eu sei disso melhor que ninguém. Mande o melhor exército de Yuden para dentro de uma área de tormenta, você não terá uma guerra, terá um massacre. Lembre que foi necessário um exército de deuses para destruir uma única área de tormenta.
 
 Ele balança a cabeça em desaprovação.
 
— Somente unidos venceremos a tormenta. Se você acha mesmo que Yuden sozinha pode vencer, mande seus exércitos. Depois quando não existir Yuden você poderá lamentar seu erro.
 
Dante esperava a resposta da Rainha-Imperatriz quando começou a discussão e se viu em posição de falar:
 
— Eu não acredito no que você falou. Se você se acha tão bom vá sozinho pra área da tormenta com seu incrível exército e vamos ver no que vai dar - ele olhou para os outros - Se fomos chamados é porque cada um nesta sala tem um poder imenso e juntos poderíamos mudar a face Arton, mas neste momento temos de unir para salvarmos nosso mundo, nossa realidade.
 
 
—Sim meu caro, eu já estive na tormenta e sou estudioso da mesma assim como o esquadrão do qual eu participo caro jovem, a primeira companhia é um grupo de elite especializado em ataques a tormenta, se o exercito de Norm não foi forte o suficiente para segurar seus territórios isso só prova o quanto Norm é fraca e a ordem de Khalmyr débil e antiquada, mas quanto a você aberração...
 
 *O general das chamas fala olhando para Vendar *
 
—Devia estar sendo dissecado e analisado por Talude ou Reynard, mas se não se lembra bem Orion antes de ir a tormenta veio Lamber as botas de Yuden atrás de táticas Militares eficientes, eu sei por que vi ele implorar feito um mendigo e foi extremamente divertido, mas se o exercito não estava presente nos momentos citados pelo outro criminoso no recinto...
 
 *Diz Roy Olhando para o Cavaleiro das trevas*
 
—Foi por falta de Competência dos Governantes no poder, tanto Mitkov, quando Thormy e a atual Imperatriz rainha Shivara sharpblade. Thormy só tinha em suas tropas os do exercito do reinado eram os Miseráveis que nem Yuden e os outros governantes queriam em seus exércitos, Shivara tinha o comando de todas as tropas de Yuden durante as guerras Táuricas e decidiu se manter parada admirando sua própria bunda, e Mitkov não atacou o a tormenta por que não teve culhões para isso, e por ultimo você mestiço...
 
 *Diz Roy, olhando com desdém para o Elfo*
 
 --Sua raça fraca e repugnante não conseguiu vencer nem um aglutinado de Meros goblinoides, então por que você acha que vai ser útil na área de tormenta, até de meus Cadetes consegue matar alguns Hobgoblins sem muito esforço e eu estou falando aqui com um ser que é filho de uma deusa que acha divertido chafurdar na cama de Um minotauro...
 
 *Roy bufa e diz*
 —Aventureiros arranjam confusão e no fim das contas o exercito é mandado para resolver, vamos ver quem no final vai ser enviado para limpar a bagunça que vocês vão causar...
 
—Ora, esta nervoso, soldadinho?  - Logo rebate Aeron. - São tão poderosos e não passam de uns lambe-botas... Peça "permissão" para levar o grupo para caçar uns lefeus então... Sabe, depois disso, se eu estiver de bom humor, posso até ir lá e trazer os corpos que sobrarem para um enterro decente, isso SE sobrar algum...
 
 Então, se virando para a imperatriz, Aeron diz:
 
 —Me desculpe, mas a senhora não conseguiu achar ninguém mais adequado pra situação? Eu não acho que vai ser muito agradável ficar vendo ele choramingar o quanto sente falta de uns subalternos de qualidade duvidosa...
 
Vendar ri novamente do Yudeniano.
 
 —Por favor não fale assim, vou explodir de tanto rir. E olha que eu nem preciso mais respirar.
 
 Ele gargalha ainda mais, ao ponto de mal conseguir ficar de pé. Uma das paredes e um copo próximos criam fissuras com o som.
 
—Muito bem, vocês estão orgulhosos de criarem soldadinhos capazes de explorar uma fronteira de uma área de tormenta e de terem generais que abertamente chamam de incompetentes seus reis. Eu estou me divertindo bastante com essa sua linha de pensamento.
 
 Ele então se senta em uma cadeira próxima. Ele pensa se não deveria ser melhor mandar toda a Yuden marchar contra a tormenta. Eles vivem pedindo por isso...
 
 
A reunião começava a ficar caótica, bem caótica. Um turbilhão de murmúrios se iniciava, figuras perversas iniciavam palavras que alimentariam planos de meses. Não havia como confiar em alguém, não havia como prever algo que saísse dali __ O PLANO DE SHIVARA ERA PERFEITO. O herdeiro dos Ricardo, Greedson tomou a palavra por um momento:
 
—Essa é uma estratégia que parece servir como uma luva, no momento, pois nenhum de nós confia nos outros, mas ninguém aqui também têm a opção de se render. Imagino que a maioria já tenha planos em andamento tratando da Tormenta, planos que não envolvem serem revelados. O diferencial é que agora trabalharemos num sistema de parcerias, como células. Extremamente eficaz, veja Mustang, eu, por exemplo, lidero uma campanha contra um reino fraco como Porthsmouth, cuja maior força é de mercenários estrangeiros, meu único empecilho. Porém, também tenho meus projetos em relação à Tormenta. Como você pôde ver em primeira mão na semana passada.
 
 Essa pontada do invasor de Portsmouth for intencional para que Mustang se sentisse motivado a ficar atencioso contra ele. Ele seguiu:
 
—Não dependemos da figura da Imperatriz, mas de nós mesmos. Ela apenas os reuniu aqui. E, uma vez, que fui um dos primeiros a apoiar essa ideia, devo dar o passo de confiança.
 
O déspota põe seu drinque de lado e se apoia na determinação e coragem do soldado que o odiava:
 
—Acho que você deveria liderar a primeira guerrilha contra uma célula do nosso inimigo, não Mustang? Seja o líder da primeira contenta, e estarei ao seu lado, digamos, ajudando. Veja, não estou insultando sua inteligência, apenas quero ficar próximo de uma das pessoas mais terríveis desta reunião. Então, alguém mais concorda com que Mustang lidere a nossa primeira célula? Sr. Mustang, aceita ou recua?
 
 A isca estava lançada, um desafio em cheque, o cientista desejava que Mustang aceitasse a posição, pois era um alvo ambulante e poderoso. O ESCUDO PERFEITO! Agora, iria ele (Mustang) recuar perante todos depois dele mesmo dizer e afirmar o quanto era superior?
 
 
Vendar clica, chia e ri ainda mais.
 
— Eu sou a favor disso. Quero ver ele se borrando de medo ao enfrentar nosso inimigo. Ele tem jeito de ser do tipo de general que nunca viu uma luta de verdade de frente.
 
 
Enquanto isso, Dante ri, na verdade gargalha.
 
— Você é interessante soldado. Fala com muita ferocidade, mas vamos ver na hora H. Quanto a minha raça ser fraca, eu acho que você é um completo ignorante por generalizar desse jeito. Mas enfim, porque o bonzão está aqui afinal? Eu pensei que fossemos nos unir, mas me parece que você e seu exército podem acabar com a Tormenta sozinho. Então, - ele olha para todos na sala rapidamente - vamos tomar um chá enquanto o general espeta sua espada na barriga dos lordes?
 
 
—SE o exercito fosse melhor equipado e Shivara parasse de gastar o dinheiro dos impostos do reinado com aventureiros, como por exemplo o inútil protetorado do reino, que não pôde defender Valkaria na hora H, teríamos um exercito totalmente preparado e eu não estou me borrando de medo a ir uma área de tormenta, coisa repugnante. - Diz Roy olhando para Vendar. - Só digo que ir com alguém que esta fusionado a lefeu a um ponto como o seu e no mínimo idiotice, você nos trairia ao primeiro sinal de domínio do lorde,afinal se isso não fosse verdade Talude não prenderia e dissecaria todo e qualquer ser que usasse um simbionte, que aliais é um crime de alta patente no reinado...  Eu trabalho com a lei ao meu lado, Cria de Lefeu, mas se me querem como Líder perfeito eu aceito sem pensar duas vezes, se bem que trazer o esquadrão do martelo de Kenn seria mais adequado, mas nem sempre podemos trabalhar com o que queremos...
 
 
O orgulho falara mais alto, Mustang mordera a isca com "chumbada e tudo", como diria um callistiano.
 
—PERFEITO! Imperatriz, parece que temos nosso primeiro grupo, então, sem mais delongas, caso não tenhas outro 'mods operandi', nós já podemos pôr alguns de "nossos" próprios planos em prática contra os invasores. Não é mesmo, Mustang?  - diz o déspota fitando o soldado a espera de uma resposta antes de oferecer a sua própria artimanha, de forma caridosa e participativa.
 
 
—Sabe, eu adoraria ver o soldadinho esquentado sendo frustrado, mas eu tenho assuntos a resolver com aqueles insetos gigantes, então prefiro trabalhar em um projeto que possa funcionar...
 
 Se virando para os outros que haviam se manifestado anteriormente, Aeron fala:
 
—O que voces acham da situação? Eu acho que precisamos de toda a informação possível, e então poderemos decidir como poderemos otimizar nosso ataque... Não acho uma boa ideia querermos simplesmente montar grupos com pessoas que mal conhecemos sem saber o que cada um aqui é capaz de fazer...
 
 
*Mustang se cala e para de prestar atenção nos outros apenas examinando como estão suas Luvas, a partir de agora ele não reage a mais nenhuma interação dos presentes exceto da rainha imperatriz*
 
 
Melissandre apenas olha a discussão, eles deveriam saber que isso não nos levará a nada, pois o que é necessário é que trabalhem juntos. Ela via um grande poder mágico no general e o grande potencial em artefatos dos escolhidos. Realmente poderia ser a esperança de Arton.
 
 
 
A Rainha-Imperatriz observava a confusão que se instaurava e quase se esquecera da pergunta do elfo. Parou por um momento, e parecendo analisar todos como se olhasse um inimigo, Shivara volta-se ao questionamento do guerreiro de Lenórienn.
 
—Não possuo mais detalhes sobre essa missão, os Libertadores de Valkaria serão os responsáveis pelos preparativos. Eu mesma e meus assessores, que ajudaram a organizar a reunião, teremos nossas mentes apagadas sobre esse evento. Essa missão NÃO é oficial do Reinado, e caso sejam pegos em atividades ilegais, a lei será aplicada. NÃO haverá ajuda por parte das autoridades até que nossa presença seja necessária, e nossos preparativos no Exército do Reinado estejam prontos.
 
 Alguns minutos depois, começam a ser chamados os ali presentes. Entre alguns grupos, e outros sozinhos, até que vocês são chamados a entrar na reunião. Não chegaram a ver os outros saindo, e acreditam que estão todos lá dentro.
 
 Uma enorme sala com varias cadeiras espalhadas havia sido posta ao redor de uma caixa cinza que estava no centro da sala. Os lendários Libertadores de Valkaria, grupo que salvara a Deusa de sua prisão de pedra, olhava para eles ansiosos.
 
 O líder do grupo, um homem loiro e forte, olhava para vocês com um enorme sorriso estampado no rosto. Era Lucian Silloherom V, filho do regente de Namalkah, Chefe Borandir Silloherom. Ele juntara o mais esquisito grupo de aventureiros que apenas Nimb seria capaz de imaginar. Dentre eles havia Date Masamune, um dragão azul que vivera a vida inteira em Tamu-ra e seria o possível Imperador Dragão, se não fosse um dos reis piratas de Quelina.
 
—Sejam bem vindos. Ficamos muito felizes em saber que o destino do nosso mundo não é apenas nossa preocupação. - Bradou Lucian - Estou realmente feliz em ver tantos que assinaram "sim" na nossa postagem. E fico realmente feliz que tenha se juntado a nós, primo Mustang. É como dizem, não podem fazer um Garanhão virar um cão... Mas vamos ao que interessa. Antes de mais nada, gostaria de dizer que o tal Tomo capaz de derrotar a Tormenta é falso. Infelizmente nossos inimigos tem gente nossa em suas fileiras, e isso faz com que prevejam nossas estratégias. Por isso, deixamos vazar essa informação de que havia esse Tomo. Nosso esforço de guerra se concentra na base de informações; se nós as tivermos e eles não, seremos vencedores... Pensando nisso, estamos usando o joguete do Tomo para desviar a atenção de nossos ideais. Sua missão a principio é simples. Acima do Deserto da Perdição - Dizendo isso, da caixa aparece um enorme mapa incorpóreo de Arton -  Há uma enorme área congelada, e lá mora uma elfa conhecida como a Rainha do Gelo. Dizem as lendas que ela fora conselheira de Glórienn no princípio dos tempos. Seu objetivo é tentar convencê-la a participar de nossa causa. Mas há um grande problema. lefeu tem um novo algoz. E esse é mais poderoso que Crânio Negro. Esse homem, se é que pode-se chamar isso de homem ainda, está seguindo para lá com um contingente enorme de guerreiros corrompidos. Vocês tem que chegar primeiro que ele, resgatar a Rainha, e fazer com que ele continue acreditando na história do Tomo. Dúvidas?
 
 
Mustang fica realmente irritado quando é chamado de primo por Lucian e diz:
 
 —Não sou seu primo, Libertador, e muito menos sou um Garanhão ou um cão. Sou um yudeniano, e é isso que eu sou...  Mas como você disse, nada sobre o tomo era real, e isso se trata de um esforço de guerra. E pelo que vejo seremos a distração para que lefeu acredite que o tal tomo é importante e quer que todos nós vamos atrás de uma Elfa frigida, que servia uma indigente escrava que se dizia uma Deusa? Pelo Martelo de Keen, Lucian. Tem certeza que isso é realmente necessário?
 
 
O tomo... Um engodo? Talvez sim, talvez não, como diria um servo da religião de Nimb. Agora, Greedson estava duplamente interessado. O fato de a informação ter vazado poderia ser justamente corrigido mantendo-se outra informação ainda mais sigilosa em segurança restrita. O confronto de informações quando a Tormenta enfrentasse cada célula iria gerar grande confusão. Eles ainda não dominaram o espaço e tempo de Arton, podem apenas enxergar nuances de acordo com o nível de poder de cada um. Iria funcionar bem. O Filho dos Ricardo estava satisfeito e falou através de seu golem:
 
—Na verdade, Mustang, já tive informações sobre tal entidade. Possivelmente, ela não é uma elfa. É mais provável que seja um gênio, ou mesmo uma fada de grande poder mágico. Apesar da fragilidade da magia e das fadas contra a Tormenta, seu poder realmente pesará na balança. Sugiro que vamos logo.
 
 O ser metálico oferece um espaço ao seu lado aos demais, como se abrisse uma porta. Em uma de suas mãos, uma estranha e complexa caixa começa a se mover num complexo quebra-cabeça de formas e chaves.
 
—Com toda certeza, um hikarel estará em algum tempo nessa mesma sala, sua única função será de enxergar os eventos passados aqui.
 
 O Déspota de Portsmouth deixa que todos criem feições de questionamento ou curiosidade, só então, se explica:
 
—Esse espião, da forma que tenho observado ele se mover, possivelmente não será detectado, pois ninguém suspeita dele e quase nunca ninguém o evita, dos mais poderosos aos mais humildes. Ele levará o conteúdo dessa reunião aos Lordes. Então, sugiro, Imperatriz, que aquilo que não compete a nossa célula não seja tratado aqui.
 
 Ainda vendo os rostos de questionamento, Greedson resolve revelar o que sabia:
 
—Todos aqui, exceto a Rainha Imperatriz, carregam tibares, não? Um tibar pode entrar em todos os lugares e quanto maior o seu valor mais o desejarão, o disfarce perfeito.
 
 
—Mais forte que Cranio Negro, é? Ora, a situação esta ficando cada vez mais interessante... elfa, fada ou o que seja, o importante é que devemos garantir o apoio dela... Concordo que devemos ir logo, mas vamos precisar saber o que esse grupo é capaz de fazer, porque precisamos otimizar nossa eficiência se quisermos aumentar as chances de sucesso...
 
 Quando ele escuta sobre o hikarel, Aeron pensa "Ótimo, temos um paranoico nesse grupo... bem, considerando o inimigo, isso pode vir a calhar..."
 
 
Voltando a falar, o déspota explica:
 
—Agora, se ninguém for contra, deveríamos nos encaminhar, tendo o devido cuidado, embora ache que pouco adiantara, pois apenas três coisas funcionam contra lefeu: conhecimento oculto que eles nunca recusam, vantagens sobre os outros que é algo que jamais abririam mão, poder... muito poder. Mas, seu maior ponto fraco é que, ao adentrar em nosso mundo, eles se tornam indivíduos. Dividir é conquistar, é destruir lefeu, mas apenas quando oferecemos as suas três ambições, lefeu cai na armadilha.
 
 
—Bom, temos um trabalho a fazer. - diz o elfo finalmente.
 
 
O Cavaleiro olha para imagem e cerra o punho com força suficiente para um leve sangramento, era evidente sua fúria.
 
—Esse Algoz não passa de um homem morto. Logo que nos encontrarmos ele será destruído para sempre.
 
 
A sacerdotisa vermelha apenas observava a todos, medindo poderes e itens com suas habilidades. Mas de fato foi uma boa jogada passar uma informação falsa para que os curiosos de plantão e possíveis espiões pegassem esse engodo.
 
—Nossa forma de deslocamento poderá nos dar vantagem, se usarmos transporte mágico para o local. Embora não saibamos se a área é protegida contra teletransporte, mas pelo menos se ficarmos perto o caminho será mais fácil para trilhar.
 
 Então mentalmente ela faz uma rápida prece ao Senhor das Profecias.
 
 "Grande Thyatis, diga-me, é seguro usar teletransporte para completar a viagem até o lar da elfa no norte?"
 
 Faz uma pequena adivinhação para garantir que poderiam seguir em paz para o local.
 
(OFF: uso ajuda dos ancestrais para usar adivinhação e saber se o local é protegido magicamente contra teletransporte.)
 
Vendar se divertia bastante com a reunião. Ele se preocupava, pois um dos efeitos mentais da sua ligação à tormenta é perda de individualidade, um corrompido como ele era muito propenso a se deixar fazer parte de algo maior e ele não era exceção. Fazer parte de um grande plano ou esforço combinado do reinado dava grande alivio e satisfação, mesmo se o papel for o de ser uma peça descartável. Somente a grande vontade do desafiador lutava para evitar que ele se tornasse um mero joguete dos outros. Mas mesmo sua parte humana concordava que esse era um bom curso de ação.
 
 O desafiador se levanta, estica seus braços e fala calmamente.
 
— O que estamos esperando então? Vamos achar a bruxa. Qual o mais próximo que um teleporte poderá nos levar e qual o meio de transporte que usaremos a partir daí?
 
 
—Meu Primavista pode nos levar bem rápido. - Interrompeu Isadora, que até então se encontrava calada. A artista assistira toda a confusão desde o começo anotando tudo para uma possível canção - Se formos de Teletransporte, os magos ficarão exaustos, e não sabemos os perigos que nos aguardam.
 
 Enquanto isso, o Cavaleiro estava recolhido a seus pensamentos, os olhos fixos onde a imagem se encontrava. Seu ódio era cada vez mais palpável. No instante seguinte, o Cavaleiro se levanta, batendo as duas mãos sobre a cadeira onde estava.
 
 —Então temos que partir depressa. Quero esse monstro morto o mais rápido possível. Ele é extremamente perigoso. Não haverá tempo para segunda chance quando enfrentarmos abominável criatura. Será no sistema simples, bateremos rápido e forte, e rezaremos para que dê certo.
 
 
O general de Yuden então fala:
 
—A barda tem razão, temos que usar outro transporte ou ficaremos um pouco prejudicados com a viagem...
 Até mesmo que se houver algum problema e precisarmos recuar teremos que ter algo para nos tirar de lá que não dependa da magia...
 
 *Roy olha para o cavaleiro das trevas e diz*
 
 —Senti um pouco de tensão no ar quando apareceu a imagem do algoz da tormenta novo?
 
 
—Não sei do que você está falando, Cão de Yuden. Só quero aquele traidor MORTO, e nada mais. Você deveria querer o mesmo. Esse ser é extremamente terrível, e sendo seguido por tropas lefeu, o torna ainda mais perigoso.
 
 
—Vocês vêm? - Pergunta o ser metálico junto ao cavaleiro do simbionte lefeu, o cavaleiro élfico e a dama de vermelho, aguardando os dois que ainda discutiam.
 
 
—Claro que vou. Vamos Tenente... Não vamos deixar nosso "Grupo" esperando
 
 *Diz Roy a sua tenente, e a mesma responde em tom baixo*
 
 —Sim, general, mas acho que deveria ter mais cuidado com essa gente, não confio neles, mesmo dizendo que querem combater a tormenta, muitos deles não teriam pudor em joga-lo na frente do perigo e abandona-lo...
 
 *Roy olha para sua tenente enquanto anda e diz no mesmo tom baixo*
 
 —Não se preocupe, não tenho nenhuma confiança neles, só confio em você...
 
 
Aeron se levanta, e encostando na empunhadura de sua katana, diz:
 
 —Vamos logo, temos uma "elfa" pra convencer, um traidor para degolar e um exército pra obliterar...
 
 Ele percebe o yudeniano conversando com a subalterna baixo o suficiente para não ser ouvido, mas não da muita bola e vai em direção ao resto das pessoas...
 
 
—Compara a gente com seu exército, sargento. Os aventureiros não são de abandonar seus amigos ao perigo, o exército faz. - Se revolta Isadora. - Vamos... O Primavista já está sendo preparado para nossa partida... Mas não vou brigar com você por causa disso. O Cavaleiro é um homem bom, eu sei disso. Um pouco fechado, mas ainda sim bom. Você deveria ser mais educado ao falar dos outros. Em Yuden não existem modos?
 
 
—Existem modos em Yuden, Mestiça, e eles falam que não devemos escutar conversa alheira, e principalmente nos esforçar para escutar algo que não é dito para nós. E mais uma coisa, sua mestiça imunda, eu sou uma tenente, deve ser difícil para um ser idiota como você perceber a diferença, mas eu lembro você, ignóbil...
 
 *responde Hawkeye sem Pensar duas vezes*
 
 —Nenhum de vocês é confiável, afinal por que não se livrar do yudeniano e sua tenente, todos vocês teriam bons motivos para isso, não falei nenhuma mentira... Não penso em ser gentil com você, Isadora, já que ajuda um criminoso que é um inimigo publico em Yuden...
 
 
Enquanto se dirigia para o lado dos outros, a discussão entre as duas garotas começou, e quando a yudeniana falou daquele jeito, Aeron não teve paciência, e com uma velocidade quase inumana, sacou sua enorme katana, fazendo com que sua ponta ficasse bem próxima da garganta da tenente, falando:
 
—Acho que já esta na hora de acabar com essa conversa idiota, garota! Não é segredo que ainda não temos confiança nos outros, mas se você acha que só por causa disso vamos jogar vocês no meio daqueles insetos de graça, é mais idiota do que eu poderia imaginar. Se esta com medo, é melhor voltar pra sua casa, caso contrário, é melhor guardar esse tipo de fala para si mesma. - E virando para o general. - Eu não vou com a sua cara, mas acho que você deveria ensinar sua tenente a se comportar fora de Yuden, antes que a atitude dela irrite alguém com menos paciência...
 
 Dito isso, ele guarda novamente sua katana, e parte novamente para o seu caminho original.
 
 
Era cedo demais para o grupo se desfazer, e tentar irrita-los contra si para que tenham um ódio comum e parem de lutar entre si não adiantaria a essa altura da discussão. Greedson foi forçado a outro papel que não lhe agradava, o de mediador.
 
 *Greedson manipula o golem para que este detenha a ira de Mustang e o possível contra-golpe do guerreiro.*
 
 (Off: o golem de ferro entra em manobra de defesa total contra as investidas entre Mustang e o samurai, mágicas ou não.)
 
 Tendo usado seu próprio golem como aparador, Greedson diz:
 
—NÃO, guardem isso para o inimigo!
 
 
—CHEGA ISADORA! - Grita o Cavaleiro. - Não há motivos para ficar de brigas com a yudeniana e o duque. Temos que partir para ajudar a salvar nosso mundo. E para isso precisamos deles, mesmo que você não goste. Nós não somos mais parte de lugar nenhum. Somos apenas artonianos preocupados com o destino de tudo o que amamos. Não há motivos para essa briga.
 
—Mas...
 
—Nada de "mas". É hora de deixar o passado para trás. Seja superior e deixe estar. Espero que os "grandes" yudenianos sejam capazes de esquecer o ocorrido.
 
—Tudo bem... Peço desculpas, tenente. Perdi a razão por conta do passado. Não vai mais acontecer.
 
 
—Tudo bem. - Diz Hawkeye. - Sei que exagerei também, peço desculpas pelo meu comportamento.
 
Roy nada fala, apenas observa a situação e continua seu caminho em direção a embarcação.
 
Dante vê tudo aquilo e sorri.
 
 —Talvez quando tudo acabar vocês possam resolver isso ao estilo de Keen... Bom, agora temos uma guerra a travar.
 
 Depois segue pelo mesmo caminho que os outros.
 
 
 
A discussão Generalizada no grupo mostrava um possível ao fracasso da missão, afinal os membros não conseguiam se entender até que o Líder dos Libertadores intervém na situação:
 
—Vocês querem para com essas briga estúpida? E Primo, mantenha a boca da sua Subalterna calada... Agora eu entendo de onde você conseguiu tanta arrogância, você não era assim... Mas isso não vem ao caso agora, vocês devem cooperar uns com os outros, essa missão depende disso e muito. Vocês não vão durar meia hora lá fora se Continuarem com essas Desavenças, se não tem maturidade suficiente para se manterem unidos é melhor nem irem...
 
 Lembrem-se do que esta em jogo aqui, Arton inteira esta em risco, sei que é repentino unir um grupo tão diferente assim de uma hora para outra e aprender a confiar nessas pessoas também não é fácil. Eu sei por que aconteceu com meu Grupo e deu muito certo, nós alcançamos nosso objetivos quando pensamos juntos em uma única coisa, o bem que nossas atitudes vão trazer ao mundo, então por favor tentem serem razoáveis uns com os outros, e mais tolerantes com as diferenças de opinião e atitude, as vezes as diferença completam as falhas e fraquezas do companheiro ao lado. Mas deixando de conversa fiada, Boa sorte, e que a deusa dos aventureiros Guie seu caminho. Veremos-nos em breve, assim eu espero...

_________________
"Força Bruta: se não funcionou, é porque você não usou o bastante"
-Um sábio...
avatar
Tahlus
Mentor
Mentor

Mensagens : 102
Data de inscrição : 14/11/2013
Idade : 27

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Última Libertação - 1ª Fase

Mensagem por Tahlus em Sab 16 Nov 2013 - 10:55

Capítulo III


Logo após o sermão do Líder dos Libertadores, todos se dirigiram ao Primavista e o mesmo começou a se movimentar o mais rápido possível em direção a fortaleza da rainha de Gelo.

Dentro do Primavista, Hawkeye fala:

—Conhecemos a rainha de gelo, já tentamos matá-la uma vez por ela ter se metido em assunto yudeniano. Acabamos tendo alguns problemas e ela saiu com vida desta, o grupo quase tombou por completo, depois disso Mitkov se acovardou e decidiu deixar a Rainha gelada em paz. Mas creio que o arquivo Secreto de Yuden ainda tem informação sobre ele e como o General Mustang tem acesso Irrestrito a ele, podemos pegar alguns mapas do palácio que podem nos servir de Base para entrarmos em sua fortaleza. Porém há mais um problema, ela tem Muitos Lacaios ao seu serviço, que vão de dragões brancos a esquadrões de elfos fortemente armados...
Por mais que me doa dizer, as defesas dela são muito boas, não será nada fácil penetrar no palácio e falar com ela, já que a mesma não recebe muito bem suas visitas... Alguém tem alguma opinião?

Nesse momento o prima vista estava passando próximo a fronteira de NamalKah e Yuden, isso era mostrado por um globo translucido feito de cristal que mostrava exatamente onde estavam, e nessa momento Hawkeye diz:

—A decisão e de vocês, espero que isso ajude em alguma coisa, mas devo lembrar que devemos ser o menos destrutivos possíveis na torre, a rainha se irrita com a destruição de suas obras geladas, e se a queremos do nosso lado devemos ser o menos irritante e presunçosos possíveis... Perguntas?


Aeron não gostava da situação, mas achou bom o libertador acalmar o "primo" e sua subalterna. Diante das informações, ele se limita a dizer:

—Bem, imagino que ela não tenha ficado muito contente com a ação de vocês... Mas por acaso vocês acham que ela vai se dar ao trabalho de nos escutar se tentarmos ser mais diplomáticos?


Assim que a tenente termina sua explicação, Greedson também entra na conversa.

—Só uma: há casacos de pele nessa embarcação para os tripulantes? Duvido que uma criatura da natureza de que estamos a encontrar seja menos colaborativa diante de nossas chamas. Tentarei evitar sacar minha espada quanto a isso. Aconselho o mesmo à Mustang. Todavia, é mais provável que o algoz tenha formas de tentar influenciar a própria rainha, seja pela lógica, seja pelo medo. Devemos procurar tanto nos precaver quanto saber quando e aonde lutar nessa demanda.


Riza continua.

—Realmente ela não ficou feliz, fomos muito ousados em ataca-la daquele jeito, mas ordens são ordens, não devemos questiona-las, mas para nossa sorte eu e Roy não fazíamos parte do grupo de assalto e se mudarmos de roupas ela nem vai perceber a diferença...
Mas não sei a reação dela se formos conversar e tentarmos ser diplomáticos com a Maga...

Riza olha par o homem metálico e continua.

—Sim, o fogo deve ser evitado, principalmente o mágico, ela é uma maga e nós temos que fazer o máximo para fazer com ele se sinta segura em seu terreno e se possível chegar antes que o algo lá. Podemos no máximo manter o calor neste ambiente por magias para suportar elementos, sei que os magos presentes podem fazer algo sobre isso, certo?

Mustang olha para Riza e diz:

—Sim, acho que podemos fazer isso a não ser que o Primavista tenha outra forma de fazê-lo... Mas vamos até Yuden pegar os mapas, não vamos demorar muito... Estão de acordo?


—Bom não posso dizer por todos, - fala Melissandra - mas a Grande Fênix me protege contra o frio, quanto a feitiços de proteção, temo que no meu caso será um dispêndio de energia muito grande, pois o que conheço é bastante forte e não protege apenas contra a temperatura e sim contra uma grande quantidade de poder mágico de determinado elemento.

Infelizmente se fosse proteger a todos acabariam gastando muito da sua energia, e isso poderia ser prejudicial mais na frente.


—A solução mais sagaz é por sempre a mais simplista: casacos. - reafirmava o ser metálico em sua lógica simplista, enquanto olhava solitário para o horizonte muito além da embarcação, arquitetando os eventos e calculando variáveis. Pensava com resolução sobre os limites tão questionáveis entre os reinos, ao qual um ele deflagrava por meses em motivo particular. Decidiu dividir seus pensamentos:

—Mustang, poderia vir aqui negociar algumas informações de guerra comigo, prometo que não será sem propósito? - convidou Greedson.


—É melhor não perdermos tempo com as informações em Yuden. A cada minuto que passa, o inimigo se aproxima dela. - Estampa preocupação o Cavaleiro - Se aquele for a pessoa que eu acho que é, então teremos que ter muito cuidado.


Vendar ouvia a tudo com cuidado.

—Concordo com o homem de ferro, vamos usar casacos e guardar a magia para quando for necessário. Quanto aos planos de Yuden, seriam úteis, mas não podemos perder tempo indo buscá-los. É possível usar de ilusão ou algum outro meio de mostrar os planos aqui? Ou de trazê-los por teleporte? Quanto a comitiva diplomática eu sugiro que Melissandre, Dante e Aeron sejam os porta-vozes do grupo enquanto o restante, incluindo eu, ficamos calados. E acho bom não escondermos os Yudenianos, pois ela ficaria mais furiosa e desconfiada se os descobrisse se esgueirando do que vê-los vindo de frente.


Greedson tentava convidar Mustang para obter uma informação crucial para si, porém, sua atenção foi chamada por uma problemática esquecida.

—E quanto ao termo "lefeu" aqui entre nós? A rainha talvez ache bem... Peculiar. Se a sua natureza for realmente feérica, e não élfica, a mera presença de tal entidade trará sua fúria, pois lhe seria ameaça mortal, e na verdade o é.


—Bom de qualquer forma, precisaremos decidir se seremos porta-voz do grupo mesmo- Melissandra olha para os outros dois - quanto às magias, concordo plenamente se não for nenhum empecilho para os demais.

Ela então se dirige para uma janela para observar melhor a viagem.


Diante das falas sobre o "grupo diplomático", Aeron fala:

—Não acho que diplomacia seja meu ponto forte, mas posso tentar fazer a minha parte...

Quando Vendar fala sobre ficar com os yudenianos, Aeron segura um sorriso. Ele poderia ate não ser o mais confiável ali devido a sua corrupção, e a aparência rubra não ajudava, mas Aeron achava a sua personalidade um ponto favorável...


—Também acho indigno esconder nossas identidades, Vendar, mas talvez seja necessário para não fazer que ela tenha um ataque de fúria assim que veja nossos uniformes e nem escute nossa proposta diplomática... - Mustang responde. - Seria muito ruim ela recusar-se a falar conosco por causa de nossas fardas, podemos nos identificar com mais calma quando a conversa estiver mais adiantada e quanto aos planos posso acessa-los daqui se a tenente Hawkeye tem o instrumento de acesso só precisa da minha assinatura mágica, não precisamos ir a Yuden.
Isso foi feito pelo alto comando para que tivéssemos mais praticidade para acessar dados importantes a distancia, em território hostil, mas apenas aqueles de alta patente podem fazê-lo.

*Mustang fala isso de forma fria e impessoal e quando Greedson o chama ele diz*

—Riza prepare o equipamento eu Vou falar com o senhor Greedson.


Vendar logo dá sua opinião.

—Posso ficar mais afastado junto dos Yudenianos aqui. É divertido ver o jeito como eles me olham. De qualquer forma vocês só vão precisar de mim se a diplomacia falhar.


Tendo tido a atenção do sr. Mustang, o herdeiro da ganância vai ter com ele em reserva, embora próximo das vistas dos outros. Estava tranquilo e conversou como que falava com um conhecido de longa data:

—Agradeço por aceitar o convite. Talvez tenha ouvido falar de boatos entre as fronteiras dos reinos entre Nova Ghondriam, Sambúrdia e o que restou da União Púrpura. Boatos sobre um gigante de centenas de braços, um hecatomchiro, imparável, furioso. Bem, tenho duas coisas a lhe contra: primeiro, não é um gigante, segundo, não são só boatos.

Greedson ficou sério nesse ponto.


—Sim, eu ouvi algo do gênero, e queriam que a equipe da qual faço parte fosse mandada para resolver o assunto,mas nós nos recusamos a fazê-lo, afinal não é Yuden que está em perigo... Mas qual é o ponto?

—Ah, já vejo seu questionamento em sua face. É bem simples, ele está rumando para Yuden.

—Como tem certeza disso? Ele pode estar indo para qualquer lugar, que coisa é aquela?

Mustang se questiona qual o interesse de alguém do reino da magia proibida teria em alertar um mago de um país estrangeiro...

—Há certo tempo, eu, estava à procura de... Matéria-prima, Portsmouth não é lá um antro de guerreiros como Biellifield, mas como são inimigos, me mantenho afastado da casa da Ordem da Luz, mas estou desconversando. Quando soube de um grupo de soldados e mercenários se digladiando achei que poderia colher matéria de sobra. Não estava enganado. Quando cheguei ao local, não havia indícios de vitorioso, ou do motivo da contenda. Não me importei. Usei os mais fortes para construir... Shura, minha obra-prima, se posso assim dizer. Porém, Shura adquiriu consciência muito além do que eu esperava. Com meses, ele se tornou uma pessoa, cresceu em personalidade e individualidade, mas sempre tomado pelas vozes das almas que compõem sua carcaça. E, agora, está atrás de respostas. Preciso de sua ajuda para pará-lo sem destruí-lo, pois ambiciono seu enigma. Ele crê que obterá respostas em Yuden, mas creio que só ganhará mais dúvidas.

—Vou derrubar esta coisa o mais rápido possível. Não tenho tempo, onde exatamente esta essa coisa agora?

—Calma, Mustang. Ele deve estar acabando de atravessar Nova Gondriam, a menos 3 dias da fronteira. Shura não é o monstro que ele pensa que é, ele só luta diante de oponentes de respeito, como você e eu. Na verdade, eu estava pensando em rendê-lo pacificamente. Porém, não tenho o que ele deseja, mas você tem. Queria pedir a sua tenente emprestada, só um pouquinho. Sua posição em Yuden e sua familiaridade com um dos demais soldados mortos, talvez surta efeito ante a força bruta de Shura.

—pode ser possível... E então o quer que eu faça especificamente... Que vá lá e mande ele ficar em posição de sentido?

—Nada demais, apenas converse com ele. Shura está repleto de dúvidas e das visões e vozes de sua, das mortes daqueles que deram suas vidas para que ele nascesse. Ele sempre me viu como autoridade, mas isso se foi e ele me deixou. A tenente Hawkeye pode vir a obter a influência que perdi sobre ele. Digo, pela sua posição e tudo mais, como lhe fazer lembrar um dos colegas mortos, que não pus no esquema do corpo de Shura, devo comentar. Se tudo mais falhar... Ainda podemos bater na cabeça dura dele.

—Quer que eu mande minha tenente sozinha atrás de sua coisa? Não é um pouco prematuro para abandonarmos e nos desviarmos de nosso foco principal?

—Não lhe menti quando disse que tenho meus próprios interesses. Um deles é que preciso de Shura, não como meu antigo servo, mas pelo medo que ele acarreta por sua simples presença. Procurei você Mustang pela sua tenente, ela possui incrível semelhança com a companheira morta na fronteira de Portsmouth. Até me pergunto se haveria uma ligação. Mas... Se você prefere evitar uma rápida parada, devo lembrar o quão hospitaleiros seus compatriotas são com coisas como o Shura. Saiba que ele responderá a altura.

*Mustang olha para o homem e diz*


—Tudo bem, mandarei Riza ao local, ela tem modos de se teleportar, só tenho que falar com ela por um instante e explicar a situação...

—Como desejar.

—Não me parece sensato deixar sua tenente sair sozinha assim. - O Cavaleiro intervém na conversa. - Ela está sabendo dos detalhes da nossa missão e sua captura poderá ser o fim dos nossos esforços de guerra. Eu a acompanharei, Tenente. E nem tente dizer que não, pois será mais fácil seu general virar uma camponesa do que eu desistir disso.

—Nada contra, mas seria mais segura que ela fosse só, Shura luta contra oponentes fortes. Ele pode achar que você é um desafio à altura. Além do que, a tenente é a única que pode alcança-lo, se ele entrar em fúria poucas coisas poderão pará-lo além de sua morte cavaleiro. - advertiu Greedson quanto às chances.

—Mas eu não vou deixar minha tenente ir sozinha...  E, além disso, o cavaleiro, pelo que eu sei, é um mestre na arte da furtividade, não vai ser problema Riza e ele irem e seu golem não percebê-lo.

—Oooooh, a vida é de vocês. -  Greedson adverte de forma irônica, prosseguindo: Muito bem, para mostrar meu voto de confiança, dar-lhes-ei tudo que sei de Shura até antes dele separar-se de mim há 5 meses. -  e ele conta tudo que sabe, ou que deseja que saibam.

—Não me importa o que diz Greedson de Portsmouth. - Responde o Cavaleiro. - Eu irei para assegurar que não vamos ser perseguidos por emissários do Cavaleiro da Tormenta. Não ficarei brincando enquanto... Enquanto aquele monstro destrói tudo.

Diante dos novos rumos, Aeron suspira e diz:

—Ora, esse assunto não tem nada a ver comigo, mas acho que teremos que ficar de olho nisso. Se essa coisa for tão forte assim, podemos ter que aparecer por lá se a conversa não der certo...


*Mustang vai até Riza e diz*

—Eu sinceramente queria ir no lugar da Riza ou ir com ela se fosse possível... Acho melhor eu mesmo ir ao invés do cavaleiro...

—Magos vs. Golens... Todos sabemos quem vence. Isso não é uma democracia. Se alguém se provar melhor do que eu, deixarei ir no meu lugar. Caso contrário, ficará desse jeito mesmo.

Greedson então dá sua breve opinião.

—Sugiro então que vamos todos nós, apenas como observadores. A tenente deve tratar sozinha do caso com Shura. Vejam, não é um desvio tão grande, pois estaremos rumando quase na mesma rota.

(Out: Estou sugerindo que a coisa seja tratada no 'roleplay', pois ninguém aqui tem arma de adamante na ficha... e a Lienn já acostumou a explodir meus golens...  )


—Só espero que isso não acabe sendo uma perda de tempo...  - Diz Aeron, sem muita emoção.

— Para mim, provavelmente, não será, se obtivermos sucesso. - Responde Greedson.

Aeron permanece quieto, sentando em algum lugar próximo, enquanto espera pelo desvio, caso o resto das pessoas concorde com isso...

Dante ouve a conversa quieto, apenas observando, quando finalmente resolve falar:

— A tenente e o cavaleiro devem dar conta do tal de Shura, além do mais os demais devem guardar forças para suas próprias missões.



Depois de muito se falar sobre a situação a Fica decidido que um pequeno desvio seria feto para ir atrás de Shura que estava assolando com caos e destruição o reinado por sua fúria insensata...
O desvio que seria vista porem fora nenhum, pois Shura em sua fúria insensata vinha em direção do primavista, isso se mostrava cada vez mais estranho e misterioso, afinal tecnicamente a criatura estava mudando o curso de suas atitudes de forma aleatória e enquanto ainda se discutia e qual não foi a surpresa de todos quando se notaram quase na mesma rota utilizada para ir até a torre gelada e no local exato da criatura

Shura Havia parado em descampado aberto e parecia que esperava algo da Primavista, como se soubesse intimamente que seu objetivo estava lá. Seus urros estranhos e inumanos eram ouvidos no Primavista e, ao que parecia, Nimb havia rolado bons dados para os aventureiros. Riza ainda arrumava o equipamento para Mustang quando ouviu os urros e olhou para o tirano de Portsmouth e disse:

—Sua coisa veio atrás de nós, o que vamos fazer?

E depois vira para o Cavaleio e diz:

—Se vai descer comigo é melhor ser rápido.


O reencontro com Shura, mais cedo do que esperava, mas quem o deixara daquele jeito? Chegara o momento de utilizar Mustang, ou melhor, sua tenente. Assim que ela termina sua pergunta, Greedson fala:



—Deveras, alguém poderia tê-lo informado que fui visitar Mustang semanas atrás e resolveu seguir o rastro, ou estaria nos seguindo por alguma outra razão? Todavia, também é estranho que esteja criando esse tumulto todo. Há ao menos uma chance de que o algoz esteja metido nisso. Bem, a única forma de realmente sabermos é descendo e perguntando. - Concluiu o déspota, observando o golem-consciente dali. Ele avisou enquanto o cavaleiro e a tenente se preparavam:

—Lembre-se, apenas a tenente deve falar, uma intervenção de alguém que ele julgue um bom adversário pode apenas força-lo a luta.

Havia uma pequena chance de ele mesmo convencer, mas resolveu apostar na tenente Hawkyey.

—Eu irei com ela. - Diz o Cavaleiro. - Vocês seguem em direção da Rainha. Temos que ser rápidos. Eu os encontrarei lá e levarei sua tenente, Duque Mustang.

Enquanto isso, Hawkyey olha para o facínora e pergunta:

—O que eu vou dizer a ele? Eu não o conheço...

—Aaaah, mas isso não é importante, suas feições são absurdamente semelhantes a soldado que morreu com o pelotão que usei para dar-lhe vida, isso bastara para instiga-lo a curiosidade. Além do que, será melhor, ele ira querer saber de você, o que fez nos últimos anos, onde estava, qual sua ligação com os soldados massacrados na fronteira de Porthsmouth. Tenho certeza de que como uma importante tenente você pode obter informações privilegiadas com seu general. Isso deve bastar, você só precisa ser... convincente.

(Out: Ou seja, cuidado com as falhas críticas em testes com a habilidade Carisma.)


—Bem... Não sei quem são os soldados muito bem, e se ele questionar isso não terei o que responder...
Não seria melhor que o coronel fosse comigo?

Roy olha para tenente Hawkeye e diz:

—E eu não pensava em outra coisa, eu vou com você... Talvez eu possa ajudar você, tenente.

—Você não vai, Senhor Duque. Deixe de teimosia e fique aqui. Vamos indo, Tenente. - Fala rispidamente o Cavaleiro.

—Mas...

A tenente Hawkeye olha para o General e diz:

—Ele tem razão, sua vida é mais importante que a minha, general.


*Dante olha para a entidade lá em baixo.*

— Pessoas, vocês poderiam se apressar? Ou eu mesmo desço lá e dou uma surra naquilo.


Tendo tudo decidido, Riza e o Cavaleiro partem em direção à Shura, o golem,, enquanto o resto do grupo segue em direção ao objetivo principal.

_________________
"Força Bruta: se não funcionou, é porque você não usou o bastante"
-Um sábio...
avatar
Tahlus
Mentor
Mentor

Mensagens : 102
Data de inscrição : 14/11/2013
Idade : 27

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Última Libertação - 1ª Fase

Mensagem por Tahlus em Sab 16 Nov 2013 - 11:05

Capítulo IV



*Após ambos descerem da nave , a criatura apenas observava Riza enquanto o Cavaleiro fica escondido para dar apoio a Tenente caso ouve-se principio de Luta*

—Sou a Tenente Hawkeye do Grande exército de Yuden, o que faz indo em direção ao Exercito nação...
Pretende atacá-lo? Porque se distanciou daquele de que lhe ajudou?

[Necromancer a interpretação do Shura é sua]


Shura estava caminhando numa linha reta quando a tenente se interpôs em seu caminho. A visão da mulher desconcertou o golem-consciente de seus pensamentos, já que estava acostumado a outro tipo de imposição até ali. Ele demorou um pouco para responder, mas finalmente disse num Valkar carregado para o Lallkar:

—Então as vozes estavam corretas, a resposta está em Yuden, tu és a prova disto. Greedson chegou ao seu limite prático, eu estava realmente certo em ouvi-las.

Shura conversava consigo mesmo, satisfeito das escolhas que fez, mas cessou isso para interrogar rispidamente a oficial diante de si:

—Dizei-me, cão-da-guerra: tu morreste a quase um ano, foste ressuscitada por algum sacerdote? E se não foste tu, quem poderia saber do destino da companhia chamada "Orfãos de Lamnor"?

—Os órfãos de Lamnor, bem, eles morreram há muito tempo em missão, e eu não sou aquela que procura, mas se quer saber mais sobre os órfãos de Lamnor procure o general Mustang, ele é o responsável pelos arquivos das antigas missões de Yuden, ele vai saber tudo sobre o que ha para saber deles, e mesmo que vá para Yuden, não vai conseguir acesso aos nossos arquivos, pois estão magicamente Guardados, e somente pessoas que sabem o código e tenham autorização conseguem acesso, logo sua ida a Yuden é perda de tempo...


(Out: o resto do pessoal já pode postar contra as tropas lefeu ou tentar um 'roleplay'-diplomático com a guarda? Será que rola um mapa, Lienn?)

Shura meneia sobre o convite, sabia que estava no caminho certo e a aparência da mulher era assombrosa, como um fantasma que se ergue para enfeitiçar os vivos, crendo em sua vida que já se acabara. Porém, era bem melhor do que o plano que seguia até então.

—Irei com você, desde que se mantenha por perto, eu não respeito traição. Leve-me a esse potro-rancho então, mulher.

(Out: Precisamos de um Off topic XD, e as tropas lefeus estão longe e no caso eu deixei para que se aproximassem das tropas da rainha do gelo e quem assim entrar em contato com a própria, mas eu não entendi sua postagem com shura Triste oque P#rr% é um potro-rancho ?)

—Posso levar você até ele, mas talvez demore um pouco, afinal ele esta muito longe.


O golem-consciente acena positivamente com a cabeça, para então responder ao problema.

— Não tem problema.

O golem então agarra a tenente abruptamente a joga em suas costas, como se fosse um saco de batatas, e diz:

—Para qual lado eu corro?

*Riza grita pela surpresa e diz*

—Para Lá!


Enquanto isso, o Cavaleiro escondia-se para analisar quais as intenções do tal de Shura e qual seriam suas ações. Conversava com seu Oráculo para saber como estavam as coisas na Primavista.

—Não serão capazes de atravessar o Deserto da Perdição a tempo de alcançar o Primavista por mais que você corra, Shura. Se você for capaz de viajar por magia, sou capaz de nos levar mais rápido para nossos objetivos. Será capaz de encontrar com Mustang mais rápido do que pensa. - Diz o Cavaleiro saindo das sombras - Não tenho a mínima intenção de atacar você. Só acompanhei a Tenente para garantir que nossos inimigos, os exércitos dos lefeu, não pusessem as mãos nela, que tem informações importantes. Agora se puder se aproximar, o nosso tempo é curto.

O construto torce sua expressão ante o surgimento de um espião que o cercava. Seu rosto duro logo se tornou receio diante de poder estar sendo atraído para uma armadilha. Ele não iria abrir mão da tenente tão facilmente.

— Que seja então, mas eu lhe aviso, se for algum truque... Vocês irão comigo para onde quer que seja nosso destino final.

A mão do golem-consciente estava leve sobre a soldado, mas ele não a deixou, por segurança própria ou por receio de perder a única certeza que já teve. E nisso, Hawkeye ficou ali, sobre ele como um saco de batatas.

—Não estamos te enganando, só que poderia fazer o favor de me por no chão? Eu consigo andar sozinha e não vou fugir, e você corre mais rápido do que eu...

A tenente se encontrava pressionando-se por sobre o corpo poderoso de Shura, este ao ouvir o pedido respondeu-lhe diretamente enquanto aguardava o transporte daquele homem de máscara:

—Não.

A mortalha velha que cobria seu corpo diante dos ventos pendia enquanto vários braços fortes de cor prata resplandeciam com a luz ambiente. Eles agarravam-se contra o corpo da tenente formando um escudo férreo, como se ela fosse o mais precioso dos tesouros.


*cavaleiro se aproxima do golem e diz*

---Bem acho que agora poderemos ir... Tenho que tocar em você para podermos ser teletransportados...

*Depois fala com a barda através da mascara*

--- Oráculo nos teletransporte.


-----------


*Após a Tenente e O cavaleiro negro descerem para confrontar o monstro Primavista segue a viagem a toda velocidade em direção a torre gelada, e ao chegar lá os aventureiros já tiveram o primeiro impacto de seus inimigos o exercito era realmente mais ou menos duas legiões de lefeus, era um imenso mar vermelho vindo ainda ao longe, estavam mais longes que o prima vista , porem isso era questão de tempo*

*A visão do palácio era assustadora. Dragões brancos voavam ao redor do topo do palácio, ou seja, para se evitar danos ao Primavista os heróis desceram próximos a Torre da Rainha do Gelo*

*Nas proximidades da Torre uma pequena Guarda esta na entrada, todos são elfos e alguns estão armados com armas de Gelo eterno, dentre todas uma elfa está armada e aparentemente todos a obedeciam.


*Mustang olha aproximação do exercito da tormenta com apreensão e diz*

—Será melhor que irmos falar logo coma guarda da rainha do gelo, antes que aquele exército chegue às proximidades da Torre...


Greedson concorda dizendo:

—Ela é uma nobre e uma senhora de poder, exigirá conduta própria. Não podemos chegar fazendo exigências. Um de nós deve ir à frente para fazer o anuncio e aguardar a permissão de entrada.

O déspota olha de lado para o usuário do simbionte e depois o encara dizendo:

— Você deveria aguardar aqui para facilitar tudo enquanto as negociações são feitas. Além do que, é provável que logo tenha a oportunidade de fazer o que faz de melhor.- Dizia a voz metálica enquanto apontava para o mundaréu lefeu que ameaçava os domínios da senhora do gelo.


Aeron olha os inimigos se aproximando e diz:

—Precisamos resolver rápido o que fazer, se dividirmos o grupo como foi dito vocês poderão ser pegos enquanto tentamos falar com ela. Por outro lado, provavelmente se isso acontecer acabarão recebendo uma ajuda involuntária dos servos dela tentando proteger esse lugar... - Ele olha para o resto do grupo e continua. - Se alguém tiver alguma ideia diferente, fale rápido. Caso contrário, é melhor tentarmos falar com ela imediatamente.


*Dante puxa sua espada que rapidamente se transforma em um arco.*

- Eu e o grandão ficamos na retaguarda. - diz olhando o gigante rubro.


Vendar estava simplesmente coberto por um grande manto que cobria seu corpo e o protegia do frio, mas deixava a cabeça insetoide à mostra. Ao ver a situação diante de si ele fala.

- Posso ficar na retaguarda, mas precisaremos de uma forma de nos reunir se for necessário.


Isadora acompanhava tudo de seu quarto, e sentiu as ondas de medo quando passaram por cima das legiões lefeu. Dera ordens para que usassem o portal de teletransporte que lhe fora dado por Talude para que pudessem percorrer o restante da distância em segurança.

Ao avistarem o Castelo, a Oráculo reportou ao Cavaleiro que haviam chegado enquanto recebia a informação de que os exércitos de Lefeu aproximavam. Perguntava se tudo estava pronto para que eles fossem teletransportados pela mesma enquanto trocava as vestes por trajes de frio. Saiu de sua cabine com um grande manto branco feito de um material que simulava peles (Com dinheiro era possível conseguir tudo em Vectora). Deu ordens para que o Primavista entrasse em posição de combate (todos os artistas do Teatro Voador eram versados em medidas defensivas dentro do navio) e desceu junto com os companheiros de missão. Sabia que o futuro de Arton dependia disso.

*Ao ouvir o pedido do cavaleiro Isadora usa a varainha para teletransportar o o cavaleiro e quem mais que seja para perto de onde esta Mustang*


Deixou os outros conversarem enquanto dirigia-se em direção da elfa. Imponente, porém humilde, Isadora percorrera a distância na neve que separavam eles do grupo de elfos que guardavam o castelo. Ramona, sua assistente, trazia um enorme baú flutuante todo cravejado de jóias.

—Muito bom dia, Senhora da guarda. Venho em nome de todo o nosso mundo pedir que Sua Majestade nos conceda uma audiência. Nosso tempo é curto e nosso inimigo é poderoso. Há um gigantesco exército aproximando dos domínios de Sua Majestade e há algo que precisamos falar com ela. Essa é uma singela amostra de nosso apresso por Sua Majestade Lothiriel Velossfaeniel, antiga conselheira da Dama dos Elfos.

[OFF: Uso Diplomacia +29 para Mudar Atitude e dou um tesouro equivalente a 100.000 TO]


*A pequena Guarda se agitou e se preparou para o combate, mas a elfa fez um sinal para que se detivessem e o vento soprou de forma estranha fazendo com que seu som parecesse quase uma voz sussurrando e depois a elfa olha para Isadora e Falou em élfico*

---Minha senhora aceita seu pedido, entre, ela aguarda.

*Dentro do castelo a barda se encanta com tamanho requinte e Luxo que era o palácio, e mesmo sendo feito de Gelo não perdia em nada para outros palácios que a barda já visitara. Na sala do trono estava a majestosa senhora gélida, a Rainha do Gelo. Em sua Sala do trono vários homens estavam congelados com faces de paixão e algumas de terror e outras de surpresa, e assentada em seu trono a elfa disse*

—Eu sou Lothiriel Velossfaeniel, ex- conselheira das senhora dos Elfos e atual rainha do gelo, diga, jovem Barda, o que quer em meu reino...

*Tratava-se de uma bela elfa e próximo a seu trono duas espécies de tigres albinos estavam sentados e olhavam a barda com ferocidade, mas não se moviam de perto de sua senhora*


A própria visão da Rainha do Gelo já a fazia se sentir menor. Era perfeita. Não via como uma falha poderia fazer com que conseguisse enredar tal fascinante criatura. O que queria naquele momento era parar para escrever uma canção sobre aquele ser.

"Calma Isa!! Concentre-se. Não deixe que sua mente devaneie. Temos que tirar ela daqui, e eu preciso convencê-la a isso."

—Vossa Majestade, venho das longínquas terras do Reinado em uma missão que compreende cada um dos seres existentes. Soube que era conselheira da Dama dos Elfos desde antes de Lenórienn e que a aconselhou a não utilizar a Tempestade como arma. E é por isso que estamos aqui. A Tempestade Rubra se espalha cada vez mais nas entranhas de nossa criação, e nós vamos atacá-los de volta. E precisamos da Senhora. A Senhora mostrou a Glórienn que ela estava errada, então precisamos que seja nossa conselheira nessa missão. Todo nosso mundo precisa que nos unamos. E a Rainha do Gelo Lothiriel Velossfaeniel é necessária para salvar nosso mundo. Poderia trazer sua corte para o Primavista?


Aeron havia partido junta mente com Isadora para falar com a rainha. Ele analisava a situação, e esperava a resposta da elfa antes de tomar qualquer atitude. Esperava que a diplomacia desse certo, pois sabia que em pouco tempo teria que usar sua espada nos inimigos...


*A rainha gelada olha para Isadora com certa desconfiança, mas por pouco tempo e depois diz*

—Aceito a proposta, mas terá que ganhar tempo enquanto eu desloco a minha corte para seu Primavista, afinal minha corte não esta toda ciente do fato de que precisamos sair...

*Lothiriel Velossfaeniel se levanta do seu trono e um vento gélido a envolve e depois se dispersa, e enquanto ele se dispersa você quase pode ouvir a mensagem que ele carrega e depois de alguns segundos, os dragões que sobre rugem em resposta e a Senhora do gelo diz*

—Meus servos estão cientes, e logo todos estarão em sua Embarcação, Barda....

*Com mais alguns movimentos as decorativas estatuas geladas somem*

—Vá, barda, cuidarei de tudo, mas acho que seus amigos precisam de sua ajuda...

Assim que a elfa concorda, Aeron se vira para a barda e diz:

—É melhor irmos então, a situação deve estar bem difícil lá fora...


—Vamos sim! Temos que nos apressar! O Exército aproxima-se. Quanto tempo a Senhora necessita?

Após perguntar isso, Isadora sai correndo na direção dos seus companheiros, e saca a Varinha Skotádi, preocupada com seu companheiro.

—Cavaleiro, está bem? Precisa de alguma magia?

—Não se preocupe, Oráculo. Eu estou bem. -- Informa o Cavaleiro quando questionado pela Qareen.

—Esperem. Não irão percorrer toda essa distância a tempo. Vou enviá-los para seus companheiros.

Uma luz aparece em torno da dupla enquanto a Rainha do Gelo recita palavras arcanas e os teletransporta para a batalha.

Ao chegar, a qareen e o tamurariano presenciam a situação da batalha. E, por mais incrível que fosse, eles tinham chance de vitória.

_________________
"Força Bruta: se não funcionou, é porque você não usou o bastante"
-Um sábio...
avatar
Tahlus
Mentor
Mentor

Mensagens : 102
Data de inscrição : 14/11/2013
Idade : 27

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Última Libertação - 1ª Fase

Mensagem por Tahlus em Sab 16 Nov 2013 - 11:16

Capítulo V



Enquanto parte do grupo agia como diplomatas, aqueles que ficaram na fronteira ressurgem diante de Roy Mustang e dos demais que estavam a terminar de descer pela magia da maga. O soldado pode ver bem a sua comandava estava com o golem, ou seria o golem estava com ela, sem fazer menção de libertá-la. Os olhos do construto corram pelo espaço e puderam constatar: Greed'son estava entre eles, apenas mais um entre outros planos do déspota, mas... QUE DIABOS ERA AQUELA COISA MAIS ATRÁS!


—General, me ajude Diga a ele o que aconteceu com os órfãos de Lanmor...


*Mustang se surpreende com o Golem e diz*

—Solte a tenente e digo o que quer Golem.

*Mustang olha para Greedson, desconfiado que o tempo todo ele quisesse o confronto entre ele e seu construto*


O golem observa as figuras ali, Mustang e também Greed'son. Desconfiado, mas colaborativo para ver o que podia obter, ele soltou a tenente vagarosamente, indo se dirigir ao soldado, mas parecendo tomar cautela em relação ao déspota. Ele diz:

— Parafraseando um grande general tapistiano, eu digo: "E antes de cruzar o rio, ele disse 'A sorte está lançada'". Nada melhor deve definir essa dúvida de todos sobre todos. Mustang... Greed'son...  Sou sincero em dizer que tenho pouca confiança nos dois, mas não tenho nada melhor. Não acho que ambos sintam o mesmo em relação um ao outro. Então, soldado, devo ouvi-lo ou usar meu chamado criador dessa vida de dúvidas, conflitos e fantasmas, como um martelo contra você?

O golem-senciente aguardou a resposta.


—Sabe Golem eu só ajudei seu criador por que você ameaçou Yuden, mas agora creio que você sabe um pouco de uma das unidades táticas mais antigas de Yuden, se quiser destruir seu criador isso não é problema meu... Sou um general de Yuden e meu dever e com a terra que eu decidi proteger, então me diga, Golem, como sabe o nome dos Órfãos de Lamnor, e, sinceramente, acho que deveria tentar parar de destruir tudo que vê, pois às vezes as melhores estratégias não tem como base o conflito direto.

—Você fala como um diplomata, os comandantes nem sempre são os melhores guerreiros, mas aqueles que melhor utilizam o que tem a mão. Estou tentado acreditar em você, Mustang, mesmo que carregue um ar que odeio. Não sei muito das vidas que se perderam para que eu surgisse, nem Greed'son, até onde ele disse. Sou assombrado pelos fantasmas, insanidades, loucuras, suas vozes clamam saber o motivo de seu fim. Ao que parece, a dúvida é mais assombrosa do que o desejo de vingança. O que herdei deles foi o conhecimento da vida de um soldado, estratégia e logística militar... e mais isso. Esse molho de brasões velhos e alquebrados estava com um dos cadáveres de meu corpo.

Shura passa entre seus dedos prateados de um dos braços um colar contendo alguns brasões quebrados, alguns são familiares para Mustang, outros parecem dar luz a rumores e boatos sem importância dentro do poderio de Yuden


—Seus brasões não me são estranhos, eu quase consigo os reconhecê-los... Posso velos mais de perto? - diz Mustang.


*O grupo esperava os enlaces diplomáticos se resolverem mais a frente, e enquanto isso o General de Yuden tentava acalmar o Gole do Déspota do Reino da magia proibida*

*Roy olhou os Brasões e disse com Calma:*

—Existem boatos em Yuden de que o conde daquele lugar esquecido pelos deuses tem um grupo chamado Graath, o nome significa "silencioso", é um grupo secreto de assassinos arcanos sobre lavagem cerebral que fazem o trabalho sujo do regente Asloth (o fato é negado pois o próprio regente contrata aventureiros para combatê-los), eles foram mortos por esse grupo depois de cumprir uma ordem de de Yuden....

Por alto é tudo que sei, mas poderei ver melhor isso depois de resolvermos o que viemos resolver, por isso peço apenas paciência...

*A tenente Olhava para o Golem ainda Receosa , mas sem demonstrar medo algum*


—'Verdata est verdata', nada conseguirei apenas batendo com a cabeça, embora já tenha tentado isso. Farei o que diz, Mustang. - Finalmente concorda o construto.

O construto para um pouco, olha ao redor e avista ao longe o exército de monstruosidades se aproximando. Ele diz veemente:

—Mas que inferno é aquele que se aproxima de nós?! 'Engenheiro de Almas', isso é obra sua?! - E assim, apontava para Greed'son acusadoramente.

Há uma pausa, então, Greed'son responde meio desinteressado:

— De inteira verdade, nada tenho haver com as ondas lefeu aproximando-se, mas nem elas tem interesse em nós no momento, Shura. Elas seguem para invadir aquela magnífica construção ao qual esperamos resposta da senhora que lá reside.

O golem ouviu as palavras e parecia indiferente, fitando as maças para depois pensar profundamente, mas o seu criador falou de novo:

— Nada disso, compete a você. Lembre-se que está numa busca de autodescoberta, está atrás do seu próprio 'eu'. O que tem feito além de entrar em uma luta após a outra? Quantas vezes eu o reparei? É chegada a hora de pensar em suas próprias ambições, Shura.

Shura parecia respirar profundamente, se é que era possível. Ele disse para si mesmo em tom de desolação:

— Ambição... Conquista... Desejo... Perdi algo que nem sei o que é... Procuro por uma coisa sem saber a qual... Tenho pensamentos que não são nem meus... E única verdade nessa vida falsa é que todos temos de lutar.

Greed'son deu um passo adiante, falou em seu orgulhoso tom de comando:

— Então, lute. Se só pode compreender a vida através da luta, lute. Lute comigo, aqui e agora. Essa é a resposta que posso te dar.

Houve silêncio, apenas um instante de silêncio. Shura engoliu friamente com os olhos seu criador. Então, explodiu, explodiu em um golpe de pura fúria sobre Greed'son.

A velha mortalha saiu voando enquanto o construto se lançou, os braços metálicos reluzindo num caleidoscópio de luzes, três deles acertaram Greedson unidos num único golpe, carregando grande força na manobra.

(Off1: Shura corre e salta para golpear Greedson com a manobra de ataque de carga para dobrar o dano; pancada+19, dano: 2d6+5for+1prótese+9nível, 19-20x2. Especial: 1% de chance de entrar em fúria.)

(Off2: Greed'son recebe o golpe com CA22, RD15/adamante, pvs110.)


*Dante vendo aquela cena apenas aponta seu arco para o golen e fala alto*

— Qual o problema de vocês? Temos que resgatar a elfa e guardar nossas forças para o verdadeiro inimigo! - depois olha para Greedson - Eu não sei o que você realmente planeja, mas não coloque a vida dos outros membros desse grupo em risco com essas atitudes.


Observando a confusão que se instaurava, o Cavaleiro tomou a frente da direção de onde estavam as tropas em posição de combate. Precisava ganhar tempo para Isadora fazer o que sabia fazer de melhor, que era enredar em suas palavras. O Inimigo o aguardava próximo dali, e o Cavaleiro teria que ganhar tempo. Sentia-se observado. Olhava aos arredores da planície congelada em busca de algo, mas se fosse quem ele pensava, não seria capaz de encontrar até que fosse tarde.

—CHEGA!! Temos uma missão. Shura, nosso real inimigo está em algum lugar por ali, e se não formos capazes de detê-los, Suas dúvidas não serão sanadas, e sua vinda ao mundo terá sido em vão. Precisamos retirar a rainha desse lugar daqui, e para isso precisamos de tempo, tempo esse que nós combatentes vamos dar a eles. Inocentes precisam de nós, e não podemos nos dar ao luxo de ficar discutindo entre nós. Greedson, você e Mustang dirijam-se ao castelo e ajudem Isadora. Levem todos para dentro do Primavista. Quando conseguirem, peçam a Isadora a Varinha e nos teletransporte para dentro e nós sairemos todos bem. Enquanto isso, nós seremos a vanguarda. Eles não poderão passar por nós. - Toma a liderança. Parecia que já fizera isso varias vezes antes. Já inspirara antes. Mas foi a muito tempo. - Não percam tempo e vão. Isadora já está conversando com a Rainha. Nosso tempo se esgota. Ele já está aqui.


Vendar olha para o construto sem um pingo de medo em seu ser. Ele então pergunta para Greendson enquanto saca sua espada táurica. Um grande maciço de aço-rubi com três metros de altura por 80cm de largura. Grande demais para um ogro manejar. Quando ele segura a arma camadas de matéria vermelha começam a cobrí-la como se fossem raízes sólidas e líquidas que cobrissem e invadissem sua estrutura corrompendo-a.

— Greedson, precisa de ajuda com esse aí?

Ao ver que terá que lutar com o exército corrompido ele acena positivamente com a cabeça e só espera a reação de Shura para poder avançar.


*Mustang olha para Greedson e diz*

—Já chega, não precisamos de mais confusão aqui, temos a tormenta para enfrentar.


Assombrosamente, era como se a situação inspirasse um sorriso na face inescrutável do maquiavélico armador. Ele negou qualquer intromissão dizendo:

—De nenhuma forma será necessária a vossa intervenção. Eu apenas estava avaliando o crescimento de Shura. Embora sua angústia não pareça ter diminuído, ele não demonstra ter perdido o digamos, "espírito". O fato de ele não recuar diante de um desafio é a prova disso. Agora, há razão em agora darmos atenção a ameaça que se aproxima, pois os lefeu podem destruir toda a nossa existência. Shura, você se uniria a mim mais uma vez na busca de suas respostas? Por favor, não renegue antes de refletir, pois fui eu mesmo o responsável por trazer o general Mustang aqui.

A armação agora estava clara, se já não estava antes. Shura voltou-se para o general e perguntou em dúvida, e pela primeira vez desde que se encontrou com Mustang, o faz com respeito:

— Isso é mesmo verdade, general Mustang?

—De certa forma sim, eu ia ignorar o chamado dos libertadores eu achei que era uma piada, mas eu nunca pensei que seria por sua causa...


—Então, é mesmo verdade. Muito bem, serei sua arma mais uma vez, mas não pense que será permanente, Forjador-de-Almas.

Greed'son assente positivamente, demonstrando no mínimo estar satisfeito com o resultado. Shura, por outro lado, se mostrava muito pensativo e tenta enxergar a ameaça crescente ao longe. Ele pergunta compenetrado no assunto:

—Há algo que eu deva saber sobre o inimigo?

—Apenas que seus punhos-relâmpago serão úteis apenas para fazer-te durar um pouco mais caso eles o apanhem entre suas quelíceras. Poucas coisas são capazes de passar a resistência da matéria vermelha que permeia o universo deles. Por outro lado, até o mais ignóbil dentre eles pode ferir até mesmo os chamados avatares divinos. - responde Greed'son.

Shura recebe a informação enquanto meneia as opções. Ele diz:

—Entendo, então terei de bater suas cabeças e fazer de seus corpos aríetes.

Os múltiplos braços de Shura rangeram enquanto ele parecia estar pegando "gás" para rumar ao adversário. Sua visão era distante. Estaria se concentrando para a batalha? Ele falou após refletir:

—Eles devem ser muitos, mas se pudermos estreitar sua onda... Esses ditos magos podem varrê-los com sua magia de devastação?

Greed'son rebateu a questão sobre Mustang:

—E então, Mustang, você é capaz? Não temos muito a fazer sem uma reposta positiva de lá de dentro, não é?


—Ficarei extremamente satisfeito em devastar as hordas de lefeu meu caro...

*Mustang começa atacando com uma corrente de relâmpagos e usando o talento energia da tormenta*


—Finalmente ficou interessante - diz o elfo voltando seu arco para as hordas. Ele puxa uma corda que não existe e de repente uma flecha de pura energia se forma.

(OFF: irei ajudar a estreitar as colunas disparando minhas flechas contra os lefeu da vanguarda. Posso disparar a até 48 metros com bônus de +29 ou +30 caso estejam a 9 metros (mas nessa distância é melhor começarmos a recuar). As minhas flechas são feitas de essência, então os lefeu não tem imunidade a pura energia. Continuou atacando com as flechas enquanto puder ao lado de Mustang e qualquer outro que vá repelir as hordas)


(Vendar fica a postos esperando os resultados dos ataques a distância. Assim que uma infantaria for necessária ele vai avançar contra as hordas lefeu golpeando com sua espada em arcos largos abrindo buracos em suas fileiras e golpeando os lefeus resistentes o bastante para resistir às magias e flechas.)


(Off: Shura - Teste circunstâncial da perícia Estratégia+23 para conceder um bônus estratégico ao grupo afim de diminuir o avanço da onda lefeu - diminuir o deslocamento inimigo usando a própria formação das unidades contra eles.)

As falhas na ideia de Shura eram óbvias.

"NÃO IMPORTA O QUANTO PENSEMOS QUE SOMOS PODEROSOS, formigas de fogo sempre devoram o leão da savana." - ele refletiu.

Shura sabia disso através do conhecimento militar que herdara de Sebastian, o ex-mercenário sobrevivente de Lamnor que morrera ainda com o molho de heraldos em uma das mãos retorcidas em dor.

"NÓS VAMOS PERDER... é inevitável." — pensou alto para si enquanto perdia a vastidão dos números que logo os cobririam.

Essa conclusão o levava a simples e derradeira questão de que quanto tempo poderiam segurá-lo. Ele apenas montava o esquema as presas para tentar garantir algum tempo. O construto não sabia a quem esperavam, mas se era tão importante, deveria ter força para ao menos confrontar o inimigo que agora iriam tentar segurar.

* Tendo observado a forma como agir, mas também já enxergando as falhas óbvias na estratégia, Shura se põem na linha defensiva para garantir um mínimo de êxito.*

O poderoso construto se posiciona entre o elfo e a horda alienígena. Diante dos habitantes do universo da anticriação, prostrava-se com uma posição firme para repelir o vagalhão lefeu com sua já lendária tempestade de golpes, famosa nos três reinos da fronteira.

(Off: Iniciativa+21+0Des.)

*Shura fica entre a onda lefeu e o maestríaco elfo arqueiro, agarrando e imobilizando o primeiro que se acercar próximo a este ou dele, para depois gira-lo contra os inimigos próximos que vierem em seguida.*

(Off: Começa atacando: 14pancadas+12, dano: 2d6+5for+1prótese+9nível cada, 19-20x2; caso seja ineficaz, tenta contra o alvo mais proximo Agarrar+9bba+0des+4próteses.)


Enquanto isso, o herdeiro dos Ricardo via sua criação contemplativa e já imaginava o que lhe passaria em pensamentos. Riu em si. Estava com os braços metálicos cruzados, impassível, mas pôs-se a movimentar na intenção de garantir o intervalo necessário para o convencimento da senhora daquelas terras gélidas.
(Off: Cancela o efeito disfarce obre o corpo de golem-de-ferro, caso seja contra as regras usara a carga de Cancelamento de Magia para isso, retornando o golem-de-ferro para seu tamanho enorme original.)

(Off: Greed'son (golem de ferro), construto enorme nível 18, CA22 (+14natural -2enorme), TdR: Fort+9, Ref+8, Von+9. Habilidades: for33, des09, con-, int-, sab11, car01.
BBA+13, Ataques: espada-longa flamejante+25 ou 3 espada-longa flamejante+20, ou 2 pancadas+24 (+1d8+11for+9nível).
Ataques Especiais: Sopro, Inovação Tecnológica __Acessibilidade para 5 Cargas Mágicas: Alterar-se, Enfraquecer o Intelecto, Impor Missão, Teletransporte, Viagem Planar__plano da luz/energia positiva.
Especial: características de construto, imunidades, RD15/adamante, visão no escuro (18m), visão na penumbra.
Acessibilidade: 5 Cargas Mágicas (Alterar-se, Enfraquecer o Intelecto, Impor Missão, Teletransporte, Viagem Planar).
Talentos: - (Greedson pode usar apenas seus talentos de perícia).
Perícias: - (as mesmas de Greedson), -8Furtividade.
Idiomas: - (Greedson fala atravéz do construto).
Equipamento: espada grande obra-prima amigável giratória explosiva flamejante amigável giratória explosiva flamejante __Inovação Tecnológica, Nada Detém o Progresso e Acessibilidade

O instrumento do Senhor de Armas encolheu em si num movimento breve para abrir-se como um quebra-cabeça sobrenatural, ganhando tamanho, forma e PODER. Embora Greed'son fosse um homem de segredos, ainda era um homem. Aquilo nunca fora Greed'son, apenas mais um construto, mais uma ferramenta para monitorar um plano dentre outros.

(Off: Usa a carga de Alterar-se para ganhar habilidade de voo.)

"Planos dentro de planos." - Eram as palavras de seu mestre que recuavam em sua memória, relembrou-se num lugar muito distante, onde se concentrava da tarefa, mas aguardava para deflagrar um contra-golpe contra inimigos próximos aos quais não podia deixar de vigiar.

"Vamos a eles." - Decidiu antes de se erguer.

A grande monstruosidade mecânica voava com a força do elemento das chamas a impulsionando para sobrevoar lateralmente a fileira lefeu, preparando o próximo passo no plano suicida traçado por Shura.

(Off: Movimento lento - 9m, em voo 18m.)
*Os lefeus avançavam sem muitos problemas pela floresta gelada, os esmagadores coletivos destruíam as arvores enquanto depois deles a grande massa de lefeus vinha, em sua grande maioria eram Burodrons,Uktrils e Geraktril, mas entre eles era possível ver vários Vuroktrils e no céus era possível ver 5 Kayredrann e em cima da cabeça de um deles estava o Cavaleiro da Tormenta*

*As tropas se aproximavam rapidamente, mas eram reduzidas em sua maioria pelo terreno difícil que estavam passando e outras defesas mágicas do Local, além dos esforços de Dante e Mustang de derrubarem e diminuírem as hordas, e além da tenente Hawkeye, Shura esta a espera do lefeus junto com vandar e finalmente eles começaram a se aproximar dos primeiros atacantes, e o alvo mais vulnerável foi Mustang. Ele foi atacado por um Vuroktril que chegara atacando o General. Já Vendar Começava a sentir a influencia da presença do algo da tormenta em seu ser, mas ainda não fora suficiente para domina-lo por completo*

** *Em suma o cenário esta: mustang está sendo atacado por um Vuroktril, e próximo a ele estão Hawkeye e o Cavaleiro das trevas e Dante, Shura,Greed'son e vendar estão sendo atacados por uma grande massa de Geraktril ( vou usar combate em massa afinal eles tem nível 9)***

*A situação dos aventureiros ficava cada vez pior, pois a tropa da rainha gelada ajudava a combater os lefeus com seus arqueiros e guerreiros, mas eles não eram suficientes pra uma legião daquela magnitude*



—Ele é a maior ameaça, e a nossa maior chance. - Concluiu através da percepção que a ligação com o ser elementar que animava o golem lhe dava.

Do total de treze pontos fracos dos lefeu, ali, naquela ocasião, a maior vantagem seria aumentar a confusão que a individualidade que Arton trazia à massa alienígena. Para isso, era preciso cortar a ligação que os lorde da Tormenta tinham com as tropa fora da área da Tempestade. Essa ligação era nada mais nada menos que o algoz da Tormenta.

"A ele". - Concluiu enquanto voava visado pelos cinco perigosos dragões da Tormenta, do quais seria impossível sobrepujar para chegar ao alvo.

*O golem-de-ferro voa alto na direção do inimigo.*

(Off: Ação de movimento, tentando atrair o cinco Kayradann.)

O primeiro impacto se deu pela força aterradora de sua presença, cujo poder da insanidade alienígena Greed'son poderia resistir apenas por se encontrar longe do conflito.

(Off: Com Vidência ainda há perda de sanidade?)


Apesar do choque, Greed'son não se deteria só com aquilo e, em resposta derradeira e fatal, o cinco Kayrandann e prostrariam sobre ele. Num piscar livre, o artefato gigantesco sumira diante das feras alienígenas para ressurgir sobre eu objetivo secundário, o algoz.


*Greed'son faz o golem-de-ferro se teleportar por trás e sobre a montaria do algoz.*

(Off: Ação livre, carga de Teleporte.)

O golem cai duro e pesado, o metal artoniano reclamando do contato com a matéria lefeu, mas cravando sua grande lâmina sobre as costas cotas do alienígena explodindo fogo, que nada faz ao monstro. Todavia, aquilo garantia um tempo extra ao construto, pois o fogo elemental o curava.

*O golem cai com a lâmina, tentando se agarrar nas costas do lefeu draconico.*

(Off: teste, espada-longa flamejante+25, dano: +1d8+11for+9nível, dec.19-20x2.)

Aproveitando o momento de distração da fera, prostrado nas costas do monstro, Greed'son realiza o ato que acha que sacrificaria sua obra de arte bélica pelo bem de eu planos futuros, e libera o portal no caminho em que o arremedo draconiano se dirigia.

*Greed'son abre o portal para o plano da energia positiva no caminho da montaria do algoz.*

(Off: Ação livre, consome a carga de Viagem Planar.)


—YEEEEEAAAAAAAAAHHH!

A massa escarlate dos invasores cresce sobre Shura e o elfo. O construto não pretendia deixa-los passar.

*Shura os mantém afastados do elfo com sua tempestade de golpes.*

(Off: 14pancadas+12, dano: 2d6+15 cada, 19-20x2. Se a coisa ficar difícil, queima um ponto de ação para obter 28 pancadas. Cada acerto crítico, gera uma explosão elétrica de +1d10, que não fere os lefeu, mas cura 1/3pvs em Shura.)


*O elfo vendo o que o golem tentava fazer continua disparando suas flechas, evitando ao máximo que os lefeu se aproximem de Shura, mas sabe que devido ao número uma hora terá de mudar de estratégia*

( OFF: Continuo disparando flechas contra os lefeu (ataque +34) os afastando o máximo de Shura, caso algum consiga passar pelo construto ou ameace subjugá-lo uso uma ação livre para transformar Ragnarok numa espada e ataco corpo - a - corpo (ataque +30). )

(OFF 2: eu não acertei nenhum lefeu enquanto eles avançavam?)


Era revoltante ver como aquele homem decaíra tanto. Ver os Kayredran voando fez sua mente vacilar, mas sua vontade fora superior. Num minúsculo espaço de tempo, o agora Cavaleiro de Arton saca seu arpéu e o atira no dragão, passando ao lado de seu sopro. Voa para cima do mesmo onde o Cavaleiro da Tormenta o aguardava. Num instante salta na direção de seu inimigo visando derrubá-lo do dragão.


Vendar via a todo o caos diante de si e suspira ao ver o cavaleiro se jogar contra o general inimigo. Enquanto fatiava dúzias de lefeus menores a cada golpe de sua espada gigantesca ele pergunta para quem estiver perto dele.

— Devemos salvá-lo?

Enquanto espera a resposta ele vai fatiando a onda de vermelho à sua frente.


Mustang olha o mostro em sua frente e pro exército que esta próximo a ele, e usa duas bolas de fogo de forma que não atinja seus aliados*

{ usando os poderes da luva posso atirar duas bolas de fogo na mesma rodada e acrescento apenas o talento energia da tormenta}



O Cavaleiro correu em direção ao seu provável Nêmeses, o Cavaleiro da Tormenta. Enquanto isso, o impacto causado pela queda do Golem na montaria do algoz fez com que ambos caíssem da montaria medonha.

Durante o misero instante da queda, um enorme portal apareceu diante de todos e sugou quatro dos monstros, que rugiam em dor enquanto uma quantidade catastrófica de energia vital fluía pelos seus corpos até explodirem. O constructo de Greed’son caia junto com os Cavaleiros que combatiam mesmo durante a queda.

Cerca de 30 metros dali, o que no meio de tanta devastação parecia uma distância interminável, Shura seguia num vendaval de destruição, abrindo caminho através das hordas de lefeu. Por trás dele, Dante lançava flechas concentrado, aguardando sempre o próximo inimigo que aproximasse demais do Shura para manda-lo ao esquecimento. Faziam uma dupla monstruosa em combate e começavam a fazer estrago nas linhas lefeu.

Vendar, que ouvira um som muito conhecido em sua mente, era um furacão de destruição. Matava dúzias de lefeu e artonianos corrompidos a cada giro de sua lamina, mas não era capaz de receber um ou outro golpe dos seus "Compatriotas". Viu quando ambos caíram no chão, levantando um vento gélido de neve esvoaçando.

Roy seguia próximo a riza e estala seus dedos. Chamas percorrem suas mãos em direção ao Vuroktril até explodir em duas enormes bolas de fogo. Seu título de Senhor das Chamas não era por um mero acaso, porem não consegui evitar o ataque de seu oponente, mesmo com toda a potencia de seu ataque ele fora atingido pelo Vuroktril mas nada capaz de incapacitar Roy.  Riza mantinha o os inimigos adjacentes ao general o mais longe possível, mas logo eles seriam engolfados pela legião vermelha.

—Vejo que o tempo não foi muito bom com você, Cavaleiro. -  Regorjeou o Cavaleiro da Tormenta ao ver a situação. - Lembro-me de quando éramos um tolo e uma criança assustada.

No chão, os dois estavam engalfinhados, mas o Cavaleiro das Trevas tinha as duas lâminas do inimigo trespassadas em seu corpo. A Matéria Vermelha comia suas entranhas enquanto o seu inimigo sorria.

—Vamos crianças... Vocês nunca vão entender que isso não é uma guerra. Guerra é quando dois lados se enfrentam. lefeu veio para unir todos em um único abraço. Agora parem de resistir, entreguem-me as páginas do tomo e eu deixarei vocês se unirem a nós. Resistam, e é morte.

[OFF: Mamorra tomou 138 danos e agora tem -7 de penalidade para tudo devido a ferimentos, o Golem do Greed'son tomou 34 danos(veja qual a porcentagem dos PVs dele para aplicar uma penalidade de -1 a cada 10% dos PVs), windstorm tomou 21 danos. Aaron gastou 8 flechas.]



Insuportável

Essa era a palavra que podia descrever a dor que ele sentia. Não vira quando seu inimigo atingira com as espadas que estavam viradas. Só conseguia sentir a dor causticante da Matéria Vermelha causava dentro de si.

Mas...

Tudo havia saído exatamente como planejado. Não só o Cavaleiro da Tormenta estava caído no chão, impossibilitando que seu "dragão" cuspisse imundície em todos, quanto ele estava de pé e próximo o suficiente para executá-lo.  Num misero instante, sem importar-se com as armas em seu corpo, o Cavaleiro das Trevas desfere uma enorme rajada de golpes em seu inimigo, visando quebrar ossos.

[OFF: Vou usar Ataque Desarmado +27/+27/+27 contra ele, só lembrando que ele está caído, diminuindo a CA dele em -4]



Enquanto a guerra se espalhava, o poder da Dama de Gelo se fazia presente, e logo a dupla responsável pela parte diplomática era enviada para o campo de batalha. A qareen olhou aquela cena aterrorizada e apenas coloca as mãos na cabeça e começa a chorar.

[OFF: Falhou no teste contra a Insanidade da Tormenta, a Lienn me disse.]


O espadachim saca sua katana, se preparando para o combate no qual entrariam, quando fora levado junto com a barda para a batalha. Por mais que já tenha enfrentado esses inimigos antes, nunca é uma visão agradável. Analisando a situação, Aeron fala:

—Se conseguirem me colocar perto do algoz, vou fazê-lo aprender o que é ter medo novamente...


(OFF: Primeiramente eu uso sem mente (teste de vontade, minha VON=21), tabela:

20 a 24 (+2d6)
25 a 29 (+3d6)
30 a 34 (+4d6)
35 ou mais (+5d6)

Então eu uso ataque poderoso.


Não sei quão longe eles estão, se eu puder correr ate la, ou se alguem conseguir me teleportar, eu ataco usando o meu PA adicional por estar enfrentado a tormenta, e uso minhas manobras chi com arma dano pelo chi e infusão de poder, ficando +44/+44/+44/+44/+44/+44 (dano: 56+xd6 (Sem mente), crit.17-20 x3; Alcance 9m), e caso eu não me precise me mover uso tambem meu golpe de execução +48 (dano: 66+xd6(sem mente), crit.16-20, x4 ; Alcance 9m)

caso não seja possível se aproximar, eu ataco normalmente os lefeus que estão no caminho...)



(Off: Golem do greedson - Pvs = 130 - 34 = 96 = - 25% de penalidade = - 3 no testes.)

Incrível, não era o planejado, mas Greed'son conseguira aniquilar quatro dos cinco kayradran. Agora, porém, deveria lidar com o que restara, e o golem já não se movia tão bem quanto antes, mesmo com sua resistência, a queda fora demais. Teria de levantar-se e depois atacar a criatura de agilidade muito superior. Resolveu ousar.

(Off: Tenta alçar voo, 18m acima, consumindo ponto de ação para poder reagir.)


*Greed'son maneja o golem para alçar voo e depois lança as duas cargas restante contra o algoz... e a barda.*

—Cure seu aliado, mulher!

(OFF: Usa a cargas retantes: Enfraquecer o Intelecto, para reduzir o intelecto e carisma 1 do algoz, CD10+5nível+9inteligência, e Impor Missão contra a nossa barda, para que seja obrigada a curar o vigilante urbano.)

O monstro já estaria por cima, Greed'son tenta atacar antes. Aproveitando que estava num nível mais alto, o déspota faz com que a máquina de guerra caia num ataque míssil com a lâmina flamejante contra o kareidran, mesmo tendo de, talvez, forçar o corpo metálico através de um possível contra-ataque de hálito cáustico de matéria vermelha.

(Off: Ataque de carga - espada-longa flamejante+25, 2d6+11for+9nível, dano dobrado, acerto crítico causa uma explosão flamejante, 1d10, que cura o golem em 1/3 do dano. O kareidran é imune as chamas.)


Eles estavam se aguentando, de algum modo. Porém, o inimigo era quase infinito comparado ao seu pequeno grupo. Era ó uma questão de tempo até que rompesse sua formação. Mustang e o estranho soldado pareciam ter se perdido, Shura não podia mai identificar onde estavam. Só sabia que Mustang não cumpria mais eu papel e dúzias de lefeus já se amontoavam.

*Incapaz de deixar sua posição, Shura prossegue em sua tarefa.*

(Off: 14pancadas+12, dano: 2d6+15 cada, 19-20x2. Os acertos críticos continuam gerando uma explosão elétrica de +1d10, que não fere os lefeu, ma cura 1/3pvs em Shura.)


Vendar olhava a tudo, e se ainda fosse capaz sorriria. Ele vê o cavaleiro se por em dificuldade para conseguir deter o algo e suspira.

—Segurem as pontas um instante que eu já volto.

Ele corre a toda velocidade e quando está ao alcance salta vários metros descendo com sua espada para golpear o Algoz. Enquanto cai com seu peso monstruoso ele fala para o cavaleiro.

— Quando você vai aprender que não precisa fazer tudo sozinho?

( Off: Investida + ataque poderoso + morte que vêem do céus (dano dobrado) sobre o Algoz. Se não for possível eu vou abrir caminho entre os lefeus para que os demais membros do grupo possam ajudar o cavaleiro.)


"Não irei parar, temos de vencer."  - Pensa o elfo, sem nunca parar seus ataques.

(OFF: Continuo ajudando Shura com minhas flechas.)


*O ataque maciço do de Vendar no algoz fizera efeito e ele começa a cortar o cavaleiro ao meio, mas para em algo que parece resistente. Não se tratava, aparentemente, de nenhum osso, nem mesmo carne ou algum tipo de simbionte ou Matéria Vermelha acumulada, mas sim de algo muito mais nocivo. Por um breve momento, Vendar sentira-se em casa, pois o que ele tinha a sua frente era um Coração de Tormenta, e isso só podia significar uma coisa, não tardaria muito para um Lorde aparecer e que o algoz era só uma isca. Nesse momento o Cavaleiro da Tormenta e Obliterado pela energia do item Gerador de Tormenta, e some sem deixar vestígios, Isadora sua companheira de aventuras Grita desesperada, mas era muito tarde, O cavaleiro das Trevas era mais um mártir que sucumbira na Luta contra Tormenta.

Ele Morrera Por Arton.

Logo após isso uma esfera começara a liberar o furor da Corrupção da Tormenta, e Vendar instintivamente se afasta do orbe sabia o que ia acontecer, sua parte artoniana estava ciente, seu instinto de alto-preservação estava o avisando disso.

Os outros que estavam mais distantes, como Dante, Mustang, Aeron, Shura, Greed'son, ouviam o estranho guinchar vindo do Local de onde Vendar e o Cavaleiro das Trevas estavam. Algo estava terrivelmente errado, pois os Lefeu atacavam agora com mais fúria, Mustang por muita sorte não perde o pescoço para as armas de seu inimigo, mas teve um grande talhão no peito, A tenente Hawkeye tomara a frente para defender seu Comandante e também fora ferida com certa gravidade.

Aeron conseguia manter-se a salvo Graças a sua agilidade e perícia. E quanto a Shura, seus ataques avassaladores destruíam aqueles que tentavam avançar mais e isso mantinha Dante seguro, mas nem tanto. Greed'son, também conseguia se esquivar e seu ataque com o Golem, mas o Tirano de Portsmouth sabia o que estava acontecendo.
Uma Área de Tormenta estava Nascendo, ela não podia ter escolhido pior hora para isso.*


Vendar grita desesperado:

— O CAVALEIRO MORREU!!! TEM UM CORAÇÃO DA TORMENTA AQUI!!!! TODOS SE PROTEJAM. O LORDE DEVE SURGIR A QUALQUER MOMENTO!!!!


(OFF: Teste de conhecimento tormenta. Vendar vai tentar perceber se o coração já estava ligado ao lorde (indestrutível até a morte deste) ou se ele estava sozinho e podendo ser destruído.

Se o coração estiver indestrutível ele vai voltar para junto do grupo. Se estiver indestrutível ele vai dar um morte que vem dos céus + ataque poderoso para causar o máximo de dano possível na coisa.)


**[ contador de Mortos ativado Die 1] **


*Após Analisar previamente o item, Vendar nota que ele estava Ligado a um Lord e ele estava próximo de sua chegada*


Vendar se volta para próximo aos demais membros do grupo.

— Pessoal, ferrou. Pelo que pude notar o coração já está ligado ao lorde que está vindo. Só dá para destruir o coração se destruirmos o lorde primeiro, só assim será possível evitar que isso se torne uma nova área. Aceito sugestões sobre o que fazer.


E eles vinham, enchendo a dianteira e os lados, e logo, logo, Shura já estaria cercado. Continuava mesmo assim, mesmo sabendo, continuava o quanto pudesse. Se só podia viver lutando, então lutaria.

E a paisagem branca começará a ser maculada de vermelho.

—O QUE HOUVE?! O QUE ESTÁ ACONTECENDO?! AH, DROGA, SÓ MORRAM!! MORRAM!!!

Eles passavam pela floresta, corriam entre as árvores, atrapalhados pelo seu volume, um número esmagador que só cresciam se "aformigavam" por sobre os domínios da senhora. Shura tinha nada a fazer que não fosse apenas bater rápido e bater forte.

(Off: 2pancadas+12, dano: 2d6+15, dec.19-20x2, e 12pancadas+12, dano: 2d6+15, dec.18-20x2 + explosão elétrica +1d10, que cura 1/3pvs em Shura.)


Aeron lutava contra os lefeus tentando se aproximar do algoz e do cavaleiro, quando a situação ficou ainda mais critica. Enquanto lutava, ouviu o colega falando sobre a chegada do lorde, ele diz:

—Se um lorde aparecer aqui, provavelmente só teremos 2 escolhas: Bater em retirada ou sermos obliterados aqui mesmo...


O intento falhara para escapar de algo pior, e agora, segundo Vendar, o Lorde viria a este universo. Tinham de fechar o portal de alguma forma. Greed'son tinha pouco tempo para tomar uma atitude. Escolheu as prioridades:

O golem desceu novamente, não havia mais tempo para lidar com o dragão da Tormenta, dessa vez jogou-se contra o poderoso Vuroktril que ameaçava Mustang _ e Greed'son ainda precisaria de Mustang.

*Gred'son ordena que o golem-de-ferro faça um ataque de carga do alto contra o Vuroktril e dai proteja Mustang.*

(Off: espada-longa flamejante+25, 2d6+11for+9nível, dec.19-20x2, dano dobrado, acerto crítico causa uma explosão flamejante, 1d10, que cura o golem a 1/3 do dano. O vuroktril é imune ao dano por fogo.)

A reinos de distância, o déspota herdeiro guardou o momento para si, apanhando a caixa lamentos configurou em seu complicado, e traiçoeiro, mecanismo o acordo que lhe permitiria seguir num instante para interceptar as intenções do inimigo alienígena.

(Off: Uso diário de Cinto de Utilidades, como a magia divina Viagem Planar.)

Um portal se abriu, o sacerdote cenobita estava alerta, assim como a muito antes da família Ricardo chegar a Arton.

Camarás abaixo, um prisioneiro, alguém predestinado por um oráculo de Thiatys a ser um concorrente a sua altura, era oferecido aos clérigos da carne. Ele voltaria, era a profecia, mas por hora serviria de tributo para a passagem segura do usurpador pelos domínios cenobitas.

Greed'son transcorreu aquele verdadeiro oceano urbano e atrás de uma porta aparentemente mundana, mas ali não havia nada mundano, encontrou o caminho para o campo de guerra dos dois universos disputados __ entrava pessoalmente na guerra contra a Tormenta.

A armadura platina surgia em pleno caos combativo, diante de si, o inferno lefeu se vomitava pelo coração da Tormenta. Ele tinha um plano, na verdade, ao menos três planos. Mas esperava eliminar a ameaça da Tormenta logo de primeira, se houvesse tempo suficiente.


Isadora teve poucos segundos para manter as lágrimas. Olhava sem admitir que seu amigo agora estava morto. Percorreu com o olhar rapidamente aquela cena e previu que aquilo seria a derrota certa para eles.

No instante seguinte ela entoou a voz, que antes era apenas um grito desesperado, para um melódico agudo e uma enorme barreira de lâminas fica entre seus companheiros e os inimigos.

-- Temos que fugir, não há mais tempo. Vamos nos teletransportar!!! -- Grita Isadora.

[OFF: Utilizo a magia Barreira de Lâminas entre nós e os inimigos]


*Dante continua com suas flechas, e começa a se aproximar dos outros.*

OFF: ação padrão pra atacar e ação de movimento pra recuar.




*A batalha era intensa e terrível, todos estavam tentando manter suas posições em combate, mas era difícil, os lefeus avançavam cada vez mais, era quase impossível fazer aquele exercito imenso recuar, por mais que Shura destruísse os lefeus ao seu redor, por mais que as Flechas de Dante rapidamente devastassem os Lefeus, assim como os ataque de Mustang e Aeron, estava cada Vez mais difícil manter as posições...

Logo o palácio da rainha seria invadido e tudo parecia perdido, e foi neste momento que Isadora fez sua poderosa barreira de Laminas, e junto com isso o Mata-dragão vindo de Mustang, Uma magia expressamente proibida dentro do Reinado, e junto com ela uma proteção contra Tormenta*

[Mustang usou parar o Tempo acelerado e conjurou um mata Dragão e usando seu ponto de ação conjurou proteção contra Tormenta em Massa]



*quando o mata Dragão de Mustang atingiu a Horda Lefeu muitos Foram destruídos, e esmagados, mas quando todos menos esperavam não estavam mais no campo de combate e sim no deck de comando do Primavista, e lá estava a rainha do gelo olhando para vocês um pouco triste e com uma energia branca em suas mãos,ela suspira e diz*

—Sinto pela demora, mas tive que acomodar toda a minha armada e corte e isso não foi fácil, agora nós devemos...

*Neste momento todo tem a atenção chamada para o Local onde estavam, o |Prima vista estava Longe da torre, mas foi possivel ver o surgimento do Lorde da Tormenta*


*O item gerador de tormenta estava agora em suas mão e havia crescido muito, e agora estava gigantesco, mas era insignificante perto do tamanho Do lorde, aquilo era enorme, era tão maior que a estatua de Scar, e era totalmente desesperador vê-la sorrir, pois suas mentes a fizeram com uma face artoniana e pior foi quando vocês ouviram em suas mentes*

--CURVEM-SE PERANTE MIM ARTONIANOS EU SOU EQUIDNA, MÃE LEFEU!

*Os que entendia sobre a criação de novos lefeus, sabiam que eles eram fabricados em locais específicos, e de forma diferente da de agora, enquanto ela surgia vários lefeus apareciam ao seu redor (As cruzinhas brancas),era assustador e insano demais para se assistir*

[todos ganham uma insanidade leve \o/, menos o windstorm a dele é moderada, BLASTOISE  ]


*Depois disso o Prima vista começa a se mover de forma rápida e assombrosa para o mais longe possível, mas Equidna percebe isso e se vira e começa a voar em direção do Primavista e neste momento é possível ver um dragão Azul Colossal se por a frente do Prima vista, ele apareceu do nada e tem uma peculiaridade, e caolho assim como Sckar*

*o Dragão sopra sua rajada de Eletricidade que de tão poderosa, parece plasma puro*

*Depois de tamanha explosão o Primavista e envolvido pela asa do dragão e quando todos podem ver novamente estão perante o palácio libertador e o Dragão toma a forma humana e se aproxima do palácio*

*Era Masamune Date, conhecido Pirata de Quelina, e um dos reis piratas da ilha.
Depois deste alivio todos descem no Palacio libertador onde são recepcionados, pela cleriga dos Libertadores, a sumo sacerdotiza de Lena, Okuni Nomatsu.

—Sejam bem vindos ao nosso palácio, peço que nos acompanha-me até o salão principal


*vocês vão acompanhando okuni até chegar a um grande local, indicado e lá veem todos os Libertadores de Valkaria Reunidos e sentados em uma grande Mesa cada um em uma cadeira e Lucian com o Semblante preocupado Fala*

—Sinto pela perda de vocês hoje,mas tudo esta ocorrendo como planejado, apesar da grande perda de hoje, estamos deixando eles distraídos enquanto cuidamos do esforço de guerra, mas peço que agora descansem no nosso palácio e cuidem de suas Feridas... Tenho conversar a sós com a rainha do Gelo, se me dão licença...

*Lucian se dirige até a rainha do gelo e lhe beija mãe em cumprimento e depois ambos vão em direção a um salão e Lucia fecha a porta atrás dele. Depois disso Alexander silloheron, conhecido como príncipe da noite pelo seu notório vinculo com Tenebra, fala:*

—Lucian queria retirar a rainha do gelo para que ela não ouvisse as instruções que tenha a dar agora, a próxima missão de vocês ainda não esta definida, e bem, precisaremos recrutar mais alguém para ficar no local do cavaleiro,então peço retornem para seus Lares e nós entraremos em contato o mais rápido possível, com exceção de Isadora, que vai me ajudar em um experimento...

_________________
"Força Bruta: se não funcionou, é porque você não usou o bastante"
-Um sábio...
avatar
Tahlus
Mentor
Mentor

Mensagens : 102
Data de inscrição : 14/11/2013
Idade : 27

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Última Libertação - 1ª Fase

Mensagem por Tahlus em Sab 16 Nov 2013 - 11:27

Informação adicional


Libertadores de Valkaria


Lucian Silloheron Paladino de Valkaria 15 ginete de Nalmalkah 5 guardião da realidade 5 escolhido de Valkaria (Príncipe Libertador)

O príncipe libertador, o Líder dos libertadores de Valkaria, ele se tornou paladino da mesmo por influência de sua mãe, pois esta é serva de Valkaria ferrenha e sempre sonhou com um membro de sua família paladino da mesma, e quando Lucian completou idade suficiente, ele foi enviado para ser educado em Valkaria e contra todas as expectativas o jovem, se tornou paladino da deusa de pedra e também seu Libertador e seu escolhido.

Lucian é altivo,galanteador,corajoso e inspirador, mas atual mente todo seu charme se dirige para Lienn.




Alexander Silloheron Mago 20 arquimago 5 ( o Príncipe Sombrio)

Filho Mais Velho de Borandir Alexander, e extremamente desprezível, se não tivesse ajudado Lucian a libertar Valkaria e em vários outros feitos heroicos, ele já teria sido colocado na listas de grandes criminosos de Arton, conhecido necromante de fama muito nefasta, Alexander é o único aluno conhecido Do senhor de Vectora e compartilha com ele de seus ideais, como na não crença em deuses, e no fato da magia ser uma ferramenta, oque já lhe rendeu um rival Reynard o aluno mais prestigiado de Talude, assim como seus mestres a rivalidade entre eles é amistosa, porem muito mais acida do que com os magos lendários, Alexander abdicou do trono de Nalmalkah em favor de Lucian, pois sabia que o irmão era o melhor para o reino e também para ter mais tempo para seus estudos.

Filho Mais Velho de Borandir Alexander.




Yoko Sagara ( o Demônio do vento) monge 25

Filha de uma família samurai nobre, jovem Yoko é a noiva prometida ao Samurai Ryo Toyotomi, mas uma peculiaridade da jovem Yoko é que ela fugiu para de casa para ter uma vida de aventuras, e por muita sorte (ou azar) encontrou o velho monge que a treinou nas artes marciais, mas em troca ela devia retornar e cumprir seu destino de esposa para com Ryo, que era neto dele (coisa que ela descobriu alguns meses depois de se "formar"), mas ao contrario do que se pensa, o noivo de Yoko não esta forçando a mesma a casar, ele esta a espera de que o selvagem e tempestuoso coração de Yoko o aceite.




Yuki Kamya Ladina 20 Dançarina das sombras 4 (a Lótus Mortífera)

Yuki é uma Jovem ninja do Clã Lótus, que servia à família, de Tekametsu, ela é a guardiã da única Filha do Imperador Dragão, Huri Hime,e recentemente está sendo a guarda-costas de Masamune a pedido da princesa (COMO SE ELE PRECISA-se de uma)




Masamune Date (O imperador Pirata) Dragão Azul ancião

Filho De Hydora, Masamune Tinha tudo para ser um grande e arrogante Dragão azul, mas por motivos ainda desconhecidos Pelo grande público, ele fora criado por Tekametsu em Tamu-ra, os ideais de Honra e justiça lhes foram ensinados, mas ele nunca fez muito caso destes ensinamentos, e quando se tornou um dragão adulto abandonou Tamu-ra, para explorara o mundo e constituir seu Tesouro, mas voltava ocasionalmente a seu Antigo Lar para Rever seu sensei, e foi em umas dessas visitas que Masamune Voltara que Tamu-ra fora atacada, e desobedecendo mais uma vez seu sensei, Masamune ficou e lutou contra o inferno Vermelho, mas Foi salvo Pelo grande samurai vermelho, que lhe amaldiçoou por sua desobediência contra Tekmetsu, lhe tomando não só seu Tesouro, como sua forma Dracônica, transformando-o em um bípede até que provasse seu valor.
E ele provou quando ajudou Lucian a Salvar Valkaria a deusa da humanidade, recuperou sua forma dracônica e teve uma péssima noticia, ele seria o próximo imperador Dragão, o que era um problema, afinal ele era um pirata desde que virara bípede e agora sua tripulação e seu navio Voador, o Dragão Imperial, Fazem Parte de seu Tesouro.




Lienn Galandriel (A Elfa Selvagem) Ranger 17 Franco atirador 10


Lienn é o oposto de qualquer Ranger élfico normal, afinal a mesma não usa Arco e sim duas pistolas ou o mosquete, temperamental e impulsiva, ela é guarda costas do príncipe Lucian e também, a mulher do coração do Príncipe Libertador, mas a xenofobia de Lienn para com o nascimento de Meios elfos, impede qualquer relação dos dois...

Além disso Lienn esconde um segredo, ela é um dos filhos do alma negra.




Okuni NoMatsu ( A Borboleta de Lena) Sumo-sacerdotiza de Lena Samaritana 24 nobre 2

Servil e Delicada, a filha de Lorde Shiro é o ideal de uma filha de Tamu-ra, seu único defeito é não TER O MINIMO SENSO DE DIREÇÃO, a ponto de ter ido parar em Calistia,enquanto procurava um dos jardins do Palácio imperial de Jade...
Mas o fato mais estranho é Logica labiríntica que a pequena Borboleta de Lena possui




( Esse foi o grupo criado com Lucian Como Líder mas qualquer um de vocês é livre para mudar o Grupo se quiser só pus aqui para ninguém ter trabalho de ter que inventar personagens extras ja que tinha eles prontos ( eu era quem jogava com o Lucian e a Lienn era minha Liderança, então eu acabei atualizando a ficha dos dois pro TRPG, assim como as dos demais Personagens, caso qualquer um queira usar a ficha já pronta )


PRÓXIMO MESTRE : WINDSTORM

_________________
"Força Bruta: se não funcionou, é porque você não usou o bastante"
-Um sábio...
avatar
Tahlus
Mentor
Mentor

Mensagens : 102
Data de inscrição : 14/11/2013
Idade : 27

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Última Libertação - 1ª Fase

Mensagem por Tahlus em Sab 16 Nov 2013 - 17:09

Capítulo VI


Em um local afastado Gatzvalith o lorde da Tormenta via o grupo de humanos a sua frente. Ele sorria, era o sorriso de um general satisfeito em antecipação ao ver todos os seus planos se encaixando. Mas não era verdade, a verdade é que o Lorde não tinha nenhuma emoção que sequer lembrasse o que um artoniano sente. Estava satisfeito sim, mas o próprio sentimento que ele sentia era algo tão distante da satisfação de um general quanto os próprios lefeu eram distantes de Arton. Mas Gatzvalith sorria em uma cruel paródia, simplesmente uma tentativa de imitação, mais um passo de seus esquemas. Ele fala com voz Lefeu, a voz sem palavras que irrompe significado diretamente dentro de seus servos.


- E tudo está pronto para o próximo passo?

Um dos homens, um Deheoniano alto, louro e olhos verdes e vestindo uma armadura de carapaça insetóide levanta o rosto.

- Sim meu senhor. O peão foi sacrificado conforme o esperado. Graças a isso descobrimos alguns dos grupos que eles estão usando.

- Ótimo. Eliminem esses grupos.

- Sim senhor.

- Mas antes disso...


Uma das paredes do forte se abre para deixar passar um grupo de Vuroktrils e um outro demônio que nem mesmo os servos de Gatzvalith presentes conheciam. Era um lefeu poderoso com asas membranosas quatro braços, dois terminados em pinças, dois em mãos que seguravam espadas. Uma inteligência alienígena brilha em seus olhos multifacetados, sua couraça lembrava uma grande armadura completa e uma estrutura que lembrava um elmo envolvia seu crânio. Gatzvalith sorri.

- Esta será minha voz e minha vontade que acompanharão vocês em sua missão.

Todos os servos da tormenta sabiam em seu íntimo que os heróis Artonianos estavam perdidos.




----------



*Depois do resgate, todos voltam aos seus lares para se recuperarem do ocorrido e esvaziarem suas mentes do horror que presenciaram, e depois de um mês são chamados a presença de Lucian no palácio Libertador na mesma sala de reuniões de antes. Quando todos estão reunidos ele lhes diz*

—Bem com tudo mais calmo em seu grupo quero lhes informar, que Isadora, não vai mais continuar com vocês, o Choque da perda do cavaleiro foi muito forte. Ela esta abalada demais para continuar, e como seu grupo estava sem uma clériga a ordem de Khalmyr me surpreendeu, a sumo sacerdotisa de Khalmyr agora faz parte do Grupo de vocês, e a escolha dela tem bem a ver com a missão de vocês...

*Lucian Faz um pausa e uma imagem ilusória aparece a frente vocês, mostrando a cidade de Tiberius*

—A capital do império é um dos obstáculos a nossa missão, temos que convencer Aurakas de que não estamos querendo invadir o império nem prejudicá-lo, mas ele se recusa a falar comigo, pois eu sou o Símbolo da altivez de Valkaria ou alguma baboseira do gênero...  Não tenho tempo para isso, pois missões terão que ser feitas no império, e como Aurakas não que receber nenhum libertador em seu palácio, terei que pedir que vocês vão em meu nome firmar um trato com o Imperator para que nossos outros grupos possam agir no império sem serem incomodados pelas autoridades, caso isso não ocorra, nossos planos serão atrasados em meses... Temos que fazer com que Aurakas compreenda a situação e como estou sem muita influencia no império, em pouco ou quase nada poderei ajudá-los.

*Depois Lucian olha para vocês e diz*

—Alguma Pergunta?


Enquanto Lucian aguardava a resposta de vocês subitamente um brilho arcano surge diante de todos. Esse brilho era uma representação mágica de Talude, com uma mensagem.

—, meu menino, eu tenho más notícias. Aparentemente os lefeu não vão ficar parados. Recebemos notícias que três dos grupos de aventureiros da operação foram dizimados por uma força desconhecida. Tome precauções, pois algo me diz que o grupo com que você está conversando agora será o próximo. Boa sorte.

A imagem se desfaz e Lucian fica bastante preocupado. Após isso uma mulher, até então desconhecida para os membros do grupo, toma a palavra.

—Temos que nos apressar. Não deve ser dito mais aos grupos novos o motivo por trás de suas missões, Lorde Silloheron. Mas temo que nossa contenda será dificultada pelos minotauros... Opa... Sinto muitíssimo minha falta de respeito. Eu me chamo Francesca Bentanne. Lorde Khalmyr me incumbiu de ajudá-los nessa guerra. Vim de Ordine por não aguentar mais ver os artonianos sofrerem. Espero que possamos nos entender bem. Nossa missão é muito mais importante do que questões filosóficas e religiosas. Porém apenas peço para não cometerem crimes em minha frente, e se o fizerem, não me deixem saber. Afinal, sou uma sacerdotisa da Justiça e não posso deixar impune. Mas tentarei me conter o máximo que minha fé permitir.


-- Bom, podem contar comigo para acabar com esses lefeus, mas não me peçam nada diplomático. - Fala o elfo.


*Mustang cruza os braços e contempla a situação, agora eles não precisariam de diplomacia e sim de força. Ele medita um pouco e diz*

—Tenho uma ideia que pode dar certo...  Os minotauros são regidos por um elemento muito simples, A Força. Minha proposta é simples. Proponho que vamos lá e desafiamos Aurakas no jogo dele, desafiamos o Campeão do Coliseu dele para um duelo em troca do que queremos, e ai a coisa fica simples é só não perder... Se chegarmos lá cheio de mimimis não vai funcionar, o Reinado ficou cheio de "não me toques" com Tapista e por causa disso hoje temos o Império e o Princeps hoje é o Imperator... Então, o que me dizem ?

*Mustang avalia cada um de seus companheiros e suas interpretações as suas palavras*

—Infelizmente, General Mustang, não é tão simples como o senhor propõe. - Rebate Francesca. - Não está levando em consideração o fato de ele ser uma figura política e um grande estrategista. Nós precisamos do apoio dele, e não que viremos presas dentro de um esquema de influência. Devemos fazer qualquer coisa necessária para convencê-lo de que nós estamos trabalhando em prol de Arton, e não que fazemos parte de uma ou outra facção.

—Infelizmente, para mim a opção do yudeniano é a mais plausível. - Fala Aeron. - Eu já tive meus problemas com os minotauros mais de uma vez, e diria que é uma surpresa ainda não ter visto nenhuma recompensa pela minha cabeça no império táurico... Duvido que eu consiga chegar até Aurakas de forma pacífica...

Luciann olha para todos e fala:

— Infelizmente não posso ajudá-los com Aurakas, então vocês devem usar a estratégia que acharem mais adequada. Só vou dar um conselho. Não façam nada idiota. Só porque os minotauros respeitam a força não quer dizer que basta uma demonstração dela para eles comerem em suas mãos. Vocês vão lidar com um minotauro extremamente inteligente com acesso a recursos comparáveis aos do Reinado. Não o subestimem.

Ele então se despede de vocês. Vendar fala depois de muito tempo calado.

— Mustang. Você pode nos teleportar para Tapista?

*Mustang estava sentado ainda pensando no ocorrido, aquela coisa era perigosa demais, mas não tinha tempo para isso, e, do alto de sua arrogância, Mustang disse*

—Bem, acho melhor teleportamos para próximo de Tiberus e não para a Capital propriamente dita, podemos ter problemas, pois, por natureza, minotauros desconfiam de magos e vice versa, mas posso teleportar todos para próximo do local...

*Depois Roy olha para seus dois subordinados, Hugles e Hawkeye, e diz*

—Espero que todos estejam prontos, partimos assim que todos estiverem totalmente equipados e presentes.

—Assim como antes, necessitaremos de muita diplomacia. -Fala Greedson. - Os meios pelo quais conduziremos a discussão ficam a cargo do tipo de pessoa a quem iremos tratar: minotauros, eles protegem, nunca são protegidos.
Se os tornarmos conscientes de que estarão nos ajudando, e não se ajudando, ganhamos. Se os mostramos que estarão garantindo a segurança de seus "protegidos", ganhamos. Se evidenciarmos o poder de um inimigo ao qual eles podem desejar vencer e demonstrar sua superioridade militar, ganhamos. Mas, se procurarmos força-los, eles lutarão contra nós. Precisamos que o mais miserável e subalterno entre nós conduza a discussão e implore por sua piedade. Isadora Phillian Caxell seria a melhor escolha, mas essa pessoa não está aqui agora. Temos de escolher outro para o papel de desamparado indefeso. - Apontou imperialmente o déspota, que sem mais delongas procurou conduzir a fragilizada mulher em seu plano.

Diante das opiniões alheias, Greed'son apenas respondia:

—Meu plano de ação é o mais indicado, todos que conhecem minha fama sabem que estou correto, senão, não seria eu quem sou. - Respondeu encarando a todos sem sequer esperar um sinal de aprovação. Não fosse a situação, com certeza estariam em lados opostos.

CLAP! - estalou os dedos metálicos, e o enorme construto ao lado obedeceu. A plenos olhos, a enorme figura se contorceu em si e tomou nova forma, surgia um grande e poderoso corcel de metal, com uma espada de chamas embainhada ao lado do corpo, apenas esperando para ser cavalgado.

(Off: Greed'son ordena ao construto que faça uso de sua carga diária de Alterar-se.)

—Enquanto o escolhido será o diplomata, cada qual pode cuidar de seus próprios interesses ali. Nós outros somos nada mais do que representantes de nossas nações, exércitos e ambições, mas apenas como observadores.


Já começava a ter problemas o plano. Dissuadir seres tão arrogantes e pretensiosos quanto os minotauros. Mas Francesca sabia um caminho para alcançar o objetivo, mesmo não aprovando. Ela iria utilizar da mesma ferramenta que seu Deus fez.

—Infelizmente devo concordar com o Greed'son quanto ao plano. Porém não vejo ninguém mais indicado a essa... - Tentava achar palavras - Ideia... Que não a Sumo-Sacerdotisa de Khalmyr. Como eles acham que o grande Deus da Justiça se curvou perante Tauron, é de se esperar que eu faça o mesmo. Então eu serei a nossa isca. E que Khalmyr ilumine nosso caminho.


*Mustang olha com duvida para o cavalo de metal e pela primeira vez se comporta como um Homem de Nalmalkah*

—Não vou montar nessa coisa, isso não é um cavalo, é um monstro da pior espécie, se for para montar em algo assim eu vou a pé

*Nesse momento seu subordinado e amigo Hughes diz:*

—Mustang nunca vai montar em algo assim, Greed'son, ele pode negar até o ultimo fio de cabelo, mas é um homem de Nalmakah, não vai usar nada que não seja um cavalo para montar...

*Riza da uma leve risada da situação e depois diz*

—General, talvez seja hora de usar seu corcel de Nalmalkah para alguma coisa que não seja ocupar espaço nos estábulos da cavalaria de Yuden..

*Roy olha irritado pros dois e depois mais irritado ainda para o cavalo e diz*

—Talvez tenha razão Tenente...

Greed'son olhou por cima e disse de forma arrogante:

—Quem disse que é pra você? A lâmina lefeu pode ficar para torná-lo menos indefeso Mustang, mas a montaria é para a nossa nova diplomata. Agora, vamos. -  Diz o usurpador, convidando a paladina a subir no corcel.

Sem palavras, Shura segue a pé, pois sempre andava no própria solas, mas faz um comentário para Seu Ninguém, o deus menor dos ilustres desconhecidos, num muxoxo inteligível.

—Vede, ele e seus planos ridículos.

* Shura tenta seguir na frente, mesmo a pé.

—Não quero essa coisa, sei me defender muito bem se precisar e não vou estar sozinho, a tenente a Hawkeye e o Tenente Hughes estarão comigo, se eu fosse indefeso como diz não estaria neste grupo e não teria ajudado na missão anterior, então mantenha suas opiniões sobre minha combatividade para você...

*Maes olha Mustang e diz*

—General, pegue a espada e experimente, talvez ela lhe sirva bem... E se não servir apenas devolva a espada...

*Mustang suspira e pega a espada para si*

—Sabia que você era forte e orgulhoso, Mustang, mas minhas fonte não me informaram que sofria de catarata precoce, com certeza um efeito colateral de observar as fagulha de suas chamas tão de perto. Não viste quando eu o salvei antes, como o estou a fazer agora? Pelo bem da missão estou empregando toda as minha forças num articulado e eficiente plano, quanto a ti, compete apenas o desejo de arranjar outro inimigo. Agora, seja um bom soldado e aceite a arma que tão caridosamente fiz para evitar que seja morto, pois os lefeu nos estão caçando. É hora trocar de o arsenal.


Todos se reúnem após um dia de preparativos, e com o teleporte de Mustang vocês estão na Zona rural, com Tibérius plenamente à vista. Vocês veem ao longe os destacamentos de minotauros saindo em patrulhas e as muralhas da cidade, poderosas o bastante para repelir qualquer ataque. Mesmo de longe é possível ver as formas labirínticas das ruas tapistanas. Era como se toda a cidade fosse um grande labirinto. Vocês seguem então em direção à capital. Quando se aproximam das muralhas, um pelotão de minotauros de aproxima. O líder deles, um centurião alto com um dos chifre quebrados fala em tom autoritário.

— Alto! Quem são vocês que vêm em direção a capital portando armas tão incomuns?

*Dante que não havia dito nada durante todo o percusso, para ao lado de Shura*

—Espero que estes não arranjem problemas. Embora uma luta em Tapista seja interessante, não é nem um pouco necessária.

Francesca aproxima-se do centurião calmamente. Passos leves e ritmados para causar a impressão correta.

—Eu me chamo Francesca Bentanne. Sou a Sumo-Sacerdotisa do Deus da Justiça e vim aqui com o intuito de debater algo com o líder da Igreja de Tauron, o líder do Panteão. Há questões importantes que devo conversar com o mesmo e acredito que ele vai querer ouvir tudo o que tenho a dizer.

Aeron se mantém quieto no meio do grupo, evitando ao máximo chamar a atenção, pois sabe que se encontrar com algum minotauro que o reconheça, será muito mais difícil para o grupo chegar ate Aurakas...

Um dos minotauros olha um pouco estranho para Aeron, com aquela sensação de "Já vi esse cara em algum lugar", mas ele balança a cabeça achando que é só impressão. O Centurião olha para Francesca e fala novamente em um tom firme.

—Eu ouvi falar da senhorita. Onde está sua comitiva, e uma prova de sua identidade? Temos que ter certeza que você é quem diz ser.

—Duvida de minha identidade, Centurião? Então peça a algum clérigo de Khalmyr venha aqui e tente usar as bênçãos do meu Deus contra mim. Quanto a minha comitiva, não pude trazê-la aqui por se tratar de algo que requer extrema urgência, e organizar comitivas demoraria pelo menos algumas semanas, sem contar o tempo de viagem. Então meu caro, se deseja confirmar minha identidade peço que chame alguém que possa confirmar isso para você.

*Mustang fica calado assim como seus subordinados, e tenta não chamar a atenção, assim como seus dois subordinados, apesar de estar fardado com roupas de oficias de Yuden*


(Off: E ele acha que os minotauros não notaram?)

O minotauro então sorri.

—Clérigos de Khalmyr? Rá. Se você é quem diz ser você não vai se opor então ao serviço de inteligência Tapistano confirmar sua identidade. Venha conosco.

Mustang sabe que se eles forem levados serão interrogados por dias até os minotauros terem certeza absoluta da identidade de Francesca e poderão tanto permitir a audiência quanto mantê-los presos para usar como reféns contra o reinado.


Greed'son desejava ver as habilidades diplomáticas da serva da igreja do chamado Deus da Justiça. Caso fosse preciso, agiria.

*Ao notar qualquer reação de auxílio por parte de algum membro do grupo, o déspota faz sinal para que não interfiram.*


*Maes e Riza olham para Roy como se esperando uma resposta de como eles iriam proceder, e Roy apenas faz sinal para que eles prossigam*

*Roy pensava em seu subordinado dentro da cidade capital, Jean Havoc, ele estava lá sob disfarce, e isso provavelmente poderia piorar as coisas se ele fosse pego. Roy agora pensava em suas possibilidades de estratégia em caso de uma batalha inevitável*


Enquanto isso, a clériga de Khalmyr responde, sem pestanejar:

—Claro que não, desde que os aventureiros que me trouxeram fiquem aguardando minhas instruções em instalações onde possam descansar. Eu preciso que eles estejam no ápice de sua força quando formos partir, pois o local para onde vamos é perigoso demais. Os meus subordinados não vão fazer qualquer coisa que prejudique o grande Império de Tauron. Precisamos da força que os minotauros mostraram. Pelo bem de Arton.


O centurião olha para Francesca e fala:

—Muito bem, entreguem suas armas e nos acompanhem. Todos vocês. Até o mago general Yudeniano e o portador de simbionte.

Eles então levam vocês para Tapista, e vocês são levados para um quartel de segurança máxima. Lá vocês são bem tratados, mas são interrogados sobre diversos assuntos durante quatro dias. No começo do quarto dia um minotauro com uma toga bastante elaborada entra no quarto de vocês. Ele fala:

—Bom dia senhores e senhoritas. Averiguamos suas identidades e o Imperator Aurakas irá recebê-los. Venham comigo.

Vocês são rapidamente levados até o castelo do Imperator, após algum tempo vocês estão num grande salão decorado com estátuas, pinturas e cortinas que rivalizavam apenas com a decoração do palácio imperial de Valkaria. O local tinha vários minotauros sentinelas que pareciam estátuas de tão imóveis. Mesmo Mustang não podia negar que o grau de disciplina nas legiões tapistanas era imenso. Várias belas escravas humanas, elfas e de outras raças em trajes reduzidos, mas suaves, belos e elegantes traziam bebidas e frutas, um bardo elfo tocava uma melodia ao fundo, e no trono, rodeado por vários assistentes e chefes de estado, estava o imperator Aurakas em pessoa. O minotauro que venceu o Reinado. Ele olha para vocês sorrindo. O sorriso de um estrategista prestes a fazer um movimento num jogo de xadrez.

— Sejam bem vindos. Desculpem pela espera, mas fiquem à vontade. Bebam e comam o quanto quiserem.

*Mustang Permanece calado e quieto, sem querer arruinar os planos, apenas olha para seus subordinados com um olhar significa que eles não vão interferir nesta conversa*

Sem perder tempo, Francesca começa a falar:

—Não pensei que conseguiria uma audiência com o Imperator Aurakas. Isso me deixa lisonjeada, Majestade. A questão é de uma urgência enorme, Imperator. Estamos tentando resolver um problema que está atacando a todos nós... - Aguardou um momento que pareceu uma eternidade - A Tormenta. Há alguns anos a própria Tapista foi alvo do Dragão da Tormenta. Faço parte de um grupo que está fazendo tudo o que for possível para acabar com a Ameaça Rubra. É por isso que estamos aqui. Viemos implorar - Francesca ajoelha-se ao falar - que permita nossa organização agir dentro de seus territórios... Sei que é pedir muito, mas é o futuro das pessoas que está em jogo. E o correto a fazer nessa situação é proteger os mais fracos. Proteger aqueles que nos pedem ajuda. Proteger nosso lar... Por isso, Meu Senhor, é que estou aqui para implorar que o Império proteja os fracos. Que sejam os fortes... Viemos aqui para saber o que seria necessário fazer para o senhor possa nos mostrar sua enorme força, assim como Tauron demonstra ao ponto de liderar o Panteão, ao ponto do grande Khalmyr curvar-se a ele... - Era a hora de dar o bote - E assim como o Meu Senhor curvou-se a Tauron por uma Arton melhor, eu faço o mesmo para com o senhor, Imperator Aurakas, para que nosso mundo afaste definitivamente a Tempestade Rubra. Cá estou eu, desarmada, desprovida de armadura, desprovida de bençãos de Khalmyr, tão indefesa quanto os seus protegidos. Apenas esperando seus termos... Suas ordens...

Francesca deixou sua voz correr pelo salão enquanto olhava para o Imperator e aguardava sua resposta. A isca foi jogada... Restava saber se o peixe morderia.
*Dante detestou ver seus irmãos élficos naquela situação, e detestou ainda mais o pedido de ajuda humilhante*.

"Não é a maneira de Keen"

Aurakas ouvia a tudo com atenção. Quando Francesca termina ele fala:

—Você teria conseguido falar comigo mais rapidamente se usasse os meios oficiais ou mágicos de comunicação. Mas isso não faz diferença agora.

Ele levanta uma taça e uma elfa escrava a enche de vinho. Ele toma alguns goles e fala.

—Estou ciente sobre as atividades de Lady Shivara. Embora não tenha os detalhes sei que eles estão usando aventureiros de alto nível para enfrentar a tormenta. Não atrapalharei vocês, pois o Império está em paz com reinado após o tratado. E nós, os minotauros, honramos nossos acordos. Mas não há necessidade de vocês se preocuparem com os assuntos do Império. Temos minotauros poderosos e grupos de desafiadores da tormenta bastante eficientes, podemos lidar com quaisquer ameaças que pairem sob o nosso grandioso império, e me disponho até a auxiliá-los se o Reinado pedir ajuda. Mas não é adequando que entreguemos a segurança de nossa população a vocês.

—Infelizmente, meu senhor, seu serviço de inteligência anda mal informado. A Rainha-Imperatriz Shivara Sharpblade não tem conhecimento das ações dos aventureiros envolvidos nessa busca. Nem nós mesmos sabemos quem são os outros grupos. Gostaríamos de criar um método, tipo uma marca mundana ou mágica, para ser mostrada às suas Legiões caso alguns dos grupos venham a se encontrar. O senhor não está entregando a segurança de seu povo a nós, e nem está pedindo ajuda. Nós é que estamos humildemente aqui implorando para que possamos nos mover pelas estradas sem termos problemas. Acredito que entre os grupos, devam ter algumas pessoas procuradas pelo Império. Se for esse o caso, Me prontifico a levá-los a Justiça, caso transgridam alguma lei durante suas missões.

Parecia que o Imperator mordera a isca, mas ele era um brilhante estrategista, e Francesca estava longe de ser uma. Poderia estar levando todo o grupo para uma armadilha. Não poderia pedir a Khalmyr para mostrá-la a verdade, pois se o fizesse, certamente estaria jogando toda a missão pelos ares. Então ela apenas observava as feições do Aurakas procurando perceber se suas palavras penetraram, ou se ele a estava enganando.

[OFF: Faço um teste de Intuição (+20) contra o Enganação do Aurakas para ver se ele está falando a verdade]

(Off: Teste de intuição: 16+20=36. Parecia que Aurakas dizia a verdade, mas também parecia que ele ainda não tinha acabado seus argumentos. )



—Senhorita Francesca. Você deve estar ciente que permitir a agentes do Reinado que andem livremente pelo Império não é uma atitude das mais seguras. Tenho certeza que muitos habitantes do Reinado ainda se ressentem conosco por trazermos uma ordem que seus governantes foram incapazes de prover. Ainda há... Desentendimentos. Por mais que a tormenta seja inimiga de todos, não significa que todos somos os melhores amigos nessa situação.

*Mustang esta se sentindo um peixe fora d'água, e apenas olha curioso para Aurakas. Seus subordinados ficam sérios e calados, apenas esperando as especulações de Aurakas*

Aeron se mantém quieto durante a discussão. Tinha certeza que os minotauros descobriram o suficiente sobre os "desentendimentos" entre eles, e não duvidava que a situação pudesse piorar de uma hora para outra... Ele não gostava nem um pouco do jeito utilizado pela clériga, mas não poderia fazer nada além de esperar...


*Mustang olha para aurakas e diz*

—Com todo Respeito que o senhor Merece, Imperator... Nós não somos agentes do reinado, somos aventureiros e estamos agindo de forma independente, apesar de alguns de nós, serem autoridades no reinado, não estamos de forma alguma ligados nesta missão ao comando Da Rainha Imperatriz... Isso não é uma operação do reinado e nem do Império, muito menos da Liga, e sim de artonianos por Arton... O que queremos é que o senhor como poderoso e respeitável regente que é nos permita humildemente a agir, Senhor.  Estamos sendo perseguidos por lefeus e servos da Tormenta por todos os Lados, muitos de nós já caíram em combate, e novas Áreas de Tormenta estão nascendo. Nossa situação é critica, e realmente precisamos de Toda ajuda que pudermos...  Se puder nos ajudar vamos realmente aceitar, senhor, não somos muito mais e fortes e precisamos de sua ajuda, mas o que realmente me intriga é... O que o senhor quer para poder confiar em nós?  Pelo que eu entendi desta conversa até agora, o senhor quer que nos mostremos dignos de sua confiança, e então, como podemos provar ao senhor que nós não queremos enganá-lo, e sim que respeitosa e humildemente estamos apenas pedindo para podermos passar por suas terras em algumas missões, sem sermos levados para um interrogatório tão extenso quanto o que nós passamos aqui ?

Aurakas olha para Mustang com um pouco de surpresa.

—Um general yudeniano vindo de Namalkah, e você quer que eu acredite que está agindo de forma independente? Desculpe, General, se eu for um pouco cético quanto a isso, mas não me parece um cenário provável. Se vocês não estão sendo patrocinados pelo Reinado, pelo menos estão fazendo isso com seu consentimento.

Ele bebe um gole da taça.

—Eu também ouvi que você realmente abraçou a cultura yudeniana. E devo confessar que assuntos como "igualdade entre as nações", e "somos todos irmão" não são, como posso dizer, populares entre os yudenianos. Especialmente entre o alto escalão do exército. Nunca vi um general yudeniano que fosse humilde diante de qualquer um que não fosse seu rei.

Ele coloca as mãos no queixo e fala.

—Mostre o quanto você é determinado então. Tragam alguns estandartes de Yuden e Namalkah

Ele faz um gesto e logo duas escravas trazem panos bem elaborados, em um estava bordado o símbolo de Namalkah, no outro o de Yuden. Cada símbolo com 1 metro de diâmetro.

—Essas são reproduções das bandeiras de suas duas pátrias. São o símbolo do orgulho desses países.

Ele faz um gesto e as escravas colocam os dois símbolos no chão. Ele se volta para Mustang.

— Mostre sua determinação. Pise e cuspa em ambas as bandeiras.


Mustang olha para Aurakas e diz:*

—Tudo bem.

*Mustang vai primeiro na Bandeira de Namalkah, cospe e pisa nela sem problema nenhum, hesita um pouco ao fazer isso na de Yuden, mas a faz de mesma maneira e depois vira e diz*

—Quer que queime também? Estou disposto a isso... Para destruir a Tormenta chutaria a bunda do deus da guerra pessoalmente se fosse necessário, não temos tempo de discutir nacionalidade agora, a tormenta tem um Lorde que gera lefeus de forma espontânea, e ela se diz a mãe Lefeu...  É uma clara parodia as deusas e deuses criadores da vida em Arton, que geraram raças só com o pensamento. E não, senhor Imperator, eu nunca fui humilde em toda minha vida... Sempre fui arrogante, Mitkov sempre escutou minhas verdades e Shivara não é diferente, estou pouco me lixando se eles são reis ou imperadores, se não fazem o que é preciso para proteger os que não conseguem se defender sozinhos... Para mim eles não são nada... E não sabe o quanto esta sendo difícil vir aqui abaixar a cabeça para o homem que trouxe a guerra ao reinado na qual eu queria Liderar e conquistar, mas o povo e a existência de nosso mundo esta acima de meu orgulho, minha vida e minha fidelidade a bandeira de Yuden... Agora, se O Imperator não acredita em mim depois disso...  Não sei mais o que posso fazer.


"Há!" - Pensou o usurpador de Portsmouth. Mustang estava claramente fora de seu ambiente, mas tentava. Esse espírito de fogo seria muito útil para seu projeto futuro. Todavia, seria bom manter-se atento a tudo. Três grupos de desafiadores já foram mortos, eles poderiam ser os próximos. Ao se por com os outros diante do imperador Aurakas, Greedson faz o que está ao seu alcance para perceber tudo o que conseguir sobre o Imperator.

(Off: Visão da Verdade, CD30, Localizar Criatura, CD21, e ,  Discernir Mentiras, CD22, todos com Investigação+25 mais o dado. ó há chance de falha com Visão da verdade.)


Quando usa suas técnicas científicas, Greedson vê que o imperador está mesmo diante dele, não há nenhuma ilusão no local (Além da que está disfarçando a segurança do imperador há mais 30 magos e soldados invisíveis no recinto), e aparentemente o imperador não está mentindo até agora.


Aurakas olha para Mustang com desgosto e decepção. Ele olha para Francesca e depois para todos vocês.

—O que vocês acham aventureiros? O que vocês dizem do que General Mustang acabou de fazer?

—Com toda honestidade, meu senhor, acho que ambos estão errados. Duque Mustang por ignorar seu lar, o que o faz diferente dos outros. Nunca podemos nos esquecer de onde viemos, pois quando fizermos isso, deixaremos de ser nós mesmos... Também acho que o senhor está errado em considerar que pessoas que querem proteger aqueles que amam estariam apenas preocupados em destruir seu império. Falo para todos. Não é hora de ficarmos pensando de onde somos. Nosso inimigo não vai distinguir se você é de Bielefeld, Tapista, Namalkah, Yuden ou de qualquer parte de Arton. Então temos que ser todos artonianos, apenas isso... Não devemos deixar de ser quem somos, mas não devemos nunca devemos esquecer que somos todos artonianos... Então, Imperator Aurakas, qual é sua decisão?

Aurakas olha para Francesca com um olhar neutro e espera a resposta de mais alguém no grupo.

Greed Richardon Farefalt diz em tom tão arrogante que parece estar prestando um favor ao grupo por andar com eles:

—A Tormenta é um empecilho em meu planos. Eu, Greed Richardson Farefalt, devo magnanimamente importar-me em ajudar Arton. Do contrário, não agora, mas em breve, será pior para o meu legado. Nada deve ficar em 'SEU' caminho. Tudo mais pode esperar, por enquanto.

Aurakas olha para todos presentes e balança a cabeça.

— Estou desapontado com você Mustang. Eu achei que estaria vindo aqui como um forte para conversarmos com iguais. Mas ao se rebaixar a esse ponto você demonstrou o quanto você é fraco. O quanto vocês todos são fracos. Não é possível termos um acordo entre iguais. Se quiserem realmente o auxílio do império de Tauron vocês terão, mas recebendo nossa proteção.

Ele fita a todos no grupo.

—Um dos preceitos de Taurun é que o forte deve proteger o fraco, então o império de Tauron se dispõe a proteger vocês, meus fracos e indefesos aventureiros. Mas em troca o fraco deve tributo ao forte. Eu serei magnânimo. O que vocês oferecem em troca de nossa proteção?


—Sabia que íamos chegar a este ponto...

Aeron olhava a todos, e viu que a situação estava chegando num ponto critico. Sabia que não faltava muito para a situação não ter mais volta, e por isso não ia simplesmente deixar falarem por ele...

—Proteção sua? Eu dispenso. Nós tivemos o trabalho de vir até aqui diplomaticamente porque antes de raças ou reinos, somos todos artonianos. A Tormenta é um problema de todos, não somente de humanos ou minotauros ou quaisquer outros. Há alguns anos seu reino foi incapaz de parar o dragão da tormenta, e pode ter certeza que um Lorde é muito mais poderoso que aquele dragão, mesmo sem o enxame de lefeus menores para ajudá-lo. Ao meu ver, a situação está mostrando que A Tormenta é forte e Arton é que é fraca. O que o senhor acha disso? Acha que arton deve ser "protegida" pela Tormenta? Se você acha isso, ou tem a ilusão de que Tapista pode derrotá-la sozinho, então parece que nossa discussão termina aqui.

Nesse momento, a paciência de Roy acaba, e ele perde o controle enquanto discute com Aurakas.

—Quer saber de uma, Aurakas, VÁ se auto fornicar. Eu pisei nesta merda destas bandeiras que você trouxe porque nenhuma das duas representa o que meu pais realmente é, que É YUDEN NÃO IMPORTA O QUE VOCÊS DIGAM... YUDEN NÃO É UM PEDAÇO DE PANO, YUDEN É O EXERCITO. Yuden é o exercito e aqueles que nos dão suporte, NÓS SOMOS O EXERCITO E NÃO LIGAMOS PARA SÍMBOLOS RIDÍCULOS EM PANO MALTRAPILHO TRAZIDO E PROFANADO POR SEMI-HUMANOS NOS QUAIS VOCÊ EJACULA...  SE TIVESSE ME DITO PARA FAZER ALGO CONTRA A HONRA DE MEUS OFICIAIS OU COM MEUS COMANDADOS, EU PESSOALMENTE FARIA SEUS CHIFRES IREM PARAR NO MEU DO SEU RABO PODRE... QUEM VOCÊ PENSA QUE É SEMI-HUMANO? ONDE PENSA QUE ESTA? NO REINO DE FANTASIA DO SEU DEUS EM CHAMAS? EU NUNCA ME RECUSARIA EM PISAR EM PANO INÚTIL E FAZER UM DISCURSO DE MEDIA PARA INFLAR UM EGO DO TAMANHO DAS BOLAS DO SCKHAR? ESTOU CHEIO DE TER QUE ADULAR A SEMI-HUMANOS DA PIOR ESPÉCIE... OS PARASITAS, QUE NEM MESMO POSSUEM FÊMEAS, E ENTÃO DEPENDEM DE MEMBROS DE OUTRAS ESPECIES PARA SE REPRODUZIR. E O PIOR, TÊM PREFERÊNCIA PELA ESCÓRIA... OS ELFOS, SERES QUE NEM AO MENOS CONSEGUEM MANTER-SE DE PÉ SE NÃO FOREM SEGURADOS DIREITO. VOCÊS SÃO MAIS FRACOS QUE ELES, POR DEPENDEREM DAS VADIAS DELES PARA CONTINUAR ESSA ESPECIE DE ABOMINAÇÕES... E QUANDO FINALMENTE ACHAM QUE DEVEM ATACAR O REINADO, SE ACOVARDAM E VOLTAM NO MEIO DO CAMINHO. SE TIVESSEM BOLAS PARA MEXER COM YUDEN, HOJE NÃO ESTARÍAMOS TENDO ESSA CONVERSA. ESTARIAMOS EM HARDOF COMIGO ARRANCANDO UMA CONFISSÃO SUA, DE MODO BEEEEEEM DEMORADO. VAMOS EMBORA DAQUI HAWKEYE, HUGHES... ESSE LUGAR FEDE A ESTERCO E EU NÃO SOU OBRIGADO A TOLERAR ISSO, ELES NÃO TÊM NADA A NOS OFERECER, DEIXEM QUE CHAFURDEM NA PRÓPRIA FRAQUEZA...

*Subordinados de Roy sorriem de com escárnio e parecem estar se divertindo do discurso de seu general até que Hughes diz em bom tom*

—Isso mesmo, General Mustang , tudo pela Pureza de Yuden...

*Os três olham com desprezo e dão as costas a Aurakas e seu circo, mas não sem antes de Riza jogar 3 tibares de cobre na direção de Aurakas, comportamento típico a quem da uma recompensa a um Artista de circo (que na época não eram nada mais que escória*


Aurakas estava para responder o comentário de Aeron quando Mustang explode. O Imperator olha com ódio frio para o general e para as moedas que são jogadas a seus pés. Ele faz um gesto e imediatamente a Guarda pretoriana cerca Mustang e seus comandados. O Imperator fala com o tom calmo de sempre.

—Eu faço a mesma pergunta a você, falso-yudeniano. Onde você pensa que está? Diante de seus criados? Diante de prisioneiros semi-humanos presos, torturados e mortos pelo crime de não atenderem ao seu senso estético? Mortos por não terem como se defender? Por vocês não respeitarem-nos pelo simples fato de serem mais fortes? Não, você está no castelo de Tapista, diante do imperator. O minotauro que criou o império de Tauron e derrotou o Reinado. Coisa que seu país nunca teve coragem de fazer. Seu país prega a coragem, mas agem esfaqueando pelas costas como os covardes que são.

Ele então se levanta calmamente, mas amassando a taça que estava em suas mãos.

—A verdadeira abominação não somos nós. São pessoas como vocês que oprimem sem dar nada em troca. São vocês, fracos que se fingem de fortes para causar dor aos demais. Ainda mais um não-yudeniano que prega "a pureza de Yuden" sem ver que se os yudenianos pudessem fazer o que quisessem seria um dos primeiros a serem expurgados. Você é fraco Mustang, fraco de honra, fraco de caráter, fraco de espírito, fraco de princípios. E ao invés de reconhecer sua fraqueza, usa um escudo chamado exército para pisar naqueles ainda mais fracos que você. Você e seus comandados são uma abominação aos olhos de Tauron. Saiba que com isso O império de Tauron declara guerra a Yuden.


Provavelmente Aurakas desejava ver se eles tinham espírito, não queria de forma alguma oferecer proteção gratuita e fossem realmente dignos de pena. Então, Mutang explodiu tudo que lhe estava engasgado. Greed'son acudiu com um passo adiante:

—Com a licença, Mutang é apenas um aliado, ele não foi incumbido da tarefa de tratar com vossa majestade, e tão pouco tem talento para isso. Seu valor está como soldado que é, pertencendo ao campo de batalha escarlate e não a discussões palacianas. Agora, sobre o pagamento de sua proteção: como aliado devo oferecer meu auxílio a suplica que se posta diante de ti, mesmo que ela não seja minha. Sua autoridade possui muitos magos a seu serviço, bem como armeiros, mas nenhum deles é Greed'son. Dou a cabo de oferecer artigo genuínos, muito raros, de napolitanos tipos e espécies, devo acrescentar. - O herdeiro do Ricardo, auxiliado por um gesto que indicava a escravas. - Resta saber se é isso que deseja, senão, o que? Asseguramos que já temos feito muito, como auxiliar a rainha do gelo, a antiga conselheira da chamada Glórienn. Deve saber da nova área de Tormenta formada em seu domínios.

O déspota espera que a menção de tal pessoa e faça jus ao ouvidos do monarca, que já devia saber de sua situação.


Greedson então tenta apaziguar Aurakas, mas as feições dele permaneciam irredutíveis.

— Se ele não era homem ou civilizado o suficiente para sequer conversar, não deveria ter vindo aqui.

Ele olha para todos os presentes.

— Eu vou dar minha sentença ao General Mustang. Se quiserem defendê-lo sintam livres para isso, mas partilharão de sua sentença se interferirem.

Ele então larga a taça.

— Guarda pretoriana. Matem general Mustang e seus subalternos yudenianos. Legio auxilia magica, impeçam a fuga deles.

Trinta dos mais poderosos legionários de Tapista cercam Mustang e seus subalternos. Aurakas se senta novamente e assiste ao espetáculo.


( Off: Alguém vai tentar defender Mustang?)


Tudo estava indo por água abaixo. Era quase impossível reverter essa situação. Francesca, que até o momento encontrava-se ajoelhada, levanta-se de súbito. Era palpável o ódio em seus olhos.

"Lorde Khalmyr. Sinto muitíssimo, mas a situação está beirando o Caos. Farei tudo o possível, com todas as armas que o Senhor me deu, para trazer Ordem a esse recinto."

—CHEGA!! Não haverá morte numa sala de negociações. Como também não deve haver sentença sem julgamento. E não deve haver julgamento sem um clérigo de Khalmyr presente abençoando o local. General Mustang, o senhor está sendo acusado de desrespeitar a autoridade máxima do local. Como oficial comandante, a insubordinação de seus comandados recai em suas costas... - Francesca vira-se na direção do Imperator - Porém, sua atitude foi causada por uma forma de falar por parte do Imperator que o atacou incessantemente. Todos no recinto viram os ataques à honra do General tanto quanto viram o General atacar a honra do Imperator. Por certo que o General Mustang cometeu um erro ao falar as palavras que falou. Mas foi atacado ferozmente pelas palavras do soberano. Uma vida perdida hoje poderá ser uma dezena de mortos quando atacarmos a Tormenta, e é por isso que estamos aqui NEGOCIANDO, e não explodindo as coisas... - Francesca para momentaneamente para respirar um pouco.

—O Imperator comete 2 erros ao nos considerar fracos. O primeiro, meu senhor, é de nos subestimar. Já fez isso anteriormente durante as Guerras Táuricas, e o resultado foi "Malpetrim, A Cidade Livre". O segundo erro é o de superestimar suas forças. Com um único movimento o antigo Rei-Imperador Thormy salvou milhões de vidas, tanto de Tapistanos, quanto do restante do Reinado. Se as Táuricas continuassem, o resultado seria trágico. Mesmo se o senhor vencesse, Imperator, as suas forças estariam tão destruídas que não sobreviveriam aos ataques da Aliança Negra ou mesmo da Tormenta, e estaríamos todos perdidos... Sei que o Imperator é um minotauro brilhante, e como tal, deve entender que o que queremos aqui é apenas sua ajuda para facilitar nossos planos. É dever do forte proteger o fraco, como o senhor disse. Então por que o senhor não aceita ajudar a proteger seus domínios? Nós viemos negociar com você para impedir baixas do nosso lado e do seu, que devem ser os mesmos. Tapista é efetiva contra a Tormenta? Então por que quem destruiu o Dragão da Tormenta foram Talude, Vectorius e Sckhar? O que digo é que nosso inimigo luta como uma única unidade bem articulada. Se nós não formos uma unidade perfeitamente sincronizada, TODOS MORREREMOS. E AI NÃO HAVERÁ IMPÉRIO DE TAURON PARA O SENHOR GOVERNAR... NÃO HAVERÁ TAURON PARA OS MINOTAUROS VENERAREM. NÃO HAVERÁ MINOTAUROS. NÃO HAVERÁ NADA. SÓ LEFEU... - "Perdão, Lorde Khalmyr, por minhas palavras furiosas" - ... É isso que o senhor deseja? Pois se for, pelo menos nos deixe sair em segurança desse lugar para tentarmos salvar aqueles que amamos. Para fazermos o certo. Para que protejamos aqueles que devem ser protegidos.

Francesca aguardava resposta do Imperator, com as mãos juntas para usar o Coração de Horak e chamar seu companheiro caso o pior acontecesse.


O Imperator olha para Francesca.

—O que você considerou como agressões, minha cara, foi um teste. Um teste de caráter e determinação. Se Mustang tivesse se recusado a pisar nas bandeiras, mostraria sua força de caráter e poderíamos conversar como iguais. Sua igreja não testa aqueles que desejam seguir seus caminhos para averiguar a força de suas almas?

Ele olha para Mustang.

—Além disso, pela lei 567 do nosso código, o Imperator tem a obrigação de julgar e decidir punições em circunstâncias extraordinárias. Estou seguindo a lei de meu país. Sendo clériga de Khalmyr você não pode me repreender por isso. E além do mais, apenas ele e seus subordinados foram condenado à morte. Os demais de vocês não serão feridos enquanto não interferirem.


*Dante olhava a situação toda com muito interesse e quando o general é cercado esquecesse que Aurakas estava presente e olha a cena*

— Vamos general, mostre o quanto é forte. Por que ignorante você é, acha que todo elfo é fraco... Sua mente é limitada, porque um humano é forte, todos são? Existe muitos não humanos nesse mundo que te esmagariam como se fosse um inseto...

*o elfo respira*

— Mas tudo bem, nos de um espetáculo enquanto luta contra toda Tapista.

—Poderia responder-me algo, meu senhor? - Francesca tenta argumentar mais uma vez. - O que o senhor ganha com essas mortes? Se apenas os que estão no recinto sabem do que se passou aqui. Ao invés de matar três yudenianos, não seria uma prova de sua misericórdia se os deixasse ir? Se quer algo dessa negociação, troco minha liberdade pela liberdade do General e de seus comandados.

O minotauro olha para Francesca então fala.

— Você sabe muito bem que em todos os reinos, pessoas foram executadas por falar bem menos que o que ele disse. Que tipo de rei deixaria alguém como ele sair ileso? Você não sabe que em breve ele poderá ser responsável pela morte de muitos de seus clérigos. Em breve os devotos de Keen guerrearão contra os de Khalmyr e ele será ordenado a se juntar a batalha. Quantas vidas do seu clero eu não estaria salvando?

Ele então se arruma na mesa.

— Mas tem uma forma de resolvermos isso sem mortes. Pela lei, escravidão pode ser uma forma de punição por crimes. Se o general Mustang concordar em ser meu escravo pessoal por 30 anos, eu o deixarei vivo.


O erudito eleva sua mente enquanto fita amplamente o guardas, tomaria uma atitude.

Sabia que o construto não permitiria a execução, e o mago guerreiro ainda fazia parte de seu plano. Greed'son fita a guarda e lança mão de um de seus ardis: um poderoso controle mental.

Todavia, a paladina cumpre seu papel. O falo monarca então sugestiona:

—Parece-me extremamente razoável, só que Mustang nunca concordaria. É preciso traduzir isso em leis que ele posa interpretar. Tipo, o senhor poderia induzir a ele a tarefa na qual nos engajamos para aqui. Mandá-lo enfileirar se contra a Tormenta, afinal, há uma área dela nos limites de Tapista. Nosso grupo veio para tal fato, que mal faria se o acompanhássemos nesse destino? Se é que permite-me a intromissão.

Termina de sugerir, louvando a si mesmo não ter desperdiçado um de eu preciosos segredos para salvar o tolo yudeano.


*Mustang Sorri da forma mais arrogante possível e diz olhando para clériga*

—Clériga, as lendas sobre você são verdadeiras ?


Seria possível que aquele homem gostaria que ELA quebrasse leis? Não. Não deveria ser isso. Se ele a conhecesse como afirma, deve saber que ela não iria contra as leis do Império de Tauron, mesmo com o ódio que sentia de ver essa situação. Relutante, Francesca olha incerta para o General.

—Eh... Dependendo do que seja, acredito que seja verdade... - A voz mostrava incerteza. Medo. Temia o que o General fosse fazer.

*Mustang aproxima sua luva do próprio peito e olha para seus oficias e diz*

—Estão prontos para ir até as ultima consequências?

*ambos dizem ao mesmo tempo*

—Claro que sim, general Mustang!

*Neste momento Roy usa uma magia que destroem todo seu corpo assim como os de seus comandados e nem grito de dor é emito no processo aquele tipo de morte parecia angustiante para qualquer ser humano, e mesmo assim os membros do exercito de Yuden não emitiam um ruído sequer*

*Roy e seus comandados somem sem deixar vestígios, mas a morte deles foi óbvia e revoltante para qualquer estômago*

(*Off: usei para o tempo e depois usei um desejo para fazer aurakas apenas viu a morte inevitável de Roy*)


Francesca não acreditava no que aqueles três haviam feito. Em poucos instantes, a confusão havia gerado mortos. Mas pelo sorriso no rosto do oficial, ele sabia das capacidades da sacerdotisa. Ao ver os corpos carbonizados, ela vai à direção dos mesmos e num instante, suga as almas dos oficiais para o Coração.

[OFF: Puxarei as almas dos 3 infelizes para o Coração, lembrando que deve fazer um teste de Vontade (CD 21/21/19). Tenho Vontade 20]


Aurakas olha para vocês.

—Então ele preferiu a morte a se curvar a mim.

Ele então olha para Francesca.

—Pretende ressuscitá-los longe daqui?


—MALDITO, NÃÃÃOOO!!! - Mas já era tarde, Mustang cometera suicídio marcial com seus comandados. E com isso, levara a única pista de Shura com seu passado.

Todavia, Greed'son tinha outras ideias em mente.

—Tolo idiota! - Pragueja o déspota diante da estupidez do dito general. Orgulhoso demais para admitir ser salvo por outros. Mas não fazia mal, agora seria mais fácil.

Greed'son pede licença, tinha coisas as presas a fazer.

—Perdão vossa majestade, mas a morte estúpida de Mustang me põem a acelerar enumero planos. Poderia me dar licença?

Greed'son faz sinal a Shura, que pela longa relação queria dizer que aguardasse, ainda haveria um meio. Assim que permitido, o déspota procura as escrava e pede para que lhe tragam qualquer fio de cabelo encontrado, durante o banho ou escovações de Mustang.

(Off: Testa Investigação+22.)

Assim que os obtém, ele faz uma comparação, esteve perto dele para observar na nave, para encontrar a cor certa das madeixas do soldado.

Se Mustang sabia, não era de duvidar que o Imperator também soubesse das habilidades do Coração.

—Não!! - Foi categórica - Eles estão mortos, mas suas almas não servem a ninguém no plano de Keen, onde ficarão guerreando pela eternidade. Não. Eles passarão pelo julgamento de Khalmyr por tudo que já fizeram em vida, e eu assegurarei isso. Enquanto isso, suas almas pertencerão a vontade de Lorde Khalmyr, e pela vontade dele - Faz o General aparecer [OFF: tomando 20d4 de dano] - Mustang e seus oficiais servem agora a Khalmyr. Entende isso, General? E Imperator, o General Roy Mustang agora está morto, portanto fora do alcance de suas leis.

*Mustang bate continência para a clériga e diz*

—Eu sei disso, mas o que eu não Gostei nesta história é que eu vou ter que seguir todo o código de conduta do seu deus e isso é irritante... Mas eu estou ciente das consequências disto para mim...

Gredsson vê que terá dificuldade para encontrar os fios. Precisar de pelo menos um dia de busca. Mas vê também que sobrou o pó de Mustang.


Aurakas olha para Francesca com um olhar neutro.

— Muito bem, mas não se esqueça que está falando comigo. Eu sei que clérigos de alto escalão conhecem magias para ressuscitar os mortos, embora o custo seja proibitivo. E Mustang, você verá que teria sido melhor ser meu escravo. Dispense-o, clériga.

Ele então se arruma no trono.

—Vamos continuar a reunião então. De onde paramos?

—Queremos saber se teremos a permissão de atacar focos das forças da Tormenta sem que as Legiões nos cerquem o tempo inteiro, com perguntas sobre nossas missões secretas. - Responde a clériga. - Nós nos compromissaremos em erradicar os Cultistas que estejam agindo no Império, em troca, você nos dá permissão de agir, apenas isso.

Ele olha para Francesca por um tempo e então fala:

—Eu aceitarei. Se o Reinado concordar em permitir grupos de combate à tormenta de Tapista em seu território. Sem interrogatórios ou investigações e protegidos por lei.

—A questão, como talvez o senhor já deva saber, é que a Rainha-Imperatriz não tem conhecimento desse fato. Quem coordena tudo são os Libertadores de Valkaria. Não há esses problemas pelo lado do Reinado, e nós só estamos aqui, por haver essas questões ocorrendo aqui. Então vamos fazer assim: Manteremos um canal aberto entre o senhor e a Torre Libertadora, porém todos nessa sala que não sejam o senhor deverão passar por um processo que vai apagar essa nossa conversa de suas memórias. Os Libertadores resolverão as questões com a Rainha-Imperatriz.

Ele olha para a clériga por algum tempo e depois fala.

—Muito bem. Mas eu me reservo no direito de poder chamar todos aqui presentes, incluindo Mustang, se ele for ressuscitado, para realizarem no futuro um trabalho para Tapista que vocês não poderão recusar. O que me diz?

—Feito. Era assim que as negociações deveriam ter transcorrido. Sem precisar ter acontecido nada do que aconteceu.

—Muito bem, contatarei a torre dos libertadores para decidirmos os detalhes. Aproveitem a hospitalidade Tapistana enquanto isso.

—Vamos então. Se nos der licença, Imperator. Vamos aproveitar um pouco da sua hospitalidade tapistana antes de voltarmos a Valkaria.

_________________
"Força Bruta: se não funcionou, é porque você não usou o bastante"
-Um sábio...
avatar
Tahlus
Mentor
Mentor

Mensagens : 102
Data de inscrição : 14/11/2013
Idade : 27

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Última Libertação - 1ª Fase

Mensagem por Tahlus em Sab 16 Nov 2013 - 20:22

Capítulo VII


Greed'son fica satisfeito por tudo estar resolvido, mas Mustang era mesmo um idiota. Revelaram o poder de um item poderoso à toa e perderam aliado num ato ao qual ele não deveria ter se intrometido. Mas acabara, haviam coisas importante a se fazer.

O erudito procura realmente pelos cabelos intervindo algum criado ou escravo.

(Off: Usa Investigação+22 para Adivinhação.)

Aquele tecido vivo e tornaria uma massa que Greed'son usaria para clonar e aprisionar a alma de Mustang, vide para animar uma de suas maiores criações. Dai o eu poder elemental era necessário. Queria fazer de imediato, mas o soldado estava seguro no coração mágico da paladina. Teria de esperar o momento para captura-lo.

O cientista requisita um laboratório e materiais de oficina, se inquerindo na tarefa o quanto antes. Precisava dar seguimento ao aprimoramentos no grupo. Faria uma armadura agora, uma tenebrosa e útil armadura.


Quando o General perdeu o controle e Aurakas reagiu, Aeron pensou "Idiota! Eu disse que esse jeito dele ainda ia causar problemas sérios...", e se manteve preparado para o pior. No entanto, o general decidiu de matar junto com seus subordinados, o que não era algo esperado, e a proposta aceita pela clériga não lhe agradou, pois tinha certeza de que Aurakas ia fazer questão de mandá-los em uma missão que lhes desagradassem...


"Mulher idiota" *Pensou Dante.*

"A forma como negociou foi boa no começou, mas ela se abalou com a titude de Mustang e demonstrou dúvida, acabando que no final aceitou qualquer coisa".

*O elfo então procura recuperar Ragnarok que havia sido confiscada*



----------



Noutro dia, Greed'son vem ter com Dante. Ele convida o elfo a confabular e diz:

—Salve, Dante. Suponho que esteja tão descontente com os resultados dos últimos dias quanto eu. Verdadeiramente, Mustang se mostrou um tolo e terá seu castigo quando chegar a hora. Agora, devemos nos voltar a nossa preparação. Nossos inimigos nos conhecem e portanto devemos nos preparar com estratégias e armas novas. Observe essa malha de natureza aberrante. Embora seja desconfortável, garanto que o sistema nervoso do lefeu aliado à pressão que você exercera através da joia da Tormenta ira garanti-lo resistência e reflexos superiores, sem contar que o próprio material o protegera de algumas das adversidades ambientais da tempestade. Essas são as Escamas de Shimay, vocês devem se dar bem. No entanto, ela me escasseou os recursos, e portanto, devo pedir-lhe uma contribuição para nossa causa.

*O erudito entrega a malha aberrante ao elfo para que este a esperimente.*


(Off: CD de fabricação 40, contra Armaria+50 + o dado. Item: Armadura de malha de matéria vermelha+5 magistral leve IV e implementada IV _ CA+9, máximo bônus de destreza+7, dá 10% de chance do inimigo errar o alvo, -2 em perícias sociais - não causa dano ao usuário - , Amigável, Acessibilidade V e Truque - talentos duro de matar, vitalidade. Custo total: -80.500 T.O.)


*Dante apanha a malha desconfiado, e analisa*

—Agradeço , será muito últil. Mas o que você que em troca?


—Por hora, nada além que sobrevivamos ao próximo encontro com os assassinos lefeu. Mas apreciaria muito que cobrisse uma parte do preço do custo da produção deste pouco igualável item. Devo pensar que seria bom passarmos em Vectoria. Acho que irei lá, através da ciaxa Lamentos, mas só poderei retornar amanhã. Preciso fazer isso, pois os gatos nessa guerra estão ficando caros. Uma vez que Mustang negligenciou minha ajuda, porei a espada que fiz para ele a leilão para reaver o gasto, com lucros.

*Greed'son se prepara para a viagem de negócios.*

(Off: Caso nada mais ocorra depois do encontro com Dante, Greed'son usa a habilidade Cinto de Utilidades e teleporta-se para Vectoria, onde ira atraves dos meios oficiais por a arma a leilão.)



*Depois de sairem de la após algum tempo Mustang vira para francesca um pouco irritado, apenas quando todo o grupo esta presente e não há nenhum agente do imperio por perto e diz*

—Minha cara seu plano de fazer irritar Aurakas foi um sucesso, conseguiu o que queria,mas acho que nossos companheiros tem o direito de saber o que você havia planejado...  Afinal você mandou que eu provocasse Aurakas, depois do que você me disse sobre saber que ele não ia ceder de forma comum e que eu teria que dar um escândalo digno de um cão raivoso... Mas acho que ja podemos deixar esta farsa de lado afinal estamos só nós aqui não é?  Agora eu estou condenado a passar um bom tempo como seu servo, espero que não fique me ordenando coisas como se eu fosse um cachorro e que me permita sair desta forma assim que pudermos, sei que disse que não ia me ressuscitar,mas não disse nada sobre outros clérigos....

—Cuidado com o que diz, General. Mesmo que tenhamos conseguido, não quer dizer que não podemos ainda falhar. Temos que continuar conforme planejamos. O Imperator pode ter seguido o que você havia previsto, mas não quer dizer que ele mesmo não tenha os próprios planos. Você foi brilhante naquela demonstração de fúria. Agora precisamos continuar o que havíamos planejado.



(Off: Acho que é muito tarde para dizer que Aurakas tinha alguns motivos pessoais para ajudar vocês. Ele IA concordar, só queria verificar antes se vocês tinham força de caráter suficiente.)  



----------



Greedson se teleporta até vectora. Ele está exatamente no centro da cidade e vai até um comerciante amigo dele. Um comenrciante de itens mágicos meio-orc chamado Gutuir. O meio orc olha para ele animado.

—Veja o que temos aqui? Deseja comprar algo... era rei ou imperador? nunca me lembro desses detalhes.

—Tal frivolidades são displasias, sr. Gutuir. Estou aqui por você ser meu contato em Vectora e, embora, o seu comércio seja com itens mágicos, acredito que essa peça em especial ira abrir vária carteiras. Se der a bondade de irmos a um local reservado?

* Greed'son segue Gutuir até um ponto longe dos olhares curiosos, lá o deixa averiguar o item.*

—O que acha? Fiz a partir do cadáver um Veriktrill, e acho que ainda está vivo, embora só posa ser manejado e nada mais. A arma em si foi feita para um mago especialista em combate, para que ele ficasse com a mira em foco, mesmo se ficasse cego. Infelizmente, ele não está mais nesse mundo. O item custou cerca de 80.500 apenas para confeccionar e deve alcançar um alto preço pelo caminhos certos. Não esquecerei os seus 10% por cento.

Gutuir examina a arma com cuidado, e lança magias de identificação nela.

—Nossa, essa arma vale o preço de um exercito inteiro. Apesar dela ser o dobro do preço de um item mágico equivalente, com certeza deve ter pelo menos um ricaço que deseja uma arma que não perde os poderes em um campo anti-magia.

Ele então olha para Greedson.

—Com isso eu poderia te pagar 120.500 TO por ela. Assim que ela for vendida mandarei sua parte.

O vilão estreita o pensamento diante do preço, uma arma daqueles alcançaria um preço bem maior num leilão e era esse o motivo de sua vinda a Vectoria, nada mais. Ele responde:

—Apreciaria muito que usasse o meio legais de Vectoria para pô-la a leilão. Tem havido uma grande movimentação por parte da Tormenta, todos vão querer e armar com armas como esta. Mesmo tendo de pagar a taxa de Vectorius, o preço pode ser maior para nós dois. Contudo, faça o que puder. Irei andar pela cidade até amanhã, ou quando ela chegar em sua próxima parada. Então, use os meios bancários usuais. Ainda não criei nenhum problema para Tapista ou o Reinado... em especial. - deixa escapar no ar.

*Greed'son sai e ruma para uma área em que poderia colher alguma amotras das rochas de Vectoria.*

O Inimigo do Abutre de Portsmouth decide aproveitar o tempo restante e investigar as propriedade das rochas da cidade mercado. Havia um boato que dizia que a capacidades de flutuação derivam da próprias pedras, Vectorius só guiava a cidade. Então, resolveu pegar algumas amostras.

(Off: Testa Investigação+22.)

Gutuir fala.

—Você deve se lembrar que uma quantia dessas não é algo que possa ser movimentado facilmente da noite para o dia. É necessário tempo para que os possíveis compradores sejam informados, o leilão seja realizado e o pagamento efetuado. Eu vou cuidar de tudo, mas me dê tempo para fazer meu trabalho.

Greedson sai e pega facilmente algumas amostras de rocha. Quando ele está fazendo isso ele vê alguns dos guardas de Vectora passando. Um deles olha para o que Greedson está fazendo e suspira desanimado.

— Caipira.

Os guardas vão embora sem se incomodar com o ditador.

O déspota se ressentiu de que o guarda previsse que estaria espionando as propedades arcanas do solo da cidade, ma felizmente era apenas um tolo. Todavia, Greed'son não se deixava enganar por aparências, ele sabia que a guarda da cidade era treinada para lidar com todo e qualquer conjurador. Ele, porém, não era um. Provavelmente o guarda o havia investigado a procura de uma aura mágica. Ao notar que não era um mago, poi ele não carrega nenhum item arcano, perdeu eu interesse, pensando se tratar de um tolo colecionador de bobagens mágicas. Poderia vir a se arrepender disso no futuro.

"Que benéfico a guarda de Vectoria ser tão displicente com não-magos, devo lembrar-me de usar disso no futuro. Hum... , conforme minhas informações as pedras de Vectoria realmente flutuam por poder arcano, e essa habilidade se estende até a sua fragmentação. Conforme a minha pesquisa, o cancelamento de magia pode e ira cancelar essa propriedade, o que apenas confirma a natureza mágica. Minha suspeitas podem estar corretas, Vectoria erá um importante indicador do chamado minério arcano. Devo usar a informação para acelerar a construção do meu colosso enquanto os reinos ainda estão fracos." - pensou profundamente o armador, antes de abandonar a tarefa.

Agora, outra tarefa surgia. Ele teve de se deslocar para a profundezas dos negócios escusos do mercado nas nuvens, a procura da Guilda do Médicos Monstros. Iria tratar de transplantes, assunto que conhecia bem.

*Greed'son procura entrara em contato com a Guilda dos Médicos Monstros.*

(Off: Greed'son testa Investigação+25 _ errei lá atrás, o valor correto é esse _ e para tentar entrar em contato com o três médicos excêntricos.)

Greesdson acha a clínica sem muita dificuldade. Ao entrar no local (disfarçado como uma loja de perfumes) um homem baixo se aproxima dele.

—Bem vindo senhor. Deseja um perfume ou purificador de ar? Temos uma excelente variedade.

O déspota olha o sujeito de cima a baixo e responde em tom sério, porém calmo:

—Anuncie-me, criado, pois Greed Richardson Defallt é quem bate as suas portas, meu motivo: vim negociar as excentricidades que aqui se ocultam.

O homem baixo fala:

—Então deseja nosso serviços especiais.

Ele vai até a porta tranca e coloca um panfleto. "Fechado." Ele então abre uma porta nos fundos e fala:

—Siga-me.

Vocês vão para uma sala fechada onde há uma mesa com duas cadeiras. Ele senta em uma e faz um gesto para Greedson se sentar na outra. Ele oferece um pouco de café e fala.

—Vejo que está interessado em meus aprimoramentos. O que exatamente você deseja meu caro? Braço de ogro? Asas? Cauda de escorpião?

O erudito acena com a mão recusando o café, não iria toma-lo de todo modo, pois apesar do profissionalismo da Guilda não e deixaria levar assim tão fácil por artimanha e armadilha, até porque o sujeito cedeu rápido demais. O déspota explicou a situação:

—Nenhum. A guilda é famosa no submundo por seus implantes e aprimoramentos médicos, mas precisamente, me interesso pela sua habilidade cirúrgica. Haverá uma pessoa, ela não abe, ma ira morrer. Preciso que coloquem algo nela, algo que farei, algo que vai salvar sua vida e deixa-lo em minha mãos. Os detalhes médicos passarei depois, já que também sou médico. Quanto ao pagamento, o preço padrão de um implante seria justo. Todavia, proponho parceria, como fornecedor, lógico. Estou prestes a receber um carregamento especialmente grande de lefeus. Precisamente, pedaços de lefeus. Dos quais faço muita arma que ainda irão ouvir falar, mas estou pensando em expandir seu uso. Sei o quanto são difíceis de encantar, mas elas podem ser mais facilmente aplicadas em desafiadores, que já fazem uso do mesmos dons e possuem certa resistência. Ou ainda melhor, em usuários de simbiontes. Contudo, não gostaria de sair daqui em receber uma real resposta, que não venha de um lacaio. - Greed'son se referia diretamente, pois desejava que a mensagem fosse entregue diretamente ao três médicos da guilda.

O homem olha para Greedson e suspira fundo.

—EU sou o dono desta clínica e melhor cirurgião de Arton depois dos três fundadores. Eu não sou um lacaio e sou eu que realizo todas as cirurgias daqui. Se quer falar com os fundadores veio ao lugar errado, eles estão sumidos há muito tempo e nenhum de nós sabe onde eles estão.

Ele então toma um gole de café.

—Eu sei sobre os demônios da tormenta e tenho algumas peças preservadas. Nem eu nem nenhum dos outros mestres cirurgiões conseguimos ainda realizar um implante dessas criaturas. É difícil anastomosar os vasos sanguíneos quando não há vasos em uma das partes. Mas ouvi falar de simbiontes que fazem isso, tenho um aqui na clínica para experimentos, mas ainda não consegui reproduzir o fenômeno. Se quiser simbiontes tenho um conhecido que pode ajudar. Ele mexe com esse tipo de comércio.

Greed'son recebe a informações e analisa antes de seguir, dizendo:

—Hum... entendo. Eles não se encontram e a você coube todo o sistema. E de e entender, e de se interpretar também. Sigamos. Simbiontes serão úteis para um outro projeto, do qual já obtive bons resultados, contudo, por enquanto, ficaremos apenas com a cirurgia. Mas poderia entrar em contato com ele por mim? Eu mesmo tratarei de trazer o paciente, e enviarei antes a especificações do implante. Grato pelo seu tempo e não precisa e preocupar tanto, estamos salvando alguém de si mesmo.

Assim que terminado os pormenores, Greed'son deixa a clínica, ou a fachada da mesma, indo procurar um laboratório que também tivesse uma oficina ou as ferramentas de uma.

(Off: Greed'son testa Investigação+25 para achar um laboratório para alugar, que caso não tenha as ferramentas, ele as compra por 50TO, ou o valor do melhor kit que achar.)

O homem fala em um tom um pouco cansado.

—Eu adoraria, mas infelizmente sou muito ocupado. Aqui está o endereço. Mande um de seus servos mencionar o meu nome e será mais fácil. Quanto ao implante, eu estarei esperando as especificações. Tenha um bom dia e volte se precisar de um implante.

Greedson então acha vários laboratórios, mas nenhum que o agrade (ele é bem exigente), mas após procurar bastante ele finalmente aluga um laboratório. Quando está terminando de assinar o negócio ele vê Vendar andando do lado de fora da loja.

(Off: Só lembrando, Vendar é o meu personagem. O portador de simbionte.)

"Hunf, que ele faz aqui? Atrás de mais simbiontes para terminar de se entregar?"- pensa o armeiro e alquimista, ante de decidir se esconde seus interesses ou o chama para verificar suas intenções. Então, ele segue â porta e diz a Vendar:

—Vendar, o que faz aqui? Por acaso está atrás de mais simbiontes? Entre logo, não quero que o vejam perambulando na frente do estabelecimento. - fala enquanto põe o usuário para dentro.

Quando Greedson puxa Vendar o desafiador por puro reflexo golpeia o tirano com suas garras aberrantes, mas para o golpe no último segundo ao ver que era Greedson. Ele fala:

—Não sabe que não deve assustar aventureiros? Nossos reflexos são perigosos.

Ele então ao ver o local em que estavam fala em um tom desinteressado.

—Eu é que devia estar perguntando o que você faz aqui. Mas isso não é da minha conta. Eu estou andando em Vectora por dois motivos. Um é que é o único lugar em que posso andar sozinho sem que alguém chame a guarda a cada cinco minutos. O segundo é que o restante do grupo deve estar achando que estamos de férias, então estou vendo o que posso fazer para reunir informações sobre a movimentação dos demônios.


O maquinador de Portsmouth digere as palavras do abominante ser entendendo que devia fazer todo o possível com o que tinha ali para prevenir o ataque assassino dos lefeu. Chamou Vendar enquanto punha os trabalhos em andamento.

—Venha comigo enquanto trabalho então, não podemos perder mais tempo.

* Greed'son passa as próximas horas explicando o detalhe de UM de seus planos para Vendar enquanto dá seguimento ao trabalhos necessários.*

(Off: Suponho que o laboratório e oficina tenhas os ingredientes, no mínimo necessários, com valor mínimo de 50 T.O.)

Greed'son se explica para Vendar:

—Estive tentando aprimorar o grupo inteiro com a máxima urgência. É extremamente óbvio para alguém como eu que o libertadores estão tendo seus passos rastreados toda vez que usam magia para se deslocar. Portando, estou empenhado em obter recursos não mágicos. Equipei o Aaron para que ele não morresse, tão facilmente. Shura já tem eu poder, ele ficará ainda mais forte enquanto descobre sua real natureza elemental. Tentei ajudar Mustang, ma não funcionou, usarei outra coia então. Precisarei de seu silêncio enquanto tentarei torna-lo imune ao eu futuro sombrio. Quanto a você, seu simbionte resolve muitas questões que estive pensando: que acha de um implante protético bélico de matéria vermelha?

O déspota explica que tem os recursos preparados para implantar um braço mecânico armado, feito de matéria vermelha, com a mesma força física do guerreiro, possibilitando Vendar atacar mais vezes.

Em seguida, após ouvir sua opinião (o que não deveria afetar seus planos), ele prossegue: retira uma coisa de dentro de uma esfera de vidro, parece ser um pequeno hominídeo, ma é descolorido e desprovido de características. Ele apanha o que poderia ser uma agulha e injeta uma coisa nele, pondo-o em seguida num tonel de vidro do tamanho de uma pessoa.

—Isso, é um embrião sem nenhuma característica, não é humano, ou semi-humano, ma pode receber a características de ambos. Aquilo que lhe injetei eram a características de Mustang. Amanhã já deve estar pronto, senão der certo, ele entrara em fase de transmutação. Sempre é bom ter um plano de reserva. Plano dentro de planos eu disse a ele, Vendar. Planos dentro de planos.

O déspota se vira e vai até uma mesa onde muita coisas a se fazer esperavam. Ele ainda pediu.

—Começarei imediatamente a montar um importante implante. Não é o seu, mas gostaria que montasse guarda.
Apesar de minhas precauções, não é bom ficarmo desprotegidos.

*Greed'son segue com os trabalhos, independente da resposta de Vendar.*

(Off: testa armaria+55, produzindo um pequeno implante - armadilha elétrica pequena aprimorada, Acessibilidade: elétrica e carga mágica -5.000T.O. Deve acomodar Ressurreição, mais tarde.)

*No dia seguinte, com o trabalho terminado, Greed'son pede para que vão procurar o devido serviço para carregar o item, pois ele mesmo não poderia fazê-lo. Retornando em seguida ao laboratório.*

Vendar ouve a tudo o que o déspota disse e fala:

—Você... você quer torná-los... como eu?

Ele balança a cabeça.

—Desculpe, mas eu já paguei demais pela força que consegui até agora. Sei exatamente o preço que a tormenta cobra, e sei que quase dei mais do que deveria. E sei que não é um preço a ser colocado levianamente sobre alguém. Eu sabia disso desde o começo.

Ele volta o seu rosto insetóide para Greedson.

—Eu estou quase no meu limite. Tenho receio que a prótese que me ofereceu cobre o restante do que me resta de... de... o que era mesmo?... qual o nome?... de artoniano?

Ele balança a cabeça novamente.

—Eu agradeço, mas preciso pensar um pouco, ver se estou pronto para receber isso. Mas não simplesmente contamine os outros. A mácula da tormenta é poderosa, mas é algo mais terrível do que você é capaz de imaginar. Ninguém que a recebe tem um... como você diz?... final feliz.

Ele então olha ao redor.

—Mas não posso montar guarda. Tenho um trabalho importante a cumprir. Me desculpe.

Ele então sai da loja. Greedson trabalha no local até o dia seguinte.

O erudito trabalha incansavelmente até o dia seguinte, quando os preparativos estão prontos ele envia uma missiva simplificando os detalhes do implante até o "boticário" para que preparasse a cirurgia: um dispositivo de electrum com núcleo de ferro puro, atado por um anel de fibra de seiva de madeira negra _ um implante simples, para os serviços da guilda, mas que precisava ser preciso.

Olhou uma última vez antes de seguir, o embrião tinha crescido com o caldo de proteínas e era realmente igual ao mago. Veria se ficaria tão cabeça quente quanto ele.

*Greed'son apanha lamentos e inicia o mecanismo de contrato com os cenobitas.*

O acordo sai simples, um pouco de dor ao mago em troca de arrastar sua alma para o novo corpo. Lamentos salta de suas mãos e as correntes de Metrópolis saltam a procura do mago, vasculhando o plano etéreo. Para os cenobitas, apenas trazer a alma a presença do corpo era simples, o resto era com Greed'son.

(Off: Usa a habilidade diária de mestre armeiro para simular uma magia arcana, Reencarnação.)

Greedson tenta usar suas habilidades no homúnculo. Ele usa um processo complexo e liga o cérebro e o coração a um globo carregado de eletricidade que irá empurrar vida em sua criação. Ele puxa uma alavanca e inunda o homúnculos em poder elétrico. Quando todo o processo acaba ele vê o homúnculos se mexendo, a satisfação de Greedson some quando ao olhar o ser à sua frente ele vê que é apenas isso. Um homúnculos que se parece com Mustang, uma simples casca vazia sem vida verdadeira. O processo de ressurreição falhou completamente.

O homúnculo olha para Greedson como se aguardasse algo.



----------



Shura estava de cabeça cheia. O atual dilema com Mustang o botava a espera da tal serva da igreja do tal Khalmyr, podia segui-la a torta e a direita, mas resolveu aguardar. Só não contava que eu criador colocaria o golem de Ferro para segui-lo enquanto isso.

A coisa havia sido liberada junto com todo arsenal do grupo. Ela tinha outra forma e vigiava os passos do golem consciente _ dava vontade de esmaga-la, mas perderia sua pista caso se separasse do grupo, então seria útil de certa forma, não fosse tão aborrecente.

Precisava clarear os pensamentos - misto de retalhos daquele que morreram para que pudesse vir ao mundo e stress do contato com a Tormenta. Combate, a única coisa certa na vida, a forma que o definia. Morrera e renascera pelo combate. A forma ão de enfrentar a Tormenta que sabia Seria essa: LUTA.

Por enquanto praticava sua tempestade de golpes, eram todos imprecisos e vagos. Precisava garantir 100% de acerto contra o inimigo ou seria um alvo fácil para as hordas. O combate a distância também não era bom, ficara totalmente sobre os cuidados do elfo durante a luta, quando lefeus desceram com setas apenas ele pode fazer algo.

Horas intermináveis, não precisava realmente dormir, apenas limpar sua mente. Ao longe estava o que parecia ser um coliseu de jogos _ combate _ pensou. Sua atenção, porém foi chamada pela visão fantástica de uma cidade flutuante que chegara. Arton nunca deixara de surpreendê-lo.

(Off: Nada a fazer com Shura que não seja puro roleplay, a não ser que a perícia Estratégia possa ser treinada.)

Shura tenta não se irritar (e arrebentar com o golem-de-ferro), indo tentar observar as lutas de gladiadores enquanto aguarda impacientemente que Mustang esteja disponível para que ele possa voltar a investigar o passado (daqueles que morreram para que ele nascesse). Vendo a magnífica estrutura do circo de jogo tapistiano, decide distrair-se e compreender as lutas do jogadores.

*Shura tenta assistir as lutas de gladiadores.*

(Off: O golem assumiu uma aparência mais amena com a carga de  Metamorfosear-se __ uma singela donzela de ferro.)



----------



Dante observa a malha que recebeu. Era de grande qualidade e demostrava um pouco borrada de vez enquando, provavelmente era o efeito da interação de sua visão com o material alienigena da tormenta. Enquanto examinava o material ele se encontra com Aeron por acaso no corredor. Antes que eles tenham chance de falar um com o outro uma elfa de cabelos púrpuras e roupas de escrava se aproxima deles.

- Senhores, estive procurando por vocês. Os banhos aromáticos estão prontos. Se desejarem, por favor me acompanhem.

"Um banho será bom"

*o elfo acompanha a elfa*

Dante acompanha a elfa e é levado para um dos salões de banhos do castelo. Lá ele recebe um banho quente cheio de pétalas de rosa em um grande salão privativo, é servido vinho de excelente qualidade e depois a elfa faz uma massagem repousante em suas costas. Quando ele está recebendo a massagem ele ouve alguém se aproximar. Ao olhar na direção ele vê um minotauro em uma toga bastante elegante com detalhes dourados. O minotauro se aproxima sorrindo.

— Bom dia senho, Dante. Sou Tullius Grendan, Senador e um dos conselheiros do Imperator Aurakas. Vejo que está aproveitando nossa hospitalidade. Tudo está do seu agrado?

*Dante recebe a massagem tranquilamente, sentido os dedos macios da elfa alisarem cicatrizes antigas, quando um minotauro chega fala algo. Dante o olha de canto de olho com os cabelos úmidos cobrindo-lhe parte do rosto e diz com certo desdém*

—Só estou tendo o que um guerreiro merece por direito. Aliás, com todo respeito, dispenso suas falsas cordialidades. Ouvir falar de seus jogos políticos, e não gosto nem um pouco.

Senador Tullius sorri um pouco com o comentário de Dante.

—Direto como diziam. Bem não se preocupe que não vim te envolver em nenhum esquema maldoso.

Dante sente os dedos da elfa massagearem de leve seus ombros expulsando a tensão que o guerreiro sentia da forma que apenas as elfas conseguiam fazer. Tullius dá um sorriso leve e então fala.

—Vou direto ao assunto então. Eu estava avaliando a situação, eu sei de sua reputação e a de seus colegas senhor Dante. E vim aqui por que gostaria de fazer uma proposta. O império de Tauron gostaria de contratá-lo. Se trabalhar para nós esses luxos que o senhor está recebendo agora parecerão um reles amostra grátis próximo do que o senhor irá receber. É uma proposta tão ruim assim?

*Dante analisa o minotauro por alguns instantes, depois se levanta e apanha uma toalha*

—E que proposta seria essa?

Tullius olha um pouco surpreso para Dante, sacode a cabeça e repira fundo.

—Como eu disse. O império de Tauron deseja alguém forte como você do nosso lado. Em troca de agir como agente especial do trono imperial, levando a vontade do Imperator e de Tauron além das fronteiras de Tapista, você receberá riquezas, poder e prestígio. Além de todos os luxos aos quais um nobre tapistano tem direito. Não é uma proposta muito ruim não é?

—Não estou convencido. O que eu teria de fazer exatamente? Matar os inimigos do Impetor?

O senador fala casualmente.

—Somente os verdadeiramente criminosos. Líderes terroristas, cultistas da tormenta, assassinos em série. Esse tipo de coisa. Pediríamos que realizasse missões para melhorar a posição do império com outros reinos. Não exigiríamos nada criminoso de você. Apenas que mantivesse sua situação em segredo de seus companheiros. É sua decisão se você aceita ou não.


( Off: Aaron capricha um pouco mais nos posts, aja resumo.)

*O elfo analisa cuidadosamente o senador, depois se vira para a elfa e diz*

—Saia, por favor.

*Depois disso se volta para o minotauro de novo*

—Bom não vejo problema algum até agora. Não simpatizei com nenhum deles, apenas com aquele golem, o que torna tudo meio estranho, mas enfim, acho que é porque ele luta muito bem *ele caminha para perto do outro* -- eu aceito, com algumas condições. Não quero nenhuma espécie de contrato, se eu achar algum serviço indevido to fora e não quero ninguém me perturbando. E não sou nenhum escravo, eu ajudo porque quero, porque eu sou forte e quero as recompensas. Vocês precisam de mim e não eu de vocês, se por acaso for tratado de tal maneira nossas relações acabam no mesmo instantes e mato sem dó qualquer caçador que mande atrás de mim. Se concordar não vejo problemas.

*o elfo estende a mão para selar um trato*

A elfa se retira quando ordenada e após as condições de Dante o senador fala.

—Eu concordo com todos os termos exceto um, nós não precisamos do senhor. Este é um acordo de benefício mútuo entre dois fortes. Nenhuma das duas partes é maior que a outra. Se concordar com isso o acordo está fechado e já temos um primeiro trabalho e uma primeira recompensa para você.

Ele estende a mão para esperar a resposta do elfo.



----------------------



(Off: Eu não posso continuar a cena de Lieen e mamorra sem saber o que eles estão querendo fazer. Maldita paranoia de jogador que acha que o mestre está jogando contra eles. ¬¬)


Francesca passeia pela cidade a procura de um Templo de Khalmyr. Enquanto isso, espalha a Palavra pelas pessoas que encontra.

—General, fique de olho para qualquer atitude suspeita - Francesca fala baixo para o Mustang durante a caminhada. - Os cultistas podem estar em qualquer lugar.

[OFF: Testo Obter Informação (+13) para localizar um templo, enquanto isso, Testo Percepção (+32) em conjunto com Conhecimento (Tormenta) (+25) para detectar qualquer atitudes suspeitas de simbiontes e pessoas maculadas.]


*Mustang observava a situação e diz baixo para a cleriga*

—Minha cara, meu informante na cidade disse que o tal evento ia acontecer logo, então qual a razão de estarmos aqui em um templo de Khalmyr, ao invés de estarmos procurando Grupo de cultistas que quer matar o Imperator?


Francesca não vê sinais de cultistas da tormenta enquanto anda pelo palácio. Ela então prega a palavra de Khalmyr rapidamente com os transeuntes. Após alguns minutos um par de guardas minotauros se aproxima dela.

— Senhorita. Onde está seu oficial supervisor para que você possa pregar a palavra de Khalmyr?

O outro minotauro arregala os olhos.

—Ei, você não é a sumo-sacerdotisda de Khalmyr?


—Oficial Supervisor? Perdoe-me senhor, mas não sabia que era necessário tal pessoa simplesmente para falar da Justiça que está sendo levada a Arton. Que a Justiça dita todos os aspectos de Arton. Mas se aqui é assim, então onde encontro tal pessoa? Creio que a Palavra deve ser dita antes de eu partir... Sim, eu sou. Eu me chamo Francesca Bentanne, Sumo-sacerdotisa do Deus da Justiça e estou descansando antes de seguir viajem para novos locais em Arton.


Os guardas imediatamente arrumam suas posturas e falam em um tom impecável.

— Desculpe senhorita, por não a reconhecermos imediatamente. Mas devido as leis do império de Tauron você pode pregar a palavra de seu deus. Mas necessita de um oficial minotauro do seu lado para garantir sua segurança. Espere um instante enquanto meu colega vai informar nossos superiores.

Um dos minotauros então pede licença e se retira enquanto vai procurar a escolta de Francesca.

—General Mustang, o senhor já está em condições de nos teletransportar de volta?

*Mustang olha para Francesca e diz*

—Não, eu não estou pronto ainda, mas logo vou estar, mas se me der licença, francesca, eu vou andar um pouco pela cidade...

*Mustang vai em direção a casa de Havoc falar com o mesmo e verificar o se Olivia havia conseguido*


(Off: Uma pergunta: É assim? O Mustang morre, é escravisado pelo artefato da clériga, invocado como um espírito e pode sair assim andando para onde quiser? Cadê as penalidades por ter morrido e nem ter sido revivido ainda?)

—Infelizmente nada mais de confusão poderá ser feita. Se você quiser ir visitar alguém, não deve fazer nada sem antes me consultar. Até considerarmos essa situação concluída e SE em seu julgamento for considerado inocente, você segue minhas ordens. E minhas ordens são para irmos ao Templo de Khalmyr. Tenho minhas obrigações como Sumo-Sacerdotisa e não espero que um cão do exército entenda. Mas espero que obedeça.

*Mustang olha para Francesca e diz:*

—Va para sua pregação por que eu tenho mais o que fazer...
Seu planinho me custou muito caro...

*Mustang vai saindo do templo em direção ao seu destino a casa de seu subordinado*

—Senhor Mustang, se você quer continuar tentando contatar seus companheiros, você deve pelo menos usar a sua magia. Vamos fazer um acordo. Por você apenas cumprir ordens, cumpra essa missão comigo e eu lhe trarei de volta a vida. Estamos de acordo?


Enquanto Francesca e Mustang conversam um minotauro gigante em uma armadura bastante elaborada se aproxima acompanhado por quatro legionários.

— Perdão pela demora senhorita Francesca. Eu sou o oficial que irá escoltá-la e protegê-la durante suas pregações. Meu nome é Hector. É um prazer conhecê-la.

Ele se curva respeitosamente e beija a mão de Francesca. Mustang nota o minotauro olhando para ele com um pouco de desprezo. Hector fala para Francesca.

— E então minha cara. Para onde deseja ir mesmo? Igreja de Khalmyr?

*Mustan olha para Francesca e diz*

—Ainda quer que eu fique com você, querida?

*Mustang estala os dedos e manda um mensagem para Olivia informando onde estava e dizendo que viessem para o templo de forma discreta*

*Mustang olha para francesca ainda esperando sua reação, mas se mantém perto da Clériga para qualquer eventualidade*

*Francesca sorri para o minotauro e diz*

—Sim claro... e sim, General Mustang quero que fique....

Hector fala para francesca.

—Vamos então senhorita.

Francesca e Mustang são escoltados até a igreja de Khalmyr com Aeron seguindo sem ser notado. Todos vocês veem que é impossível achar um caminho reto para qualquer coisa em Tapista. A igreja não era muito longe, mas foram feitas tantas curvas para vocês chegarem à ela que todos sentiram um pouco de tontura, mas logo vocês veem o local. Um gigantesco prédio murado que parece uma pequena fortaleza, com o símbolo de Khalmyr estampado bem grande nos portões da frente. O local estava aberto e vários humanos e minotauros entravam e saiam. Vocês notam que muitos dos minotauros presentes era legionários que estavam montando guarda. Um dos clérigos, um humano de cabelos ruivos, fala:

— Sejam bem vindos... Senhorita Francesca? É a senhorita?

( Off: Mustang está translúcido como se fosse um fantasma não é?)

(off: mustang translucido sim e se a francesca gastar pvs ele fica material...)


* Mustang atravessa as paredes ao inves de acompanhar os dois para ele rera mais confortavel e quando chega diz:*
eria me
--você podia fazer ficar normal

—Sim, sou eu. Estou em visita aos Templos pelo Reinado. Mas nós ainda não fomos apresentados. Como o senhor se chama?

Francesca, que até o momento apenas ouvia o que o rapaz tinha a dizer, finalmente percebe o apelo do Mustang.

—Necessita fazer algo, General?

O rapaz que falava com Francesca diz.

—Meu nome é Findor, Findor Greenwish. Seu humilde servo. Mas por favor, senhorita, não acha impróprio ficar trabalhando com necromancia? É um dos males que nossa igreja combate.

Ele olha preocupado para Mustang. Nesse momento vocês notam uma dupla se aproximando, Mustang reconhece que são Olivia e Thomaz.

—Não é necromancia, Findor Grenwish. Esse homem está sob julgamento pela ordem de Khalmyr e, enquanto lorde Khalmyr decide o destino dessa pobre alma, sua custódia fica sob minha responsabilidade. Dependendo da decisão, pode ser que ele seja ressuscitado logo. Não ouviste falar do bracelete que Lorde Khalmyr deixou sob minha responsabilidade?

—Khalmyr ? hunf,ele não consegui segurar a liderança do panteão para Tauron, ele tem o poder para me Julgar?
Sou um general de Keenn e não um dos lambe botas de Khalmyr...

*Mustang olha com descrição para onde Olivia esta para que ela entenda que deve disfarçar sua presença e não se aproximar dele agora*

Francesca não conseguia acreditar no que ouvia. A arrogância dele parecia não ter limites. Ela olhava incrédula para o que ouvia.

-- Senhor Duque, embora não concordemos em questões religiosas, espero que lembre-se de que minha palavra vai pesar muito em seu julgamento. Com isso, seria prudente de sua parte não questionar meus métodos, ou a decisão de Lorde Khalmyr pode vir a fazer você ter o mesmo destino do Mercenário. Creio que vocês já se conheceram, não já? DENTRO da joia?

*Ele olha para ela com um olhar irritado e depois muda para uma expressão Maliciosa*

—Claro, claro... Chantagem é bem típico de servos de Khalmyr... eu acho que estou começando a entender o que Aurakas quiz me dizer, mas agora é tarde.

—Parece que no Exército de Yuden não respeita-se os Superiores.

*Mustang abre seu melhor sorriso, o que faz as geleiras das Uivantes derreterem e diz*

—Você não é minha superior... Lembraria de curvas tão apetitosas como suas dentro de um uniforme feminino do exercito de Yuden, mas se fosse querer minha opinião você ficaria ótima com uma minissaia militar azul. Eu não deixaria você passar se visse você assim, mesmo que depois fosse para corte Marcial eu tentaria algo com você, logo não é minha superior, por que não faz parte do exercito.

Francesca nunca havia ouvido tais despautérios. Não sabia como reagir a isso. As bochechas ficaram vermelhas pela vergonha.

—Co... Co... Co... Co... Como ousa!!! Não acredito que diga tais insultos para mim. Você é um grosso e desbocado. Você deverá aprender a ter bons modos. A tratar as pessoas bem. A não ser um Galantedor barato que apenas usa as mulheres, a partir de hoje você deve tratar todos os como um cavalheiro...

[OFF: Uso Missão no Mustang]

Mustang sente a magia de Francesca envolvendo-o e sente-se compelido a obedecê-la. Ele sabe que terá que ser cortês com todos ou sofrerá as consequências. O minotauro Hector fala:

—Nossa senhorita Francesca, você não acha que está sendo um pouco dura demais com ele? Com todo o respeito, se continuar assim posso acabar me apaixonando pela senhorita.

Olivia via e ouvia a tudo de onde estava.

*Mustang olha para francesca e diz*

—Olha já tem um admirador, ótimo para você , mas sobre seu pequeno embuste minha cara, saiba que isso terá volta e que vai ser dolorosa demais para você aguentar, guarde minhas palavras.... Mexeu com o servo errado de Kenn... Ande logo pode me fazer palpável de novo tenho mais o que fazer do que acompanhar você...

Francesca recua ante a ameaça do oficial. Sabia do que ele era capaz de fazer e deveria fazer algo para aplacar a fúria do namalkariano. Seria péssimo para toda Arton se os grupos ficassem se matando. Ela deveria contornar a situação.

—Não me ameace, general. Temos coisas a fazer e se ficarmos uns contra os outros, não seremos bem sucedidos. Estamos do mesmo lado, e o que fiz é só para que o senhor entenda que deve tratar os outros bem. A não falar feito um Bugbear... Perdoe-me se fui deveras severa com você. Por isso, peço que vá falar com seus companheiros no exército. Darei a você 3 dias físicos... Não sei se tomo isso como elogio ou se me assusto, Senhor Hector, mas obrigada. Não estou sendo dura, só estou tentando ajudar. Findor Greenwish, há algo que precise de minha atenção ocorrendo em Tiberus? Pode-me falar algo também, Hector?

Ao dizer isso, Francesca curva-se em dor enquanto o fantasmagórico Roy Mustang fica tangível.

[OFF: Deixo o Mustang físico, causando 21d4 danos em mim]

*Mustang olha com uma expressão vazia e sai sem dar mais explicações a Francesca*

Francesca recebe 69 pontos de dano e Mustang está tangível.

Com o comentário de Francesca Hector dá uma gargalhada que retumba por todo o prédio.

- Não se preocupe senhorita. É o mais sincero dos elogios, a senhorita não tem nada a temer de mim. Qualquer um que use pulso firme para controlar esses insubornidados merece meu respeito.

Findor fala em um tom um tanto nervoso.

—Bem senhorita, na verdade é tanta coisa que fica difícil saber por onde começar. Nossa igreja ainda está se reestabelecendo após as guerras táuricas e a presença da senhorita seria de grande valia, mas não sei se alguns deles é adequado a uma sumo sacerdotisa. Temos as questões de julgamentos de crimes senatoriais, discussões com os filósofos de Tauron para atualizações de legislações e tantos outros que fica difícil decidir.

—Agradeço novamente o elogio, senhor Hector. Gostaria de fazer uma pergunta um tanto indiscreta, se me permitir. Quais foram as medidas tomadas pelo Império contra Cultistas desde o ataque do Dragão da Tormenta? Esse é o principal motivo de eu estar andando pelo Reinado. Para deter o mais profano dos cultos. Há algo que possa me contar também, Findor?

Francesca observava ambos na esperança que conseguisse alguma informação, no mínimo, útil.



----------



Aeron vê que cada um tinha seus próprios assuntos para tratar em Tapista, e acabou ficando por contra própria naquela cidade. Não se sentia confortável naquela situação, mas por hora não possuía muitas opções. Após andar por algum tempo nos locais mais próximos, logo decidiu ir para algum lugar mais calmo onde pudesse beber algo e analisar toda a situação em que haviam se metido...

Quando andava para procurar o que fazer, Aeron vê francesca sendo abordada por um oficial minotauro que a cumprimenta e beija suas mãos. Eles ainda não notaram Aeron.

Quando Aeron vê Francesca, percebe que ela esta sendo abordada por um mintauro. Aeron decide ficar de olho na situação, ainda que ela não pareça estar com problemas...

Aeron continuava acompanhando a sacerdotiza a distancia, quando viu Mustang se afastar junto com os outros estranhos que haviam chegado há pouco. Aeron não se dava bem com o soldado, e por isso preferiu ficar por lá. Se aproximando da sacerdotisa, ele diz:

—Parece que você deixou o general ir embora... As coisas estão sobre controle por aqui?



----------



*Olivia estava em Vectora e espera apenas o sinal de Mustang para levar o conselheiro de Aurakas ao local combinado, cujo o qual estava envolvido em atentado a vida do imperator e era um dos lideres dos cultitas da tormenta dentro de Tapista, junto com subordinado e amigo pessoal, ela estava pronta a Mostrar todo o poder do serviço secreto Yudeniano, mesmo fora do território do Reinado*


*A situação era complicada, estava sobre disfarce e a espera de um sinal de um dos oficias de Yuden que ela menos confiava, mas era um risco a se correr, seu subordinado estava em tapista para lhe relatar melhor a situação e ele e estava instalado na casa de Jean Havoc, um dos subordinados de Mustang.
Thomas era um agente confiável, mas a situação podia custar caro ao seu aliado e mais ainda a Mustang se tudo desse errado, podia ser o fim para ambos e ela não estava querendo ser uma das escravas de Aurakas de forma alguma*

*Vectora agora se aproximava da capital do Império e já era hora de Olívia descer na cidade do poderoso Império de Tauron, a rainha do gelo Yudeniana estava pronta para atacar mas precisava de Certeza do que estava Fazendo*

—Lorde Vectorus tem certeza que este Minotauro esta infectado pelos simbiontes ?
Ele realmente é um Cultistas?


*Vectorus faz uma breve pausa e diz*

—Sem duvida alguma General, e pelo o que analisei do que extraímos do depoimento dele o culto a tormenta no Império é maior do que o imaginado...

*Olivia olha para o Minotauro, ele está amarrado e adormecido por meios mágicos, graças intervenção de Lorde Vectorius e enquanto estivesse com o colar do sono estaria em sono profundo*

* Olivia desceu na capital do Império sem chamar muita atenção, sua espada estava devidamente oculta e a mesma estava sem sua farda e como por ser parte da inteligência yudeniana era pouquíssimo conhecida e pode achar a casa de Havoc sem ser interceptada por ninguém*

*Lá encontrou seu subordinado e o de Mustang com todos os mapas e indicações do culto ao inimigo do mundo em Tapista, Havoc estava extremante desconfortável junto a Thomas Ironhearth, afinal o clérigo era um conhecido Pederasta e não era do agradado de ninguém este fator dele, mas ninguém questionava sua capacidade combativa*

*Vectorus era um mago de confiança quando assunto era o inimigo do mundo e havia mantido o conselheiro de guerra de Aurakas preso até que Olivia lhe desse o sinal de aparecer com o mesmo e explicar tudo o que estava acontecendo, agora tudo estava nas mãos do General Mustang e era a vez dele de agir*


Olivia olhava para Havok que lhe dava um olhar amargo.

—Espero que saiba que estamos ambos sob risco de morte. Ou pior ainda, de falha. Eu tive muito trabalho para conseguir me manter anônimo até agora. Isso é praticamente impossível por aqui. Mas aqui está.

Ele coloca um mapa diante da jovem.

—No alvo está sempre cercado por seguranças. Todos parte do culto à tormenta. É impossível pegá-lo completamente desprevenido, o mais próximo possível será em duas horas. Nesse momento ele irá se refugiar em sua mansão para se preparar para o próximo culto que presidirá. Para que os criados não desconfiarem ele costuma dispensar todos os não-corrompidos, então a mansão estará com a segurança baixa, mas ainda é algo muito perigoso. Só os melhores agentes teriam capacidade de infiltrar ou invadir o local. E então? Quais são as ordens?

—Temos que ser cauteloso, Eu e Mustang vamos por nossas cabeças a premio nesta ação e provar ao Imperator que tudo esta bem pior do que ele pensa...

*Olivia olha para Havoc com seu olhar frio e diz*

—foi para isso que eu trouxe Thomas... Vamos ressuscitar Mustang e o resto de sua equipe e dai vamos usar as pericias De Hughes para entrar, afinal ele é o agente de infiltração de Mustang não é? Fique calmo Havoc, você não vai fazer parte da incursão e se tudo der certo você volta para Yuden junto comigo e com Mustang

Havoc olha para Olivia com uma expressão de dúvida.

— Como a senhorita sabe que General Mustang se suicidou? Essa informação ainda não foi mandada. E eu ainda não mencionei o fato.

Ele balança a cabeça.

—Não importa, eu acho. Bem senhorita, o que pretende fazer agora? Irá invadir o local? Vai procurar por auxílio? Ou vai fazer alguma outra coisa?

—Essa ordem veio de cima garoto os altos generais escreveram o texto e Mustang dançou a musica...
Acalme-se Havoc, logo Voltaremos para Yuden e voltaremos para nosso plano para derrubar aquela vadia usurpadora do trono de Yuden...

Olivia recebe a mensagem de Mustang que ele estaria na igreja de Khalmyr.

*Olivia olha para Havoc e diz o que Mustang havia lhe informado*

—como chegamos por sem chamar atenção?

Havoc coça o rosto.

—O local é aberto a todos. E só tirar o uniforme e ir à paisana que ninguém prestará atenção.

*Francesca não esta de uniforme e sim com um sedutor vestido Negro e seu clérigo mantinha os símbolos de Kenn escondidos, ambos escondiam suas armas como itens comuns a de Olivia estava disfarça de sombrinha (aquelas que as mulheres da corte usavam) e maça de do clérigo guardada por entre suas vestes longas*

—Não será muito trabalho, depois disso teremos um pouco de sossego, afinal foi muita ousadia a Tormenta tentar nos enganar com um embuste de que um minotauro e sua legião atacava em Yuden, só foi dissecar um por um para ver que eles estavam corrompidos...

*ela olha para Havoc e diz*

—Lógico, Shivara não sabe disso ainda, mas quem se importa com quem ela sabe...

Havoc olha para Olivia.

—Calma comandante. Eu quero avisar que tome cuidado, nem todos os generais estão contra Lady Shivara. Alguns acham que, com a rainha de Yuden como Rainha imperatriz do reinado, Deheon já foi vencida. Esses não toleram insubordinações assim e consideram uma conduta como a sua... Traidora. Eu não gostaria de me meter em disputas de Generais.

*olivia ri de forma contida e diz*

—Você esta muito mal informado tambem havoc, sabia que seu general e metade do alto comando fazem parte agora da operação martelo de Kenn... Vamos destruir e minar a confiança que nossos companheiros têm naquela vadia e logo colocaremos um Rei a nossa altura no trono e ele vai varrer esses lixos semi-humanos do mapa usando a força militar de Yuden... Mas deixemos isso para depois, afinal temos que mostrar serviço contra esse culto contra tormenta e esses bois super desenvolvidos certo ?

Havoc dá de ombros.

—Eu sei disso, mas o que me preocupa é a outra metade dos generais. Bem acho que o senhor Mustang está esperando.

Olivia segue em direção à igreja de Khalmyr e após esperar um pouco ela vê de longe Mustang e outros entrando no local.

*Olivia olha para havoc e thomas e diz*

—Vamos.

Olivia vai em direção à Mustang, Havoc fala:

—Ei espere, não está vendo o...

Ele fica para trás e não acompanha vocês dois, ficando onde estava na igreja.

*quando percebe com que Mustang estava com Francesca vai até o altar principal onde a população rezava e se ajoelha e finge começar a rezar, assim como Thomas com toda a descrição possível*



----------



O general perambula pelo local e logo encontra Olivia e os outros em uma sala onde podem conversar sem serem ouvidos. Havoc fala:

—Comandante, é bom vê-lo em... Acho que o senhor não é mais de carne e osso... Bem é bom vê-lo senhor.

Mustang sorri e diz a Havoc:

—Também estou feliz em vê-lo Tenente, mas ainda não estamos a salvo, Temos um objetivo a cumprir e vamos agir o mais cedo possível.

Se virando para a colega.

—Olivia prepare a ressurreição de Maes e Riza, está com os fios de cabelos que demos a você em Yuden, certo? Depois de ambos ressuscitados faremos o que viemos fazer, verificar o culto e ter um trunfo gigantesco contra ele...

*Olivia sorri e diz*

—Vamos fazer isso sim, Mustang, e quanto a você, não vai querer voltar a vida?

—Ainda não, isso chamaria muita atenção, prepare o que precisar e vamos sair daqui, mas separados, vocês vão primeiro e eu vou depois.

*Mustang espera que Olivia saia da capela junto com Havoc e seu clérigo, precisaria falar com Francesca urgente e longe daquele minotauro de preferência e então ele manda uma mensagem para clériga por intermédio mágico*


"querida sacerdotisa Francesca, agradeceria muito que, se possível, revivesse Maes e Riza o mais rápido possível e de preferência agora ou em um momento próximo"


*olivia olha para Havoc e espera ele sair primeiro para depois sair discretamente com Thomas, e antes de sair o clérigo de Keen da um olhar insinuante para Mustang e diz*

—Realmente espero que precise de mim logo Mustang, pois o preço não vai ser barato...

*depois sai com sua oficial superior*

—Eu prefiro virar capacho da clériga de Khalmyr por dois anos a fazer qualquer tipo de acordo com você Thomas

*Mustang põe uma cara de desgosto*

—Você quem sabe Mustang

*Ele pisca e manda um leve beijo para mustang*

*Mustang olha horrorizado para o clérigo, e  espantado ao mesmo tempo, como um homem podia achar outro atraente, era inconcebível para ele*

*Ele apenas espera ambos irem embora para poder sair.*

*Mustang olha para Francesca e depois sai em direção onde esta Francesca,mas fica de longe esperando a reação dela sobre o pedido*

*e enquanto espera analisa o local com mais calma*



----------



Hector dá um sorriso satisfeito com o comentário de Francesca.

—Estou feliz que tenha perguntado isso senhorita. Sabe aqui no império nós temos agentes especializados em caçar heresias. Cultos a Sszzasss e outros deuses proibidos. Destacamos agentes e os treinamos para identificar e caçar cultistas da tormenta. Tivemos alguns sucessos impecéveis. Também temos algumas cartas na manga. Quando temos dúvidas sobre alguns suspeitos, trazemos ele para a igreja de Khalmyr para serem avaliados. Uma forma de estreitar as relações com a igreja do antigo líder do panteão.

O minotauro então olha para Aeron.

—Você está certo em desconfiar dos yudenianos rapaz. Eles não são flor que se cheire. Abraçam o domínio do forte sobre os fracos mas acham um desperdício os fracos serem protegidos. Isso é inaceitável.

Francesca recebe a mensagem de Mustang pedindo a ressurreição dos subordinados dele.

*Francesca olha para Hector com um sorriso e diz*

—Os yudenianos passaram muito tempo sobre poder de uma família de déspotas terríveis e medonhos, senhor Hector. Mas Sob a liderança de Shivara logo encontraram o caminho certo. E é certo que vou fazer de Mustang o maior exemplo disso, ele se tornara meu maior triunfo neste aspecto...

*Ao receber a mensagem de Mustang Francesca sorri e vira para onde ele está*

—Mustang, se quer algo, venha pedir pessoalmente...

*Mustang infla o peito e vai devagar de forma polida indo em direção a francesca e diz*

—Lady Francesca se não for pedir muito e nem for muito incomodo, poderia permitir a ressurreição de meus subordinados, que apenas cumpriam ordens?

*Mustang podia estar sendo cortez mas o olhar dele dizia ao contrário, apenas fúria e ódio emanava do olhar do general, típico de um servo de Keen*

*Ela olha para os olhos de mustang e sorri*

—Viu como você sabe ser educado quando quer? Sei que isso pode estar parecendo humilhante para você Roy, mas logo passará. Apenas a ser uma coisa normal, você será um ótimo Duque para seu povo e saberá da importância do que estou lhe ensinando...

*Francesca permite a ressurreição dos dois*

Hector sorri.

—Muito do que você diz é verdade senhorita Francesca. Mas eu não acho que algumas pessoas possam ver o caminho certo mesmo se ele for empurrado nele.

O minotauro olha para Mustang com um pouco de pena e desprezo. Depois ele se volta novamente para Francesca.

—Mas eu lhe desejo boa sorte. A senhorita é muito mais capaz do que eu tinha imaginado. E se estiver interessada, eu irei assistir uma peça de teatro e se a senhorita quiser me acompanhar nada me traria mais alegria.

—Nunca me chame de Roy, pois para você eu sou o General Mustang, posso estar sendo forçado a isso, mas você não é intima a minha pessoa para me chamar pelo meu primeiro nome e nunca vai ser, clériga, então se me der licença....

*Mustang sai de forma marcial e determinada em direção à casa de Havoc*



----------



*Francesca Olha Triste para Mustang*

—Pensei que pudéssemos ser amigos, General Mustang, mas vejo que me vê como sua inimiga. Quem sabe o tempo mude isso e você me de a permissão de chamá-lo pelo nome que seus pais lhe deram. Sabe, Roy, eu conheci seu pai, ele era um bom homem... Servo Fiel de Khalmyr e homem forte de Nalmalkah. Ele sempre amou muito todos vocês, principalmente você que era o mais novo... Sabe, antes de eu ser levada para próximo a meu Lorde, ele pediu para que eu o batizasse na Igreja de Khalmyr. Hoje vejo você numa religião tão egoísta como a de Keen... Que apenas poda seu potencial. Você é capaz de muito mais do que APENAS isso. Deveria rever seus conceitos melhor, General Mustang...

*Depois de Mustang ir Francesca vira Para Hector sorrindo*

—Primeiramente verei se os membros de meu grupo precisam de mim para algo, caso não precisarem estaria encantada em acompanhá-lo.

Aeron permanecia quieto enquanto Mustang voltava e falava com a cleriga. Após o soldado ir embora, ele diz para Francesca:

—Esse Mustang vai continuar dando trabalho, eu disse para ele na primeira vez que nos encontramos que esse jeito ia causar a morte dele, e percebe-se que eu não estava errado... Certas pessoas simplesmente são inflexíveis demais para darem certo...

Francesca e Aeron passam o resto do dia na Igreja de Khalmyr resolvendo alguns problemas. Francesca nota que as almas dos dois lacaios de Mustang são retiradas do diamante. No dia seguinte eles estão na igreja e veem Vendar entrar no local. O desafiador olha ao redor até que os vê, vai em direção a ambos e fala baixo.

—Estamos com problemas. Se não agirmos logo Tapista será varrida da face de Arton.

_________________
"Força Bruta: se não funcionou, é porque você não usou o bastante"
-Um sábio...
avatar
Tahlus
Mentor
Mentor

Mensagens : 102
Data de inscrição : 14/11/2013
Idade : 27

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Última Libertação - 1ª Fase

Mensagem por Tahlus em Dom 17 Nov 2013 - 11:13

Capítulo VIII


*Olivia e Thomas vão em direção a casa de Havoc fazer os preparativos para incursão ao templo e ao culto dos lefeus*

*Depois de sair olivia diz*

—Thomas, pare de fletar com Mustang enquanto estamos aqui, faça isso depois...

*O clérigo lhe olha com olhar afeminado e diz*

—Ele é apetitoso demais para evitar, Olivia...

Olivia segue e fazem os preparativos. Ela examina os mapas do local que eles invadirão a noite e percebe que o lugar é muito bem protegido. A única forma de invadir é com um grupo atacando local como distração e outro entrar pelos esgotos. Mas seriam necessários homens extremamente habilidosos, tão habilidosos quanto Mustang e os outros aventureiros que o acompanhavam.

—Teremos que usar os incapazes com quem Mustang veio. Havoc, vamos ter que avisar isso ao seu general... Vá você, avise isso ele.

Havoc fica assustado.

—Senhorita. Estou tentando agir escondido na cidade e você quer que eu vá falar com ela diante de um oficial de Tapista?! Isso vai acabar com minha cobertura.

—Tudo bem Havoc, vamos esperar Mustang aparecer e pediremos que ele nos encontre junto com seus amigos em lugar mais apropriado que sua casa...

*Ela vira para Thomas e diz*

—Tente trazê-los de Volta, Thomas ...

*Thomas começa a ressurreição de Maes e depois de Riza*

Mustang encontrou seus comparsas e vê que as ressurreições foram bem sucedidas. Toda a situação foi explicada para ele e ele vê que precisará dos outros para invadir o local.

*Mustang olha ao redor e diz*

—Vou avisá-los

*Mustang manda uma mensagem pessoal para que todos se encontrem em lugar afastado no gueto élfico, e que seja urgente pois todo andamento da missão dependia disso e que daria detalhes depois*

*Olivia olha para Mustang e diz*

—Vamos sair sem as fradas para não chamar atenção e um por vez, primeiro você, Mustang, depois eu, e depois Thomas e depois Riza, Maes, e por último Havoc, e iremos por caminhos diferentes e nos encontraremos lá.

*Olivia espera Mustang sair e depois vai para o local combinado por um caminho diferente do de Mustang*

*Thomas faz o mesmo, mas ainda sim fica um pouco chateado por não poder ir com Mustang*



----------



—O que aconteceu, Vendar, diga o que houve.

*Francesca parece preocupada com o que o companheiro de grupo diz*

Vendar fala:

—Estive reunindo informações. Desde que cheguei aqui eu venho sentindo algo estranho. Quando tentei averiguar tive certeza. É a mesma sensação de quando estávamos com a rainha do gelo. Uma nova área de tormenta está para nascer. Aqui.

Nesse momento todos no grupo recebem a mensagem de Mustang.

*Francesca olha para vendar e diz*

—Porque algo me diz que Mustang sabe algo sobre isso e tem informações mais aprofundadas, não concorda comigo, Vendar ?

Quando Vendar chega e passa as noticias, Aeron não fica nem um pouco satisfeito com a situação.

—Isso é péssimo, Não basta o fato de ser mais uma área de tormenta, dessa vez ainda pode surgir em um local muito habitado... Não podemos falhar novamente...

Então, Mustang os chama através de magia, e Aeron fala:

—Parece que o soldado está nos fazendo um favor por acaso... É melhor nos reunirmos rapidamente, enquanto isso você pode repassar todas as informações pertinentes, Vendar.

Vendar acena com a cabeça.

—Vamos até lá. Mas Aeron, eu não tenho muito mais informações que o quem eu lhes passei. Muito do que descobri eu só sei por causa de minha ligação com a tempestade, e os relatos de outros portadores de simbiontes que encontrei em Vectora. O que sei é que em algum lugar desta cidade a tempestade está sendo chamada e está vindo rápido. Eu diria que não é muito longe daqui. Talvez seja um ritual dos cultistas, talvez seja algo dos próprios lefeu. Isso é tudo o que sei.


----------



*Ao chegarem ambos ao local, Olivia e Thomas esperam o resto do grupo de Mustang sem chamar muita atenção, fingindo uma conversa sobre fatos da vida e frivolidade típicas de um camponês*

*Ao chegar ao local, Mustang,Riza, e Maes fingem ser amigo e conversam animadamente a uma certa distância de Olivia, Havoc e Thomas*

*Mustang sorri e se levanta indo em direção a um local menos visado pelo Publico e espera que eles o sigam, seus subordinados fazem o mesmo, com muita descrição*

*Olivia olha para todos e depois segue Mustang, mas sem deixar a entender que vão para o mesmo lugar, assim como Thomas*

*Enquanto andam, Aeron, Vendar e Francesca veem Mustang e seus colegas. Francesca fica meio desconfiada e aflita e diz*

—Será que Mustang está com problemas? Quem são aquelas pessoas seguindo ele? Será que são cultistas ?

Vendar balança a cabeça.

—Se forem, eu matarei todos.


*Olivia sorri e diz*

—Esses são seus amigos, Mustang?

—Você os conhece, Mustang ? De onde? Quem são eles? - Pergunta Francesca.


*Mustang olha para todos e diz de forma discreta*

—Até que enfim, bem, não temos muito tempo para apresentações, mas esses são a General Olivia Armstrong e Tenente Coronel Thomas IronHeart, eles são do serviço de inteligência de Yuden e vieram investigar um foco grande da tormenta junto comigo...

Bem, serei breve, enquanto estava em Yuden no tempo que passamos separados eu e Olivia fomos designados a outra missão por Lucian, que era escoltar o Helladarion de sua caverna para Torre Libertadora....

Há uma cópia idêntica lá na Caverna do Saber, mas que está programada para não responder perguntas de cultistas, e enquanto o nosso contingente marchava e levava a carga fomos atacados uma equipe de Tapistanos infectados por Lefeu...

Mas para azar deles, nós estávamos em terreno conhecido e em numero maior, além de que estamos com boa parte da companhia infalível, e eles caíram feito moscas e recolhemos os corpos e os feridos e os fizemos prisioneiros, e analisamos neles um espécie de simbionte mais difícil de ser detectada e que apenas se demonstra em casos de fúria extrema de seu portador, em uma parte dos olhos bem especifica... Fizemos testes e mais teste até comprovarmos isso, e além de removermos de forma cirúrgica alguns espécimes... Depois deste ataque prendemos todos os minotauros que estavam vivos e já desinfetados da Tormenta em Hardof e os mortos nós trouxemos a vida de uma vez, tudo bancado pelos libertadores, e todos estão presos... Ou melhor, são nossos convidados... Depois disso mandamos Havoc, meu subordinado e Primeiro Tenente de Yuden, para investigar e conseguir tudo que pudesse sobre a origem do culto, Missão que ele executou muito bem e ele coseguiu todas as informações que precisamos

*Mustang repassa as informações sobre o culto e diz*

—Sabíamos que membros do alto conselho estavam do Império estavam metidos nisso, mas não sabíamos se Aurakas estava infectado, então tive que provocar Aurakas para poder analisar os sintomas, para ver se ele estava infectado, e não estava, e depois disso tive que me matar para manter o Plano de Lucian e não prejudicar a missão... Sabemos também que dentro de pouco tempo haverá um culto e uma grande celebração e temos que impedi-los, mas precisamos de vocês... E antes que perguntem... não, Shivara não sabe dos minotauros em Hardof, pois isso complicaria as relações império/reinado. Além de desmoralizar Aurakas e precisamos dele com moral alto para que os tapistanos e afins confiem nele e que nosso plano de certo, e além disso tenho meus motivos para não contar a Shivara ainda.... e sim o Helladarion esta sobre poder dos Libertadores. Alguma pergunta?


(Off: Sim, seria pedir demais se você tivesse pelo menos falado antes para o mestre sobre algo tão impactante quanto mexer no Helladarion? Isso seria uma aventura em si. Mas tudo bem, eu sou só um desgraçado que vocês morrem de medo de eu estragar o que vocês estão fazendo e por isso só me dizem na ultima hora. Aí quando tudo dá errado por causa de detalhes que vocês não prestaram atenção a culpa é minha.)



----------



Por um momento Shura deteve-se em sua distração, imaginando e aquela era outra das vozes interiores que o impulsionavam a descobrir mais de si e de sua origem - a coxa de retalhos que era sua mente e alma. Porém, logo reconheceu a pessoa que o contatava e se reanimou, a possibilidade de reencontrar Mustang lhe trazia nova força e ansiedade.

*Shura ruma em encontro ao ponto marcado no contato, chegando lá houve pacientemente o relato de Vendar.*

—Essa coisa de ferro com formato de estatua feminina, é o mesmo golem-de-ferro que estava conosco antes, fingindo-se de Greed'son. O troço esteve me seguindo por esse tempo todo amando dele artífice. Devia estar de olho em mim, mas suspeito que estiveste espionando a cidade todo o tempo.



----------



*Dante espera o aperto de mão do senador quando recebe a mensagem da área que está prestes a surgir. Depressa ele recolhe mão*

—Mas que merda! --*ele olha o minotauro* -- Sugiro que deixemos as negociações para depois... É claro se você estiver vivo até lá.

*Dante então se retira e apanha seus equipamentos. Vestido com a malha aberrante e com a Ragnarok na cintura ele procura alguém do grupo*

Quando Dante sai o senador olha para Dante.

—Se ainda quiser aceitar tem até amanhã para se encontrar comigo no palácio do Imperator.

Dante então rapidamente vai até o local onde os outros estavam e ouviu toda a conversa.



----------



Um aparente sucesso, havia reação da criatura dentro do tonel, ma havia algo estranho. De Metrópólis, os monges cenobitas não haviam cobrado a sua paga. Tanto melhor, não precisaria oferecer o sacrifício costumeiro, todavia... um exame mais minucioso revela-lhe que o corpo apena estava vivo, sem mente, sem alma, logo e decomporia.

—Mustang, você ousa se opor a mim? - pensou alto o artífice.

Como que por resposta, a mensagem do soldado-arcano chega a ele. Estavam se reunindo.  O poder do coração de alma era realmente surpreendente, desafiava o artificismo de Greed'son. Agora, tinha de decidir, seguir ao ataque ou aproveitar o que tinha em mãos: o corpo de um mago que não queria ser de carne e uma peça caríssima de electrum. Refletiu ante de decidir, não e demorou nisso.

O artífice foi até sua bolsa de alquimia e tirou alguns itens de dentro: duas esferas vítreas com embriões inumanos e um frasco e uma seringa. Ele dirigiu-e ao corpo e injetou dentro do tanque uma substancia de cheiro forte e inebriante. Logo o clone fechou-e em si retornando a sua inércia.

"Isso impedirá que apodreça." - concluiu o inventor antes de voltar-se para a esferas.

(Off: Boticário+41, descanso tranquilo, CD21, SUCESSO.)

Ele apanha uma e mistura-lhe algo através da seringa, devolvendo-lhe a bolsa. A outra, ele implemente a quebra contra o chão.

(Off: Sobrevivência+21, invocar monstro III, CD24, esperando resultado.)

Uma coisa de cheiro ácido e cor verde-oliva cresce devorando o resto da mesma, pois era um vidro feito de açúcar. Ela cresce até um tamanho médio e deveria entender sua função, esgueirando-se através de pseudópodes e espreitando até o teto qualquer possível invasor. O artífice aguarda para ver.

* Após ver se a guarda serviria por um tempo, Greed'son apanha sua bolsa de couro e sai ao encontro do grupo.*

A gosma cresce até se tornar um monstro verde gelatinoso que começa a cumprir sua função. Greedson vai então até o local da reunião e facilmente acha o resto do pessoal. Ele ouviu toda a conversa até agora.




----------



—Você não contou nada eles Mustang? Que coisa feia.... Até parece que não confia neles.

*Mustang olha para olivia e diz*

—Me dê um motivo para confiar os assuntos de Yuden nas mãos deles? E tem mais, era missão extra oficial para os libertadores, eles não deviam saber disso...

—Porque aqui não é Yuden, e nem é o Reinado. - diz diretamente Shura. - Os inimigos não são orcs ou bruxaria, pelo que entendi até agora, é uma invasão de universo inteiro, embora eu ainda esteja tentando entender a extensão disso. Contra eles, pelo que testemunhei no campo de batalha, o que vale é a força. Isso nós temos, além de experiência real. Não é o momento de sermos seletivos com nossa unidade de guerra.


—Não! Mas há coisas que devem ser informadas aos companheiros... Irei hoje ao Teatro com o senhor Hector. Não posso ficar apenas de um lado para outro com aventureiros. Tenho coisas a fazer durante minha estadia em Tiberus e enquanto não tivermos a informação de que tudo está combinado, eu irei agir como se tudo estiver bem. E enquanto a vocês, investiguem isso e qualquer coisa me informem. Combinado?

—Ah, claro!!! Viu só porque não confio neles, Olivia, olha atitude que eles têm.... Ela quer ir passear com um minotauro bem no meio do caos completo... Eu não preciso passar por este tipo de coisa.

—Nós é que não precisamos de maiores confusões, senhor duque. Por vezes vejo que você quer ser mais um lorde do que um general. Estamos numa missão diplomática, se é que o senhor sabe o significado dessa palavra, e não numa missão de chutar a porta e atacar tudo o que aparece. Precisamos ter cautela. Não devemos alertar aos nossos inimigos que o estamos caçando... É isso que um estrategista qualquer faria, mas lembro-me de que servos de Keen pensam com as espadas, e não com a cabeça... Agora peço que me escute e faça o que eu digo. Deixe de ser um menino birrento!!!!

Francesca dirige-se a um local onde pode comprar vestes adequadas a ir ao teatro com Hector.




Mustang e a sumo-sacerdotisa discutiam, apesar da urgência ela deveria cumprir o seu papel, assim como o reto do grupo o dele.

Greed'on não perdeu tempo, procurou um espaço e em silêncio começou a trabalhar. Apanhado umas poucas peças de sua bolsa montou aparelho estranho. Logo que estava montado, tirou um minúsculo fragmento de uma joia da Tormenta e o pós dentro. Ainda antes de ligar, tomou um liquido esquisito de odor extremamente repulsivo, oferecendo o mesmo aos demais acrescentando:

—É uma poção druida que aguça os sentidos para a caça.

(Off: Boticário+41 contra Sabedoria da Coruja em Massa CD33, SUCESSO!)

Ele voltou-e ao aparelho, pôs sua face obre ele e o ligou.

—Primeiro: precisamos saber onde estão. Esse reino tem sua própria área de Tormenta, mas se querem fazer como nos domínios da rainha de gelo deve haver um local em que estão preparando o coração da Tormenta. Antes, o artefato havia sido mascarado dentro do próprio algoz, por isso não podemos perceber. Que forma ele terá aqui? Eu irei caça-los e cabe a vocês me ajudarem na tarefa. Magia não irá funcionar, mas meu intelecto é algo para o qual o inimigo não está preparado.

Começara a caçada.

* Após tomar o horroroso líquido e oferecer o mesmo aos demais, Greed'son usa sua aparelhagem para tentar achar criatura da Tormenta infiltrada na cidade de Tiberius.*

(Off: Investigação+21+2modf.+ponto de ação da poção contra Localizar Criatura CD27 _ qualquer criatura da Tormenta... exceto o Vendar.)

(O efeito funciona e todos recebem sabedoria +4. )


Mustang percebe que se não tiverem a clériga do lado dele o grupo vai provavelmente falhar em sua empreitada.

Francesca percebe que talvez esses cultistas sejam quem está tentando chamar a tormenta para tapista.

—Perdoem-me por não estar pensando com clareza... Realmente nossa missão necessita mais de minha atenção do que os assuntos mundanos como teatro... Eu os acompanharei.

*Mustang olha para clériga e diz*

—Que bom que recuperou o senso, sem você no grupo teríamos problemas.

"No que esse povo tá pensando? Teatro?"  - Pensa Dante.

—Pois bem, qual é o plano? Entrar e matar todo mundo ou algo mais elaborado?

*O elfo ajeita o cinto da espada enquanto espera a resposta*


—Localizar e destruir resumi quase tudo, Dante. - Responde Greedson. - Quase tudo, exceto que ainda não abemos o que será o coração da Tormenta desta vez. E se for um bairro inteiro de Tiberius? Não se surpreendam, mesmo entre as criatura que e intitulam deuses há um que faz parte de toda a cidades e nenhuma. Estarão preparados para sacrificar uma perna para alvar o animal moribundo?- Greed'on o deixa remoendo a informação, mas caso ocorresse, já tinha uma solução de reserva. Se ocorresse chegasse a ocorrer... planos dentro de planos. - Mas por hora, o mais importante aqui e obriga-los a nos contar a localização do coração da Tormenta. Vendar, me ajude a caçá-lo, sim?

* Greed'son pede auxílio a Vendar e prossegue operando para localizar alguma outra cria da Tormenta nos limites da máquina.*

(Off: Investigação+21+2modf.+ponto de ação da poção + auxílio _ se Vendar ajudar com sua percepção _ contra Localizar Criatura CD27 _ qualquer criatura da Tormenta... exceto o Vendar. )

*Caso seja necessário e Vendar concorde, ele se move para aumentar a chance do sinal.*

Aeron então fala:

—Precisamos descobrir tudo antes que seja tarde demais, e se o coração for algo assim, terão que haver sacrifícios. Eu posso ter meus problemas com os minotauros, mas não tenho nenhum interesse em ver Tapista transformada em uma área nova... Acho que posso ser de ajuda na busca com Greedson e Vendar para tentar descobrir mais, mas precisamos nos preparar para fazer o que for possível quando soubermos a localização exata do inimigo. Já falhamos uma vez, e isso não pode acontecer de novo. Enquanto procuramos os demais devem decidir uma linha de ação rápida e eficiente...


Greedson não sente nenhuma criatura assim no raio do efeito. (a magia tem 180m de alcance, então spo sente algo do tipo se estiver a essa distância de você)


Havoc revira os olhos.

—Não precisamos mais coletar informações. Eu já fiz isso. A base deles é aqui.

Ele aponta para uma propriedade no mapa.

—Está a 10 quilômetros de nossa posição atual. É a propriedade de um senador tapistano, Rêgulus Ostório. Consiste de uma grande área aberta com jardins, estábulos e até um lago, aproximadamente 1 quilômetro de raio. No centro está a mansão do senador. E eu tenho certeza absoluta que ele é o líder dos cultistas. O local é bastante bem protegido, cheio de proteções mundanas e mágicas, incluindo um efeito que proíbe que a área seja invadida por teleporte, normalmente intransponível, mas hoje o senador liberou parte da guarda, mantendo apenas os seguranças de mais alta confiança, são apenas 130 soldados, com alguns magos de batalha. Mas tenho certeza que haverão cultistas da tormenta. Mesmo se for ataca diretamente poderá ser tarde demais para alcançar o senador, e se tentarmos agir furtivamente ainda haverão guardas demais com Regulus. Então o plano é um dos grupos se esgueira pela galeria de esgotos até a mansão enquanto o outro serve de distração enfrentando os guardas e dividindo as forças do inimigo.

Havoc então respira fundo.

—Alguma pergunta?

—Com toda certeza haverão desavisados que apenas estarão fazendo seu trabalho. - Fala Greedson. - Essa demanda não saíra sem a morte de inocentes. Certamente, o guardas serão na maioria tapistiano autênticos.
-- Aurakas sabe desse nosso movimento?
—Não claro que não, suspeitávamos que Aurakas podia estar infectado... não podíamos arriscar por toda a operação em risco...

*Mustang fala com desinteresse*

Havok fala:

—É como o general falou. Se ele soubesse haveriam oficiais tapistanos conosco. Eu não estou vendo nenhum minotauro aqui. E sim existe o risco de ferirmos inocentes, mas isso não é novidade. E ele dispensou parte da guarda deixando só os mais leais a ele. Acho que são todos parte do culto ou ele não arriscaria.

Vendar olha o mapa então olha a direção onde a mansão estaria.

— Talvez seja lá mesmo que a tormenta esteja sendo invocada. Mas só vou saber se vir de perto.

Gredson então toma a palavra novamente.

—Então, dividamos logo o grupo para seguirmos em frente. Eu devo ser a um das poucas pessoas capaz identificar com exatidão qualquer criatura da Tormenta oculta. Precisaremos dos melhores infiltradores para a galeria inferior, mas não podemos ficar com pouca força no grupo de ataque. Ainda há o perigo dos magos deles cancelarem as magias que ousemos usar. Pessoalmente, não terei problema com isso, claro. Mustang e Vendar poderiam ir no grupo de assalto, ambos já fazem um exército.

O Coração de Horak brilha novamente, mas dessa vez um brilho vermelho vívido inunda o local. Um enorme guerreiro surge, enquanto Francesca recolhe-se em uma dor silenciosa.

—Não vão me deixar fora da festa. Eu estarei no grupo de ataque. Levem a Francesca no grupo de infiltração. Ela está praticamente inútil.

—Não estou inútil, Arngrim... Tudo bem, seguirei nos infiltradores. Alguma objeção?

[OFF: Tomo 20d4 de dano para invocar o Arngrim]

—Faça o que quiser, Francesca, tudo que eu sei e que eu vou para o grupo de Ataque, meu poder destrutivo será melhor lá.

*Olivia olha para Mustang e diz*

—Melhor mesmo, você é um general da infantaria, é péssimo em infiltração, Mustang....

*Thomas olha serio para Olivia e diz*

—Vou para o grupo de ataque, querida amiga, não quero deixar Mustang desprotegido...

*depois disso dá uma olhada no mínimo indecorosa para Mustang*

Greed'son olha a sacerdotisa reconhecendo o esforço e oferece com superioridade tão "simpática" de costume:

—Deseja que alivie sua dor?

(Off: Caso concorde, ele testa Cura+25 contra Curar Ferimentos Graves CD24. Sucesso, cura 3d8+5pvs.)

*Estando os grupos organizados, o déspota acompanha os infiltradores, onde terá oportunidades maiores de manipular os eventos em eu beneficio.*

—Obrigada, Senhor Greed'son, mas enquanto eu mantiver eles dois em forma física, esse é o preço que se faz necessário.

*Olivia olha para Cleriga com um pouco de compaixão aparente e Diz*

—Por que não permite que ressuscitemos Mustang ? Facilitaria nossa vida e você estaria mais apta a combate, senhorita.

Vendar olhar para o grupo então fala em sua voz insetóide.

— Eu não me oponho a ir no grupo de ataque. Mesmo se Mustang começar a me atacar eu ficarei bem. Também não vou impedi-los de ressuscitá-lo se for o que vocês quiserem, mas acho que isso trará problemas com Aurakas, eu não gostaria de arriscar toda a trégua e ameaçar uma nova chacina. Mas como disse, não vou impedir.

Ele então cruza os braços.

— Eu, Mustang, esse clérigo que eu nunca vi e Greed'son no grupo de ataque. Francesca e o restante no grupo de infiltração. É isso mesmo?

O déspota se opôs a ideia de seguir no ataque.

— Não irei no grupo de ataque. Partirei com a equipe de infiltração. Meu golem de ferro e Shura dará todo poder extra que precisarem, mas eu não estarei no controle desta vez.

O golem consciente falou pela primeira vez.

— O inimigo é o inimigo, Vendar. Deus ou homem se este oponha-se no caminho de tua lâmina, ele deve ser cortado. Faço isso apenas por não poder de me dar ao luxo de correr o risco de perder Mutang novamente. De resto, esse clérigo estranho ai pode ficar com ele.

O déspota retoma a palavra.

— Bem, se já terminamos de decidir, sigamos. Tenho algumas coisas que nos garantiram maior margem de sucesso. Comam isso e depois passem o conteúdo destes frascos em suas armas. Você também Shura, devia banhar suas mãos metálicas nele, você conhece meu trabalho.

*Assim que há acordo, Greed'son segue com todo, ma quando o grupo etá para e dividir, ele lhes entrega algumas rações a serem comidas e óleos em que devem banhar as armas.*

(Off: Ele usa Boticário+41+dado contra CD42 de Agilidade do gato em massa, Astúcia da raposa em massa, Força do touro em massa, Heroísmo maior, Vigor do urso em massa e Metalurgia+32 contra CD24 de Armadura arcana, Lâmina afiada e Arma mágica maior para Shura. Sucesso, acredito.)

—Eu pretendo ir com o grupo de infiltração, é bom a gente ter alguma força bruta no grupo caso sejamos descobertos... - Diz brevemente Aeron.

*Dante se manifesta finalmente*

—Acredito que seja melhor eu ir no grupo de ataque.


*Olivia da de ombros e diz*

—Vocês quem sabem ...

*Olivia olha para Thomas e diz*

—Nada de se meter a besta demais, Thomas, tome cuidado, e você também, Mustang...  Depois nós vamos atras de Gwen, e ela resolve seu problema, ou Talvez Kelandra...

*Thomas olha para Olivia e diz*

—E eu não posso fazer isso ?

*Olivia retruca*

—Não, meu bem, para o bem dos Planos do Martelo de Kenn Mustang tem que estar vivo, certo Roy ?

—Então está decidido. Vamos agir. - Fala Francesca

_________________
"Força Bruta: se não funcionou, é porque você não usou o bastante"
-Um sábio...
avatar
Tahlus
Mentor
Mentor

Mensagens : 102
Data de inscrição : 14/11/2013
Idade : 27

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Última Libertação - 1ª Fase

Mensagem por Tahlus em Dom 17 Nov 2013 - 16:15

Capítulo IX


Estando tudo decidido, os grupos se separam e todos tomam seus postos.Havok indica os locais onde as invasões serão feitas e fica para trás para garantir que a milícia de Tapista não interfira na operação. (o que poderia ter resultados desastrosos, o menor deles seria eles considerarem vocês criminosos por atacarem um senador.)



----------------------------------------



Grupo de infiltradores


Francesca, Aeron, Greedson, o golem de ferro e Olivia vão pelos esgotos para fazerem a infiltração. A entrada da galeria de esgotos fica em um local escondido nos limites da propriedade do senador e está com um portão trancado com um cadeado que vocês evitam facilmente. Vocês então entram nos túneis escurecidos e fétidos. Após andar um pouco vocês vêem que o túnel faz diversas curvas, era um verdadeiro labirinto, como todas as estruturas de Tapista.


Jogada de sobrevivência de Aeron: 5+27= 32, conseguiu.

Com alguma dificuldade Aeron consegue guiar vocês pelos túneis. Após andar bastante vocês ouvem vozes que parecem vir na direção de vocês. É um grupo de pessoas, mas não dá para ter certeza de seu número.

Após Francesca passar pelos esgotos, a sacerdotisa viu o Aeron parar.

—O senhor percebeu algo, Senhor Aeron? Quantos há lá na frente? Alguém consegue enxergar?

—Eu sei que definitivamente há outros no nosso caminho, mas daqui não consigo identificar quantos...

Se virando para Greedson, ele pergunta:

—Por acaso você tem algo que nos permita identificar os inimigos sem sermos notados?

—Posso determinar o que não são. - Responde o déspota, que retira o mesmo aparelho de antes e o põem para funcionar.

(Off: Investigação+21+2bônus contra Localizar Criatura CD27 _ qualquer criatura da Tormenta.)

Greedson usa suas técnicas e tenta sentir a mácula da tormenta a sua frente. Ele nota que há doze criaturas com a mácula da tormenta logo em frente, com outras sete em outros pontos dos esgotos dentro do alcance do seu efeito (180m).

—Há doze a frente, outros sete espalhados até 180m de nós. Detecto apenas lefeu, mas lefeu fala artoniano, nem tem órgãos para isso, podem ser usuários de simbiontes do culto, mesmo minotauros ou escravos. Eles saberão que estamos aqui assim que no aproximarmos. Podemo lidar com eles, mas tenho outra sugestão.

Greed'son analisa a estrutura para reconhecer padrões da arquitetura tapistiana. Ele sabe que a engenharia civil de Tapista não era um monte de labirintos sem saída, mas estruturas complexas que o permitiam lutar dentro de eu termo com inimigos invasores.

*O déspota procura uma rota alternativa para entrar onde desejam.*

—Por aqui. - informa o erudito antes de apanhar dois estranhos bastões metálicos.

(Off2: Testa também Investigação, +23nível +1sabedoria +2bônus +9investigador, total +35 contra Encontrar o caminho CD31. Sucesso!)

(Off2: Se necessário, testa também Engenharia, metalurgia+37+2bônus contra Criar passagens CD30. Sucesso!)




(Off: Encontrar o caminho só indica o caminho mais direto para chegar a algum ponto. Ele não pode ser usado para encintrar o caminho mais seguro. Mas associado ao criar passagens vai fazer com que você senore saiba o caminho para onde você quer chegar então mesmo após vocês passarem por caminhos pouco convencionais ainda acharão a saida. Vou rolar um teste de percepção para Greesdson para ver se ele encontra um caminho sem que seja necessário encontrare os monstros. )


((( Teste de percepção de Greedson: 8+34=42, sucesso. )))


Greedson consegue guiar vocês pela galeria subterrânea, vocês demoram um pouco mas logo vocês despistam os inimigos corrompidos. Após se aproximarem da entrada da mansão vocês começam a sentir algo estranho. O próprio ar parece um pouco diferente. Com mais alguns passos vocês começam a notar o por quê, as paredes do esgoto estão incrustada com ossos vermelhos, a água abaixo de seus pés passa a ser rubra como sangue e logo a rocha ao seu redor começa a ser substituída por uma massa de carne pulsante, vocês sentem como se estivessem dentro do intestino de uma criatura monstruosa. Mais a frente vocês veem uma câmara mais ampla também coberta por carne e ossos. Pelas suas informações a entrada para a mansão está em algum lugar por aqui.


*Olivia olha com atenção o local e diz*

—Ótimo, eu mandei os especialistas em destruir matéria vermelha para o outro lado e me meti no meio da matéria vermelha....

*Olivia Olha para Greedson e diz:*

—O que vamos fazer? Vamos entrar nesta coisa?


Francesca estava perplexa com o que via ali. Tentou engolir o medo, respirou fundo e por fim, falou.

—Vamos... Temos que ir... A Justiça será feita hoje.

Francesca avança na sala e olha a sala a procura de detalhes...

[OFF: Percepção +32 pra tentar visualizar algo diferente.]


O erudito analisava com curiosidade aquela coisa que se apresentava era nova, ma não tão nova. Como ele mesmo já havia dito antes de invadirem, havia uma das criaturas que se intitulavam deuses menores que apresentava natureza semelhante. Explicou o caso:

—Não estamos mais em nosso elemento. Essa coisa é o próprio prédio que está se tornando lefeu. Assim que pisarmo dentro, saberão que estamos aqui. Algo assim só pode significar que há realmente um coração a Tormenta vomitando a realidade aberrante para cá. Mas ele ainda não deve estar completo. É mais provável que alguém que teve longo contato com os lefeu tenha ido o foco inicial, ma não mais. Se a estrutura é lefeu, deve haver uma joia da Tormenta alimentando seus poderes, se a destruirmos desligaremos a maioria de suas habilidades, embora que para destruí-lá de fato deveremos seguir a moda antiga. Encontrando seu coração, acharemos o culto. - ele diz sacando uma estranha pistola de seu coldre. Era um aparato muito exótico, cada bala uma fortuna.

(Off: Greed'son testa eu conhecimento Tormenta + 37, quase impossível CD40 , para tentar determinar o rumo da estrutura para a sua joia da Tormenta- não necessariamente o caminho.)

—As doses que lhes dei estão no fim, se alguém tiver alguma proteção contra a Tormenta, essa é a hora de usar. Vamos. - diz o artífice procurando uma passagem naquela premissa rubra.

(Off: Greed'son testa metalurgia+32 contra Criar Passagens CD30. Seria um sucesso, mas estou fazendo isso dentro de um lefeu, então rola um teste de resistência aê.)


Greedson observa a estrutura no local e via que eles estavam na área mais baixa do prédio/criatura. O coração devia estar em algum lugar dentro da mansão acima de onde vocês estavam. Ele também notou que apesar de sua aparência viva as paredes ainda eram vulneráveis aos seus poderes. Mas talvez existissem surpresas desagradáveis para eles.

- Hum... o coração da Tormenta é mais perigoso no momento, embora seja mais difícil com o poderes desta coisa em ação. Recomendo destruir a joia e depois ir atrás do coração. Embora no fim o coração seja o mai perigoso. _ aponta o erudito.

*Greed'son faz a sua proposta, mas guia o grupo de infiltração rumo à direção que decidirem.*

*Olivia saca Warsong da bainha e segue e diz*

—Vamos avançar, temos que achar esta coisa o mais rápido possível...

Concordando com a escolha de Olivia, Greed'son leva o grupo através do prédio lefeu usando seu conhecimento obre a Tormenta e engenharia tapistiana.

(Off: Greed'son testa metalurgia+32 contra Criar Passagens CD30. SUCESSO!)
(Off: Ninguém pensou em procurar por alguma entrada já existente e justo nesse local vocês abrem um buraco. Depois dizem que é maldade minha... )


Greedson percebe que a fonte da corrupção estava na mansão e eles estavam nos esgotos diretamente abaixo da mansão. Ele então abre um buraco em um angulo de 45 graus de modo que fosse possível escalar, e se surpreende ao ver uma torrente de sangue vir pelo buraco. Todos vocês são atingidos pela torrente que não era sangue, era ácido da tormenta.

Todos passaram nos testes de reflexos então levaram só metade do dano. Todos levaram 23 de dano.


A gigantesca torrente vem por alguns minutos e todos vocês se protegeram da melhor forma possível. Então o fluxo parou, por um momento Greedson pensou que a estrutura estava sangrando e ele havia atingido um vaso, mas ao pensar melhor ele observou o buraco e viu que ele atingiu uma espécie de lago de ácido que já estava lá e drenou para a sala em que vocês estavam. Não vai mais vir ácido daquele buraco.

Vocês sobem pela passagem e se veem diante da sala de banhos do senador. O local antes devia ser uma sala de banhos bastante luxuosa que corria águas quentes e perfumadas, mas agora era um salão de horrores, o chão era formado por carapaça aberrante, cadáveres mutilados estavam pendurados no teto por ganchos de ossos e a própria água era acido vermelho, haviam várias piscinas menores preenchidas pelo ácido com uma grande piscina central (agora esvaziada por Greedson) por onde vocês entraram.


Vocês sabem que o som da piscina sendo drenada com certeza deve ter chamado atenção, mas ninguém surgiu ainda.


Aeron escutava as notícias que Greedson obtinha, e concorda que devem acabar logo com isso. Quando abrem o buraco, ele percebe o "liquido" escorrendo e rapidamente se esquiva do pior. Quando chegam ao fim do túnel, observa o local, e vê que nenhum inimigo apareceu ainda. Com sua katana em mãos, Aeron diz:

—É melhor irmos atrás dessa joia agora, não sabemos quanto tempo levara para que os inimigos venham até aqui...

"Maldição!"- praguejou Greedson em pensamento. Nem desconfiava como o prédio poderia estar alterado na parte superior. O líquido desceu-lhe fendendo armadura e envenenando-o com gazes e causando queimaduras. Tendo todo escapado, Greed'son nada disse, ma agiu rapidamente: quebrou um fraco de um líquido sulfuroso, que o ungiu e adentrou lhe pelas narinas. Todos se sentiram melhor.

(Off: Testa Medicina+25+dado+2bônus+2desafiador da realidade aberrante, Cura+ contra Curar ferimentos leves em massa CD30. Sucesso, recupera 1d8+9 pvs em todos.)

Tendo o susto do aspecto ambiental passado, embora ainda presente, ele disse:

—ATENÇÃO AGORA! Estamos no ambiente do inimigo e procuramos pelo coração da Tormenta ou a joia que alimenta os poderes da mansão. A joia é uma gema do tamanho que corresponde ao poder da criatura. NÃO A CONFUNDAM COM O CORAÇÃO DA TORMENTA! O coração pode ser qualquer coisa, INCLUINDO TODA ESSA ESTRUTURA!

Terminando de falar, ele apanha o aparelho usado ante e o aciona, dessa vez procura outra coisa.

(Off: Testa Investigação+21+dado+2desafiador da Tormenta contra Localizar Criatura CD27, 180m de raio, dessa vez para achar humanoides.)

*Greed'son guia o grupo em busca de cultistas ou prisioneiros, parando de vez em quando para acionar o aparelho de novo.*

Greedson descobre pelo efeito que há pelo menos 30 humanoides na mansão. A maioria está espalhada em pequenos grupos pelo local, alguns fixos em algum lugar outros se locomovendo. O maior grupo é de aproximadamente 13 humanoides que estavam parados em um único lugar.

—Trinta alvos pela casa. Ao menos 13 reunidos. Vamos apanhar um e fazê-lo falar antes de tentar um ataque. - determina o erudito.

*Greed'son aponta a direção e arma o grupo para capturarem um humanoide, onde o golem-de-ferro alterado ajudaria a contê-lo.*

—Tenho minhas duvidas se qualquer interrogatório vai ser eficiente, mas de qualquer forma precisamos avançar com calma agora. Espero que os inimigos não tenham uma ligação tão forte com o resto que é lefeu por aqui, ou então não conseguiremos impedir que descubram nossa localização com facilidades...

Aeron então vai em direção à porta do local, tomando cuidado de tentar notar se qualquer um dos inimigos esta próximo do local.

(OFF: uso percepção enquanto avanço, para tentar perceber algum inimigo antes de encontra-lo diretamente...)


*Olivia segue Aeron e diz em tom baixo para que apenas eles escutem*

—O interrogatório pode funcionar se ameaçarmos remover o simbionte sem auxilio mágico e sim no cru, como os médicos de salistick fazem, fizemos isso com um infectado uma vez, ele disse até o nome da avó dele... Só que o processo é repulso, só de me lembrar do thomas fazendo sinto náuseas.

—Primeiro: captura; só depois interrogamos. Tudo dependerá se tiver um simbionte e qual tipo for. - acrescenta o artífice.


Vocês seguem para onde está apenas um humanoide e se preparam para emboscá-lo. Vocês estão em um corredor cujo carpete era feito por centenas de línguas costuradas juntas e nas paredes de carne viva estavam quadros com molduras de tendões que mostravam cadáveres mutilados. O corredor fazia uma curva e Greedson percebeu com sua habilidade que ele ainda era apenas um humanoide e estava vindo em direção a vocês.

Vocês começam a preparar a armadilha quando Aeron presta atenção e ouve vários passos vindos pelo corredor. Eram pelo menos 10 pessoas.

Preparando a armadilha junto com o grupo, Aeron nota que um número bem maior de inimigos se aproxima, e então diz em voz baixa:

—Eu estou ouvindo mais deles se aproximando. Não dá pra ter certeza, mas acho que pelo menos uns 10 inimigos estão vindo em nossa direção. Preparem-se, pode ser que tenhamos que enfrenta-los antes de conseguir qualquer captura...

Aeron segura firme sua katana, avançando cautelosamente junto aos outros, esperando a melhor hora de agir...


*Olivia saca sua espada e se prepara para o ataque, esperando que os seres se aproximassem*


Francesca enquanto ouviam os indivíduos chegando, começa uma prece a Khalmyr

—Grande Khalmyr, Mostre aos meus incrédulos companheiros como é grande sua benevolência e força. Dê a eles força para levar a Justiça a esse lugar profano

[OFF: Francesca usa Força do Touro em Massa]


—Bem, a vida é feita de imprevistos. Rápido, por aqui. Fiquemos preparados. - diz o artífice guiando o grupo de volta procurando um ponto fora de vista.

*Greed'son tenta leva-los para outro espaço para não serem descobertos.*

(Off: Testa metalurgia+32 contra Arrombar e Investigação+21+dado+2desafiador da Tormenta contra Encontrar o caminho, SUCESSO EM AMBOS, creio eu!)


(Off: Encontrar o caminho para o quê? O coração? A saída? A joia? O cofre? )

Teste de furtividade de Aeron: 28+7-2=32. (a penalidade de 2 foi por Greedson ter subitamente feito uma mudança de planos quando todos os demais se preparavam para uma emboscada).

Teste de percepção dos inimigos: 36.




Quando todos se preparavam para realizar a emboscada, Greedson começa a se afastar tentando puxá-los, Isso0 fez com que Aeron se descuidasse por um instante e pisasse em uma artéria pulsante que havia no chão, a artéria estoura vazando um sangue fétido e fazendo um pequeno som quase inaudível, Mas uma sequência de passos vindo nas direções de vocês mostra que o som foi ouvido.

Subitamente surge diante de você a fonte dos passos. Vocês veem quatro criaturas que um dia já foram centauros, mas hoje são aberrações completamente inumanas com corpos completamente insetóides e nenhum traço de pele normal e em cada mão uma espada de matéria vermelha. Logo atrás deles uma elfa com um vestido de seda verde com lindos cabelos púrpuras compridos e um sorriso extremamente doce e acolhedor. Ela fala em uma voz que parecia a mais doce canção da existência.

—O que temos aqui? Mas dos pequenos incômodos que estão invadindo nossa linda morada. Meninos e meninas, querem fazer parte da decoração?

Vocês notam que as paredes do local começam a pingar sangue ácido que não está ferindo os centauros e a elfa.



(Off: Os centauros são criaturas da tormenta portanto são do tipo monstro por isso Greedson não pôde sentí-los com o entir humanoides. E no total são 4 centauros e a elfa. cinco pessoas, mas 10 pares de pés. Por isso Aeron achou que fossem 10 inimigos.)



(Off: Agora admito, ficou bem bolado, cara.)

"Isso faz sentido." - concluiu Greedson em pensamento enquanto erguia a manopla esquerda contra o teto e esmagava um fraco liberando um ar-molhado que ungiu a todos, curando os ferimentos momentâneos.

(Off: Testa Medicina+25+dado+2desafiador da realidade aberrante, Cura+ contra Curar ferimentos leves em massa CD30. Sucesso, recupera 1d8+9 pvs em todos. Caso falhe, aind atem direito a outro tete graças ao talento Solução Sagaz.)

Estando o problema do ácido parcialmente solucionado, dispara com sua arma especial, previamente preparada ao saírem do túneis.  A bala especial voa enquanto o tambor triplo gira dando mais dois disparos seguidos. Elas encontram o espaço do corredor adiante em que os centauros estão explodindo e o acertando indiretamente. Mas não era só isso.  Ao detonarem, cada capsula revela um poder surpreendente, inundam o espaço adiante.

(Off: 3 tiros Pistola+22 contra CA10 da área, dano da balas: 2d6+8int+11nível, 19-20/x3, alc. 15m, Perfuração, Implementada _ Explosiva _ 3m, Acessibilidade da balas _ Área Escorregadia, Cone Glacial, Cólera da Ordem.)


—Como ousam profanar seus próprios corpos. Que a fúria de Khalmyr recaia sobre seus pecados e os destrua!!!

[OFF: Francesca usa Colera da Ordem.]


Magias Preparadas:
Nível 0: Brilho, Consertar, luz, Detectar magia, Detectar Venenos.

Nível 1: Criar água, Curar ferimentos leves, Detectar armadilhas, Detectar o mal, Detectar o Caos, Suportar elementos

Nível 2: Consagrar, Condição, Restauração menor

Nível 3: Soco de Arsenal, Respirar na água.

Nível 4: Curar ferimentos críticos, Destruição sagrada, Cólera da ordem**, Remover veneno.

Nível 5: Penitência, Santificar.

Nível 6: Força do touro em massa**, Missão, Palavra de recordação

Nível 7: Palavra sagrada.

Nível 8: Aura sagrada, Curar ferimentos críticos em massa, Tempestade de fogo,

Nível 9: Cura completa em massa, Invocar monstro IX, Ressurreição verdadeira, Tempestade da vingança.


As magias marcadas com dois asteriscos (**) já foram usadas.


*depois dos ataques de seus colegas olivia e ataca um dos centauros*



--Vamos acabar logo com esse incomodo...

Rapidamente, Aeron se põem em posição de combater os inimigos, e com uma velocidade impressionante e tecnica impecavel, movimenta sua espada, causando uma verdadeira tempestade de laminas em seus inimigos, esperando acabar com o maximo deles de uma vez...



(OFF: lembrando, eu tenho desafiador da tormenta, então ganho +e em ataque e CA enfrentando eles.

Primeiramente eu uso sem mente (teste de vontade, minha VON=21) para aumentar cada um dos meus ataques.

tabela:
20 a 24 (+2d6)
25 a 29 (+3d6)
30 a 34 (+4d6)
35 ou mais (+5d6)

Então eu uso ataque poderoso.


Não sei quão longe eles estão, mas minha arma acerta a ate 9 metros, então se eu puder atacar sem me movimentar eu ataco usando meu golpe de execução e rajada de golpes, ficando +48 (dano: 4d8+42+xd6(sem mente), crit.16-20, x4; Alcance 9m) +44/+44/+44 (dano: 4d8+32+xd6 (Sem mente), crit.17-20 x3; Alcance 9m). Caso contrario, eu me movimento para ficar proximo o suficiente, mas ainda longe dos ataques de area do meu grupo, e ataco da mesma forma (mas sem golpe de execução), ficando +44/+44/+44 (dano: 4d8+32+xd6 (Sem mente), crit.17-20 x3; Alcance 9m))




Com seus ataques vocês conseguem eliminar todos os centauros, mas a elfa parecia não ter sofrido nada. Ela simplesmente sorri e anda lentamente em direção a vocês.

— Nossa, vocês realmente são poderosos. Acabaram com eles em um piscar de olhos.

Ela então fica de costas e anda despreocupada como se estivesse pensando.

— Vocês merecem um prêmio, mas o que devo dar a vocês?

Ela então estala os dedos como se tivesse tido uma idéia.

— Já sei. Posso levar vocês para ver o senador Rêgulus Ostório. Ele está meio ocupado agora, mas acho que consigo apresentar vocês para ele. Ele é uma pessoa muito gentil. E então? O que me dizem? Garanto que não vou deixar ninguém da mansão fazer mal a vocês, são meus convidados.


( Off: Só um lembrete: Rêgulus Ostório é o senador tapistano dono da mansão e possível líder do local.)



—Hum... o senhor do castelo deve exercer seu poder por todo ele, e a moça como sua protegida não deve sofrer nenhum mal, apenas sua proteção. Mas, não descartarei a possibilidade dela poder ser algo mais. - Greed'son dividiu baixo com os demais, recarregando a arma e a pondo em eu coldre, para em seguida responder:

—Por favor, nos conduza, senhorita. - pediu, já sabendo que entrariam na boca do lobo, mas achando que seria o mais fácil para encontrar a joia da Tormenta, o coração da Tormenta e o próprio Rêgulus.

—Comam isso e venham.

* Greed'son segue com a moça com as armas guardadas e divide mais barras daquele estranho alimento de antes com os outros, e borrifa um óleo no golem.*

(Off: Novamente usa em todos e em si Sabedoria da Coruja em Massa, Sabedoria +4, e no golem aplica Lâmina afiada.)


*Olivia olha par greedson e diz:*

—Vamos atrás dela, sem mustang e os outros? Não seria insanidade fazer isso?

*Olivia Vira para Francesca e diz*

—Você pode Trazer Mustang até Nós? Por que não faz isso agora ?

*Olivia come meio desconfiada o greed'son Lhe da: e segue o grupo esperando a resposta de Francesca*

—NÃO. - Fala Greedson em tom sério. - Trazer Mustang agora sem saber a situação dos outros, que se encontram em combate, iria desfalca-los. Além do que, eu sou Greed'son, ambicioso, inventivo, destruidor de mundos, saberei reagir à altura. - responde repleto de si.

*Ela olha para Greed'son e diz*

—Você poderia ser filho de Keen em pessoa, mas eu não acho certo irmos para boca do lobo sem dois de nossos conjuradores, além do que, se eles estiverem em perigo e chegarem até aqui, com certeza vão achar mais problemas...  E nós vamos deixa-los a própria sorte?  Pode não considerar seus companheiros importante seu crápula, mas os meus são de importância vital, é assim que exercito de Yuden funciona... Não deixamos nenhum soldado para trás.

O déspota caminhava analisando a estrutura local e, de repente, achou que algo na fala da clériga havia algo de importante. Disse enquanto tramava o futuro deles:

—Keen? Quem importância há em citar a prole de um suposto deus? Que lealdade há em tirar o poder de fogo dos demais abandonando-o sem os dois conjuradores que você deseja para uma missão que é nossa responsabilidade? Menina, se deseja vencer uma discussão deveria dizer: tragamos todo grupo agora, para atacarmos todos juntos. Se puder fazê-lo, faça agora e deixe de perturbar-me. Estou ocupado decidindo o futuro desse mundo E O QUE VOU FAZER COM ELE.

*Seguia a mulher tentando ler a estrutura-viva e achar seus pontos de sustentação pelas salas que atravessavam.*

(Off: Testa conhecimento_Tormenta+37 e Metalurgia+32, para saber se usar Despedaçar, Criar Passagens e Lama em Pedra poderia causar dano efetivo.)

*Olivia olha para Greed'son e diz"

—Talvez tenha me expressado mal, mas seria bom trazermos todos até aqui? Não quero ir ao centro disso sem os outros...

—Já disse, se puder faça, e não me interrompa.

*Olivia olha para ele e diz*

—A clériga poderia pedir ao palerma da justiça para Trazê-los aqui, ou o Banana Mor não tem como fazer isso?
Por que Keen faria isso de olhas fechados, já vi Thomas fazer algo como isso quando estávamos em uma área de Tormenta...

Aeron caminhava quieto, prestando atenção no caminho que seguiam e na elfa inimiga. Diante da discussão que se gerava, e depois da fala de olivia, ele simplesmente diz:

—Pare com essa atitude infantil, agir desa forma não vai ajudar em nada o cumprimento da missão.


Francesca ouvia a discussão entre os hereges, mas pouco importava. O futuro de Arton novamente dependia das ações de poucos. Não poderia clamar por milagres de Khalmyr sem antes saber do que se tratava. Não era sensato. Caminhava seguindo a elfa com uma mão na sua espada, enquanto fazia pequenas preces a Khalmyr.

[OFF: Francesca prepara um Palavra Sagrada]

Magias Preparadas:
Nível 0: Brilho, Consertar, luz, Detectar magia, Detectar Venenos.

Nível 1: Criar água, Curar ferimentos leves, Detectar armadilhas, Detectar o mal, Detectar o Caos, Suportar elementos

Nível 2: Consagrar, Condição, Restauração menor

Nível 3: Soco de Arsenal, Respirar na água.

Nível 4: Curar ferimentos críticos, Destruição sagrada, Cólera da ordem**, Remover veneno.

Nível 5: Penitência, Santificar.

Nível 6: Força do touro em massa**, Missão, Palavra de recordação

Nível 7: Palavra sagrada**.

Nível 8: Aura sagrada, Curar ferimentos críticos em massa, Tempestade de fogo,

Nível 9: Cura completa em massa, Invocar monstro IX, Ressurreição verdadeira, Tempestade da vingança.


As magias marcadas com dois asteriscos (**) já foram usadas.



Vocês começam a seguir a elfa e ela olha Greedson abrindo buracos nas paredes e Francesca invocando energia sagrada em suas mãos. Ela simplesmente sorri.

— Senhor da máscara de ferro, pare de cutucar nosso prédio. Ele pode não gostar. E senhorita, por que parece que você vai tentar me atacar? É só impressão minha? Ah, tanto faz. Venham por aqui.

Ela leva vocês pela mansão, em alguns momentos um grupo de centauros e outras raças corrompidas encontram vocês e fazem menção de atacar, mas com um gesto da elfa eles param e voltam as suas vigílias como se vocês não existissem. Após algum tempo andando vocês são levados a um grande saguão que lembra bastante uma sala do trono. Vários seres corrompidos de todas as raças, mas principalmente minotauros, humanos e lefous estão em diversas atividades, alguns estão ajoelhados como se rezassem, outros estão dançando cânticos frenéticos e outros simplesmente se contorciam no chão como se estivessem com convulsões. O chão era feito de ossos, a parede era de carne e olhos, e do teto pendiam diversos tentáculos se moviam aleatoriamente, o local pingava matéria vermelha que não feria vocês e parecia havia uma fina névoa que era quase imperceptível.

Do outro lado da sala sentado em um trono feito de dentes arrancados estava um minotauro em uma toga tapistana branca com azul incrivelmente bem elaborada, ele exalava um ar de majestade que se esperaria de um rei, ou tirano. Ele estava rodeado por belas humanas em trajes sumários que atendiam seus desejos e rodeando-o haviam dois demônios da tormenta que pareciam um amontoado de membros e armas, vocês os reconhecem como dois Vuroktrils, um dos tipos mais poderosos de demônios da tormenta, cada um capaz de dizimar um exército. Acima do trono havia um símbolo sagrado de Tauron completamente corrompido. A elfa que os guiou abre alas e o minotauro sorri e fala com a elfa.

— Jelina minha bela elfa, sempre trazendo visitas sem me consultar antes.

Ele então se volta para vocês exalando confiança.

— Vocês devem saber quem eu sou mas me apresentarei mesmo assim, Sou Rêgulus Ostório, senador de Tapista e senhor desta mansão. Mas digam-me, meus caros, em que posso ajudá-los?



(Off: Olivia falhou no teste de vontade contra a insanidade dos vuroltrils e perdeu 12 pontos de insanidade. Ela está sofrendo de ansiedade: expectativa de derrota: -2 de penalidade em jogadas de ataque, testes de resistência, perícias e testes de habilidade.

Off: Aeron e francesca por alguma razão começam a se sentir enjoados. Mas fora isso nada parece anormal (ou pelo menos mais anormal do que o que vocês notaram).




Enquanto andavam para o local, Aeron começa a se sentir mal. Ele não sabe o porquê disto, mas conhece a tormenta bem o suficiente para saber que nunca é bom subestima-la. Com a voz num tom baixo, ele diz para os colegas:

—Esse lugar esta me dando uma sensação de enjoo estranho que não me é comum mesmo nas áreas, não sei o porquê, mas isso não parece um bom sinal...



(Off1: Era um simples teste de conhecimento, não queria ser mal educado. ¬¬ )

(Off2: O golem é de aço, não de pedra.)

(Off: Greed'son passou no teste de resistência?  )


Tudo aquilo era devera interessante, havia chegado a um ponto importante e já era hora de verificar algumas suspeitas.

*Greed'son se aproxima até onde a guarda permite e então, após um cumprimento, e dirige com especial interesse.*

—Senator, o senhor deve desconfiar o que nos trás aqui e o que deveremos vir a fazer, mas tenho motivações pessoais que em nada interessam as minhas partes, e se me permitir, farei-lhe uma pergunta. - Greed'son aguarda para ver e haverá a oportunidade e só então prossegue.

—Como começou tudo isso, senator? - abre o braços indicando os arredores.




(Off: Sim passou no teste. Todos passaram, exceto a Olivia. )


Rêgulus sorria com a indagação de Greedson.

— Sei sim. Vocês vieram me matar e a todos aqui presentes. Dá para ver pelos seus colegas dizimando minhas tropas do lado de fora. Mas eu tenho certeza que não o farão. E o motivo para isso está na resposta da sua segunda pergunta.

Ele acena com as mãos para o salão ao redor de vocês.

— "Como começou tudo isso?" essa foi a sua indagação. Bem a resposta é simples. Estou fazendo isso pela única razão que vale a pena. É a única forma de salvar Arton.


Os vulktrill eram interessantes, ma o prédio era ainda mais, embora dedicasse uma fagulha de pensamento em como dissecá-los mais tarde, agora precisava se ater a situação.

—Senator, sim, sua morte poderiam estar incluídas me nossa tarefa, ma o importante aqui não é matar artoniano, é impedir a formação de outra área de Tormenta. Se pudermos destruir o coração e garantir que a área não se formara, não haverá confronto direto. Embora, creia eu, não seja isso que um senator de Tapista escolheria. Eu desconfio de seu motivo, para render-se a tal poder alienígena, a proteção dos seus, não? Mas, por favor, poderia ser claro para meus colegas atrás de mim.


O senador tapistano olha para Greedson e os demais e fala.

— Vocês sabem a resposta para esta pergunta, apenas não se deram conta disso ainda. Então me digam meus caros. Como se formou a área de Tormenta mais recente? E qual foi o custo da destruição da área de tormenta de Tamu-ra?


Francesca observava a conversa entre Greed'son e o senador. A energia da magia brilhava em sua mão quase como se implorasse para ser dispersa. Para acabar com esse horror.

-- Como ousa denegrir os ideais de Tauron? Acredita ser mais forte por se unir a Tormenta? Pois saiba, Senador, que o senhor não passa de um fraco. Um ser que DEVE ser protegido. Ouça as palavras de Khalmyr e arrependa-se de suas ações!!!!

[OFF: Francesca usa a magia preparada Palavra Sagrada]

Magias Preparada:
Nível 0: Brilho, Consertar, luz, Detectar magia, Detectar Venenos.

Nível 1: Criar água, Curar ferimentos leves, Detectar armadilhas, Detectar o mal, Detectar o Caos, Suportar elementos

Nível 2: Consagrar, Condição, Restauração menor

Nível 3: Soco de Arsenal, Respirar na água.

Nível 4: Curar ferimentos críticos, Destruição sagrada, Cólera da ordem**, Remover veneno.

Nível 5: Penitência, Santificar.

Nível 6: Força do touro em massa**, Missão, Palavra de recordação

Nível 7: Palavra sagrada**.

Nível 8: Aura sagrada, Curar ferimentos críticos em massa, Tempestade de fogo,

Nível 9: Cura completa em massa, Invocar monstro IX, Ressurreição verdadeira, Tempestade da vingança.


As magias marcadas com dois asteriscos (**) já foram usadas.


*Olivia olha para Francesca assutada e diz:*

—Não faça isso não estamos todos aqui, não temos chance com o numero que estamos... Não podemos vencer se não estivermos todos aqui...


Francesca olha com repudia para Olivia, mesmo sabendo que aquela era a atitude mais sensata a se fazer. Talvez sua escolha pudesse levar todos a perdição. A energia ainda flui de forma furiosa em suas mãos, pronta para fulminar aquelas criaturas devassas.

[OFF: Francesca mantém Palavra Sagrada preparada]



O senador não mostra nenhum medo com o movimento de Francesca. Ele se aproxima da jovem e fala olhando em seus olhos.

— Você me chama de fraco senhorita? Você diz que eu devo ser protegido? Pois saiba que você está absolutamente correta.

Ele então vai até o trono e se apoia cansadamente.

— Eu tive que tomar essa decisão pois não havia outra forma de salvar o império de Tauron e o reinado. A tormenta não pode ser parada, vocês sabem disso melhor do que ninguém. Ela matará todos nós. Perto delas somos todos fracos, se resistirmos ela vai massacrar todos nós, como se pisasse em insetos. Nem todos são tão poderosos quanto vocês, existem milhões de aldeões e escravos que não tem a menor chance de sobreviver. Mesmo os melhores guerreiros de Arton não poderão defendê-los.

Ele se volta para vocês chorando.

— Somos todos fracos, mas eu entrei em contato com Gatzvalith. Em troca de trazer o coração para cá e criar o culto ele irá poupar os moradores do império. Seremos escravos, mas isso salvará as vidas de toda a população de Tapista. Era a única forma que tive de defender meu povo. Nada mais pode ser feito.

Ele então senta no trono ainda chorando e fala.

—Se acham que estou errado me digam. Como se formou a mais nova área de tormenta? E como a área de tormenta de tamu-ra foi destruída?


Francesca observava aquele minotauro como quem olha uma criança travessa.

—Concordo com o senhor em uma questão. Nem todos são tão poderosos como nós. E isso faz com que seja NOSSO DEVER proteger aqueles que são fracos. É dever do forte proteger o fraco, mas não é dever do fraco servir ao forte. O fraco também pode se tornar forte. Pegue um galho e ele se quebra facilmente. Pegue muitos galhos e não vai quebrar tão facilmente. Pegue ainda mais galhos, e será impossível quebrar, não importando a força exercida... - A Energia ainda lutava para ser liberada - É isso que quero dizer, Senhor Senador. O senhor é Rêgulus Ostório, Senador do poderoso Império de Tauron e mestre daqueles que desejam sua proteção. Não é vergonhoso sentir medo, todos já sentimos algum dia. Mas juntos seremos mais fortes. Assim como o Exército de Deuses liderado pelo Cavaleiro da Luz foi capaz de vencer em Tamu-ra. Seremos capazes de vencer se deixarmos nossas diferenças de lado e formos todos ARTONIANOS. Agora peço que nos deixe acabar com esse foco. Poderemos ajudar o senhor e os seus servos.

Francesca aproximasse com extrema cautela do Senador.

[OFF: Mantém a Palavra Sagrada preparada. Ando com extremo cuidado fazendo testes de Percepção para caso de um eventual ataque, utilizar a magia]


*Olvia resguarda seu ssilencio e apenas olha abismada para grande minotauro que se debrulha em lagrimas a sua frente e reflete o mesmo horror que habita dentro dela sera que ele estaria certo?*


O senador continua a chorar e não se abate com a aproximação de Francesca.

— Você não vê? Foi preciso um exército de DEUSES para deter UMA área de tormenta. Mas muitos deles morreram lá. Não pode ser feito novamente. E eu sei sobre a área no norte. VÔCES, poderosos como são, não puderam fazer nada. Cada um de vocês sozinho tem a força de dezenas de exércitos, mas contra a tormenta não puderam fazer nada além de fugir. QUE CHANCES OS EXÉRCITOS DO REINADO E DO IMPÉRIO REUNIDOS TEM CONTRA ISSO?

Ele abraça Francesca, chorando, frágil e tremendo como uma criança.

— Não temos esperança... Não temos esperança... Não há nada que nenhum de nós possa fazer.


—Você esta enganado, se nós conseguimos uma vez conseguiremos de novo, temos artonianos que seriam deuses se quisessem, pois tem poder para isso, Orion Drake não é o unico que pode levar temor e fúria ao coração da Tormenta, nós também podemos, nós somos tão capazes quanto e Lutaremos até nosso fim, eu estava naquela armada de deuses, eu lutei, sofri e sangrei e venci, vi o mundo vermelho desabar ao nosso redor depois da queda de crânio negro, tudo isso feito por um homem que teve fé em seus ideais... E sei que existem tantos iguais a ele e agora o nosso líder é ninguém mais ninguém menos que o Líder dos Libertadores de Valkaria, Lucian Silloheron...
Aquele que viu e conseguiu triunfo, onde muitos só encontraram morte e destruição, não caia senador, seja forte de a seu povo a chance de vencer, de a chance de que novos artonianos clamem o seu nome e os de vários outros heróis que lutar para que a Ultima libertação acontecesse.  A libertação contra o Mal da tormenta....

*Olivia se mostra determinada e confiante apesar da duvidas em seu coração, e tenta mostrar que mesmo agora existe possibilidade de vitória.*


Aeron observava o caminho inesperado que aquilo tomava. Diante de tudo, ainda segurando sua espada e prestando atenção ao seu redor, ele diz:

—"É verdade que somos fortes, e também é verdade que essa força ainda não é o suficiente, mas não esqueça que todos nós já fomos fracos um dia. Cada um aqui passou pelos piores desafios, e a ultima área não foi nossa primeira derrota... Cada luta que eu perdi, cada companheiro que eu não fui capaz de salvar, cada inocente que sofreu na minha frente sem que eu pudesse reagir, eu me lembro de cada um deles, e é por isso que eu continuo lutando, porque não quero ver isso continuar e não ser capaz de fazer nada...

O senhor tem medo do que pode acontecer aqui, e esse medo é compreensível. No entanto, o medo não deve consumir você, ele deve ser o combustível para que você possa se tornar mais forte, mas esse crescimento deve ser real, buscar apoio num inimigo como a Tormenta é apenas uma ilusão temporária. Se não formos capazes de enfrenta-los por nossas próprias forças, aquilo que é lefeu apenas vai acabar com tudo que é artoniano... Se precisarmos nos tornar mais fortes que deuses, é isso que faremos, mesmo que leve tempo..."


"Tolos, todos eles." - refletia Greed'son. Apoiava e achava o espírito inabalável dos aliados temporários encorajador, mas a verdade era que apesar do massacres, da destruição e de muitos anos de penúrias futuras, a Tormenta não destruiria Arton. Mas não valia a pena revelar algo tão valioso. Não quando ele tinha tanto a ganhar. O que o levava a penar também: "Mas, não sou o único a saber essa verdade. Quando será que deveria revela-lá? Com certeza, não aqui, nem agora."

Assim, o déspota guardou seus pensamentos para si enquanto tramava. Com certeza não sairia dali assim. Tinha vindo por um único motivo e não e desviraria por sentimentalismo barato.

*Greed'son olha ao redor tentando identificar o coração da Tormenta.*

(Off: Testa Conhecimento Tormenta+37, Percepção+34 e Investigação+25 para Discenir Localização.)



Senador Rêgulus olha para vocês e para os dois Vuroktrils.

—Vocês não entendem, não posso arriscar meu povo, se eu disser onde está o coração isso vai invalidar meu acordo com Gatzvalith e ele irá chacinar Tapista. Esses dois demônios estão aqui para me vigiar, se eu trair Gatzvalith ou atacá-los ele saberá. Como vocês resolveriam isso? Como eu poderia arriscar meu povo assim? Eu...

Ele abaixa a cabeça e fala.

—O coração da tormenta é a imitação do símbolo de Tauron que está acima do meu trono... ele transformou minha mansão nessa monstruosidade, e está tentando corromper todos vocês enquanto falamos.

_________________
"Força Bruta: se não funcionou, é porque você não usou o bastante"
-Um sábio...
avatar
Tahlus
Mentor
Mentor

Mensagens : 102
Data de inscrição : 14/11/2013
Idade : 27

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Última Libertação - 1ª Fase

Mensagem por Tahlus em Dom 17 Nov 2013 - 16:17

Capítulo X


Grupo de ataque


Vendar, Mustang, Dante, Shura e o clérigo Thomas (onde está a ficha dele?) se aproximam da propriedade. Eles veem algumas tropas de minotauros e humanos fazendo rondas e vigiando os portões. Todos vocês notam pelo porte dos soldados que eles bem mais treinados que a média. Mustang nota que vários deles devem ser tão fortes quanto membros da primeira companhia de Yuden, se não mais. Vendar fala olhando para vocês:

—Ainda temos 5 minutos antes dos efeitos dados pelo Greedson acabem. Como será nossa aproximação?

Thomas olha para Mustang.

—Um beijinho para dar sorte?


—Se devemos atacar, que ataquemos agora com toda as forças. - Fala secamente Shura. - Eles são tapistianos e não irão se integrar, mas não podemos deixa-los perceber. Iremos com tudo, para vencer. Devemos levar em conta que o grupo de infiltração também pode falhar e por isso devemos sobrepuja-los aqui. - aponta o golem entrando em posição ofensiva.

—Irei primeiro. Mustang, usaria esse seu poder mágico para ataca-lo com raio enquanto os distraio? Não me causara mal e ira me fortalecer, além de cuidar dele.

*Shura tenta dar a volta e chamar do maior grupo, deixando-os cegos contra um ataque furtivo dos outros.*

(Off: 6 pancadas+21, dano: 2d6+5for+1prótese+9nível+2arma mágica maior cada, 14-20x2.)
(Off2: CA37, -1Grande -1Des +10natural +4próteses +9nível+4armadura arcana.)



Arngrim escutava com atenção as ordens. Fazia um bom tempo desde que exercitara, pois Francesca era muito rigorosa nos combates. O tédio já consumia o Mercenário quando ele parte em direção do maior grupo.

—Até quando vocês afeminados vão ficar ai debatendo. Não é hora de debater, e sim DE BATER. hahahahahahaha

Estava contente. Começaria o que sabia fazer de melhor. Matar.

*Mustang olha extremamente irritado para Thomas e diz*

—Se quiser um beijo de Boa sorte peça que Olivia lhe de um seu pederasta, Com tantos clérigos para trazer ela tinha que trazer você!!!

*Mustang segue as instruções do Golem e ataca sem se importar com aqueles que estão por perto*

{Mustang usa o poder de suas luvas para soltar duas bolas de fogo maximizadas onde estão os soldados e como é habilidade das luvas eu apenas usa pms para maximiliza-las e não para solta-las}

*Dante apanha Ragnarok ma forma de espada e fala*

—Então vamos nessa!

Off: Eu rolei vários testes aqui pois no momento é inviável rolar o combate rodada por rodada. Então vou só descrever os resultados para não dizer vários X+y=z, causou a de dano.


Quando vocês todos partem para cima dos oponentes Vendar seguem sem dizer nada sacando uma espada que pingava matéria vermelha da tormenta.

Mustang começa lançando suas magias, vários guardas são incinerados antes que pudessem reagir, mas o número de mortes é bem menor do que o general antecipara.

Dante então se aproveita que os inimigos estão distraidos pela magia de Mustang e salta entre eles girando sua lâmina como se fosse um tornado em forma de elfo. Várias placas metálicas e as costelas por baixo delas são cortadas como se fossem de papelão.

Os inimigos finalmente começam a reagir e rapidamente se agrupam. Um grupo vai a frente com lanças enquanto outro grupo dispara bestas à distância. Eles são bem habilidosos e apenas Dante evitou todas as flechadas e golpes de lança que foram contra ele.

Angrim Avança com sua gigantesca espada e atravessava vários inimigos a cada golpe. Em um momento os minotauros o cercaram, mas só para se arrepender quando cada golpe da espada Gram matava cinco deles.

Vendar lutava de maneira parecida com sua espada e também parta os inimigos como se golpeasse o ar.

Shura socava e socava e se impressionava em como os oponentes eram duros na queda.

Thomas evitou atacar e se precupou em curar os ferimentos de Mustang. O general nao deixou de notar que cada vez que o clérigo tentava curá-lo ele sutilmente acariciava Mustang. (ainda não achei a ficha dele, então considerei que ele ficou só curando Mustang)





Vocês então começam a causar Grandes baixas aos oponentes, quando aproximadamente metade deles estava no chão vocês ouvem:

- ATIVAR GOLENS!!!

Imediatamente as estátuas do jardim começam a se mexer e logo dezenas de minotauros de mármore se unem aos soldados que vocês enfrentavam, o que tornou a luta mais equilibrada. Subitamente em meio aos oponentes surge um Minotauro de porte mais poderoso fechado em uma grande armadura metálica e portando um escudo brilhante numa mão e uma lança envolta em fogo e relâmpagos na outra. Ele fala por um elmo que não permitia ver seu rosto.

- EU SOU PLERONIUS MUGTARON. CAMPEÃO DO COLISEU E MATADOR DE 500 HOMENS! QUEM SÃO VOCÊS QUE OUSAM NOS DESAFIAR?


(((Mustang levou 12 de dano, Vendar 102, Shura 60, Thomas 36, Aigrim 57.)))



—Eu - nós - somos a carne e o retalho das almas dos mercenários órfãos de Lamnor. - responde o golem antes de avançar contra os soldados que iam de contra a Mustang e o clérigo.

*Shura faz um ataque de carga para ficar em meio aos inimigo que iam de contra o conjuradores, depois segue com sua tempestade de golpes.*

(Off1: Após o encontrão, assim que pode, queima um ponto de ação para desferir 24pancadas+16 com explosão elétrica, 3m, CD27, dano: 2d6+5for+1prótese+9nível+2arma mágica maior cada, 14-20x2.)

(Off: Cada crítico entre 14-20 desfere a explosão elétrica concedendo ¹/³ do dano em pvs para Shura.)

(Off2: RD5/adamante, CA37, -1Grande -1Des +10natural +4próteses +9nível+4armadura arcana.)




—Matador de 500 homens? HAHAHAHAHHAHAHAHAHA!!!!!! Apenas isso????? Vocês bois estufam o peito por nada... Mas já que falou seu nome, eu me chamo Arngrim, O Mercenário. Combati na Revolta dos Três e minha lâmina Gram e eu somos encarregados de enviar para os Reinos dos Deuses aproximadamente 10.000 criaturas, entre homens, monstros e coisas mais bizarras. Se você tem amor ao seu título, saia da minha frente ou será esmagado também -  Arngrim estava empolgado. Fazia tempos desde que a portadora do Coração o libertara. E ele queria se esticar.

Enquanto Arngrim fala, gira o cabo da espada para dar um novo golpe.

—Então, Matador de 500 homens, vai ficar na minha frente e ser o 10.001?

[OFF: Uso investida (+41 para acertar) e em seguida gasto 1 ponto de ação para atacar novamente com Ataque Duplo (+36/+36 para acertar).]


*O elfo continua atacando sem piedade até não restar mais nenhum atacante corpo a corpo*

( OFF: não esqueça que minha arma nesta forma é da enrgia brilhante. Logo mais postarei a ficha no tópico certo, para facilitar tudo.)

*Mustang se afasta um pouco de de thomas e diz*

—Por keen, Homem!!! Estamos em meio de uma batalha, pare com isso e me deixe em paz... Os outros precisam de ajuda...

*Mustang usa raio polar maximizado e potencializado no minotauro armadurado evitando atingir quaisquer membros do grupo*


*Antes de Mustang se afastar Thomas sensualmente morde a orelha dele e sussurra em seu ouvido*

—Fique aqui minha Gracinha e tente não se machucar muito eu vou cuidar disto e depois vamos ter uma conversa mais intima em um lugar menos agitado...

*Thomas Puxa a maça e usa soco de arsenal maximizado no minotauro *


Mustang dispara sua magia no minotauro, um verdadeiro raio congelante cuja mera passagem congelava as gotículas de água presentes no ar. O minotauro é atingido em cheio levando 125 de dano. O raio para no peito do monstro, Mustang sente que a armadura dele bloqueou uma pequena parte do dano, mas mesmo foi um golpe forte o suficiente para matar um mamute.

Dante se preocupou em golpear os soldados e golens presentes e causou bastantes estragos em suas fileiras, mas os golens se mostraram um pouco problemáticos.

Pleronius riu da magia de Mustang.

— Seu inseto. Nem diz seu nome e ainda me ataca com esses truques de circo. Se você não estivesse invadindo a mansão de meu mestre, um crime punível com a morte, eu teria é vergonha de manchar minha espada com seu sangue inferior.

Ele então se volta para Angrid.

—Mas você demonstrou ser um oponente à altura. Matador de 10000 homens? Então deixe-me corrigir. Eu sou Pleronius Mugtaron, matador de 500 CAMPEÕES!

Ele então avança antes que Angrid tivesse tempo de se aproximar e começa a golpear com sua lança. Ele atinge Angird causando vários danos, mas o guerreiro também sente que a arma que ele usava estava drenando sua força vital e curando o minotauro. Angird levou 110 de dano e dois níveis negativos. Angrid curou 110 de dano.

Os inimigos apesar do número bastante reduzido conseguem causar bastantes danos aos heróis.

Angrim leva os golpes de Pleronius mas isso não para seu próprio ataque causou 340, ele notou o inimigo ignorando parte do dano, o minotauro era bem resistente.

Vendar não parava de golpear os golens mas fitava com atenção o minotauro. Ele parecia preocupado com algo. Vocês notam os ferimentos do desafiador se fechando devido ao poder do simbionte, mas ele ainda estava levando danos pesados.

Shura quase foi destruído pelos ataques dos soldados mas as explosões elétricas de seus punhos ainda o mantinham lutando.

Thomas golpeia o minotauro mas o guerreiro simplesmente segura seu soco com a mão. Pleronius fala:

- Eu não tenho interesse em porcos inferiores. Saiam daqui e não atrapalhem o combate entre dois homens de verdade.



(((Mustang levou 56 de dano, Vendar 232, Shura 54, Thomas 97, Aigrim 167. )))

Sobraram aproximadamente 28 guerreriros atacando corpo a corpo (3 unidades), 4 unidades de golens de pedra avançados e 3 unidades de guerreiros com arcos.



—Avancem seus idiotas, eu cuidarei dele... - Diz Arngrid. - Você é bom, isso devo admitir. Deixe-me perguntar algo antes de matá-lo... Qual a verdadeira força do guerreiro?

*Thomas se via em situação um pouco complicada tinha que se proteger e ao mesmo tempo ajudar o grupo e proteger Mustang, Mustang era frágil demais para esse tipo de combate, ele nem devia estar aqui na verdade,mas infelizmente estava e enquanto não pudesse tira-lo daqui não iria baixar a guarda, Thomas tentaria dissuadir Roy de continuar nestas Loucas aventuras dos Libertadores e Faze-lo ficar em yuden, não era adequado para ele aquele tipo de ambiente*

—Mustang!! Droga, eu disse para tomar cuidado. Será que você não aguenta ficar nem 5 minutos sem estar perto de mim?

*Uso curar ferimentos críticos em massa maximizado e acelerado e Restauração Maior para restaurar os níveis negativos de Armgrin, Thomas recua para ficar perto de Mustang*

*Thomas da o seu melhor sorriso para Mustang o mais encantador possível para lhe passar confiança*


*Mustang sabia que a situação apenas pioraria se não cuidasse das prioridades, odiava admitir, mas agora era hora de ele dar suporte aos Guerreiros em combate que estavam fazendo todo o trabalho sujo.

Pensando em fazer que Armgrin fosse mais bem sucedido em suas investidas contra o gigantesco minotauro e outros como que nada sofrera com sua magia e com a de Thomas.

Mustang usa velocidade acelerada, alé de ajudar Armgrin isso deixaria Shura e Dante mais eficientes em seus respectivos combates,mas Shura também estava com problemas maiores que sua mobilidade e sabia que precisava de mais do que apenas a velocidade ele precisava ter seus ferimentos sanados o mais rápido possível.

Thomas não poderia cura-lo e os ferimentos no construto apenas ele poderia fazer isso, era sua responsabilidade manter shura de pé e usa corrente de relâmpagos maximizada em Shura de um modo que ele seja o centro e que não haja nenhum constructo além dele por perto se não for possível ele usa relâmpago.



Depois de tudo Mustang vê o odioso Clérigo Voltando para seu Lado, é simplesmente odioso a situação trágica e incomoda que se encontra, Thomas teimava em trata-lo como uma donzela indefesa que precisava ser protegido, ele era Roy Mustang, por Keen, era o General das chamas, comandante da primeira companhia, Membro da armada invencível, podia se cuidar sozinho, e demonstrando sua frustração em seu olhar ele diz a Thomas*

—Quanta vezes tenho que dizer a você, Thomas, eu sei me virar e não sou uma donzela para que fiquem me defendendo, fui treinado em Yuden, sou um mago de combate, pare de frescura Homem, E EU NÃO DEPENDO DA SUA EXISTENCIA PARA NADA.  E VOU PROVAR ISSO SEU CANALHA...

*Usando um ponto de ação Mustang usa as habilidades de suas luvas e dispara duas bolas de fogo Controladas maximizadas, atingindo apenas alvos Orgânicos e evitando os Golens e seus companheiros*

—Look at that son of a bitch--- diz isso em um dos vários códigos militares de Yuden ( XD)

—SIM! O PODER DO RAIO! SIM!-  verbera o golem ao ser atingido pela chuva de relâmpagos que o inundam de poder, renovando-o para a luta. Apesar de toda a suas dúvidas existenciais, o poder da tempestade era algo que lhe dava certeza, e que ele confiaria nele.

*Enquanto os inimigos são alvejados, Shura golpeia o solo no meio deles para causar muitas explosões elétricas.*

(Off: Entra em defesa total, a CA sobe para 41 por +4especialização em combate, +4defesa total, -4BBA).

(Off2: Movimento para entrar em posição e desfere 12 ataques indiretos, crítico: 14-20, causando explosão elétrica, esquiva CD27, dano: 2d6+5for+1prótese+9nível+2arma mágica maior+10explosão elétrica cada.)

(Off3: ¹/³ de cada explosão é convertido em pvs para Shura.)



*Dante mira o próximo inimigo, dispara num ataque vertical mirando o ombro esquerdo*

( OFF: Espada Ragnarok +30 (1d8+14, 18-20), energia brilhante.)


Mustang dispara seu imenso poder arcano e eletrocuta shura e alguns minotauros, o golem sente suas forças retornando com os relâmpagos. Ao mesmo tempo duas mensas esferas flamejantes voam sobre o campo de batalha e diversos minotauros inimigos simplesmente voam em todas as direções com o impacto, varridos como pequenas sujeiras.

Dante golpeava com sua espada, o brilho emitido pela arma ignorando todas as armaduras que tentavam bloqueá-la como se os inimigos estivessem completamente desprotegidos.

Pleronius ouviu a pegunta de Angrim e fala:

—Há, se você não sabe a resposta, não é um guerreiro de verdade. A maior força do guerreiro não é sua arma ou armadura. É o seu espírito que o impele a vencer sempre. E meu espírito é o mais forte de todos.

Ele então começa a golpear Angrim e a pressão do ar de seus golpes é tão intensa que a sensação era como se Angrin estivesse lutando contra um furação de aço. Angrin levou 145 de dano, Pleronius curou a 145 de dano.


Os inimigos já em número bastante reduzido pelas magias de Mustang conseguem causar bem menos estrago nos heróis, mas os arqueiros se concentraram mais no mago Yudeniano por medo de seu último movimento.

Vendar saltava em meio ao combate, em um momento ele salta próximo a Mustang. Ele olha com seus olhos insetóides para o mago e fala:

—Estou me esquecendo de algumas coisas com relação à Arton, mas uma coisa eu te digo. Quanto mais você reagir dessa forma, mais esse clérigo vai te... qual é a palavra?... Incomodar.

Ele então avança contra os golens de pedra.

Shura Sentia as forças retornando ao seu corpo com a ação de Mustang e num ímpeto de fúria termina de eliminar os últimos minotauros. Agora só restavam Pletoprius e os golens.

Thomas emitia uma luz cor vermelho sangue que curava seus companheiros.




((( Mustang levou 34 de dano, Vendar 152, Shura 43, Thomas 00, Aigrim 213. )))

Sobraram 3 unidades de golens de pedra avançados e Pleronius.



*Thomas se aproxima mais de Mustang, sorrindo, e diz:*

—É isso que amo em você Roy, sua ferocidade sem tamanho, você seria ainda mais perfeito se fosse uma donzela, mas nem tudo é perfeito não é? Mas quem sabe isso não Mude... Mas agora keen exige nossa concentração na Batalha...

*E em urro desumano que mal se assemelha voz humana o Clérigo deus da guerra Clama*

—Keen, a Matança ainda não acabou, para que ela continue e deixe um belo campo composto de vísceras, corpos e sangue, precisamos de nossas forças de volta, nos banhe com o sangue proveniente das antigas guerras e Recupere nossas forças.

*Nesse momento uma energia que lembra sangue banha os heróis enchendo-os de animo e curando suas feridas em combate(Cura completa em massa), a fúria e vontade de matar enche os heróis retirando todas as incertezas e lhe dando apenas uma certeza, o inimigo TEM QUE TOMBAR*

*Thomas não se deu por satisfeito em apenas recuperar seus companheiros, a força de Keen tinha que estar com eles, e isto ele ia providenciar agora*

—Keen, senhor Da guerra, mestre da matança, Lord da Fúria, ceda a esses guerreiros sua força sem fim, para que essa matança se propague neste dia glorioso...

*Agora a energia que parecia sangue que estava grudada, nos corpos dos aventureiros agora penetrava sem dificuldade sua pele e fazia seu sangue ferver como em festim de fúria dos lincantropos, todos sentiam a força de Keen inundando suas almas e corpos*

*Força do touro em massa acelerada*


*Mustang Olha furioso para Thomas e diz*

—Thomas, já pensou em procurara uma boa mulher e desencarnar da minha matéria? você o sumo sacerdote de Keen deveria ser o mais infame dos canalhas e viver cercado de mulheres e não viver querendo a barra da minha calça e que história é essa de talvez isso mudar? o que você esta aprontando, saiba que se tentar algo contra mim vai pagar caro...

*Mustang via o quanto o guerreiro estava sendo prejudicado pela arma do minotauro, então ele usa o poder destrutivo que conhece para aniquilar a arma, ele iria aniquilar pelo menos por um tempo o poder daquela arma que drenava a vida de Armgrin para curar o Minotauro*

—In pulsis vim ignis, ego imperium excussum amittit vim (Pela força motriz do fogo, eu ordeno lança perca sua força)

*O fogo envolve a lança drenando e aniquilando as força magicas da lança, como se a estivesse queimando*

*Mustang usa a disjunção*

*Mustang vê que Shura ainda Lutava e não para de bombardear o Pobre Golem com seu relâmpagos*

—Fulgur implevit virtute et furore quod creata interitum ( Relâmpago encha de força e fúria aquele que foi criado para destruição)

*Mustang usa relâmpago em shura*


Arngrim recebeu os golpes de seu adversário com extrema felicidade. Fazia séculos desde que enfrentara alguém assim, mesmo que não estivesse em sua total força. Conseguia ver além do que mostrava o minotauro e isso o alegrara. De saber que alguém mais entende o que é Força... Mas infelizmente teria que matá-lo. Não queria saber se Francesca sofreria choque de retorno quando ele "Morresse". Sabia que voltaria para o Coração e que aquela era a hora de acabar com aquela disputa.

—HAHAHAHAHAHAHA!!!! Muito bom, Pleronius!!!! Você ganhou meu respeito... Mas agora... - Ergue a enorme Gram - Hora de morrer!!!!!

Arngrim salta em direção de Pleronius e solta uma verdadeira fúria de golpes. Mesmo com aquela monstruosidade de espada, Arngrim a manuseia com a maestria de um artista...

E sua arte é a Morte...

[OFF: Por conta da magias Velocidade (+2 no ataque), Força do Touro (+2 Ataque e dano), usarei 1 ponto de ação e atacarei 5 vezes com +40 (16d8+50)]


—Não mantenham a guarda aberta! - avisou o golem, mas já era tarde, pois a maioria atacava um único alvo enquanto os poderosos golens rumavam contra eles. Os piore adversários, não que o campeão fosse menos temível. Porém, agora cabia a shura manter uma distância saudável entre ele e Mustang. Escolheu um alvo e atacou.

* Shura concentra sua força num único alvo para ter maior efetividade.*

(Off: Mantém defesa total, a CA sobe para 41 por +4especialização em combate, +4defesa total, -4BBA).

(Off2: Movimento para entrar em posição e investe, crítico: 14-20, causando explosão elétrica/enérgia, esquiva CD27, danox2: 2d6+5for+1prótese+9nível+2arma mágica maior+10explosão elétrica cada.)

(Off3: ¹/³ da explosão é convertido em pvs para Shura.)



*Dante mira um golem, então revela o verdadeiro poder de um guerreiro épico. Avança cortando de cima para baixo, depois desfere uma estocada direcionada ao peito do ser artificial*

( OFF: Uso o talento épico Velocidade do Vento e com uma ação livre recebo os beneficos da magia velocidade (+2 nas jogadas de ataque, CA e testes de reflexos, +9 m no deslocamento) e gasto uma ação completa para desferir dois golpes contra o golem. )

( Espada Ragnarok +32 (1d8+14, 18-20))


*Thomas sorri e diz*

—Acha que eu sou igual a Mitkov ? Acha que iria atacar você de forma sorrateira?
Sou sumo-sacerdote de Keen seu tolo, se eu fosse fazer algo contra você, Você seria o Primeiro a saber...

*Thomas se aproxima mais de Mustang e diz*

—Além do mais, eu amo você Roy, nunca iria querer prejudica-lo, mas Logo mais você será Meu, de um jeito ou de outro...


Vendar, shura e Dante terminam de eliminar os golens com a ajuda da magia de Thomas. (Vendar não recebeu bônus, pois está usando um cinto de força +6). Mustang então dispara sua magia, Pleronius arregala os olhos.

—O quê? NÃO!!!

Então o raio de Mustang atinge a lâmina que faísca por uma fração de segundo antes de se apagar por completo. Toda a sua magia completamente destruída. Angrim então começou a golpear o minotauro que reagia, embora ele ainda fosse poderoso ficou em grande desvantagem sem a sua espada. Após 23 golpes realizados em 4 segundos Angrin conseguiu atingir o coração do guerreiro que vai ao chão cuspindo sangue.

Diante de vocês está o mar de cadáveres e estátuas destruídas.


*Thomas olha para O chão e suspira*

—Acho que deixamos Keen bem feliz com esse pequeno Banho de sangue...

*Thomas murmura um agradecimento a keen pelas benções concedidas e põe as mãos nos ombros de mMustang e o puxa em um abraço por traz ,para apenas falar em seu ouvido*

—Fizemos uma grande dupla não? Mustang por que deixa de ser tão Teimoso e se rende, sabe que não vai durar muito essa queda de braço... Sabe o quanto eu amo você e não importa o quanto Terei que Lutar para tê-lo em meus braços e em minha cama, mas se quiser continuar tudo bem quanto mais difícil melhor é o prêmio...

*Mustang rapidamente se livra do abraço de Thomas e saca sua arma deixando a poucos centímetros da face do mesmo e diz:*

—Faça isso de novo e a igreja de Keen vai precisar de um novo sumo sacerdote, me deixe em paz, eu sou um homem normal e não uma aberração como você... É MEU ULTIMO AVISO, eu não quero nada com você, trabalhamos para mesma nação e só e por um acaso agora estamos na mesma missão, fora isso não temos mais nada em comum...


Após abrir o peito do minotauro ao meio, o espadachim ficou alguns segundos contemplando o estrago que fizera. Parou por um instante para contemplar a chacina quando viu o Clérigo agarrar o Mustang.

—Dá para o casalzinho parar de promiscuidade? Os outros estão a nossa espera.

Então Arngrim sai correndo carregando Gram no ombro.

*Mustang olha para Arngrim e fala*

—Eu lá tenho culpa deste cara ser pederasta e ter cismado com a minha cara?

*Mustang guarda a arm e segue correndo o Guerreiro*

—Vamos logo temos que achar os outros

*Thomas olha para Mustang e diz:*

—Meu caro, Eu serei paciente com você e esperarei o momento certo, sei que você esta assustado com a ideia, sei que você vai ficar mais disposto com tempo,mas tudo bem, faremos como você quer por enquanto Mustang...

*Thomas simplesmente ignora o comentário de Arngrin e começa a segui-lo*




Todos começavam a ir em direção à mansão e Thomas continuava com suas incansáveis cantadas em Mustang. Desanimado Vendar suspirou um pouco e pôs-se a seguir com os outros quando ele subitamente grita.

- MUSTANG!!!!!!

Mustang tem apenas tempo de se virar quando um grande tentáculo de matéria vermelha vai em sua direção. Vendar salta se interpondo diante do clérigo e o tentáculo atravessa o peito do desafiador com a mesma dificuldade com que atravessaria uma folha de papel. Vendar tosse e fala:

- Dro... ga...

Vendar então para de se mexer e o tentáculo o arremessa a dezenas de metros como se ele fosse um boneco de pano. Vocês finalmente veem de onde o ataque veio. O tentáculo saía do braço do minotauro Pleronius. O minotauro olha para vocês com olhos vazios como os de um cadáver.

—Alvo errado. Mas ainda posso lutar. Não pensem que podem fugir.

Então o minotauro se levanta e todo o seu corpo começa a se rasgar e se contorcer até se tornar uma espécie de massa disforme de garras e dentes com dez metros de diâmetro e seis metros de altura. A massa emite um urro completamente inumano que entorpece os sentidos e traz terror aos seus corações.


( Off:
Mustang, Dante e Arngrim falharam em seus testes de vontade contra insanidade, como receberam 15 Pontos de insanidade e nenhum tem sabedoria maior que 15 eles caíram para insanidade moderada e estão sofrendo os distúrbios abaixo que durarão 1d10x10 horas (depois eu rolo por quanto tempo isso irá durar).


Mustang recebeu 15 pontos de insanidade e está apresentando-se com uma série de tremores e espasmos (-4 em força e destreza e para lençar uma magia tem que passar em um teste de vontade CD 20+ nível da magia).

Dante recebeu 15 pontos de insanidade e está apresentando surdez psicossomática
(-4 na iniciativa). O urro foi tão aterrador para ele que sua mente achou melhor bloquear todos os sons.

Angrim recebeu 15 pontos de insanidade e está sofrendo de paralisia parcial, seu braço direito simplesmente se recusa a obedecer o guerreiro (está com -4 em força e destreza e não pode usar o braço direito para nada).)



*As pessoas falavam e se mexiam, a criatura horrenda estava na sua frente, mas o elfo não conseguia escutar.*

"Horrendo... Horrendo... tenho de matar..."

*Então com um gesto o elfo transforma sua espada num arco prateado que emanava magia ancestral e aponta uma flecha de energia pura para o inimigo*

( OFF: uso uma ação livre para transformar Ragnarok de uma espada para um arco. Depois uso a habilidade de meu artefato e lanço sobre mim a magia ataque certeiro e disparo uma flecha. )

Arco Ragnarok +54 (1d8+14, 19-20/x3)



*Mustang sente o tremor correr pelo seu corpo, aquilo era Totalmente abominavel, aquele urro aquela força disforme era demais para sua mente artoniana e isso o afetara Física e Psicologicamente.

Ele sentia seus reflexos seus reflexos estavam alterados, sentia que isso iria atrapalhar bastante seu combate a bastante, seus músculos e articulações se mexiam sem seu comando estava mal, era Horror demais tinha que derrubar aquilo o mais rápido possível*

*Mustang usa o poder das Luvas para lançar duas bolas de fogo*


*Thomas olha para Criatura sem medo nenhum e com a firmeza de um clérigo de Keen no Olhar e diz*

—Quem pensa que vai assustar com essa cara Feia Aberração?

*Por um breve instante Olha para Mustang quando ouve seu Reclamar de sua situação atual e vê o general das chamas sofrendo os efeitos da Criatura aberrante e demonstra em seu olha medo pelo que pode acontecer a ele, mas o ver que Mustang está bem, ele da um pequeno sorriso, estava certo sobre Mustang, este definitivamente não era o lugar dele, e sobre a coisa aberrante que voara longe ao salvar Mustang,Bem depois lhe agradeceria por proteger seu tesouro e talvez o trouxesse de volta ao mundo dos vivos, depois de certificar-se de que Mustang estava bem Thomas olha para coisa e diz*

—Vai pagar pelo que fez sua coisa, ninguém faz ataca o que é MEU seu maldito, como ousa atacar Mustang desta forma,não sabe com o que mexeu... Eu sou Thomas Ironheart Sumo sacerdote de Keen e sou o unico que pode deixar um certo General tremendo feito Uma garotinha, certo, Mustang ?

*Mostrando sua face mais terrível Thomas fala com a voz grutal*

—Keen Mais uma vez venho Pedir senhor dos exércitos, destrua a loucura aberrante dada aos nossos combatentes e a substitua Pela fúria Infindável que provem do senhor, O lorde dos massacres....

*Curar insanidade em Massa*


A mente caótica de Shura havia resistido de alguma forma ao avante aberrante. Agora, quase todos começavam a pender ante a mera presença inimiga e um já caíra. O que fazer? Apenas sobreviver ou dar uma chance aos outros.

*Shura salta para defender o próximo ataque mortal tentando aparar com seus 6 braços.*

(Off: Entra em defesa total e aguarda para defender se a criatura usar o mesmo ataque fatal contra qualquer companheiro.)

(Off2: Caso Shura seja o próximo a ser trespassado, ele aproveita para atacar o membro diretamente com suas 2pancadas+16, dano: 2d6+5for, de.16-20x2, e 12pancadas+16, dano: 2d6+5for+1prótese+9nível cada, dec.14-20x2 e explosão elétrica.)



(Off: Como não é mais um combate em massa vou passar a usar o sistema de turnos normal. )



Iniciativa: Thomas: 18+24=42, Mustang: 12+27-2*= 37 , Shura: 2+21=23 , Dante: 20+35-4=51, Arngrim: 2+30-2*=30, Monstro 36.

* as penalidades de -2 são por causa da redução em destreza de Mustang e Arngrim.

(Off: Só agora eu notei, no livro área de tormenta não tem a magia curar insanidade em massa, só CAUSAR insanidade em massa. Eu vou considerar agora, então me diga se você a tirou de outro livro. )



Jogada de ataque de Dante: 14+34=48, dano:2+14=16.

Jogada de thomas: 2. Thomas curou 2 pontos de insanidade de todo o grupo.

As magias de mustang não afetam o monstro (como estamos fazendo o combate turno por turno tome cuidado com a quantidade de ações.)

Jogadas de ataque do monstro: Em thomas: 32, 45. Causou 48 de dano. Em Dante: 39, 46, Causou 26 de dano.

Arngrim não conseguiu ressuscitar Vendar mas não perdeu o uso da habilidade. (magias de ressurreição tem tempo de conjuração de 10 minutos e são de toque.)

Shura ficou em defesa total: (não é possível dar contra-ataques em defesa total a menos que seja um meio que especifique isso)



Dante lançava flechas que perfuravam a carne da aberração a sua frente mas o monstro era muito grande para o dano ser significativo. Thomas então emite um brilho vermelho e todos sentem suas mentes se recuperando um pouco do dano mental sofrido. As bolas de fogo de Mustang atingem a criatura mas não causam nenhum dano visível, o monstro estava completamente impregnado pela essência alienígena da tormenta. Quando Arngrim se aproxima de Vendar ele vê que o desafiador está imóvel, mas gavinhas vermelhas estavam crescendo no ferimento e tentavam fechar o rombo em seu peito, ele estava vivo mas muito ferido (Vendar está com muuuitos Pvs negativos e sua cura acelerada está funcionando).




*Roy observa o resultado de suas magias e deduz, é esta na hora de usar os brinquedos de maior poder*

—Thomas é o hora de deixar de sermos bonzinhos... Está na hora de usar necromancia... e mandar este infeliz para o buraco de onde ele veio.


*O chão ao redor da criatura fica negro e grande símbolo feito de uma espécie de fogo negro rodeia a criatura desenhando no chão o mesmo símbolo que tem na luva de Roy, os olhos de Roy ficam totalmente negros e e sua voz parece tenebrosa demais para ser humana e ele diz*


—Quid Tenebra non misereatur vestri creatura, quae Leen falcare sui esse et Kenn eius esse carnificis, Symbolo Mors

[i][uso simbolo da morte]



*Thomas sorri e diz*

—Como quiser, roy, mas acho que posso ser útil de uma outra forma

*Levanta sua mão e uma espécie de coração rubro aparece sua mão e deste coração um energia que Emana Ordem vai em direção a criatura e Thomas diz*


—Keen mostre a este maldito a ordem dos exércitos que você comanda

(*Cólera da ordem*)



Observava o monstro Vendar regenerar-se pouco a pouco e voltou-se a questões mais importantes. Seu braço não se mexia. Arngrim então pega algo em seu cinto e bebe, enquanto grita consigo mesmo.

—Pare de frescura e mexa-se... Temos um desgraçado para despedaçar e não posso perder tempo... DROGAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA

[OFF: Arngrim usa Cinto de Utilidades (Curar Insanidade)]


Shura avança contra o inimigo superior e, com uma manobra ousada, tenta agarrar o tentáculo que ameaçava a todos.

*Shura tenta apanhar o tentáculo.*

(Off: Shura faz um teste de agarrar+21. ele recebe bônus por usar todos os seis braço nisso?)



(Off: Dante ainda não postou entou vou considerar que ele repetiu a mesma ação.

Off: Não sei dizer se os braços extras de shura lhe dão algum bônus, vou considerar +2 para cada implante, mas por favor alguém olhe isso para mim. )



Jogada de ataque de Dante: 5+34=39, acertou. Dano: 18.

Jogada de thomas: Teste de vontade do monstro: 19 , levou 33 de dano.


Mustang está se concentrando para lançar a magia mas ela ainda não foi lançada (precisa de 10 minutos para isso, me avise se eu estiver errado)

Jogadas de ataque do monstro: Em mustang: 37, 46 (causou: 35), em thomas: 49 (causou: 39), 39 (causou: 38)

Arngrim curou 4 pontos de insanidade.

Jogada de ataque de Shura: 10+25=35, acertou. Jogada de agarrar de shura: 8+25+8=41, agarrar do monstro: 56. Shura não conseguiu agarrá-lo.


Thomas está com 125 de dano, Mustang está com 35, Dante com 26, monstro com 67 de dano.


Dante continuava a flechar o monstro, as magias de Thomas causam algum estrago, mustang se esforça para escrever o símbolo e Angrim bebe uma poção. Shura salta sobre o monstro e tenta prender a criatura com sua força, mas o monstro facilmente se desvencilha do construto. Os tentáculos avançam e abrem cortes em mustang e thomas. Mas todos vocês sentem o monstro se ajeitar, aparentemente ele fará algo bem perigoso.


[OFF: Com a recuperação de 4 PI o braço já mexe? A Postagem dele depende disso]



*Mustang continua concentrar sua magia para lança-la*


*Thomas começa a sentir os ferimentos causados e novamente clama a seu a Keen pelo bálsamo da guerra, em seu urro de batalha*

—Keen nosso inimigo persiste, e sua corrupção deturpa nossa carne e fere nosso espírito, cure a carne deste infiéis e mostre a eles o único deus que os ajudara em combate...

*uma energia vermelha emana de toma e depois se espalha como se fosse uma explosão de um corpo e a energia vermelha novamente gruda em seus corpos como sangue curando sua carne*

( *Curar ferimento graves em massa*)


Shura não conseguira apanhar aquela coisa, e o minotauro da tal Tormenta ainda passara e acertara Mustang e Thomas. Assim, mesmo a custo da precisão, e podendo ser arratado junto, ele saltou obre a arma do oponente como uma aranha, estendendo-e para abraça para o lado que tentasse esquivar.

* Shura abre os braços para ao menos tentar agarrar-se a arma alienígena.*

(Off1: Usa a Especialização em Combate + Ataques Múltiplos para desferir 13 testes de agarrar+16, o par de braço e os outros 4 protéticos giratórios. Caso seja empalado, aproveita para segurar o membro com todas as forças.)

(Off2: Você disse uma regra alternativa, tem essa para monstros com vários membros, cada qual atacando individualmente. Usei a mesma penalidade para ataques múltiplos.)


Shura não conseguira apanhar aquela coisa, e o minotauro da tal Tormenta ainda passara e acertara Mustang e Thomas. Assim, mesmo a custo da precisão, e podendo ser arrastado junto, ele saltou obre a arma do oponente como uma aranha, estendendo-se para abraça para o lado que tentasse esquivar.

* Shura abre os braços para ao menos tentar agarrar-se a arma alienígena.*

(Off1: Usa a Especialização em Combate + Ataques Múltiplos para desferir 13 testes de agarrar+16, o par de braços e os outros 4 protéticos giratórios. Caso seja empalado, aproveita para segurar o membro com todas as forças.)

(Off2: Você disse uma regra alternativa, tem essa para monstros com vários membros, cada qual atacando individualmente. Usei a mesma penalidade para ataques múltiplos.)



*Dante continua a lançar flechas, mas aquilo parece não funcionar muito, então muda a forma de sua arma para uma espada e dispara para o ataque corpo a corpo*

( OFF: Espada Ragnarok +30 (1d8+14, 18-20).)



Jogada de ataque de Dante: 9+34=43, acertou. Dano: 15.

Jogada de thomas: Curou 33 de dano em todos.

Mustang ainda está se concentrando para lançar a magia (tem certeza que quer continuar? 10 minutos são 100 rodadas.)

Jogadas de ataque do monstro: em Arngrim: 47 (causou 151 de dano)

Arngrim já pode mover o braço

Jogada de ataque de Shura: 38,24,36,38,35,39. Não conseguiu agarrar.


Off: O número máximo de tentativas de agarrar por rodada é o número de ataques que a criatura tem. E shura percebeu que não está conseguindo muita coisa contra o monstro.


Thomas está com 87 de dano, Mustang está com 2, Arngrim com 151, monstro com 82 de dano.


Vocês continuam agindo mas o monstro não parece incomodado, ele faz um movimento parecido com o que perfurou Vendar e Arngrim recebe um grande ferimento.

*Mustang interrompe seu circulo da morte e final mente se enfurece*

—Já chega, monstro, sinta minha ira.... Desine tempus (Parar o Tempo)

*Mustang começa parando o tempo e ve o fogo do destino prender todos a sua volta em estado inerte e ao seu redor e começa a recitar seu encantamento*

— incomparabilis celi, deorsum cadit super vos, meteoron rorem,  (que céu caia sobre você,chuva de meteoros maximizada.)

*Mustang usa suas força para manter o tempo parado ao redor de si, usando apenas de sua vontade para isso ( uso de ponto heroico) e recita um novo desejo para sua proteção e proteção de seus companheiros e mais uma magia para*

—Tempore obstruxerunt tamen, Custodi paulo plus, continete manus Furia fortitudo A tempore studiosa tamen, mea custodite voluntas nitida  (Tempo se matenha parado um pouco mais,segure com suas mãos de Furia a força Do tempo Keen, Matenha minha vontade nitida, Parar o Tempo acelerado)

*Mustang se prepara para segunda rodada de magias fazenzo o gesto magicos e entoando os versos mais apropriados, enquanto o fogo ainda mantem suas correntes poderosas sobre o tempo*

e depois disso mustang usa o poder de suas luvas para soltar duas bolas de fogo( lembrando que para uso de talentos a luvas de mustang permitem a ele usar talentos de tiro com as bolas de fogo, ou seja duas bolas de fogo tiro rápido XD) todas as magias estão com o talento energia da tormenta*


—Keen, sei que estou abusando de sua paciência, mas precisamos do vigor de batalha, para continuar com o massacre.

*Uma energia intensa e vermelha adentra os corpos dos guerreiros, e faz com seus ferimentos sejam curados thomas sente um tremor mais forte como se sentisse o desagrado de Keen sobre seus pedidos constantes de curas*

*Thomas usa cura completa em massa*


Os conjuradores estavam levando a pior, e Shura estava praticamente sendo ignorado pelo inimigo. Isso não podia continuar, ou a derrota deles e sua seria o único resultado. Podia ser suicido, ma talvez fosse a única forma de fazer o adversário cair em sua cilada. Então, jogou-e contra ele.

*Usando os braço de mithril como escudo, Shura procura atacar o inimigo diretamente num encontrão, como e fosse um ataque de carga com um escudo pesado.*

(Off: Ousadia, Arma Natural Aprimorada, Duro de Matar; prótese +21, próteses são consideradas escudo para o talentos que e aplicam a um. Prótese: amigável, giratória, explosiva e acessibilidade__elétrica, -0 de penalidade, CA +4, explosão elétrica, 3m, CD27. )


O braço mexia.

Agora o monstro iria receber o que merecia. Arngrim corre em direção do monstro levantando a Gram. No instante seguinte ele salta e lança todo o peso da arma em direção da criatura.

[OFF: Arngrim investe Gram +41 (16d8+48)][/i]



(Off: Lienn foi muito confusa com suas ações, fazendo dois parar o tempo e realizando ações que não seriam efetivas (lançando uma chuva de meteoros enquanto o tempo estava parado) e realizando um desejo para proteger o pessoal sem especificar os efeitos. Eu vou tentar colocar isso de um jeito entendível. )



Jogada de thomas: Curou todos os dano do grupo.

Mustang parou o tempo (ganhou 1d4+1 rodadas, no caso 3) usou as rodadas extras para lançar um desejo para proteger o grupo, e duas bolas de fogo com energia da tormenta, como o tempo estava parado o monstro não sofreu dano. Com a ação extra do ponto heróico (acho que era o único que ela tinha) ela lançou uma chuva de meteoros maximinizada e potencializada. Não sobraram ações para lançar a palavra de poder.

A chuva de meteoros causou 247 de dano, retirando a resistência ele recebeu 207 de dano.

Jogadas de ataque do monstro Em thomas 43, 48, 45, 47. (causou 34, 39, 38 e 43, total 154)

Jogada de ataque de Arngrim: 3+43=46, causou 111 de dano.

Shura não fez nada (o monstro morreu antes de chegar a vez dele).


Off: O desejo de mustang de proteger o grupo é muito vago, se eu fosse um mestre mais cruel diria que não fez efeito, mas como foi um desejo vou considerar que todos estão sob o efeito da magia pele rochosa.



Thomas lança uma nova onda de cura e fecha os ferimentos de todos, bem a tempo do monstro o atacar com tudo causando grandes danos no clérigo. Mustang então ataca com suas magias mais poderosas causando um dano monstruoso mas o monstro continuava de pé. Arngrim então golpeou com uma gigantesca espada no ponto que mustang havia atingido e consegue penetrar na carne chamuscada até partir o monstro ao meio. A coisa estremece e se contorce de maneira doentia antes de começar a derreter em uma gosma que cheirava a urina e ovo podre.


Thomas está com 145 de dano. Por favor, coloquem a lista de magias preparadas restantes de Thomas e Mustang.



*O elfo olha ofegante para o monstro que se desfaz, e depois para o grupo que parecia estar exausto, assim como ele*


*Thomas olha para Mustang e diz*

—Vamos sua queridinha precisa de ajuda e eu estou com um mal pressentimento sobre Olivia... não quero deixa-la sozinha...

*Thomas respira fundo com a mão no ferimento e diz*

—Não vou pedir mais nenhuma cura hoje a keen, ele já esta ficando Furioso comigo, Mustang pode nos teleportar para onde esta sua amiga ? Quero resolver logo esta Merda para podermos voltar a Yuden...

*ele vai ver como esta Vendar e o toca tentando verificar se o mesmo esta vivo:

—Vendar, você esta bem? Ainda esta vivo ?

*Thomas olha um pouco para traz e diz a mustang*

—Por favor fique na MINHA linha de visão, sim? Não nem para você estar aqui, não quero que você saia da min ha vista pode se machucar...


*Mustang Respira Aliviado quando tudo acaba e olha par Vendar preocupado e se aproxima dele tentando verificar se o senhor gigante rubro estava vivo e diz*

—Vendar esta tudo bem, eu...

*Mustang ouve a indagação de Thomas e diz*

—infelizmente eu não posso fazer isso thomas esta fora do meu alcance... E eu também estou preocupado com os outros, mas Olivia não esta sozinha existem outros dando auxilio a ela...

*Mustang ouve a provocação de Thomas e da um soco no Ombro dele e diz:*

—pare com esta palhaçada seu infeliz, eu sou capacitado para estar aqui...


Thomas e Mustang acham Vendar a pouca distância. Ele se levantava, aparentemente havia sido curado pela magia de Thomas pois o rombos estava quase fechado a as gavinhas que cresciam em seu peito fechariam o resto em segundos. Ele olha para vocês com seu rosto insetóide.

— Err... bem... estou bem. Estou bem obrigado.

Ele então olha ao redor bastante confuso.

— Estou bem, só... sei lá. Que estranho. Eu não esperava que...

Subitamente ele olha em direção a mansão. Vocês notam uma agitação crescente tomando conta do desafiador.

— Estou com um péssimo pressentimento. Os outros estão bem?

Arngrim observava o casalzinho brigando e chegou a sorrir. Mas esse sorriso desapareceu subitamente quando sentiu seu corpo desmaterializar.

—Prepare-se Mustang, Francesca corre perigo e seremos enviados para ela em instantes. Esteja preparado para tudo. Não quero que ela morra por incompetência sua.


*Mustang estava furioso, como aquele pederasta ousava, ainda bem que estava acabando aquela palhaçada e logo eles iriam para Yuden, mas ao sentir seu corpo se desmaterializar como em teletransporte mustang se assusta e olha para o Guerreiro e pergunta:*

—O que esta acontecendo.... é algum efeito do Tal item ?


—Por Hedryl... _ exclamou a voz de um crente de dentro do roto de almas dentro de Shura. Absorto, o golem ao fitar o incomuns inimigo. O minotauro que retornava da morte, aquela coisa, ó podia ser exemplo da corrupção da tal Tormenta.

*Shura divaga envolto em suas vozes interiores.*

(Off: Shura está confuso.)


*Thomas olha para Mustang com um sorriso cínico quando vê seu ataque de raiva, que era extremamente corriqueiro quando se tratava dos dois, mas o que o impressionou foi ver Mustang se desfazer como fumaça e isso o deixou aflito*

—ROY... AONDE ELE FOI? O QUE ACONTECEU? TEMOS QUE IR ATRAZ DELE...

*Por um momento ele esfria a cabeça e pensa:*

—O outro guerreiro sumiu também... Francesca deve ter chamado os dois, vamos embora estamos perdendo tempo aqui...

*thomas se põe a caminho do lugar se encontrava francesca, e por Keen ele mataria aquela vadia caso algo acontecesse com Roy*


Vendar simplesmente concorda com a cabeça e começa a seguir com Thomas. No meio do caminho ele vê shura se comportando de maneira estranha e o pega pela nuca.

—Os outros podem estar com problemas. Venha. Você também Dante.

Ele então arrasta o golem junto com o grupo. (shura não estava com o grupo de infiltração)

_________________
"Força Bruta: se não funcionou, é porque você não usou o bastante"
-Um sábio...
avatar
Tahlus
Mentor
Mentor

Mensagens : 102
Data de inscrição : 14/11/2013
Idade : 27

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Última Libertação - 1ª Fase

Mensagem por Tahlus em Dom 17 Nov 2013 - 16:22

Capítulo XI


Na mansão...

Greedson vê que o senador não está mentindo.


( Off: Greedson e Olivia se sentem enjoados. Aeron começa a sentir coceira e seus olhos estão ardendo.)


Greed'son ouve a palavras de Rêgulus e fica feliz, afinal não fora assim tão difícil, mas ainda estava intrigado com a elfa. Bem, poderia ter certeza agora, ou não. O poder da Tormenta já começava a ameaçar a proteção de seu corselete de matéria vermelha, sua proteção cobrava sua sanidade. O importante era apanhar o que viera buscar, e, talvez, ganhar um bônus.

*Greed'son faz um sinal comedido para que a dama-de-ferro avance de guarda aberta sobre o Vuroktril da direita.*

(Off: O golem faz um ataque de carga para se engalfinhar com o inimigo, mesmo que acabe sendo penetrado por suas múltipla armas.)

Os lefel eram tão espantosos quanto assustadores, mas não eram invencíveis, eu poder dependia em muito de eu próprio universo. Apenas tornando algo lefeu também era quando eu real poder e manifestava. A visão do tempo presente, passado e futuro por exemplo, fantástica, ma uma mente intrínseca do xadrez como Greed'son já podia penar vária passo a frente para anula-la, lefeu nunca recuava uma vantagem, dai usar um peão como o golem facilmente atacável.

*Escondendo-se atrás do construto, o artífice desativa a mudança de forma do golem quando este e encontra obre o inimigo.*

(Off: Greed'son gasta uma ação de movimento para desativar a metamorforse do golem, deixando cair suas 2,5 toneladas sobre o Vuroktril.)

Acabaria com tudo ali mesmo, com um saque e um giro de tambor, um tiro fatal penetrou próximo ao coração da Tormenta. O artefato não era o alvo, mas sim o prédio. Coisa indestrutível o coração, mas apenas quando ligado à presença do lorde, ausente ali (até onde se sabia). As cápsulas preparadas ante de seguir a elfa seguiam seu objetivo.

*Greed'son dispara próximo ao coração da Tormenta, contra o prédio lefeu.*

(Off: Saque Rápido + Profissional Completo, Pistola+62, dano: 2d6+8int+11nível + bala de acessibilidade _ Viagem Planar para o plano de energia positiva, 19-20/x3, 15m, Perfuração.)

O fluxo da fenda planar ali abria uma ligação temporária com o plano da energia positiva. Dentro do prédio lefeu a fenda ugava o coração da Tormenta.

(Off: O tiro explode contra o coração da Tormenta, e o teleporte se aplica contra ele.)

Greed'son continua a atirar, tinha duas capsulas e apreciaria que aquele dois espécime estivessem em sua mesa de trabalho ainda hoje.

*Gasta os dois último tiros contra o outro Vuroktril.*

(Off2: habilidade de mestre armeiro, 2 Pistola+62, dano: 2d6+8int+11nível + bala de acessibilidade _Destruição Sagrada e depois Rocha cadente de Vectorius, 19-20/x3, 15m, Perfuração.)



(Off: Golem de ferro, construto nível 18, CA22,
TdR: Fort+9, Ref+8, Von+9.
BBA+13, Ataques: espada-longa flamejante+25 (dano: 1d8+11+9nível, crit.15-20) ou 3 espada-longa flamejante+20, 2 pancadas+24 (dano: 2d10+11+9nível, crit.15-20).
Ataques Especiais: Sopro.
Especial: características de construto, imunidades (toda a magias que exijam teste de resistência), dano por eletricidade o deixa lento, dano por fogo sana ¹/³ em pvs, RD15/adamante, visão no escuro (18m), visão na penumbra.
Habilidades: for33, des09, con-, int-, sab11, car01.
Acessibilidade: 5 Cargas Mágicas (Alterar-se, Enfraquecer o Intelecto, Impor Missão, Teletransporte, Viagem Planar).
Talentos: - .
Equipamento: espada grande obra-prima amigável giratória explosiva flamejante.)



A sacerdotisa observava os acontecimentos. Agora estava tudo claro... A Energia agora se dispersara enquanto ela falava com o senador.

—Muito obrigada, Senador! Agora sabemos exatamente o que fazer e como fazer. Deixe tudo conosco. Depois conversaremos. - Tratava ele como uma professora trata seus alunos.

Então Francesca olha para os Vuroktril

—Profanadores das belezas de nosso mundo, sua perdição será catastrófica. O poder de Khalmyr cairá sobre vocês com todo o peso da Justiça!!!!!!

[OFF: Francesca usa Aura Sagrada]


*Olivia se prepara para o combate com os Demônios da tormenta, mesmo abalada não podia se deixar vencer....
Ela tinha um objetivo salvar seu mundo da tormenta e salvar Yuden de uma Meretriz usurpadora que se dizia rainha de Yuden*



Greedson dispara o portal de modo a sugar o coração, a fenda brilhante surge diante do coração como se ameaçasse sugá-lo, mas emanações rubras começam a envolver o portal. Todos vocês sentem a mansão inteira tremer e se agitar e veem o portal sendo consumido e transformado pela vermelhidão. A elfa Jelina se curva e parece estar se esforçando bastante, ela fala em direção ao símbolo.

—Está desfazendo minha magia meu querido, assim eles vão ver...

Subitamente toda a visão de vocês começa a tremeluzir, a elfa solta um gemido abafado.

— Está bem rebelde, está me pondo no limite. É uma pena, em mais alguns minutos eles seriam da tormenta.

Subitamente a aparência da sala tremeluz e se desfaz. Vocês veem que a sala continua tão horrenda quanto antes, mas agora uma névoa vermelha está sendo emanada pelo coração da tormenta e está cobrindo todo o lugar e vocês notam que todos vocês estão com manchas avermelhadas pela pele, mas as de Aeron estão piores. As emanações do coração estão corrompendo todos vocês e tornando-os monstros corrompidos, apenas uma poderosa magia de ilusão da elfa impediu que vocês notassem isso. Vocês notam as pessoas que haviam na sala e o senador se afastando para um lado da sala e se encolhendo com medo do combate, todos eles estão cobertos por carapaça da tormenta, até o senador, mas seus olhos diziam que eles ainda tinham suas mentes .Subitamente o coração emite mais uma onda de matéria vermelha e os vuroktril avançam para defendê-lo e o portal que Greedson havia lançado também começa a rodopiar e se voltar contra vocês. O golem de ferro falha em aprisionar um dos demônios.

A arma de Greedson dispara mais duas balas, uma disparando um feixe de luz branco e outro disparando uma gigantesca rocha, mas os vuroktrils são rapidos e resistentes e desviam do pior dos ataques embora levem algum dano. (eles passaram no teste de vontade da destruição sagrada e no teste de reflexos da rocha, levaram ambos 33 de dano)


Ordem de iniciativa: Greedson, Francesca, Voruktrils, Aeron, Olivia, Golem de ferro.

Dano: Os vuroktrils levaram 33 de dano.



Francesca observava aquela corrupção que ocorria em seus corpos, e sabia que havia pouco tempo. Quanto mais demorassem, menos artonianos seriam.

—Queimem, criaturas profanas. Queimem com as chamas da Justiça.

[OFF: Francesca usa Tempestade de Fogo.]


Magias Preparadas:
Nível 0: Brilho, Consertar, luz, Detectar magia, Detectar Venenos.

Nível 1: Criar água, Curar ferimentos leves, Detectar armadilhas, Detectar o mal, Detectar o Caos, Suportar elementos

Nível 2: Consagrar, Condição, Restauração menor

Nível 3: Soco de Arsenal, Respirar na água.

Nível 4: Curar ferimentos críticos, Destruição sagrada, Cólera da ordem**, Remover veneno.

Nível 5: Penitência, Santificar.

Nível 6: Força do touro em massa**, Missão, Palavra de recordação

Nível 7: Palavra sagrada.

Nível 8: Aura sagrada**, Curar ferimentos críticos em massa, Tempestade de fogo,

Nível 9: Cura completa em massa, Invocar monstro IX, Ressurreição verdadeira, Tempestade da vingança.


As magias marcadas com dois asteriscos (**) já foram usadas.



Aeron se assusta com o fim da ilusão e seu estado atual, mas sem se desesperar ele continua com sua espada firme em sua mão, e rapidamente parte em direção à elfa, tentando mata-la rapidamente.


( OFF: lembrando, eu tenho desafiador da tormenta, então ganho +e em ataque e CA enfrentando eles.

Primeiramente eu uso sem mente (teste de vontade, minha VON=21) para aumentar cada um dos meus ataques.

tabela:
20 a 24 (+2d6)
25 a 29 (+3d6)
30 a 34 (+4d6)
35 ou mais (+5d6)

Então eu uso ataque poderoso, meu PA adicional por estar enfrentado a tormenta pra ganhar uma ação padrão extra, e uso minhas manobras chi com arma dano pelo chi e infusão de poder.


Não sei quão longe eles estão, mas minha arma acerta a ate 9 metros, então se eu puder atacar sem me movimentar eu ataco usando meu golpe de execução e rajada de golpes, ficando +50 (dano: 74+xd6(sem mente), crit.16-20, x4; Alcance 9m) +46/+46/+46/+46/+46/+46 (dano: 64+xd6 (Sem mente), crit.17-20 x3; Alcance 9m). Caso contrario, eu me movimento para ficar proximo o suficiente, mas ainda longe dos ataques de area do meu grupo, e ataco da mesma forma (mas sem golpe de execução), ficando +46/+46/+46/+46/+46/+46 (dano: 64+xd6 (Sem mente), crit.17-20 x3; Alcance 9m))




Arma descarregada, ardil escapado, magia afetada, corrupção crescendo, inimigo consideráveis. Um desafio mediano.

Greed'son esmaga uma capsula da mão esquerda, inalando seu gás.

(Off: Acelerar Habilidade + Potencializar Habilidade _ Testa Velocidade CD23 contra boticário+41 _ SUCESSO!; +3 nos ataques, CA e testes de Reflexos, +13m no deslocamento e pode fazer um ataque adicional.)

Os vurkitrill avançavam, ele recua para recarregar sua arma antes de contra-atacar.

* Recua com velocidade e recarrega a arma.*

*O golem-de-ferro ataca com 3 golpes de sua lâmina giratória.*




(Off: Golem de ferro, construto nível 18, CA22,
TdR: Fort+9, Ref+8, Von+9.
BBA+13, Ataques: espada-longa flamejante+25 (dano: 1d8+11+9nível, crit.15-20) ou 3 espada-longa flamejante+20, 2 pancadas+24 (dano: 2d10+11+9nível, crit.15-20).
Ataques Especiais: Sopro.
Especial: características de construto, imunidades (toda a magias que exijam teste de resistência), dano por eletricidade o deixa lento, dano por fogo sana ¹/³ em pvs, RD15/adamante, visão no escuro (18m), visão na penumbra.
Habilidades: for33, des09, con-, int-, sab11, car01.
Acessibilidade: 5 Cargas Mágicas (Alterar-se, Enfraquecer o Intelecto, Impor Missão, Teletransporte, Viagem Planar).
Talentos: - .
Equipamento: espada grande obra-prima amigável giratória explosiva flamejante.





Ordem de iniciativa: Greedson, Francesca, Voruktrils, Aeron, Olivia, Golem de ferro.


Greedson estou esperando ele organozar melhor sua ação antes de postar o resultado

Francesca Dispara sua tempestade de fogo engolindo os Vuroktrils, o portal corrompido e o coração. Tanto o coração quanto os vuroktrils não foram afetados, mas o oportal é atacado pelas energias de fogo e começa a se desfazer, mas no ultimo instante uma gota cai dele. Logo o portal não existe mais, mas a gota formada por fogo, energia positiva e corrupção da tormenta começa a crescer e se divide em quatro monstros flamejantes disformes que avançam contra vocês.


( Off: O coração corrompeu o portal de greedson e ele reagiu com a magia de francesca criando esses quatro monstros. em termos de regras eles são elementais do fogo enormes com o modelo criatura da tormenta e com regeneração 15 por causa da energia positiva. Eles vão agir junto com os Vuroktrils a partir da próxima rodada. )[/i]

Um vuroktril ataca o golem de ferro (acertou todos os ataques e causou 301 de dano, destruindo-o). O outro vuroktril ataca Francesca com a espada, Greedson com o crânio e as duas pinças e Olivia com as duas lâminas e flagelos. Francesca: 58(crítico), 36 (causou 95 de dano). Greedson 41 (1 natural, errou), 49 e 50 (causou 56 de dano). Olivia: 50, 43, 54, 47 (causou 115 de dano,) Jogada de derrubar do Vuroktril 53, jogada de ataque de Olivia: 4+30=34, olivia está caída.

Jogada de ataque de Aeron: 12+46= 58 acertou.

Olivia (não agiu pois não postou)


Francsca lança sua magia, mas o coração corropeu-a junto do portal e transformou a energia em quatro demônios flamejantes. Os Vuroktrils saltaram e mostraram o por quê da tormenta ser temida. Um deles se concentra no golem e em um piscar de olhos reduz o construto a pedaços. O segundo Vuroktril avança em meio a vocês golpeando como se fosse um furacão e causando danos pesados. Aeron então golpeou a elfa sem dificuldade, mas quando sua arma a parte ao meio ela se desfaz em uma poça de sangue sumindo sem deixar vestígios.



Dano: Os vuroktrils levaram 33 de dano, Francesca levou 95, Greedson levou 56 e Olivia levou 115 e está caída.



*Olivia se levanta do chão e vê sua situação e sabe, esta Fudida, mas se por para se ferrar será Lutando*

*Olivia usa sua habilidade em comanado para coordenar o ataque e assim manter as Linhas de ataque bem formadas
Teste de conhecimento estrategia: +4 pro ataque em caso de acerto*

*Olvia vai atacar qualquer monstro que tente atacar a sumo sacerdotisa, caso isso não ocorra ela atacar o monstro mais próximo, mas sua finalidade é proteger a clériga*



Tendo recarregado sua arma, embora não fosse o que desejava a urgência e fazia mais mandona ao momento.

Um disparo atinge contra o caminho dos elementais corrompidos que atravessavam, erguendo uma muralha de energia para que não avançassem mais.

*Greed'son dispara a arma separando os atacantes que estavam mais atrás.*

(Off: Pistola+22, dano: 2d6+11nível, 19-20/x3, 15m, Perfuração, explosiva 3m, bala com acessibilidade _ Muralha de Energia.)

Tendo separado o grupo da maior parte dos inimigos, agora podiam cuidar dos dois aliens.

Fitando Aeron, ele vocifera:

-- PARE DE BRINCAR COM BONECAS E SEJA ÚTIL!

*Após atirar, Greed'son recua o máximo que pode.*

(Off: Greed'son ainda tem bônus de Velocidade _ +3 nos ataques, CA, subindo para 54, e testes de Reflexos, ficando 24, +13m no deslocamento e pode fazer um ataque adicional.)



Aeron vira rapidamente na direção dos inimigos mais próximos, fazendo com que o movimento de sua katana nunca cessasse, brandindo ela com toda a sua habilidade, causando diversos ataques em quem estivesse em seu alcance. Durante seus ataques, ele se limita a responder para Greedson:

--Não fui eu quem deu um portal de graça para eles...


( OFF: Mesmo ataque de sempre, no inimigo mais proximo, usando sem mente (mas não o PA e as manobras com chi) e se conseguir acertar sem me movimentar, com golpe de execução tambem...)



A Sacerdotiza sangrava. A dor começava a consumi-la. Mas ela não poderia morrer, caso contrário tudo estaria perdido. Num instante, o Coração brilha e começa a soltar calor aconchegante. No seguinte, Mustang e Arngrim aparecem no salão.

[OFF: Disfaço Mustang e Arngrim, Recuperando o total de 116 de dano por desmaterializar os dois. Em seguida Materializo ambos tomando um total de 41d4 de dano]


*Mustang olha o arngrim para arngrim perplexo com a indagação de do mesmo*

—Minha incompetência ? Deixa eu lembrar quem foi um dos responsáveis de estarmos com o grupo de ataque inteiro, Vamos ver o que nos aguarda eu estou pronto para tudo...

*Mustang usa cone glacial nos elementais usando energia da tormenta*



Ordem de iniciativa: Greedson, Francesca, Voruktrils, Aeron, Olivia, Golem de ferro.

Greedson dispara uma bala que se transforma em uma grande muralha feita de pura energia entre vocês e Os inimigos. Os Vuroktrils ficam do mesmo lado que vocês, mas o coração e os elementais ficam do outro lado.

( Greedson estou esperando ele organizar melhor sua ação antes de postar o resultado )

Francesca conjura Mustang e Arngrin (como foram conjurados eles vão agir na mesma iniciativa da clériga) ela cura os 116 de dano, mas leva 107 em seguida.

Mustang sem pestanejar dispara um cone glacial nos elementais, mas a muralha de energia de Greedson bloqueia o ataque.

Ambos os Vuroktrils começam a avançar contra o grupo. O primeiro ataca Mustang, Francesca e Arngrim. O segundo ataca Olivia e Aeron. Mustang: 39(1 natural), 49 (causou 49 de dano), Francesca 50, 38, 43 (causou 85 de dano). Arngrim 43, 39, 49, 51 (causou 105 de dano e derrubaram Arngrin), Olivia 46, 47, 57, 36 (1 natural errou), 53 ( causou 143 de dano), Aeron 38, 40, 48, 45 (causou 49 e derrubou Aeron)

Aeron: Gastou uma ação de movimento para se levantar e golpeou o Primeiro Vuroktril. Rolagem de vontade 16+21=37 (+5d6 de dano). Jogada de ataque: 8+44-2=52 Causou 51.

Olivia 8+30=38 errou. (não achei que habilidade você estava usando ao usar o teste de conhecimento, mas mesmo com o bônus vc iria errar o ataque)


Greedson cria uma muralha de energia e deixa os Vuroktrils junto do grupo e os elementais e o coração do outro lado. Francesca invoca os dois fantasmas e mustang imediatamente lança um ataque nos elementais de fogo, mas a muralha bloqueia. Os elementais passam a rodear o coração da tormenta e ficam em uma espécie de transe. Enquanto isso os Vuroktrils atacam sem misericórdia e causam grandes estragos no grupo francesca vai ao chão incapaz de resistir, mas todos levam grandes danos.


Vendar, Dante, Thomas e Shura correm a toda velocidade e encontram a mansão transformada em uma monstruosidade de carne e matéria vermelha. Eles correm a toda a velocidade e encontram a cena da batalha. Vendar fala.

— Vuroktrils!? Generais da tormenta. Eles são bem poderosos.

Por alguma razão o Desafiador parece mais apreensivo do que deveria.


Condições: Mustang 49 de dano (e com tremores), Francesca 287 de dano (está com -31), Arngrim 105 de dano e caído, Greedson 56 de dano, Olivia 258 de dano (e espectativa de derrota), Aeron 49 de dano e caído.


( Iniciativa incluindo os novos personagens: Dante, Greedson, Francesca, Mustang, Vendar, Voruktrils, Thomas, Aeron, Olivia, Shura.)



A muralha de energia ergueu-se eficiente, os atacantes estavam divididos.

O vurokitrill abrira uma falha na poderosa armadura de sua linhagem, ma mesmo assim, Greed'son ainda estava melhor que o outros. Olivia poderia morrer, deixando o cargo de sumo-sacerdotisa em vaga, se isso importasse.

Os aliados chegaram muito feridos e abalados, que tipo de resistência terão enfrentado? Não importava, na verdade, a chegada oportuna garantiria o instante que o Herdeiro dos Ricardo precisava para dar cabo do inimigo.

Guiando-se por um fino cordão de prata doado cirurgicamente de um espírito, o artífice encontrou o vão no espaço que permitiria ele apanhar um cofre muito especial.

*Greed'son aca seu pequeno arenal do plano etéreo.*


ARCA SECRETA: 3 minas ante - pessoal (900T.O), 3 centríolo Florêncio (300T.O), 3 granada explosiva (150T.O), kit de primeiro-socorros obra prima (350T.O), kit de alquimia obra-prima (350T.O), canhão de mithral implementado x4 (Amigável, Dano Adicional, Explosiva, Giratória) (31.000P.O), 3 balas de canhão de matéria vermelha (820T.O).
A arca era feita de materiais etéreos, fruto de conhecimento necromântico. Ficavam em outra dimensão próxima a Arton, o plano etéreo, onde muito mortos-vivo circundavam. Todavia, Greed'son desconfiava que o seres da Tormenta também podiam ver o que ele tinha lá, só não e importavam. Automaticamente, ela se abre para eu dono, e de lá, ele retira uma arma ambiciosa.

O tamanho a faz parecer fazer pesada, mas não é. A cor é de um prateado só encontrando no puro mithril, todavia, o vermelho ali a maculava. Poderia aguardar, com a morte de Olivia o coração das almas seria seu, mas já pensava em outra objetivo.

*Greed'son gasta os 3 tiros automáticos da arma contra os aliens.*

(Off: BBA = +51armeiro +7destreza +2desafiadro da Tormenta -5giratória = BBA+55)

(Off2: Consumindo 3 usos de Profissional Completo, 3 X Canhão de mithral+55, dano: 10d8+11nível+2desafiador, Explosivo 3m, CD29, 19-20/x3, Concussão).




*Thomas ve a situação e pensa:*

"Como os clerigos de Khalmyr são incompetentes"

*Thomas Fica com um pouco de receio, mas executa sua magia*

*Uma torrente de energia Rubra feito sangue desce sobre o grupo e o banha com o a um balsamo, mas é possivel sentir o cheiro característico do sangue, férreo presente e vindo não de seus corpos e sim de sua energia*


—Keen sei que não deveria estar pendido isso mais Uma vez, mas não deixarei que um grupo caia perante o Inimigo do mundo, por causa de uma Clériga incompetente como Francesca, recupere o Vigor deste Guerreiros meu senhor

(cura completa em massa potencializado)
uso um Ponto de ação



*Thomas sabia que aquela cura não seria suficiente sabia que precisaria de mais e por mais que não quisesse, usar outra cura, ver a cara de desgosto de francesca ao ser salva por ele era um iguaria que não poderia perder, se bem que...  Se ela morresse ele poderia ser o dono item que aprisionava alma de roy, quem sabe o que poderia obter com aquilo, ele sabia bem o mínimo que teria... de todas forma tinha que cura-la e sobreviver e talvez keen fosse generoso*

—Keen O grupo de guerreiros precisa inda de mais vigor, não deixe que os guerreiros de arton caiam perante o inimigo do mundo ( curar ferimentos graves em massa Maximizado e potencializado)

*Mais Uma torrente de energia Rubra feito sangue desce sobre o guppo e o banha com o a um balsamo, mas é possivel sentir o cheiro carecteristico do sangue, ferreo presente e vindo não de seus corpos e sim de sua energia*


*Thomas olha para olivia sua amiga, e a general que lhe trouxera como ajuda e diz*

—Olivia Tire a incompetente da Francesca da linha de fogo, não deixe morrer de Forma alguma... Se quisermos Roy e Arngrim trabalhando ele deve ficar viva...

*Depois ele volta sua atenção para O mago que estava um pouco mais a sua frente e diz*

—Tome cuidado Roy,Precisamos de você inteiro não ouse cair aqui, eu não vou permitir, ninguém ira tira-lo de mim

*Olivia Assente e tira a clériga da linha de fogo*

*O guerreiro elfo concorda com a cabeça e segue com os outros por entre as destruição e os cadáveres. Chegando lá segura firme o cabo de sua arma e avança sobre o inimigo mais próximo.*



Arngrim jogara-se para proteger Francesca dos ataques do Vuroktril, mas foi incapaz de protegê-la e a portadora cai no chão sangrando muito. Em seguida sentiu o golpe que também o leva ao chão.

—Você está bem, baixinha? -- No instante que sente a onda de energia positiva passando por eles, Arngrim apenas sorri e levanta-se.-- É hora de acabar com isso.

[OFF: Arngrim gasta uma ação de movimento para levantar e prepara para quando o Vuroktril chegar ao seu alcance, ele atacar com Gram +39 (16d8+48). Estou esperando a situação da Francesca para determinar a ação dela]


*Mustang olha para a situação e dispara duas Bolas de fogo com o talento energia da Tormenta proveniente do poder de suas luvas*

—Olivia, Rapido Tire a francesca daí rápido...

*Mustang olha Furioso para Thomas e diz*

—Não ouse achar que eu cairia por algo tão insignificante e pare de falar como se fossemos íntimos...

Por Keen, Homem, Tome jeito...


—Estes... sim... são demônios... os demônios dos demônios. _ saia a voz da garganta do construto, mas está era diferente, mais apera e velha, como um ancião ou veterano que deixa escapar os inversos vividos em observações vagas.

O golem provavelmente era o mai resistente a corrupção, mas com certeza, não era imune.

Ao ver o desespero do aventureiro ali caídos, assim como a ignorância de Greed'son, o golem avança de forma aldaz para salvaguardar quem já não podia lutar.

* Shura avança, ma não chega a tempo, então ele alta na defesa dos mais desprotegidos, atacando quem ameaça.*

(Off: Shura usa sua tempestade de golpes de forma indireta, na área do alien mais próximo.)
12pancadas+16 (2d6+5for+1prótese+9nível cada, 14-20x2), explosão elétrica+1d10 cada, contra CD10 da área.







Off: A destreza não entra nos disparos de Greedson por que ele está usando profissinoal completo para substituir a jogada de ataque (BBA+dest) por um teste de perícia (Grad na perícia+ int), então ele tem +53 para acertar (+51 perícae int, +1 prata da casa, +2 desafiador da tormenta, -5 giratória, +4 ao sabor do destino).

Off2: Esperei, esperei e Tahlus não postou a ação de Aeron.

Off3: Esqueci de rolar os testes de vontade contra a insanidade aos elementais e para os recém chegados. (O grupo de ataque vai ter que rolar contra uma dificuldade maior pois está rolando contra os elementais e os Vuroktrils juntos, o grupo de infiltração já rolou para os Vuroktrils, devendo rólar só para os elementais)



Iniciativa incluindo os novos personagens: Dante, Greedson, Francesca, Mustang, Arngrim, Vendar, Voruktrils, Thomas, Aeron, Olivia, Shura.


Jogada de ataque de Dante: 9+30=39, errou.

Jogada de ataque de Greedson: 14+53=67, 1+53= errou, 15+53=68. Acertopu dois ataques Causou 49 e 48 de dano já tirando RD total: 95 de dano.

Francesca estabilizou.

Mustang dispara suas bolas de fogo. Testes de reflexos dos Vuroktrils: 38, 29, 35, 32. Passaram em todos. Levaram 24 de dano.

Jogada de ataque de Arngrim: 20+39=59. Causou 125 de dano

Jogada de saltar de Vendar: 7+60=67, Jogada de ataque: 4+41=45, jogada de dano: 136. (Vuroktrils são imunes a dano de habilidade e portanto não receberam dano na constituição)

Jogada de ataque dos Vuroktrils: Em Vendar: 58, 55, 52, 48, 53. Causaram 196 de dano (dois golpes foram críticos, mas vendar é imune a críticos). Em Olivia: 40, 46 (1 natural errou), 47, 55 (crítico), causou 106 de dano e Olivia está caída.

Em Dante: 47, 48, 43, causou 128 de dano, em Mustang: 41, 53, 42, Causou 92 de dano, Em Arngrim: 46, 45, 38, causou 78 de dano.

Thomas cura 300 Pvs em todos.

Olivia se levanta e usa uma ação de movimento para começar a puxar a recem acordada Francesca para longe.

Jogadas de Shura: 26,30,30,30,29,28,17,26,30,23,35,17. Errou todos.


Testes de Shura, Thomas e Mustang começam a notar manchas vermelhas surgindo em suas peles. Francesca, Olivia e Greedson notam as manchas aumentando e ficando como as de Aeron. As carapaças aberrantes de vendar ficam um pouco mais proeminentes.


Testes de vontade contra a insanidade dos Vuroktrils e elementais corrompidos (CD: 33, 13 PIs ): Thomas 2+20=22, Dante 6+21=27, Shura 8+14=22, Mustang 11+22=33 e Arngrim 12+14=26. Thomas, Dante, Shura e Arngrim levaram 13 pontos de insanidade e estão abalados.

Testes de vontade contra os elementais (CD 25, 15 PIs). Francesca 16+20=36, Olivia 19+12=31, Greedson 9+17=26, Aeron 4+21=25. Ninguém recebeu insanidade pelos elementais.


Condições: Mustang éstá com tremores, Francesca está completamente curada, Arngrim está caído e abalado, Greedson está curado e abalado, Olivia 64 de dano (e espectativa de derrota), Aeron está curado, Vendar está curado, Thomas está abalado, Shura está abalado. O vuroktril 1 está com 341 de dano, o vuroktril 2 está com 24 de dano.


Vocês continuam a lutar com todas as forças e finalmente causam dano a um dos Vuroktrils, mas a mente de boa parte do grupo começa a ser corrída e vocês vêem que estão lutando contra monstros mais fortes talvez que os avatares dos deuses maiores. Mesmo a onda Curativa de Thomas não foi muito mais que um gesto pequeno demais para fazer a diferença. Shura em especial percebeu que seus inimigos sequer notavam a presença dele, desviando e bloqueando seus ataques com a mesma facilidade com que uma montanha suportava pingos de chuva.

Todos vocês notam que atrás da muralha de energia levantada por Greedson os elementais corrompidos rodeavam o coração e todos tinham certeza que eles estavam realizando algum propósito nefasto. A muralha de energia invisível também começava a mostrar alguns traços avermelhados.



OFF4: ÚLTIMO AVISO: SE NÃO DEREM A LISTA DE MAGIAS PREPARADAS RESTANTES DE MUSTANG E THOMAS, ATÉ A PRÓXIMA POSTAGEM, VOU CONSIDERAR QUE ELES ESTÃO COMPLETAMENTE SEM PMS.



O Herdeiro dos Ricardo não seria detido diante de lefeu. Ele tinha plano, e aquele era apena um desvio para adquirir as ferramentas necessárias.  Greed'son acerta do lado da arca e, obedecendo ao mestre, duas granadas são catapultada para cima, sendo agarradas por mão ágeis em movimentos impossíveis a olho nus pela pesada armadura que as cercavam, mas a armas do déspota serviam a vontade de eu mestre.

(Off: Saque rápido.)

Num floreio ardil, o armeiro gira com o polegares a chave mortal e atira amba as peças contra a ameaça alienígena. A granadas voam e rodopia graça a o formato apropriado indo de encontro ao inimigo.

* Greed'son ataca com os dois explosivos o alien mais fraco.*

(Off: 2 granadas+58+dado, +49 +1prata da casa +2desafiador +4 ao sabor do destino +2 granadeiro, dano: 4d6 +11nível +4ao sabor do destino +2granadeiro +2desafiador, Explosão 3m.)

Extremamente ágeis, lefeu ameaça escapar, mas as peças detonam em direção única, poupando aliado e atingindo seu proposito.

Todavia, terá sido o bastante?


*O elfo aperta forte o cabo de sua arma*

— Então é assim? - faz uma pausa - Ragnarok, vamos acabar com a festa desses demônios.

( OFF: uso a habilidade da espada e uso ataque certeiro em mim e ataco de novo.)


Francesca levanta-se pela recém-usada magia de Thomas e vê a terrível situação na qual seus companheiros se encontravam.

—Pela graça de Khalmyr que o grande Guardião venha nos ajudar nessa batalha!!!

[OFF: Francesca usa Invocar Monstro IX]

Magias Preparadas:

Nível 0: Brilho, Consertar, luz, Detectar magia, Detectar Venenos.

Nível 1: Criar água, Curar ferimentos leves, Detectar armadilhas, Detectar o mal, Detectar o Caos, Suportar elementos

Nível 2: Consagrar, Condição, Restauração menor

Nível 3: Soco de Arsenal, Respirar na água.

Nível 4: Curar ferimentos críticos, Destruição sagrada, Cólera da ordem**, Remover veneno.

Nível 5: Penitência, Santificar.

Nível 6: Força do touro em massa**, Missão, Palavra de recordação

Nível 7: Palavra sagrada.

Nível 8: Aura sagrada**, Curar ferimentos críticos em massa, Tempestade de fogo,

Nível 9: Cura completa em massa, Invocar monstro IX**, Ressurreição verdadeira, Tempestade da vingança.


As magias marcadas com dois asteriscos (**) já foram usadas.



Arngrim levanta-se e sente quando ela alivia sua mente. Essa portadora era a mais doida que já tivera, preocupando-se primeiro com eles, os mortos, do que com sua própria segurança. Ele sorriu gentilmente para Francesca e em seguida olha para Olivia.

—Proteja essa garota com sua vida. Vou acabar com esses monstros, então não a deixe se machucar mais. Por favor, faça isso para mim.

Arngrim então olha na direção dos monstros, não mais com um sorriso de quem adora batalhas, mas com ódio. Ódio por fazer a Pequena chorar. Ele levanta Gram e Ataca o Vuroktril que ainda resiste.

[OFF: Arngrim ataca o Vuroktril com Gram +34/+34 (16d8+48). Se matar, atacarei o Elemental mais próximo com o Trespassar].


"Sou menos do que nada para eles! Nem ao meno preocupam-se em revidar-me! SANGUE DE KEEN E TRIPAS DE PORCO!" _ berrou o golem em pensamento com o resquício de personalidade de um de seus eu interiores ante os fatos, mas ainda insistente tentou isso: tomar as armas do inimigo caído.

(Off1: Shura usa atletismo+21 para alcançar o inimigo caído e tomar suas armas.)

E caso não conseguisse, ainda estaria perto o bastante para contra-atacar o inimigo próximo.

(Off2: 6 pancadas+21, dano: 2d6+5for+1prótese+9nível cada, 18-20x2, exploão elétrica+1d10.)



Aeron ve seu grupo claramente em desvantagem naquela situação, e decidido a não perder nenhum companheiro novamente, ele ergue sua katana novamente, e sem falar nada, ataca o inimigo mais próximo, causando tantos cortes quanto era possível com sua habilidade.

( OFF:uso sem mente novamente, e ataco com +44/+44/+44 (dano: 4d8 +28 +xd6 (Sem mente), crit.17-20 x3; Alcance 9m), e se puder atacar sem me mover uso tambem golpe de execução com +48 (dano: 4d8 +38 +xd6(sem mente), crit.16-20, x4; Alcance 9m)

e só lembrando que minha katana vence o RD dos inimigos...)




*Mustang sabe que estão Levando a piro e decide usar necromancia contra o monstros*

"tenebra annihilare has creaturas, ostende eis virtutem non-vita"

*Mustang vendo a situação que se encontra usa a palavra de pode matar*


*Thomas olha segura o símbolo que leva no peito e re grita:*

—Keen dai-nos sua força para que possamos estraçalhar esses monstros


*Thomas usa Força do touro em massa*




(Off: Eu quero a LISTA de magias preparadas restantes, não os PMs restantes. Afinal vocês estão jogando de mago e clérigo, não feiticeiro e abençoado. E tenho certeza que Thomas lançou mais magias de cura que isso.

Off2: Como o gasto de um ponto heróico permite sugar a insanidade de outra pessoa? Seria necessário no mínimo um desejo restrito para isso.

Off3: Lançar ataque certeiro é uma ação padrão (não importa se você está lançando por você ou por um item). Para usar ataque certeiro e atacar na mesma rodada você precisa gastar um ponto heróico. vou considerar que vc o fez e está sem PHs agora

off4: Desisto de tentar convencer o necro que granadas não funcionam em criaturas imunes a fogo. (uma semana nessa ladainha enlouquece qualquer um.) )





Iniciativa: Dante, Greedson, Francesca, Mustang, Arngrim, Vendar, Voruktrils, Thomas, Aeron, Olivia, Shura.



Dante: 14+30+20=64, causou 18 de dano no Vuroktril 2

Greedson: Jogada de ataque: 6+58=64, 14+58=72. testes de reflexos dos lefeus 34, 29 Dano: 8.

Mustang usa palavra de poder matar no Vuroktril 1, matando-o.

Jogada de ataque de Arngrim:4+34=38:, errou. 17+34=51, causou 120 de dano.

Jogada de ataque de Vendar: 53, 48. Causou: 148 de dano.

Jogada de ataque do Vuroktril em Arngrim: 48, 53, 48, 39, 36 (1 natural, errou), 37, 48, 53, 49. Causou: 267 de dano.

Thomas usou força do touro em massa. (quem tiver recebido bônus me avise, lembrem que não acumula com cinto de força)

Jogada de ataque de Aeron: 8+48=56, 7+48=55, 10+48-=58. sem mente acrescentou +5d6, Causou 139 de dano.

Não mencionaram a ação de Olivia.

Shura pega as armas dos lefeus (um crânio da ameaça e duas espadas da tormenta) e está com 6 níveis negativos.



Após os ataques de todos um dos monstros finalmente cai inerte no chão e imediatamente vocês atacam o outro demônio. Este muda de tática e começa a concentrar seus ataques em Arngrim com o intuito de matar pelo menos um de vocês. Mas o grupo mata o outro antes que ele matasse o espírito.


Imediatamente o grupo vê um brilho vindo do coração. A muralha de energia é corrompida pelo coração e é sugada passando a envolvê-lo como uma camada protetora. Vocês ouvem um som de palmas, ao olharem na direção vocês veem um jovem loiro e atlético sair de dentro de uma das paredes. Ele era quase uma pintura de como um cavaleiro deveria ser, exceto que estava vestindo uma armadura avermelhada. Ele sorria e batia palmas.

— Muito bom, muito bom mesmo. Permita parabenizá-los desafiadores. Vocês realmente são incríveis. Não o suficiente, mas ainda muito acima do normal.



Condições: Arngrim está com 267 de dano, Mustang éstá com tremores, Greedson está abalado, Olivia 64 de dano (e espectativa de derrota), Thomas está abalado, Shura está abalado.





-- Aaaaaah!!!! Não se distraiam, nem baixem a guarda! - vocifera o construto sofrendo tamanha dor desde que renascera assim.

*Investe contra a muralha corrompida com tudo que pode.*

Dito, sofrendo muito, mas ainda em pé, Shura investe contra a muralha de energia e ataca com todas a armas, esperando que seu poder fosse o bastante para chegar ao tal coração da Tormenta.

(Off: 2pancadas+11, dano: 2d6+5for+6nível, 19-20x2, 2 espadas da Tormenta+11, dano: 1d8+4+5for+6nível cada, 17-20x2, 2 crânio da ameaça+11, dano: 2d4+5+5for+6nível+1d6 fogo com energia da Tormenta cada, x2.)


Shura golpeia o artefato com toda a sua força, mas seu golpe para na parede invisível que rodea o coração. O jovem loiro fala:

— Olha eu realmente não sei como agradecer a vocês. Vocês rodearam o coração com um efeito semelhante a uma muralha de energia, sem usar magia. O coração está bem seguro. Eu mesmo não teria feito melhor.

Vocês todos notam a névoa vermelha do coração emanando pela sala. Os olhos de Aeron coçam bastante e quando todos veem são olhos de inseto. Igual aos olhos dos lefeus.


A situação estava calamitante, e os mais fracos já estavam endo parcialmente corrompidos. Mesmo já sentia-se enfrentando a investida abominante obre si, mas haviam várias falhas as serem exploradas, e assim embora a natureza lefeu seja mutável, sua fraquezas não o eram. Assim, ele vocifera a Mustang:

—Mustang, energia é energia, não importa se elemental ou maculada por lefeu, se quiser escapar do horror acelere o tempo da esfera até que ela se disperse, ou gaste suas reservas de energia com necromancia, antes que o lorde chegue.

*Greed'son se concentra em recarregar seu canhão com uma das balas de matéria vermelha.*

(Off: Saque rápido.)


*Thomas toma a frente e olha para GREED'SON e diz*

—Roy não vai fazer nada Disso.

*Tomas levanta o mão e o fecha e depois e dela começa a surgir uma energia Vermelha e profana vinda diretamente de Werra, fazendo isso ele ora sua prece em voz grutal:*


"Lorde da destruição, senhor do massacre, mestre dos exércitos, Eu seu servo mais fiel Conclamo seu poder, destrua o item que gera a destruição , destrua o coração do caos absoluto e sem massacre, Keen destrua o coração da tormenta, em nome de arton eu conclamo sua destruição"

( uso Milagre para destruir o Item)


A energia do milagre avança sobre o coração e despedaça a proteção impenetrável, em seguida indo para o coração. O artefato profano então tenta combater a energia com um fluxo de matéria vermelha e o choque entre as duas potências místicas provoca uma onda de choque que derruba a todos os presentes. Quando todos olham o coração estava em pedaços no chão. Mas a matéria vermelha ainda não sumiu do local. Embora vocês sintam que a corrupção parou de tentar invadi-los, a mansão estava tão corrompida quanto antes.


— Emfim, você agiu como deve o seu papel, sacerdote. O papel de curandeiro não é para você. Além do que, sempre achei que não deixaria eu candidato a concubino esmorecer ante a ameaça lefeu. _ diz o artífice enquanto retorna a sua tarefa.

*Greed cuida de recarregar a arma.*


*Dante levanta cambaleando, e mais uma vez convoca o poder de seu artefato e em seguida ataca o inimigo mais próximo*

OFF: uso minha última utilização de ataque certeiro e como é uma ação padrão, eu ataco na próxima rodada o inimgo mais próximo.



Francesca levanta-se depois de sentir a rajada de energia. Estavam vencendo. Isso a encheu de ânimo.

-- Grande Khalmyr, chegou a hora de mostrar a ele a Pesada Mão da Justiça. Que minhas palavras sejam Sua fúria. Que meus esforços sejam a salvação daqueles que clamam por Justiça. Que minha fúria seja Sua Justiça. Por Khalmyr!!! Por Arton!!!!

[OFF: Francesca usa Cura Completa em Massa, depois gasta um Ponto de Ação para usar Soco do Arsenal e o Guardião ataca]

Magias Preparada:

Nível 0: Brilho, Consertar, luz, Detectar magia, Detectar Venenos.

Nível 1: Criar água, Curar ferimentos leves, Detectar armadilhas, Detectar o mal, Detectar o Caos, Suportar elementos

Nível 2: Consagrar, Condição, Restauração menor

Nível 3: Soco de Arsenal**, Respirar na água.

Nível 4: Curar ferimentos críticos, Destruição sagrada, Cólera da ordem**, Remover veneno.

Nível 5: Penitência, Santificar.

Nível 6: Força do touro em massa**, Missão, Palavra de recordação

Nível 7: Palavra sagrada.

Nível 8: Aura sagrada**, Curar ferimentos críticos em massa, Tempestade de fogo**,

Nível 9: Cura completa em massa, Invocar monstro IX**, Ressurreição verdadeira, Tempestade da vingança.

As magias marcadas com dois asteriscos (**) já foram usadas.


A garota é maluca. Isso ele tem que admitir. Ao ver que a portadora estava melhor, e também ao sentir a onda de energia positiva passar pelo seu corpo, Arngrim se anima novamente, levanta-se e corre para acabar com o cavaleiro corrompido.

[OFF: Arngrim levanta-se e corre para ficar lado a lado com o inimigo]



O cavaleiro estava para se levantar depois de ser derrubado da onda de choque quando o Golpe de Francesca, Arngrim e Dante o atingem. Ele é dilacerado antes que possa fazer algo e seu corpo logo derrete em uma poça de gosma. Não há mais inimigos a vista (os elementais deixaram de existir junto com a muralha de energia). A magia de Francesca cura a todos e remove as corrupções da tormenta do grupo (só do grupo)

A mansão continua da mesma forma, vocês também não sentem nada de diferente.

—Isso de nada adiantara. Capturem o senator, ele conhece os segredos do inimigo. Ele deve estar mais cooperativo agora. _ reforça Greed enquanto prepara a arma.

*Greed prossegue em rearmar-se.*


—Vamos arrastar esse imbecil até Aurakas e mostrar um pouco da vergonha de tapista para toda Tiberus essa é minha opinião e depois Torturamos ele até o infeliz dizer o que sabe...

*Roy diz isso sem nenhuma emoção no rosto e depois fala para greed'son com uma certa furia no olhar e na voz:*

—Na proxima vez que você apenas citar que eu tenho algo com esse pederasta, faço com você o que fiz com seus constructos em Yuden...


—Violência não será necessária, ele já está suficientemente apavorado. _ diz Greed terminando seus preparativos.

Após a ameaça de Mustang, Greedson continua.

—Ah, Mustang, sinto-me lisonjeado de que admita que nada menor que um desejo pode fazer par com minha genialidade. _ responde com pouco caso da ameaça.


O senador vai assustado até vocês, ele está completamente coberto de carapaça, assim como as demais pessoas que assistiam aterrorizadas o combate. Ele fala:

—V-V-V-Vocês conseguiram? Vocês nos salvaram?

Vendar olha ao redor e fala um pouco afastado do senador.

— Pessoal, não notaram nada de errado?

Ele vai até os pedaços do coração.

— Pelos relatos que li, quando o coração da tormenta de Tamu-ra foi destruído ele sugou tudo o que era Lefeu, mas isso não aconteceu aqui.

Ele olha para as paredes.

— Acho que não acabou.

_________________
"Força Bruta: se não funcionou, é porque você não usou o bastante"
-Um sábio...
avatar
Tahlus
Mentor
Mentor

Mensagens : 102
Data de inscrição : 14/11/2013
Idade : 27

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Última Libertação - 1ª Fase

Mensagem por Tahlus em Dom 17 Nov 2013 - 16:24

Capítulo XII


Aeron olha em volta, e diz:

—Parece que seria simples demais se acabasse assim...

Olhando em direção ao Senador, ele pergunta:

—O que mais vocês tem escondido por aqui? Se não acabarmos com tudo logo essa luta de agora poderá ter sido completamente inútil...


O senador fala nervoso.

—Não tem mais nada escondido. O que deu errado? Vocês não venceram? Por que ainda estamos assim?

Ele parece cada vez mais apavorado.

*mustang olha bem para casa e faz um teste de conhecimento tormenta par analisar a casa e tentar achar o coração*


—Talvez esse local ainda precise ser purificado, tamanho foi o estrago feito por aquele artefato.

Francesca reza enquanto Arngrim fica de prontidão caso aconteça algo.

[OFF: Francesca usa Santificar enquanto Arngrim se mantêm preparado para caso aconteça, ele ataque]



Teste de conhecimento de mustang 16+34=50

Quando Francesca usar o santificar (levará um dia e 1000 TO para ser lançado) Mustang começa a notar. A emanação da tormenta não tinha parado, só estagnado. O coração mesmo destruído ainda ligava os dois mundos, mas o lorde não havia chegado, vocês saberiam na hora se isso ocorresse. Alguém ou alguma coisa ainda servia de elo com o coração e o mantinha funcionando e não podia estar longe ou não poderia criar um elo tão sutil.

Alguém ou alguma coisa dentro da sala em que vocês estão está ligado ao coração. Enquanto houver a ligação o coração não poderá ser completamente destruído e irá se recompor em algum tempo.


O construto vivo não achava que estavam seguros, em terreno inimigo todo o cuidado é pouco. Ele se dirige ao lado da sacerdotiza, que tanto parecia ter sofrido ante, com o intuito de resguarda-la.

Greed desconfiava de algo, enquanto parecia estar entretido com seu armamento. Ele fita o senator de disfarçadamente e, tocando num botão secreto, baixa uma lente feita do olho de um mastin vermelho de Pondsmânia, do tamanho de uma iris, sobre um de seu olhos.

*Greed analisa o senator.*

(Off: Testa Conhecimento Tormenta+37 e depois Rola Percepção+34+dado contra Visão da Verdade CD30, SUCESSO!)


Greedson não nota nada de diferente com o senador. Ele é realmente um minotauro assustado com corrupção da tormenta em seu corpo.

—O senator parece estar limpo. Só posso crer que seja outro alguém, até mesmo, talvez, seja este mesmo prédio.

*Greed foca-se na estrutura estudando cada protuberância e a arquitetura que analisou enquanto vinham ao centro da ameaça.*

(Off: Testa Conhecimento Tormenta+37 e usa Localizar Objeto para tentar discernir o ponto mais provável da origem da joia da Tormenta do prédio lefeu.)


*Cada músculo do corpo do elfo tremia depois de toda aquela luta. Ele olha em volta e depois diz*

— Temos que acabar logo com isso, estamos exauridos, não vamos aguentar mais lutas como esta se não descansarmos.


Arngrim observa o local, tentando descobrir onde está a elfa. Ela parecia saber mais que o bosta do seu mestre.

[OFF: A elfa está viva? se tiver Arngrim vai pegá-la para interrogar]


—Não perca eu tempo. Ela nada mais era do que uma manifestação, assim como o jovem elfo que acaba de se dissolver aos nossos olhos. Precisamos encontrar a joia da Tormenta ou a real ligação com a Tormenta desse lugar.  _ diz o erudito seguindo com sua investigação.


A joia da tormenta do prédio não estava no raio de localizar objetos, portanto não estava próximo o bastante para ser o foco de ligação. Era outra coisa que servia a tal função. Greedson também vê através da visão da verdade que as paredes estão cheias de órgãos de artonianos entrelaçados em meio a matéria vermelha, são centenas de órgãos de todos os tipos.


Vendar olha o senador e para as demais pessoas encolhidas no canto da sala com medo de vocês. Ele então se volta para vocês.

— Pessoal, não acho que o foco seja o senador ou outra das pessoas na sala. Tem que haver alguma pista. Algum de vocês notou algo fora do normal? Alguma coisa que não se encaixou? Qualquer coisa? E greedson, aquele cavaleiro era um humano e não um elfo.


—Meu raio de rastreio está curto, mas posso afirmar que ninguém dentre eles é a fonte de ligação da Tormenta. - Diz Greedson. - É algo mais. Vossa Santidade, Bentanne, ainda podemo estar sofrendo de ilusões, por favor, cuide disso, sim? _ diz atirando algumas esferas embrionárias, que partirem-e na queda liberam dois monstros ameboides que começam a crescer.

*Greed cria quatro criaturas ameboides para cuidarem das armas e dos restos dos dois aliens.*

(Off: 4x Naturalismo+24+dado contra Invocar criaturas III CD27.)

—Já ouvi falar de uma fortaleza assombrada em Lamnor, que na verdade tratava-se de um uma legião de fantasmas reunidos em torno de um único coração forte. Não sei ainda apontar se é o caso aqui, mas aqui, mas aquelas duas aparições e as ilusões me fazem suspeitar._ diz enquanto caminha até a poça em que o cavaleiro se dissolvera. Ele põe a amostra dentro do dispositivo que usara quando entraram e o liga.

—Vejamos se terminamos essa brincadeira de gato-e-rato. Mostre-nos todos os artefatos lefeu e o que mais tiver esconde, senator. _ ordena ao minotauro.

*Ativa o aparelho e começa a vasculhar.*

(Off: mesmo de antes, ma empurrando o senador à frente. Caso ele não coopere, usa Enfeitiçar monstro nele ou Dominar monstro.)




Jogada de manobra de Greedson: 13+9=22.

Quando Greedson vai pegar as amostras da poça em que o cavaleiro se dissolveu, subitamente uma mão surge e o segura. Ele ouve a voz do cavaleiro.

— Fiquei pensando até quando vocês iriam me ignorar. NINGUÉM me ignora.

A mão então subitamente puxa Greedson para dentro da parede, Greedson some da visão de vocês. E logo o cavaleiro surge de dentro da parede diante de vocês.

— Sempre assim. Vocês sempre fizeram questão de me ignorar. Na ordem da luz erra assim. Não importa o que eu fizesse, quantas vidas salvasse ou quantos inimigos vencesse, ninguém me reconheceu. Ninguém se incomodava nem em saber meu nome. Sempre tentavam atrapalhar minha ascensão, mas agora eu sou um campeão da tormenta. Vou matar todos que me ignoraram.

Ele então levanta uma das mãos.

—Querem ver o que está impedindo sua vitória? Então vejam o poder de meu mestre e se desesperem.

Subitamente uma grande massa de matéria vermelha começa a rodopiar e toma a forma de um ser aberrante lembrando um general em uma armadura de carapaça e portando um machado de matéria vermelha. Todos vocês sentem palavras vindo em suas mentes.

"Eu sou Gatzvalith. Esta é uma extensão de meu corpo. Artonianos, vocês se mostraram capazes. Agora mostrem sua determinação. Se vocês se tornarem meus campeões todos os seus desejos serão realizados, pois sou aquele que pode tudo. Se me desafiarem sentirão minha ira."

A criatura espera uma resposta, mas está pronta para lutar se for atacada.


Greedson está dentro das paredes do castelo e sente-se nadando em uma espécie de gel vermelho transparente. Ele nota dois demônios da tormenta nadando através do gel em sua direção, eles o alcançarão e o matarão antes que ele consiga nadar para fora, a menos que ele lide com eles primeiro.


Off: Greedson está prendendo a respiração e é considerado lutando em água.



A situação era bem ruim, muito fácil para e desesperar alias. Mas, desespero era algo fácil, então, Greed obrigou-e a permanecer são, como até agora diante da força invasora da Tormenta. E sua sanidade metódica encontrou uma saída.

(Off: Caso tenha aceso a algum item da arca. Usa Saque Rápido e arma uma mina ante pessoal.)

*Greed arma uma mina ante pessoal e aguarda o inimigo e aproximar, sabendo que elas não explodem para o lado oposto, então detona parede e os inimigos.*

[/i] (Off: Caso não tenha nada além da armadura. Usa Criar passagens.) [/i]

*Greed se recosta na parede, parecendo vulnerável, mas uma manopla põe uma carga de pedra do trovão em uma falha, o estrondo aumenta a rachadura abrindo uma passagem que permite ao fluxo lança-los para fora.*


—Gatzvalith! Lembro de um nome assim, mas lembro-me também que havia matado você. Não importa, matarei você de novo, e de novo, e quantas vezes vier. Pequena, é hora de acabarmos com isso! Defenda-se!

[OFF: Arngrim investe com Gram +41 (16d8+48)]

—Você sentirá agora a Ira de Khalmyr! A Fúria de toda Arton cairá em cima de você.

[Francesca fica atrás de Arngrim e prepara uma Curar Ferimentos Críticos ]

Magias Preparadas:

Nível 0: Brilho, Consertar, luz, Detectar magia, Detectar Venenos.

Nível 1: Criar água, Curar ferimentos leves, Detectar armadilhas, Detectar o mal, Detectar o Caos, Suportar elementos

Nível 2: Consagrar, Condição, Restauração menor

Nível 3: Soco de Arsenal**, Respirar na água.

Nível 4: Curar ferimentos críticos, Destruição sagrada, Cólera da ordem**, Remover veneno.

Nível 5: Penitência, Santificar**.

Nível 6: Força do touro em massa**, Missão, Palavra de recordação

Nível 7: Palavra sagrada.

Nível 8: Aura sagrada**, Curar ferimentos críticos em massa, Tempestade de fogo**,

Nível 9: Cura completa em massa**, Invocar monstro IX**, Ressurreição verdadeira, Tempestade da vingança.

As magias marcadas com dois asteriscos (**) já foram usadas.


*Thomas olha com uma certa curiosidade e diz*

—Acha que tem algo a me oferecer, vamos mostrar a ele quem manda por aqui mustang meu querido... Keen, destrua o ser que ousa manchar seu campo de batalha com sua presença mostre a ele que o nico vermelho que deve existir em arton é o do sangue de suas Guerras, como seu sumo sacerdote eu Clamo seu poder


*Thomas usa Milagre e exige que Keen e exige a destruição do ser que liga a tormenta a este lugar, que seja destruído o que mantém a tormenta unida a esta mansão*


*Roy olha para Thomas e diz:*

—pederasta agora.

Virtutem, quæ sumitur a magiae meae ostendemus quod arton Yuden et sunt superiores Lefeu ego desjo hoc dampnas iunctio est delevit

*Roy usa desejo e exige a quebra e o banimento da ligação de lefeu com esta mansão e a quebra da ligação de lefeu com esse pedaço de tapista( apenas a parte ofensiva ou seja nada de incluir seu pj)*

*Dante aperta o cabo de sua arma, olha os dois companheiros usarem suas poderosas magias e espera pelo resultado. Em caso de uma falha ataca imediatamente*

Aeron firma sua katana, se preparando para atacar com força total caso os ataques mágicos não sejam suficientes para acabar com o inimigo...

A mera presença daquela fração do inimigo já era por i perturbadora. Então, imaginar sua real ameaça não estava entre as opções de gastar o precioso pensamento. O construto fitou apenas em preparar uma investida direta usando a arma lefeu.

*Shura aguarda junto aos dois guerreiros e ataca com as arma lefeu caso o inimigo permaneça em pé.*

(Off: Shura aguarda até ver o resultado, ó então faz uma investida com a armas lefeu. Crânio da ameaça+11+dado, dano: 2d4+5+5for+6nível+1d6 fogo com energia da Tormenta cada, x2. Dobrado pelo ataque de carga.)

(Off: Só caso haja ponto de ação, ele queima para aumentar a chance de acerto.)






Off: Vou considerar que as magias de Mustang e Thomas vão emular a magia destruição (em 9° nível). Se gatzvalith falhar em algum teste de fortitude ele será destruído, e passar sofrerá 10d6 de dano de cada magia.


Iniciativa: Mini-Gatzvalith, Dante, Mustang, Arngrim, Thomas, Vendar, Aeron, Francesca, Greedson, Olivia, Shura.



Gatzvalith solta um suspiro de desânimo ao ver as reações de vocês.

—Os segredos do universo a um pedido de distância de vocês e preferem jogar suas existências fora. A capacidade dos artonianos de tomar decisões ilógicas nunca para de me surpreender. Mas essa é uma das coisas que me chamaram a atenção em vocês. Mas eu estive assistindo a luta de vocês, antes de começarmos vamos nos livrar dos insetos insignificantes.

Ele então aponta uma mão para Olivia e outra para Shura e dispara dois raios negros de cada mão atingindo dois raios em cada.

jogada de ataque de Gatzvalith: 63, 64, 59, 61. Jogadas de reflexos de Olivia e shura: Olívia 6+14=20, 13+14=27, Shura: 1+9=10, 15+9=24. Olivia recebeu 135, Shura recebeu 132 de dano e foi desintegrado.

Antes que tenha tempo de reagir Shura é atingido pelos dois raios e sente o que é lefeu desfazendo a própria essência de seu ser. Ele emite um último grito antes de ser completamente desintegrado de modo que não reste nem pó, as lâminas da tormenta que ele carregava são a única coisa que restou. Gatzvalith fala:

—Seu amigo e vocês teriam vivido mais se tivessem conversado comigo. É uma pena, vocês seriam bem úteis.

Jogada de foritude de Gatzvalith: 53, 48. Levou: 79 de dano.

—Muito bom, essas habilidades foram muito acima do que vocês artonianos costumam utilizar. Pena que não é muito útil contra esse pequeno pedaço de mim.


Jogada de ataque de arngrim: 17+41=58, causou 113 de dano. Jogada de ataque de Dante: 9+34=43, errou. Jogada de ataque de Aeron: 2+44=46, 16+44=60, acertou pois Gatzvalith estava desprevido após lançar os raios, causou 64 de dano. Vendar: 1+41=42, errou.

Os poderoso guerreiros investem contra Gatzvalith e alguns conseguem arrancar sangue do monstro diante deles. Gatzvalith gargalha.

—Vocês realmente me surpreendem, É quase uma pena matá-los. Quase.


---------------------------


Greedson espera até o último segundo antes de detonar a mina. A explosão engoliu os dois demônios e inpulsionou o ditador, empurrando-o para fora da parede. Ele sai de lá a tempo de ver Olivia ser ferida e Shura ser desintegrado. Quando ele cai no chão ele vê o cavaleiro saindo da parede.

— Mestre, eles me menosprezaram. Deixe-me ajudá-lo a matá-los.

—Não, o plano está indo bem. Volte para a área de tormenta. Você será necessário lá, meu campeão.

O jovem faz a menção de falar algo, mas baixa a cabeça e some dentro da parede de matéria vermelha. Gatzvalith olha para Arngrim.

—Você será o próximo a seguir o seu colega.

Jogada de ataque de Gatzvalith: 63, 65, 76(crítico), 65. Causou: 340 de dano. Jogada de fortitude de Arngrim: 5+25=30. 5+25=30, 18+25=43. Levou 10 de dano permanente em constituição, sabedoria e carisma. (seu Pv máximo caiu em 100, então caiu para -115).

O espírito de Arngrim foi completamente destroçado pelo poder de Gatzvalith, sem sobrar nada.


jogada contra a insanidade (CD27, 15PIs): Dante: 8+21=29 , Mustang: 12+22=34 , Thomas: 15+20=35, Aeron: 19+21=40, Francesca: 20+20=40, Greedson: 6+17=23, levou 15 PIs, Olivia: 14+12=26, levou 15 PIs.


Condições: Gatzvalith levou 262 de dano, Olivia está com 199 de dano.




Francesca sente em sua alma o estrago causado em Arngrim [OFF: Recebe 50 danos]. Iria demorar, mas ele iria voltar!

—Imbecil, acha que vamos ser derrotados? Ele AINDA está seguro!!! Khalmyr trará a luz de sua fúria!!!

[i][OFF: Arngrim, como espírito original do Coração, só pode ser destruído com a destruição do Item. Francesca usa Destruição Sagrada]




Um contratempo a menos, mas ao escapar do perigo o herdeiro depara-se com o horror da presença aberrante do lorde. Porém, mesmo abalado como estava, e sendo humano, se instigava a reagir.

(Off: Caso consiga o canhão esteja proto e posa alcança-lo.)

*Greed usa a única carga de matéria vermelha que pudera reabastecer, disparando contra o lorde.*

(Off: Canhão de mithral+65+dado, dano: 10d8 +11nível +2desafiador +4destino +matéria vermelha, explosivo 3m, CD29, 19-20/x3, Concussão. Mas, caso não posa alcançar a arma a tempo.)

*Greed libera um gás de sua armadura, cercando a todos e aumentando o seu vigor com Vigor do urso em massa.

(Off: Todos recebem constituição+4, pvs extras e +2 em Fortitude.)

Havia chegado atrasado ao campo de batalha e podia apenas medicar os resultados do combate até ali, apoiando os demais. Teria de ser o bastante.



*Mustang vê o resultado de seu desejo, nada mudara, eras hora de radicalizar*

—potestas mea ad deportandam interitum qui de caelo venit, meteoron imber  (que o meu poder traga a destruição que vem dos céus, chuva de meteoros)

*Mustang usa chuva de meteoros*


*Thomas olha para a falha de seus poderes e diz*

—Keen traga a proteção o escudo de sangue e aço contra a aberração lefeu

*THomas usa Escudo Da ordem*


Aeron ve que o inimigo ainda é extremamente poderoso, mesmo sendo apenas uma parte do original, e decide atacar com força máxima. Olhando para o inimigo, ele diz:

--Parece que está na hora de acabarmos com isso!

Então ele começa a atacar o inimigo usando toda a sua habilidade, e causando destruição a cada movimento...


( OFF: Ok, vamos lá:
-Antes de mais nada, por causa do talento "desafiador da tormenta" eu tenho +2 em ataque e CA;
-Agora, uso grito de kiai, assim ganho +2 em ataque e dano;
-Então, uso sem mente (teste de vontade, minha VON=21) para aumentar cada um dos meus ataques.

tabela:
20 a 24 (+2d6)
25 a 29 (+3d6)
30 a 34 (+4d6)
35 ou mais (+5d6)

-Com isso feito, eu ataco gatzvalith, usando meu PA adicional para ganhar uma ação padrão extra, Ataque poderoso e as manobras chi com arma 'dano pelo chi' e 'infusão de poder', e uso minha ação de movimento para dar um golpe de execução.
Portanto, meu ataque é: +52 (dano: 72+xd6 (sem mente), crit. 16-20, x4; alcance 9m) +48/+48/+48/+/48/+48/+48 (dano: 62+xd6 (sem mente), crit. 17-20, x3; alcance 9m))





Iniciativa: Mini-Gatzvalith, Dante, Mustang, Thomas, Vendar, Aeron, Francesca, Greedson, Olivia.



Mustang dispara sua chuva de meteoros. Jogada de ataque: 16+19=35, jogada de reflexos de Gatzvalith: 39, errou. Ele não levou o dano de esmagamento e foi imune ao dano de fogo.

Thomas utiliza o escudo da ordem.

Jogada de ataque de Vendar: 5+36=41(errou), 18+36=54. Causou: 97 de dano.

Aeron: Jogadas de ataque: 7+48=55, 5+48=53, 16+48=64, 2+48=50, 8+48=56, 6+48=54. Causou 398 de dano.

Francesca usa destruição sagrada: Jogada de fortitude de Gatzvalith: 29, levou só metade do dano, levou 25 de dano.

Greedson usou o vigor do urso.





Vocês continuam atacando com tudo. Mustang disparou sua chuva de meteoros, mas o lorde riu enquanto desviava as rochas com sua arma e passava ileso pelas explosões.

Vendar continua a golpear, mas o lorde é resistente e habilidoso em combate defendendo boa parte dos ataques.

Thomas invoca o poder de Keen para proteção de seus companheiros e quase pode ouvir o som de escárnio de Keen, pois este era um deus do caos do combate, a ordem o lembrava muito de Khalmyr, Keen então se sentia enojado e contaminado toda vez que um devoto lhe pedia um efeito de ordem. Mas o deus deu a benção mesmo assim.

Francesca banhou o local em uma luz brilhante que feriu um pouco o lorde, mas o poder da criatura não se abateu muito.

Greedson fortalece seus companheiros enquanto avalia quais planos seriam mais úteis nessa situação.

Com os ataques de todos Gatzvalith sorri.

—Vocês são muito bons. Mal posso esperar para tê-los em meu exército. Tudo o que é necessário é que vocês venham me enfrentar. É disso que preciso. É só uma questão de tempo. É inevitável. Fiquem com esta minúscula vitória como amostra de minha estima.

A forma do lorde então cai destruída no chão. Imediatamente o coração emite uma espécie de tremor e um vórtce se forma sugando tudo o que é lefeu. A estrutura aberrante da mansão, as carapaças que combriam o senador os demais espectadores. Vocês ouvem Vendar gritar de dor. Ele estava muito contaminado para perder o simbionte, mas a sensação ainda foi extremamente desagradável e dolorosa para ele. O senador vai até vocês.

—V..v...v.. Vocês venceram. Vocês venceram!?

Ele então começa a chorar francesca sente que uma faísca de esperança surgiu no coração do Tapistano.


(Off: Vocês tiveram sorte. O Gatz ia começar a usar o poder sedução neste turno.)
[/i]

_________________
"Força Bruta: se não funcionou, é porque você não usou o bastante"
-Um sábio...
avatar
Tahlus
Mentor
Mentor

Mensagens : 102
Data de inscrição : 14/11/2013
Idade : 27

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Última Libertação - 1ª Fase

Mensagem por Tahlus em Dom 17 Nov 2013 - 16:28

Capítulo XIII



*O Thomas apenas sorri e vai se aproximando do roy aos poucos e de forma súbita e ele rouba um beijo profundo do general ( nem fudendo eu boto de língua ) sem a menor cerimônia e na frente de todos e imobilizando mustang impedindo que ele se mova e escape do beijo até ele terminar e quando ele termina ele mando o famoso olhar 43 e diz:*

—Finalmente e tive o beijo que eu pedi quando entramos aqui, o meu beijo da vitória...

*Olivia fica Totalmente chocada e diz:*

—Ele não me fez esta merda...


*Mustang é pego de surpresa no meio da atitude do sumo sacerdote do deus da guerra e olha para ele Horrorizado e enojado e a primeira coisa que faz e meter um soco na cara do tomas e se soltar dele:*

—Seu infeliz...

*quando esta solto roy usa o poder de suas luvas para atacar o sacerdote com uma bola de fogo*

—Morra seu infame desgraçado, seu pederasta , sua aberração...


Mustang começa a disparar suas bolas de fogo em thomas e o cheiro de carne e cabelo queimado começa a preencher o local (Thomas se machucou mas não está sob risco de vida). Vendar olha para a cena diante de si e fala em um tom nauseado.

— Agora me lembro como é a sensação de ânsia de vômito. Vocês dois não podiam esperar estarem em particular?

Logo vocês ouvem sons de passos e diversos legionários tapistanos entram no recinto. Eles imediatamente cercam vocês mas não parecem estar querendo lutar. Assim que eles terminam de entrar o Imperator Aurakas surge por uma das portas acompanhado de sua guarda pessoal. Ele se aproxima e olha de relance para o Thomas chamuscado.

— Vejo que apesar da aparência vocês realmente foram bem eficientes. Como vocês estão?


—Eu lhe disse que iriamos vencer, Senador... Agora acalme-se. Não há mais nada a temer. A batalha acabou.

Francesca consola o senador. Quando vira-se para os outros e vê aquela cena talvez tão aberrante quanto aquelas criaturas. Francesca fica ruborizada.

—Vo, vo, vo, vocês não tem nada ma, ma, mais a fazer? Que pouca vergonha!!

Alguns instantes depois, entra a comitiva do Imperator Aurakas.

—Sim, milorde. Estamos bem. Soubemos desse pequeno culto ainda lá em Yuden, e tivemos que investigar. Pensávamos que já havia chegado ao Palácio, mas graças aos Deuses não havia. O general Mustang armou aquela encenação para tentar conseguir algumas informações, a pedido meu, Milorde. Então, conseguimos a informação de que o Senador Rêgulus Ostório havia sido coagido a agir de encontro a suas crenças. Então entramos em ação para evitar um desastre. Então, meu senhor, qualquer punição que meus companheiros venham a receber, deverá ser dada não a eles, e sim a mim, que os comandavam.


—Hum... isso será de grande valia, depois que tiver tido tempo de doma-las. Nada que alguma noite insones não rendam em positivo.  Ah, sim, devo ter algum alucinógeno que poderemos usar contra a influência de Gatzvalith. Claro, na verdade ele é um veneno retirado dos esporos do povo fungi de Doherimm, mas é melhor que ficar obre a influência do lorde. Agora, aos negócios. Aurakas, essas armas lefeu assim como qualquer outro monstro que tanha escapado da destruição do portal. Fique certo que serão usadas contra o invasores. _ apertou o déspota enquanto já planejava contra o inimigo extremamente desigual. Greed'son ainda estava abalado pelo poder da mera presença do lorde, ma tentava não transparecer. Não conseguira as joias da Tormenta que viera buscar, mas se contentaria em estudar aquelas armas. Também era preciso comunicar-se com seus agentes e reunir as peça do golem, mesmo destruído ainda era um material valioso.



Aeron estava um pouco ofegante, atacar daquele jeito era algo cansativo, mas estava satisfeito que havia sido o suficiente para derrotar aquela miniatura de lorde... Quando os dois colegas começam a se beijar, para logo em seguida mustang começar a soltar bolas de fogo em cima do outro, Aeron se limita a dizer "Francamente..."

De repente vários minotauros entram no recinto, sendo um deles o próprio Aurakas. Sem relaxar, Aeron fala:

—Considerando quem estávamos enfrentando, estamos bem. Agora, se me permite a ousadia, o que o próprio Imperator veio fazer num lugar que ate agora estava tão contaminado, e como chegou aqui tão rapidamente?

Aeron ainda achava a situação suspeita, afinal não era uma boa ideia alguém da importância de Aurakas aparecer num lugar onde ate agora havia tanto lefeu...


(Off: Sobraram duas espadas da tormenta e dois crânios da ameaça )


O imperator Aurakas sorri magnanimamente.

— Sim eu sei de tudo o que aconteceu aqui. Eu sabia de tudo antes mesmo de vocês chegarem. O serviço de inteligência tapistano é mais eficiente do que vocês imaginam. Tanto que pegamos um dos espiões de Yuden logo depois que ele chegou a Tapista.

Ele então faz um gesto e Havoc entra escoltado por vários legionários minotauros. Ele fala:

— Desculpe general, eles me pegaram no meu primeiro mês aqui.

Aurakas sorri.

— Desde o começo todas as informações que Havoc passou para o serviço secreto de Yuden foi generosamente fornecida por nós. Já sabíamos que Rêgulus estava planejando algo. E quando eu pensava em mandar o exército, vocês chegaram. Então eu sutilmente cuidei para que vocês cuidassem da ameaça ao meu grande império, enquanto meus espiões seguiam seus passos e acompanharam a luta de vocês contra os monstros. E aparentemente agi corretamente, pois se vocês estão cansados dessa forma, um pelotão seria dizimado.

Ele então vai até Francesca.

— Peço desculpas se manipulei vocês. Mas vocês também não foram muito sinceros, então acho que estamos quites. Mas mesmo assim vocês prestaram um grande favor ao império e a Arton como um todo. Me sentiria honrado se vocês aceitassem descansar em meu palácio. Sem esquemas desta vez.


*Mustang simplesmente olha furioso com as palavras de Francesca e diz:*

—Esse pederasta e você já estão me enchendo a paciência, lembre-me de pedir dispensa desta porcaria de missão, foda-se o Lucian, não estou nem ai...

* quando Aurakas entra, Roy fica meio que temeroso por outros combate, mas quando ele começa a falar ele fica mais calmo, mas ao ouvir toda a ação de Havoc e sua incompetência ele diz:*

—Havoc prepare-se para passar alguns meses em Hardoff, eu pessoalmente vou assinar sua ordem de prisão, soldado

* Ele olha para Havoc furioso e diz*

—Uma coisa é ser apanhado, outra é revelar informação de secreta de Yuden e outra muito pior é MENTIR PARA SEU OFICIAL SUPERIOR

* Riza vem entrando e escuta a conversa e diz:*

—General por que chamou Havoc de soldado? ele primeiro tenente

*Mustang olha Riza e diz*

—Correção Coronel, ele ERA primeiro tenente, assim que chegarmos a Yuden, ele vai para corte marcial e vai ter sorte de for dispensado com desonra...

*Riza e Hugles simplesmente calam a boca e olham para Havoc como se desejassem os pêsames ao colega*


*Olivia ve que havoc estava mancomunado com os minotauros e pelas palavras do próprio Aurakas e diz:*

—Se quiser que eu tesmunhe contra ele mustang, eu estou aqui, mas seria melhor você baixar seus ânimos, lavemos a roupa suja em casa, ou seja, em yuden

*Thomas apenas sorria pelo ocorrido e depois de um pouco de devaneios ele diz*

—A o imperador esta ai, quem se importa, o que foi mesmo que ele disse sobre minha igreja a é mesmo não somos bem vindos... Somente não deixei esta porcaria do jeito que estava por que não recuso um bom combate...
e sim se havoc esta trabalhando com os minotauros ele merece que ter a cabeça pendurada em mastro por alta traição....

* depois de uns minutos ele para e pensa e pergunta a olivia:*

—Ainda fazemos isso com traidores? Sim santidade nós fazemos

—ótimo vai ser um ótimo espetáculo...


Diante do que ocorria, Francesca tenta intervir.

—General, veja por outro lado. Se não fosse a tal "deserção" do seu comandado, não haveria suporte para o caso de falharmos. E não, General. O senhor não vai fazer nada contra seu comandado... Já que foi por ordens da Rainha-Imperatriz que ele passasse as informações de acordo com a inteligência do império. O senhor não soube de nada por não ler memorandos, mas todos de sua equipe haviam sido informados.


*Riza olha estranhada para Francesca e diz*

—Só eles chegaram na casa do seu deus e ele leu pois, nós não sabíamos de nada, general se Havoc traiu sua confiança, o senhor pode transferi-lo para infantaria do general Basque Gran... ele vai ADORAR ter o um deser... digo um novo comandado vindo da primeira companhia

*Hugles olha para havoc e diz:*

— Ta Fudido Havoc vai sair do batalhão da primeira companhia, para ir para o front goblinoide... meus Pêsames

*Roy olha para Francesca e seu olha demonstra seu desprezo pela sacerdotisa e diz:*

— Me ressucite, sua maluca, e depois eu nunca mais quero ver a sua cara imunda na minha frente... você entendeu?

— Não deveria falar assim com sua carcereira, Lorde Mustang. Ainda mais quando um parecer dela fará você ficar junto do mercenário por um bom tempo!


*Riza e hugles sacam suas armas prontos a atacar a sacerdotisa e Roy fala*

—Mas ela não seria tão desleal já que por incompetência dela eu fiz isso, e ela me deu sua palavra de que eu voltaria ao normal assim que esta merda acabasse e caso ela me faça a besteira de me fazer prisioneiro, bem posso fazer com que o culto a khalmyr me yuden seja oprimido o máximo possível...


—Não foi isso que eu quis dizer, general. Apenas disse que você deveria ser mais educado com os outros. Principalmente quando é para pedir algo. E o senhor fala de incompetência minha, quando foi o SENHOR que não leu os dados enviados a sua mesa. Mas não se preocupe, basta autorização do Imperator e eu ressuscitarei você imediatamente.


Aeron olha para a discussão de seus colegas e diz:

—Vocês só sabem querer se matar? Francamente, nós não temos nada a ver com esse problema de deserção yudeniana, então se vocês querem discutir isso, façam quando estiverem só entre vocês...


—Não precisamos de sua caridade sua vaca.

*fala hawkeye e ela continua:

—Esses relatórios não foram enviados a primeira companhia, sua imbecil eu cuido deles e o general lê tudo que é necessário e ele não deixaria de ler nada do necessário enquanto eu cuidar desta parte do serviço dele, e sinceramente com todo respeito ao imperator, não fico neste lugar mais um dia, general ,será que podemos ir embora? vamos achar uma outra clérigo para trazê-lo de volta general, não precisa se preocupar.

*hugles olha para riza e diz*

— Tirou as palavras da minha boca, quero ir para Yuden...

*Roy olha Francesca e diz:*

—ja que o SEU magnífico trabalho foi feito Francesca, eu vou embora...

* Mustang vai saindo por onde houver uma saída, mas não antes de fazerem os três uma reverencia a Aurakas*


—Eu pedi para ter calma. Se os dados da missão não chegaram em suas mãos, Tenente, então é porque o Exército com uma Nação está com algum servo da Tormenta em suas fileiras. Então devemos proceder com calma... Não ache que eu odeio Yuden. Minha mãe era yudeniana, e eu sei exatamente como funciona o exército, por isso peço para ter calma.

*Roy respira fundo e olha para Havoc com a cara de depois conversamos e diz:*

—Irei voltar para Yuden Francesca e se me fizer o favor de me libertar desta maldição eu vou agradecer...


Aurakas olhava a cena e parecia se divertir bastante.

— Senhor Mustang. Você ficaria mais irritado se eu dissesse que quando você se matou era completamente desnecessário? Eu apenas estava fingindo raiva. Vocês salvariam meu país destruindo o foco da tormenta. Eu ia fingir raiva e depois inventar uma desculpa diplomática ou fuga da prisão qualquer depois para você se reunir com seus colegas depois.

Ele sorri.

—Sob essa perspectiva o fato de você ser escravo da sacerdotisa... bem... foi por culpa inteiramente sua. Mas olhe pelo lado bom, se você continuar dentro do coração vai estar afastado do amor da sua vida. Eu pessoalmente acho seu relacionamento com o sumo-sacerdote de Keen algo extremamente repreensível. Mas a vida é de vocês.

Ele se volta para Francesca.

— Sugiro que só o solte quando ele aprender a se comportar.

Agora falando mais calmamente ele fala.

— Quanto ao Havok, bem digamos que sua rainha imperatriz possa explicar a situação dele melhor do que eu. Por enquanto, com o consentimento dela, Havok é um convidado do imperio de Tauron e permanecerá na capital sob a proteção do meu exército. Essa é a palavra final minha e de Shivara.

Ele olha triunfante para Mustang e os demais Yudenianos.


* O general olha para francesca extremamente irado e diz*

—quer saber de uma Fodão-se... FODA-SE AURAKAS, FODA-SE VOCÊ HAVOC, FODA-SE VOCÊ FRANCESCA, E VÃO PRO INFERNO QUERO MAIS QUE SE VIREM  E VOCÊ HAVOC PISE EM YUDEN E EU GARANTO A VOCÊ QUE TODOS OS GENERAIS VÃO QUERER SUA CABEÇA EM BANDEJA DE PRATA...

*Depois vira Francesca e diz:*

—Da próxima vez que você tiver um plano, sua meretriz, soque-o no meio das suas pernas e gire...

*Depois vira para Thomas e diz:*

— Toque em mim de novo e eu faço você sua estúpida família se arrependerem de serem yudenianos...

* Mustang usa um desejo para se teleportar para yuden junto com Riza e Hugles*

( OFF: vou usar o havoc já que ele é meu seguidor Ok! )


*Havoc Arrega-la os olhos e diz:*

— Nunca mais vou ter um dia de paz em yuden, e o pior temo com que eles vão fazer com a minha família agora que o único general que eu podia contar me odeia, eu fiz ele de idiota, toda a equipe vai me odiar... Agradeço a hospitalidade, mas não quero adiar minha tortura, se eu chegar logo, tenho a sorte dos outros oficias não serem informados a tempo...


—Ma, ma, ma, ma, espera!!!! Eu vou lhe ressuscitar agora.

O General some. Francesca para alguns instantes e Mustang reaparece no local, em forma fantasmagórica.

—Se você aguardar um momento, eu estava para lhe dizer para pelo menos aguardar que eu o traga de volta ao mundo dos vivos.



*Olivia olha para Havoc e diz:*

—Olha eu acho que você se fudeu desta vez havoc e nem se preocupe, eu vou ajudar mustang a acabar com sua reputação e quando você voltar não vai ter mais uma carreira seguir, mas tem uma coisa...

— Quem vai nos levar de volta...

*olivia olha para Thomas que ainda esta chocado com a fúria de mustang e diz:*

—Não faço a mínima ideia


Aurakas sorri.

— Não se preocupe. O Mustang deve se acalmar quando notar que sua "traição" foi um plano de Shivara, a rainha dele. Ele deve ser informado dos detalhes em algumas horas. Até que as coisas se resolvam, Shivara estará cuidando pessoalmente da segurança de seus familiares.

Ele então fala.

— Bem acho que devemos jantar e nos preparar para a reunião de amanhã. Como vocês foram convincentes na reunião ontem, eu decidi que o império de Tauron realmente vai ajudar o Reinado e teremos uma reunião com Shivara Sharpblade. Eu gostaria que todos vocês me acompanhasse nessa reunião. E recebam os louros por suas vitórias. Shivara pediu que vocês estivessem presentes.

—Vamos a um local seguro para realizarmos a magia. Há um templo a Khalmyr próximo onde podemos revivê-lo, general.


* Mustang esta-la os dedos e atira uma bola de fogo em Francesca*


Imediatamente um mago da comitiva de Aurakas usa contra-mágica para anular a bola de fogo. Um minotauro fala:

—Nada de violência na presença do Imperator.


*General olha para Francesca e diz:*

—Vai me pagar por cada Humilhação que eu passei aqui na sua igreja sua vagabunda... e você seu traidor vai pagar caro,não quero nem saber como vai explicar isso... Pouco me importa a sua vida e a de sua família agora Havoc, eu vou fazer questão de joga-los aos Leopardos...

*Mustang respira fundo e diz*

—Me ressuscite, rápido, e depois disso eu vou embora, e não tem nada que me faça ficar mais do que o necessário aqui

*havoc olha para mustang,sabia que tinha acabado de perder um grande amigo e tenta argumentar um pouco*

—Ge.. Ge.. General me escute por favor, eu não tive culpa, foram ordens e ...

* Mustang lhe manda um olhar mais gélido do mundo e diz:*

—E as cumpriu muito bem havoc, espero que fique feliz e suporte as escolhas que fez, mostrou a quem é leal... e me enganou direitinho e por isso lhe dou meus parabéns...


—Perdoe-me, general. Percebi o quanto seu ego fora agredido durante nossa convivência. Entendo que não gosta de receber ordens de uma mulher, ainda mais de uma que não seja do Exército. Eu o agradeço por ter conseguido chegar aqui. Aprendi muito nessa missão. Peço que me perdoe pelos insultos que passou. Se houver algo que eu possa fazer para me desculpar, é só pedir.

*Mustang olha para Francesca com nojo:*

—Nada que você faça vai repara toda a humilhação que passei. Me livre de ter que viver mais um instante em sua companhia e eu irei embora e deixarei os grandes heróis e a você em paz...  Não pretendo ter mais nenhuma relação com estas empreitadas se virem sem mim...

Vendo a discussão, Aeron pensa "não é segredo que eu não me dou bem com os minotauros, mas o Mustang estava merecendo isso..."

Ele então se vira para os outros do grupo e diz:

—Ficar ouvindo essa discussão deles não vai levar a nada, vamos resolver logo o que tiver para ser resolvido, duvido que tenhamos muito tempo para descansar, de qualquer forma...

—Tudo bem, general. Começarei a ressurreição imediatamente

Francesca ajoelha-se e começa a rezar a Khalmyr.

[OFF: Francesca usa Ressurreição Verdadeira]

*Mustang respira aliviado ao ver que está vivo de novo e se põe a andar em direção a saída de Tiberus sem pensar duas vezes*


*Thomas pensa em falar algo, mas mustang já esta sobrecarregado demais para ouvir qualquer coisa que seja e ele apenas cruza os braços e vê mustang sair de Tapista*


*mas Olivia não tem a mesma noção e pergunta:*

—Para onde esta indo ? Mustang, a rainha quer nos ver, você não pode ir embora, é um ordem real, e fora que Aurakas, ele vai...

*ela titubeia um pouco e grita:*

—Roy provavelmente você não tem mais nenhuma magia de transporte, não se preocupe nós vamos cuidar do traidor, somos generais, mais cedo ou mais tarde ele vai ter que sair e então ele esta morto...  Ele traiu o pais errado...

*Se ver que roy não para ela diz*

—Roy seja razoável, o que vai fazer ? Andar até Yuden ?


*Dante olha tudo e se sente muito cansado*

— Cadê aquela casa de banho e aquelas escravas? - *diz guardando a espada*


Durante a discussão, Greed toma pesadas drogas que o manterão são e em pé pelas horas vindouras. Ele não detém Mustang, não era o momento. Apena fala com alguns comedidamente.

—Vendar, não sei o que pretende, mas aproveitaria que acompanhasse meu ameboides até Vectoria, onde farei destas arma, arma anti-lefeu. _ convida, já assistindo o mago tornando-se carne de novo.

Embora fosse proveitoso um conselho de guerra para o que vira, era o momento de esfriar os ânimos. O general havia sofrido não só com a pressão da insanidade lefeu, mas com uma traição e a amargura da realidade, em que se matara a si e seus comandados para nada. Precisaria de tempo para refletir, embora, talvez não o tivessem.

—Deixe-o, todos vocês precisam de um tempo. Descansem, descansem, mas não baixem a guarda. Da próxima vez, é provável que lefeu venha até nós. _ diz à clériga.

Ele atira algumas esferas ao chão que crescem e recolhem tudo que aponta a dedo. Depois, se põem a segui-lo.

—Encontrarei vocês depois que tiver terminado. _ conclui saindo com sua estranha comitiva.

A caminho, Greed desvia-e intencionalmente a seguir Mustang e se emparelha com ele para dizer. Fala:

—Rum ou cidra da Serpente?


*Mustang da uma leve olhada para Trás e diz:

—Diga àquela vagabunda que se diz uma rainha, que pela primeira vez em mais de 10 anos de exercito estou com saudades de Mitkov como governante, e que ela provavelmente vai receber minha baixa dentro em breve, assim ela não vai poder me manipular...

*Quando Olivia pergunta se ele vai a pé Mustang diz*

—Na verdade só vou andar até sair desta pocilga e dai vou descançar na taverna mais proxima, ai sim eu vou para Yuden... Boa sorte em sua aventura contra Lefeu, eu diria que lhes desejo sucesso, mas eu não gosto muito de mentir quando não é necessário, eu realmente desejo que vocês se estrepem...

*Mustang escuta o que Greed'Son fala e diz:

—Não , eu passo o convite de beber meu caro estou indo para casa e não quero beber uma gota das bebidas baratas que tem nesta pocilga que chamam de império...

—Como quiser, mas ganharia tempo acompanhando-me a Vectoria. O Mercado nas Nuvens ira embora dentro de dois dias, haverá tempo para descanso e se não, poderá arranjar transporte rápido. Também poderemos discutir o ponto fraco de Gatsvalith que encontrei. Sem esquecer de mencionar que a bebida lá em cima é bem melhor.


Aeron ve a reação de Mustang indo embora e diz:

—Sinceramente, é isso que ganhamos por trabalhar com bebês metidos a soldados...

Aeron então se vira para os outros yudenianos e diz:

—Espero que vocês sejam mais maduros que aquilo...


—Não espero que vocês entendam o que foi perdido aqui, para nós yudenianos, fomos apunhalados pelas costas por um dos nossos !!!

*Ela suspira e diz:*

— e não sei de você Thomas, mas eu vou ficar nesta festa apenas dizer a rainha que não volto mais...

*Depois ela Fala:*

—E faço minhas as palavras de Mustang, Havoc, escolheu o lado a que servir, se ajoelhou aos pés de Aurakas, sofra as consequências de seus atos, Mustang esta certo só foi exagerado... mas você já esta morto só não foi informado ainda...

*Depois ela volta para Aeron e diz:*

—Nenhum general pode trabalhar no escuro total, temos que ter INFORMAÇÕES para saber se estamos dando ORDENS CORRETAS, pois por causa de um general sem informação ou com informação errada um pelotão pode morrer ou melhor um exercito inteiro e com isso perder uma guerra...  Eu tambem fui apunhalada, mas pela minha rainha, que me jogou aos lobos e só que Mustang ela jogou aos Chacais...  Se ela continuar com esse otimo comportamento com exercito de Yuden,ela vai ser assassinada por dissidentes muito rapidamente e tera sua cabeça em uma estaca na frente de Hardoff...

Não tenho mais nada a falar sobre isso, ela esta perdendo generais atras de generais, as unsurreições vão ser lideradas homens carismaticos, como mustang, mas seram levadas a cabo por Homens praticos como O genereal Basque Gran...

Mustang tem muitos aliados e admiradores, não espantaria se Ele começasse um revolta em Yuden bem no meio da missão que estamos fazendo, ai shivara vai ter combater duas frentes, a tormenta e Yuden, e sem o exercito de yuden ao seu lado, ela vai ter muita dificuldades futura, posi apara calar yuden ela vai ter que reduzir o reino a cinzas...

*Thomas apenas da um sorriso malicioso e diz de forma sarcastica:*

—O poder de liderança de nossa rainha é incrivel, ela esta fazendo os próprios assassinos sem muita dificuldade, keen salve a vida curta e sem propósito da rainha de Yuden..

Francesca então fala:

—O problema, Sumo-sacerdote, é que as informações foram enviadas para o Mustang. Se não chegou, a culpa é do seu exército. Antes de acusar a Rainha-Imperatriz de algo, deveriam investigar e dar um julgamento justo. A não informação, como o senhor mesmo disse, é destrutiva. Então, Mustang, Thomas e Olivia, descubram quem foi o culpado por isso antes de acusar infundadamente a Rainha-Imperatriz. Parem de ser crianças.


E Aeron responde para a General:

—Eu não reclamo de vocês não gostarem da situação, mas acho que aquela não é uma atitude que se esperaria de um suposto general... Enfim, eu não tenho qualquer ligação com Yuden, nem me interesso pelas patentes de vocês, mas sinceramente, não estou surpreso com a atitude do Mustang, Desde a primeira vez que nos reunimos ele já mostrou esse temperamento infantil de garoto mimado...

Olivia então começa a falar:

—Na verdade, se você diz isso, esta me chamando de traidora, Francesca, eu sou quem recebe essas informações deste calibre de shivara...  Ela simplesmente não achou importante nos informar, é por isso que eu digo, se ela acha que vou ficar numa missão dessa arriscando meu pescoço por nada, ela esta muito enganada...

— E antes de falar capacho de Aurakas--- Diz olivia olhando para Francesca---Meça bem suas palavras, você não é nada, não é uma yudeniana, sua mãe é maldita por colocar um ser como você no mundo, você humilhou um General de Brigada e acredite, nós generais nos odiamos as vezes, mas sabemos reconhecer um inimigo comum quando vemos um...

Shivara pode ser a Rainha, mas o comando dos exércitos ainda é nosso, ela tem que escutar nossa voz, caso contrario, ela não teria bons resultados, fora que esta mulher maldita esta secando os recursos de Yuden para reconstruir Deheon e Valkaria, oprimindo o NOSSO PAÍS, por causa de um bando de estrangeiros imundos...

nós não temos uma area de Tormenta em nossas terras para pagarmos tanto por proteção real, o exercito não vê nem 1/3 e do dinheiro arrecadado, estamos basicamente sendo sugados por essa digníssima imperatriz...


*Olivia ouve o comentario de Aeron e diz:*

—A aversão de mustang por vocês se deveu a um comentário dado por vocês mesmos no primeiro dia, mustang comentou que uma investida contra a tormenta devia ser dada por um exercito e não por aventureiros...
E pelo que ele me falou, Vocês quase o mataram por dizer tais palavras, os ataques verbais vieram de todos os lados...  além do fato de um dos membros deste grupo ter atacado Mustang em Yuden, quanto tempo demoraria para que o resto de vocês fizesse o mesmo ?

*Thomas olha com estranheza para Olivia e pergunta*

—Como é que é Atacaram o Mustang em YUDEN ?

*Olivia assente com a cabeça e diz:*

—Na verdade se me derem Licença, eu tambem dispenso esta festa...  Thomas se a rainha perguntar por mim diga que eu tinha mais o que fazer...

*Francesca Corre um pouco e vai acompanhando Mustang*

—Thomas fique e fale com a Imperatriz para mim, esta bem ?

*Thomas faz uma cara de desaprovação e diz:*

—OK!!!


*Havoc olha para chão e depois para Olivia e diz*

—Então vai se aproveitar da ira general para fazer que revolta ecloda não é Olivia...  Quer fazer isso fazer não é olivia ? é isso que estava planejando desde o inicio... Provavelmente foi você que ocultou a informação...

*Havoc Grita para mustang que já esta longe da discução atual:*

—General ouça a voz da razão deixe de ser tão emotivo essa víbora esta manipulando o senhor, ela é a traidora não eu....


Não há motivos para discutir com vocês. - Diz Francesca. - Não são capazes de acreditar que há problemas no Excelentíssimo Exército com uma Nação. Nós estamos lutando contra o Mal do Mundo, e se falharmos, não haverá sua tão preciosa Yuden para proteger. Se você acredita que a Lady Shivara está errada. Procurem as falhas no exército e acabem com elas, não venham ficar a choramingar sobre erros. Descubram o que aconteceu. Estávamos Talude, o príncipe Lucian Silloheron, Lady Shivara e eu lá quando recebemos essa informação. Se você não recebeu, prova que seus métodos de recebimento de informações estão comprometidos e deverão ser abandonados para analises. Nossa mensagem foi interceptada e deve ter sido por isso que o próprio Lorde apareceria aqui para nos confrontar. Todos teremos que procurar as falhas


—Francesca, vá procurar o que fazer, eu recebo de as informações de shivara através de Talude, o que me diz disso, acho bom então verificar se o mestre da magia não foi corrompido, ou foi relapso? Não o que discutir com não uma yudeniana, uma mestiça...

Não o que você diga que vai tirar a culpa da shivara da história, fomos abandonados a própria sorte com informações erradas...  Sei que você deve extremamente com vontade de fazer algo já que você é tão inutil que poucos não membros da igreja de Khalmyr sabem quem você é, ou que já fez...

Então antes de falar algo para mim, verifique como coisas devem ser feitas, e se houve reunião tão importante sobre uma operação que envolvia generais de Yuden, bem eu deveria estar lá não ? afinal eu coordeno a indigência yudeniana, mas você não entende isso não entende isso nunca fez parte de algo importante mesmo, é so O lanchinho do deus da justiça...

*Francesca ouve Havoc e diz:*

—Eu nunca faria uma coisa dessas com esse tipo de informação traidor


—Você pergunta se deveria estar lá e aqui vai sua resposta. Não. Não havia tempo e nem condições de perder tempo aguardando sua chegada. Eles confiaram no item mágico que lhe foi entregue para receber esses recados. Porém pela sua demonstração de falta de conhecimento, a mensagem não chegou ao destinatário. Então General Armstrong, não é a mim que deve tentar tomar satisfação não. Lady Shivara estará na festa e a ela que você deve perguntar. - Responde a clériga.


—Pena que para mim isso é caso encerrado, Thomas querido seja um bom amigo e fique aqui e diga que nos não vamos participar mais ok! que voltaremos para Nossas funções normais e pedirei par se transferida para outra função que não seja a inteligência...

*Thomas suspira e diz:*

—Olivia eu entendo mustang ir embora mas você não tem motivo para ir...  Mas tudo bem eu cubro você Desta vez...

—Não quer saber o que aconteceu? - Fala Francesca novamente.

—Não me interessa mais, minha rainha demonstrou que os soldados dela, valem bem menos do um sumo sarcedotisa inútil que nem soube nos dar suporte durante a batalha inteira, se não fosse por thomas estaríamos mortos...  então aproveite o novo titulo de general do serviço de inteligência, eu pretendo ir apara o front Goblinoide se necessario...

—Não fui eu quem estava choramingando dizendo que não iríamos vencer

Olívia ri e diz:

—Não fui que não consegui suportar um mera cantada leve do mustang sem perder o controle e usar magia para controla- lo, eu estava afetada por loucura de lefeu e você estava pelo o que, sua sexualidade reprimida ou pelo seu asco por homens...

Francesca tentava retrucar o ataque de Olivia, mas as palavras não saiam. Seu rosto ruborizara, a garganta secara e a fala travara. Era o fim, Olivia vencera o embate.


Quando ouve sobre Mustang ser quase moro no primeiro encontro, Aeron dá um sorriso sarcástico e responde:

—Ora, Nós apenas falamos a verdade naquela hora, se o Mustang é fraco o suficiente para ser "quase morto" por palavras de desagrado, então o Exército de Yuden está mais fraco do que eu imaginava... Se soldados são tão fracos a ponto de serem incapazes de lidar com opiniões alheias, então acho que vocês nem deveriam ter entrado nessa missão, pra inicio de conversa...


—Ótimo se todos estão de acordo, Yuden se retira, acho melhor você ir também, pois pelo o que o Imperator falou da sua religião você também não é bem vindo aqui mesmo depois de ter ajudado tanto...

*Thomas olha para Olivia e diz de forma sarcástica:*

—Esta bem, vamos embora... e deixaremos os grandes heróis aqui, já que nós somos fracos e não ajudamos em nada....

*Thomas apenas balança a cabeça rindo e diz:*

—Sim vamos para casa, não vamos perder mais tempo aqui...

*Thomas começa a sair junto com olivia e não faz nenhuma reverencia a Aurakas*


—A maior de todas as Guerras e você vai pra casa, sacerdote? Keen deverá adorar essa decisão. - fala Francesca.


*Thomas para francesca diz*

—Esta vendo alguma guerra aqui francesca? estou para casa por que o conflito acabou e por que existem outras guerras para eu lutar...  Não me interesso por joguinhos políticos com aurakas e shivara, que devem ser sua especialidade, depois de humilhar generais ao extremo...

*Ele olha para francesca e diz:*

—Tive que atuar como curandeiro como esta era sua função básica quando eu deveria estar no combate, você me enoja francesca, não consegue ser uma boa sacerdotisa e nem consegue nem mesmo ser uma boa mulher como citou Olivia, vou para casa por enquanto, mas pretendo voltar posteriormente, não vejo ninguém aqui a quem eu deva respeito, então se me der Licença...

*Thomas vai embora tranquilamente ao Lado de oliva que esperava que o mesmo desse a resposta a clériga insolente*

Vendar subitamente se põe no meio da briga de todos.

— CHEGA!!!!! Será que nem diante do fim de tudo vocês deixam de se importar com coisas menores. Somos alguns dos Artonianos mais poderosos, mas um pedaço, um pedaço de Gatzvalith brincou, só brincou com todos nós. Todos vocês devem ter notado, ele poderia matar a todos nós com facilidade e ele só brincou. Ele nem se incomodou quando o destruímos. Se Arton quiser ter alguma chance de sobreviver vocês tem que parar de lutar. Se vocês não pararem...

Ele então põe a mão no próprio peito mostrando suas carapaças e corrupção aberrante.

— Eu serei o futuro de Arton e de Yuden se vocês não se importarem. Não faz diferença se acredita em mim ou não, pois em seus íntimos vocês todos sabem que é a verdade. Por isso me desprezam.

Ele então respira fundo e sai sem dizer mais nenhuma palavra, mesmo se mais alguém se dirigir a ele. Aurakas fala.

— Vocês realmente fazem eu me sentir bem com o futuro. Aqueles que quiserem vir ao meu palácio sejam bem vindos e aproveitem todas as comodidades, incluindo as saunas. Os demais sintam-se a vontade para andar por onde desejarem.

*Olivia olha para aurakas e diz:*

---Já demostrou todo o respeito que tem por nós imperador, faço minhas as palavras de mustang, eu vou sair desta pocilga e voltar para yuden...

*Olivia sai em direção de Vectora:*



----------



*Ja um pouco longe dali e mais calmo Mustang fala Greed'son*

—Bem é vectora é logico que a bebida é melhor, mas podemos discutir em vectora sobre o ponto fraco de Gatsvalith antes de eu ir embora, pretendo passar a noite lá... não quero ser pego de surpresa já que agora estou sozinho e que logo serei punido por metade dos impropérios que falei, mas pelo menos lavei a minha alma... Pretendo ir para casa e relaxar por tempo ainda não determinado... depois verei o que posso fazer...



—Isso nos dará algum tempo tempo para planejar. Mas, não acho que deva e preocupar, Aurakas está muito satisfeito. Eu diria como "boi da cara preta" até. Shivara recebera a notícia animadamente também. A mesma não faria algo em certeza da implicações, deve haver outro motivo oculto. _ Greed acompanha Mustang até o transporte mais próximo, um teleporte serviria para eles e a comitiva ameboide. Em algum momento ele diz:

—Aproveitemos o tempo para assuntos menores. Foi uma pena não poder coletar mais material, mas as armas lefeu serão modificada para poderem ser usadas por nossos guerreiros. Creio que certa magias menores serão melhor aproveitadas empregadas a ela, como Ataque Certeiro. Pretendo recolher matéria vermelha na primeira oportunidade.

(Off: Caso os ameboides se desfaça, Greed os invoca novamente, como no teste anterior.)

Aproximando-se do laboratório, Greed mostra a Mustang onde trabalhara durante a estádia e se separa combinando um encontro mais tarde. Só, ele entra e começa a organizar tudo.

Greedson olhava e examinava as armas diante de si e via que nada funcionava direito sobre elas. Elas seguiam regras totalmente diferentes de armas ou mesmo artefatos. Após um exaustivo estudo ele viu o porque, as armas não eram armas. Eram demônios da tormenta modificados. O único jeito de mudá-las seria se greedson tivesse acesso à "tecnologia lefeu" pelo entendimento do déspota ele precisava do conhecimento de um lorde da tormenta.



----------



Assim, para todos o aventureiros, a noite então se passa sem mais incidentes.

_________________
"Força Bruta: se não funcionou, é porque você não usou o bastante"
-Um sábio...
avatar
Tahlus
Mentor
Mentor

Mensagens : 102
Data de inscrição : 14/11/2013
Idade : 27

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Última Libertação - 1ª Fase

Mensagem por Tahlus em Dom 17 Nov 2013 - 17:26

Capítulo XIV


No dia seguinte, Aurakas e sua comitiva estão se reunindo num grande salão, e magos elfos e minotauros preparam um grande espelho que mostrará a rainha imperatriz. Vários generais e diplomatas do império estavam reunidos e conversavam sobre as implicações da aliança. Vendar foi o primeiro a chegar e se sentou em uma mesa preparada para ele onde permaneceu calado e polidamente ignorado.



(Off: Descrevam se e como vocês foram para a reunião.)



Greed repousou a mente cansada e ponderou a próxima estratégia, não seria de bom que muitos soubessem do plano, apenas o grupo já era arriscado, preferiria deixar tudo em suas mãos. Embora a confiança já estivesse fragilizada.

Greed checou todas as armas, rearmou-se e comprou nova munição. Não eram tão boas quanto a suas, mas teriam de servir.  Procurou um mago mensageiro, passou uma mensagem codificada para suas forças. Seus dois comandante deviam estar ansiosos.  Após, procurou uma guilda e deixou um pedido de procura para um artífice que dizia:

"Richardson Defallt solicita a presença de um hábil artífice para lidar com artefatos de dificílimo encantamento."

Depois, tentou achar Mustang para discutirem, mas soube apenas que havia saído de sua estalagem. Obviamente fora beber em reservado.  Sem mais adendos, envia uma mensagem ao "boticário" do outro dia, para que venha pegar uma mercadoria no endereço do laboratório a noite.  Acabado tudo, providencia um "guarda" para recepcionar que chegasse em sua ausência, e então, desce ao palácio de Aurakas para ter com os demais.


*Thomas estava presente sem Olivia, a general simplesmente ignorou a presença da imperatriz rainha na reunião e pagou para ser mandada para Yuden, mas o clérigo estava lá com uma vestimenta simples e com os pés em cima da mesa e esperando shivara se pronunciar*

*Mustang era esperado, mas o que foi visto Foram alguns militares, dois deles já conhecidos e outros não, mas pela cara não estavam de acordo em estarem ali*

*Se sentaram-se à mesa referente a Mustang e esperaram em silencio a reunião começar*

*Havoc não estava com eles, mas os viu entrar e olhou para eles e eles apenas lhe devolveram um olhar frio e sem importância e continuaram conversando entre si esperando a conferencia começar*


*Mustang esta não muito longe dali em uma taverna, bebendo, vendo tudo através dos olhos de Riza e escutando através dos ouvidos de Hugles*



*Francesca entra acompanhada de Guerreiro guardião e procura por Mem sua mesa, mas se decepciona ao ver apenas seus comandados na mesa sem menção nenhuma de seu superior e ao vê-los ela vai até a mesa e pergunta*

—Senhorita Hakweye onde esta o general Mustang ?

*Hawkeye olha para francesca e fala:*

—Isso não é da sua conta sacerdotisa...

*Francesca fica sem palavras ao ouvir a resposta e diz:*

---Tudo bem pelo menos vocês estão aqui ele vai saber de tudo que aconteceu na reunião

Aeron assiste a reunião em silencio, ficando próximo dos companheiros (mas não dos yudenianos). Ele procura prestar atenção no que está sendo discutido, pois sabe que pode haver mais informações importantes do que se espera...



----------



*Olivia seguia em direção do local combinado para fazer o teletransporte de volta yuden, uma bela estalagem onde ela bebia vinho elfico se se proecopar com muitas coisas enquanto esperava o mago que a levaria embora*



----------



Quando Mustang estava na taverna um homem se aproxima dele. Ele senta na mesma mesa sem dizer uma palavra e antes que mustang tenha chance de falar algo o estranho mostra ao general o símbolo dos leopardos. O estranho fala.

— General, tenho uma mensagem do seu interesse.

*Mustang da um sorriso maligno e diz:*

—Sou todo ouvidos...

O leopardo fala em um tom monótono.

— Serei direto. Sou um mensageiro de Yuden, de um DOS VERDADEIROS GENERAIS DA VERDADEIRA E PURA YUDEN, não os que se curvaram a uma estrangeira. Meu superior é um dos que considera que o governo de Shivara é uma humilhação ao nosso povo. Ele mantém informantes em Tapista e soube da humilhação que a falsa-rainha o fez passar. Ele acha essa situação insuportável e deseja saber se pode contar com o senhor para endireitar as coisas.

*Mustang se ajeita na cadeira e diz:*

—Mas o que planeja, fazer com Shivara ? Não aceito nada menos que do que toda a humilhação que eu passei, se assim for eu estarei nesta empreitada.

Ele fala no mesmo tom monótono.

—Derrubar a vadia, colocar um verdadeiro Yudeniano de sangue puro no trono, devolver a terra a nosso povo e esmagar Deheon e o país de origem dela para mostrar a verdadeira força de Yuden. Para isso precisamos de sua ajuda. Meu senhor pode contar com você?

---Sim seu senhor tem meu apoio incondicional...

*Diz Mustang, dando um sorriso de leve*

Ele então mostra uma pequena caixinha de música, Mustang reconhece como um dispositivo mágico de comunicação.

- Então senhor, preciso que me dê a senha do seu olhos de Keen. Meu senhor já tem as senhas de 4 generais fora a dele, com a sua será possível retomar nossa nação.

Mustang sabe o que é isso. O olho de Keen de cada general era onde os generais guardavam os maiores segredos militares de suas tropas, como localização de artefatos, identidades de agentes infiltrados, segredos que podiam acabar com a rainha e demais informações sigilosas. Os generais eram proibidos de repartir tal informação entre si a não ser por ordem da rainha, pois o conhecimento e poderio militar de três generais juntos seria o bastante para desestabilizar o país. Os conhecimentos e recursos totais de seis generais eram o bastante para derrubar Shivara. Após esse passo não haveria volta. O leopardo fala.

—O meu senhor, general Alexander, já tem homens a postos. Se nos der acesso aos seus recursos a vadia será derrubada até o pôr do sol. E Yuden será dos verdadeiros Yudenianos.

Mustang sabia que General Alexander é um dos mais tradicionais e competentes generais de Yuden. Um verdadeiro patriota que acha uma abominação uma estrangeira governar. Se ele permitiu a Mustang saber seu nome é porque está colocando sua vida nas mãos dele. Bastava Mustang dar o nome dele para Shivara para que ele fosse preso por conspiração e alta traição, e bastava Mustang dar sua senha e Alexander derrubaria Shivara de uma vez por todas. O servo fala:

—Faça sua escolha general.

*Mustang olha para ele e diz*

—Minha senha ? hunf .

*Mustang se teleporta para sala onde esta acontecendo a coferencia e diz:*

—Comece a conferencia a rainha imperatriz, AGORA!! Esta infame vai ter a ultima informação de mim antes de eu pedir dispensa...  Existe uma conspiração para derruba-la e Liderada pelo General Alexander e eles já estão quase prontos e se ela não agir vai ser derrubada do trono antes deste dia acabar...


*Thomas cai da cadeira do susto e diz:*

—Traição? Keen ou o que esses homens que se dizem generais vivem querendo apunhalar os outros pelas costa de forma escondida e contida, isso parece guerra de servos de szzzzas.

Imediatamente os tapistanos começam a conversar entre si com a notícia. Logo Aurakas dá algumas ordens calmas e a ordem retorna ao local. Ele se dirige a Mustang.

—Estou feliz que tenha se juntado a nós general. Chegou bem a tempo, pois a conferência está para começar.

Imediatamente o espelho começa em mostrar uma imagem turva e logo esta muda para a imagem da Rainha-imperatriz Shivara e vários dos generais do reinado. Vários menestréis fazem os anúncios adequados à situação. Quando as apresentações terminam Aurakas fala:

—Lady Shivara. Creio que Mustang e os demais Yudenianos têm algo a lhe dizer.

*Mustang bate continência assim como todos os outros Militares presentes ( sim, incluindo o cachorro, e é a coisa mais Bizarra que vocês já viram)*

—Imperatriz rainha venho aqui informar a traição do General Alexander, ele já tem 5 olhos de Keen prontos para serem usados, poder quase que suficiente para Derrubar a senhora do trono não só de Yuden, mas como também começar a uma insurreição por todo reinado, eles estão com os Leoprados de Mitkov e estão prontos para ataca-la e solicitaram a minha senha para os meus olhos de Keen...

*Thomas se levanta da cadeira e diz:*

—Me diga que esta brincando mustang... Isso é poder demais, Lady shivara, faça alguma coisa...


Aeron se ajeita em sua cadeira quando Mustang aparece do nada falando sobre o plano para derrubar Shivara, e não deixa de dar um sutil sorriso...

"parece que o soldadinho ainda vai ter alguma utilidade... vamos ver como essa historia vai acabar..."


A imperatriz ouve o depoimento de Mustang com atenção e se volta para um dos Generais ao seu lado.

—General Julian, finalmente temos um nome dentre os revoltosos. Ainda podemos minimizar os danos. Prendam Alexander.

Ela então olha para Mustang.

—General Mustang. Você acabou de salvar milhões de vidas. E ajudou a coibir uma revolta que estamos investigando há dois anos. Isso logo depois de saber que eu dei ordens ao Havok para lhe dar informações falsas. Por quê?


*Francesca olha para Thomas e diz:*

—Isso é tão grave assim? o que são esses olhos de Keen?



—"Por que você é menor que Yuden, assim como minha humilhações, e Yuden mesmo sendo exército com uma nação é uma terra de civis também, que não vão suportar uma guerra desta dentro do nosso território.

Eu amo Yuden mais do que amo a minha própria vida, e mesmo você sendo uma embusteira salafraria, ainda é melhor ter você estável do que Yuden Mergulhado em uma guerra civil enfraquecendo nossos exércitos e dando chance a espertinhos a entrar em nossas terras enquanto estamos frágeis...
Principalmente em tempos de novas áreas de Tormenta Nascendo.

Yuden não foi feita para ser frágil, e sim para ser forte, então fora isso eu não teria mais nenhum motivo..."


Shivara ouve com atenção o que Mustang diz e fala.

— Você realmente é alguém de valor Mustang. Consegue ver a verdade e não se deixa ser cegado pelo ódio como muitos em Yuden. Você merece saber a verdade então.

Ela então olha para Havok e este começa a falar.

— Quando eu fui capturado por Tapista eu me recusei e dizer qualquer coisa sobre mim ou que eu era oficial de Yuden, Ao invés de me executar, Aurakas entrou em contato com Shivara.

Aurakas sorri.

— Mais para recomendar a ela que conseguisse espiões melhores e parasse com brincadeira.

Havok continua.

— Shivara ficou furiosa com razão pela minha falha, mas veio com um plano. Muitos no nosso país estavam dispostos a seguir com uma revolta e começaram a eliminar generais e oficiais que não concordassem com a revolta. O senhor incluído. Ela não anunciou a minha captura e junto com o império de Tauron começou a mandar através de mim informações verdadeiras e, sutilmente misturados a elas, mandei informações falsas com o intuito de protegê-lo.

Shivara continua.

— Em momento algum suspeitei de você general, sempre soube que era um dos mais leais, se não a mim, à população de Yuden, e que nunca faria parte de tal revolta. Então quando notamos grupos revoltosos agindo segundo as informações sigilosas passadas por Havok tivemos certeza que haviam espiões infiltrados em seu meio. A partir daí controlamos rigidamente as informações e ordens dadas para protegê-lo e tentar descobrir quem era o espião. Muitas vezes mandamos você investigar supostas ações militares de Tapista para evitar que você caísse em armadilhas dos revoltos.


*Thomas levanta a mão e diz*

—Isso quer dizer que a brincadeira acabou? Bem, se esta falando da operação Martelo de Keen, tenho que lhe dizer que, por mais que eu goste da General Armstrong, ela é um deles...


—Deixa eu ver se eu entendi, quer dizer que eu estava sendo ameaçado de morte, e que todas as vezes que você me mandou para Uivantes e todos aqueles locais inóspitos foi para me proteger?

*Depois de alguns momentos ele olha para havoc e sorri:*

—Acho que devo desculpas a você Havoc, mas da próxima vez por favor shivara me chame até Dehon e me explique a situação, eu passei algumas das maiores humilhações da minha vida inteira, meu ego ainda esta aos cacos...  Mas tudo bem já passou, por enquanto...


Havok faz um expressão de alívio como se tivessem tirado um peso de suas costas quando Mustang o perdoa. Shivara sorri.

—Eu peço desculpas, mas se você soubesse haveria a chance do espião descobrir. Por isso o sigilo.

Aurakas fala.

— Eu aceitei participar disso, pois era uma manobra brilhante. Um verdadeiro jogo mental com os revoltosos. Além disso, o Reinado é um inimigo de valor. Eu quero que se houver uma guerra entre nós no futuro o reinado esteja com força total, para que a batalha seja épica. Mas havia a possibilidade dos inimigos tentarem recrutá-los para o lado deles. O que de fato ocorreu hoje.

Shivara sorri.

— Mas eu nunca duvidei de você.

Aurakas dá uma gargalhada.

— Mas um dos meus generais perdeu 10 escravas numa aposta hoje.

Shivara então fala:

— Bem eu então devo lhes dizer que estamos com uma dívida de gratidão, com você, Mustang, e com todos vocês, por salvarem todo um país de se tornar uma área de tormenta. E Olivia deverá ser interrogada. Mas por que você não disse nada sobre ela antes, Thomas?

—Por que ela só me traria até aqui se eu cooperasse, e eu queria vir destruir uma área de Tormenta que estava para nascer, ou ver uma nascer, o que viesse primeiro... E tem mais, ela é líder da inteligência de Yuden, acha que qualquer movimento meu não seria percebido?  Eu não sou muito chegado à descrição, ela ia abordar Mustang no caminho depois da missão, pois sabia que o ímpeto dele estaria abalado e Talvez até mesmo a Lealdade...  Mas não foi o caso, se ela fizesse isso eu mesmo a mataria...


Lady Shivara continua.

—Bem, cuidaremos dela, mas agora temos que ver outros detalhes. Como alguns de vocês devem saber, nós acabamos de cuidar que para que o Helladarion continue em segurança, afinal é a maior fonte de conhecimento de Arton. Ele foi mandado para a torre dos libertadores enquanto uma cópia está na caverna do saber. Os libertadores vão entrar em contato para nos passar a informação.

Imediatamente uma parte do espelho tremula e surge um dos libertadores Date Masamune, mas ele está ferido com a armadura despedaçada e sem um dos braços. Ele grita desesperado.

— Rápido. Alguém está me ouvindo. Por favor, tem alguém aí?

— Sou eu, a rainha Shivara. Date o que aconteceu?

— O Helladarion que mandaram, era falso. Era um coração da tormenta. Ele invocou todo um exército de lefeus e tentou transformar a torre dos libertadores em uma área de tormenta. Os outros estão mortos, só eu sobrevivi, mas consegui destruir o coração. Mas a torre está em ruínas.

Ele então tenta pegar um pouco de ar.


Por trás do elmo, as íris de Greed brilhavam. Embora fosse uma situação inquietante, não poderia deixar passar uma chance que fosse de armar-se com tanta quantidade de lefeu ou mesmo de se fazer presente diante do próprio Helladarion.

—Vossa majestade, deixe-nos participar desta tarefa, por obséquio.


*Francesca fala em tom desesperado:*

—Temos que ir, temos que socorrê-los... E temos que fazer isso agora...


*Thomas olha para o Libertador e depois para Shivara e diz:*

—O que estamos fazendo aqui, temos que ir para lá AGORA!


*Roy fica Paralisado e apenas sussurra o nome dos primos:*

—Lucian... Alexander, não pode ser, não é possível...

Na hora em que Date aparece e fala sobre o coração da tormenta, Aeron rapidamente se levanta, segurando sua katana.

Date fala:

—Eu já destruí o coração, ele sugou todos os demônios. Só sobrei eu aqui. Mas eu aceitaria um clérigo.

Shivara estava cada vez mais abalada.

— Todos os libertadores, mortos. E o Helladarion que levamos era falso? Mas então e o que ficou em Yuden?



--------------------------------------



Olivia estava em uma taverna em Yuden enquanto pensava no próximo passo enquanto observava o céus subitamente ela começa a tremer. Os céus de Yuden estavam vermelho-sangue, e começou a chover.



-----------------------------------



Alguns dias depois vocês estão diante de Shivara quando ela fala desolada.

—Não sabemos onde o verdadeiro Helladarion está. O Helladarion falso que colocamos na caverna do saber também era um coração da tormenta.

Ela treme e respira fundo com um ar derrotado.

—Ele se expandiu, a agora metade de Yuden é uma área de tormenta.

_________________
"Força Bruta: se não funcionou, é porque você não usou o bastante"
-Um sábio...
avatar
Tahlus
Mentor
Mentor

Mensagens : 102
Data de inscrição : 14/11/2013
Idade : 27

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Última Libertação - 1ª Fase

Mensagem por Tahlus em Seg 18 Nov 2013 - 21:22

Capítulo XV



Chovia sangue do lado de fora do castelo enquanto o General fazia sua jogada no tabuleiro de xadrêz. Quando chegou a ter algo que lembrava alegria, vulcões explodiam tripas próximo por toda Área. Estava acompanhado por seus asseclas enquanto observava as peças caídas. Derrubara as Torres do Adversário, que agora estava vulnerável a ataques. Gatzvalith era o General entre os Lordes, e seu plano fluia como água do rio. Seus algozes, artonianos que o procuravam em busca de poder, ficavam agraciados em ver os planos do seu lorde dar certo. “Vamos ver agora qual será sua jogada, artonianos”, e seus algozes cairam em orgasmos enquanto escorria matéria vermelha por todos seus corpos, os matando e revivendo a cada segundo. Gatzvalith sempre ficava assim quando seus planos fluíam.



----------



—MAS QUE MERDAAAAAAAAAA!!!!! – Gritava enquanto via suas torres serem destruídas pelo adversário. Foi uma jogada brilhante, isso tinha que admitir. Seu adversário o fizera colocar suas torres na linha de fogo e então as destruiu. Esse golpe foi pesado para sua estratégia, mas não poderia perder aquela partida, ou tudo estaria perdido. Arton era o palco da batalha e uma a uma suas armas caiam. Felizmente tinha se preparado para essa situação. Perder os Libertadores de Valkaria seria uma queda enorme aos esforços para salvar o mundo e sabia que se isso acontecesse, era o fim. -- ESUNA, chame a equipe P3. Eles terão que servir.



----------



A morte dos Libertadores ainda era lamentada no local, quando entrava na sala uma garotinha estranha. Ela vinha apressada e vários guardas corriam atrás dela até a Rainha-Imperatriz mandar que eles saíssem. Masamune olhava a pequena figura que chegara com ódio.

—Apenas agora que aquele infeliz vai agir? Responda ESUNA!


A garota apenas olha para os presentes na sala calmamente.

—Uma equipe médica está sendo enviada para suas coordenadas nesse instante, Lorde Date. Peço apenas que aguarde alguns minutos. O senhor será enviado para a base para que a ESUNA 1 possa analizá-lo. Enquanto aos aqui presentes, peço por gentileza que me acompanhem imediatamente. Código Vermelho. Os detalhes serão dados no caminho. Vocês irão para a nossa base de operações e receberão instruções do mestre Jack imediatamente.

Aquela era ESUNA, assistente de Jack Donovan, que ficara conhecido por desbancar as invenções de Lorde Niebling. ESUNA olhava apressada por uma resposta.


Quando ESUNA entrou e os chamou, Aeron suspira e diz:

—A situação está cada vez pior... Devemos ir de uma vez e tentar descobrir como reagir...


*A situação física de Mustang diz muito Talvez de como esta o povo de Yuden, grandes olheiras e uma barba por fazer, Farda em situação não tão recomendável para quem iria ver uma imperatriz rainha, em suas mãos sem luvas alguns cortes provavelmente de algum tipo de trabalho cujo o qual não deveria estar acostumado, sua tropa também jazia do mesmo mal, a única que tentava de arrumar o cabelo do general pelo menos um pouco...*

*Mustang Massageava as têmporas enquanto citava algumas forma de diminuir dano causado por insanidade e ataques mais eficientes contra demônios da Tormenta, era a olhos vistos que o Mago em questão se mostrava fadigado e cansado de Horas e Horas de Trabalho*


*Além disso, Mustang estava abalado e confuso, pois havia visto o que tinha acontecido a SUA PÁTRIA, e ela estava manchada com a doença chamada Lefeu, isso não era para Yuden isso era característica de outras nações fracas...*


*Mas o que Realmente lamentava era perda de seus primos, dois parentes muito próximos e de certo forma muito queridos e estimados*

Mustang ouve muito baixo o que é dito na sala e apenas segue quando Riza indica que deveriam seguir e ela segue o grupo sem falar nada nem demonstrar nenhuma queixa*


Quando chega a notícia de que a torre dos libertadores foi atacada Vendar ficava calado. Ele se perguntava como o Helladarion havia sido trocado sem que ninguém soubesse.

Dias depois quando todos se reúnem e Shivara fala do que aconteceu em Yuden, Vendar põe a mão no ombro de Mustang e olha para ele com seus grandes olhos insetóides que não transmitiam muita emoção.

— Me desculpe.

Ele então fala para Shivara.

— E as ressureições dos libertadores? Será possível?

Quando a menina entra Vendar simplesmente acena com a cabeça, se a rainha imperatriz não for contra ele irá acompanhar a jovem.


*Vendar ve o que olhar de Mustang é vago e ele diz quase tão baixo e de forma tão pesada que não parecia o Mustang que você conhecera a alguns dias atrás:*

—Está tudo bem comigo Vendar, você não tem culpa de nada, eu é que deveria estar lá defendendo Yuden, a falha foi minha...

Vendar simplesmente fala:

— A falha foi de todos nós.


*Thomas chega com uma capa preta por cima de sua Armadura, e uma Jovem garota ao seu lado, ela não era mais que uma menina...*

*Ela estava Abraçada nas pernas do Clérigo, mas ao ver Riza Corre para os braços da soldado e chorando dizendo:*

—Meu pai e minha mãe estavam onde área estava Riza, eu perdi meu Papai e minha mamãe, só sobrou O meu irmão para Cuidar de Mim, até a tia Olivia esta machucada, ela esta tremendo e dizendo que tudo e LEFEU, tia Riza...

*Riza abraça garotinha e tenta consola-la olha para Thomas e diz:*

—Sinto muito santidade pela sua família, Meus pêsames...

*Roy apenas a baixa a cabeça quando Ouve o que vendar diz e pergunta:*

—Será que se eu estivesse lá seria Tudo diferente? Será que eu teria salvo Yuden daquilo tudo? Eu daria QUALQUER COISA, para que Yuden voltasse a ser o que era...


—Podemos partir? O tempo corre contra nós! O transporte nos aguarda. - Fala ESUNA.


Vendar olha para Mustang, fica calado alguns segundos, e fala.

— Eu poderia mentir para te alegrar, mas isso não ajudaria. Não, nem você, nem eu, nem ninguém desta sala teria mudado o destino de Yuden. Teríamos provavelmente morrido tentando. Mas isso não quer dizer que acabou. Metade de Yuden ainda está viva, e essa metade vai depender mais que nunca de pessoas como nós. Yuden pode não voltar a ser o que era, mas não significa que não pode se recuperar, seguir em frente e se fortalecer.

Com o que Esuna diz ele acena com a cabeça.

—Vamos. Como a menina disse, o tempo está contra nós.


—Sim ESUNA, podemos ir...

*Roy faz sinal para seus comandados seguirem e diz:*

—Não podemos perder tempo.


*Thomas apenas assente com a cabeça e estende a mão para garotinha e ela vem meio tímida e da a mão a ele eles vão andando*

*Thomas também se mostra batido, mas nada fala e apenas se mantém forte e firme*


Aeron tinha claro desafeto com os yudenianos do grupo, mas não deixava de sentir pena pelo que estavam passando naquele momento. Ele já havia perdido pessoas queridas por culpa da Tormenta, inclusive o grande amor de sua vida, e sabia o quão doloroso era ter as pessoas com que se importa brutalmente assassinadas sem poder fazer nada para impedir...

—Acredite, eu sei o que é perder aquilo que ama por causa da Tormenta, mas essa não é a hora de mantermos o luto. A Sacerdotisa esta certa, precisamos ir agora, talvez possamos impedir que a tragédia se torne ainda maior...


*Thomas já seguia o caminho e diz:*

—Sim nós sabemos disso e vamos fazer nosso melhor...


*Mustang não fala nada e apenas continua seguindo caminho junto com seus comandados*


O golpe em Yuden fora tão forte que afetara o monarca-usurpador de Porthmouth, seu negócios com o exercito com uma nação eram estreitos. Greed Richardson Defallt aguardava pacientemente na nau de seu comando-líder de armas pesadas, o goblinoide El Soul Terrível.  A nave voava, tinha balões goblinóides, mas atualmente usava a magia de Barco Voador, Terrível pagara um bom preço por ela. Não queria ser pego desprevenido, fosse no ar, fosse no mar.  A arca estava bem armada e com um contingente de monstros suicidas para serem lançada contra o inimigo. A maior preocupação era em debelar os que voavam...

Então, recebeu o chamado. Teria de desviar um pouco o rumo.

Tudo bem para Terrível, o goblinóide não estava assim ansioso para enfrentar a Tormenta. Nos últimos tempos bombardeavam o inimigo em ataques de apoio e recolhiam o espólio em matéria vermelha, vendendo arma a bons preços para a resistência yudeana.


Bandido (embarcação) colossal (como construto de 32 níveis): 240pvs, desl.: 12m; CA 20 (10tollon/madeira-ferro + des. do piloto); Ataques: armamento (16): 1 balestra (penalidade -2 a 6, 5d8, perfurante, dec.19-20x2), 16 balistas (6d8, dec.19-20x2, 30m); armamento especial: aríete de adamante(ataque de carga, 16d8), bombardeio suícida; tripulação (mínima/máxima): 15/100; tripulantes: 16 piratas goblins e 4 orcs entre 1º e 3º níveis, capitão Terrível (goblin pirata3º/engenheiro de guerra 1º), 2 abominações de Greed, 55 mortos-vivos.
Oficina de alquimia (200P.O).
Hospital de campo (200P.O).
Munição: 10 de balestra (200P.O), 100 balas de canhão (5000P.O), 10 balas de matéria vermelha (700P.O).
Custo Total: 47.600 P.O.
Saindo do Palácio Imperial, a gigantesca embarcação os aguardava pairando no ar próximo ao entrada. Uma escada estava estendida ao chão e ESUNA pedia para que se apressassem enquanto subiam.

Terminando de subir a escada, todos se deparam com os goblinóides que os olhavam furiosos. Era visível que o grande Bandido, embarcação que colocava medo em seus inimigos fora reduzida a meio de transporte. Resmungavam e batiam uns nos outros enquanto seu capitão conversava com Greed'son, que já havia sido contactado e fizera os preparativos.

—Boa véspera a todos. Nós do Bandido, a embarcação mais notória sobre a águas ou céus de Portsmouth, esperamos que não criem problemas ou se aventurem em noso compartimento de carga. É que nossas bombas costumam perambular, surpreender e morder incautos, deixando um "que" de maldição do morto por assim dizer. ENTÃO, ALMIRANTE A TODA FORÇA PARA TYROS, e atripele qualquer lefeu nojento que e ponha em nosso caminho. _ E era o capitão Terrível dando as suas graças a viajem, mesmo a contragosto da tripulação. Greed dera a Terrível um posto e um poderoso navio, em troca, ele agia como seu corsário, pilhando suprimentos e atacando navios do abutre de Portsmouth.

Dentro da embarcação era possível ver algumas da coisa horríveis que Greed transportava para a guerra. Verdadeiros horrores de pesadelos. Ali, sua armadura era a coia menos assustadora, mas não menos impressionante. Aparentando ter sido quase toda reconstruída para a batalha.


Rumaram para o nordeste, passando por Bielefeld e União Púrpura. Em seguida seguiram para uma direção já conhecida, rumavam na direção de Trebuck. Navegaram por Nova Ghondriann, Sambúrdia por algumas horas para então finalmente adentrar no território de Trebuck.

Tyros sempre fora uma cidade pequena, mas ainda conseguia atrair algumas pessoas a procura de riqueza. Era um dos poucos lugares em Trebuck que ainda podia-se dormir tranquilo. Isso até Arsenal. Arsenal lutara com seu Kishin contra o Coridrian nessa cidadezinha, e o resultado foi a completa destruição de Tyros. Mas não era isso que aparentava. A cidade estava em todo vapor, com Navios voadores chegando e saindo, movimento de carroças e mercadores. A cidade, que deveria ser fantasma, estava viva.

Mas isso não era o impressionante. O Kishin estava sendo reconstruído. Fora posto em pé e estava sendo restaurado. Próximo ao Kishin estava Coridrian, antes seu adversário, agora era quem o segurava. Mais ao longe, outro constructo de mesmas proporções épicas também estava sendo construído. Terrível circundou os gigantes, para que todos pudessem contemplá-los, enquanto preparava-se para aterrissar. Como se isso não fora impressionante o suficiente, quem coordenava a reconstrução era ninguém menos que Mestre Arsenal, causador de toda aquela destruição.

Era final da tarde quando Bandido aportara em Tyros e um calor agradável de começo de noite podia ser sentido. Após descer do Bandido, ESUNA os guia base adentro. Havia muitas coisas ali instaladas, desde forjas de espadas e armaduras à fabricação de pistolas, mosquetes e canhões. Tudo era fabricado aqui. Goblins se reuniam para melhorar seus balões, deixá-los mais resistentes. Elfos trabalhavam com Hobgoblins em maquinas de guerra. Minotauros erguiam peças pesadas, enquanto alguns pequenos Sprites usavam magia para derreter algumas partes e assim colando com a peça principal, processo que logo ESUNA chamou de soldagem. Estranhamente, por mais ódio que houvesse entre as raças que trabalhavam ali, não haviam as lendárias brigas. Ocorriam brigas, mas logo paravam e lembravam pelo que estavam trabalhando.

Ao entrar numa sala, uma figura os assusta: Presa, jazia a armadura do Paladino de Arton. 16 Rubis da Virtude estavam em seus lugares. Era admirável e ao mesmo tempo assustador. Arton estava apostando mesmo todas as fichas nessa empreitada.

Mais ao lado, havia um globo de luz que mostrava imagens dos combates que ocorreram em Tapista, quando todos quase foram mortos. Um homem assistia tudo enquanto comia algo. Ele observava e fazia anotações, traçava planos e dava ordens aos comandados na base. Parecia que ele estava bem acostumado a fazer essas coisas. Imagens de Talude e Vectorius apareceram no globo de luz e os três começavam a conversar sobre o combate de vocês. Ao perceber sua chegada, ele para tudo o que estava fazendo e vira na direção do grupo.

—Obrigado por terem vindo. Pensei que não conseguiriam, mas superaram minhas expectativas. Venham, sentem-se. Já comeram? A mesa está farta. ESUNA sempre exagera no dia que é para eu comer... Desculpem a minha ignorância. Eu me chamo Jacob Marnolo William Ezequiel Valderich Donovan, mas podem me chamar simplesmente de Jack. Não gosto desses nomes pomposos. Antes de começarmos essa reunião, gostariam de perguntar algo?


—Sr. Jack? O que temos? _ diz o artífice com uma mesura e logo fitando o palco diante de si. Poderia parecer o caos para os ditos deuses Keen e Nimb, mas para olhares atentos seria uma orquestra ordenada a guerra de Khalmyr. Mas ainda, seria a arena de Tauron.


Vendar simplesmente olha a tudo.

—Jack.

Ele sacode a cabeça, a sua parte lefeu tem a muito afetado sua mente, ele tem tido dificuldade para se lembrar de certas coisas sobre Arton.

— Donovan? Esse nome não me é estranho.

Ele fita Jack.

— Sem querer ser rude, Jack. Mas o que deseja de nós? E... Quem é você exatamente?


*Mustang ainda estava muito abalado e distraído quando entrara na embarcação e maior prova disso e que ele e seus soldados entraram em uma nave cheia de goblinoides e em momento nenhum houve nenhuma reclamação e nem nenhum comentário tipico de um Yudeniano*

*Roy arrumou-se um pouco mais e esperou que viajem acabasse,mas ao chegar tyros um lampejo de esperança apareceu nos olhos de roy e de todos seus subordinados.
Kishin e o Coridrian estavam sendo reconstruidos isso podia ser a esperança que eles esperavam*

* isso foi como uma grande sacudida de animo nos yudenainos em questão, Roy olhava atônito o Colosso enquanto seus comandados especulavam, quanto dinheiro estaria sendo envolvido disso e mais ainda, de onde sia tanto dinheiro*

* ao chegar a sala a primeira impressão foi a armadura do paladino de Arton, isso foi um susto maior que qualquer outra coisa, mas ao ver de que se tratava apenas da armadura somente o que ficara fora a tensão de 16 dos 20 rubis da virtude terem sido encontrados*

* Depois disso Donovan, fazia tempo que não ouvia falar dele, e era por isso, o filho da mãe estava metido até o pescoço nesta empreitada*


* ao ouvir isso a indagação de Jack, Mustang fala*

— O que aconteceu com Lucian e Alexander silloheron, sei que não devo ser tão incisivo, mas eles são dois dos poucos parentes que eu tenho, eles foram trazidos de volta ou não?

* pergunta Mustang em tom serio e tenso*

* Ao ouvir a indagação de Vendar, mustang responde:*

—Ele é o segundo filho dos Donovan de Norm, Bielefeld, Herdeiro da ordem da luz e um dos maiores engenheiros de guerra de Arton, ele vivia para dar dor de cabeça a Yuden e por tabela ao Exercito, temos uma sala de documentos só para transgressões dele em yuden, mas foram todas revogadas quando Shivara se tornou rainha...


—Uma opção de carreira admirável, ao meu ver. _ comenta Greedson sobre as informações que Mustang acabara de dar obre Jack.


*Thomas estava mais introspectivo e mais apegado aos próprios símbolos religiosos, eles se sentara com sua irmã em algum sofá ou local próprio para isso, enquanto acalentava a dor da pequena irmãzinha Megan ironheart desde cedo já havia descoberto o pior das pessoas, agora perdia os pais, assim como ele, mas ele havia aprendido a conviver coma morte constante, já ela era só uma menina que wynna fizera questão de deixar cheia de poderes que não devia controlar...*

* quando vê ao longe o corindrian e o Kishin, um sorriso sarcástico vem a sua face*

—arsenal, quer dizer que você esta nisso? Devia ter imaginado...

* mas ao ver toda aquela confusão e ver Jack Thomas fala:*

—Então você de novo, por que não me surpreendo...


* ao escutar o que Mustang diz a vendar Thomas completa:*

—não esqueça de lembrar que ele foi o responsável por Mitkov ter uma careca tão vasta, Roy, e de ser Irmão da Donzela de ferro Leneth Donovan, nome mais cotado para sucessão daquele pardieiro que chama de cidade e sua ordem de frutinhas...  Jack pelo que eu saiba você é um mosqueteiro imperial certo? Mas onde esta Arsenal ? Ele está nisso também, e por que diabos você esta reconstruindo os dois e esta com a armadura do paladino e os rubis da virtude? Quer trazer mais um vilão à arton? Já não temos o suficiente em com o que aconteceu em Yuden?

*Megan apenas mexe no cabelo de ESUNA e observa por todos os lados e diz:*

—Tommy eu quero uma boneca dessas.


Aeron via tudo sem falar nada. Ele não sabia o que lhe surpreendia mais, os colossos sendo construídos ou reparados, a aparição do próprio Arsenal, morto há alguns anos, ou a armadura do falecido paladino, com quase todos os Rubis.

Ele escuta as falas dos colegas para com Jack, e diz:

—Mais importante do que o porquê de estar fazendo tudo, isso, a pergunta é: O que vocês pretendem que façamos aqui? Duvido que queiram nossa ajuda apenas para montar colossos ou algo do tipo...


—Sim, Mustang, seus primos estão vivos. Não estão inteiros, mas estão vivos. Como Mustang e Ironheart disseram, sou filho de Phillipp e Heather Donovan e irmão do safado do Arthur. O que eu quero reconstruindo essas coisas? Pensei que a essa altura já estaria claro para vocês. Estamos em guerra, meus amigos. E se perdermos, o resultado será que deixaremos de existir. Para piorar, os Deuses estão pouco se lixando para nosso sofrimento. Acham que só emprestando um pouco de energia para seus sacerdotes e paladinos já é suficiente. Com isso, Shivara, Talude, Vectorius, os Libertadores de Valkaria e eu, decidimos que combateríamos esse mal com todas as nossas armas. Como podem ver, será a maior de todas as guerras, e mesmo vocês já estão envolvidos até o pescoço. Enviamos grupos há meses pelo Reinado afora em diversas missões aparentemente sem sentido, na verdade é para melhorar as habilidades deles em combate, ou seja, estamos forjando grupo de aventureiros.


Vendar olha para Donovan e dá de ombros.

— Bem que seu sobrenome me era familiar. Agora me lembro que tive problemas com seu irmão.

Com a explicação sobre os esforços de guerra, o portador de simbionte se agita levemente.

— Estou feliz que as pessoas com poder finalmente estão usando a razão. Lefeu não tem fraquezas e não há atalhos para derrotá-los. O único jeito é ter um poder maior que eles. E se ao treinar aventureiros para a empreitada eles realizarem alianças úteis ou destruir ameaças aos esforços conjuntos melhor ainda.

Ele então pensa um pouco.

— Espero que eu esteja enganado, mas suspeito que o número de mortos entre os aventureiros que você está formando está em pelo menos um terço.


—Não há inimigo invencíveis, Vendar. Matematicamente improváveis de vencer, talvez, mai invencível é uma palavra que abstenho de meu vocabulário. - Começa a falar Greedson. - Veja bem, os lefeu tem inúmeros pontos fracos, senão, porque precisariam de nos mesmos para destruir nosso próprio mundo? O mais óbvio é esse, eles não podem permanecer aqui. Sem o coração da Tormenta, sem uma brecha aberta diretamente, eles são expulsos, e tudo que é lefeu junto, já que quando estão unidos não a distinção entre nenhuma parte. Tu mesmo sentiste isso quando destruirmos a pequena área de Tapista. Precisamos começar a destruir os corações. Os lordes são o maior empecilho. Os lordes não e ausentam de seus domínios, pois seu maior poder, o poder sobre a realidade lefeu, e apenas a ela, está na própria Tormenta. Infelizmente, existem poucas coisas que os forcem a tal.  Mesmo Crânio Negro, quando acendeu, há apenas um único boato de que ele teria visitado um outro plano nesse período e só. Precisamos arrasta-los de lá para mata-los. Para isso, os único chamariz são: o conhecimento, o poder e o desafio. O Hellidarion configura o três melhor que poucas coisas, agora as opções para usar são igualmente difíceis de aceitar... E eles não costumam desistir de uma vantagem, mas trocam individualidade e consciência por poder. _ explicava para Vendar e os demais não para ascender uma esperança em seus corações, mas porque ele próprio não aceitaria um oponente que não pudesse ser obliterado. Greed estudara perigosamente os lefeu e afirmava com todo seu ser sua posição.

Vendar ouve a análise de Greedson e fala em um tom monótono.

— Em nenhum momento eu disse que os Lefeus são invencíveis. Eu apenas disse que eles não têm pontos fracos, são coisas bem diferentes. A sua análise está correta em muitos pontos, mas errada em outras. Embora existam habilidades que os lefeus não possam usar fora das áreas, a maioria delas ainda funciona. Olhe para mim. Nenhuma das minhas habilidades é negada aqui onde estamos.

Ele faz um pequeno corte no próprio braço e mostra as gavinhas fechando o ferimento.

— Eu não preciso que exista mais matéria vermelha na proximidade para que meu corpo se recobre, nunca vi um lefeu que não se recuperasse fora de uma área de tormenta.

Ele então abaixa a cabeça e parece um pouco assustado.

— E se você estiver errado Greedson? E se os lordes não tiverem nenhuma habilidade prejudicada por ele estar fora de uma área de tormenta? Temos que cogitar essa possibilidade. Que provas você tem que eles não podem alterar a realidade por aqui? Que provas você tem que eles realmente têm as fraquezas que você diz ter?

Ele põe a mão na cabeça como se lembrasse de algo com muito esforço.

— O primeiro grupo de aventureiros que participei, quando eu ainda era humano, cometeu esse mesmo erro. O mago do grupo, vendo que os demônios tinham olhos muito grandes, achou que eles dependiam da visão para combater. Ele jogou uma área de escuridão mágica sobre nós. Você pode imaginar o resultado. Só eu sobrevivi ao massacre.

—Boa pergunta, caro Vendar: PESQUISA. Detalhada, longa, trabalhosa e cara pequisa. É bom mesmo que você esteja atento para evitar que cometamos os erro do passado, quando estudiosos achavam que lefeu eram uma raça de extra-planares, ou pior, insetos. Minhas informações são todas baseadas em encontros de aventureiro que saíram vitorioso. Incluído o exército dos supostos deuses de Orion Drake. Esse eu "amigo" baseou-se em suposições, eu reitero apenas fatos. Não há espaço para apostas tolas nessa guerra. E explicando, você pode se curar e manter seu poderes porque seu corpo é de FEITO de matéria vermelha. O poder dos lordes é manipular a própria Tormenta. Longe dela, ainda ão muito poderosos, mas não tem controle algum sobre a nossa realidade. Pelo menos não até aumentarem a área de corrupção. Dai a importância estratégica de crescer a áreas de Tormenta.

—E essa pesquisa deu alguma prova? Ás vezes elas também são baseadas em informações falsas.

Ele então sacode a cabeça.

— Você ainda vai nos matar com isso...

—Minhas informações vieram de grupos como o seu, Vendallus. Mesmo assim, deve crer que minha estratégia é a melhor, lutar em nosso terreno e não no dele. Em nossos termos. Não acha?

Vendar respira fundo e desiste de tentar dialogar com Greedson.

— Ah propósito. Meu nome é Vendar, não Vendalius.



Aeron escutou a resposta de Jack e disse:

—Grupo de aventureiros? Sinceramente, somos apenas um bando de pessoas poderosas colocados juntos num mesmo local, porque senso de união não parece ser o forte por aqui...

Quando Greedson fala, ele continua:

—O que nos leva a minha pergunta, que não foi respondida: Qual é a intenção de vocês para conosco dessa vez, Jack?


—Isso é verdade, Aeron. Vocês atualmente são um vulcão prestes a explodir. Mas sua próxima missão depende que vocês analisem seu ultimo combate.  - Imagens flutuantes começaram a aparecer. Desde quando preparavam-se, até o momento que o Lorde se desfez - Quero que observem e tentem me dizer quais foram seus erros.


*Mustang para e diz:*

—Meu ego e comportamento prepotente estavam em seu auge além do fato de estar sendo arrogante e presunçoso, além de ter ajudado a separar o grupo e aumentado os danos causados ao grupo no geral... Mas eu creio que minha atitude quanto a Thomas foi correta...

* Mustang suspira um pouco e diz:*

—também fui esquentado e não tive a mínima consideração em perguntar do que os outros eram capazes, em meu Ego de mago achei que podia fazer tudo sozinho, sem perguntar se poderia ter a ajuda de alguém, além de ter menosprezado alguns conselhos que podia ter escutado...


— Mais alguém?

*Thomas sorri e diz:*

— Fui implicante com francesca por motivos óbvios, mas mantive meu controle quanto ao resto do grupo, ocultei que olivia era uma traidora em beneficio próprio e também podia ter vetado a ideia de separar o grupo, foi um burrice, mas não volto atrás no comportamento que tive com Mustang, eu O amo e nada vai mudar isso..

*Mustang tira as luvas dos bolsos e as põe nas mãos e diz:*

—Thomas se ta querendo que te jogue bola de fogo de novo é só tentar alguma besteira


—Não vi grandes empecilhos em sua participação, Mustang. Você entrou com a função de causar dano na luta enquanto eu era um controlador de campo. Todavia, de minha parte, deveria ter temido menos por meus pares enquanto estávamos diante do coração da Tormenta. Se houvesse protegido a muralha da corrupção da Tormenta como havia pensado antes, teríamos tido menos dificuldades. Daqui em diante, confiarei mais em sua capacidades de sobrevivência individual. Ainda assim, devo salientar que em mim mesmo, minha próprias resistência a Tormenta supera em muito minha próprias armas. Devo não só eu, mas a todos, procurarmos formas de aumentar nossa resistência contra a Tempestade.
*Dante suspira*

— Devo admitir que não procurei conhecer meus companheiros de grupo. Não conheço suas habilidades e eles não conhecem as minhas.


Com a pergunta de Jack Vendar dá de ombros.

— Resposta simples. Não fomos fortes o suficiente e nem agimos como um grupo. Só agimos como indivíduos com metas diferentes. Além disso, subestimamos demais o inimigo. Também não aproveitamos a chance para tentar arrancar informações da maga e do cavaleiro.

—Nesse ponto, concordo com você, Vendallus. - Diz Greedson.

Francesca permanecia calada. Sabia exatamente que cometera erros e não conseguia olhar para a luta sem seus olhos encherem de lágrimas.

—Analisaram clara e perfeitamente. Por mais poderosos que sejamos, não podemos que sejamos consumidos pela húbris. Aconteceu já com todos. Aconteceu comigo, com Talude, Vectorius, Arsenal, e atualmente com vocês e os Libertadores. Temos um Código Vermelho. Como devem saber, o Helladarion foi roubado pelas forças da Tormenta. Preciso que vocês vão recuperá-lo, ou se não conseguirem, destruí-lo... Infelizmente ele está na Área de Trebuck e Gatzvalith está de olho em vocês. Por isso, temos que equipar vocês. Agora são adultos, e não podem usar brinquedos de crianças... ESUNA...

—Sim, mestre Jack?

—Pegue os equipamentos deles e leve para analise. Preciso de uma analise detalhada para que possamos otimizá-los. De todos, menos da senhorita Francesca Bentanne. A senhorita irá a outra missão. Será enviada a Ordine para tentar convencer Khalmyr que precisamos que ele tire a bunda da cadeira e comece a agir. Estamos sendo massacrados aqui e o Panteão precisa ajudar, ou não haverá ninguém para defendê-los quando forem aos Reinos Divinos. Eles já fizeram uma base lá... Onde eu estava? Ah! Lembrei. Temos 23 dias antes de eles conseguirem arrancar as informações do Helladarion. Mas vocês não irão diretamente para a Área. Primeiro, há um local em Callistia chamado Templo da Vida, onde Lena desce pessoalmente durante o alinhamento de estrelas e realiza rituais com suas clérigas. Vocês irão lá para fazer com que Lena proteja seus corpos. Em seguida, seguirão para Giluk para buscar o Cálice dos Deuses, que será capaz de proteger suas mentes. De posse disso é que entrarão na Área e irão buscar o Helladarion. Parece simples, mas não é. Primeiro problema, no Templo da Vida só entram MULHERES. Esse conseguiremos resolver transformando vocês temporariamente. Segundo, o atual líder de Giluk trancou a cidade e não fala com ninguém. Isso tudo não assegurará que sejam bem sucedidos, por isso mandarei uma equipe de apoio com vocês e os equiparei adequadamente. Dúvidas?


Greed então preta atenção sobre os dizeres de Jack, reponde ríspido, mas concentrado no problema:

— Não duvido de seu trabalho, você é um dos melhores artífices deste mundo. Talvez, emparelhando-se com Rond e chegando próximo da criatura Keen. Mas, já tenho minhas armas desenvolvidas a bordo do Bandido. Quanto a sua tarefa, parecem ser todas muito importantes, mas Greed Richardson Defallt não terá seu domínio maculado, sou um espião ou u mero ladrão. Partirei com os outros para fazer minha parte, mas jamais esconderei minha identidade.


*Thomas olha como se jack tivesse lhe dado um tapa na cara:*

—Ritual de Lena ? Com a propria Lena ? Você bebeu? Eu sou o sumo sacerdote de Keen e isso...

*mas ao ouvir a continuação ele para e diz:*

—Você ta querendo dizer que Nós, vamos virar mulher Temporariamente para esse ritual, você ta querendo que aconteça conosco o que acontece com as servas da lena? Quer?  Sei que pro Mustang não vai fazer muita diferença ser Mulher,mas para MIM Faria um enorme... gosto de ser o que eu sou, mas adoraria ver o Mustang de saia...

*Thomas diz isso enquanto admira o General de fogo e a irmã do Sumo sacerdote diz:*

—Tommy eu quero essa boneca que anda para mim, e olha, ela fala...
—Esse som é o som do medo! Não temos escolha. Se tivesse outra maneira, eu não colocaria vocês nessa situação. Vocês não correrão risco de terem filhos, se é isso que esta com medo, Thomas Ironheart! Não estou pedindo que se escondam, estou pedindo para que me ajudem a salvar o mundo. Se não há meios de vencer, então devemos criar um!


—Seu pensamento é correto. - Fala o erudito. - E é por isso que terei uma palavra pessoalmente com Vossa Excelência em Giluk. Apesar que atenho-me as regras da diplomacia, fazer-me passar pelo que não sou não é uma delas, seja entre goblinóides do sul, seja entre amazonas homofóbicas. Além disso, deuses não existem.

Greed faz menção de e levantar, planejando preparar-e com uma pequena pesquisa sobre quem seria o atual chefe da cidade.


Quando Vendar ouve o plano ele fica parado por alguns segundos como se aguardasse algo. Após ver que não falariam mais nada ele diz.

— É assim? E ninguém vai desconfiar quando fizermos papéis de travestis? Não acha que é uma piada de muito mal gosto? Não seria melhor fazer uma viagem planar para Vitalia logo? Bem provavelmente vocês não vão me ouvir. Então vamos logo com isso.

Ele então para um pouco.

— Mas todos nós temos que passar por isso? Não basta... ah deixa pra lá.

Greedson então fala.

—Quanto a viagem, concordo com você. Poso no levara gora mesmo, porem, não é esse o problema. Lena é a criatura mítica mais preciosa da criação, chegar até ela não é assim simples. Existem guardiões. Além disso, sua mera presença, dela em pessoa, deve causar... Algumas perturbações que no impedirão de realizar aquilo que propomos, como matar novamente.


*Roy engole seco que vai ter que virar mulher e olha para seus comandados todos estão com o mesmo olhar assustado e depois aponta para Thomas que o come com olhos ele suspira e diz:*

—bem se não tem jeito tudo pelo Bem de Yuden e Arton, mas como vamos fazer isso sem elas perceberem ?
Sabe é bem difícil ocultar certas coisas de uma Sacerdotisa de Lena...

*Depois de ouvir o Bate boca de Vendar e greed' son*

—vamos para d Brigar? Brigas só nos dividem e nos deixam mais fraco, temos que trabalhar como uma engrenagens bem reguladas, Temos que ser eficientes, vamos ouvir o que Jack tem a dizer sobre os disfarces antes do MIMIMI de vocês sobre matéria vermelha, deixemos isso para viagem


Aeron não gostava da ideia de se transformar em mulher, mesmo que apenas temporariamente. No entanto, sabia que a situação era grave demais, e que provavelmente teria que passar por isso, assim como os demais. Vendo a discussão dos outros, ele diz:

—Mustang tem razão, esse tipo de discussão não vai nos levar a lugar nenhum por agora...

Virando-se para Jack, ele acrescenta:

—Mas a dúvida de Vendar é valida. Que tipo de ritual é esse que só poderemos fazer nesse templo, mesmo com todas essas complicações?


—O Ritual exatamente não sei como funciona, mas deixará seus corpos Imunes a boa parte dos efeitos da Tempestade, o que será de grande valia. Como eu disse, a própria Lena estará lá, e ela poderá ajudar a nossa busca. A questão é que há um campo mágico que impede a passagem de homens e é impossível quebrá-lo. Então vamos burlá-lo. Mas vamos agora falar de coisas boas. Como eu havia dito antes, vocês agora são adultos, e não podem mais usar brinquedos de crianças, sem ofensas. Tenho alguns presentinhos para vocês. Se puderem me acompanhar. - Enquanto fala, Jack toma a saída da sala.


—Portanto, sigamos-nos. - concordou o artífice já ambicionando seu próprio interesse.

Greed já imaginava como faria a coias a sua maneira, ma por enquanto decidira acompanhar a visita ao arsenal que Jack andara desenvolvendo. Seria instrutivo, com toda a certeza.


Aeron escuta a resposta vaga como ele imaginava, e segue Jack em direção ao próximo local sem falar nada...


*Roy mustang engole seco e vai andando na direção que Jack indicou e ele pergunta:*

—Toda minha equipe vai ter que fazer isso também?


*Thomas olha para Mustang e da um sorriso sacana e vai seguindo o grupo e diz em um código militar de yuden:*

—vai ser muito interessante você ter um outro ponto de vista Mustang, um mais adequado para você,meu amor...

Saindo da sala de reuniões dava para finalmente ver a extensão da investida que estava sendo preparada. Era gente para todo lado nos mais diversos afazeres. O que era difícil de se imaginar era quem estava pagando por isso.

Após alguns minutos de caminhada, o grupo entra por uma outra sala. Essa sala estava cheia de armas, armaduras, escudos e os mais variados itens. Havia até coisas de vários mundos.

—Esse é o Arsenal. ESUNA, já trouxe os equipamentos que serão para eles?

—Claro, Mestre Jack. E a equipe de apoio tático está se preparando nesse exato momento.

—Para o Mustang, Thomas e Greed'son, temos o Brinco do Poder Intelectual. Essas coisas basicamente melhorarão significantemente. Para os outros temos o Biotraje de Sobrevivência, que melhorarão suas capacidades físicas... Também temos esses acessórios para o ouvido, que permitirá conversarem sem estarem perto... Agora... Se puderem beber esses copos que a ESUNA está trazendo, poderão partir imediatamente.

ESUNA traz copos cheios de um liquido roxo, parecendo vinho.

[OFF: Mustang, Thomas e Greed'son anotem o Brinco do Poder Intelectual que dá +10 em Int, Sab e Car, +5 na CA e +50 PVs. Dante, Vendar e Aeron anotem o Biotraje de Sobrevivência, que dá +10 em For, Des e Con, +5 na CA e +50 PVs]


—O uso dese item será redundante em minha pessoa. Na verdade, pode e irá me atrapalhar. Se puder, dê o meu a Mustang, precisaremos de poder de fogo logo mais. _ diz o artífice negando o item, explicando sua situação.

Era verdade, o emprego de itens mágicos interferiria em muito no artifícismo de Greed'son. Além do que, podia conseguir mesmo efeito com algumas poções e um pouco de concentração.

—E isso é? _ inquire Greed, cético sobre a bebida.

—Não há com o que se preocupar, afinal esses brincos não são itens mágicos. Eles mandam pequenos pulsos elétricos ao seu cérebro, ampliando as capacidades do mesmo. Confeccionei esses itens já pensando onde vocês irão entrar. Lembrem-se. A Tormenta fode com itens mágicos... E a bebida é a poção que vai transformá-los durante 3 dias, tempo mais do que o suficiente para chegarem lá, receberem o ritual e sair de lá.

*Mustang olha para o copo e pega ele e diz:*

—Bem se não tem jeito...

*Mustang bebe o copo de uma vez só e diz:*

—Parece Whisk... no gosto... e hidromel na textura...

*Depois ele vira e diz:*

—vamos logo Bebam logo isso, estão amarelando depois de terem enfrentado o lorde?


Vendar veste o traje e se move um pouco para averiguar se está confortável. Não machucava, mas ele ainda estava bem. Ele ouve a tudo.

— Não é mágico? Então este traje tem uma tecnologia que não existe em Arton. Isso é parte da tecnologia que arsenal trouxe?

Com a questão da poção, Vendar fala.

— Desculpe, o simbionte não permite.

(Off: O gigante rubro não permite que Vendar receba os benefícios de poções.)


Greedson logo começa seu diálogo.

—Não preciso de sua posologia. Se apenas mulheres podem circundar em Giluk, eu mesmo posso alterar-me, caso seja necessário. Todavia, compactuarei com o plano devido à urgência, já perdemos muito terreno. _ Greed finalmente concorda tomando o conteúdo do cálice.

O déspota de Portsmouth apanha o link interessado e o guarda, também segura o amplificador de ondas cerebrais de Jack. Tecnologia de Arsenal sugeriu Vendar? Provavelmente. Olhou para a sobre-peça que deveria recobrir o herói aberrante.

—O simbionte de Vendar é a melhor coisa em se tratando da Tormenta, Jack. Esse seu traje que o tornara um carro-de-guerra pesado deve ser protegido pelas magias de Mustang ou acabara corroído nos primeiros momentos.

Dito sua opinião, não pós o seu aparelho, mas o guardou assim mesmo. Não julgava necessário, se precisasse de algo, faria por si mesmo. Todavia, pensava se o conjuradores do grupo seriam ainda melhores com eles.

—Se já acabamos aqui, preciso retirar Ganância, ela não servira numa forma feminina. A clériga também devem avesse as nossas armas e é quase impossível que Vendar entre na cidade, quanto mais no Templo. Agora, devo ter algumas palavras com meu corsário e meu outro comandos antes, e assim que o Bandido estiver pronto podemos partir. Se já terminamos...

*Terminada a reunião, Greed'son retira-se para cuidar de outros assuntos pertinente a missão.*


*Thomas espera mustang beber a poção para ver como ele vai ficar, mas já esta coma dele nas mãos*


Mustang Bebe a poção para em seguida ele ser pego por uma torrente de chamas que saem de suas luvas. Um calor escaldante pode ser sentido nos poucos instantes que a coluna estava erguida para em seguida dar lugar a uma mulher yudeniana loira

— Humm... Viram que não tem problemas? - Começou a falar Jack. - Roy ficou perfeita. Se eu não soubesse que é um homem, eu pegaria você! E quanto a você, Vendar, não se preocupe, temos um método que fará o líquido entrar em você. Bandido está sendo equipado pelo grupo tático nesse momento. Enquanto isso eu estou equipando vocês. O Biotraje é feito de um material anticorrosivo, e por isso não há com que se preocupar.

—O que quer dizer o mesmo que nada, a não ser que tenha algo de lefeu em sua constituição, o simbionte de Vendar ainda é o melhor. Ou estou enganado? _ olhava a situação ambiciosamente, esperando que Jack revelasse mais segredos. Pois, acabara de descobrir que haviam feito uma aliança que permitira Arsenal retornar a sua terra de alguma maneira para recuperar parte dos incríveis arsenais de lá. Mas como?

—Fora o "remédio" que Vendar a de tomar, algo mais a acrescentar, sr. Donovan? _ ansiava o artífice em descobrir mais.

—A equipe de apoio tático dará o restante do equipamento. Agora tenho uma reunião com Talude e Vectorius para tratarmos sobre maneiras de fazer o terceiro constructo mover-se. Se puderem me dar licença.


*Thomas Olha para mustang de forma maliciosa e diz:*

—É realmente necessario que todos nós tomemos esta poção ao mesmo tempo ? por mim eu posso esperar talvez duas ou Tres horas, depois de analisar o que realmente aconteceu com Mustang, afinal não podemos deixar de levar em consideração o que pode ocorrer quando nós tomar-mos essa poção...

*Mustang havia se mantido calado até o momento fala de forma tremula*

—Er...er..er.. eu posso fazer uma pergunta? Essa torrente de fogo foi Normal ?

Digo um item magico Reagir a esta Poção foi normal ? isso ja aconteceu antes ?

*Mustang olha para sua equipe enquanto a Tenente se mostra chocada com o acontecimento, o resto da equipe ri alto da situação e diz:

—É o senhor mesmo General ? O senhor ficou Uma gracinha.. hahahaha

*Riza sacas as pistolas e faz um olhar sinistro para todos os comandados de Mustang e diz:*

—Quietos ou vão se arrepender ter Nascido... Lembrem-se vocês também vão tomar esta poção, pois vão acompanhar o General comigo...

* Os militares fazem um grande silencio e ficam quietos, mas ao ouvir o que thomas fala voltam a rir até a tenente voltar a reprimi-los o que acontece rapidamente*

*Ao ouvir Thomas mustang fala:*

—Nada de me examinar seu pederasta, não fico sozinho com você nem cinco minutos nesta forma...


—Se me dão licença. _ despede-se Greed'son para cuidar de suas suspeitas.

*Se dirige ao Bandido, passa pela tripulação e vai a sua cabine (laboratório de alquimia), preparar-se para invadir o lugar de forma furtiva. *


Aeron pega seu traje e a poção, e então diz:

—Não adianta ficarmos reclamando e fazendo piadas desnecessárias...

Então ele toma a poção de uma vez...


Vendar simplesmente estende a mão para receber a "poção". Ele olha para Mustang, mas como sempre sem qualquer emoção ou reação.

— Achei que você ficaria com outra aparência.

Ele então se volta para Jack.

— Quanto tempo essa poção vai durar?

*Mustang olha com um olhar cheio de duvidas para Vendar*

—Como imaginava que eu ia ficar?


*Thomas lambe os lábios enquanto olha para mustang e diz:*

—Você esta melhor do que imaginava, mustang, meu caro ...


Vendar simplesmente balança a cabeça e treme. Era aparente que ele esperava algo muuuuuuuuito mais assustador.


*Thomas da um sorriso e diz:*

—Mas ele ficou adorável e deliciosa, não há como negar isso, se estiver com vontade podemos avaliar as limitações deste corpo ...

*Roy fica apavorado e diz:*

—não vai testar nada Toma logo essa coisa Thomas...

*Depois vira para o Jack e diz:*

—Faça alguma coisa esse pederasta esta tentando se aproveitar da situação... Preciso de ajuda...

Vendar olha para Thomas um pouco surpreso.

— Achei que você não gostasse de mulheres.


*Thomas olha para vendar e diz:*

—Não gosto do mustang por que ele é um homem, amo a ferocidade e o instinto Guerreiro dele, sua vontade de guerrear o faz muito mais atraente que muitas mulheres, não tenho problemas com a sexualidade de quem amo... Amo mustang pelas qualidades de um servo da guerra que ele demosntra, mas não posso negar que essa forma esta mas condizente com ele do que a anteiror, e é bem mais bonita de se apreciar...

* Mustang olha para ele e diz:*

—Quer dizer que se eu me tornar servo de Marah você me deixa em paz?

Thomas sorri e diz:*

—Acha mesmo que consegue, Roy? Consegue se afastar da Batalha e viver em paz? Teria coragem de deixar o exercito de Yuden ?

— Francamente, essa discussão não vai parar nunca? Essa situação esta ficando desagradável, independente da sexualidade dos envolvidos... - Fala Aeron.

*Mustang olha para os companheiros e diz:*

— Que inferno a culpa não e minha... Ele é quem esta dando em cima de mim... Vocês não percebem isso ?

— Nem se estivéssemos cegos e surdos pra não perceber... - Aeron então se vira para Thomas - Acredito que o grupo inteiro agradeceria se você deixasse para tentar flertar os outros quando estivesse a sós com o seu "alvo".

Jack observava a transformação do Mustang e fez uma anotação, enquanto soltou uma interjeição. Em seguida observa, pensativo, a pequena discussão entre o grupo.

—Nunca aconteceu, Roy, mas deve ser apenas uma reação causadas pelo seu artefato... Vendar, a poção vai durar 5 dias, como eu já havia dito... Thomas, por favor beba logo isso e depois pode se deitar com o Roy o quanto você e ele quiserem. Há momentos para tudo. Agora beba.

Todos bebem, para em seguida deformações ocorrerem em seus corpos. Diferentemente do Mustang, não tiveram nada de especial. Alguns instantes depois, Jack mostra um espelho para que todos vejam o resultado.


O herdeiro dos Ricardos seguia pelos corredores em direção a Bandido, porém é parado pela pequena ESUNA que olha para ele com o mesmo olhar estranho e calmo que possui. Trazia em suas mãos uma espécie de pistola.

—O senhor esqueceu de tomar sua poção. Mas não se preocupe, eu trouxe uma pra você.

Em seguida, ela aponta a arma e atira no Greed'son [Pistola +35 +19 (Dado) = 54 SUCESSO]. Um pequeno dardo acerta numa fresta da armadura e ele sente o líquido percorrendo seu corpo e o transformando.

—Agora, se o senhor puder me acompanhar, nosso tempo é curto. Garanto que quando resgatarmos o Helladarion, eu o levarei para conhecer cada aspecto de Tyros.



Vendar olha para o que aconteceu com ele e os companheiros e fala um pouco surpreso.

— As mudanças de Thomas e Aeron foram o que eu imaginava. Mas...Hummmm... por essa eu realmente não esperava. Imaginei que quando eu tomasse a poção as mudanças não seriam tão... drásticas. Afinal muito pouco de minha aparência é minha agora, quase toda a parte externa veem de meu simbionte, achei que as mudanças externas seriam mínimas. Também não imaginei que ganharia asas.

Ele começa a bater as asas tentando alçar vôo, mas ao ver que não conseguia ele simplesmente cruza os braços.

— Asas não funcionais é... Bem, mas aparentemente o resto dos poderes do gigante rubro ainda funcionam.


Thomas após beber estranha sua nova aparencia:*

—Eu tenho orelhas e rabo de gato? Isso estranho totalmente bizarro...


Aeron via sua aparência temporária, e ao se movimentar, diz:

—Espero que consigamos terminar isso rápido, não acho que vai ser fácil se acostumar com esse corpo temporário...

—Sendo assim *Dante também bebe a poção.

*Mustang suspira e diz:*

—Bem, jack, depois desse ritual o que vamos fazer?


—Esse ritual é para proteger seus corpos contra as manifestações de Lefeu. Não sei exatamente como acontecerá lá, mas não há perigo de morte... Já ia me esquecendo. Vou adicionar mais alguém no seu grupo, afinal estou retirando a senhorita Bentanne. Essa é Magda Imáglia, ela vai ajudar vocês nessa empreitada. -- Uma mulher alta e esbelta, envolta em mantos volumosos e elaborados, com véus ou mesmo óculos, que delineiam levemente sua forma enquanto ocultam os braços tão longos quanto o corpo e os olhos vermelhos cobertos de uma pasta viscosa de Matéria Vermelha. -- Não se preocupem, ela não morde. Acho. Sigam para o Bandido que ESUNA vai dar mais detalhes enquanto vocês seguem para Callistia. O Templo fica próximo do Charco da Velha. Chegando lá, vocês deverão descer e seguir a pé pelo caminho indicado pela ESUNA. Eu mandarei uma unidade com vocês. Se não houver algo mais, vejo vocês na volta. Boa caçada!

[OFF: Deem boas vindas ao novo jogador, monteparnas. pode começar a postar a partir de agora]


Magda está usando um óculos de trabalho largo e escuro, e oculta o corpo em um manto folgado e funcional, com avental e muitos bolsos, próprio para uso em forjas e laboratórios. Os cabelos negros caem ocultando levemente o rosto. Os braços estão para dentro do manto.

— Tenho observado o trabalho de vocês a algumas semanas. Temos muito o que fazer por agora, serão duas paradas antes de seguirmos para o resgate do Helladarion. Consegui também promessa de ajuda de uma amiga, ela saberá nos encontrar quando for necessário.
Vendar simplesmente observa a nova membro do grupo.

— Seja bem vinda. Quais são suas habilidades?

Ele então olha para Jack.

— Vamos então. O que estamos esperando?

Ele acompanha Esuna.


(OFF: Esqueci de mencionar, ou o Mamorra esqueceu de mencionar: todos têm direito a um teste de Int, CD 10, com +11 de bônus para reconhecer a personagem ao ouvir o nome. )

— Sou uma investigadora particular e caçadora de recompensas, especializada em crimes envolvendo a Tormenta. Acredito que a "senhorita" seja Vendar Matirazo. Difícil acreditar que um Gigante Rubro pudesse ser afetado desta maneira por uma poção criada primariamente para Artonianos. Sua ligação com a criatura já deve estar muito avançada, e pelo visto afetando-a tanto quanto ela o afeta. Isso pode ser um bom sinal. É um prazer conhecê-lo.

Magda finalmente estende a mão, revelando toda a extensão do braço, marcado em alguns pontos por deformações avermelhadas e traços de matéria vermelha no cotovelo, formando a junta e lhe dando flexibilidade.

Vendar aperta a mão de Magda.

— É um prazer para mim também. Estou tão surpreso quanto você quanto a esse fato. E vejo que você também pagou um preço para enfrentar o inimigo. Há quanto tempo a enfrenta?

—Nunca conheci a vida sem o toque da Tempestade Rubra, já nasci marcada. Aprendi mais sobre ela com o tempo, mas embora não seja meu foco, pode-se dizer que a enfrento desde que nasci.

Vendar suspira.

— Casos como o seu estão cada vez mais comuns. Os menos informados consideram que isso é um sinal de que vamos perder a guerra.

Ele então sorri confiante.

— Mas nós sabemos a verdade. Não é?

Magda apenas retribui o sorriso, igualmente confiante.


*Mustang olha um pouco surpreendido para mulher e diz:*

—Bem não vejo muitos Lefous, não é muito comum em Yuden ver esse tipo de pessoa, por motivos Bem óbvios...

*Riza o repreende na Hora:*

—General, mais respeito com a senhorita...

*Riza olha para a recém chegada e diz:*

—Seja bem vinda a nossa empreitada senhorita.... Será um prazer trabalhar com a senhorita , Eu Riza hawkeye....


Aeron faz um pequeno cumprimento e diz:

Seja bem vinda ao grupo. - Então olha para os outros e diz. - As coisas já estão encaminhadas, acho melhor irmos resolver tudo isso o quanto antes, podemos prolongar quaisquer apresentações durante a viagem...

—Sim, precisamos nos apressar. É um longo caminho antes de seguirmos para a verdadeira missão, e o Helladarion já está nas mãos dos inimigos, eu... Eu falhei em proteger o sumo-sacerdote...

Magda está frustrada e envergonhada, mas logo se recompõe.

— General Mustang, Lefou são tão raros em Ahlen quanto em Yuden. Infelizmente isso não significa nada. Enquanto Arton estiver ameaçada, seus futuros filhos correrão o risco de ter o mesmo destino que eu tive. Agora vamos andando.

*Thomas olha para ela com um certo sarcasmo e diz:*

—Nisso que da a velha matusquela da deusa do conhecimento escolher um objeto para sumo sacerdote e não uma pessoa, as vezes acho ela mais louca do que a Deusa da magia...

—Sumo-Sacerdotes são escolhidos pela função que estão destinados a realizar, como sua santidade deve saber. Keen precisa de um guerreiro poderoso. Tanna-Toh precisa de um repositório de conhecimento.

_________________
"Força Bruta: se não funcionou, é porque você não usou o bastante"
-Um sábio...
avatar
Tahlus
Mentor
Mentor

Mensagens : 102
Data de inscrição : 14/11/2013
Idade : 27

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Última Libertação - 1ª Fase

Mensagem por Tahlus em Seg 18 Nov 2013 - 21:28

Capítulo XVI


Tempo até a corrupção do Helladarion - 22d 23h 17m 05s - Tyros, Trebuck


Fazia algum tempo que Greed'son fora para o Bandido fazer os preparativos e ESUNA os guiava até onde o usurpador estava. Havia várias pessoas indo de um lado a outro nos seus afazeres. Chegando próximo ao hangar onde estava aportado a embarcação do Greed'son, o grupo pode ver várias ESUNA carregando corpos para dentro. Mais atrás, Masamune Date seguia segurando o buraco onde deveria estar o braço e o Desbravador. Tristeza. Fúria. Frustração. Todos esses sentimentos podiam ser lidos no misero olhar que o ex-pirata deu na direção do grupo.

Na entrada do Bandido, uma mulher vestida com o símbolo dos Richardson e exuberantes curvas.

ESUNA logo manda todos entrarem para partirem. Em poucas horas estariam em Callistia. Um pequeno grupo conferia equipamento, armas, comida. Podia-se perceber sem muita dificuldade que se tratavam de Cavaleiros do Corvo. Todos preparavam suas coisas enquanto seguiam rumo ao primeiro objetivo.

— Eles são seu grupo tático. Eles receberão ordens diretamente de vocês, mas não os mandem para cumprir estupidez. Eu monitorarei tudo daqui e também darei suporte com informações. Ponham isso em seus ouvidos. Com isso, poderão se comunicar entre si, com o grupo de apoio e comigo. Vocês terão todo o suporte que eu puder providenciar. - Comenta ESUNA


Magda coloca o aparelho enquanto embarca, e faz um pequeno teste por ele.

— Olá, Magda falando, isso está funcionando?

*Thomas olha para o equipamento e com um pouco de custo pega e usa e diz:*

—Não sei se esse negocio funciona, vocês podem me ouvir ?

*Depois Thomas vira para ESUNA e pergunta:*

—Quando formos falar entre nós podemos falar apenas com uma pessoa em particular ou sempre falaremos com o grupo inteiro?


*Mustang põe o aparelho em seu ouvido e o testa rapidamente:*

—Pronto funciona perfeitamente...


Greedson então fala:

—Bem vindos a bordo novamente, uma lástima o que houve com o grupo de Masamune, mas serve para vermos que ninguém pode desejar vencer está guerra sem sacrifícios. Estive conversando com o capitão Terrível, é realmente adequado que pousemos ante de chegar ao nosso destino em Giluk, pois o espaço está protegido contra quaisquer hostilidades. _ explica a morena exibindo cicatrizes tão fina e delicada que a distância mal se notavam.

Miss Greed segue:

—Não direi para não portarem seus armamentos, mas aviso que estamos em uma missão diplomática, estes causarão péssima impressão, especialmente se formos nos encontrar com a entidade que eles denominam deusa. _ e nisso, a própria mulher não portava armamentos, apenas o link de comunicação, o brinco recebido, algumas partes de uma armadura, bandoleiras lotadas de poções e uma bolsa de artesão, contendo lá se sabe o que.

Adjunto, um anão típico, típico dos novos dizeres que agora ceifavam ao meio Doherimm, mostrava-se senhor de terríveis criaturas. Muitas dela já conhecida e exterminadas pelo grupo ali, nenhuma uma verdadeira ameaça, mas o anão. Este exibia um controle de respeito sobre elas. Ela falou ao lado de Greed:

—Sou o Dr., apenas Doutor. Nem senhor, ou anão. Só doutor. Eu não clinico, não mais se assim quiserem saber, não graças aquela carcaça moribunda que ainda rasteja no que sobrou de Portsmouth. Eu e meus rapazes estaremos conduzindo o bombardeiro de nossa carga macabra caso as coisas fiquem feias depois de Giluk.

A horda sorria feliz ali próxima, não eram tantos, mas um número considerável, e exibiam uma inteligência maliciosa que os cadáveres ambulantes no estomago do Bandido não possuíam.

Terrível berrou:

—Içar velas, bando de filhos-de-uma-elfa-puta-anoréxica, movam-se ou os dou de lanche pra nossa preciosa carga! HAUHAUHAUAHUUAH!

*Dante pega o aparelho e analisa com cuidado e um pouco de receio*

— Como funciona isso?


Aeron pega o aparelho e testa ele com os colegas. Então ele diz para Greed:

—Bem, antes de irmos para Giluk teremos que resolver as coisas no Templo de Lena. Mas concordo que as pessoas de lá podem não gostar de nossa presença lá se estivermos extremamente armados...


—O pior que pode ocorrer enquanto estivermos sem nossas armas e artefatos mais poderosos é: um ataque da Tormenta enquanto estivermos por lá. Pior, pode haver um maculado dentro da cidade, há servos da Tormenta capazes de manter-se ocultos, para isso, é claro, contamos com nosso sumo-sacerdote de Keen e nosso especialista arcano aqui. Certo, Thomas, Mustang?

*Mustang olha para os demais e diz:*

—Não se preocupem estarei alerta e não baixarei a guarda em momento nenhum.


Ótimo, mas agora, se me dão licença, tenho outros assuntos. _ diz Greed, saindo para seu laboratório alquímico, deixando todo na companhia de Terrível e seu marujos, além do Dr.

O anão sinistro observa o grupo e parece notar algo, ele chega perto e pergunta a ninguém em especial:

—Ei, por um acaso vocês não tinham mais homens no grupo? Quero dizer, não quero ofender nem nada disso, estou acostumado com as esquisitices do senhor Richardson, mas... TODOS VOCÊS SÃO TRAVESTIS? _ indaga o anão muito desconfiado.

—Não anão atrevido, estamos sobre efeito de uma poção, vamos entrar em lugar onde apenas MULHERES podem entrar e como eles não tem nenhum grupo que possa realizar essa tarefa que seja composto por mulheres, bem... sobrou para nós. - Responde Mustang.

—Exceto que EU sou uma mulher, para constar, não preciso de poção nenhuma para isso. - Diz magda.

—Ah, entendo. Bem, ao menos isso me fará dormir tranquilo enquanto estiverem por aqui. Mas... Não tinha um ai entre vocês que já cortava pro lado errado. Digo, então a moral dele foi corrigida? Quem era? Bem, talvez não importe, afinal. Vocês foram avisados para não irem ao compartimento de carga, não é? Ceeeerto, estou trabalhando em algumas praga letais e nossos zumbis-bombardeiros são os vetores. Qualquer coisa em um clérigo por perto pra te ajudar e você se dissolve numa pata, com muita dor. Talvez não afeta os lefeu, ma com certeza vai acabar com a parte artoniana dos lacaios deles.  _ conclui o Dr com um sorriso satisfeito de um profissional dedicado. O anão fita através de uma da grades entreabertas.

—Temos uma coisinha realmente forte aqui, se não for a mão de um sacerdote de Tenebra até eles podem se dissolver, sabe.


Thomas olha para o anão injuriado e diz:*

—O que quer dizer com desvio de conduta, anão ?


—Acho que ninguém aqui tenha dúvidas sobre o que ele quis dizer... - Fala Aeron. -  Mas agora não é hora de ficar discutindo nada sobre as escolhas exóticas de ninguém, temos coisas mais importantes pra resolver...


Vendar inconscientemente olha para Thomas quando falam de desvio de conduta. Ele então ouve o que o anão fala e faz um comentário entediado.

— Seu plano parece bom, mas os devotos mais corrompidos e poderosos da tempestade rubra também ganham certas imunidades. Então não se surpreenda se suas bombas biológicas não se mostrarem tão efetivas quanto você imagina. Mas usar os mortos vivos como tropa de choque é uma tática bem eficiente. Pena que eles caem logo.

Ele então pensa no Helladarion e fala.

—O que ainda estamos esperando mesmo?

—Acho que estamos esperando o piloto dessa coisa pô-la em movimento. - Responde Magda.







Tempo até a corrupção do Helladarion - 22d 03h 04m 29s - Charco da Velha, Callistia



Não havia nada naquele lugar quando Bandido aportou próximo ao Charco da Velha. Um incessante cheiro de merda de otyugh com vômito de dragão negro enchia os pulmões. Após alguns minutos de caminhada, sons de luta podem ser ouvidos. Era algo perto. Bem perto.

Alguns instantes, uma coisa começa a aparecer ao longe, e é gigantesco. Era uma enorme bocarra com dentes afiados que se estendia por toda a cabeça da criatura.

Duas mulheres lutavam contra a besta. A primeira, aparentemente uma guerreira, aguardava a criatura tentar abocanhá-la para desferir seus golpes, enquanto a outra, claramente uma clériga de Lena, tratava de impedir de sua companheira caísse morta.


*Mustang começa correr e faz o primeiro ataque estalando os dedos e usando o poder de suas luvas sem pensar duas vezes*


Vendar saca sua espada gigante e anda calmamente para próximo do combate como se fosse um passeio no parque, fitando o monstro como se estivesse olhando para um cachorrinho desobediente. O aventureiro já havia visto tantos horrores cósmicos que um monstro de tal porte não era mais que um pedaço da paisagem local. Ele olha para as duas mulheres que enfrentavam o monstro e fala.

— Bem eu estava meio sem ter o que fazer. Precisam de ajuda com essa coisinha?

Se a resposta for positiva ele simplesmente se alonga um pouco e salta sobre o monstro tentando parti-lo ao meio com sua espada.


( Off: Teste de atletismo+61 para usar o morte que vem do céu e causar dano dobrado. Ataque +41 dano(8d8+2d6+104+ 1 de const /19-20))


Devoto de Lena? Boa sorte, se haviam de entrar aquela parecia uma forma bem vinda ajudar aquelas duas. Portanto, procurou causar boa impressão renegando qualquer tipo de ataque.

*Enquanto os demais atacavam, Greed libera o gás de uma esfera metálica, melhorando a percepção de todos ao alcance.*

(Off: Usa Sabedoria da coruja em massa, todos recebem Sab+4, Vontade+2 e perícias baseadas em sabedoria+2.)


Aeron parte junto com os colegas, e diz:

—O que é isso que estão enfrentando?

Ele pega sua katana e se prepara para atacar junto com seus colegas.


*Thomas pega sua maça com as duas mãos e diz:*

—O que importa? O importante é que ele vai cair, Aeron.

*Thomas vai na investida usando ataque de duas mãos com sua maça*


*dante caminha devagar e cruza os braços, sem se envolver na luta*

"pouca coisa"


*O sacerdote de Kenn fala pra o elfo quando ele fica parado*

—Nossa você muda e perde toda coragem... Típico de Elfos..


—Não é uma questão de coregem sacerdote, é uma questão de necessidade ou não. Você acha mesmo que é necessário todo o grupo e mais aquelas duas mulheres para lutar com um monstro desses? Se for veremos em breve, se não for não precisaremos nos exibir num inútil derramamento de sangue... Mas tudo bem, não ligo para os comentários de minha raça e entendo seu ponto de vista de lutar e lutar sempre... Típico de clérigos de Keen.


Magda cerca a criatura atrás de um ponto fraco (flanquear para Ataque Furtivo).

— Pessoal, vamos apenas acabar com isso logo. Não tem porque arriscar perder tempo ou recursos, ou arriscar as vidas delas, quando podemos liquidar logo o problema.


Rolador de dados utilizado = http://www.wizards.com/dnd/dice/dice.htm

Iniciativas escreveu:
Vendar +26 = Rolagem (1d20) + 26: 16, +26 = 42
Greed ’son +33 = Rolagem (1d20) + 33: 16, + 33 = 49
Thomas +25 = Rolagem (1d20) + 25: 15, +25 = 40
Mustang +27 = Rolagem (1d20) + 27: 20, +27 +10 (Bônus Crítico) = 57
Aeron +36 = Rolagem (1d20) +36: 3,+36 = 39
Magda +35 = Rolagem (1d20) +35: 1,+35 = 36
Marlboro +39 = Rolagem (1d20) + 39: 9,+39 = 48
Dante não quis lutar, logo não rola iniciativa.
Ordem: Mustang, Greed’son, Marlboro, Vendar, Thomas, Aeron e Magda


Mustang escreveu:
usa duas bolas de fogo com as luvas. CD 22 (-2 por 2 ataques).
Marlboro testa Reflexos (1d20) + 17: 8, +17 = 25 (PASSOU)
Marlboro testa Reflexos (1d20) + 17: 13, +17 = 30 (PASSOU)
Dano bola 1 Rola 6d6+10 = 2,4,5,3,2,4, +10 = 30
Dano bola 1 Rola 6d6+10 = 6,2,6,4,2,6,+10 = 36
Marlboro recebe 50 de dano
As chamas de Mustang fazem um enorme estrago no corpo da criatura que parece ser feito de plantas.

Greed’son libera um gás de uma esfera metálica e ao inalarem, todos percebem o mundo com mais clareza, mais ponderação.


Malboro escreveu:
Sopro Nefasto
Reflexos: Vendar Rola (1d20) +17: 14,+17 = 31 (CD 35, Falha); Greed’son Rola (1d20)+24: 15,+24 = 39 (CD 35, Sucesso); Thomas Rola (1d20)+12: 20,+12 = 42 (CD 35, Sucesso); Mustang Rola (1d20)+16: 17,+16 = 33 (CD 35, Falha); Aeron Rola (1d20)+16: 19,+16 = 35 (CD 35, Sucesso) (Evasão); Magda rola (1d20)+26: 10,+26 = 36 (CD 35, Sucesso) (Evasão)
Dano: Rola (20d8)+19: 2,1,7,3,7,6,6,6,4,1,7,2,7,4,2,2,8,7,1,6,+19 = 108 de dano. Greed’son recebe 54 de dano, Vendar e Mustang recebem 108 de dano.
Fortitude: Vendar Rola (1d20) +26: 11,+26 = 37 (CD 35, Sucesso); Mustang Rola (1d20)+23: 7,+23 = 30 (CD 35, Falha)
Mustang está petrificado e sofre dano com magias de cura e recuperam pontos de vida com magias de necromancia. Recarga em 3 rodadas.

O monstro abre sua enorme bocarra e despeja uma nuvem roxa tóxica nos aventureiros que parece corroer até a alma. Aeron e Magda pareceram prever o que a criatura planejava e saltaram para um local seguro em cima de uma arvore. Greed’son quase escapara, porém no ultimo momento a nuvem o encobre. Mustang e Vendar não tiveram a mesma sorte e a fumaça os cobriram completamente. Quando a nuvem se dispersa, Mustang era uma estranha estatua de dor.


\"Vendar escreveu:
Rola Atletismo(1d20) + 61: 19, +61 = 80 para usar o morte que vem do céu e causar dano dobrado (Sucesso). Espada Táurica +5 Anti-Monstros rola (1d20)+41: 14,+41 = 55 (CA 47, Acertou); Dano Rola (4d8)+(2d6)+50: 7,5,4,6,4,4, = 80. 80x2 (Morte dos Céus) = 160
Marlboro recebeu um total de 210 de dano

Vendar dobra suas pernas de forma estranha e dá um salto que ultrapassa a cabeça do monstro e muito além. Dava-se para imaginar que ele havia levantado voo. Alguns instantes depois, Vendar surge descendo em uma velocidade impressionante e acerta a criatura com força tremenda. Abrindo um enorme buraco que sangra roxo na coisa.
Thomas escreveu:
Investida: Maça de Guerra +30 = Rola (1d20)+30: 18,+30 = 48 (CA 47, Acertou); Dano Rola (11d6)+20: 3,3,6,6,5,5,2,1,3,6,6,+20 = 66 de dano.
Marlboro recebeu um total de 276 de dano.

Quando o monstro se abaixou para soprar no grupo, Thomas viu aquela como uma oportunidade para desferir um golpe certeiro que quebrou muitos dentes e ossos, como se pode perceber pelo som. A maça abre caminho pela carne dura do monstro e destroça um pouco a horrenda face dele.


Aeron escreveu:
Ataque com rajada de golpes: Rola (1d20)+42: 19,+42 = 61 (CA 47, Acertou) (CRÍTICO); Rola (1d20)+42: 14,+42 = 56 (CA 47, Acertou); Rola (1d20)+42: 13,+42 = 55 (CA 47, Acertou); Dano Rola (4d8)+28: 6,5,4,6,+28 = 49x3 = 147; Rola (4d8)+28: 2,6,6,5,+28 = 47; Rola (4d8)+28: 2,5,6,3,+28 = 44. 147+47+44=238 de dano
Marlboro recebeu um total de 514 de dano.

Após se abrigar em cima de uma arvore, Aeron se posiciona próximo à criatura e desfere uma série de golpes limpos e extremamente precisos que arrancam vários tentáculos que o monstro usa como patas, levando a criatura ao chão.


Magda escreveu:
Ataque Acusador Rola (1d20)+33: 14,+33 = 56 (CA 47, Acertou); Dano Rola(1d6)+(11d8)+(4d6)+28: 8,7,8,6,7,5,6,8,4,1,1,5,5,1,5,5,+28 = 110 de dano
Marlboro recebeu um total de 624 de dano.

Enquanto isso, Magda se posiciona para desferir o ataque final. Ela aguarda o momento certo para desferir seus golpes, quando o monstro abrir a guarda. A criatura já sangrava muito e ela encontrou uma brecha e enfiou sua espada bem fundo na carne pútrida, causando ainda mais estrago.

O Monstro está bem acabado. O trabalho de equipe agora está começando a surgir efeito.



*Thomas olha a situação de roy e diz:*

—Cleriga de lena certo ? Pode dar um jeito no Roy estou meio ocupado aqui...

*Thomas Se prepara para desferir outro golpe na face da criatura segurando a maça com as duas mãos e descendo com toda força*

—Sua criatura estúpida, ninguém mexe com o que é meu e sai intacto.


Magda agora toma o cuidado de estar sempre cercando a besta, de forma que o gás tóxico não possa atingir todo o grupo, e usa seus ataques para tentar chamar para si a atenção do monstro.
Vendar simplesmente confia que o grupo vai tomar a atitude mais adequada e continua a golpear o monstro. Ele fala em voz alta para as jovens que eles estavam salvando.

— Moças, para uma dupla que lutava contra um monstro desses vocês estão muito caladas. Algo errado?

( Off: Ataque duplo.)


—Não vale a pena sofrer por um disfarce que não precisávamos a principio, e alguém precisa salvar o Mustang, de novo. _ diz casualmente o artífice enquanto aponta sua manopla para o marlboro aleijado por Aeron.

* Greed libera uma capsula de combustível de sua manopla, usando-a como um morteiro que incendeia o metano do pântano ao redor do monstro.*

(Off: Alquimia+33+5bônus contra Bola de Fogo Controlável CD36, SUCESSO! Dano: 14d6 fogo.)


*O elfo continua a observar o combate, mas agora sua atenção esta mais nas duas moças que lutavam com o monstro*

"Estranhas..."


Aeron se mantém quieto, apenas se concentrando em seus ataques...

( OFF: ataco da mesma forma.)



Rolador de dados utilizado = http://www.wizards.com/dnd/dice/dice.htm

Iniciativas escreveu:
Vendar +26 = Rolagem (1d20) + 26: 16, +26 = 42
Greed ’son +33 = Rolagem (1d20) + 33: 16, + 33 = 49
Thomas +25 = Rolagem (1d20) + 25: 15, +25 = 40
Mustang +27 = Rolagem (1d20) + 27: 20, +27 +10 (Bônus Crítico) = 57
Aeron +36 = Rolagem (1d20) +36: 3,+36 = 39
Magda +35 = Rolagem (1d20) +35: 1,+35 = 36
Marlboro +39 = Rolagem (1d20) + 39: 9,+39 = 48
Dante não quis lutar, logo não rola iniciativa.

Ordem: Mustang, Greed’son, Marlboro, Vendar, Thomas, Aeron e Magda

Greedson escreveu:
Usa Alquimia +33 +5 Bônus contra Bolas de Fogo Controlável (CD 36) Rola (1d20)+38: 3,+38 = 41 (Sucesso).
Marlboro testa Reflexos (1d20) + 17: 8, +17 = 25 (CD 26) (Falhou)
Dano Rola (14d6)+11: 5,3,3,2,6,4,3,4,5,6,2,6,2,5,+11 = 67 de dano
Marlboro recebe 101 de dano (Vulnerabilidade à Fogo)
Marlboro recebeu um total de 725 de dano.
Agora foi a vez de Greed’son liberar chamas na criatura. Ele percebeu o enorme potencial destrutivo que o fogo fazia no monstro e lançou uma capsula que explodiu ao redor da criatura, mas mesmo assim o monstro continua avançando.


Malboro escreveu:
Ataca com tentáculos: Mordida +63 (6d6+44/x2), Pancada +63/+63 (4d6+44/x2), em Aeron e Vendar (Os próximos o suficiente a serem atacados).
Mordida Rola (1d20)+63: 20,+63 = 98 (CA 44, CRÍTICO); Dano Rola (6d6)+44: 6,6,2,3,1,4,+44 = 66 x 2 = 132 de dano.
Aeron Fortitude Rola (1d20)+28: 12,+28 = 40 (CD 42, Falhou); Veneno Rola (3d4)+0:1,2,3,+0 = 6 de dano em Constituição. Perde 66 PVs pela perda de Constituição e Recebe -3 em futuros testes de Fortitude.
Pancada Rola(1d20)+63: 6,+63 = 69 (CA 47, Acertou); Dano Rola(4d6)+44: 1,2,2,6,+44 = 55 de dano.
Pancada Rola(1d20)+63: 8,+63 = 71 (CA 47, Acertou); Dano Rola(4d6)+44: 4,3,5,2,+44 = 58 de dano.
Vendar recebeu um total de 113 de dano.

Mesmo bastante debilitado, o monstro morde Aeron com sua enorme bocarra enquanto usa seus tentáculos como chicotes e bate em Vendar sem Piedade.


Vendar escreveu:
Ataca com Espada Táurica Anti-Monstros +34/+34
Ataque 1 Rola (1d20)+34: 14,+34 = 48 (CA 47, Acertou); Dano Rola (4d8)+50: 6,8,1,2,+50 = 67
Ataque 2 Rola (1d20)+34: 13,+34 = 47 (CA 47, Acertou); Dano Rola(4d8)+50: 7,3,8,5,+50 = 73
Marlboro recebe 140 de dano (Vulnerabilidade à Fogo)
Marlboro recebeu um total de 865 de dano.

Aproveitando-se das brechas que ele mesmo dera ao Marlboro, Vendar gira sua espada em um golpe na horizontal que atinge a bocarra do monstro. E ao ver o sofrimento do monstro, Vendar o parte ao meio num jorro de um líquido viscoso e roxo. A criatura estava morta.



As duas mulheres, que ficaram paradas observando, aproximam-se do grupo com cautela. A sacerdotisa, uma elfa loira, prontamente os agradece enquanto cura suas feridas e livra o Mustang da prisão de pedra, graças a um Milagre que ela implorou a Deusa da Vida. A guerreira, porém, não deixou a posição defensiva que estava em momento algum. Talvez prevendo que o grupo acabaria morto ou se viraria contra elas.


—Eelai, não as ajude. Não sabemos quem são -- Ordena a guerreira à sua companheira.

—Sabe que eu não posso e nem vou fazer isso, Camila. -- Rebate a sacerdotisa.  -- Perdoem os modos dela, Eu me chamo Eelai Belleruraina, de Lenórienn. E a minha amiga se chama Camila Schleswig-Holstein-Sonderburg-Augustenburg, de Yuden. Estamos seguindo para o Templo da Vida para nos preparar para seguirmos para a Área de Trebuck. Nossos companheiros estão encurralados e estamos em uma corrida contra o tempo. E as senhoritas, para onde seguem?


—Meu nome é conhecido, pois sou a penúria do abutre de Portsmouth, forjador da encarnação dos pesadelos de meus inimigos, Greed Richardson Defallt. Agora, recebemos de boa graça seus cuidados para nosso colega estalecido. Meus colegas e eu somos desafiadores da Tempestade aberrante, em missão de ir até Giluk receber a benção da entidade Lena contra a força da Tormenta. As senhoras podem acompanhar-nos se assim desejarem, mas não podemos espera-las, embora já tenham presa. _ termina de explicar a situação a duas.


Magda deixa escapar um sorriso ante a cena da mulher se apresentando como o general Greed'Son. Ainda que elas acreditem, explicar-lhes que a maior parte do grupo eram homens transmutados seria bastante cômico. E ela esperava que a sacerdotisa não se sentisse ofendida com a situação, ao menos em reconhecimento pela ajuda.

— Nós teremos ainda outra parada antes de seguir para a Tormenta, mas seguimos para Trebuck também. Se nos acompanharem, podemos ajudar com seus amigos depois que tivermos resgatado no objetivo, ou no caminho, se for mais fácil. Aliás, permita me apresentar, Magda Imáglia, detetive e caçadora de recompensas.


*Mustang para e diz:*

—Mas você não é a filha do antigo general da primeira companhia? Meu mentor?  Bem eu posso estar em uma forma meio aberrante agora senhorita, mas sou eu Roy Mustang.

*Riza olha para ela e diz:*

—mas a senhorita não tinha sido sequestrada? O que ocorreu com a senhorita?

*Thomas espera a irmã se aproximar e diz:*

—Realmente eu acho que e lembro de você, se não me engano seu pai foi um general yudeniano certo ?


Aeron permanece em silencio, apenas observando a conversa. Parecia que alguns de seu grupo conheciam a outra guerreira, restava saber se isso ia ser benéfico ou não. Por hora ele apenas observa o desenrolar da discussão, esperando que não arranjem mais complicações antes de completar essa parte da missão...


Vendar simplesmente limpa o sangue de sua arma e fala.

— Sou Vendar, desafiador da tormenta. E aparentemente temos os mesmos objetivos. E também temos pouco tempo.

Ele então vê a reação de Mustang e fica calado. Em algum lugar de sua alma ele não queria ser visto assim. Mas também não sabia se as clérigas os aceitariam onde precisam ir se soubessem que elas são homens disfarçados. Mas então algo o incomoda.

— Sem querer ser chato, mas já sendo. Por que uma Yudeniana protegeria uma elfa? Achei que vocês não gostassem desse tipo de coisa?

—A não ser que sejam grande amigas por algum motivo desconhecido, sempre há a necessidade que supera a ideologia, mesmo as mais idiotas. E por tanto, um guerreiro e um sacerdote costumam dar uma boa combinação. - Fala Greedson.

*O elfo se aproxima de Greed'son*

— Elas irão nos acompanhar?

—Vejamos. _ afina o erudito enquanto observa a duas utilizando sua habilidade dedutivas.

* Greed tenta determinar se ambas não são uma ameaça disfarçada.*

(Off: Lança Visão da Verdade e Detectar Criatura_ para seres da Tormenta.)


Camila observava ao grupo que enchiam elas de perguntas. Ouve todas as perguntas e sorri ao receber a pergunta de Vendar. Greed'son detecta presença da Tormenta impregnada em Camila, mas Eelai está perfeitamente normal.

—Não sou yudeniana nem humana há anos, senhorita inseto. Por isso que não voltei para casa quando finalmente escapei. Agora não sou nada mais do que um monstro. Então não há motivos para ficar com preconceitos contra semi-humanos. Vocês vão ao Templo da Vida? Quem foi o maluco que travestiu um grupo de homens para ir nessa empreitada? Roy Mustang... Você ficou bem melhor desse jeito, sabia? Ficou deliciosa!

—Camila!!!

—Só estou falando a verdade, Eelai. Ele quando chegou para pedir ao meu pai ajuda parecia um menino chorão.

Greed'son coloca um óculos com lentes que se movem estranhamente. Observando as duas, vê que Camila tem partes monstruosas enxertadas em seu corpo. Mas não há traço de corrupção Lefeu em seus corpos. Então o Erudito muda as lentes dos óculos e percebe a calma das auras das duas. Era estranho. Estavam calmas. Ao contrário dos seus companheiros de grupo, que estavam tensos pelo combate, elas estavam tranquilas, como se aquilo não fosse nada. Seja quem fossem, eram muito poderosas e estavam acostumadas a enfrentar essas aberrações.

—Podemos mesmo acompanhá-los? Rezo para que nosso grupo ainda esteja bem. Se eles forem corrompidos, estamos perdidos. Nós fomos capazes de enfrentar Arsenal de igual para igual. Mesmo assim, a Tormenta é muito mais poderosa que o ex-Sumo Sacerdote da Guerra.

— Pelo que me disseram o novo é um pederasta. Vive querendo comer um homem. Só não lembro qual o nome do infeliz.


Vendar observa a cena com um certo espanto e fala para Mustang.

— Olha aí, mustang. Conseguiu mais um admirador. Pelo menos essa é mulher, diferente do Thomas. Mas se ela gostou mais de você assim, bem... Gosto não se discute.

Ele então olha para si próprio e fala em tom cansado.

— Mas realmente fico me perguntando se foi uma boa idéia o que fizeram com a gente. Ainda acho que seria mais fácil irmos para vitália e de lá procurarmos o palácio de Lena.

Ele então se apruma.

— Vamos indo então. Não temos todo o tempo do mundo.


(Off: Greedson detectou a presença da tormenta em camila, mas não havia traços de corrupção em seus corpos? Acho que houve um erro aqui.)


—Elas estão limpa, ou melhor, são tão sujas quanto qualquer um de nós. Sigamos sem demora, mas com cautela. Pois nosso encontro não foi despropositado, alguém o planejou. Não importando e aliado ou inimigo, sua ações não passaram despercebidas a mim. _ diz o artífice enquanto extrai com interesse uma haste verde do marlboro abatido.

(Off: Greed testa natureza+38 e arcano+38 para saber se o malrboro estava endo controlado. Reportando o que descobrir em confidência a Mustang, que já conhecia uma delas de vista.)

(Off2: Pode ser a corrupção mundana de uma área, como em nós, ou itens, além do que, adorei a ideia do óculos que o Mamora usou.  )



Magda reconheceu prontamente os nomes e se lembrou das informações que tinha sobre os feitos das duas. Não havia nada mais que precisasse ser dito nesse caso. Ao ouvir os comentários inadvertidos sobre Thomas e Mustang não pode evitar uma risada, mas logo retorna à conversa.

— Você tem uma concepção bem abrangente de "limpo", "senhor" Richardson, tendo em conta que dois membros de nosso prestimoso grupo estão impregnados com a própria Tormenta, seja por simbiose ou por nascimento. A validade dessa empreitada será verificada em breve. Em última instância eu verei o que posso fazer se os outros não forem aceitos lá dentro. Nós ajudaremos seu grupo de desafiadores, conheço alguma coisa sobre seus feitos e têm boa reputação comigo. Mas entendam que nosso alvo será prioridade: é o próprio Helladarion, Sumo-Sacerdote de Tanna-Toh, mais antigo que as raças que habitam o mundo e repositório de todo o conhecimento de nosso mundo, ou algo bem próximo. Se ele for corrompido, as consequências serão devastadoras. Quando terminarmos no Templo da Vida será hora de uma parada em Giluk. Precisamos encontrar o "Cálice dos Deuses". Depois disso direto para a área de Trebuck. Nosso encontro foi fortuito, mas agora nos apressemos.


*Dante passa ao lado do erudito*

— Não gosto delas. Parecem tão poderosas quanto nós, se não mais. Ficarei de olho.

—Cuide da clériga, enquanto eu investigo melhor a conhecida de Mustang. _ cochichou o artífice.

Aquela criatura não era natural, fora fabricada pela arte do quimerismo. Envolvia partes de Troll, Otyugh, entre outros. Greed, em poucos instantes, já sabia que aquela criatura havia sido enviada para atrasá-los. Alguém quer que percam tempo, e ele já sabia quem eram. ó faltava descobrir o motivo, embora uma suspeita já brotasse-lhe.

Após dividir suas suspeita com Mustang, em confidência, o déspota apontou o rumo de ação que julgava mais produtivo, descartando a opinião dos outros com a educação de um hipopótamo na lama.

—Não devemos mais perder tempo aqui. As duas são boas o bastante para cuidar de si mesmas, nunca precisaram realmente de nosso auxílio. Estamos indo para o nosso destino... sem elas. _ dizia de costas, enquanto fuçava o corpo inerte do malrboro, enfiando alfinetes no cérebro exposto e, em seguida, ejetando algo nele.

(Off: Teste natureza+38, descobrir o nível da fera e depois outro para saber se ela se recuperaria da mesma forma que um troll do pântano. Se o resultado for positivo, tentara usar Sobrevivência+25+5bônus contra Dominar monstro CD30.)


*Mustang olha para camila e diz:*

—Se ta maluca mulher ? Eu era muito melhor na minha forma real, por favor mais pederastia aqui não, se bem que... Não ainda sim é totalmente aberrante...

*Quando ouve o comentário de Vendar fala:*

—Se eu fosse você tomaria mais cuidado com isso e pois pode vir uma abelha grifo e ficar meio tarada em você vendar..

*Ao ouvir o comentário de Greedson Roy fica serio e diz:*

—Bem, camila, foi bom reencontra-la, mas temos que ir, até mais..

*Roy vai seguindo o resto do grupo*


*Thomas olha desinteressado para a Guerreira e diz:*

—Eu sou o Tal sumo-sacerdote, mas isso não é relevante para gente pouco importante como você...  e sinto muito querida o mustang Ja tem dono.

*Thomas pega Mustang pela cintura e põe em seu ombro como um saco de batatas e diz:

—Vamos embora...


Magda fica ligeiramente confusa com a situação. E confusão não é uma sensação que ela aprecie por muito tempo. Ela segue com o resto do grupo ao se afastarem das duas. Quando se certifica que as duas não podem mais ouvi-los, pergunta a Greed'son:

— O que aconteceu? O que você descobriu na criatura e por que suspeita das duas?

—O obvio. - Fala Greedson.


Quando é carregado com mustang se vê carregado por Thomas ele diz:*

—Me solta seu infeliz...

Se afastando das duas o suficiente, Aeron fala para o grupo:

—Não importa se elas são fortes ou não, ou se supostamente estão do nosso lado, eu aconselharia a evitar ao máximo liberar qualquer informação sobre nossa missão - Ele olha para Magda. - Você não estava conosco antes, mas não desse ser surpresa para você que várias pessoas que cruzam nosso caminho podem ter alguma relação com o inimigo, e mesmo que não tenham, quanto mais pessoas souberem sobre isso, maior a chance do inimigo descobrir por algum meio...

—Impossível revelar mais. A novata tem fama e conhecimento, mas não possui a malícia do mundo. Ela ainda terá de provar o seu valor. - Diz o erudito.

*Dante da um último olhar para as duas e vira suas costas, seguindo com o resto do grupo*

_________________
"Força Bruta: se não funcionou, é porque você não usou o bastante"
-Um sábio...
avatar
Tahlus
Mentor
Mentor

Mensagens : 102
Data de inscrição : 14/11/2013
Idade : 27

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Última Libertação - 1ª Fase

Mensagem por Tahlus em Seg 18 Nov 2013 - 21:30

Capítulo XVII


Tempo até a corrupção do Helladarion - 21d 20h 19m 31s - Charco da Velha, Callistia - Noite.


O grupo passou várias horas andando pelo Charco. Parecia que estavam andando em círculos. Haviam umas arvores que, diferente das outras, davam para usar como guias. Mas estranhamente elas se repetiam.

Então, após várias horas, o grupo consegue localizar uma caverna escondida no rio. Ao entrarem, poucos minutos depois encontram um vão livre completamente feito de ouro.

Era magnífico. As próprias paredes pareciam ser feitas de ouro. Podia-se ver também centenas de milhões de Tibares amontoados em centenas de pilhas. Também haviam centenas de obras de arte, estatuas, jóias. Tudo podia-se encontrar naquelas verdadeiras montanhas de ouro.

Avançando um pouco mais e contornando uma das inúmeras montanhas de ouro, todos começam a sentir o Terror palpável. A criatura deitada parecia observar cada movimento do grupo como se os avaliassem.

—O que fazem aqui? Por acaso são aventureiras estúpidas que veem tentar me roubar e me matar? Ou estão tentando encontrar o Templo da Vida? Acho muito improvável que aventureiras armadas até os dentes vão negar tudo e viver de acordo com Lady Lena. Então, a resposta mais lógica...

O dragão de ouro levanta-se imponente e fica em posição de combate, mas parece aguardar algo.

—Qual será a sua resposta? Se tentarem mentir, estarão mortas.

[OFF: Peço desculpas pela demora, mas eu havia pego um trabalho por fora e a semana passada estava bastante atarefado. Tinha que garantir o presente de fim de ano da Lienn.]

[OFF2: O Marlboro estava morto e pegando fogo, o que significava que era permanente.]



*Mustang olha para o dragão de forma sincera e diz:*

—Estamos aqui para participar do ritual de Lena, queremos a proteção da mãe da vida para podermos buscar algo que foi levado de nós por Lefeu...  Algo que senhora do conhecimento... Não pretendemos rouba-lo senhor, não faríamos isso com um ser de Nobreza e grandiosidade como a sua...


De alguma maneira, eles estavam sendo conduzido, mas para onde? No momento, Greed poderia tentar algo, ma decidiu por cautela estratégica e aguardar uma chance de revelar o responsável. Então, um grande tesouro, e um dos dragões de Khalmyr.

(Off: Conhecimento Arcano - dragões metálicos - + 38, para reconhecer o espécime e seus hábitos.)

Diante do tom de desafio, Greed rapidamente tapou a boca de Thomas, de forma que este não pudesse aceitar o combate de imediato, respondendo sem demora:

—Detenha-te, draco, pois diante de ti e encontra ninguém mais que o próprio Greed Richardson Defallt. E, embora, suas preciosidades sejam muitas, elas em nada tem haver com nossa incumbência. Todavia, de alguma forma, fomos trazidos aqui enquanto atravessávamos o charco. Também acho improvável que desconheça o motivo de nossa dificuldade e requisito que fale a repeito. _ diz o sábio em idioma Drakar.

(Off2: Percepção+35 contra Visão da Verdade CD30.)


Magda acompanhava e observava o grupo. Fora de fato leviana com as duas mulheres mais cedo, talvez levada pela situação e o tempo sem encontrar pessoas de índole mais leve.

De qualquer forma, o conselho por cautela calara fundo, e ela observava seus companheiros. Afinal, ELES não eram exemplares de absoluta confiança para ela. Vendar era alguém com quem ela podia empatisar, mas ele se entregava cada vez à mácula. Richardson é um déspota maníaco, um mal ainda mais instável do que Arsenal jamais fora, mesmo que menos poderoso. IronHeart era o substituto de Arsenal, e ainda era o pederasta que diziam, e até mais. Dante já fora implacável. Agora parecia melhor pessoa, mas afora sua perseguição de um Lich nos últimos tempos seus feitos são erráticos e desencontrados. Kurosaiga e Mustang eram os únicos em quem ela poderia ter alguma confiança.

Agora encontravam um nobre Dragão Dourado. Era uma honra encontrar uma dessas criaturas, ainda mais um exemplar que parece ser velho e poderoso, um ancião de sua espécie. Vendo como Mustang conduzia a situação, ficou mais tranquila, mas a arrogância de Richardson ainda poderia ser sua ruína.

Atenta ao seu redor, ela aguarda o desenrolar em silêncio.

Aeron escutava as "bajulações" de Mustang e a impetuosidade de Greed, e esperava a resposta do dragão antes de tomar qualquer atitude. Ele esperava não ter que ficar perdendo tempo nesse local, mas se o dragão agisse contra eles estaria preparado para acabar com isso o mais rápido possível...

Vendar simplesmente suspira e espera os outros terminarem de dialogar. Ele se pergunta o porquê de tantos inconvenientes.

*Thomas põe Greed'son e Roy para traz, olha para o Dragão e diz:*

—Olha aqui sua Lagartixa gigante se eu não estivesse em uma guerra maior eu iria aí abriria seu estomago retiraria suas vísceras alimentaria lobos com ela, retiraria suas escamas e faria uma bela armadura de dragão com elas e usaria seu tesouro para fazer m novo Templo em honra a Keen.  Então deixe de ser inconveniente e nos deixe passar AGORA!


Vendar suspira com o comentário de Thomas.

— E eu achando que poderíamos passar por uma conversa sem o risco de uma batalha épica. Já disseram que clérigos de Keen são péssimos diplomatas?

*Dante coloca sua mão sobre o cabo de Ragnarok, esperando a reação do dragão*
—Ele não fala por todos nós, pois não passa de uma criatura que idolatra o mito de Keen. _ sugere rapidamente ao dragão em seu idioma.


O Dragão olha para todos com fúria no olhar, que parecia sair fogo. Começou a inflar os pulmões e pequenas labaredas saiam de sua boca enquanto puxava ar. Então ele gira a cabeça na direção dos aventureiros e...

—AHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA!!!!!!!!!! Vós sois tão loucos quanto Jack Donovan havia dito. Eu já fora informado de sua empreitada, porém queria assustar-vos. Peguem... -- Ele lança uma pequena mochila -- Coloquem todos seus equipamentos. Posso autorizar sua passagem, mas Lady Lena não gosta de armas. E se vós apareceis armados até os dentes, ela certamente irá embora. Não ofendam-se e não ofendam a ideologia da Dama da Vida.

Alguns instantes depois, uma passagem abre-se atrás do Dragão e todos puderam ver um enorme jardim que ia até onde a vista alcançava. Um cheiro diferente de tudo que já sentiram invadiu os pulmões de todos. Um cheiro que lhes lembrava algo a muito esquecido. O cheiro de quando estavam abraçados no colo de suas mães e podiam sentir o cheiro delas. Havia uma estrada de pedra bem desenhada ao redor do jardim, de modo que os visitantes pudessem visualizar todo o esplendor de Lena antes de chegar ao Templo.


Mais a frente, várias mulheres se agrupavam ao redor de uma mulher que de tão graciosa, parecia que era mãe delas. Ao se aproximarem, Eelai puxa a mulher para onde o grupo se encontrara. A mulher, por onde pisava, cresciam plantas que vários animais viam se alimentar. Ao aproximarem, todos puderam sentir cada parte de seus corpos. Lefeu recuou e Vendar pode sentir o vento em sua face. Cada respirada era repleta de alegria simplesmente por estar vivo.

—Essa é a Grande Lena, Deusa da Cura e Fertilidade, como dizem os tolos sacerdotes de outros deuses. Luna é a Deusa da Vida. Conversei com ela e, se vocês estiverem dispostos a participar do Ritual, Ela prometeu abençoá-los!


Assim que entram, Greed usa seus óculos para enxergar a real natureza do lugar, tudo era perfeito demais para ele. Embora julgasse isso levemente possível sobre sua tutela, tinha sua parcela de ceticismo. Então, notou a "mãe" entre as sacrdotisas.

—O que tem em mente para nós, Lena? _ questiona Greed sobre o ritual diretamente para a senhora de maior idade, ignorando Eelai.

Acompanharia aquela pessoa de todo modo, estava ali para isso, todavia, os demais precisariam ainda de alguma segurança.

(Off: Lança Visão da verdade e depois Detectar criaturas_espírito. Depois, a acompanha.)

—Este lugar parece ser o que é, ou não. Vamos terminar com isso e apresentar aos lefeus a realidade artoniana que eles tanto se curiam. _ responde o déspota aos outros, procurando deixa-los de acordo, embora todos já tivessem aceitado antes de virem.


*Roy quase tem um troço quando thomas faz isso e diz:*

—Você enlouqueceu? Olha o que vc fez...

*Mas ao ver que ele não iria fazer nada ele relaxa e diz:*

—Muito engraçado, lembre-me de matar o o donovan na volta....

*Ao entrarem Roy vê Ellai e diz:*

—Como chegaram antes que nós já que saímos antes que vocês ?

*Roy olha desconfiado, guardando suas ramas na mochila como o dragão tinha dito*

—Eu segui pelo caminho das sacerdotisas. Camila estará esperando por mim ao sair.


Vendar sem dizer nenhuma palavra guarda as suas armas no local. Ele então vê a sacerdotiza e á uma risada leve com a cena com o Mustang.

Aeron estava perdendo a paciência com os yudenianos, agora que Mustang parecia estar aprendendo a se controlar era o clérigo de Keen que parecia querer fazer burradas... Por hora ele não fala nada, mas sabe que logo ele vai ter que se controlar se não quiser se arrepender dessa atitude...

Ele guarda suas armas e segue com o grupo, vendo a atitude de Ellai e não tendo certeza se confia neles...


Magda observou a situação se desenrolar com grande apreensão. Um Dragão Dourado é um campeão do bem precioso demais para ser perdido graças às tolices sem sentido de dois imbecis loucos por sangue, se a violência se instalasse ela teria de protegê-lo, mesmo que isso significasse enfrentar o próprio grupo. Com sorte os outros entenderiam e ajudariam.

Felizmente tudo se resolveu, era apenas o famoso humor desses dragões. E o jardim de Lena era lindo. A sensação de aconchego era indescritível, algo imaginado, mas nunca antes sentido. Uma mãe que a amava sem receios. Magda lembrou de sua família em Ahlen, pensou se quando tudo isso terminar seria a hora de finalmente voltar para casa e tentar conquistar lá seu lugar. Sentiu que no fim, talvez pudesse perdoar sua mãe pelo passado.

As armas foram guardadas de pronto. Estar naquele lugar já valia a viagem, mas logo a detetive se recompôs para tratar do que vieram fazer.

— Agradeço a oportunidade de estar neste lugar. É uma honra ser recebida aqui. Mas nossa missão é urgente por demais. Precisamos ainda fazer outra viagem rápida antes de seguir para Trebuck e desafiar a Tormenta. Podemos prosseguir com o ritual? Algo mais é necessário?

Magda se mantém atenta, como seus companheiros, mesmo sentindo que está em boa companhia. Afinal, seu entendimento do comportamento e motivação das pessoas é bastante apurado, diferente da desconfiança instintiva e generalizada que pessoas como alguns de seus companheiros desenvolvem.


O grupo foi levado ao local onde seria realizado o ritual. Um gramado cercado por várias árvores que deveriam dar uma sombra aconchegante durante o dia. Eelai coloca-se no gramado e uma garota, que deveria uns 11 anos de idade, trás várias taças cheias de vinho. Ao colocarem os lábios na bebida, o gosto é conhecido rapidamente. Achbuld. A droga fluiu pelas gargantas dos aventureiros, que, mesmo tentando não consumir a bebida, sorvia em grandes goles a droga.

As sacerdotisas e os paladinos começam a retirar suas vestes e se agarrar. Era algo que, mesmo sendo considerado promiscuo na sociedade civilizada, ali nada mais era do que natural. Eelai estava em êxtase, provocado pelas sensações do ritual.

Poucos instantes depois, todos sentem a droga começando a fazer efeito. Tudo parecia mais iluminado e maior. O chão por vezes parecia mais perto, outras mais longe. Sentiram várias mãos percorriam seus corpos, mas não havia ninguém próximo ao grupo. O que sentiam era o que as sacerdotisas sentiam.

—Acalmem-se. Sintam as ondas da Vida passando pelos seus corpos –  Disse Lena, ao chegar até o grupo.

Algum tempo depois, sentiram a dor e graça de gerar uma vida, coisa que nenhum deles já havia sentido antes. Todo o esplendor da vida passou por seus corpos, e puderam sentir cada ser existente em Arton. Puderam SER cada criatura em Arton. Foram insetos, vermes, goblins, dragões, esquilos, elfos, anões...

_________________
"Força Bruta: se não funcionou, é porque você não usou o bastante"
-Um sábio...
avatar
Tahlus
Mentor
Mentor

Mensagens : 102
Data de inscrição : 14/11/2013
Idade : 27

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Última Libertação - 1ª Fase

Mensagem por Tahlus em Seg 18 Nov 2013 - 21:32

Capítulo XVIII



Ordine - Manhã

Francesca caminhava pelas estradas as quais só andara no dia em que fora sagrada Sumo-Sacerdotisa. Tinha uma missão importante, e esperava conseguir. Arngrim seguia ao seu lado em silêncio, pois podia sentir o medo que a pequena estava. Passaram por vários vilarejos enquanto seguiam rumo ao Tribunal de Khalmyr, na esperança de ter mais ajuda.

A sala de cristal onde as almas eram trazidas para serem julgadas pelo Deus da Justiça estava cheia naquele dia. As mais diversas almas observavam a Sacerdotisa seguir seu caminho rumo onde aguardava por ela aquele a quem seguiam todas as suas preces. Altivo, Khalmyr fez um sinal para que a garota se aproximasse. Uma multidão de almas abriu espaço para Francesca e Arngrim, que seguiram em direção ao Lorde da Justiça.

—Meu Lorde e senhor meu Deus. Grande Khalmyr. Senhor da Ordem. Grande Paladino. O Juiz. Defensor de tudo o que é certo. O Senhor que tudo sabe, estou certa de que o meu senhor e Deus já deve saber o motivo da minha visita, mas...

—Sei sim, milady Francesca, e a resposta é NÃO!




----------



Tempo até a corrupção do Helladarion - 17d 02h 01m 12s - Templo da Vida, Callistia - Manhã.


Tudo ficou turvo por muito tempo. Era difícil saber o que aconteceu e o que fora ilusão naquele tempo que pareceu uma eternidade. Ao acordarem, todos percebem que suas roupas estão espalhadas pelo jardim. Não havia sinal das sacerdotisas nem dos paladinos que participaram do ritual. Só havia lá Eelai e Lena, que sorriam para vocês.

—Muito bom dia, Senhores Vendar Matirazo, Greed Richardson Defallt, Roy Mustang, Thomas Ironheart, Danteriollas Farenhite e Aeron Kurosaiga, e senhoritas Magda Imáglia e Riza Hawkeye. Vocês sentiram a Vida em toda sua imensidão. Agora sabem o que estão protegendo e, mesmo sendo emissários da destruição, têm minha benção nessa missão. Suas feridas irão fechar e seus espíritos estarão seguros enquanto lembrarem daqui. Tenham uma boa viajem e triunfem ante ao mal que deseja acabar com toda a vida de nosso lindo mundo. Peço que levem Eelai consigo. Ela é uma grande sacerdotisa e será de grande ajuda na campanha que os aguarda... Outra coisa. Avisem aos Libertadores de Valkaria que eu restaurarei seus ferimentos. E digam a Jack Donovan que eu quero vê-lo em Vitalia o mais rápido possível. Quero saber se ele é tão dedicado a Vida quanto ele diz!!!


Magda se demora um tempo no chão, sentindo a grama sob o corpo, o toque do Sol, lembrando as sensações que a tomaram. Ela sempre viveu sabendo que seu corpo é uma aberração. Agora sentia o milagre para o qual seu corpo fora gerado, mas que talvez nunca pudesse vivenciar por causa da influência da Tormenta.

Então seus pensamentos correram pelas inúmeras criaturas que, por um instante, ela fora. Sentia-se mais parte de Arton que nunca. Pensou nas dores dos Lefou, sua "raça", e olhou para as suas roupas. Ali estava a massa amorfa que lhe servia de armadura. Um amontoado de matéria vermelha, mas que não era hostil àquele lugar sagrado. Pelo contrário, ressoava com a energia da vida, parecia confortar-se como todos ali, e enriquecer-se com as novas sensações que Magda recebia.

Levantando-se e se espreguiçando, sem pressa, feliz em se sentir pela primeira vez aceita sendo o que é, e não a despeito do que é, os pensamentos de Magda correm pelo juramento que fizera a tanto tempo atrás. Proteger a vida a todo custo e garantir a todos uma chance de fazer o que é certo. Uma nova chance para todos. Seu respeito pela Deusa da Vida aumentara, mas seu caminho era outro, e sua fé renovada.

Pegando suas coisas e permitindo à armadura "vesti-la", Magda finalmente fala alguma coisa:

- Será uma honra contar com Eelai ao nosso lado. E a missão será cumprida, em nome de toda Arton! Eu jurei proteger a vida uma vez em nome de Thyatis, e agora, na presença da própria Vida, renovo meu juramento! Passaremos também suas mensagens. Agora vamos, não temos mais tempo a perder!


*Mustang se levanta aos pouco e ao notar que está nu corre para pegar suas roupas, assim como sua assistente hawkeye, e eles se vestem o mais rápido possível sem se importar se era Lena ou o raio que o parta que estava ali, eles apenas se importam em por uma roupa e depois mustang vira indignado para a deusa da vida e diz:*

— Que merda foi aquela? O que diabos foi esse ritual ?

*Depois de um momento pensando ele pergunta seu Maior medo:*

—Não aconteceu nenhuma promiscuidade da do tipo que aqueles indecentes dos seus servos malucos estavam fazendo na nossa frente aconteceu? Por que eu juro que se aconteceu eu.. eu...

*Riza se aproxima dele já vestida assim como ele e fala:*

—Calma general...

*Depois ela olha para Lena e pergunta:*

—Não houve nenhum ato sexual, houve? Nós não fomos utilizadas como suas marionetes em seus rituais de vida fomos?


—Está perguntando se o que sentiram foi real? -- Perguntou Lena -- Se foi na sua mente, deixaria de ser real? Se está perguntando se algum de meus paladinos o possuiu enquanto estava naquela forma de mulher? Foram longos dias onde suas mentes vagaram por toda Arton e experimentaram as mais diferentes sensações. Não deveria ficar com raiva, afinal sentiram a Vida em toda a sua magnificência. Saber se algum homem o possuiu enquanto sua mente vagava faria diferença ante a sensação de ter uma criança, como sentiram?

*Mustang quase tem um infarto quando ela fala:*

—claro que sim sua criatura insana, eu sou um homem, não importa o quanto eu esteja naquela forma.
Eu nunca iria querer um dos seus paladinos insanos tocando no meu corpo enquanto eu estava fora de mim... Se isso aconteceu eu juro que esse infeliz vai se arrepender ter feito isso...


—Já basta general, não? Avisei para Terrível nos encontrar em dois dias, e o prazo já deve ter espirado. Devemos nos apresar. _ fala em tom chamativo a Mustang, com uma expressão que aponta que deviam seguir.

Greed despede-se, mas de acordo com todas as normas de diplomacia que pode aprender, embora não cresse em deuses. Contudo, a despedida é desmotivada, exceto pelo um que de interesse mais profundo:

—Estamos seguindo com nossa demanda. Toda essa experiência foi um tanto... Intrigante.

Ele então retira da bolsa largada um peculiar papel acinzentado e uma pequena coleção de giz de cera. Ele diz:

—Os tamurianos se gabam de terem sido os primeiros a conceberem o papel, mas nós dois sabemos que as vespas há muito já o produziam como matéria-prima para seus vespeiros. O giz é do próprio homem, mas foi retirado da terra em suas variadas cores; ideia de anões que enxergavam em poucos tons abaixo da terra. Mais tarde, muitas outras cores foram descobertas pelos homens da superfície, que tolamente reivindicaram ambas as invenções. Eu lhe deixo, estes dois presentes, papel das vespas-gigantes de Galrasia e giz dos anões de Doherimm. Quando nos encontramos de novo, talvez você me mostre o que desenhou. _ seu tom era desmotivado, embora curioso, pois a analisava mais do que esperasse agradar, e assim, se despediu.

Uma vez em seu caminho com os demais, quando questionado sobre a experiência, ele responde secamente:

—Amor? Parto? Concepção? Todos remetem a vida, a vida é como a dor. Como a paixão. Atributos de homens inferiores. O que é a dor para Greed'son?

Restava saber se a nave, Bandido, ainda os aguardava. Possivelmente, não. Embora a carga especial pudesse força-los a tal, de alguma forma.

(Off: Papel raro -10T.O e giz de cera - 1PP.)


Vendar simplesmente olha para si próprio por um tempo. Sem falar nada ele coloca suas vestes. Ele então se volta para Lena e fala:

— Por mais estranha que tenha sido a sensação. Por algum tempo eu vi novamente pelo que estou lutando e o que é ser Artoniano, eu vi e senti tudo o que me havia sido negado pelos Lefeu e muito mais. Eu quase havia me esquecido disso. Por isso eu agradeço Lena.

Ele então olha a reação de Mustang e faz uma cara um tanto triste de um "sei como se sente. E acho que não vamos gostar da resposta."

— Mas Lena. Disseram que esse local era proibido aos homens, esse foi o motivo maior de termos tomado a poção de troca. Mas todos vimos seus paladinos aqui. O que isso significa?

Quando Greedson fala suas palavras Vendar olha para ele e fala.

— Cuidado Greedson. Pois o caminho que você segue é perigoso. No final você nem ao menos lembrará de porque você começou a andar nele. No final você ficará como eu. Ou pior.

—Vendar está certo, Greed'son. A razão é uma forma acertada de avaliar as coisas, mas ela não tem objetivos por si. Se você não se questionar mais sobre porquê faz o que faz, vai acabar vazio e sem propósito. - Diz Magda.

—Ah, mas eu tenho um propósito, só não cabe a vocês sabê-lo. Agora sigamos. Já tenho o que vim receber.


Aeron se mantem em silencio enquanto coloca suas roupas, e quando Mustang discute com a deusa, ele diz de forma fria:

—Mustang tem razão e todo o direito de ficar com raiva, eu também não acho que algo assim seja facilmente desculpado. Os deuses tem medo de encarar a Tormenta, e ainda se acham no direito de brincar com aqueles que se dispõe a fazer algo. Já terminamos o que tínhamos que fazer aqui, vamos embora o quanto antes.

*Thomas olha para sua situação pega suas roupas calmamente, mas primeiro admira a beleza de mustang e depois de se vestir ouvir sobre tudo aquilo e sobre a probabilidade de terem tocado mustang antes dele ele se enfurece e diz:*

—Como é que é? Nós fomos usados como mulheres durante o ritual e eu nem tive a oportunidade de usar e abusar um pouco do meu roy enquanto ele estava nesta confusão ? Quem ousou toca-lo antes de mim vai ter o fim mais horrível que se pode imaginar...


Lena observava todos com um acolhedor sorriso no rosto. Era quase impossível pensar em crueldades perto da Deusa, e mesmo as que pensavam, era porque ela autorizava.

Num instante, diminuem as nuvens que nublavam suas mentes. Primeiramente era algo difícil de distinguir, mas com o tempo, passaram a ser mais intensos e vivos. Puderam ver quando Lena os transformara de volta em suas formas naturais. Mustang pegou a sua tenente pela cintura e a agarrou enquanto várias sacerdotisas e paladinos viam despidos de todas as roupas e tabus.

—Então? Algo mais os incomoda? Oh, sim. Por que foram obrigados a entrar aqui nessa forma, quando tem homens aqui no Templo? Jack Donovan não obteve todos os dados que precisava, então fez o julgamento errado, ou ele quis rir de vocês. Nesse caso, apenas duas criaturas podem lhes dizer a verdade, Tanna-Toh e Jack Donovan. Espero que tenha uma boa viagem. Na hora certa apareceremos. Agora lembrem-se! Nem todos os Deuses do Panteão gostam do modo como falaram hoje. Nosso mundo está em perigo e, como estão entre as criaturas mais poderosas de Arton, certamente entrarão em contato com outros Deuses logo. Por isso, peço-lhes para que sejam um pouco menos rudes quando tratar com os Guerreiros Divinos. Eles não são tão complacentes quanto Marah e eu. E por favor, lembrem aos Libertadores de Valkaria e a Jack Donovan para virem me visitar.

_________________
"Força Bruta: se não funcionou, é porque você não usou o bastante"
-Um sábio...
avatar
Tahlus
Mentor
Mentor

Mensagens : 102
Data de inscrição : 14/11/2013
Idade : 27

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Última Libertação - 1ª Fase

Mensagem por Tahlus em Seg 18 Nov 2013 - 21:34

Capítulo XIX



Tempo até a corrupção do Helladarion - 16d 16h 37m 01s - Templo da Vida, Callistia – Fim de Tarde


Após aquela experiência bizarra no Templo, o qual ninguém gostaria de repetir, passaram o dia caminhando em silêncio. Eelai caminhava silenciosamente atrás do grupo, a uma distância a qual não pudesse agredir o espaço dos aventureiros.

No fim da tarde, quando haviam se preparado próximo a um riacho para se limparem e acamparem, todos puderam sentir o cheiro de fumaça bem próximo de onde estavam.


Magda realmente não se incomodara com o que ocorrera, mas era de imaginar que os ânimos ficassem meio estranhos depois. Ela fica um pouco mais para trás e tenta puxar conversa com Eelai no caminho, amenidades, só para descontrair. Mas quando percebe o cheiro de fumaça, é a primeira a se meter no meio das árvores para ver o que é.

Se for preciso, Magda vai despistar quem tentar acompanhá-la, pois dependendo do que encontrar ela vai mudar a armadura para se tornar a Caçadora Sangrenta.


Vendar simplesmente caminhava calado ao lado dos outros aventureiros. Estar de volta ao seu corpo verdadeiro era reconfortante, mas de alguma forma a experiência no templo havia mexido um pouco com ele. Ele então vê Magda tentando conversar com Eelai. O desafiador junta coragem e se aproxima.

— Magda. Eu gostaria de...

A frase é subitamente interrompida quando o cheiro de queimado se espalha. Vendar suspira.

— Já tava demorando para os problemas aparecerem.

Ele saca sua espada e vai em direção ao cheiro de queimado a toda a velocidade.


*Mustang fica um pouco pensativo e olha para sua tentente que esta totalemente sem graça e diz:*

—Bem vamos andando não temos nada para ver por aqui...

*A Tenente simplesmente segue seu general vermelha e em silencio e não tenta mais falar sobre o assunto*

*Mustang fica próxima a ela e diz:*

—Riza, aconteça o que acontecer você não vai para area de tormenta comigo entendeu ?

*Ela olha para ele assustada e assente que sim e depois segue seu líder aonde ele tem que ir e ao ver a fumaça mustang fala:*

—Qual o problema desse lugar, agente não poder ter cinco minutos de Paz ?

*e vai correndo em direção ao local junto com a tenente*


Aeron acompanhava o grupo, tentando não pensar no que havia acontecido nos últimos dias. Quando pararam, no entanto, logo sentiu o cheiro de fumaça, e vendo alguns do grupo partindo, ele também foi atrás daquilo, dizendo:

—É melhor conferirmos o que é isso, só por garantia...


*Thomas fica serio quando percebe o que aconteceu e depois olha para Tentente e por Ultimo par o Mustang e diz:*

—Você me traiu com essa coisinha Roy? Como você pode... Depois de tudo que...

*Quando vê a fumaça ele para e diz:*

—Cuidemos disso depois, temos que ir...


O ritual terminara, Greed'son retornara a sua forma poderosa e sofrível, marcada pelos anos de confrontos e buscas ambiciosas. O grupo se fastava e Greed colhe com especial interesse o pólen de uma flor, um espécime extinto de Arton só encontrado em fósseis.

Deixando a caverna que serviu de entrada do portal, ele só lamentava não poder dissecar o dracono ali presente. Mas havia obtido a proteção necessária para que pudesse ousar em seus objetivos.

Naquele dia ele aplicou um enxerto do malboro e uma poção repleta de mana bruto numa árvore próxima ao acampamento. No dia seguinte, algo monstruoso próximo a um ente espreitava. Ele rapidamente domou a coisa, que passou a vigiar o sono do grupo.


(Off: Cinto de utilidades _ Despertar. Técnica cientifica: Sobrevivência+25 +5 bônus+2Diligente +2 Sabedoria da Coruja + dado contra Enfeitiçar Monstro em Massa CD39.)


Naquela noite e no dia seguinte, Greed afastou-se do grupo, para dar segmento de perigosos rituais e tomar posologias realmente perigosas: enxertar magia em forma física em um corpo vivo podia apenas causar um curto momento de poder seguido da sua morte prematura.

Havia encontrado uma forma de impregnação, embora fosse mineral, nas terras de Vectoria, o mercado nas nuvens. Encantar mineral e metais era possível, mas não era isso que procurava. Apenas quando constatou as mudanças em seres vivos teve a certeza de sua tese: "Poderei manipular as energias arcanas de Arton."

Se antes o experimento era arriscado, agora poderia haver chances de dar certo. Mas, ainda haviam outros projetos paralelos:

Primeiro, concluir a adição complexa caixa Lammentos a sua própria armadura e arsenal. Cujos escribas trabalhavam arduamente para concluir (os dias adicionais deveram servir de útil nisso).

Segundo, tomar de uma vez a fraca resistência do Abutre de suas terras. Não estava na verdade interessado nelas. O prêmio maior estava noutra coisa, mas que só seria obtida depois de embrear um complexo jogo de xadrez em que Thomas poderia ser a peça cabal, e não Mustang como havia planejado de início. Para isso, outro projeto a seguir seria de grande utilidade.

Terceiro, Shura havia sido destruído, verdade, mas seu espírito elemental, a fonte de seu poder fora capturada por Greed no coração artificial. Dentro do Bandido, o Dr. se dividia entre comandar seus assistentes em seu projeto pessoal e verificar pessoalmente o novo corpo do golem, um poderoso cadáver das melhores partes lefou _ faltando apenas o coração (que estava de posse de Greed com o espírito do raio), isso graças a contribuição Guilda dos Médicos Monstros. Porém, agora os três médicos loucos retornavam de seu retiro. Estariam mancomunados com a Tormenta? Seria essa o motivo de sua ausência inicial? Um adendo para depois.

Quarto, as balas de carga, uma única delas imbuídas, preparada adequadamente, com a traição mágica seria mais que o suficiente para liquidar os maiores magos de Arton. Aprendera muito observando Mustang e sendo amigável, planejava o momento certo de testar sua teoria, quando o arcano deixasse de ser útil. Tinha três delas, mas ainda tinham de ser aprimoradas antes de matar Vectorius e tomar o Medalhão de Vectoria.

(Off: p.166, Guia de Itens Mágicos - é só uma referência, mas gusta historieta.)

O artífice estava imerso em profundo estudo quando nota a movimentação do grupo. Cautelosamente, usufruiu de uma fração de poder para tomar a dianteira e ver se o fato seria digno de nota.

(Off: Recuo acelerado.)



Uma rápida corrida pelo terreno encharcado do local e logo checam a uma clareira. O calor já podia ser sentido por todos e a fumaça alcançava o céu rapidamente. Havia um forte cheiro de sangue no ar e todos começaram a ouvir sons de combate. Eelai dá um pequeno grito de horror ao olhar mais a frente.

Camilla olhava para o grupo com olhos de fúria. Era possível vê-la quase correndo em sua direção. Próximo dela havia quatro Marlboros mortos.

Um pouco atrás dela, porém, havia outro Marlboro em pé e um Lich aproximando deles.

Próximo a eles, havia um pequeno grupo de camponeses encurralados. Havia duas mulheres, quatro homens e uma criança, que estava encolhida chorando ante a morte certa.

—Olha se não é meu amigo Greed’son. Como vão os experimentos? Não se lembra de mim? Suas ideias que me ajudaram a criar a beleza que é a Camila. Esses aqui me serão uteis nos meus próximos experimentos. Principalmente a garotinha!!! Agora, minhas belíssimas criações destruam-os!!!

Tarrak-Zut, o nome que Greed'son lembrara, ordenara seus asseclas a atacar, porém Camila tentava resistir ao comando do Lich, mas era extremamente difícil.

O grupo encontra-se a 25 metros dos inimigos, 21 metros dos camponeses. Dornelles encontra-se a 13 metros a esquerda dos inimigos e a 6 metros dos camponeses.


Tendo seguido por dentro da floresta e longe dos olhos dos outros, quando chega para enfrentar o Lich já é como Caçadora Sangrenta. A vigilante não deixa as sombras, em uma tentativa de manter a surpresa enquanto se aproxima do alvo, mas grita instruções:

— Aeron Kurosaiga, de Zakharov, desarme a mulher! Você é o único capacitado para isso.

OFF: Invisibilidade Maior (habilidade de classe) e me aproximo diretamente do Lich, de preferência NÃO mantendo os inocentes entre eu e ele. Devo terminar o movimento a 16 metros dele.


Vendo o perigo em que os inocentes se encontravam, Dornelles correu pra frente deles, seguido por Volg. Interpôs-se entre os atacantes e os aldeões.

—Terá que passar por mim primeiro, desmorto. Volg, consegue levar eles pra longe?

—Sim, Mestre. Mas não todos de uma vez-responde o Lobo das Estepes.

—Ótimo, leve primeiro as mulheres e a criança pra longe, correndo a toda velocidade.

Virando a cabeça pros aldeões, ele fala:

— Meu nome é Dornelles, sou um Druida do Conhecimento. Vou protegê-los enquanto damos cabo do problema. Senhoras, subam com a criança no Volg, meu parceiro, e segurem-se, ele irá levá-las pra fora do alcance do monstro.

Off: Se necessário, Diplomacia pra acalmar os aldeões. Mesmo o Volg sendo um monstro Grande, não tem como levar seis pessoas de uma vez, então primeiro as damas. Ele usa Forma Selvagem Rapidez, pra aumentar o deslocamento, se necessário.

Se precisar proteger o grupo de dano, eu uso Escudo Fraterno pra proteger também.

Ação de movimento pra chegar aos aldeões, ação de movimento 2(rodada completa) pra convocar a minha armadura, que se veste em mim sozinha.



Se a situação fosse outra, estaria ele trocando receitas com o lich, mas não era. A desvantagem era clara, mas os demais entrarão em cena num minuto. Assim, Greed tinha tempo apenas de ordenar o campo de batalha.

—Proteja os aldeões, convoque outros! _ disse ao ente, que em sua simplicidade estalou-se e algumas árvores se mexeram em resposta.

Então, o erudito lançou um frasco gasoso em direção a fera diante de si, mas não esperou para ver a reação do malboro diante de sua poção.

(Off: Testa Conhecimento Erudito_22nível+9int+5bônus+dado contra Enfeitiçar Monstros em Massa CD39, até 30 níveis de monstro. Depois queima um ponto de ação para agir de novo.)

Greed sacou a Caixa Lamentos e apenas num floreio, que ele já conhecia bem, ativou seu complexo mecanismo de contrato. No mesmo instante, em resposta, correntes saltaram do nada enterrando ganchos em sua carne e esticando-se no espaço. Uma figura sinistra e cuja aparência exala dor e suplicio e uma profunda inteligência milenar pairou atrás de si, sua cabeça humana e limpa era repleta de pregos. Ainda mais ao fundo parecia surgir uma megalópole descomunal, ou seria apenas ilusão. Nessa fração de tempo ouviu-se o ser: -- Contrato aceito.

(Off: Greed negocia dano temporário em habilidade Cons-1, e usa Conhecimento Erudito_22nível+9int+5bônus+dado contra Invocar Monstro IX CD42. Conhecimento Erudito _ Concentração+22nível+9int+5bônus.)

Então, a frente do erudito suplicado, saltando do espaço interdimensional atrás da figura com cabeça de alfinete, um ser mesclado de inúmeros corpos em dor saltou adiante. Todo o chão tremeu nos arredores, o monstro era descomunal e ainda assim um tipo estranho de construto.

Construto de Metropólis (monstro IX): Construto 20; N; Descomunal, dels. 18m; 160; CA26; pancada+25 (3d6+23); Fort+10, Ref+10, Von+10; For37, Des11, Con-, Int-, Sab11, Car10. Perícia: Iniciativa+11; Talento: Foco em Arma (pancada).

Vendar simplesmente suspira.

— Ô seu lich. Você é um cara inteligente não é? Então me diga o que em toda Arton faz você pensar que não vamos fazer nada para te impedir.

Ele então corre a toda a velocidade que tinha e salta por cima dos Malboros para próximo do Lich e o golpeia com sua espada.


( Off: Vou usar investida (36 metros de deslocamento) e salto para dar o morte que vem do céu. Acerto +41, dano base (4d8+50/19-20) a CA dele cai para 45.)


Aeron se prepara para atacar rapidamente. Magda fala para ele tentar desarmar Camilla, e embora esse não seja o seu estilo de luta, sabe que ela está sendo manipulada pelo Lich, e por isso decide tentar impedi-la de ferir mais alguém. Assim, ele parte em direção à adversária, e com a sua katana desfere vários golpes, fazendo com que a pressão de sua lamina gere ataques que acertem ela.


OFF: Vamos lá, Aeron avança 18m em direção à Camila, e então tenta desarmá-la usando rajada de golpes +48/+48/+48.


*Mustang olha para o Malboro e diz:*

—Thomas eu cuido Da planta... você manda o Lich pro espaço, e Riza Atire para matar na Camila e em qualquer um que tentar ajuda-la, sem clemência...

*Mustang usa Uma Bola de Fogo controlada acelerada e maximizada no malboro, depois usa o poder de suas Luvas e depois usa um ponto heroico e Velocidade*


*Thomas olha para Mustang e diz:*

—Vamos nós de novo...

Vamos mostrara a um certo Lich que ele mexeu com o grupo Errado.

*E com uma voz Quase inumana Thomas chama pelo Deus da guerra*

—Keen Mostre que que seus dons servem apenas para fazer qualquer ser Vivo ou não vivo Sangrar.

*Depois ele vira para camille de forma Rápida e diz:*

—Keen Liberta essa guerreira do domínio da Cria de Tenebra.


*Thomas usa cura completa acelerada e potencializada e depois usa uma cura completa Potencializada e usa sua ação extra para usar extra e com um desejo Libertar Camille do domínio do Lich*



Rolador de dados utilizado = http://www.wizards.com/dnd/dice/dice.htm

Iniciativas escreveu:Vendar +26 = Rolagem (1d20) + 26: 19, +26 = 45
Greed ’son +33 = Rolagem (1d20) + 33: 11, + 33 = 44
Thomas +25 = Rolagem (1d20) + 25: 17, +25 = 42
Mustang +27 = Rolagem (1d20) + 27: 12, +27 = 39
Aeron +36 = Rolagem (1d20) +36: 8,+36 = 44
Magda +35 = Rolagem (1d20) +35: 12,+35 = 47
Marlboro +39 = Rolagem (1d20) + 39: 5,+44 = 48
Camila + 33 = Rolagem (1d20) + 33: 16,+33 = 49
Tarrak-Zut +21 = Rolagem (1d20) + 21: 14,+21 = 35
Dorneles +28 = Rolagem (1d20) + 28: 14,+28 = 42
Ordem: Camila, Marlboro, Magda, Vendar, Aeron, Greed’son, Dorneles, Thomas, Mustang, Tarrak-Zut



Camila escreveu:Liberar Aura (Ação de Movimento): Fantasma - Cópias ilusórias suas fornecem +6 na CA; Ataque expresso: recebe os benefícios da magia velocidade.
Camila bufava enquanto várias cópias dela apareciam ao seu lado. Ela tentava fazer seu corpo obedecer, mas parecia que estava perdendo a luta.


Marlboro escreveu:
Sopro Nefasto
Reflexos: Vendar Rola (1d20) +17: 18,+17 = 35 (CD 35, SUCESSO); Greed’son Rola (1d20)+24: 16,+24 = 40 (CD 35, SUCESSO); Thomas Rola (1d20)+12: 11,+12 = 23 (CD 35, Falha); Mustang Rola (1d20)+16: 19,+16 = 35 (CD 35, SUCESSO); Aeron Rola (1d20)+16: 14,+16 = 30 (CD 35, Falha) (Evasão); Magda rola (1d20)+26: 10,+26 = 36 (CD 35, Sucesso) (Evasão)
Dano: Rola (20d8)+19: 4,5,6,7,4,6,4,4,1,3,7,3,7,6,3,5,3,5,4,2,+19 = 108 de dano. Vendar, Greed’son e Mustang recebem 54 de dano, Thomas e Aeron recebem 108 de dano.
Fortitude: Aeron Rola (1d20) +26: 14,+26 = 42 (CD 35, Sucesso); Thomas Rola (1d20)+13: 20,+13 = 42 (CD 35, CRÍTICO, Sucesso)

O Marlboro faz o movimento conhecido de abrir sua boca e despejar a nuvem roxa tóxica em cima do grupo, mas dessa vez estavam melhor preparados. Greed’son, Mustang e Vendar saltam para trás, fugindo do grande montante da nuvem. Aeron e Thomas vacilam e a nuvem os cobrem.

Magda desaparece e segue para ficar próximo ao Lich.


Vendar escreveu:
Espada Táurica +5 Anti-Monstros rola (1d20)+41: 20,+41 = 55 (CA 37, Acertou); Dano Rola (4d8)+(2d6)+50: 7,5,4,6,4,4, = 80. (Morte dos Céus) = 160. Vendar rola Reflexos +17: 20,+17 = 47 (CRÍTICO, Sucesso)
Tarrak-Zut recebeu um total de 0 de dano

Vendar corre na direção da fumaça do Marlboro e usa-o como apoio para saltar. Num movimento súbito cai com a lâmina sobre Tarrak-Zut, mas passa por dentro dele, como se o mesmo fosse um fantasma.

Aeron avança em direção de Camila, que havia avançado em direção ao grupo. Ao fazer um ataque de desarme, percebe que sua inimiga "facilita" sua tentativa de desarme.

Greed'son envia seu Ent para proteger os aldeiões enquanto seu monstro saia da Caixa dos Lamentos. A criatura posta-se em frente ao Erudito, protegendo o mesmo de ataques.

Volg começa a levar os aldeões para longe enquanto a armadura de Dornelles começa a surgir em seu corpo.


Thoma escreveu:
Cura Completa Potencializada

Tarrak-Zut testa Fortitude +18 contra CD 28 = Rolagem (1d20) + 18: 6,+18 = 24 (Falha)

Tarrak-Zut recebe 150 de dano

Uma forte luz branca surge das mãos de Thomas e Voa em direção ao Lich, que confiando em suas defesas mágicas, pouco faz para defender-se. Vendo isso, Eelai aproveita a situação e faz uma reza a Lena, livrando o mundo de mais um morto-vivo.



Mustang escreveu:
Bola de Fogo Controlada.

Marlboro testa Reflexos +15 contra CD 29 = Rolagem (1d20) + 15: 12,+15 = 27 (Falha)

Marlboro recebe um total de 84 de dano.

Marlboro testa Reflexos +15 contra CD 29 = Rolagem (1d20) + 15: 11,+15 = 26 (Falha)

Bola de Fogo 14d6 = 4,5,6,3,5,3,1,2,6,3,5,2,1,5 = 51

Marlboro recebe um total de 165 de dano.

Marlboro testa Reflexos +15 contra CD 29 = Rolagem (1d20) + 15: 11,+15 = 26 (Falha)

Bola de Fogo 14d6 = 4,5,6,3,5,3,6,2,6,3,5,2,1,5 = 56

Marlboro recebe um total de 274 de dano. MORREU

Mustang inunda o Marlboro num mar de chamas. O general parecia estar furioso por ter sido transformado em pedra da ultima vez que enfrentaram essa criatura.


Todos puderam ouvir as risadas histéricas de Tarrak-Zut enquanto gritava "Nos veremos novamente. Tudo é Lefeu!!!!"



Ainda invisível, a agora "Caçadora Sangrenta" corre até onde o Lich se encontrava e começa a analisar o local, em busca de pistas, enquanto dá um comando à sua veste para que tente encontrá-lo.

( OFF: A armadura conjura por conta própria Localizar Criatura para o Lich. O exame é por perícias, quaisquer que possam ser aplicadas. Imagino que comece com Procurar +38. Se puderem ajudar, Conhecimento (Tormenta e Nobreza) +35, Ladinagem +36. Outros Conhecimentos +32, e se der para Rastrear, Sobrevivência +28.)


Vendar olhava para o local onde o Lich estava e suspira.

— Ou era uma ilusão ou ele estava etéreo. E aparentemente nem os mortos-vivos escapam da influência rubra. Era um conhecido seu, Greedson?


—Ele foi destruído, por hora, mas retornara em poucos dias. Tarrak-Zut, um dos membros fundadores a Guilda dos Médicos Monstros, trabalhei com eles antes, mas não diretamente. O três fundadores estavam desaparecidos, em busca de interesses pessoais, até agora. Aparentemente, há divergência na guilda. Tarrak é quase tão ambicioso quanto eu, ele deve estar atrás dos conhecimentos re-criacionistas dos sábios da Tormenta, os cyraxel. _ responde o estudioso do obscuro voltando-se para os produtos da batalha.

*Greed investiga os três malrboros fatiados para verificar se estavam regenerando, para então escravizar ao menos um deles.*

(Off: Greed testa Conhecimento_Arcano e depois Natureza para saber o que quer. Depois, se houver algum se recuperando, usa Enfeitiçar Monstro em Massa em um deles. Os outros dois são pulverizados pelo construto metropolitano.)

TEMPO do Construto
Conhecimento Erudito _ Concentração+22nível+9int+5bônus=36-2rodadas

*Mustang olha para Greed'son e diz:*

—Qual vai ser nossa próxima surpresa com seus amigos, Greed'son ?

Sem desviar-se de sua tarefa, o déspota responde ao mago, como quem ditasse o óbvio:

—Diria que ele voltara por seus espécimes,inclusive a garotinha. Camilla e eles estariam melhores com as clérigas, mas não podemos nos fazer o luxo de desviar-nos. Camilla vira conosco, pois Tarrak voltara quando encontrar resistência com as servas de Lena, sua maior fraqueza como morto-vivo que é. Assim, poderemos tentar captura-lo e, enquanto o disseco, extrair informações. Meu servo temporário levara a família em segurança de volta por onde viemos. Então , é aqui que nos separamos. Após isso, estara livre em seu caminho. _ diz de lado para o ente, enquanto mergulha em seu novo brinquedo vivo.

*Greed tenta estabilizar um dos malrboros e então salvar-lhe para seus próprios fins, após domestica-lo.*

Greed'son falava, mas na verdade mergulhava em sua ciência monstruosa, a mesma ciência que Terrak usava contra eles e que iriam encontrar destorcida mais adiante. Por mais incrível que fosse possível. Para enfrenta, ele iria precisar saber mais, e a pista estava diante de si. Por isso, precisava do malrboro.

(Off: Caso nenhum dos Malrboro esteja vivo, Greed estabiliza um através de Cura Leve, então aplica Enfeitiçar Monstro em Massa.)

Vendar suspira.

— Eu já aprendi que nunca vou entender como você e aquele lich pensam. Então faça o que está planejando fazer logo. Afinal ainda temos um Helladarion para salvar.


—Não se preocupe. Tenho toda certeza que poderemos nos encontrar com Terrak novamente enquanto mantivermos Camilla conosco. O pior que pode acontecer é ele conseguir passar pelas sacerdotisas e o dragão enquanto vamos a Giluk. Claro, não sabemos se ele tornou-se um invocador da Tempestade, podem haver lefeus da próxima vez, ou não, sua especialidade sempre foi ofício e encantamento, não evocação ou mesmo necromancia. _ tranquilizou de forma torpe ao guerreiro aberrante.

*Greed'son ergue-se procurando a área do cérebro da coisa, para poder enxertar seu cerebelo, a regeneração da coisa faria o resto.*

(Off: Após salvar a fera, Greed usa Cinto de Utilidades e Despertar, e o marlboro escolhido recebe 1 nível, +1d4 em carisma e 3d6 em inteligência. Ele perde -250xp no processo.)

—Está feito. Agora, não façam nenhuma tolice enquanto conversamos. _ avisou aos demais enquanto via como a criatura reagiria.

Dornelles estava intrigado. Já vira pesquisadores dissecando animais, e estudos variados, mas o homem de armadura parecia mais interessado em controle direto, e isso era fascinante, mas ao mesmo tempo, perigoso. Dando um assobio extremamente alto, em uma frequência que ele sabia que poucas pessoas conseguiam ouvir, mas Volg ouvia claramente, ele chama seu companheiro de volta.

—A ameaça passou, estão todos bem?-pergunta aos espectadores que estava protegendo. Caso algum deles estivesse ferido, curaria quem precisasse, e então, só então, iria lidar com o grupo que deu cabo do Lich tão rápido, consumindo poder mágico como se fosse água.

Aeron vê o Lich desaparecendo, e logo olha para Camille, que estava próxima dele, e pergunta:

—Como você conseguiu entrar nessa confusão com aquele Lich?

---Boa pergunta Aeron. Camille, minha querida, sinto muito, mas você tem algumas coisas a explicar...

*Mustang olhava para a Guerreira de forma seria e firme*

*Ao ouvir as resposta de Greed'son ele diz:*

—Sinceramente, estou começando a achar que sou o mago menos indicado para estar com vocês...

Saindo das sombras (e dissipando a invisibilidade), Caçadora Sangrenta responde:

— Camila Schleswig-Holstein-Sonderburg-Augustenburg foi a responsável pelo massacre na Guilda dos Médicos Monstros. Ela foi cobaia de seus experimentos desde que fora dada como desaparecida. Não consegui rastreá-la antes de sair por conta própria, nem tive tempo de averiguar qualquer possibilidade de controle remanescente. Agora peço aos senhores, se puderem, que examinem se ainda resta alguma coisa desse domínio mental.

*Thomas olha para a situação e diz:*

—Vamos ver se eu entendi isso tudo, por causa de uma garotinha camponesa? Bah, nem vale a pena não são combatentes, não são dignos de do ar que respiram...

Vendar dá um olhar de significado ambíguo com o comentário de Thomas. Ele então aguarda todos terminarem. Afinal ele não tinha nenhuma forma de averiguar se ainda havia controle sobre Camila. Vendar só entendia mesmo de seu inimigo.

_________________
"Força Bruta: se não funcionou, é porque você não usou o bastante"
-Um sábio...
avatar
Tahlus
Mentor
Mentor

Mensagens : 102
Data de inscrição : 14/11/2013
Idade : 27

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Última Libertação - 1ª Fase

Mensagem por Tahlus em Seg 18 Nov 2013 - 21:37

Capítulo XX


Tempo até a corrupção do Helladarion - 16d 23h 59m 30s – Charco da Velha, Callistia – Manhã – Clima Bom.


Após alguns instantes, Bandido aparece nos céus jogando água no local como se fosse chuva. ESUNA parecia ainda menor em cima do peitoril do navio. Lançaram cordas para que todos se segurassem.

Já em cima da embarcação, ESUNA dá ordens para que sigam para Giluk enquanto observava o grupo.

—Reportem -- Disse a voz de Jack Donovan enquanto sua imagem translucida aparecia pelos olhos da criança que brilhavam e projetavam uma luz estranha. - Como foi com Lena? Outra coisa: Thomas, Keen me pediu para lhe dizer que o senhor tinha uma missão e que não a estava cumprindo. General Mustang, na cabine que o senhor tomou emprestado para você, há alguns itens que o pertencem. Greed’son, eu soube que vocês encontraram remanescentes da Guilda dos Médicos Monstros, gostaria, se possível, que capturassem algum membro deles vivo. Tenho muito interesse em determinados assuntos que são especialidades deles... Tenho péssimas noticias para dar. Francesca não está tendo sorte em conversar com Khalmyr. Ele está irredutível. E, para piorar, alguns dos espíritos mortos estão querendo ajuda-la, o que está causando a ira dos que estão do lado do Deus da Justiça. Outra coisa. O Exército com uma Nação não existe mais. Agora todo ele obedece ao Exército do Reinado. Com a Área de Yuden, era inútil deixar eles aportados ali. Espero que essas notícias não os desviem de sua missão.


—COMO ASSIM O EXERCITO COMO UMA NAÇÃO NÃO EXISTE MAIS ?

Grita mustang, e Hawkeye olha irritada para a estranha imagem...

—AQUELA VADIA DESCARADA OUSA VIRAR AS COSTAS PARA YUDEN ASSIM ? É ISSO MESMO ? ISSO MUDA TOTALMENTE MEU RUMO NESSA AVENTURA, HAWKEYE PEGUE A EQUIPE COMPLETA VAMOS PARA VALKARIA AGORA!!!!

*Hawkeye bate continência e diz:*

—Sim, General Mustang!!!!

Vendar ouvia a tudo e sabia que eles precisavam agir para ter uma chance de virar a guerra. Com a reação de Mustang ele fala:

— Calma Mustang. Isso apenas quer dizer que seus compatriotas estão ensinando a disciplina militar de Yuden para os demais artoninanos. Essa não é uma guerra entre países, é uma guerra entre realidades. Para a tormenta não existem Deheonianos ou Yudenianos. Se quisermos vencer esta guerra temos que ir para ela como Artonianos. E isso é a verdade.

Mas uma dúvida ainda pairava sobre o portador de simbionte.

— Jack. Essas são notícias importantes, mas me diga. Por que você fez com que fôssemos disfarçados de mulheres ao encontro de Lena se isso não era necessário? Alguns de nós acharam revoltante. Eu achei um desperdício de recursos.


—Não deve ir para Valkária, General. Se quiser encontrar a Rainha-Imperatriz deveria ir a Drekellar, próximo a fronteira com Namalkah. Ela juntou o Exército do Reinado com o yudeniano para aumentar as fileiras contra a ameaça que se espalha cada vez mais. Não é uma questão só de Yuden, Mustang. É uma questão do Mundo. Todos irão lutar, independentemente de serem do Exército com uma Nação ou do Exército do Reinado. Se o mundo for devorado pela Tormenta, onde ficará Yuden que o senhor faz tanta questão de proteger, General? -- Jack escuta a pergunta de Vendar e mal consegue conter o riso  -- Sinto muito por fazer isso, mas era necessário. Mostrou a Lena que vocês iam de boa vontade.


Uma voz de menina é ouvida de trás de uma porta:

— O homem-demônio tem razão, M... er... General Mustang! Nós temos que ganhar essa guerra primeiro! Depois a gente recupera o território de Yuden, por bem ou por mal!

A menina caminha para o deck principal. Parece ter 16 anos, aproximadamente, mas é impossível afirmar: é uma pequena elfa de cabelos loiros, cerca de 1,55 de altura, usando roupas masculinas típicas de Yuden, mas com chiquinhas no cabelo e uma jóia no peito, um medalhão com o brasão da família real de Namalkah. Apesar de pequeno e esguio, o corpo é bem torneado, e as mãos são grossas e cheias de pequenas cicatrizes.

Quando vê Thomas e Roy, ela corre em direção a cada um, primeiro dá um abraço apertado em Thomas, depois em Roy.

— PAI! M-Mustang! Eu senti saudades! Vocês pensaram mesmo que eu ia deixar vocês sozinhos contra a Tormenta numa hora dessas!? Nós temos que enfrentar essa coisa e que vencer ela de vez, senão aquela monstruosidade em Yuden pode crescer, e as outras também! Então eu vou ajudar, e não vou ouvir um não dessa vez! Vou participar dessa, por Keen e pelos meus pais!

— M...Mustang, de quê adianta reclamar aquela terra com Deheon se a Tormenta tomar ela? Deixa passar essa. Pelo povo a que nós servimos, deixa passar desta vez. Essa decisão não vai tirar tantas vidas quanto aqueles demônios vermelhos miseráveis.

A Caçadora Sangrenta escutava a tudo de um canto. Agora ela teria de ser Caçadora Sangrenta ao menos até Giluk, não confiaria sua identidade a esse grupo em particular. Alguns poderiam se provar de confiança, mas alguns ainda seriam um problema. Além disso, havia sua outra missão, e ela observava com atenção.

Quando a garota elfa entra, acerta-se uma coisa. A vigilante fala consigo mesma:

— Começaremos com Mustang, então.


Quando a menina fala Vendar diz.

— A menininha tem razão. Ouça ela Mustang.

Ele então olha para Thomas.

— Pai!? O Thomas!? Thomas eu achei que você... bem... você sabe. Não gostasse.


Dornelles sobe no navio com Volg, após todos terem embarcado. E a notícia sobre Yuden o surpreendeu. Por mais que tivesse noção dos riscos a enfrentar, e das chances de vitória, achava que morreria antes que Yuden se dissolvesse.

—Agora que estamos todos protegidos, como iremos até o Helladarion? Minhas estimativas são de que ele não vá durar muito mais do que uma quinzena, antes de ser corrompido de vez. Lidando com a Tormenta, há sempre o risco de ser ainda menos do que o previsto.

Após a resposta, completa:

—Vou até a senhorita Camille, ver se ela está bem, e se ainda há riscos de controle mental. Volg, fique aqui e vá me chamar se precisarem de mim, caso haja alguma mudança de planos, por obséquio.


*Thomas encara a dissolução de yude com frieza e diz:*

—devemos nos concentrar melhor e reagrupara para rever as estratégias do reinado, Mustang,Mataremos shivara futuramente.  Se ela não sabe respeitar yuden pagará com o sangue,os ossos e a vida .  Mas não agora, temos coisas a fazer...

*Thomas abre os braços e abraça a menina forte ao vê-la e diz:*

—Se essa é a sua decissão como guerreira eu, como sumo sacerdote da guerra, não posso nega-la. Não se preocupe, você irá conosco.

*Ao ouvir Vendar e sua pergunta encabulada ele diz:*

—Já disse que não faço esse tipo de distinção,por mim tanto faz se é homem ou mulher, já disse isso a você.  Eu AMO Mustang não pelo gênero dele e sim por outros motivos...  E tem mais, por mais que eu gostasse Hellena não é minha filha de sangue, ela é uma elfa, é minha filha adotiva... Eu sou pai dela por que escolhi ser.



Aeron não tem paciência com Jack, e quando este responder Vendar enquanto ri ele fala secamente:

—Você pretende levar isso na brincadeira, Donovan? Eu não estou disposto a servir como alivio cômico nem mesmo para os deuses, quem dirá para alguém como você. Se acha que pode se divertir as nossas custas está muito enganado...


*Nesse momento a tropa de Mustang entra e escuta boa parte do relato de Donovan e olham para ele furiosos. e no meio dois adolescentes engrossavam as fileiras de Mustang e Hellena podia ver claramente que eram os Filhos adotivos de Mustang e assim como general estavam indignados coma situação*


*Ao escutar a resposta de Donovan, Mustang engole seco suas palavras e diz:*

—É MUITO FACIL DIZER ISSO QUANDO SUA TERRA ESTA FORA DE PERIGO DONOVAN, MEU PAIS FOI DETROÇADO PELA AQUELA PROSTITUTA QUE SE DIZ RAINHA...  EU VOU PESSOALMENTE ARRANCAR AS VICERAS DELA E ESPALHAR PELO REINADO INTEIRO... ELA ASSUMIU UM COMPROMISSO COM O POVO DE YUDEN E FICOU BEM CLARO O QUE ELA QUERIA, NOSSAS TROPAS, E OS CIVIS QUE SE FODAM...  DEVIA TER TRAIDO ELA QUANDO TIVE A CHANCE E TERIA CHUTADO O TRASEIRO DELA DO TRONO DE YUDEN.

*Riza olha atentamente para a menina enquanto esse abraça Mustang como se ela estivesse analisando o melhor meio de jogar ela para longe do General e diz:*

—General Mustang, por mais que me doa admitir, Donovan esta certo, yuden esta tecnicamente perdida, mas temos que ir ao Território yudeniano para resgatar os civis, coisa que Shivara provavelmente não fez, ela apenas pegou as tropas como uma traidora que é...  então devemos ir sim o mais rapido possivel para Yuden e não para onde quer que esteja aquela mulher...

*Um dos soldados mais jovens de mustang fala:*

—Pa.. Mustang , não é hora de histeria, a Coronel Hawkeye esta certa, temos que nos certificar se a População yudenina esta segura, e mais importante o que podemos fazer contra esta situação atual...  Quando deixamos yuden desprotegida para ajudar Tapista nós perdemos nossa terra dessa vez o erro não deve se repetir, somos parte importante da Primeira companhia, temos que ir AGORA...

*Ao ver Hellena Fica um pouco tenso, mas depois relaxa um pouco a abraça e diz:*

—Você não deveria estar aqui... é perigoso e eu não confio e quase ninguém desta nave, principalmente quando se trata da sua segurança. Fique com thomas eu tenho que ir...

*Mustang da as costas para o grupo e começa a juntar sua equipe, é claro que ele vai fazer teletransporte mas antes ele diz:*

—Nada pessoal, mas Edward esta certo e vocês são menos importantes que o povo de yuden para mim, na verdade com algumas exceções, o resto de vocês poderia morrer que pouco faria diferença para mim se o povo de Yuden estiver seguro.  Sinto muito, Vendar e Hellena, mas eu não vou ficar

*Mustang ja começa a conjurar teletransporte*

—Tem certeza que vai fazer isso, Mustang ? Sei que vai arranjar confusão, se for contra as ordens de Shivara você vai para corte marcial e sei que a ultima coisa que você quer...

*Thomas olha Roy com um olhar calculista, não ia deixar Mustang se meter em uma enrascada dessa sem motivos, afinal nada se sabia sobre a situação atual de Yuden por Hora...*


Vendar segura no ombro de Mustang e olha com seus olhos insetóides.

— Não vou te impedir de ir salvar a população de Yuden. É o certo a se fazer se eles estiverem em perigo. Mas antes de ir espere pelo menos a resposta a essa pergunta que vou fazer.

Ele se volta para Jack com uma clara hostilidade.

— Shivara uniu o exército de Yuden com o exército do reinado. Mas o que ela fez com a população de Yuden? Onde eles estão? Eles estão em segurança? Responda agora Jack Donovan, sem enrolação.



-----



A investigação fora interrompida com a chegada do Bandido banhado pela umidade das nuvens.

—O COMBINADO FOI A DOIS DIAS ATRÁS, SENHOR GREED'SON! ISSO QUE DÁ SE METER COM AS CLÉRIGAS DE LENA: ACABA NA PUTARIA! HUAUHAHUAHUAHUAHUA! _ berrava Terrível em pura sarra do grupo.

As escadarias desceram, mas Greed fez questão que sua "nova mascote" fosse içada a bordo, com a ajuda de seu construto, para juntar-se aos outros horrores que transportavam consigo.

Greed'son: -- Tentem deixá-lo a vontade, precisaremos de seu parco conhecimento para depois. _ avisava os lacaios do Dr.

Ao fim da última tarefa, o construto é dispensado.

Já o ente, ficará com os camponeses pelo tempo que tinha, para depois seguir seu próprio destino.

A abordo, interrogado pela assistente de Jack Donovan, Greed'son assentiu as suas palavras, mas antes teria de lidar com seus outros afazeres, e saiu com um aceno de compromisso.

*Greed desce aos seus aposentos no Bandido, seguido de perto pelo Dr.*

Dr: -- Vocês demoraram, meu lorde. Eu pude colocar muito trabalho em dia.

Greed'son: -- A ceita que encontramos era tudo aquilo que dizem, mas ao meu ver ela é bem... peculiar. Mas agora, faremos uso de seu tempo. Minha nova máquina de guerra fará frente ao inimigo lefeu. Todavia, antes, minha nova armadura.

*Greed vai encontrar seu em forma de artefato - sua armadura configurada com a caixa Lamentos.*

Ao tornar-se uno de novo, o lorde intruso pondera sobre a peça que estivera carregando consigo, se era chegado o momento de reunir todos, para o retorno de um antigo colega. O coração máquina , construído para funcionar com o corpo que montara com a ajuda da própria Guilda dos Médicos Monstros parecia ter uma rebeldia silenciosa, enquanto a alam primal em seu interior se revoltava contra sua morte .



-----



—Não estou fazendo graça, Senhor Aeron. Vendar e Mustang, a população está segura. Desprendi recursos importantes para tirar eles de lá a tempo. Todo o Reino de Yuden está reunido em Drekellar. Sua missão é mais importante do que o que aconteceu em Yuden. Se formos bem sucedidos, daremos um importante passo rumo a vitoria. Simplesmente NÃO HÁ TEMPO PARA DISCUSSÃO. Mustang PEGUE SUAS COISAS NA CABINE E SIGAM PARA GILUK!!!! PORRA, VOCÊS NÃO PENSAM QUE ARTON INTEIRA ESTÁ SENDO POSTA EM JOGO NESSA INVESTIDA? ESTÃO PENSANDO QUE É SIMPLESMENTE MAIS UMA AVENTURA? QUE SE PERDEREM, NO MÁXIMO MORRERÃO E OS SOBREVIVENTES VÃO RESSUSCITÁ-LOS? CRESÇAM...-- Jack passa um tempo parado e respira fundo -- Desculpem-me, é que há muito em jogo e o tempo corre contra nós. Perdoem-me se causei constrangimentos a vocês, mas é que Lena é rigorosa em sua forma adulta. E eu mesmo pagarei por ter feito isso. Conseguirei a ajuda dela de qualquer jeito.


*Mustang olha contrariado para Donovan e diz:*

—Ok, vou acreditar em você.... Estou indo pegar minhas coisas...

*Mustang marcha acelerado para o local que Jack disse e o resto da equipe espera o general ainda agitada e Riza diz:*

—Santidade esta ciente que esta ELFA pode atrapalhar mais do que ajudar aqui ?


Aeron responde para Jack:

—Você reclama de nossas atitudes, mas você é aquele que menos demonstrou seriedade nessa situação, Donovan. Quando eu ver você realmente fazendo algo além de ficar mandando os outros para a morte enquanto ri deles quem sabe eu possa pensar em ter algum respeito...

Aeron então parte para terminar a missão de uma vez, não tendo a menor intenção de continuar a conversar com jack....


Vendar olhava a situação e ao ver que Mustang se acalmou mais ele fala para Donovan.

— Não pense nem por um segundo que eu não sei da gravidade da situação. Provavelmente eu entendo melhor que você. Mas embora eu não me importe de ser tratado como uma peça descartável os outros se importam. Se quiser que as coisas corram bem Donovan, dê aos outros o respeito que você quer para si.

Ele então segue com os demais. O desafiador se perguntava o porquê de tantos como Mustang e Donovan se preocuparem tanto com coisas menores.


Quando Riza olha feio para ela, Hellena responde lhe dando língua da forma mais irritantemente infantil possível. Depois, ouvindo o que os outros falam, ela responde:

— M... Mustang, general Mustang, você acha mesmo que eu ia abandonar a população de Yuden? Eu só vim porque me certifiquei antes que o povo está seguro, o melhor possível. Yuden tem outros generais para cuidar disso, ou você acha que só você se irritou com a Rainha? O exército quase amotinou! Mas isso é mais importante, e eu não vou deixar meus pais se arriscarem assim sem mim! Essa é a maior guerra da História, e se vocês perderem, eu vou perder vocês pra sempre, eu não vou deixar!

— Ah, e senhor Jack, uma coisinha: NINGUÉM GRITA COM A MINHA FAMÍLIA!!!

A menina pega a espada de Riza (sem pedir) e dobra ao meio com as mãos enquanto bufa. Depois dobra de novo, joga no chão e vai para o lado do pai de novo.

— Só perdoo dessa vez, ouviu bem !?

Enquanto isso, Caçadora Sangrenta observa Mustang e suas tropas com atenção, não perde um movimento. Ela segue pensando para si mesma:

"Donovan pensa que está acima dos outros, isso eu já sabia. Mas ele não está acima de suspeitas. E aquela ideia imbecil, ah, aquela não vai para frente. Vou cuidar disso pessoalmente"

Lembrando-se de um detalhe, ela anuncia alto.

— Senhores, não pensem que vá demorar para o amigo de Greed reaparecer. O Lich escapou intocado da conflagração, por teletransporte mágico.


*Riza olha sua espada ser destruída pela menina e diz com um olhar neutro:*

—Esta louca ? esta fora de controle menina ? essa espada era uma das armas que pertencem ao meu arsenal... Quem lhe deu o direito de fazer isso ?

*Um dos filhos de Mustang toma um susto com o que ela fez e diz:*

—Er... Hellena por que você fez isso? Essa espada era da Riza e ela usa para defender o General... Quando as armas de fogo não dão certo... Não devia ter feito isso...

*Antes que ele possa falar mais alguma coisa Edward fala*

—Ela é doida irmão, você ainda pergunta o que ela esta fazendo, lógico que esta perdendo a compostura para variar, não sei o que o General viu para gostar tanto dela.


—Ela arranja outra. Ou então usa as adagas. Essa espada não é importante, o importante é que essezinho aí não tem nenhum direito de gritar com M... com o general! E quem está perdendo a compostura, tampinha? Você devia era estar defendendo a família, seu desnaturado! É óbvio que eu sou uma filha muito mais dedicada que você!


*Thomas olha para Hellena com um sorriso sacana e fala de forma que até Hellena entenda que é sarcasmo.*

—Ai,ai,ai Hellena que feio... Peça desculpas a riza e ao anão de jardim...  eles so estavam ficando calados enquanto mustang era ofendido... só são covardes meu amor...

—Mas por quê? Veja, era praticamente uma espada de brinquedo! Mas você tem razão, desculpa tampinha!


Nesse momento, Helena sentiu algo: um aperto forte e carinhoso que explorava-lhe com especial interesse. Ao fitar ao lado, Terrível ali estava postado de forma desinteressada, com o dedo mínimo atolado numa das ventas. Ele dizia com sorriso cheio de dentes olhando para o vazio:

— Nada mal, garotinha. É por isso que prefiro as mulheres com fogo. Elas são muito mais divertidas.


Thomas fulminava o goblinóide, Helena, não menos. Algo terrível estava prestes a acontecer com Terrível. Se dizia-se com o capitão sempre afunda com o seu navio, mas agora era o oficial que estava prestes a ir a pique. Porém...

KRAKOOM!

O som de um trovão ecoou deixando todos parcialmente surdos, exceto por Vendar sentiu que fosse quase um "oi". Um pequeno grupo servil de homens deu entrada enquanto de dentro da nau surgia Greed'son, novamente todo em seu eu. A armadura estava completa, platinada como antes. Agora, no entanto, olhares atentos diziam que houvera mais uma mudança.

Sobre as placas haviam inscrições, ou entalhes, como um estranho quebra-cabeça numa língua morta. Dentre ali, os que já haviam visto em seu emprego, e conheciam os planos, Mustang, Thomas e reconheceram a configuração da caixa Lamentos. Agora fazia parte da própria armadura do déspota.

Menos notável, trazia uma manopla meio escondida, ou desinteressada na palma esquerda. As gemas nela, Mustang sentiu, traziam ligação com os planos exteriores, materiais que existiam ao mesmo tempo aqui, mas sem quebrar sua ligação com as orbes de origem.

—Capitão Terrível, esse é seu navio, mas estes são meus convidados. Por favor, nunca esqueça quem lhe deu essa posição. _ disse calmamente Greed'son enquanto brincava com um relâmpago entre os dedos, como quem brinca com uma pena de escrever.

— S-sim, sim, claro. Às ordens. Só estava tentando levantar o moral. Eles, tipo, já estavam pra se comer legal. Achei que devia fazer alguma coisa, sabe como gosto de ordem no meu navio. _ enrolava com sua natureza goblin atípica, tentando em vão se safar, mas sem esperança.

—Que bom que compreendeu. Agora, se entendi, vocês estavam prestes a se perder sem a força da minha liderança. Pois bem, devo guia-los novamente. _ Greed'son faz um sinal em que respondem prontamente o Dr. e Terrível. Ambos apontam para que seus respectivos lacaios liberassem espaço no convés, pois, abaixo, logo uma coisa enorme estava tomando conta do lugar. Era o malrboro, que estranhamente fumava algo enebriante as narinas humanóides.

Greed'son falou a todos:

— Ele não deve saber muito, mas deve recordar-se de algo. Comecemos seu o interrogatório enquanto rumamos para nosso, rumo _ ofereceu o déspota.

_________________
"Força Bruta: se não funcionou, é porque você não usou o bastante"
-Um sábio...
avatar
Tahlus
Mentor
Mentor

Mensagens : 102
Data de inscrição : 14/11/2013
Idade : 27

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Última Libertação - 1ª Fase

Mensagem por Tahlus em Seg 18 Nov 2013 - 21:39

Capítulo XXI


Tempo até a corrupção do Helladarion - 10d 01h 08m 00s – Montanhas Uivantes - Manhã - Nublado.


Bandido seguiu pelos céus circundando Namalkah, a fim de se livrar das duas Áreas de Tormenta instauradas na região central do Reinado. Passaram próximos a Marma e Tile, grandes cidades do Império de Tauron, onde pararam para pegar suprimentos. Passaram também por uma infindável quantidade de cidades menores, muitas tão pequenas que nem estão nos mapas. Seguiram depois para as Montanhas Uivantes, pois tinham que desviar da Montanha Inalcançável.

Próximos as Torres de Siberus, o capitão do Bandido, Capitão Terrível, informou a Greed’son que havia uma enorme nevasca em Giluk e que seria impossível eles atravessarem a tempestade sem danos a Bandido.

Caçadora Sangrenta passara o tempo observando seus companheiros de viagem, tomando notas sobre cada um, comparando com o portfólio que já tinha a respeito doa membros dessa estranha equipe. Era hora de coletar mais informação, e apenas observar passivamente não iria ajudar.


Nesse tempo, Hellena apenas se ocupou com sua família. Passou muito tempo com Thomas, Mustang, Edward e Alphonse. Incomodou Riza algumas vezes e avisou que se Terrível a tocasse de novo, comeria as próprias orelhas. Ela estava curiosa sobre os outros membros da equipe, mas ainda não se sentia confortável para falar com eles mais longamente.

Vendar continuava a observar. Via como os demais mantinham distancia. Talvez por causa de quem ele era, talvez pelo fato de Vendar estar longe de ser um intelectual. Mas ele se mantinha no lugar e fazia o máximo possível para apartar as brigas que aconteciam. Ao ver Greedson com sua armadura nova ele se pergunta se seria suficiente. Mas era bom ver que seus colegas também estavam fazendo progressos.

Aproveitando a comoção que as próximas manobras vão causar, Caçadora Sangrenta busca uma oportunidade. É hora de explorar esse navio, descobrir que segredos esse Greed'son guarda. Na primeira brecha de segurança, ela entra nas áreas mais obscuras do navio, incógnita.

(Acrobacia +36; Atletismo +28; Conhecimento (Nobreza) +35; Conhecimento (Tormenta) +35; Diplomacia +26; Enganação +26; Furtividade +56(+58); Iniciativa +36; Intimidação +26(+31); Intuição +28; Jogatina +26; Ladinagem +36; Obter Informação +36; Ofício (Alquimia) +35; Percepção +28 (Procurar +38; Observar +32); Sobrevivência +28; Conhecimentos Destreinados +32)





Dornelles cuidou da investigação sobre magia na menina que foi trazida, e depois disso, passou a estudar o grupo que tentava salvar Arton. Pelo que via, maior do que os poderes do grupo, só o ego e a língua de alguns deles. O general yudeniano era um desafio à sanidade e um perigo de surdez, caso o contato fosse prolongado. Mas a causa valia o sacrifício. Tanto Arton quanto o Helladarion estavam em perigo (e ele ainda não sabia o que era mais importante pra ele), e o tempo estava contra eles.

Ia fazendo anotações mentais de cada um, analisando deus estilos, poderes, traçando perfis psicológicos e memorizando o cheiro de cada um, usando seu faro. Aproximando-se de Greed'son, ele aproveita pra conversar com alguém de um nível intelectual igual ao seu, possivelmente superior.

—Uma armadura fascinante, senhor Defallt. Vejo que a sua fama é merecida, pouquíssimas pessoas em toda Arton conseguiriam imaginar coisa semelhante. Quando tiver um tempo livre, gostaria de aprender mais sobre o processo de fabricação, pra poder implementar alguns novos poderes na minha própria. Tratando-se de enfrentar a Tormenta, nunca se está seguro demais. E em um adendo particular... Como aguenta esse falastrão yudeniano e o seu "pretendente"?


Greed vasculhava com Terrível os mapas do reino procurando uma alternativa antes de decidir se iriam por terra, quando é interpelado pelo investigador:

—Senhor Dornelles, na verdade, eu fui o responsável pelo recrutamento de Mustang. Ele é... "necessário" para que tudo ocorra dentro dos planos. Sua volatilidade e a ambiguidade destruir e conter danos é uma equação que desestabiliza a percepção temporal lefeu. Além disso, ele teria outra serventia, mas para qual Terrak ocupara o seu lugar. Todavia, é sempre bom mantê-lo por perto como segunda opção. Acredito que Esuna quer tentar recrutar a Guilda dos Médicos Monstros, ou o que sobrou dela. Thomas veio no pacote, como já prévia, e precisarei dele muito em breve para a inteligência de guerra. Vendar, o que dizer de Vendar. Ele é obcecado e masoquista. O tipo que precisamos aqui. Tratei de observar tudo isso quando recrutei os membros a pedido dos Libertadores. Pessoas raras, sem eles dificilmente teria tido acesso ao kishim de Arsenal.

—Fiz alguns cálculos e projeções, e nenhum deles foi particularmente tranquilizador. Pensei nas vatagens e riscos de se usar os colossos contra a Tormenta, e quando pensei no que aconteceria se eles fossem corrompidos... Mas deixemos isso pra lá por enquanto, é algo a ser pensado adequadamente, não só ficar em especulações e possibilidades. O que pretende fazer com a criatura fumante? Usar como material para fazer mais equipamentos?

—Na verdade, nada que alguma magia não possa proteger, Dornelles, por isso preciso de um arcano poderoso para servir como coração do kishim. Quanto ao marlboro, ele pode se comunicar civilizadamente, se assim quiser conversar com ele. Se terminamos nosso trato, ele seguira seu caminho. Sempre honro meus acordos, pensei em deixa-lo onde a natureza seguiria seu caminho. Venha, preciso mostrar-lhe algo. Prossiga como o combinado, senhor Terrível. _ e assim o déspota deixa um preocupado capitão com seu dilema, seguindo para os níveis inferiores da embarcação.

—"Um arcano como coração? Durante a guerra contra Arsenal, usaram um grande elemental, não foi? Um arcano de grande poder seria mais eficaz? E eu fico me perguntando se seria melhor usar os dois colossos separadamente e ter duas armas contra a Tempestade, ou fundi-los em um só que fosse verdadeiramente inexpugnável.

Meu lobo também pode se comunicar, mas não imaginei que o marlboro tivesse um trato respiratório que permitisse a fala. Provavelmente ambos devem ter capacidades linguísticas melhores do que boa parte desse grupo. Ninguém aqui pronuncia as palavras corretamente, ou finaliza suas frases. Mas eu divirjo do assunto. Lidere o caminho, estou logo atrás."

Sem mais palavras, Greed'son levou Dornelles pelos corredores do Bandido e logo o cenário foi mudando enquanto desciam mais e mais, até os últimos níveis da embarcação. Eles passaram pelos piratas, pelos golens, pelos vampiros e chegaram até os horrores atrás das grades, desceram mais ainda. O último nível ficava um hospital improvisado onde o bom Dr. atendia.

—Meu senhor, aqui devo a visita desse seu colega..
—Sem rodeios, Dr. Mostre-lhe o que temos preparado para hoje a noite..

Com uma expressão que dizia "você quem sabe" o anão deu a volta e retirou a mortalha que descansava sobre um grande corpo. O que viu ali chamou atenção de Dornelles, mas ele não tinha referências anão ser as cientificas.

Era um corpo, pelos detalhes, um construto, misto de carne e matéria vermelha. Seu peito musculoso estava aberto, sem o coração.

Vendo a aparência do construto, os materiais usados para fazê-lo e o buraco no peito, Dornelles começou a pensar nas possibilidades.

—Uma versão em escala menor do que pretende ser feito com os colossos, eu suponho. Vai tentar usar uma fonte de poder como coração e ver como serão os resultados, antes de partir pra uma escala maior, presumo. Pretende usar o quê, exatamente? A filacteria do lich que enfrentamos?

—Algo assim. _ Greed fez sina e o Dr. apontou para os seus assistentes, um vampiro que Dornelles já vira, praticava violino, e um outro encapuzado. Ambos vestiam roupas de artífice, com símbolos que lembravam alguma escola de Tanna Toh e Lena. Eles abriram uma caixa pesada e dela desprenderam faíscas e um zumbido insistente. Com cuidado retiraram o objeto com a devida proteção para si mesmos. Era um tipo de... coração, dele pulsava poder, poder elemental.

Greed e o Dr. se aproximaram do corpo e, com aparelhagens, começaram a implantar a peça em seu peito, que após meia hora estava completo. O erudito voltou-se para Dornelles.

— O que acha que vai acontecer agora? _ perguntou-lhe didaticamente.

—Agora, o poder contido no coração irá ser bombeado para o resto do corpo e ele voltará à "vida", incorporando parte das características contidas no coração, sejam elas quais forem. Mas isso é óbvio, pode revelar qual a pegadinha por trás da pergunta. Pelos símbolos nos uniformes dos seus assistentes, um da Mãe da Palavra, e outro da Mãe da Vida, algo irá acontecer com o construto. Possivelmente a energia do coração irá reagir com a matéria vermelha da Tormenta, mesclar-se e gerar algum efeito novo, que poderia ser útil.

—Você é bom, mr. Dornelles, assim como eu esperava de você, mas o sua senhoria não conhece Greed Richardson Defallt, ainda. Como tu dizes, isso seria que explicou óbvio e elementar. Todavia, Greed'son nunca é óbvio ou elementar, ele ousa TUDO e RASGA O MULTIVERSO ATRÁS DO PODER QUE ALMEJA. Observe.

E com essas palavras, Greed acenou novamente para o Dr. que fez sinal para que seus assistentes tomassem o próximo passo. Ambos correram até as extremidades do enorme compartimento de carga, onde veios e ligamentos tendiam do local de descanso do construto e entravam por suas grossas paredes. Seguidos por Greed, o Dr. ficou para trás vigilando tudo.


Uma porta grande e pesada foi aberta revelando um compartimento enorme e vazio. Nele, enumeras runas e veios salientes ligavam de alguma forma até o pedestal onde se encontrava o cadáver montado.

Rapidamente quanto podiam, os dois começaram a mover duas roldanas pesadas, abrindo o compartimento, revelando o céu frio, vento cortante e a tempestade que ameaçava o Bandido.

Greed ficou de costas para a saída para o espaço e começou a recitar algo enquanto erguia sua nova manopla elementar. Nela um elemento escuro começou a crescer e a devorar o espaço diante dele. Dornelles já não podia dizer se ele ainda estava ali ou se havia sido engolido.

Uma fenda se abriu, NÃO, UM PORTAL. UM PORTAL PARA UM OUTRO PLANO DO MULTIVERSO, DA MORTE, A BARREIRA NEGRA, O GRANDE VAZIO, A TERRA GÉLIDA, nenhum nome faz jus frente a desolação que se abatia a todas as almas vivas naquele navio celeste. Em pleno momento, todos podiam sentir a vida ficando mais fraca, todos que não eram filhos ou abençoados da Mãe Noite.

As runas e veios começaram a funcionar em seu papel. A fome voraz encaminhou-se para o corpo montado. Ele foi banhado. O coração reagiu, violentos relâmpagos ameaçavam fritar o Dr. que se dispunha a permanecer ao se lado para prestar assistência na transição.

Então, algo vinha...



----------



BANDIDO

A nau era um colosso aéreo, feita para navegar com grande poder de fogo no mar profundo, mas adaptada recentemente para cortar os céus e manobrar eficientemente graças a aerodinâmica goblin. Todavia, ainda voava apenas por causa de magia.

No deck estavam os goblinóides de Terrível, feios, mau-educados e muuuuito sarcásticos. Todos pediam por bebida e... "as baratas prostitutas de Lena e Marah".

Na poupa ficava a cabine do capitão Terrível, em que entrava apenas sua refeição, mas ele não escondia sua preferência em convidar a elfa se a oportunidade viesse a surgir.

Enquanto Greed'son não discutia com Terrível, ele ficava o tempo inteiro nos laboratórios, distribuídos entre os níveis.

As portinholas dos canhões e barriga de carga do navio eram as únicas saídas externas. Um par de escadas e corredores iam de um lado a outro por dentro enquanto duas saídas de carga ficavam no deck, mas protegidas.

1 - As cabines dos acompanhantes vinham no primeiro subnível, quartos módicos com uma cama, baú, cadeira e uma pequena mesa unida a parede posterior. Nenhum tinha janela ou coisa parecida. Eles eram para dentro do bandido, onde paredes grossas de madeira negra de Tollom protegiam sua estrutura mais externa. Ao invés disso, tinham pequenos respiradouros, que permitiam no máximo uma cobra ou rato passar.

Assustadoramente, isso não era dificuldade para parte da tripulação.

Monstros, era o melhor nome para nomeá-los. Reconstruídos em laboratório ou arredados por Arton, ali estava parte da força pessoal de Greed, e era o bom doutor quem os chefiava.

Verdade seja dita, enquanto Greed possuía apenas alguns eruditos e aberrações fieis, o Dr. tinha um par de assistentes, vampiros e outros monstros mercenários, os piores e exóticos estavam sob seu controle através da necromancia. E eram tantos, tantos.

Se ele quisesse, poderia tomar o navio. A única coisa que parecia segura-lo era o fato que exibia claramente que NÃO ENTENDIA BOSTA NENHUMA DE NAVEGAÇÃO.

O Dr. ficava nos laboratórios com Greed'son ou estudando um projeto pessoal. O que no leva mais fundo no Bandido.

2 - O arsenal, munição e armas enfeitavam todos os espaços. As esferas metálicas dos canhões eram dispostas de forma que quando uma fosse retirada as demais rolariam para substituir sua posição. E havia o arsenal contra a Tormenta...

Ninguém tinha permissão de ficar perto delas, exceto dois golens aberrantes trazidos para o fim.

Enumeras armas toscas e baratas, se é que assim possam ser chamadas, se encontravam amontoadas esperando um soldado corajoso o suficiente para emprega-las. Facas, porretes, espadas toscas, meros arremedos de pedaços decepados de ukitrill das bordas de alguma área da Tormenta. Na realidade, parecia que os donos haviam sido explodidos a tiros de canhão antes do "recolhimento".

3 - No próximo subnível descansavam a tripulação goblinoíde, com cozinha e espaço suficiente nos beliches.

Os dois últimos andares eram um pouco perturbadores.

4 - No penúltimo ficava o compartimento de carga e prisão, agora modificado para manter prisioneiros hordas de zumbis pestilentos fora de controle e outros monstros menos amigáveis.

5 - O último era onde a embarcação abria sua barriga para apanhar água de rios e peixes antes de retornar ao mar, uma ideia das civilizações exploradoras dos mares estrangeiros de Arton muito bem aproveitada.

No entanto, agora abrigava uma grande ossada de necrodraco, especialmente preparada pelo Dr. e seus dois assistentes, um dos cais sabia tocar violino, o que deixava os jantares um pouco mais agradáveis. Runas, parafusos e outros detalhes menos agradáveis eram seus enfeites.

Por pior que parecesse, aqui também era o hospital de campo do doutor... onde um paciente a muito morto enfeitava o lugar embaixo de uma mortalha sobre uma mesa preparada. Aqui também fica o marlboro, caçando o que comer, exceto quando está no deck... fumando.

Bandido (embarcação) colossal (como construto de 32 níveis): 240pvs, desl.: 12m; CA 20 (10tollon/madeira-ferro + des. do piloto); Ataques: armamento (16): 1 balestra (penalidade -2 a 6, 5d8, perfurante, dec.19-20x2), 16 balistas (6d8, dec.19-20x2, 30m); armamento especial: aríete de adamante(ataque de carga, 16d8), bombardeio suícida; tripulação (mínima/máxima): 15/100; tripulantes: 16 piratas goblins e 4 orcs entre 1º e 3º níveis, capitão Terrível (goblin pirata3º/engenheiro de guerra 1º), 2 abominações de Greed, 55 mortos-vivos.
Oficina de alquimia (200P.O).
Hospital de campo (200P.O).
Munição: 10 de balestra (200P.O), 100 balas de canhão (5000P.O), 10 balas de matéria vermelha (2400P.O).
Custo Total: 47.600 P.O.


----------



*Mustang, ao que era de se imaginar, passa a maior parte do tempo com Riza em sua equipe, discutinado planos em uma linguagem de codigos estranhos e todos parecem se entender muito bem...*

*Quando Hellena se aproxima ela rouba toda a atenção do general e de boa parte de sua equipe com exceção de riza que prefere fazer a manutenção de suas aramas e das aramas de Roy nestas horas*

*Mustang se aproxima e diz ao grupo quando ele se depara com o ambiente hostil:*

—Frio... teremos que resolver isso rápido, mas não acho que seja difícil com uma magia ou duas controlamos ou contornamos isso.




*Thomas ouve oque o goblinoide fez e falou e contem sua furia para mais tarde, percebera que Hellena queria cuidar disso sozinho e por menos que gostasse sua bebe estava crescendo e sabia se defender, ja era uma pequena guerreira de Keen e isso lhe dava orgulho*


*Depois de um tempo ele chama Greed1son para Uma "agradavel" Conversa*


—Escute aqui seu enlatado, se seu projeto de goblinoide tocar na Minha filha de novo, eu pessoalmente destruo esta Barcaça e destruo toda essa merda com você dentro e tenho certaza que o roy vai cooperar comigo... entendeu , mantenha as suas a Aberrações doentias longe de Hellena é meu ultimo aviso..

*Thomas da um empurrão em Greed'son e depois se afasta para ficar mais tempo conversando com Hellena e as vezes com vendar que parecia tão isolado, sobre taticas de ataque para uma possivel volta do Lich*



Aeron se mantém sozinho em seus aposentos, esperando todos estarem prontos. Ele tinha muitas coisas em que pensar, e tentava se focar na missão, se preparando para o percurso que deveriam tomar para chegar em seu próximo destino...


Vendar estranha o Thomas vir falar com ele, mas discute algumas estratégias com ele sobre o Lich.

— Pelo o que sei Lichs são muito resistentes e tem excelentes proteções mágicas. Mas a mesma verdade que existe para magos também existe para eles. Podem ser mortos se golpeados com força o bastante. Se você e o mustang conseguirem desfazer as defesas mágicas dele e impedir que ele fuja com teleporte eu e os outros podemos cuidar do resto. Acho que o nome da magia que impede o teleporte é gancho... não... âncora planar. não é?

Ele então vê o grupo discutindo vários assuntos e fala.

— Pessoal, acho que antes de discutir o próximo passo deveríamos ver como evitar a nevasca. Podemos usar magia para controlar o clima se estiver ao nosso alcance, podemos confiar no piloto e fazer do jeito antigo ou podemos fazer outra coisa. O que vocês preferem?



Caçadora Sangrenta percorria os corredores e escadas de Bandido, observando e tomando nota. Greed Richardson era um homem deplorável, com uma tripulação deplorável. Mas era preciso mais, era preciso descobrir o quê ele tinha a mais. Vendo escondida que o déspota guiava o mais novo companheiro do grupo para os fundos do navio, ela se pôs a segui-los.

Hellena acompanha o pai e vai falar com Vendar. O que tinha a dizer sobre Terrível já dissera ao próprio. Ela não se sente plenamente confortável perto dele, mas engole isso. Sabia que não deveria deixar essa insegurança ficar em seu caminho. Mais que isso, lembrava a ela o incômodo que ela própria já representara para os outros elfos quando era apenas uma pequena mendiga.

— Senhor Vendar, você não quer dizer Dimensional? Minha M... er... o general Mustang. É, ele me falou dessa magia uma vez. E depois que esse Lich estiver parado, eu vou esmurrar a alma dele de volta para o lugar dela! Um, mas agora, ahn... preciso resolver umas coisas, com licença, papai, senhor Vendar.

A menina se afasta e some em meio à comoção da tripulação. Afinal, apesar de incidentes como aquele de Terrível, e da pouca educação das criaturas, ela estava longe de se sentir tão desconfortável perto de goblins. Mas havia algo mais a ser feito.








Tempo até a corrupção do Helladarion - 10d 00h 35m 12s – Montanhas Uivantes – Manhã – Nublado.



Thomas estava solitário na cabine que havia sido dada a ele, quando um portal abre-se e um enorme guerreiro, que quase não parece humano, armadurado conversava com ele.

Mustang está quieto conversando em gestos militares com seus comandados. Obviamente ele não queria que os outros soubesse do que se tratava.

A Caçadora Sangrenta passava por todos os lados de Bandido como se procurasse algo. Aparentemente ela está desconfiada de algo.

Vendar estava quieto no seu canto sentindo dores em várias partes de seu corpo estranho. Enquanto isso, olhava para o nada e conversava, como se houvesse alguém lá.

Aeron, que já era distante dos outros membros do grupo, recolhera-se ainda mais, ao ponto de ninguém saber exatamente o que está fazendo.

Dornelles da Floresta observava os experimentos de Greed'son com extrema curiosidade. Para um druida, gostar de moldarem o natural era esquisito.

Greed'son estava cada vez mais imerso em seus experimentos. Parecia que ele corria contra o tempo para descobrir algo.





Após muito tempo procurando, ESUNA finalmente conseguiu reunir o grupo para preparar a próxima ação.

—A tempestade está grande demais para irmos no Bandido. E infelizmente sinto um campo mágico que está impedindo meu sinal de localização para que possamos nos teletransportar para mais próximo. Por sorte, estamos a apenas 1200 quilômetros de Giluk e eu trouxe o transporte para nossa necessidade. Se não houver nenhum problema, chegaremos lá em aproximadamente 20,1 horas

Então ela aponta para o chão, onde haviam descido um constructo metálico de formato estranho. Ela então começa a voar e desce até a coisa.

— Peço que se dirijam ao veículo. A velocidade que iremos será de um pouco maior do que os cavalos de Namalkah atingem em corridas. Por isso, peço que entrem no veículo e permaneçam dentro.


—Quando terminarmos, espero que os arcanos desse grupo estejam prontos para nos teletransportar. Temos pouco tempo para chegar até Trebuck depois disso, se os cálculos de mestre Dornelles estiverem corretos.

Depois de entrar no veículo, a vigilante se perde em seus próprios pensamentos, se ocupando do inventário mental das informações que já conseguiu, sem desgrudar os olhos dos colegas.

A Elfa se senta ao lado do pai, mas durante a viagem não desgruda os olhos de Caçadora Sangrenta.


Vendar se levanta sem dizer uma palavra e entra no veículo.

— Não esqueçam das poções de cura e demais equipamentos. Podemos precisar.

Ele senta ao lado da caçadora sangrenta.


*Vindo de um canto escuro pode-se ouvir Passos firmes e decididos e uma silhueta feminina desconhecida e lasciva e logo atrás mais uma que parece ser menos atraente, mesmo assim Belíssima e essa pessoa fala*

—Bem, estão todos prontos? Espero que estejam, pois eu não estou muito paciente hoje apesar de minha mudança de Forma e gênero estar me agradando bastante, esses Peitos pesam um bocado...

*A Pessoa é totalmente desconhecida e estranha para todos vocês até uma olhada mais atenciosa mostra algo que dá identificação da Mulher em questão, ela portava a Armadura do Massacre então só podia ser uma pessoa e as palavras e atitudes a seguir confirmam isso:*

*Ela abraça o general Mustang que Mede um 1,80 de altura, mas uma Mulher de 2 metros consegue deixar a cabeça do general bem no meio de seus fartos seios eela diz:*

—Então Meu querido Roy Gostou do meu novo eu? Feito pelo próprio Keen, tudo igualzinho a uma Mulher normal eu estou até com as afamadas minissaias que você tanto quer fazer todas as mulheres do Exercito usar... Gostou?

*Voz de Thomas era doce como a de qualquer mulher, mas firme e decidida e no final ela/ele diz:*

— E antes que perguntem quem eu sou, eu Sou Thomas , mas pensando bem? Elizabeth é um nome mais adequado para mim, o que Acha, Roy ?

*Ela ainda segurava o pobre general entre seus peito e este se debatia no meio deles, e não se sabia se era pela falta de ar ou se por ser o Thomas*

—A claro esta é minha "amiga" não precisam falar com ela, ela também não quer falar com vocês...


Vendar estava quieto no seu canto, mas ao ver Thomas ele ri um pouco e fala:

— Rá Thomas. Não adianta. Você não vai conseguir seduzir o Mustang só com uma ilusão. Você teria que realmente ser uma mulher para conseguir isso. Se bem que os seios postiços estão bem realistas. Mas chega de brincadeira temos que ir. E tire isso.

Ele tentar tirar um dos seios postiços de Thomas e estranha eles não saírem e realmente estavam bem realistas.

Vendar subitamente larga Thomas e dá um salto para trás assustado.

— Você realmente... É de verdade.

Ele então começa a rir. Ele ri mal conseguindo falar.

— Eu pensei que eu era o obcecado aqui. rarara. Mas acho que a experiência com Lena realmente mexeu com você Th... Digo Elisabeth. Você tomou um passo sem volta, quase tão terrível quanto o que eu dei para combater a tormenta. Eu realmente respeito sua determinação Elisabeth.

Ele então põe a mão no ombro de Mustang.

—Essa é a maior definição de destino inescapável que eu já vi, Mustang. Infelizmente eu tenho que dizer que você não vai conseguir fugir dessa. Não importa o quanto tente.

Ele volta para o transporte com um pouco de pena do Mustang. E um pouco curioso sobre quem era a novata.


Dornelles sobe no veículo, resmungando baixinho ao ver a cena:

—Arton está MESMO precisando de ajuda... Em diversos níveis, não só por causa da Tormenta...


*Mustang faz uma cara de estranheza ao ver as duas mulheres vindo em direção ao veiculo assim como toda equipe e ao verem que Mustang foi basicamente afundado nos peitos da Mulher os oficias dão risadinhas e Riza FICA FULA DA VIDA*

—General se dê ao respeito e...

*É nesse momento que ela e a equipe percebem a armadura do massacre dizem...*

—Peraí, esse é Thomas? Aquele Thomas? O sumo sacerdote ?

*Mustang tentava se libertar desesperado apenas por ar antes agora se debate de forma quase convulsiva tentando sair dos braços da Sumo sacerdotisa*

—Me ajudem seus imbecis...

*Grita o general no meio dos peitos de Thomas*

*Nesse momento a tropa inteira puxa mustang do meio dos peitos de thomas e ele sente a mão de vendar em seu ombro e escuta o insetoide falando*

—Não vai rolar mesmo, nada disso você ta doido Vendar? Era só o que me faltava!!!! Eu não sou pago o suficiente para aguentar isso...

*Até que Havoc bate no ombro do general e diz:*

—O senhor não esta sendo pago para fazer isso lembra? Nenhum de nós esta...

*alguns comandados riam da cara do general alto e diziam*

—Se fudeu... General... Quem manda ficar roubando namorada dos outros? Os deuses finalmente o castigaram...
Bem pregado...

*Mustang grita *

—Calem as malditas bocas seus estúpidos, DEUSES NÃO EXISTEM... E isso não poderia ser castigo de um deus pois nenhum poderia ser tão filho da puta se existisse, e como eles não existem... Bem isso é obra de alguma criatura extraplanar MUITO doente...  Thomas, ou seja lá como vc se chama agora, FIQUE LONGE DE MIM...

*Mustang se senta em um lugar e sua tropa ao redor*


Greed'son reportara-se com Terrível para ficar atento a sua requisição, embora a tripulação deseja cobiçosamente afastar-se dos horrores do Dr. e cair na farra assim que possível.

O déspota desceu após ter certeza que seu baú estava no plano etéreo carregado com poções suficientes e a praga do Dr. A tiracolo, sua bolsa de instrumentos e o coldre. Além de um peculiar e ornamentado CAIXÃO (?).

A bagagem é depositada como se fosse tal.

Ao seu lado, Lucius III, a arma de cerco manejada por uma manopla estava funcional, toda em sua aparência de caranguejo com placas de matéria vermelha.

A visão das duas beldades era atrativa, mas tornar-se revoltante ante menção do desejo de travestismo de Thomas, com toda certeza ele carrega algo além de uma adaga entre as pernas. Os pensamentos foram descartados, ficando para os pesadelos de Mustang somente.

Era o momento de avançar.


Após um tempo em seu aposento, Aeron havia decidido "andar um pouco", e não estava muito satisfeito quando o encontraram. Indo até o resto do grupo, ele se mantém em silencio enquanto são apresentados ao transporte temporário. De repente, duas mulheres desconhecidas entram, e eles logo descobrem que uma delas é thomas. Aeron então diz:

—Parece que alguém gostou da visita ao templo... Que seja, isso não é problema meu...

E então ele vai até o transporte, sentando em qualquer banco vago, sem se preocupar em escolher nenhum em particular...


Vendar novamente fala para Mustang.

— Velho amigo. Por mais que eu saiba que a situação está difícil para você acho que é melhor você se conformar. Acho que agora, nada em toda a Arton vai conseguir te manter livre da Elisabeth. Acho que nem mesmo a prisão do infinito vai te proteger. Eu mesmo tenho medo de ficar entre ela e você. E olha que quase nada em arton me assusta hoje em dia.

*Mustang olha para vendar e diz:*

—Nem que eu tenha que me prender em hardoff e jogar a chave fora eu tenho nada com essa Aberração, ta Maluco? Por essas coisas só acontecem comigo...

—Sinceramente Roy... Você é muito bobo... Acha mesmo que hardoff vai conseguir me parar? Nunca meu amor ... Se bem que adoraria ficar presa com você em uma das Celas de hardoff...

*Diz Elisabeth com um belo sorriso no rosto*


Vendar põe novamente a mão no ombro de Mustang.

— Como eu disse, um destino inescapável.

—Isso mesmo escute o Vendar e se conforme os deuses te fizeram para mim e esse é o seu destino...
*Mustang olha para o Vendar e fala :*

—É nessas Horas que eu me pergunto, POR QUE RAIOS EU VIREI GENERAL MESMO? Não tem coisa no mundo que me explique o por que de tanto sofrimento e outra THOMAS deuses não existem...


Já no veículo, Aeron coloca a sua cabeça para fora da porta e fala:

—Eu não gosto de ficar estragando a diversão dos outros, mas acho que deveríamos primeiro nos preocupar em ir logo até giluk, não temos tempo sobrando, se sairmos vivos dessa missão vocês podem levar o tempo que for pra discutir a relação de vocês...

Vendar simplesmente dá uma batida de leve no ombro de Mustang.

— Essas são as grandes perguntas não é mesmo? Quando você descobrir as respostas não esqueça de me contar.

Vendo a reação de Aeron ele concorda.

— Vamos mesmo. Todos aqui precisam de tempo para pensar. Alguns mais que outros.


Hellena observa a cena se desenrolando e as palavras trocadas. Ela chega a fechar o punho quando Vendar mexe com os seios novos de Thomas/Elizabeth, mas decide deixar passar. Afinal, é uma cena um tanto surreal, é normal a incredulidade, e se seu pai não se importou, não é ela que vai.

Mas as palavras de Mustang parecem ter mais efeito na menina que em Elisabeth.

— Mm... general, não fala assim com ela, por favor. Meu pai não demonstra, mas eu sei que essas palavras machucam. Já parou pra pensar como é ser tratado assim por alguém que você realmente gosta? Além disso, para de chamar ela de aberração. Isso é muito ofensivo.

A menina se abraça a Elizabeth, com a carinha triste.


Caçadora Sangrenta apenas assiste a tudo. Por dentro, seu cérebro trabalha a mil, mas poucas pessoas a bordo teriam sequer chance de notar. Notar que ela está avaliando Mustang com muita atenção nos últimos tempos, observando cada movimento. Notar que quando a menina citou a parte da Aberração ela pareceu levemente incomodada também. E notar que ela parece ficar ligeiramente nervosa com Vendar por perto.



(EDIT OFF:

1 - Para simplificar as coisas, estou escolhendo 10 em testes de Enganação o tempo todo. Isso dá uma CD 36 para quem quiser tentar perceber alguma coisa. Inclusive, estou disfarçando raça nesse uniforme (as "mutações" ficam parecendo efeitos místicos).

2 - As duas personagens, assim como todo mundo que já apareceu, estão já dentro do tanque. Agora é só conversa, e são mais de 20 horas de viagem, nós vamos passar o dia nisso. Logo não é enrolação, não é preciso sair do veículo para falar com ninguém, e acho que o Mamorra pode atualizar assim que achar apropriado, assumindo que o quanto ele quiser desse papo aconteceu no caminho. )




Vendar ouve o comentário da menina, se pudesse ele sorriria.

— Pequena Helena. Acho muito bonita essa sua defesa. Mas acho que Elisabeth agora é sua mãe, não pai, não é?

Ele então acaricia de leve a cabeça da menina.

— Quanto a questão de aberração infelizmente é algo que muitos de nós ainda vão ouvir bastante durante nossas vidas. Na maioria das vezes as pessoas que dizem isso o fazem por medo ou ignorância. Então você precisa ser forte e não carregar ódio ou tristeza em seu coração por isso. Veja eu e a caçadora por exemplo. Muitos nos consideram aberrações e monstros sem almas. Mas você sabe que isso não é verdade. Mas mesmo sendo desprezados nós nos levantamos e seguimos em frente tentando mudar e defender o mundo com nossos feitos. Agindo como nossos corações dizem nós mostramos quem somos.


—Mãe? Mas eu já... err... esquece! Não, não, pra mim ela continua meu pai. Não quero falar disso agora. Eu vivo em Yuden com meus pais e meus irmãos, mas eu sou uma elfa. Aberração não é a única coisa que eu ouço quando minha família não está por perto. Mas eu sei o que o senhor quer dizer, senhor Vendar. Eu sempre vou proteger as pessoas de lá, elas não são más, só sentem medo do que não entendem. Mas às vezes dói muito.

Mustang acena com a cabeça.

— O problema de Yuden é a intolerância que existe nele. Se o país fosse mais tolerante já teria dominado os outros há muito tempo. Mas não vou discutir isso.

_________________
"Força Bruta: se não funcionou, é porque você não usou o bastante"
-Um sábio...
avatar
Tahlus
Mentor
Mentor

Mensagens : 102
Data de inscrição : 14/11/2013
Idade : 27

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Última Libertação - 1ª Fase

Mensagem por Tahlus em Seg 18 Nov 2013 - 21:42

Capítulo XXII


Tempo até a corrupção do Helladarion - 09d 04h 55m 06s – Giluk, Montanhas Uivantes – Madrugada – Nevasca.


ESUNA guiava o transporte enquanto o grupo passava o tempo se divertindo conversando sobre a transformação do Thomas em Elizabeth.

Porém, ao chegarem em Giluk, a diversão acaba.


A cidadela inteira está completamente congelada. Era possível ver algumas pessoas que agora eram estátuas congeladas tentando fugir. Também havia um pequeno destacamento de milicianos congelados que preparavam-se para defender a cidade de algo. Várias pessoas congeladas estavam no meio da neve que tomava toda a cidade.
Vendar olhava a situação lá fora.

— Bem. Eu mesmo nunca imaginei que pegar o cálice dos deuses seria fácil. Mas assim já é demais.

Ele se levanta.

— Vamos entrar e investigar. Talvez o que tenha congelado a cidade ainda esteja por aqui. Também temos que ver se há sobreviventes. Magos. Conseguem descobrir a quanto tempo foi o ataque? Temos que ser rápidos, pois falta pouco para a corrupção do Helladarion.


—Eu vou na frente, fazer reconhecimento. Mantenham alguma forma de contato mágico comigo, TODOS os conjuradores. E Mustang, mantenha o grupo invisível. Por enquanto é melhor ficarmos incógnitos o maior tempo possível.

Uma vez que esteja em contato com uns dois conjuradores diferentes, Caçadora Sangrenta começa a avançar, explorando a cidade, procurando uma pista do que possa estar acontecendo, observando, rastreando, sempre fora de vista (escolher 10 em furtividade, total 68).


Aeron olha para o estado do local, e diz:

—Não me surpreende a situação estar pior que o esperado...

Ele permanece junto com o resto do grupo, esperando as informações da colega que decidiu avançar solitária, enquanto pensa em todas as possibilidades sobre o que teria feito aquilo...


(OFF: Monte, não se esqueça que nós temos aqueles "comunicadores" que o Donovan entregou pro grupo antes de irmos para o templo...)


Greed'son pacientemente deita o caixão que trouxe, destravando suas meticulosas trancas. Por diz em tom injuntivo:

—É chegado o momento, erga-se, cavaleiro. Isadora o aguarda dentro da cidadela.

*Greed ordena ao Cavaleiro que deixe o caixão e se una ao grupo.*


Dornelles desceu e começou a concatenar mil ideias, pensamentos e possibilidades em ordem de probabilidade. Pedindo a Volg que procurasse por cheiros de pessoas, monstros ou algo fora do comum e o avisasse, ele começa a detectar auras mágicas presentes na área, e a analisar ao mesmo tempo o que poderia ter acontecido por ali.


(Off: Volg tem Faro, e eu uso Detectar Magia pra ver o que tem acontecido na cidade,bem como TODOS os testes de Conhecimento+32, bem como Intuição +32.)


—Adiante, esse novo Cavaleiro não só tem o intelecto do antigo, como os músculos de Shura somados a alma do companheiro de Isadora. Eu mesmo tratei dela e a enviei para investigar em Giluk antes de irmos ao encontro da dita Lena. Se ela ainda estiver viva, terá nossas respostas. E se não estiver, isso não será um empecilho para mim. __ a voz de Greed era fria e calculista enquanto ordenava ao morto-vivo meio-golem que fosse procurar sua amiga em vida. A coisa, um arremedo do seu antigo eu, uma armadura bizarra a que usava, com cinto de bandola e matéria vermelha vertendo de próteses mecânicas.

Aeron olha para aquela coisa, que já havia sido um colega de equipe, ainda que por pouco tempo, e fala para Greedson de maneira não muito amigável:

—Qual é o seu problema em mandar ela sozinha para esse inferno de gelo? Você está só se aproveitando das perdas que ela teve para fazer o seu trabalho sujo, enquanto você fica aquecido nesse veículo? Eu nem vou perguntar o que vai acontecer se ela morrer, porque provavelmente você vai fazer mais um boneco pra sua coleção...


—O QUE, EU? Não, bem, talvez um outro golem consciente, mas na verdade eu estava apenas pensando em reanima-lá para que pudéssemos pegar as informações. Nada demais, é claro. _ respondeu com toda a confiança em suas habilidades.

—Francamente... Eu não vou perder meu tempo nessa discussão enquanto estamos no meio dessa missão suicida, mas saiba que esse não é o meu único desacordo com esses seus "hobbies"...

—Detalhes, detalhes. Todos vocês sempre se preocupam com o "porque" quando o "como" sempre é muito melhor. _ e quando Greed'son disse-lhes isso um sorriso sério e impregnado de ousadia podia ser sentido por trás de seu elmo.

Ele então tomou a dianteira junto com o Cavaleiro e, tocando um botão oculto sobre o elmo que descera lentes especificas, ele começava a procurar um culpado.

*Greed começa a investigar por indícios de um responsável, como um conjurador ou espírito.*

(Off: Testes de Investigação+38, objetivando conhecimento arcano e identificar magia.)


—Nem pensar...

*Diz Mustang claramente irritado com o Cientista*

—Se ela morrer Traremos ela de volta seu escroto, o que é a morte perante os poderes de um mago ? Nada!!!
Se ela estiver morta vai ser ressuscitada e se fizer algo contra isso eu vou chutar sua bunda tão forte que a sua bunda vai ficar no lugar da sua cara e a sua cara no lugar da sua bunda...

*Depois se vira pro grupo e diz:*

—Nada de nos separarmos será que vocês não aprenderam NADA em Tapista? Separados nós iremos perecer ninguém vai a Lugar nenhum sozinho, ou vai todo mundo junto ou não vai Ninguém entendido ? Agora vamos decidir como vamos fazer a incursão neste inferno congelado...

*Elizabeth fica um pouco enciumada com como Mustang defende a tal garota e pergunta como quem não quer nada;*

—Quem é essa Isadora ?

Aeron responde a indagação de Elisabeth sem muita emoção:

—Isadora é uma mulher que esteve em nosso grupo por pouco tempo, antes de você entrar nele, e costumava ser companheira daquela coisa (apontando para o Cavaleiro) quando ela era algo além de mais um monstro do Greedson...


Magda, por comunicador:

— Não estarei longe, Mustang, mas meu trabalho corre melhor assim. Eu não serei vista, posso te garantir, mas o grupo chama atenção. Qualquer problema eu aviso, e nós vamos para o mesmo lado, só serei sua guia nesse lugar.

Enquanto isso, Hellena já estava bastante incomodada com Greed'son, e aproveita para falar.

— É só pedir se quiser que eu desmonte essa armadura dele no tapa! Senhor Greed, o senhor é um monstro nojento, sabia disso? Aposto que é um infeliz sem amigos e que nunca vai ter nada na vida que valha a pena.


Vendar olha para o grupo e fala:

3 Estou orgulhoso de vocês Mustang, pequena Hellena. Vocês finalmente estão vendo o que é verdadeiramente importante. Pena que cada pessoa tem que descobrir isso sozinha.

Ele olha para Greedson.

— Vou estar do lado deles se acontecer alguma coisa.

Ele então vai em frente.

— Vamos então. Vou na frente para servir de alvo caso sejamos atacados.



Greed'son olhava ao redor com suas estranhas lentes sobre a viseira. Ele notou a elfa lhe dirigindo palavras.

—Você fala de sentimentos, criança, de amor, amor é como a dor, como a raiva, como o medo, todas manifestações da psique humana. A primeira coisa que meu professor ensinou-me foi dominar tais coisas. Através disso tenho suportado toda a complexidade lefeu com danos leves. O seus magos e sacerdotes chama de loucura é apenas uma defesa rudimentar de seus cérebros animais que não conseguem processar o que encontram e não possuem sentidos para fazê-los por si. Veja Isadora, para curar sua mente fragmentada foqueia-a no objeto de sua sina, o Cavaleiro. Um pouco de psiquiatria aplicada com doses controladas das magias certas e uma de minhas drogas, e ela concordou em vir a este lugar pelo bem de Arton, e o retorno do Cavaleiro, claro.

O déspota observa longe, enquanto Vendar passa a frente do Cavaleiro, como se percebesse algo. Ele estreita a visão satisfatoriamente e diz para Elizabeth:

—Thomas... errr, Elizabeth, você teve a oportunidade de saber do tomo em que a Rainha Imperatriz colocou alguns dos grupos organizados atrás? O que pensa?


Vendar olha para Greedson.

— Desculpe, mas acho que eu entendo um pouco melhor de Lefeu que você. E posso dizer que sentimentos não são isso que você diz. Sentimentos são parte da diferença entre isso.

Ele aponta para o mundo ao redor.

— E isso.

Ele aponta para seu simbionte.

— Se você realmente acredita no que diz então talvez não seja tão diferente da anti-criação quanto imagina. Tome cuidado com seus caminhos Greedson, ou também vai terminar odiando a si mesmo.







Tempo até a corrupção do Helladarion - 09d 04h 21m 19s – Giluk, Montanhas Uivantes – Madrugada – Nevasca.


Azgher já começava a despontar no horizonte quando o grupo alcançara o centro da cidadela. A Caçadora e o Cavaleiro correram na frente, observando a cidade completamente feita de gelo. Não havia sinais de sobreviventes, e até mesmo o grupo sentia um frio absurdo ao que era rotineiro das Montanhas Uivantes. A praça principal era um verdadeiro jardim nefasto. Várias pessoas foram colocadas como uma paródia de uma cidade em posições como se a cidade estivesse funcionando normalmente.

Adiante, havia a casa do Ancião da Vila, onde eram tomadas todas as decisões. Havia uma trilha de sangue coagulado que vinha desde a praça até a porta da casa. Na porta, um vulto os observava de dentro da casa. Ao ver um dos integrantes do grupo, uma pessoa sai de dentro da casa.


Ao ver quem saia da casa, Aeron trava por um instante. Era Anne, sua companheira de aventuras. Ela estava viva. Ferida, mas viva. Parecia que fora atacada por uma horda de monstros.

—Aeron, não acredito que esteja vivo! Faz anos desde aquela maldita batalha. Mas o que faz aqui? Está com um grupo deveras estranho. Não parece que isso seja uma simples aventura... Não quando seres de tamanha habilidade chegam a esse local numa hora tão necessária. É um Dragão. Não um dragão comum, mas um tão grande quanto o próprio Sckhar, e talvez tão poderoso quanto. Aquela besta congelou toda a vila e nos encurralou aqui. Não há como escaparmos... -- Dito isso, um vento gélido passa através de todos e congela Anne.

Uma figura andava através da praça. Era uma mulher humana cujo corpo inteiro era uma tonalidade de azul quase violeta. Os cabelos eram completamente lisos e arrumados de forma complexa. Ela vinha seminua pela paisagem da cidadela. Ela trazia a cabeça da ESUNA em uma de suas mãos e o corpo da pequenina na outra.

—Obrigada por fazer a minha apresentação, Lady Anne. - Disse a mulher - Então esse é o grupo que o maltrapilho do Donovan mandou atrás de mim? Sejam bem vindos a Giluk, meus convidados. Eu me chamo Tintaglia Icefyre e governo o local que a minha mãe Belugha costumava governar. Porém eu prefiro cidades à cavernas. Elas são tão mais cheias de vida, não acham? Estranho como seu amiguinho Donovan está tão preocupado comigo enquanto faz acordos com meu pai. Digam-me, vocês tem visto Sckhar por ai? Ele anda bem sumido. Faz semanas que meu pai saiu de Sckharshantallas e ainda não deu sinais de vida. Mas digam-me, o que desejam aqui? Tenho plena certeza que isso não é uma visita social!

Tintaglia Icefyre, filha da união de Belugha e Sckhar. União que fora proibida pelo próprio Khalmyr agora se postava tranquilamente diante do grupo. Mesmo sabendo quem eram, ela não parecia intimidada. Tinha o mesmo olhar superior que o pai mantinha o tempo inteiro. Parecia que o mundo era tesouro dela.



Greed procurou tomar a frente antes que alguém fizesse alguma besteira, e, com toda a sua experiência política, dirigiu-se a dragonesa.

—Senhora, viemos pedir permissão para usar o Cálice dos Deuses, que se encontra em seu tesouro. Nosso objetivo é atacar a Tormenta, que também ameaça os vossos domínios. _ disse-lhe com uma reverência nobre.

No entanto, estava-lhe além do bom censo demonstrar algo exigido por quase todos os dracos: MEDO.

A irrefreabilidade de Greed'son perante tal fato podia ter arruinado a única chance que tinham de sair dali sem minar suas forças antes o desafio maior que viria.

O quase inexpressivo Cavaleiro no entanto, apesar de sua ligação forçada com o seu "senhor", que lhe impeli com horror total quanto ao que enfrentava em silêncio,tão próximo aos colegas, já se preparava quanto ao inevitável... POIS ELE VIERA PARA BUSCAR ISADORA, nada mudaria isso, nem Greed Richardson Defallt, nem a Tormenta e com certeza, não uma dragoa com problemas de alto-afirmação.

Todavia, o Cavaleiro podia sentir a ameaça crescente, ele começou a se mover com toda a sua habilidade para uma posição favoravel.

(Off: O Cavaleiro usa furtividade+48.)


—Saudações, lady Tintaglia. É um prazer e uma honra conhecê-la - diz Dornelles, em uma reverência (Conhecimento [Boas Maneiras e Porte Social] +32) - Somos todos enviados do Reinado, buscando formas de combater a Tempestade Rubra que ameaça a todos nós. Essa busca nos trouxe até aqui, e agora pedimos a sua permissão para utilizar o Cálice, e assim termos mais chances de derrotar a maior ameaça de Arton.

( Off: Diplomacia pra amaciar a fera e ver se ela quebra esse galho pra gente. Claro que o Mustang provavelmente vai querer quebrar o galho e todo o resto da árvore na cara dela, maaaaaaas... eu tentei. )


Aeron entrou em choque ao ver Anne viva, na sua frente. Ele próprio havia tentando encontrar um jeito de ressuscitá-la, sem sucesso... Ele pergunta:

—Anne? O que você está fazendo aqui?

Mas então um vento gélido soprou, e de repente ela estava congelada. Ele se vira, segurando instintivamente segurando a sua espada, e vê a dragoa em forma humanoide que se aproximava. Ainda confuso com o que estava acontecendo, ele diz:

—O que está acontecendo aqui? E Por que Anne apareceu num lugar desses?


Vendar olhava a destruição ao seu redor e olha para a dragoa.

— Algum motivo em especial para ter chacinado esta população inteira?

Caçadora Sangrenta continua em seu esconderijo, observando a situação. Se o grupo conseguir resolver essa diplomaticamente, ela vai deixar passar e resolver esse assunto depois, afinal, eles têm pouco tempo e precisam de todo recurso que puderem poupar.

Mas o sabre está coçando para ser usado contra esse monstro que chacinou toda uma população como se fossem meros brinquedos. Assim que as negociações derem em água ela vai pular no pescoço da dragonesa.


*Mustang se aproxima com um sorriso da Dragoa e diz:

—Bem... por essa eu JÁ ESPERAVA uma dragoa....

*Mustang vai se aproximando com a maior calma do mundo e diz:*

—-Eles não estão mortos... estão em animação suspensa... ela fez isso e esta se divertindo com a Parodia de cidade que ela criou para ela... Sabe a Tormenta gosta muito de parodias também... Será que poderemos crer que você esta começando a se interessar por eles? Ou ser corrompida por eles? Sabe a proximidade com uma area de Tormenta pode ser bem perigosa para um ser poderoso até mesmo você... Afinal a area mais próxima E de do Devorador não é? Sinceramente eu tomaria mais cuidado com as brincadeiras que você faz perto da area dele...


*Ao ser indagada sobre o Tomo por Greed'son Elizabeth diz:*

—O Tomo Greed'son? Bem pelo que eu saiba a única aqui que não sabe nada sobre ele sou eu... Afinal fui convocada bem depois... Mas Roy provavelmente sabe de algo afinal ele é o Homem de Confiança de Lady shivara, quando se trata de assuntos relacionados a tormenta...

*Ao ver a Dragoa Elizabeth apenas espera o Momento de atacar e se Prepara para isso*


—Não, eles não estão mortos. Só queria dar um clima mais heroico à sua chegada. -- Então ela lança um ar quente de suas narinas e o gelo pesado que cobria os aldeões começa a derreter -- Estão tão preocupados comigo, mas não perceberam que dois de vocês não são quem dizem. Será que são capazes de descobrir quem são? Se descobrirem, darei com todo o gosto o Cálice.

A Dragoa obsevava todos com um belo e grande sorriso que estampava maldade.


—Assumindo as palavras da senhora destes domínios, devemos seguir meu plano para atingirmos o sucesso. Vendar já é um corrompido, mesmo que voluntariosamente. Ele não tem como esconder a sua macula, acusa-lo seria redundante e sem propósito. Também o renascido Cavaleiro, agora minha cria leal. Ele é o que todos podem ver uma das minhas mais perfeitas encomendas para infiltração e assassinato. O poder de Shura animando o corpo e a mente de um dos maiores justiceiros artonianos, somado a minha engenharia e inúmeros lefous. Dornelles, você está em prova, pois estava lá quando eu terminava sua reanimação, embora não o conhecesse em vida. Contudo, quanto aos demais, não descarto a hipótese de alguém aqui nem saber que está sendo usado, até ser tarde demais. Uma conexão psíquica, mágica ou não, adequada deve nos revelar os farsantes. _ apresou-se o erudito em inocentar ambos e apontar arbitrariamente um curso de ação.


*Elizabeth suspira põe o dedo no labio e diz:*

—Bem... Você é o traidor Greed'son... Todos sabiam que não devíamos falar sobre o Tomo mesmo entre nós nas missões nenhuma palavra devia ser dita ou perguntada sobre ele... E você me perguntou, logo vc é um dos falsos... e o outro é o Roy... Conheço Mustang há 6 anos, sei como ele da cada movimento... Mustang nunca chama um lorde pela alcunha, chama pelo nome!!! e ele nunca chamaria seus subordinados de Imbecis!!! Além do mais Mustang nunca ficaria tão nervoso com o que aconteceu com a Tal Isadora, ele simplesmente abriria Greed'son de uma ponta à outra e procuraria a mulher. Logo eu acho que matei a charada, pode nos dar o Cálice agora?



Dizendo algumas palavras no idioma lupino, Dornelles pede a Volg que diga se alguém está com um cheiro diferente, desde que eles entraram para o grupo. Uma vez localizado o culpado, Volg diria em voz alta se o cheiro que memorizara era o mesmo que os quartos e objetos do navio voador tinham.

—Um momento, por favor. A análise está em andamento. Tanto eu quanto meu lobo estamos em processo de eliminação dos possíveis culpados.

( Off: teste de Inteligência, qualquer coisa que eu possa usar pra descobrir um rastro que os falsos tenham deixado, bem como a habilidade Faro do Volg, que eu também posso usar. Intuição +32, possivelmente com bônus de qualquer Conhecimento imaginável, nem que seja Conhecimento(Comportamental).)


—Mais devagar, Thomas. Tu pareces muito apresada em por as SUAS mãos no cálice. Se está tão certo de suas afirmações não deve ter problema em permitir que os demais façam suas próprias verificações. Aguardemos Dornelles terminar, assim como qualquer outro que deseje fazer o mesmo. Uma averiguação mágica também não seria desperdício neste caso. _ afirmou o estudioso, convicto de que a sua decisão era a mais acertada.


Saindo de seu esconderijo, satisfeita que as pessoas congeladas estejam vivas, a Caçadora se une aos demais.

— "Sim, podemos todos fazer verificações. As minhas já foram feitas há muito tempo, e agradeço a todos por me ajudarem a fechar o quadro que eu procurava.

Elizabeth está correta, de fato. Infelizmente essas conclusões me tomaram algum tempo a mais por não conhecer pessoalmente os envolvidos, mas sinceramente esperava mais de vocês dois. Donovan, eu não te disse para tomar mais cuidado se quisesse manter o disfarce de Roy Mustang? Eu falei que não seria a única a descobrir, e agora você vê no que deu.

Mas Jack Donovan não é um traidor. Pelo menos não no sentido de nos trair para a Tormenta. Certamente é um trapaceiro, mentiroso e de lealdade duvidosa, que se recusou até o último momento a me dizer o que Mustang está fazendo. Mas não está tocado pela Tormenta.

Greed'son, por outro lado está mais que levemente interessado nesse tomo. Ele o tem estudado com afinco nos últimos tempos, a partir deste livro aqui. "

Caçadora apresenta ao grupo o livro que Greed'son tem estudado, recentemente afanado de seus aposentos no Bandido.

— Minha única dúvida é se a Tormenta já está muito manifestada no corpo do senhor Richardson Defallt. O senhor poderia nos fazer o favor de remover sua armadura? Ou vai preferir que a menina cumpra a promessa e a remova à força?


—Finalmente suas habilidades se mostram Caçadora. Eu a parabenizo por passar pela guarda sem receber nenhuma das pragas mortais de segurança. Sim, vou explicar-me, embora todos aqui já tenham ouvido isso. Não é nenhum segredo que sou um mestre da ciência e da alquimia, como da mesma forma não é nenhum engano que todos aqui já sabiam, embora Vendar negue a cada instante, que sou uma autoridade nos estudos da Tormenta. De minhas intenções, todos já sabem a muito tempo, nunca as escondi nem as neguei em nada. Persigo meus próprios objetivos e enquanto rumamos para enfrentar o invasor alienígena, estou a perpetuar meus próprios planos, que é claro, envolvem quase todos que sobreviverão a missão, incluindo Mustang. Se falarmos de Mácula, TODOS estamos maculados pela Tormenta, em menor ou maior grau. Eu especialmente por me aprofundar no assunto, não tanto quanto Vendar, é claro.

Conclui o erudito com toda sua sinceridade vilânica, ele estava realmente movendo as peças de seu jogo diante deles, era tão confiavel quanto qualquer sacerdote de Isszzaz.

Greed'son reforça exibindo o escudo de matéria vermelha, ele contorcia-se, quase vivo, enquanto sua imagem tremulava coma realidade, fendendo-a de forma doentia.

Todos já haviam visto de relance quando ele o mostrou ao entrarem no veículo de transporte.


Vendar estava bastante confuso. Ele realmente não tinha notado nada de diferente. Será que ele já estava tão entregue a lefeu que não era mais capaz de ver a diferença entre os artonianos. Ele coloca a mão na cabeça e tentava pensar se ele havia notado algo de errado, mas suas lembranças estavam confusas.

— Mustang está realmente sendo mais gentil do que de costume, mas achei que isso fosse por causa do que aconteceu com Yuden. Greedson nunca demonstrou ter escrúpulos e isso não mudou nele. Mas..

Ele não sabia o que fazer a parte lefeu nele exigia que ele fizesse parte de algo e se revoltava ao ver esse algo se despedaçando. E ele não tinha certeza que a dragõa falava a verdade. Ele tentava procurar traços de lefeu nos outros ao seu redor. Ele então olha para a pequena Helena.

— Helena, que pai deixaria uma filha nessa idade vir a um lugar tão perigoso?


(Off: Testes de percepção e conhecimento tormenta.)


*Mustang sorri e diz:*

—Cara por que quase todos que me conhecem dizem isso de mim?

*Mustang retira uma das medalhas de seu uniforme e vira Jacob Donovan*

—Desculpem, mas eu precisava ter certeza de uma coisa e pelo visto Realmente temos um Traidor no Grupo, Bom trabalho, Caçadora...


*Elizabeth abraça se aproxima de Hellena e diz:*

—Não se preocupe com Hellena ,Vendar, ela é capacitada para estar aqui. Apesar de um Odiar ver minha filha aqui, como sacerdotisa da Guerra, eu nunca poderia Impedi-la de querer participar deste Momento, Principalmente por que ela quer saber sobre nosso Bem estar...

*Quando ela Vê Donovan ela furiosa pergunta:*

—Quando foi que você e Roy trocaram? Foi no Navio De Greed'son Certo?

—Não é a toa que ficava repetindo que deuses não existiam, embora eu julgasse que de alguma forma o meu bom senso havia passado para Mustang. Agora, ele pode ter feito ainda abordo do Bandido, a não ser que a entidade Lena tenha sido travessa conosco. _ diz intrigado, mas logo retira-se do devaneio para retornar ao tópico principal.

—Concluamos logo isso então, já que parece que não vou obter uma pequena horda de mortos-vivos para encenar meu ataque frontal ao abutre.

A armadura de Greed'son tremula ataque a própria realidade parece ser ferida quando a imagem se distorce diante dos presentes. Então, um artefato tão ambicioso quanto insano mostra.

—Essa é a armadura que estava sendo concluída, ninguém deveria saber de sua existência, mas dadas as circunstâncias não vou lamentar a perda de um plano menor como este. Dissequei vivo pessoalmente o lekael que serviu de complemento para ela. Todo o seu sistema nervoso está ativo enquanto alimentado pela jóia da Tormenta, MAS EU CONTROLO A JOIA, portando eu o faço obedecer. Posso simular enumeras habilidades que apenas artefatos mágicos rivalizariam. Não está totalmente completa, ainda preciso de alguns itens que obterei usando todos vocês. É claro, vocês VÃO me ajudar, uma vez que tudo envolve o inimigo.

Vendar podia sentir, aquilo era lefel, um lekael, um superior abaixo apenas do próprio lorde, e Greed'son o tinha.



—Greed'son falou uma verdade, passei o dia todo ao lado dele fazendo planos contra a Tormenta, e elaborando mais possibilidades de expansões de poder dos nossos equipamentos. Essa armadura foi apenas o primeiro passo, afinal ainda temos um longo caminho a percorrer até termos chance contra um Lorde da Tormenta. - Fala Dornelles.



Hellena estava abraçada a Elizabeth. Quando ouve as suspeitas sobre Mustang, ela fica visivelmente transtornada. A menina observa a situação com nervosismo crescente, e quando vê Jack Donovan se revelar, entra em fúria e parte para cima dele.

— ONDE ESTÁ MINHA MÃE!!!???

A Elfa está fora de si, e começa a socar o impostor com muita vontade.

OFF: Rajada +35/+35/+35/+35, dano: 2d6+28 (+6d6 se considerar que Donovan está surpreso). Todo o dano é não-letal.

Enquanto isso, Caçadora responde à situação.

— No que concerne ao cálice que viemos buscar, acredito que cumprimos a exigência. Quanto a ser um especialista em Tormenta, senhor Defallt, já era tempo de haver notado que ao menos metade de nós tem vasto domínio do tema, e o senhor não é o maior especialista da área presente. Muito menos o senhor Dornelles Livro da Floresta. A principal característica da Tormenta é sua habilidade de corromper àqueles que ela toca. De fato ela já deve ter um dedo em cada um de nós. Alguns sequer tiveram escolha quanto a isso. Mas é uma questão de calcular riscos, e é evidente que sua capacidade de calcular esses riscos já está esgotada. Não adianta tomar o poder do inimigo para si e perder o controle, e nesse aspecto já temos muito com o que nos preocupar sem um genocida megalomaníaco se vinculando a um lefeu de alta periculosidade. Me entristece observar que o primeiro e mais prestigioso Druida do Conhecimento tenha uma noção tão leviana do que está enfrentando. Ao ponto de pensar formas de aumentar seu poderio sem calcular as consequências. Por hora, acho adequado ouvir a opinião dos outros sobre seus experimentos, Greed'son, mas no que depender de mim você não vai completar essa sua armadura. Ela já representa um risco de queda grande o bastante como está.


—"Não tenho uma noção leviana, senhorita, muito pelo contrário. Enfrentei a Tormenta em diversas frentes. Assisti a dissecações na Academia Arcana, fui terapeuta de soldados enviados para a Tempestade Rubra e que voltaram com suas mentes em pedaços, e estive dentro de áreas de Tormenta mais de uma vez. Enfrentei demônios com tudo o que tinha, e mais de uma vez escapei por pouco, porque o perigo era ainda maior do que eu havia suposto, mesmo com uma margem de erro. Perdi amigos, aliados, seguidores e familiares pra tempestade, e uso seus esforços como motivação pra seguir em frente, sabendo que preciso continuar tentando encontrar uma maneira de mandar essa tempestade vermelha maldita de volta pro inferno de onde veio.

Sei extremamente bem o quanto a Tormenta é perigosa, e o risco que ela representa a toda a existência, não só a Arton. Não alego ser o maior conhecedor da Tempestade, nem jamais aleguei. Sou apenas um devoto da Mãe da Palavra, que por acaso foi escolhido pra fundar uma ordem de outro ramo do conhecimento. A maior arma que uso contra a Tormenta é o meu cérebro.

Não penso em maneiras de aumentar o meu poder sem calcular as consequências, muito pelo contrário. Sei que o que o senhor Defallt está fazendo é arriscado, bem como tudo que envolve a Tormenta. Mas tempos desesperadores exigem medidas desesperadas. Somos todos habilidosos? Sim, é um fato. Poderosos, muito mais do que a média? Sem sombra de dúvida! Capazes de fazer feitos que as pessoas normais consideram material pra lendas e histórias a serem cantadas por bardos? Cada um de nós aqui já fez o impossível mais de uma vez. Nossas reputações nos precedem. Mas o que eu sugo como filosofia de vida é que grandes poderes trazem grandes responsabilidades. Não julgue o senhor Defallt, porque ele não faz questão de esconder o que é, ou o que pensa. Ele revela, ainda que em fragmentos, o que está pensando.

Francamente, o que nos separa de sermos vilões temidos e odiados por toda Arton é um dia de mau humor. Estou nesse grupo há menos de uma semana, e já ouvi o general Mustang reclamar BEM mais do que gostaria, e ameaçar a vida da Rainha-Imperatriz mais de uma vez, o que, eu não preciso lembrar a ninguém, é um crime passível de penas severas. Temos entre nós um louco megalomaníaco, um general falastrão mais esquentado do que um elemental de magma com uma pronuncia deplorável do idioma Valkar, um homem que se fundiu à tempestade mais do que qualquer outra pessoa que eu já tenha visto e que literalmente anda no fio da navalha, sem contar com os outros do grupo, cada um uma peça rara, e não sempre considerando isso um elogio.

Cada um de nós está aqui por um motivo, seja ele qual for. O meu é encontrar uma maneira de deter a tempestade antes que ela destrua todo o nosso mundo, ou decida ir em direção a outros. Sei que o senhor Defallt é alguém que representa um risco a todos ao seu redor, mas cada um de nós também representa. Estou ajudando porque busco novas maneiras de aprimorar nossas armas e habilidades, porque mesmo nós todos tendo acesso a armas mágicas, armaduras e outros equipamentos lendariamente poderosos, infelizmente não é o bastante. E, risco ou não, esse homem é o mais dedicado a pesquisas teóricas e práticas de como tornar uma peça de armadura mais poderosa, ou uma arma mais mortal.

Nunca diga que ajo de maneira leviana, investir tanto em armamentos e formas de defesa vai contra tudo que os druidas pregam, e eu sei disso muitíssimo bem, sou um deles. Mas contra essa ameaça, é necessário. Calculo sim as consequências, pra não correr riscos. Essa armadura é um protótipo, usada por conta e risco do usuário. Meus projetos envolvem mais segurança. Não pretendo usar algo vindo do inimigo sem ter a certeza total, completa, absoluta e positiva de que ela será inofensiva pra mim e pra quem estiver ao redor.

Portanto, senhorita Caçadora, não diga que as minhas atitudes são levianas, ou que não pensei no que estou fazendo. Mais de uma vez eu poderia ter feito o mal, e não o fiz. Pretendo morrer antes de ser corrompido pela Tempestade. Pense de mim o que quiser, não estou aqui pra agradar, estou aqui pra prestar um serviço com o máximo de minhas habilidades. E no momento, isso envolve pesquisar formas de utilizar os demônios da Tormenta a nosso favor. Quisesse eu usar a Tempestade sem escrúpulos, teria arranjado uma maneira de deixar meu companheiro Volg mais poderoso com ela, e depois o sacrificaria, quando algo saísse errado.

Se acha que essa atitude é tão reprovável assim, estou aberto a sugestões sobre o que fazer ou usar como arma efetiva contra a tormenta."

( Off: Sorry, post grande, mas eu tava inspirado. E só pra lembrar, não estou puxando briga com ninguém, é só roleplay.)



O ataque da garota foi repentino, mas Greed'son não poderia permitir a inconsciência de Jack, ele ainda tinha o que falar dos planos. O guerreiro da ciência e alquimia interpõem um braço coberto de matéria vermelha entre a guria élfica e seu alvo. Ele diz:

—CONTENHA-SE, HELENA! Se Donovan aqui está, é mais provável que meu filho esteja manejando as forças militares, preparando o resgate do Hellidarion! Elizabeth, acalme-a! _ exigiu o lorde de Portsmouth.

Após um momento, em que o discurso de Dornelles toma a todos, Greed'son diz:

—Nesse quesito, não há o que temer, Caçadora, o próximo item não tem em nada haver com lefeu e tudo haver com Arton. Meus aliados em Nova Doherimm já estão tomando as devidas medias, pois para o horror de todos os presentes devo salientar que caso nos confrontemos com o lorde, nada garante que ele estará sozinho. Para lidar especialmente com Haradack, o devorador, preciso do próximo item. De todos os lefeu, ele é o que mais perigosamente caminha para tornar-se artoniano. SE ISSO OCORRER ELE NÃO PODERÁ MAIS SER EXPURGADO... a não ser que eliminemos todo o seu aspecto, ou seja, matemos seus devotos. Então, Caçadora. Veja, você não tem escolha, ou ajuda-me, ou terá o peso na consciência de que para eliminarmos para sempre o mal do culto a Tormenta tenhamos de alimentar um tipo de guerra santa contra todos que cultuam o medo de Haradak, incluindo os seus pobres devotos-prisioneiros na cidade-da-Tormenta. Você sabe que digo a verdade. _ terminou de explicar com a gravidade da escolha.


(Off: Como assim o Greed não é autoridade em assunto de Tormenta? Já viu os bônus de perícia dele na área? )



—Acalma-la para o lado do Donovan, certo eu vou fazer? Hellena esse não é seu Inimigo, Recomponha-se, se Donovan esta no Lugar de Roy, isso quer dizer que Ele esta bem...

*Depois ela se vira para Greed'Son e diz:*

—Senhor Greed'son Meus pêsames antecipados pela sua morte e você também coisinho da floresta, e antes que fale mais alguma besteira quero que saiba que o Relacionamento pessoal de Shivara e Roy , tem declines incríveis, ele e ela se ameaçam de morte o Tempo todo, Roy é um general de confiança de Shivara e provou isso em Tapista para todos nós, quando foi humilhado e Ludibriado por ela até as Ultimas consequências e quando teve algumas horas depois chance de trair Shivara, se manteve Fiel a shivara mesmo assim...

Hellena Prepare-se Greed'son e qualquer um que ficar a seu favor são alvos...

*Elizabeth conjura dois Balores e diz:*

—Vamos acabar com isso de uma vez, MEMBROS DA PRIMEIRA COMPANHIA AS ARMAS!!!! POR KEEN E POR ARTON!!!


*Sem esperara reação de Donovan Os membros da primeira companhia Obedecem Elizabeth sem questionar Se posicionam para Um possível combate contra Greed'son*


( OFF: não vou agir com o Jack isso faz parte da postagem do Mamorra)



—"Invocar demônios, é essa a sua resposta? E quem corre riscos sou EU, por estudar uma maneira de derrotar a Tormenta? Sempre achei que havia esperança pra clérigos de Keen, que eles poderiam ser mais do que idiotas sem cérebro que lutam contra qualquer coisa que se mexa, só pelo prazer de bater.

Não vou começar uma briga, sempre me recusei a me entregar à barbárie, porque isso não resolve nada. Mas não se engane, eu IREI me defender, se atacado. Agora decida o que vem primeiro: essa missão, e por consequência a segurança de Arton, ou entrar em uma briga que não vai acabar bem. Se quiser atacar Greed'son, vá em frente, não vou impedir. Não vou ficar tentando enfiar bom senso na cabeça de quem se recusa a aprender algo."



Quando Helena chama mustang de mãe, até vendar fica um pouco encabulado.

— Elizabeth, você precisa ensinar para essa menina a diferença entre os sexos. Ela aprendeu ao contrário.

Vendar olha para Greedson e parece muito confuso. Ele se aproxima de greedson.

— Não faça isso greedson. Esse passo que você está dando será ainda pior o que eu dei. Não sobrará nada em você que não seja lefeu. Eu mesmo já apaquei muito de mim e o poder do gigante rubro não é a fração de lekael.

Ele então balança a cabeça.

— Greedson. Eu preciso realizar um teste para saber se você ainda mantém um pouco de si mesmo. Já que você mencionou o tomo, ele é um modo de avaliar se sua memória e raciocínio ainda estão intactos. Diga-me. Qual o modo que o reinado encontrou de derrotar os lefeus e do qual estamos indo atrás? O motivo do nosso grupo se reunir com lady shivara em primeiro lugar e para o qual todas as nossas missões são voltadas.

Ele se volta para o grupo e fala:

— Se possível eu gostaria que todos vocês falassem isso em particular para mim e Donovan. Assim poderemos avaliar a todos. Pois sabemos que Donovan não é um traidor. É um filho da puta arrogante e manipulador, mas não é um traidor.





Helena escreveu: Rajada +35/+35/+35/+35, dano: 2d6+28 (+6d6 se considerar que Donovan está surpreso). Todo o dano é não-letal.

CA 51

Rola (1d20)+35: 10,+35 = Total:45 (FALHOU)
Rola (1d20)+35: 05,+35 = Total:40 (FALHOU)
Rola (1d20)+35: 15,+35 = Total:50 (FALHOU)
Rola (1d20)+35: 13,+35 = Total:48 (FALHOU)

Helena salta para atacar Jack, poré Greed'son se interpõe entre ambos e Helena soca com fúria sua armadura sem muito sucesso até suas mãos doerem.

De repente, durante a discussão, um enorme barulho vindo do norte. O Explorador, embarcação voadora de Jack Donovan, vinha a todo vapor e chegara rapidamente, e com ele várias figuras desceram em trajes de frio.


Completamente cobertos por trajes de frio, o grupo composto por nove pessoas não dava para ser identificado. Porém, ao chegarem, retiram o capuz e todos veem os Libertadores de Valkaria, completamente curados, Roy Mustang e, para a surpresa de todos, Greed Richardson Defallt, que também se surpreende em ver que havia uma cópia sua lá.

—A brincadeira acabou, Jack! -- Disse Lucian Silloheron, líder dos Libertadores -- Essa caça ao traidor deve parar agora. Aharadak está expandindo a Área dele por todas as Uivantes e está cercando Giluk para nos encurralar. Evacuamos muitas cidades, mas a maioria das cidades e postos dos minotauros foram perdidos. Descobriram que o seu Helladarion era falso e não só o destruíram, como o Devorador está fazendo uma retaliação. Temos que evacuar Giluk.

Ao ver dois Greed’son, Lucian mostra-se surpreso. Mas não havia tempo para aquilo. Eles deviam fugir imediatamente.




Então, como do nada, o céu começa a ficar Vermelho.

_________________
"Força Bruta: se não funcionou, é porque você não usou o bastante"
-Um sábio...
avatar
Tahlus
Mentor
Mentor

Mensagens : 102
Data de inscrição : 14/11/2013
Idade : 27

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Última Libertação - 1ª Fase

Mensagem por Tahlus em Seg 18 Nov 2013 - 21:47

Capítulo XXIII


— MÃE!!!

A pequena Elfa corre até o general, os olhos enchendo de lágrimas conforme o desespero dá lugar ao choro, e ela abraça Mustang.

Caçadora se prepara para se manifestar na discussão quando o Explorador chega. Após ver e ouvir tudo, ela fala, olhando para Dornelles:

— Pena que eu estava certa. Agora precisamos tirar essas pessoas daqui. Mustang, leve seus homens! Os outros ajudam a fazer a evacuação! Isso te inclui, Druida! Vendar, nós dois vamos acabar com esse impostor agora!

Com isso a Caçadora salta para cima do impostor, golpeando com o Acusador:
Ataque +43, dano: 1d6+36+7d6+11d8. Decisivo 18-20, em caso de decisivo o dano total é 2d6+72+7d6+11d8+1d10. Arma de Aço-Rubi, ignora qualquer RD.


Observação: Contra ele tenho CA 64, RD 10, Resistência a Energia 30 contra qualquer energia. E se o lugar virar uma Área de Tormenta eu ganho Sentido Sísmico de 15 metros. Afinidade com a Tormenta e os poderes da armadura garantem que meu desempenho não diminua.



(OFF: Eu não disse que ele não é uma autoridade no assunto, disse que ele não é o único. O Mustang tem ainda mais na perícia, a Magda só está 3 pontos atrás dele, e o Dornelles 3 pontos atrás dela. Esses quatro podem ser considerados autoridades. )




Vendar vendo o outro greedson sorri.

— Não sei se o mundo suportaria dois Greedsons. Então. Vamos.

Ele saca sua espada e parte para cima do falso Greeedson.

— Não sei por que mas sinto um prazer acima do normal fazendo isso. E acho que é melhor você mostrar sua verdadeira cara impostor.


( Off: Ataque total em "greedson". Espada táurica anti monstros +36/+36 (4d8+2d6+52+ 1 de const / 19-20))





----------------------------POR FAVOR, IGNORAR ISSO.-------------------------------------
(mensagem apagada, talvez tenha inconsistências nos posts seguintes...)







Ao ver o desenrolar da situação Vendar teve que mudar de estratégia.

—Caçadora. Ajude a Elisabeth e não deixe o falso Greedson fugir. Eu seguro o cavaleiro.

Ele então se põe a frente do monstro que matou Jack Donovan. O portador de simbionte treme um pouco. Ele vê que o inimigo à sua frente pode matá-lo. Ele então junta toda a sua coragem e avança.

- Eu sou mais próximo dos lefeus do que você imagina e dominei algumas de suas disciplinas. Prepare-se para enfrentar meu poder total!

O desafiador começa a avançar e subitamente o próprio tempo e espaço ao seu redor começa a distorcer-se e ser dominado. Subitamente ele se move com uma velocidade sobrenatural e começa a atacar o cavaleiro.



( Off: Mudando minha ação. Vendar ativa distorção temporal ficando com +2 no acerto, CA e testes de reflexos e ficando com um ataque extra. Ele vai dar ataque total no cavaleiro: Espada táurica de aço rubi anti monstros +38/+38/+38 (4d8+2d6+52+ 1 de const / 19-20))





—Cuidem todos do Cavaleiro! Mustang, Dornelles, eu agradeço se tiver alguma ajuda mágica, de preferência mais velocidade de corrida!

Sem esperar mais, a Caçadora parte com tudo para a "máquina" lefeu, numa investida:


Ataque +45, dano: 1d6+36+7d6+11d8. Decisivo 18-20, em caso de decisivo o dano total é 2d6+72+7d6+11d8+1d10. Arma de Aço-Rubi, ignora qualquer RD.

Observação: Contra ele tenho CA 64 (62 pela investida), RD 10, Resistência a Energia 30 contra qualquer energia. E se o lugar virar uma Área de Tormenta eu ganho Sentido Sísmico de 15 metros. Afinidade com a Tormenta e os poderes da armadura garantem que meu desempenho não diminua.

--> Se o resultado da jogada de ataque for menor que 51, uso meu Ponto de Ação extra do Desafiador da Tormenta para ganhar +1d12 no teste.

--> Se a coisa ainda estiver "viva" depois do primeiro ataque, uso Surto Heroico para mais um ataque.

--> Se esse segundo ataque for menor que 51, uso um Ponto de Ação (se tiver usado no anterior o do Desafiador, vai o normal agora) para +1d12 no teste.

--> Se o segundo ataque também não matar a coisa, e eu ainda tiver Pontos de Ação, gasto um (prioridade para o de Desafiador) para fazer um terceiro ataque.

--> Se o terceiro ataque for menor que 51, e ainda tiver Pontos de Ação, gasto um para +1d12 no teste (prioridade para o de Desafiador).

--> Sim, todos os ataques são iguais.




Hellena ataca o Cavaleiro, preparando bem seus socos, que caem em uma tempestade de golpes sobre ele. Se for possível, ela vai flanqueá-lo com Vendar ou qualquer outro, para aplicar Ataques Furtivos (ela pode fazer isso mesmo contra oponentes imunes).

Rajada com Ataque Poderoso, +33/+33/+33/+33, o dano de todos os ataques é 2d6+32 (+6d6 se conseguir flanquear).

Depois disso a menina se afasta de novo, dando espaço aos outros combatentes (Ataque em Movimento).

Nisso tudo a CA dela fica em 47 por conta do Mobilidade.




—Merda, eu sabia que isso podia acontecer! Mexer com um lefeu de casta alta logo de cara não era uma boa ideia, eu devia ter previsto isso.-pragueja Dornelles, ao ver o que se passou-Suba no Volg, ele alcança esse monstro em um instante. Se quiser subir nas costas do monstro, a hora é agora. Vou resgatar Thomas/Elizabeth, antes que el@ seja esmagad@ por essa coisa.

Dando o exemplo, Dornelles sobe nas costas do Lobo das Estepes, grande como um cavalo, e estende a mão pra Caçadora, pra que ela suba junto. Dando um comando de velocidade total ao seu companheiro(presumindo que a caçadora suba junto), Volg sai em disparada, correndo a uma velocidade inacreditável, pra um animal do seu tamanho.

Chegando perto do trem, Dornelles desfere um golpe com sua maça, ainda montado em Volg, enquanto se aproxima de Elizabeth. Volg, aproveitando a ação, desfere um sopro gelado no monstro, já que sabia que não teria como morder e imobilizar algo tão grande, sua estratégia preferida.

Off: montar no Volg, que usa Forma Selvagem Velocidade, ficando com 27m de deslocamento por rodada, e sair desembestado atrás do trem.

Ataque normal com a maça +21, dano 1d8+ 4d6+6, e um sopro de frio do Volg, 4d6, reflexos CD 16 reduz à metade. Alcançando a Elizabeth, vejo o que mais eu faço.




—Concentre-se em tirar Elizabeth de lá, você não tem habilidade para enfrentar essa criatura! Basta me levar até lá se quiser, mas não tente confronto direto com ele! - grita a Caçadora.




Cavaleiro escreveu: Testa Vontade: Rola (1d20)+24: 6,+24 Total:30 (CD 31, FALHA)

Sangue jorrava do corpo morto de Jack. Mas no instante seguinte, um fluxo prateado passa pelos pés do Cavaleiro e começa a subir e cobrir completamente o corpo dele. Ao terminar de cobrir, o Cavaleiro é teletransportado num feixe de luz.

Enquanto isso, Elizabeth, que ainda sentia a dor de ser carregada pela Locomotiva da Tormenta, pisca os olhos e percebe-se no colo de Jack. Ela ruboriza ao olhar fundo nos olhos do Jack e ver algo que ela achava que não existir.

—Nossa, que perigo! Se isso acertasse, talvez pudesse causar um dano. Você está bem, Milady Elizabeth? Essa forma ficou bem melhor do que aquele negão de quase 3 metros de altura que era como Thomas. Se puderem acabar com isso, temos que partir. Creio que queira ir conosco, Tintaglia. Deixe de ser uma criança mimada e vamos partir. As Uivantes estão perdidas. Pelo menos ajude a tirar todos daqui.

Tintaglia, enfurecida, ordena a retirada da população de antes sua Capital. Ela salta e, enquanto voa, muda para a sua esplendorosa forma dracônica.




Os Libertadores, defendiam um flanco onde viam vários tipos diferentes de Lefeu, trazidos da antiga Nivenciuén por Igasehra. A Nuvem Vermelha da Loucura avançava cada vez mais.

Um pouco depois, algo é retirado do Explorador. Um constructo de aproximadamente 7 metros de altura foi colocado próximo ao local onde Jack mantinha Elizabeth nos braços.






[OFF: O Combate vai começar agora, com iniciativas finalmente sendo roladas. Necro, Suas ações serão do Impostor e do Greed'son, mas descreva quais ações eles farão e quais as rolagens, não diga SUCESSO. Caso faça, considerarei automaticamente como uma FALHA.]






Off Vendar vai manter a mesma ação.



Ao ver o desenrolar da situação Vendar teve que mudar de estratégia.

— Caçadora. Não deixe o falso Greedson fugir. Vamos atacá-lo juntos. O resto de vocês por favor evacuem a população.

Ele então se põe a frente do monstro. O portador de simbionte mexe suas quelíceras e sente o impeto de mostrar quem era o mais poderoso e avança.

— Eu sou mais próximo dos lefeus do que você imagina e dominei algumas de suas disciplinas. Prepare-se para enfrentar meu poder total!

O desafiador começa a avançar e subitamente o próprio tempo e espaço ao seu redor começa a distorcer-se e ser dominado. Subitamente ele se move com uma velocidade sobrenatural e começa a atacar o cavaleiro.



Off: Vendar ativa distorção temporal ficando com +2 no acerto, CA e testes de reflexos e ficando com um ataque extra. Ele vai dar ataque total no cavaleiro: Espada táurica de aço rubi anti monstros +38/+38/+38 (4d8+2d6+52+ 1 de const / 19-20)



*Mustang abraça Hellena e diz:*

—Calma eu estou bem Hellena, depois falamos sobre isso..

*Mustang começa usando proteção contra a tormenta no grupo*

—desculpe o atraso, tropa ajudem a evacuar os cidadões, riza va com eles...

*Riza bate continencia e vai com a tropa inteira mas antes beija mustang e diz:*

—Cuidado Roy, volte inteiro para mim...




—Concentre-se em pará-lo, eu retalharei ele pessoalmente!

(OFF: Também mantenho minha última ação com a Caçadora. )



Hellena corre à toda até onde Jack e Elizabeth estão, e tira a mulher do colo dele.

— Eu vou levar meu pai pra segurança, agora vá ajudar as pessoas a sair.

Dito isto, a menina toca para a nau voadora.

— Não se preocupe, papai, nós vamos à forra com eles depois!



Acima, a Tormenta se pronunciava, impossível salvar todos ali, muitos se perderiam, o mais importante era saber do Cálice dos Deuses, como informara Mustang, ainda na nau de Jack.

*Greed'son caminha ante a ameaça e apanha a cabeça de Esuna, de seu corpo destruído.*

"Era um excelente plano, embora eu mesmo tivesse feito melhor. O doppelganger havia aguentado mais tempo do que esperaria, e pode causar confusão entre os membros, o grupo dividido em si." _ refletiu.

Mas, o que realmente trazia Greed'son era a afronta de ter seus planos roubados.

"Pelo menos o Cavaleiro teve o seu teste, infelizmente terei de fazer outro agora." _ pensou ante o triunfo e também o desperdício de seu trabalho.

*Greed'son leva de volta o que sobrou de Esuna, ponderando se daria tempo de mandar um lacaio resgatar os restos do inimigo para sua mais nova criação.*

"A batalha já esta decidida, sem o Cavaleiro o impostor não tem chances contra o poder reunido aqui. Mas nos perdemos se não pudermos levar o cálice conosco." _ pensou consigo.

(Off: Lembrei de pegar a coitada da Esuna. Só falta o Thalus.)



* Elizabeth esta sentia a dor de seus ossos e ainda sim procurava força para lutar contra o que estava acontecendo e de repente se nos braços de Donova e ao ver seus olhos ela diz:*

-—Donovan... Você é...

*Elizabeth fica realmente sem palavras quando vê aquilo nos olhos do Jack e diz depois de um curto tempo e diz:*

—Sim eu estou bem... Obrigado Donovan...

*Elizabeth se sente ser carregada por Elizabeth e diz:*

—Me solte Hellena, eu tenho que Lutar... Uma serva de Keen nunca deve fugir eu tenho que lutar...
vá ajudar as pessoas a fugir eu tenho que proteger O roy e garantir a saída das pessoas daqui...  Ande Hellena me ponha no chão...

*Elizabeth usa uma cura para restabelecer suas forças e voltara atacar a Locomotiva*


— Está bem, pai, mas não é uma fuga. Essa luta não é o problema, o problema é essa tempestade. A Caçadora, o Vendar e o Dornelles estão confiantes de vencer, mas nós temos que sair daqui logo.

*cochichando* - Além disso, eu queria era te tirar dos braços daquele metido a besta que fingiu ser a mamãe!



Aeron logo entra em foco diante do que está acontecendo, partindo para ajudar a combater os inimigos enquanto os sobreviventes são retirados do local.

(OFF: Não tá muito claro quem o povo tá enfrentando, ainda mais que o Necro apagou o post dele que explicava tudo...)



A ARMADURA EXPLODE... Não uma explosão de chamas e fogo, mas uma erupção de um mar de juntas e ligamentos de matéria vermelha. Numa forma de pesadelo, o corpo e armadura viram-se do avesso e uma locomotiva de insanidade e matéria rubra surge correndo sobre sangue escarlate contra todos em seu caminho.

(OFF: Ignore, simplesmente não aconteceu, a luta começa agora, faça seus melhores ataques, e a cidadela está começando a ser sitiada por hordas lefeus.)



Ao ver a situação piorando, com lefeus surgindo de todos os cantos e a dragoa indo embora abandonando toda a cidade à própria sorte, Dornelles abandona o ataque à locomotiva lefeu. A prioridade seria sempre salvar os inocentes.

—Siga em frente, Caçadora, vou cuidar das pessoas deixadas pra trás.

Pulando das costas de Volg e aterrissando com uma cambalhota, ele roga à Mãe da Palavra que empreste a ele seus poderes por um instante, pra evitar que alguns milhares de portadores do conhecimento das montanhas perecesse de forma brutal.

Entoando o idioma celestial antigo, ele começa a recitar: -Mestra do Conhecimento, em uma hora de necessidade o seu servo roga por auxílio. Intercede por todos os presentes, que enfrentam a morte certa. Roga por uma chance de fuga, pra que vivam hoje e possam continuar a aprender com a vida. Pede pra que os inocentes sejam salvos e levados a um local seguro, pra que os que os defendem possam destruir os inimigos que os ameaçam.

Ouvindo seu pedido, Tanna-Toh concede o Milagre pretendido: das árvores começam a sair fios de luz que envolvem os cidadãos abandonados por Tintaglia, teleportando todo os milhares de inocentes pro lugar mais seguro que Dornelles poderia pensar: o enorme bosque de treinamento dos Druidas do Conhecimento, que fica em um lugar secreto, só conhecido por quem é escolhido pra treinar lá. Seus discípulos cuidariam dos inocentes até que o próprio Dornelles voltasse ao bosque pra transportar todos de volta pra cidade. Isto é, se ainda sobrasse alguma cidade no fim da batalha. Seria um desafio e uma lição pros seus aprendizes, cuidar de tanta gente.

Assim que o último cidadão foi levado pra longe da batalha, Dornelles grita pro resto do grupo e pros Libertadores:

—Levei os inocentes pra um lugar seguro, vamos logo encerrar isso aqui, antes que fuja ainda mais ao controle!




Tudo era confuso em Giluk. Nada fazia mais sentido. O Terror e a Loucura caminhavam de mãos dadas nessa cidade. Criaturas bizarras apareciam em vários cantos. No alto de uma casa, um homenzinho observava alegremente toda aquela Loucura que acontecia lá.

http://img107.imageshack.us/img107/2922/semttulo2psd2qw.jpg" alt="" />


Enquanto isso, os habitantes estavam aterrorizados. Não sabiam para onde iam. Viam hordas Lefeu vindo de todos os lados da cidade e dentro das muralhas a coisa estava pior. Os Libertadores de Valkaria começaram a lutar contra vários Kayredrann que cuspiam Tormenta na cidade enquanto Masamune Date transforma-se em um gigantesco dragão e levanta voo, indo atrás da Locomotiva da Tormenta.





A batalha começava a ser decidida, com os Libertadores de Valkaria e o grupo segurando tudo o que Lefeu jogava para cima deles. O Impostor do Greed’son fora morto pelo ataque monstruoso de Vendar e pouco pode fazer para se defender. A maior parte da população já havia sido colocada no Explorador, e Tintaglia e Masamune sobrevoavam o céu causando estragos nas linhas Lefeu com seus Sopros. A batalha estava ganha. Mustang deixara escapar um sorriso. Greed’son aproveitara a vitória certa para recolher os restos de ESUNA. A Caçadora retalhava tudo o que lançavam para ela e Aeron não deixava por menos. Parecia que ambos estavam disputando quem mataria mais. Elizabeth batia de um lado a outro com fúria, enquanto evocava as gargalhadas por Keen. Dornelles orava a Tanna-Toh para que ajudasse na saída da população, e num único surto de poder, a Deusa enviara quase 100 pessoas para longe do perigo.

A vitória estava certa...

Estava...

Num momento, o tempo parou. Os sopros dos dragões travaram no ar. Golpes de espada mostravam os arcos dos golpes no ar. Flechas pararam, parecendo estarem em suas aljavas. Tiros que ecoavam mostraram as pequenas bolas de ferro flutuando. Nesse momento agoniante que parecia durar uma eternidade, todos puderam perceber, várias vezes, que não poderiam fazer nada contra o que aconteceria ali.





Aharadak, o Devorador chegara.

Chegara para mostrar o quanto inferior todos ali presentes eram. Chegara para mostrar o quanto o Deus Menor da Tormenta era implacável. Para mostrar que acabara. Tudo ali seria Lefeu. E não havia nada que ninguém pudesse fazer.

Jack, que entrara no constructo que o Explorador deixara lá, avançava impassível em direção ao Lorde, junto com a sempre fiel ESUNA. Os Libertadores seguiram o louco que atacava o Lorde.

Quando o grupo foi ajudar, quatro pessoas (Se é que poderia seres corrompidos de pessoas) vieram na direção. Um humano (ou o que deveria ser), duas elfas e um goblin (que estava mais horrendo). Todos traziam vários simbiontes pelo corpo e seus olhos eram pura maldade. Um pouco depois de verem os horrores das deformidades dos corpos dos inimigos, puderam identificar seus rostos.

—Os Destruidores de Arsenal -- Dissera Eelai em prantos -- Minha única família.

— Nos deem tempo de retirar todo mundo daqui. Nós continuaremos a retirar a população. Infelizmente não conseguiremos lutar contra nossos companheiros -- Grita Camilla.

—Antigamente você não tinha medo de nada, Camilla -- Fala um elfo que chegara.

— Você está atrasado!!! -- Grita Camilla ao recém chegado.

—Não são todos que podem fazer isso! -- Grita Camilla.




Rolador de dados utilizado = http://www.wizards.com/dnd/dice/dice.htm

Iniciativas escreveu: Vendar +26 = Rolagem (1d20) + 26: 7, +26 = 33
Greed ’son +33 = Rolagem (1d20) + 33: 15, + 33 = 48
Elizabeth +25 = Rolagem (1d20) + 25: 17, +25 = 42
Mustang +27 = Rolagem (1d20) + 27: 12, +27 = 39
Aeron +36 = Rolagem (1d20) +36: 16,+36 = 52
Magda +41 = Rolagem (1d20) +41: 15,+41 = 56
Dornelles +28 = Rolagem (1d20) + 28: 16,+28 = 44
Hellena +28 = Rolagem (1d20) + 28: 5,+28 = 33
Elfa 1 +15 = Rolagem (1d20) +15: 18,+15 = 33
Elfa 2 +14 = Rolagem (1d20) +14: 9,+15 = 23
Humano +27 = Rolagem (1d20) +27: 12,+27 = 39
Goblin +32 = Rolagem (1d20) +32: 19,+32 = 51

Ordem: Magda, Aeron, Goblin, Greed’son, Dornelles, Elizabeth, Mustang, Humano, Vendar, Hellena, Elfa 1, Elfa 2.

[OFF: Bom pessoal, Agora vai... Preparem suas listas de magias (quem precisar) PARA A PRÓXIMA POSTAGEM QUE FIZEREM ou terão AUTOMÁTICAMENTE um valor de 0 PM. Windstorm, veja o Artefato do Vendar que eu havia combinado com você. Quem tiver Liderança sem ficha, não vou considerar no combate. No momento é isso.]




DORNELLES:
Magias preparadas pro dia(já descontando o Milagre usado pra remover os inocentes):


Lista de Magias escreveu:9: Cura Completa em Massa, Milagre(já usado) = 18 pms

8: Tempestade de Fogo(com Energia da Tormenta) x2, Escudo da Ordem = 28 pms

6: Dissipar Magia Maior, Caminhar no Vento = 12 pms

4: 3 Anular Insanidade, 2 Curar Insanidade = 20 pms

total: 78 pms, exatamente.


Off: o talento Energia da Tormenta diz que ocupa uma magia 2 níveis acima, então considerei que a magia preparada consome 2 pms a mais. Se estiverem ignorando essa regra, avisem, que eu adiciono outras coisas com esses 4 pms presos no Energia da Tormenta.

E só pra confirmar: eu salvei 100 pessoas com um Milagre? Não tá faltando um zero no fim do número não?  

Ademais, estou pronto.





Vendar toma a frente Ele via o quanto era insignificante perante o lorde, mas isso não o abala. Ele havia se preparado para isso por toda a sua vida e estava pronto para morrer se fosse preciso. Ele também vê os heróis corrompidos a sua frente. Ele não deixa de ter empatia por eles. A diferença entre os inimigos e ele próprio era muito pequena. Ele levanta sua espada e fala.

— Está na hora. Vamos dar tudo de nós.

Vendar para por um segundo e subitamente o tempo novamente se distorce perto dele. A própria realidade rangia ao ser manipulada pelo desafiador. E ele avança.

— O mínimo que posso fazer por vocês é terminar tudo o mais rápido possível. Adeus. Sempre nos lembraremos dos heróis que vocês foram.



( Off: Vendar usa novamente velocidade (mas guarda alguns turnos para poder usar no Aharadak) e ele gasta um uso de percepção temporal. Ele agora está adicionando a sua sabedoria no acerto, Ca e testes de reflexos. CA 52, reflexos +22, Espada táurica de aço rubi anti monstros +41/+41/+41 (4d8+2d6+52+ 1 de const / 19-20))





Sem esperar mais, a Caçadora parte com tudo para um dos inimigos, numa investida:

Ataque +45, dano: 1d6+36+7d6+11d8. Decisivo 18-20, em caso de decisivo o dano total é 2d6+72+7d6+11d8+1d10. Arma de Aço-Rubi, ignora qualquer RD. Todo dano causado é Não-Letal.

Observação: Contra eles tenho CA 64 (62 pela investida), RD 10, Resistência a Energia 30 contra qualquer energia. E se o lugar virou uma Área de Tormenta eu ganho Sentido Sísmico de 15 metros. Afinidade com a Tormenta e os poderes da armadura garantem que meu desempenho não diminuiu.

--> Se o resultado da jogada de ataque for menor que 8 no dado, uso meu Ponto de Ação extra do Desafiador da Tormenta para ganhar +1d12 no teste.

--> Se a coisa ainda estiver viva depois do primeiro ataque, uso Surto Heroico para mais um ataque. Se não, Surto Heroico para o próximo alvo.

--> Se esse segundo ataque for menor que 8 no dado, uso um Ponto de Ação (se tiver usado no anterior o do Desafiador, vai o normal agora) para +1d12 no teste.

--> Se eu ainda tiver Pontos de Ação, gasto um (prioridade para o de Desafiador) para fazer um terceiro ataque, no mesmo ou no próximo alvo.

--> Se o terceiro ataque for menor que 8 no dado, e ainda tiver um Ponto de Ação, gasto ele para +1d12 no teste (prioridade para o de Desafiador).

--> Sim, todos os ataques são iguais.

--> Ordem dos alvos: 1° Goblin, 2° Humano, 3° Elfa 1. Passa para o próximo quando um cai.





Dornelles, vendo as investidas, protege a mente de Vendar com uma prece rápida, pra impedir que a Tormenta começasse a corromper a mente dele. Sabia que quanto mais poderoso o lefeu, mais ele destruía a mente quem o olhasse. E, com um Lorde na área, o estrago seria enorme. Proteger todos consumiria a maior parte do seu poder mágico, então ele seria obrigado a deixar alguém de fora. Aeron, por ser o mais próximo dos demônios, e por isso correr mais riscos, seria o primeiro. Dependendo de como a batalha fosse, veria seus outros alvos da magia.

Off: Anular Insanidade, pode ser usada mesmo fora da minha ação, e conta como ação livre, como uma magia acelerada. Se puder usar outra vez, mesmo fora da minha ação, uso na Caçadora. A terceira preparada vejo pra quem vai mais tarde.

No meu turno uso outras magias.







—Não pretendia matar heróis por aqui, mas se esse foi o caminho que escolheram, então não há outra escolha...

Aeron pega sua katana, e com velocidade parte em direção ao inimigo, atacando com velocidade e força, esperando acabar com a batalha o quanto antes...


OFF:
Primeiro, uso sem mente (teste de vontade, minha VON=22) para aumentar cada um dos meus ataques.

tabela:
20 a 24 (+2d6)
25 a 29 (+3d6)
30 a 34 (+4d6)
35 ou mais (+5d6)

Então, uso as manobras chi 'dano pelo chi' e 'infusão de poder', e ataco o Goblin (ou quem estiver mais proximo, caso não possa atacá-lo). por fim, uso grito de Kiai, que me dá +2 em ataque e dano.

Lembrando que eu tenho Desafiador da Tormenta, o que me dá +2 em ataque e CA, e com o PA desse talento eu compro mais uma ação padrão, atacando novamente.

Ataques: +54/+54/+54/+54/+54/+54 (dano: 68+xd6, crit.17-20 x3; Alcance 9m)
Se estiver a menos de 9 metros do inimigo, então eu não me movimento e uso essa ação para usar golpe de execução +58 (dano: 78+xd6, crit.16-20 x4; Alcance 9m)

Se o inimigo for derrotado antes de levar todos os 6 ataques eu uso trespassar para tentar atacar o próximo inimigo (o que estiver mais próximo, ou se todos estiverem iguais no humano) e uso os ataques restantes no mesmo inimigo.







(Off: "True" Greed Erudito 12/19 e Mestre Armeiro 10, nova técnica científica: VENENOS.)


Muito a frente de seus pares, após ter recuperado a Manopla dos Planos e o escudo Arte da Guerra, Greed'son avançava num de seus horrores metropolitenses por sobre os servos do Devorador.

O Lorde inspirava o medo, muito bem protegido atrás de seus lacaios, mas Greed não estava interessado em nada disso, mesmo diante da grande ameaça. Ele sabia que o alienígena assim desejasse poderia matá-los apenas com sua presença aterradora, deixando que apenas vislumbrassem a real extensão de seu ser... algo impossível para a mente artoniana conceber, exceto para ele.

Ciente da capacidade dos demais, o erudito investe para medir até onde Aharadak estava disposto a levar aquilo, fosse pelo Cálice ou o tomo, ele tinha de saber.

*Ordena ao construto um ataque de carga contra o deus.*

(Off1: Desafiador da Realidade Aberrante _ Fort+19/Ref+24/Von+20, CA53+Arte da Guerra_escudo pesado de matéria vermelha implementado x2, Amigável, Acessibilidade V _ escudo do portal. Ousadia _ atacando sozinho o Lorde.)



Construto de Metropólis (monstro IX): Construto 20; N; Descomunal, dels. 18m, voo 36M; 160; CA26; pancada+25 (3d6+23); Fort+10, Ref+10, Von+10; For37, Des11, Con-, Int-, Sab11, Car10. Perícia: Iniciativa+11; Talento: Foco em Arma (pancada). TEMPO: Conhecimento Erudito _ Concentração+22nível+9int = 31-1rodadas.




*Aproveitando a distração do ataque, ele dispara seu canhão de mithral.*

(Off2: Saque Rápido+É assim que se faz_canhão de mithral implementado +65/+65/+65, dano: 10d8+12nível+4asd, Explosivo CD29, 19-20/x3, Esmagamento/matéria-vermelha cada.)

*Com a arma vazia, ele atira-lhe uma granada especial.*

(OFF3: Queima 1 ponto de ação e atacar e usa É Assim que se Faz com uma granada de Nimb de matéria vermelha obra prima implementada+66, dano: 12d8 +12nível +2granadeiro +4asd, perfuração, Explosão, 3m.)

(Off4: Caso o Lorde use seu ataque de morte e Greed falhar no teste, ele ainda tem Duro de Matar. Se ainda assim o Lorde atacar novamente, gasto um o ponto ganho por Ousadia para recuperar o uso de Duro de Matar. Aliás, pode mesmo gastar-se pra recuperar o uso de uma habilidade ou talento, não?  )





—Por Keen!

Hellena parte para cima, tentando flanquear os inimigos.

Rajada +35/+35/+35/+35, dano: 2d6+28 (+6d6 se conseguir flanquear).




Dornelles não gritava por sua divindade. Sabia que ajuda a extravasar a adrenalina, mas não era o seu estilo berrar a cada luta em que houvesse risco de morte.

—Volg, acompanhe-a. Ajude nos ataques, mas não se afaste muito. Não adianta morder a cabeça ou pescoço, eles não morrem só com isso.

Com um rosnado e um uivo, Volg sai correndo ao lado de Hellena, atacando os mesmos inimigos.

Concentrando-se, Dornelles começa a conjurar uma magia pra acertar o maior número possível de demônios da Tormenta. Terminando sua prece e os seus cálculos de onde mirá-la, fogo começa a cair dos céus, mesclado à energia rubra alienígena. Uma grande área começa a sofrer danos, mas longe dos membros do grupo, pra não pegar ninguém no dano colateral da magia, focando o estrago nos corrompidos mais poderosos, mas sem atingir Vendar, Aeron e os outros.

Sua segunda magia era uma defesa pros combatentes. Uma proteção que também dificultava a movimentação de servos do caos. Pedindo a Tanna-Toh proteção para Vendar, Aeron, Hellena, Caçadora e Greed'son, ele banha os cinco em luz prateada.

Off: Volg ajudando Hellena a flanquear, atacando junto, Mordida +14(+16 com o flanquear), dano de 1d8+ 8 + 1d6 de frio, e uma Tempestade de Fogo com Energia da Tormenta mirada nos inimigos, mas sem atingir ninguém do grupo. 16d6 de Dano em todo mundo em um cubo de 30m de lado.

Gastando um ponto de ação, Escudo da Ordem nos cinco escolhidos, +4 na CA, testes de resistência, imunidade a possessão e dominação, e todos os alvos caóticos que atacarem têm que fazer um teste de fortitude pra evitar ficar sob o efeito de Lentidão durante um minuto.






1º- Mísseis mágicos,Identificação,Suportar elementos,Compreender idiomas,Ataque certeiro,Armadura arcana,Escudo arcano.

2º- Crãnio Voador de Vladislav, Mão Espectral

3º- Velocidade, Voo, Relãmpago,

4º- Erupção de Aleph, Tempestade Glacial,

5º- Cone Glacial, Teletransporte, Proteção contra a Tormenta em Massa, Proteção das Armas em Massa,Fuga da tormeta.

6º- Círculo da MOrte, Corrente de Relâmpagos, Desintegrar, Visão da Verdade,

7º- Bola de Fogo Controlável, Teletransporte Maior, Reverter Magia

8º- Mata Dragão, Raio Polar,

9º- Desejo, Disjunção, 2 Parar o Tempo,2 Desejos acelerados,
*Mustang se supreende coma situação e ve que o momento de agir era AGORA e ele iria agir da forma mais sensata*

—Arton não vai perder mais Nenhum Heroi para Lefeu Ou eu não me chamo Roy Mustang

"Vi mystica praecepta mea me virtus quaero nunc ....
Accipite haec heroes qui quondam subvertit praebiti meo LAB et incarcerare ad vitandum causando ultra inferentes eis vel quis alius, donec isto mundatis illos penitus a corruptione"

(Forças misticas que obedecem meus comandos, eu EXIJO que me deem sua força agora....
Levem estes herois que uma vez derrubaram arsenal, para meu laboratorio e os aprisione de forma que não possam causar mais nenhum mal a eles ou a ninguem mais, até que eu possa limpa-los da corrupção totalmente)

*Desejo acelerado*


*Depois dos aventureiros contidos mustang diz*

—Vamos dar o fora daqui, vamos evacuar a população AGORA...
Eles precisam e nós...


*Os comandados de mustang ja estavam ajudando a populção junto Hawkeye sem demora antes mesmo destas palavras e agora mustang usava um teleporte maior para levar os que ja foram reunidos pelos seus comandados*

—Ducis arcana tuto vires Portus praecipio

(Que as energias misticas que eu comando levem vocês em segurança para o abrigo seguro)







1º-

2º- Curar Ferimentos Moderados, Força do Touro.

3º- Soco do Arsenal, Curar Ferimentos Graves, Curar Insanidade

4º- Colera da Ordem, Movimento Livre, Restauração

5º- Viagem Planar, Força dos Justos, Coluna de Chamas (x2), Curar Ferimentos leves em Massa

6º- Barreira de Lâminas, Cura Completa, Palavra de Recordação Acelerada

7º- Regeneração, Curar Ferimentos graves em Massa

8º- Escudo da Ordem, Tempestade de Fogo, Curar Ferimentos Críticos em Massa Maximizado e Potencializado

9º- Milagre, Cura Completa em Massa Acelerada e Potencializada, Invocar Monstro XI, Milagre acelerado

*Elizabeth via seus companheiros ali e não queria lutar contra eles mas não havia outro jeito*


—KENN DE ESSES GUERREIROS A DESNVOLTURA EM BATALHA


*mOVIMENTAÇÃO LIVRE*


*Ativar a habilidade da armadura do massacre*






Rolador de dados utilizado = http://www.wizards.com/dnd/dice/dice.htm

Iniciativas escreveu: Vendar +26 = Rolagem (1d20) + 26: 7, +26 = 33
Greed ’son +33 = Rolagem (1d20) + 33: 15, + 33 = 48
Elizabeth +25 = Rolagem (1d20) + 25: 17, +25 = 42
Mustang +27 = Rolagem (1d20) + 27: 12, +27 = 39
Aeron +36 = Rolagem (1d20) +36: 16,+36 = 52
Magda +41 = Rolagem (1d20) +41: 15,+41 = 56
Dornelles +28 = Rolagem (1d20) + 28: 16,+28 = 44
Hellena +28 = Rolagem (1d20) + 28: 5,+28 = 33
Elfa 1 +15 = Rolagem (1d20) +15: 18,+15 = 33
Elfa 2 +14 = Rolagem (1d20) +14: 9,+15 = 23
Humano +27 = Rolagem (1d20) +27: 12,+27 = 39
Goblin +32 = Rolagem (1d20) +32: 19,+32 = 51

Ordem: Magda, Aeron, Goblin, Greed’son, Dornelles, Elizabeth, Mustang, Humano, Vendar, Hellena, Elfa 1, Elfa 2.

Magda escreveu: Ataca o Goblin +45 - Rola(1d20)+45: 5,+45 – Total = 50.
Goblin escreveu: Aparar +45 - Rola(1d20)+45: 9,+45 – Total = 54.

A Caçadora lança-se em direção aos que antes foram heróis. O Goblin, prostrou-se na frente do ataque e quando a Caçadora já quase podia sentir a lâmina trespassando a pequena e horrenda criatura, duas lâminas feitas de ossos recobertos por Matéria Vermelha saem do corpo da criatura e aparam o ataque, absorvendo todo o impacto.



Aeron escreveu:
Testa Vontade +22 - Rola(1d20)+22: 5,+22 – Total = 27 - +3d6 no dano.

Ataca o Goblin = +54/+54/+54/+54/+54/+54
Rola(1d20)+54: 17,+54 – Total = 71 (Acertou) – Dano 6d8+3d6+34 = Rola(6d8+3d6): 6,7,2,3,1,1,5,6,6, - Total = 37+34
Rola(1d20)+54: 15,+54 – Total = 69 (Acertou) – Dano 6d8+3d6+34 = Rola(6d8+3d6): 7,6,4,2,1,6, 6,6,2, - Total = 40+34
Rola(1d20)+54: 07,+54 – Total = 61 (Acertou) – Dano 6d8+3d6+34 = Rola(6d8+3d6): 3,3,6,8,7,7,1,2,4 - Total = 41+34
Rola(1d20)+54: 15,+54 – Total = 69 (Acertou) – Dano 6d8+3d6+34 = Rola(6d8+3d6): 8,4,2,6,8,7,6,2,5 - Total = 48+34
Rola(1d20)+54: 18,+54 – Total = 72 (Acertou) – Dano 6d8+3d6+34 = Rola(6d8+3d6): 4,8,7,1,1,2,3,2,6 - Total = 34+34
Rola(1d20)+54: 07,+54 – Total = 61 (Acertou) – Dano 6d8+3d6+34 = Rola(6d8+3d6): 7,6,2,3,2,6,4,6,4, - Total = 40+34
Dano Total = 444

Aproveitando a brecha causada pela Caçadora, Aeron avança em velocidade espantosa para o seu Oficio, Matar. Em um movimento que pareceu ser um único golpe, o Executor retalha seu alvo. O Goblin parece que nem sentiu a dor enquanto seu corpo se partia em várias partes minúsculas.




Dornelles escreveu: Usa Tempestade de Fogo = Rola(16d6)+11: 6,2,2,4,4,5,1,6,2,4,4,5,5,3,6,6,+11 – Total = 76
Chamas caem do céu, enviadas pela Deusa do Conhecimento, mas os inimigos pareceram não notar os danos causados pela Tempestade. Em seguida, rapidamente uma luz prateada recobre os corpos dos Desafiadores.



Elizabeth escreveu: Usa Movimentação Livre
Com sua reza a Keen, um tipo de óleo surge ao redor dos Desafiadores, um óleo mágico que faz com que possam sempre se mexerem.



Mustang escreveu: Usa Desejo para simular Teletransporte: Humano testa Vontade +15 (CD 31) - Rola(1d20)+15: 5,+15 - Total:20 (FALHOU); Elfa 1 testa Vontade +22 (CD 31) – Rola(1d20)+22: 7,+22 - Total:29 (FALHOU); Elfa 2 testa Vontade +25(CD 31) - Rola(1d20)+25: 5,+25 - Total:30 (FALHOU)
Moldando as energias arcanas a sua vontade, Mustang cria molda o gelo para criar cristais em torno dos Destruidores do Arsenal e os faz desaparecer para seu laboratório.




GREEDSON:

Testa Vontade +20 contra Terror Absoluto (CD 51) - Roll(1d20)+20: 16,+20 - Total:36 (FALHOU)

Area de Tormenta escreveu: Terror Absoluto: Aharadak é envolto por uma aura de medo que se estende por um raio de 30m. A cada rodada, qualquer criatura dentro da aura sofre ld4 pontos de dano temporário de Sabedoria, e deve realizar um teste de resistência de Vontade (CD 51 ). Uma criatura que fracasse em seu teste de resistência ficará apavorada por 2d4 rodadas, enquanto que Lima criatura que fracasse por 10 ou mais cairá morta, sua mente incapaz de aguentar tanto pavor. Mesmo criaturas normalmente imunes a medo são suscetíveis à Aura de Aharadak; no entanto, recebem +8 de bônus em seu teste de resistência. Aharadak pode ativar ou desativar sua aura como uma ação livre.
Greed'son avança em direção ao Lorde, convicto de que seus anos de preparo o deixariam pronto para aquele momento...

Mas nem mesmo ELE havia imaginado a real extensão do poder de Aharadak, O Devorador. Num misero instante quando o Erudito avançava em direção de seu inimigo, ele conseguiu ver a real forma da criatura. Era tão diferente de tudo que sua mente havia imaginado. Greed'son ficou por anos e anos tentando compreender o que exatamente era aquilo. Cada vez que encontrara respostas, viam com mais várias perguntas. E assim ele ia, perguntando e perguntando, enquanto as respostas viam e viam.

E ficara assim para sempre.



----------



Quando Mustang envia os Destruidores de Arsenal ao seu laboratório, o grupo pode ver a real extensão do desastre que estava acontecendo. Os Libertadores e o Jack atacavam o Lorde, que não parecia percebê-los e Greed'son jazia morto na neve próximo aonde o combate acontecia.

Mas num instante, tudo mudou.

Gatzvalith, o Lorde de Trebuck, também chegara ao local. Com seu aterrador poder, todos lá viram que agora realmente a batalha estava perdida.

—Vamos fugir!!!-- Grita Lucian -- Acabou!!!

""E Acabou mesmo, Príncipe Libertador. Sua preciosa empreitada está arruinada. Trebuck agora pertence a Lefeu. Logo tudo pertencerá a Lefeu. ""


Com ódio no olhar, todos recuam ao Explorador. Foram completamente derrotados. Uma derrota humilhante, de quem não pode fazer nada para impedir.


Em segurança, Jack sai do Constructo com um certo olhar de ódio e de dever cumprido.

—Fase 1 completada. Iniciar fase 2 imediatamente! Senhores, todos foram perfeitos. Mas não há tempo a perder. Temos muito o que fazer.[/quote][/quote][/quote]

_________________
"Força Bruta: se não funcionou, é porque você não usou o bastante"
-Um sábio...
avatar
Tahlus
Mentor
Mentor

Mensagens : 102
Data de inscrição : 14/11/2013
Idade : 27

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Última Libertação - 1ª Fase

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum