Operação Retorno (IN GAME)

Página 1 de 7 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Operação Retorno (IN GAME)

Mensagem por Mamorra em Sab 16 Nov 2013 - 22:52

Semanas passaram numa viajem através dos mundos. Do lado de fora, só dava para ver luz passando em velocidade absurda. Mas a vida na nave era até que interessante. Havia salas de jogos, locais de ginástica, bibliotecas, stands de tiro. Era uma verdadeira cidade de metal. Cada dia parecia passar mais calmo ante a tensão que existia durante as viagens em Arton.
 
Eles agora estavam voltando para casa.
 
Certa noite, ESUNA 348 chamou todos nos seus quartos. Um alto-falante os ordenou irem a ponte. Era lindo observar aquilo da ponte.
 
 
-- Atualmente estamos na sua Lua. -- Diz ESUNA 348 -- O ano é 2019. Não mudou muita coisa desde que saíram, apenas que o Oriente Médio está em guerra. Os Estados-Unidos estão querendo se meter, mas depois das infrutíferas investidas ao Afeganistão, Iraque e Coreia do Norte, o povo simplesmente não apoia a participação em mais uma guerra... Outra coisa. Todos vocês estão “Oficialmente Mortos.” Isso vai dificultar suas intensões, então peço que se apressem. Eu os deixarei no Alaska, onde há espaço suficiente para que o Explorador não seja visto. Alguma dúvida?
 
O major ouvia atentamente a explicação e ao final dela, comentou: 

- "Alaska, um bem distante do destino de algum de nós. Isso sem falar que é um território bem difícil e com um inverno que castiga muito. Teremos algum contato lá? Ponto de apoio? Transporte? Ou estaremos sobe nossa conta e risco e devemos fazer o necessário para completar a missão?"
 
---Eu conheço gente no Alaska, mas se pegarem qualquer um de vocês, vocês viram adubo, então não sei se vai ser útil. -- Diz Emilly puxando roupas apropriadas para frio da mochila.
 
 *Saeko olhou para terra impressionada.
 
---Não tem mesmo como arranjar um jeito de nos comunicarmos com o mundo civilizado?
 
Cassandra
 
 - Eu tenho amigos no Alaska que podem ajudar. Mas devo encontrá-los sozinha. No máximo Sarah pode vir comigo. Sinto que eles sejam desconfiados demais para que seja seguro levar mesmo outros Parentes para lá sem aviso.
 
 - Com alguma sorte, poderemos conseguir transporte para alguma grande cidade, ou até uma passagem por uma Ponte da Lua.
 
 
Melody
 
Fiorentino estava melancólica, pensando em todas as coisas que aconteceram desde a bomba, quando apenas seu emprego como agente da CIA havia restado. Agora estava dada como morta, e tinha um pedido de casamento e uma filha perdida esperando em um mundo distante, tão diferente da Terra. Ao menos da Terra de hoje.
 
Sua filha agora era um mistério. Difícil saber se era mais difícil passar por tantas transformações sendo uma adolescente ou sendo a MÃE de uma adolescente. E lobisomem, ainda por cima. Sarah quase não passava tempo com ela, e quando passava era estranho. Como Kate estaria agora? Foi uma felicidade imensa saber que as meninas estavam bem, e por um momento Melody achara que voltaria a ter suas filhas como antes, mas a realidade era que o passado nunca voltaria. Tudo o que aconteceu mudou muito as coisas, e mudou suas meninas.
 
Assim, Melody ouvia a tudo sem esboçar muita reação. Ela olhou quando Cassandra falou em levar Sarah, mas isso foi tudo. Sua filinha era um deles agora. Ela podia se virar muito bem. Não precisava mais da mãe, que tentando proteger só fez esse momento se tornar ainda mais difícil. Talvez pudesse concertar as coisas com Kate, pelo menos. Talvez nem isso.
 
 
Sarah
 
A viagem era simbólica de muitas formas para a menina, embora ela não notasse isso então. Seu corpo estava mudando de muitas maneiras nos últimos tempos. Experiências e sensações novas. As coisas eram confusas, e muitas vezes ela se sentia perdida. Como humana, estava em transição entre criança e adulta. Como Garou, transitava entre Matéria e Espírito, civilização e selvageria. Como terráquea se via nessa transição entre mundos que logo se repetiria, abandonando toda uma vida de possibilidades infinitas por outras completamente diferentes.
 
Emilly fora a pessoa com quem Sarah mais andou durante a viagem, para desespero da mãe. A Tecnocrata lhe dava para comer todas as porcarias que sua mãe não permitiria, e era uma confidente. Alguém com quem ela se sentia confortável para conversar. Fora isso, a menina passava muito tempo andando pela nave e conhecendo coisas e pessoas, embora se sentisse deslocada em meio a tantos adultos. Claro que isso não impediu que ela se entediasse rapidamente no tempo longo que a viagem durou.
 
Cassandra também conversou com ela algumas vezes, mas Sarah não se sentia ainda muito à vontade com ela. A Profeta-de-Sangue era paciente e lhe dava seu tempo para se acostumar, mas acabaram não tendo muitas conversas durante a viagem. Só quase no fim elas tiveram um tempo maior para que Cassandra a ensinasse algumas coisas sobre o mundo que encontraria e seu papel nele. Foi uma longa conversa, que suscitou mais perguntas novas que respostas, mas essas perguntas teriam de esperar.
 
Quando Cassandra fez menção a levá-la consigo, Sarah engoliu seco. Era pouco para alguns ali, mas para ela isso seria uma coisa monumental. Encontrar outros como ela pela primeira vez, além de Amanda. Encontrar a sociedade de que lhe falaram e se apresentar, pela primeira vez, como um deles.
 
- C-claro que eu vou. Sim, sim, eu vou, senhorita Cassandra. Por favor. E-eu p-preciso ir.
 
Para Sandra a viagem de Arton para Terra foi tranquila, mas entediante. Ela gostou muito da nave e todas as suas comodidades, na qual usou muito as áreas de treino. Contudo todo aquele ambiente tecnológico era incomodo, ela sentia falta de esta em contato com a natureza e esperava ansiosamente chegar na Terra.
 
Para se animar ela tentou se relacionar com as pessoas da nave, principalmente o pessoal da ONU. Mas é claro ela evitava que sua corrupção da Tormenta os assustassem, pois parecia que eles sofreram muito com os perigos que existem em Arton. Alem disso, ela queria ajudar-los a lidar com tudo que aconteceu, por que sabia como os perigos de Arton podiam abalar as pessoas.
 
Quando finalmente ESUNA 348 chegou na Terra ela sentiu aliviada, pois ela poderia pisar de novo em terra firme. Contudo quando soube que eles posariam no Alaska ela pensou como conseguiria chegar no Brasil. E quando escultava as sugestões de todos Sandra pensou se a sua corrupção poderia chamar atenção de alguns dos seres sobrenaturais da Terra, por isso ela perguntou a Cassandra:
 
--Cassandra. Uma pergunta. A corrupção da Tormenta em mim pode chamar atenção dos Lobisomens? Já que pelo eu entendi eles lutam contra essa Wyrm e talvez possam confundi estas coisas.
 
Assim, Sandra espera a resposta de Cassandra, com receio de como será a resposta.
 
Cassandra
 
- Mas não há confusão. Isso É uma manifestação da Wyrm. Mas eu também sou. Nem tudo que tem a marca da Wyrm é inimigo para os Lobisomens, e os amigos que encontrarei sabem disso, pois me conhecem.
 
 - Fique tranquila, em tempo vocês saberão mais, e não se preocupe que você não será tomada por inimigo. Apenas tome cuidado e não fique no caminho de ninguém. Eles são, de qualquer forma, irritadiços.
 
Sandra ficou mais aliviada e com um ar mais tranquilo na face ela diz:
 
--Valeu Cassandra! Vou ficar longe do caminho deles e espero que eles fiquem fora do meu também. -- E se dirigindo para os outros ela continua. --Bom pessoal. Então vamos indo?

_________________
avatar
Mamorra
Mentor
Mentor

Mensagens : 166
Data de inscrição : 14/11/2013
Idade : 31

Ver perfil do usuário http://orangovivo.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Operação Retorno (IN GAME)

Mensagem por Mamorra em Dom 17 Nov 2013 - 9:31

West 15th Avenue, Anchorage, Estados Unidos – Madrugada de nevoeiro.
 
Era madrugada quando aportaram num lago na cidade. Seria difícil acreditar que, mesmo que o lago fosse extremamente profundo, coubesse àquela gigantesca nave. Todos puderam ver, da Ponte, comportas abrindo no fundo do lago e o Explorador entrou, desaparecendo na neblina. Haviam duas casas bem parecidas, diferenciando apenas na pintura. ESUNA 348 apontou para a de cor cinza.
 
-- Aquela casa pertence ao mestre Jack. Há 4 carros, provisões para meses e 50 mil dólares para emergência. Senhorita Sandra Carone da Silva, coloque essas lentes para que não seja possível perceberem sua anomalia. Então sugiro que se apressem. Sei que planejaram muito e o tempo é curto.
 
Subiram um elevador que dava para dentro da belíssima e bem mobiliada casa. Parecia que, mesmo Jack morando em Arton, havia alguém para a limpeza. Dispensa cheia, energia funcionando perfeitamente, parecia que essa casa era nova.
 
E assim, estavam finalmente em casa. Bastava apenas decidir o que fazer...
 
“Tudo aquilo me surpreendia, tanta tecnologia e inteligência, e tanta informação que poderiam servir para o público comum melhorar suas vidas, o quê mais eles escondem?” Pensou Amanda.
 
Nunca havia estado antes na América do Norte, Alasca a única região do planeta onde ficava 30 dias a noite. Os Polos Norte e Sul não contavam, pois passa metade de um ano sem sol.
 
“Cassandra tem seus meios de sobreviver em Anchorage, e a Terra está com uma atmosfera esquisita, mas acho que é impressão minha, falta de costume de estar em casa deve ser isso.”
 
Diante de todo aquele requinte preferi não chamar atenção com admiração e nenhum comentário do tipo. Mas eu procurei um computador ou televisão para saber as notícias do mundo.
 
Saeko apenas olhou para todos.
 
-- Vamos dividir o dinheiro e nos separar. Eu vou para o Japão pegar minha família e amigos depois nós encontramos em algum lugar de melhor acesso a todos, mas teríamos que discutir que local é esse.
 
-- Vamos pegar quem nos interessa e nos encontramos em Nova York. De lá a saída será mais fácil, e a grande maioria de nós tem como chegar lá mais fácil. – Respondeu Emilly
 
-- A grande maioria ou você quiser vocês, americanas? Porque não algum país da América Central? Esses países menores são mais pernas abertas. Quer circular justamente pelos EUA? Eu não acho uma boa ideia. – Esbravejou Guerra
 
-- Eu escolhi os Estados unidos pelo fato dos seres sobrenaturais de lá serem mais fáceis de lidar em comparação da América central, simples, de resto eu e Mellody temos como fazer vocês entrarem no país sem problemas, assim que conseguirmos provar que estamos vivas. Mas se quiser se arriscar num país da América Central cheio de seres sobrenaturais malucos, boa sorte – Respondeu Emilly enquanto se preparava para sair e checava suas armas.
 
-- De acordo com seu plano original então. Quanto a mim, Amanda e Sandra, o melhor a fazer é fingir que estamos mortos. As Forças Armadas brasileiras não vão ficar muito felizes a alegres de nos ver, vão querer nos reter, interrogar e etc.
 
-- Fugir não me trará paz Major, essa "Arca de Nóe" pode servir para todos aqui, quem quiser zarpar esteja à vontade, mas desta luta eu não vou fugir. Não tenho mais família de sangue, mas tem muita gente que eu considero meus parentes, não apenas de Igreja, mas como das Forças Armadas, eu não posso fugir e não vou fugir dessa luta vou enfrentar o verdadeiro inimigo.
 
-- Para pra pensar nas baboseiras que você está dizendo. Eu não falei em fugir. Disse que se nos mostrarmos abertamente não cumpriremos a missão. E a missão aqui é recolher nos chegados, sejam eles amigos ou parentes e sair daqui em segurança. Ai sim pensar em um bom plano para lidar com essa situação. Mas se você quer ficar problema seu, mas não nos atrapalhe.
 
-- Vocês ainda não entenderam nada, não é? Stuart NÃO é um problema aqui. Não importa o que aquela coisa fez à Sandra, essa Tormenta é um problema de Arton, não da Terra. E o papel dela aqui, se chegar mesmo, será menor. Nosso mundo já está condenado a uma catástrofe descomunal, que virá em pouco tempo, e que nada tem haver com essa coisa. O Apocalipse VAI acontecer, gostemos ou não. Lutar contra sua vinda nesse momento é o mesmo que tentar impedir a chuva de cair usando um graveto e nenhuma magia. É um delírio de sua ignorância. O que a Terra pode fazer é lutar para sobreviver e prevalecer. E essa não é uma luta garantida. Mas é uma luta muito maior que nós. É uma luta de muitos, e JÁ tem muitos lutando ela. Agora deixem de arrogância, de achar que meia dúzia de viajantes, metade dos quais sequer conheciam essas coisas até meio ano atrás, podem mudar o rumo das coisas. Major Guerra, tem uma raça inteira de lobisomens metamorfos com poderes místicos, aliados sobrenaturais e missões espalhadas por todo o mundo trabalhando nisso. E eles são só uma parte do contingente. Há uma profecia antiga, mas poderosa, sobre esses acontecimentos. Um dos livros em que ela está escrita está aqui mesmo no Alaska, com os amigos de que falei. Eu a vi a mais de 50 anos, e ela já falava de todos aqui! Lá está a NOSSA missão nos eventos que virão. E o nosso papel É de preparar uma "Arca de Noé", se a expressão apraz. Arton pode ter problemas, mas tem uma chance de sobrevivência muito maior que a Terra. Se tudo o mais falhar, de lá nós poderemos recomeçar. Se as coisas derem certo, talvez um dia possamos voltar. Isso não tem NADA haver com essa Tormenta, e o fim de nosso mundo não traz o fim de Arton, embora traga o fim de alguns outros associados ao nosso, a Umbra Rasa. Não seremos os heróis da Terra. Seus heróis já foram definidos, e são muitos. Temos a missão de salvar o que pudermos. E de estar lá para guiar a reconstrução. TODOS nós. Amanda, pare de falar em ficar e morrer. Você não vai ficar. Eu sei que não acredita no saber do povo, que os seus reinterpretam nossas lendas pela ótica cristã. Mas você sabe o poder de nossas profecias. E a sua parte nisso também é importante. Se você ficar, vai perecer na guerra. Será uma morte honrosa, mas vã, sem frutos. Seu papel aqui não será importante. E sem você, a "colônia" em Arton perderá uma peça importante de seu futuro. Quero ir ter com os Wendigo que guardam o livro aqui no Alaska. Mostrarei a vocês a profecia. Depois disso podem fazer o que bem entenderem. Emilly, eu e Mellody te ajudaremos.
 
 - Sobre o lugar de partida, não será no Novo Mundo. O ponto mais adequado é um deserto recente na Índia. O local onde Ravnos foi morto pela Tecnocracia, Emilly deve lembrar onde é. Antes de ir eu passarei no Egito. É chegada a hora de recolher as relíquias de minha tribo, na terra que nos foi negada por milênios.
 
Sanosuke e sua esposa neste novo mundo estavam impressionados e surpresos. Como isso tudo podia existir? Que magia estranha era aquela? Era tudo um mistério, e após algum tempo calados avaliando a situação, Sanosuke finalmente se pronunciou. 


-- Bem, não sei como vou ajudar vocês nisso, mas quero ajudar no que puder e não sei Amanda-san se ficar aqui vai ajudar em algo, a senhorita deveria tentar salvar que puder e também se salvar, sinceramente não quero perder uma amiga para um mal deste novo Mundo.
 
-- Não confio muito nas tradições dos Garou, pois eles perdem tempo precioso mordendo uns aos outros e conheço uma parte da história antiga... Enfim, tenho minhas razões, mas minha resposta definitiva vai depender dos próximos eventos. Vou com você Cassandra, mas não garanto que vou embarcar de volta com os demais aqui.
 
-- Sanosuke, assim como você eu acredito que uma morte valorosa, mesmo diante de todas as circunstâncias aponte o contrário, você assim como eu acreditamos que alguém vai reconhecer nossa atitude.
 
-- Sobre este novo mundo, a magia praticamente não tem vez para onde olhar você verá apenas o fruto da capacidade humana, tanto para algo bom como para obras terríveis.
 
-E Cassandra os Wendigos vão te aceitar?
 
-- Uma morte valorosa é diferente de uma morte em vão. Meu povo acredita sim na morte com honra, mas isso não quer dizer que vamos morrer apenas por que não temos como resolver todos os problemas do mundo e deixar nossa história acabar. Existiram pessoas que precisaram de você, já pensou que seus companheiros de armas e congregação que forem salvos poderão precisar de uma guia no meu mundo, uma guia que conheçam e possam confiar?
 
-O número de pessoas que quero salvar são maiores do que o Cruzador que viemos, senhor Sanosuke. Não me refiro apenas a minha Congregação, falo das Forças Armadas e de pessoas que surtariam se soubessem que tipo de pessoa eu realmente sou. Por favor, não se ofenda. Sei que me entende. Na sua terra heróis "nascem em árvores", também assim como aqui. -- Um suspiro -- Mas Cassandra e você tem certa razão. Somente me resta uma alternativa por enquanto. Tenho que fazer minhas orações. – E Amanda se retirou para um local mais reservado na casa e ficou um tempo em oração, clamando pelo bem estar dos mundos.
 
- Sim, os Wendigo deste Caern já me conhecem. Fui eu que deixei o livro da profecia com eles. Como eu disse, são amigos.

_________________
avatar
Mamorra
Mentor
Mentor

Mensagens : 166
Data de inscrição : 14/11/2013
Idade : 31

Ver perfil do usuário http://orangovivo.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Operação Retorno (IN GAME)

Mensagem por Mamorra em Dom 17 Nov 2013 - 10:48

West 15th Avenue, Anchorage, Estados Unidos – Manhã.
 
ESUNA 348 observava curiosa a conversa. Achava-os criaturas fascinantes. Gostava de ver como eles se deixavam influenciar por alterações hormonais. Amor, ódio, alegria, tristeza, fúria...
 
-- Posso perguntar algo? Como pretendem viajar sem passaportes? Há um amigo do mestre Jack que mora a algumas milhas daqui. Aqui tem o endereço dele. Vamos. Deixe-me regular um disfarce e partiremos imediatamente.
 
Instantes depois, ESUNA 348 retorna do elevador completamente diferente.
 
 
-- Quem virá comigo?
 
- ESUNA, quais são os acontecimentos recentes na Terra? Qual foi a repercussão e o que ocorreu no Oriente Médio? Já investigaram? Algum boato de fogo amigo por parte dos brasileiros?
 
Saeko e Emilly seguiam em direção ao elevador e, ao ver Guerra parado, Saeko diz:
 
-- Você não vem, Guerra? Pode perguntar isso no Elevador
 
Um pouco perdido em pensamentos ele é acordado quando Saeko chama seu nome, então ele responde:
 
-- Sim, irei com vocês. – Diz ele então enquanto entrava no elevador.
 
-- Ah... Sim... Certo ESUNA, vamos lá. Só deixe-me trocar de roupa para esconder as minhas "carapaças”. -- Disse Sandra como se saísse de um transe.
 
Amanda, Cassandra e Sarah - Basher Drive / Campbell Airstrip Road, Anchorage, Estados Unidos – Manhã Ensolarada. 
 
Amanda e a Profetisa de Sangue saíram com a filhote em direção ao Caern onde tinha uns amigos Wendigos. A vampira passara a viagem dando instruções às outras duas.
Seguiram pelo caminho mais longo para que não fossem seguidos. Assim, um percurso que duraria pouco mais de 5 minutos, acabou demorando quase 20 até chegarem ao Far North Bicentennial Park. Estacionaram o carro no acostamento coberto de matos e seguiram a pé mata adentro.
 
 
-- Muito cuidado quando estivermos lá. Os Wendigo são servos leais de Gaia, mas também são, em sua maioria, amargurados com as perdas que sofreram nas mãos dos estrangeiros. Eles são índios guerreiros e vingativos, e servem um espírito antropófago do inverno. – Dissera durante a viagem.  - Os que nós vamos encontrar já me conhecem, e são aliados, mas ainda assim não é recomendável abusar de sua paciência. Quando eu os conheci, um Fianna falastrão quase gerou uma guerra por não conter a língua. Uma guerra. Então tomem cuidado. Só falem se lhes dirigirem a palavra. Se conseguirem que a tribo respeite vocês, ótimo. Senão, apenas esperem. E em absoluto, não tentem contrariar nada, muito menos discutir as convicções deles.
 
 
Pouco mais de 15 minutos de caminhada, chegaram a uma cabana no meio da mata. Sarah pode sentir a ondulação que passaram até chegar à cabana e tinha certeza de que não estavam mais na Terra.
 
-- Que sensação esquisita, estamos na Terra ou não? Bom depois eu resolvo isso.
 
Quando passam pelo ponto em que Sarah sente a mudança e Amanda comenta, Cassandra informa.
 
 
- Estamos na Umbra. Não há nada com o quê se preocupar.
 
-- Umbra, o mundo que faz fronteira com os outros? Já tinha ouvido falar, minha primeira vez neste outro lado e sinceramente isso tudo é tão...
 
Foram seguidas um tempo de longe e Cassandra já sabia do que se tratava. Os Wendigo estavam tentando descobrir do que se tratava. Em um momento, um lobo enorme aproxima-se e transforma-se numa mulher. 
 
 
 
 
-- Então essa é A Menina Sem Tribo que tanto ouvimos falar, Profetisa de Sangue? Seja bem vinda, minha querida. Eu me chamo Rachel Canção da Floresta. O que fazem aqui? A matilha foi caçar, mas sua visita já foi avisada, Profetisa. Logo estarão todos aqui. Há algo que eu possa ajudar? Qual o motivo da sua visita?
 
 
 
Na presença da grande mulher-loba em sua indagação, Amanda apenas cumprimentou com um leve acenou de cabeça e deixou que Cassandra conduzisse o diálogo a principio. Cassandra rapidamente se dirigiu à Canção da Floresta.
 
- Canção da Floresta, eu reuni a Alcateia da profecia. Ela toda. A hora está chegando, e imagino que já haja muito mais sinais. Preciso do livro, para provar minhas palavras.
 
“Filhote sem tribo, será que ela esta se referindo a nós duas?” Pensou Amanda.
 
-- Matilha da Profecia? Desculpe interromper, mas que história é essa?
 
- Nosso grupo foi profetizado por mim há quase 50 anos. Você ouvirá cada detalhe direto do livro, e poderá ver e confirmar minhas palavras. Se eu houvesse dito antes, duvidariam de mim. Desculpe o segredo.
 
-Olha, com todo respeito Cassandra, eu não me oponho em lutar ao lado de Garou Tribais, mas eu não faço parte e nem quero canonizar estas profecias. Desculpe te decepcionar. Até mesmo porque eu teria que passar por um rito de passagem no qual eu não vou passar.
 
-- Eu disse que você está na profecia, e nada mais. Agora guarde suas dúvidas para depois. Quando estivermos com o grupo de novo conversamos, mão vamos incomodar os Wendigo.—Disse Cassandra
 
Amanda apenas acenou com a cabeça para que ela continuasse. Tentou se ater as palavras das mulheres, não pode deixar de olhar tudo em volta como uma criança curiosa. Amanda Tentou respirar no Mundo da Fronteira (como seus pais sempre chamam esse lugar) e fez uma leve forcinha com um dos pés para ver quão sólido era aquele chão.
 
“Como foi que entramos aqui e não percebi? Como se sai desse lugar? Quais os riscos que existem entre as fronteiras dos mundos? Este lugar aparentemente esta sossegado, mas seria uma ilusão de ótica?” Pensou ela.

_________________
avatar
Mamorra
Mentor
Mentor

Mensagens : 166
Data de inscrição : 14/11/2013
Idade : 31

Ver perfil do usuário http://orangovivo.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Operação Retorno (IN GAME)

Mensagem por Mamorra em Dom 17 Nov 2013 - 14:22

Saeko, Emilly, Guerra, Sandra, Melody  - Petersen Way, Kenai, Estados Unidos – Próximo ao meio-dia - Nublado.
 
Após decidirem como seguiriam, todos entraram na minivan em direção da pessoa que poderia fazer os passaportes. Seguiram por quase 3 horas de carro até a cidade de Kenai, no Alasca. ESUNA 348 dirigia sem se importar com muita coisa.
 
A paisagem, porém, era belíssima. Grandes arvores com neve em sua copa dava ao frio local uma sensação mais doce. Era triste saber que toda aquela beleza estava para acabar. Sandra ficou observando a paisagem na viagem e se sentido bem por estar em contato com a natureza, mesmo assim sentia uma pequena dor no coração, pois sabia que logo a Terra teria seu fim. Por isso, não se deixou abater e pensou em encontrar a sua família mais rápido possível.
 
Chegaram a uma pequena estrada. Na curva que dava para dois pequenos prédios, havia uma casa toda em madeira e pintada de cinza. Havia vasos com flores na calçada, próximos ao poste rústico.
 
ESUNA 348 bateu a porta e um menino veio atender. Era um garoto de aparentemente 10 anos. Seus cabelos castanhos bagunçados fizeram a Melody lembrar algo e sentir seu sangue ferver.
 
Dentro, havia uma senhora de meia-idade sentada vendo TV. Por mais que aquela fosse algo comum, as noticias que apareceram na TV deixaram todos assustados. “Homem morto vira lobo em no meio da praça. Suspeito de assassinato vira pó na frente das câmeras”. Quando chegaram ao lugar, todos viram as noticias da TV e se Sandra perguntou se isso estava acontecendo no Brasil também.
 
-- Estranho, não é? Essas coisas sempre viveram entre nós e só agora que aparecem na TV. O mundo está acabando mesmo... – Diz a senhora falando sozinha – Se você estivesse aqui, Joshua, pegaríamos as coisas e acabaríamos com essas pestes nós mesmos...
 
Era claro que a velha estava delirando. Mas havia certo tom nostálgico em sua voz que parecia carregar verdade. Ou ela fora uma caçadora, ou estava completamente senil. Num instante, uma garota desce da escada.
 
 
-- Vovó, o que eu falei sobre isso? ESUNA, venh... Mas que... O que a Mellody e Emilly estão fazendo aqui? Que porra está havendo?
 
 
Era Veronica Larson. Amiga da Melody da época de Harvard. Passavam muito tempo juntas na biblioteca e descobriram a mágika quase que ao mesmo tempo. Daí os caminhos divergiram. Veronica juntou-se aos Herméticos e Melody fora enxotada. Emilly também conhecia Veronica. Estava na lista da Tecnocracia devido a seu grau de conhecimento, porém de uma hora para outra, seu Grau de Periculosidade foi reduzido ao mínimo. Guerra observou jovem loira descer as escadas, ficou um tempo analisando o corpo da moça, ele a achara muito atraente, em meio a pensamentos lascivos.
 
"Droga, esse tempo todo sem está me deixando maluco. Se concentra Guerra, a missão agora é mais importante." Pensou Guerra.
 
Sandra mantinha a mente na notícia, contudo seus pensamentos foram interrompidos quando a jovem chegou e espantada falou de Melody e Emilly.
 
--Oi. Com licença. Desculpe incomodar, mas ESUNA disse que você pode nos ajudar com alguns documentos necessários para sairmos do Alaska. Então pode nos ajudar? E vai custar quanto?
 
-- Perdão loirinha, não há tempo para muito bate-papo. Precisamos de passaportes falsos, precisamos ir ao Brasil e ao Japão. Acho que nem precisamos dizer muita coisa, as notícias da TV dizem tudo. Esse planeta está uma bagunça.
 
-- Bem, temos muito para explicar, mas o básico é: O mundo esta indo à merda e quem ficar aqui vai junto com ele se quiser ajudar e ter um espacinho na ultima saída deste mundo ótimo, senão sinto muito. -- Emilly olha para Verônica e tira os óculos escuros -- Mas senhorita Larson, muito me interessa como você deixou de ser um dos grandes alvos da tecnocracia.
 
Saeko olhava tudo atenta e esperava que tudo se resolvesse
 
 

 
Amanda, Cassandra e Sarah - Basher Drive / Campbell Airstrip Road, Anchorage, Estados Unidos – Manhã Ensolarada.
 
Rachel levou as três em direção a uma clareira a poucos minutos de caminhada. Aos poucos, todas puderam ver vários Garou chegando da caçada. Cassandra reconheceu o líder da matilha que guardava o local. Vento Gélido era um Garou alto e forte e parecia mais um índio nativo-americano truculento.
 
-- Seu livro está aqui, Profetisa de Sangue. Então parece que a hora chegou... Mas, diga-me, quem são suas companheiras?
 
- Elas são a menina sem tribo e a Ronin da profecia. Elas farão parte da Alcateia prevista. Toda a Alcateia já está formada, na verdade. Está tudo pronto. Mas sinto no ar que nós estamos atrasados, por assim dizer. Precisamos de notícias para garantir que vamos encontrar amigos antes de inimigos. Pode ajudar?
 
”Essa é minha, praticamente, minha primeira vez que lido com Garou Tribais, todos os que eu conheci são Ronins e Cristãos.“
 
-- Hã... Bom dia. Eu me chamo Amanda... Amanda Sato e a Profetisa do Sangue... Minha irmã mais velha me trouxe aqui com a outra menina, nos duas somos Garou também e Cassandra acredita que ela e eu somos parte de uma de suas profecias, mas eu não sei nada de suas previsões, enfim estou confusa também.
 

_________________
avatar
Mamorra
Mentor
Mentor

Mensagens : 166
Data de inscrição : 14/11/2013
Idade : 31

Ver perfil do usuário http://orangovivo.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Operação Retorno (IN GAME)

Mensagem por Monteparnas em Qui 21 Nov 2013 - 23:32

Amanda, Cassandra e Sarah - Basher Drive / Campbell Airstrip Road, Anchorage, Estados Unidos – Manhã Ensolarada.

Vento Gélido despediu-se das três e as encaminhou para onde haviam deixado o carro. Cassandra dirigiu o mais rápido que pode para a indicação no GPS. Era cedo e a estrada era tranquila, mas o caminho era longo. Após cerca de 4 horas, chegaram ao destino. Os outros as aguardavam, e o tempo era curto.

Saeko, Emilly, Guerra, Sandra, Melody  - Petersen Way, Kenai, Estados Unidos – Pouco depois do meio-dia - Nublado.

Veronica trancou-se no quarto junto com o grupo, enquanto preparava os passaportes. Havia cerca de 5 monitores mostrando diferentes coisas e ela os controlava com maestria. Ela invadiu sistemas de vários países em questões de minutos e em pouquíssimo tempo já estava acabando.

-- Senhorita, um carro se aproxima do perímetro. Há uma Cainita e duas Garou no veículo. Devo tomar contra-medidas? –
Era uma voz metálica.  Emilly reconheceu imediatamente aquele Padrão. Veronica tinha um Computador Ternário.

-- Não se preocupe. Elas são convidadas.

-- Protocolo Convidadas Ativo!!!

Poucos minutos depois, um som de carro pode ser ouvido na frente da casa. Dele desceram Cassandra, Amanda e Sarah. A Cainita trazia consigo um livro muito antigo.

Rapidamente ela reuniu a todos na casa, e então abriu o livro.

-- A Segunda Profecia foi revelada em meados da década de 70. Podem verificar o livro vocês mesmos. Eu não o trouxe para que eu leia. Eu nunca me esqueço de detalhe algum dessas passagens. É de vocês, para examinar e acompanhar, e reler o quanto quiserem. Eu vou narrar a profecia a vocês como foi revelada a mais de 40 anos atrás.

-- Farei em partes. Quando terminar uma parte, podem fazer perguntas ou comentários. eu esperarei que digiram o que vão ouvir antes de ouvir mais. Quando eu houver de fato terminado, avisarei.


Profeta-de-Sangue escreveu:AQUILO QUE HÁ DE VIR

Fênix me pegou.
Me carregou em suas garras.
Alto sobre o mundo.
Para que eu pudesse ver além da esperança.
E eu olhei.
Eu vi desespero.

Uma bruxa, velha como a civilização, filha do Mais Feio, tomou as terras do orgulho dos Garou, e os reis tornaram-se escravos em sua própria terra.
Uma sociedade de tecno-tolos, blasfemando contra Gaia em nome da Weaver, acorrenta um anjo no corpo de um homem, e chama ao resultado enlouquecido Anakim.
Um conselho de nove tolos poderosos é despedaçado pela União de cinco tolos sem mente, findando uma guerra antiga.
Uma nova estrela brilha no céu, sua luz rubra banha a Umbra em vermelho sanguíneo.
Um patriarca de um povo nômade desperta, o primeiro dos terríveis pais da minha raça, e trás consigo uma Semana de Pesadelos para todos na Terra.
Um Impuro sem defeitos é nascido sob a luz vermelha e sonhos pesadelares.
Um vendaval assola a Umbra, trazendo morte para os mortos, dor para os que fazem maravilhas e liberdade para os Mais Antigos servidores e inimigos de Gaia.
Uma tempestade de almas em seguida, ferindo a carne de magos e almas de demônios, e ferindo a própria Película.
Um número de almas vem para a Terra, para possuir seus corpos mortos ou para vagar como fantasmas assustadores.
Uma nova esperança para a humanidade pode ser o fim para todos nós, pois haverá mortais que podem ver e lutar contra todos nós.
Um pai louco da minha raça se torna loucura ele próprio, e sua tola sabedoria vem para todos os seus filhos.
Uma batalha pesadelar ruge pela semana pesadelar, combatentes com poder como de deuses tentando parar o deus andarilho desmorto por três noites e dias.
Um pedaço do mundo é desfeito pela mais blasfêma das armas, Terra e Umbra desprovidas de vida, e o pai andarilho é posto em repouso eterno.

A estrela cresce devagar em brilho.
A humanidade reage quando sonhos se tornam pesadelos.
O pai do clã morredouro usurpa o Usurpador.
A criança que devorou o pai pelo bem de sua família, agora procura pela alma do pai.
Os artífices da vontade estudam os sentinelas que são intocados pela tempestade de almas.
O blasfêmo pai Usurpador, preso em sua criança, devora todos os seus filhos pródigos, a Antitribu dos feiticeiros.
A tempestade de almas corta uma velha União, e o exército de conspiradores saboreia a liberdade.
O Conselho caído dá lugar a dois conselhos.

Em uma Cidade dos Anjos, abalada pela visão de um deles, os Mais Antigos e Caídos se reunirão, se reunirá o Novo Conselho, e um demônio covarde estará lá.
Em uma arruinada cidade de maravilhas, se reunirá um conselho de fazedores de maravilhas, perdido na Umbra, "Enigma te levará aonde dogma não pode".
Em uma cabala de artífices da vontade será criado um Signo Vermelho, e terá o poder de sobrepujar a Maldição de Caim, mas a um custo para todos.
Em uma cidade na terra de meus ancestrais, lá nascerá a Última Filha de Eva, e Desmorta ela dará a luz ao destino de minha raça.
Em um mundo de praga e guerra, haverá mais desses que antes, e ninguém mais estará seguro.
Em uma Película assolada por uma tempestade de almas, buracos certamente abrirão, e espírito e carne mudarão de lado.

Haverá guerra na Umbra, como nunca antes, de espíritos e Fera e Magos e os Mais Antigos.
Haverá tumulto entre os Fera, conforme chega o momento que cada um esperou, ou tentou evitar.
Haverá de novo uma guerra por Ascensão.
Haverá um Êxodo, conforme a grande União se quebra nas bordas, mas o centro se segura e endurece.
Haverá um exército solitário, loucos com vontade poderosa e uma agenda de loucura, seus nomes são muitos, eles são Paradoxo, Silêncio, Delírio, Desauridos, Dinamismo.
Haverá um sonho do futuro, uma profecia, não aqui, mas compartilhada, ninguém falará sobre isso, mas todos sonharão esse sonho, e nenhuma nova profecia virá.
Haverá um profundo toque da Umbra no mundo, e mortais tocados se tornarão, em tempo, alguma outra coisa, artífices da vontade, mas estranhos mesmo entre os seus.
Haverá tumulto quando os artífices da vontade encontrarem seu décimo caminho, mas este é Julgamento, e eles não o controlarão.
Haverá um segundo tumulto entre os magos, pois aqueles que servem a Wyrm, sabendo ou não, eles sumirão.

Tenha cuidado, pois os mortais descobrirão que agora deuses andam entre nós.
Tenha cuidado, pois a Máscara vai cair.
Tenha cuidado, pois Delírio vai enfraquecer.
Tenha cuidado, pois Consenso vai mudar.
Tenha cuidado, pois Sonho vai vagar para longe, e Pesadelo vai permanecer.
Tenha cuidado, pois realidade lutará menos, mas lutará com mais força.
Tenha cuidado, pois dentre os mortais se erguerão heróis e vilões.
Tenha cuidado, pois haverá loucura.

Chegou a hora, Assamita é o ápice de sua própria fé, é tempo de Assassinato.
Chegou a hora, Brujah é desenterrado da salgada Cartago, é tempo de Anarquia.
Chegou a hora, Set vive de novo, para alegria e desespero de seus seguidores, é tempo de Traição.
Chegou a hora, Gangrel está acordada e ela é a própria terra, é tempo de Cataclisma.
Chegou a hora, Capadócio está morto, e os mortos se erguerão, é tempo de Desespero.
Chegou a hora, Lasombra encontrou o Abismo, e se tornou o Abismo, é tempo de Trevas.
Chegou a hora, Ravnos é desperto do Sonhar e vaga de novo, é tempo de Pesadelo.
Chegou a hora, Toreador está desperta em seu Reino de Ébano, é tempo de Jyhad.
Chegou a hora, Malkaviano é uma rede mental, ligando seus filhos, é tempo de Loucura.
Chegou a hora, Tzimisce é doença, seu corpo é um monstro sem mente, é tempo de Agonia.
Chegou a hora, Ventrue é tirania viva nas mentes de escravos, é tempo de Conspiração.
Chegou a hora, Salubri é novamente, Tremere não é mais, é tempo de Esperança.
Chegou a hora, Os Alaru estão postos livres, pais sem filhos, é tempo de Mistério.
Chegou a hora, Namtaru caminha sobre a Terra, trazendo as hostes infernais, é tempo de Atrocidade.
Chegou a hora, Mekhet está em cada sombra, sempre lá, nunca visto, é tempo de Segredo.
Chegou a hora, Lucian veio, mas ele não é pai, é muito mais velho, é tempo de Vingança.

Gehenna, a Película se foi, primeiro, segundo e terceiro.
Gehenna, a estrela vermelha arde para todos verem.
Gehenna, pois os exércitos de Sangue Fraco reinarão sob a coroa dos Caittif.
Gehenna, os Fomorians, Gigantes do Pesadelo, caminham sobre a Terra.
Gehenna, os Cainitas Definham sem Amaranto.
Gehenna, pois Wassail é rampante e não definha.
Gehenna, as seitas caem.
Amanda ouvia tudo, tentando entender, mas entendeu pouco.

-Minha irmã Cassandra, o quê tudo isso significa? Impuro perfeito? seria eu? eu não sou perfeita, este véu me ajuda a respirar um pouco melhor mas é somente isso.

-Apesar de ser Garou eu não reconheço muitos nomes que você disse, os primeiros Vampiros estão despertando ou já acordaram? Quanto tempo ainda para essas suas revelações se concretizarem?

-Você falou de Magos, Anjos, Demônios e Garous mas muitas coisas estão desconexas.

-E o mais importante, onde entramos nisso tudo?


- Nem todos os detalhes são claros, mas respondo o que posso.

- O Impuro Perfeito não é você. Ainda não terminei a profecia, essa foi a primeira de quatro partes. Mas você aparecerá em tempo, e reconhecerá.

- Não sei dizer quando essas coisas se concretizarão. Ou melhor, cada uma delas, pois essas coisas se darão no decorrer de muito tempo. Sei que a Bruxa já veio e já foi. Ela reinou sobre a Rússia por anos, quase toda a década de 90, e só soubemos depois que ela estava morta, pois nesse tempo não se tinha notícias. Sei que Ravnos, o patriarca dos vampiros nômades, também despertou, portanto os primeiros vampiros já começaram a muito a acordar. Também vi a Estrela Vermelha no céu da Umbra. Então muito disso já aconteceu, e não sei o quanto aconteceu enquanto estávamos em Arton.

- Ouçam a segunda parte:


Profeta-de-Sangue escreveu:AQUELES QUE HÃO DE VIR

Fênix me pegou.
Me carregou em suas garras.
Alto sobre o mundo.
Para que eu pudesse ver além do desespero.
E eu olhei.
Eu vi esperança.

Eu vi o mundo em seus últimos dias, e ainda um mundo além. Um mundo onde os filhos de Gaia podem começar de novo. A Wyrm estava lá, ainda, e era poderosa. Vermelha como o sangue que tirava de tudo. Mas poderosas eram Weaver e Wyld, e elas lutavam de volta, e havia equilíbrio. E poderosos eram os inimigos de Gaia, mas também seus defensores, e o mundo era como devia. Este foi o primeiro presente da Fênix para nós, uma nova esperança, mas não sem sangue, suor e lágrimas.

Eu olhei.
Eu vi o futuro.

Eu vi uma alcateia que não era uma alcateia. Feita de Garou e Parente e Rebanho, e mesmo a Weaver e a Wyrm tinham um toque neles. Em número de onze, eles estariam no Mundo Além e de volta, para liderar o caminho para sobrevivência, e para uma nova manhã por Gaia. E eles lutaram, não pela Nação, ou por tradição, mas para salvar o que lhes era caro. E eles lutaram entre si, e não concordaram, mas lutaram por Gaia a seu próprio modo. Esse foi o segundo presente da Fênix para nós, Uma alcateia para trazer essa esperança.

Eu olhei o presente.
Eu vi o primeiro membro.

Lá estava um homem que abandonou sua sanidade para melhor combater os inimigos do mundo. Ele era Rebanho, mas era letal. Sem emoção para ter medo, sem sanidade para ser despedaçada, ele seria Inimigo-da-Wyrm, e encontraria a Wyrm em seus covis e colmeias. Uma Garou de grande coração e fé, e mesmo assim uma Ronin para o Povo, pois nem coração nem fé estariam nas coisas que a Nação acredita e guarda, então para a Nação Garou ela seria Último-Ômega, mas os Fera saberiam não odiar. Ela era o segundo.

Eu ainda olhava.
O terceiro membro.

Uma mulher, Rebanho, com um espírito temível, carregando uma lâmina fetishe do Mundo Além. Ela não tinha interesse em fazer a vontade de Gaia, como Humanos nunca têm. Mas fúria havia em seu coração, e dever. E mesmo egoísmo e ganância serviriam a Gaia nela. Ela seria Lâmina-do-Além. E outra mulher estava lá. De toda a alcateia, a única sob a Nação. Mas nunca como membro pleno, pois a Wyrm era parte dos seus. E assim era o quarto membro, e eu vi a mim mesma.

Eu olhei uma vez mais.
Fênix mostrou o quinto.

Eu vi uma mulher que não era Humana, não mais, mas não era nada que eu já tenha visto. Ela foi tocada pela Wyrm de uma maneira que não existe ainda, a Wyrm do Mundo Além. Seus olhos vermelhos romperam os véus da escuridão, e os segredos da Umbra. Verdade-em-Vermelho ela era. E o sexto estava lá, uma Parente magista sem filosofia ou seita própria, filha de uma Tribo Perdida, mãe de uma Tribo Renascida, mas ela não servia nenhuma tribo. E ela era Semente-de-Carvalho.

O próximo eu olhei.
Um intrigante sétimo.

Um homem que parecia como passado, mas veio do além. Ele não é Parente, nem artífice da vontade pelo que seus pares iriam reconhecer. Mas ele podia, ainda assim, abrir os caminhos para a Umbra por si mesmo. E suas eram bênçãos de espíritos distantes, e eles eram poderosos. Ele era Bastião-da-Honra. E ele trás sua esposa, e ela é oitava na alcateia. E Bastião-do-Amor ela era, e era como exigiam das mulheres em sua sociedade.

Eu olhei por mais.
O nono era uma criança.

Uma criança sem tribo, mas o sangue de sua mãe despertou em suas veias, ela não vai seguir uma das Treze, mas vai forjar uma tribo de si própria no lugar. E ela virá para a Nação, e será Renascedora-de-Tribos. Eu vi uma mulher perdida em sonhos. Ela dorme um sonho sagrado, e vaga aonde ninguém mais poderia vagar. Ela era décima na alcateia, e era Sonhadora-Distante, pois seu corpo não estava em um mundo conhecido para Garou ou Parente.

Eu olhei o futuro.
E eu vi o último.

Ela era Parente, e Filha para o Grande Orgulho da Nação. Mas ela era da Weaver, e seus modos não eram nossos modos. Com orgulho ela desenvolveu um plano para ser mais esperta que o próprio Apocalipse, e com uma Vontade que poderia dar forma a maravilhas ela planejou deixar Gaia para trás e levar seus guerreiros. Mas seu trabalho era a vontade de Gaia, e por suas mãos a última esperança virá a nós em nossa hora de necessidade.

Essa era a alcateia da Última Esperança nos dias finais. Não era a única, nem teria parte na maior batalha. Deles não era uma missão de guerra, e não era destinada para a última luta. Mas eles vão lembrar nosso mundo, nossos modos e nossas lutas após nossas últimas noites nesse mundo. Eles serão o Legado de Gaia, e de todos nós. Pois a tarefa de Gaia para eles é alcançar o Mundo Além, sobreviver ao nosso, e salvar um pedaço do que é para o mundo que será.

Eu tomei ar.
Pois isso era muito.
E muito mais viria.
Meu primeiro suspiro em 40 invernos.
Amanda Sato:

Depois de me recompor um pouco mais e prestar atenção, nas palavras de minha irmã Cassandra.

-Olha Cassandra acho que eu deixei claro da outra vez que eu não confio nas muitos nas visões Garous, como também não estou querendo obedecer Gaia, o meu Deus chama-se Jesus Cristo e ele...........

De repente começo a meditar em pensamento:

-Meu Capelão me ensinou histórias de guerra Bíblicas, lembro que ele pregava que o héroi Hebreu Davi se refugiou com um povo inimigo, foi acolhido entre os filisteus, Deus estava com ele.

-Jesus Cristo quando recém-nascido foi levado para o Egito para ficar em segurança até o rei romano morrer..........

-Teria eu que fazer o mesmo, ir para um "oásis" em outro canto para retornar apenas quando for a hora certa? Existiram nações com seus múltiplos credos que ainda sim eram hospitaleiros, não todos mas vários............

Dou um suspiro em uma ligeira oração silênciosa e imagino.

Com Cassandra:

-Cassandra............ pelo que eu recebi um bilhete em uma réplica da Arca da Aliança em Arton e nela minha mãe dizia que eu não fosse para lá, não sei dizer se ela para fugir da justiça e abraçar o culto a Tenebra ou não, eu não sei.

-Tudo que sei é que toda minha familia de sangue sumiu por causa dela, nem vivos nem mortos, apenas sumiram, não tenho a quem buscar neste mundo propriamente dito, mas buscar o que me é caro, como você mesma disse, me vem apenas uma livraria religiosa, lá eu encontrarei algo para resgatar.

-No mais posso ajudar os demais em seus próprios resgates, mas não sei se embarcarei de volta aquela Terra estranha, não sei ainda.

Sandra estava realmente chateada por ficar naquele lugar, pois além de querer ir logo para o Brasil e pegar a sua família, aquele lugar era agoniante, provavelmente por que ela ficou muito confinada na nave que os troche de Arton para a Terra. Ela queria colocar os seus pés no solo e sentir a terra com eles.

Enquanto estava pensando nisso ela ouviu a voz eletrônica dizer algo e quando viu nos monitores suas amigas chegando Sandra foi direto falar com elas, com uma felicidade que não tinha faz tempo. E era estranho, já que suas amigas tinham saido a menos de 1 dias, mas parecia uma eternidade.

Assim que chegou fora da casa disse com um tom de brincadeira em português:

--O que houve moças? Se prederam? E Cassandra o Sol não lhe incomoda? -- Foi então que Sandra observou nos braços de Cassandra um estranho livro e logo continuou. -- Mas Cassandra que livro estranho é este?

Antes mesmo que possa ter uma resposta da vampira a Profeta de Sangue pegou o livro e começou a ler, enquanto lia Sandra escultava a principio o enigmático texto, que só na segunda parte fez algum sentido, pois aquilo era um tipo de "profecia" e ela estava nele como os outros também. Assim que deu uma pausa ela perguntou a Cassandra:

--Pera aí? O que é isso Cassandra? Que texto é esse? Por que eu reconheço todos do nosso grupo nele, com estranhas alcunhas, como o meu ser Verdade-em Vermelho? Como também a nossa ida e volta em Arton? Isso é uma profecia? Se sim quem faz ela???

Sandra estava muito espantada e não sabia o que pensar e esperou Cassandra responder suas dúvidas.


Guerra[b]

Ele coça a barba, enquanto houve Cassandra declarar a profecia. Ao termino ele diz:

- "Se eu entendi direito, nossa missão aqui nào é lutar por esse mundo. E sim preservar seus costumes, conhecimentos, culturas e modo de vida. Levar isso para Arton, fazer com que a Terra sobreviva em nós. Bem se for realmente isso, devemos nos apressar.

Ele não se lembrava do nome da mulher loira que forneceria os passaportes, mas mesmo assim se dirigiu a ela:

- "Se quer viver pode vir conosco, duvido que você possa fazer algo em termos de combate, mas possui outras habilidades essenciais para nós."

---Foda-se esse negocio de profecia, eu apenas quero pegar minha família e ir embora, não ligo se o resto mundo for a merda, mas antes eu vou pegar um estoque de algumas coisinhas que eu vou ter que me acostumar a viver sem...

*Diz saeko depois de ouvir a profecia*

---Se esta barca esta furada eu tenho o dever de levar quantos eu puder, mas minha família é prioridade....

*Emilly olha pára a Cassandra e suspira:*

---Ja deixei de acreditar nos planos de Gaia quando jurei que ia cumprir os Objetivos da tecnocracia, to me fudendo para o que vai acontecer, esta merda desta profecia descobriu que eu tinha um plano? ponto para ela , tenho mais o que fazer ...
temos passaportes e vamos cada um para seu lado, eu tenho que trabalhar feito uma maluca para conseguir fazer tudo em tempo...


*Sanosuke medita e olha para sua esposa:*


---Se precisam de nós para algo, vamos ajudar, meu povo acredita muito em profecias e em destino...

Vamos ajudar no que puder

*A esposa de sanosuke sorri e assente*

Cassandra retoma

- Amanda, você não precisa crer em Gaia para fazer um bom trabalho por ela. Só precisa ter boa vontade e ajudar a quem precisa. A profecia é uma ferramenta, você a escuta se quiser e interpreta como quiser. Mas esse mundo está acabando, e se você não for, uma parte estará faltando em Arton. O que quer que você preze ou acredite, quem mais poderá levar para lá?

- Sandra, esse texto foi escrito em 1974. Se duvida, pode pegar o livro e mandar fazer qualquer análise dele. É apenas um diário comum, um de quatro em que essa profecia foi registrada à mão. Eu sempre conheci e nunca esqueço esse texto. Eu estava lá no dia. Conhecer vocês não foi uma surpresa, pois tenho fé nessa profecia, mas peço desculpas por não haver dito nada antes, sabia que precisaria do livro para lhes mostrar.

- Guerra, você compreendeu, mas cuidado com as decisões que toma e os convites que faz. Antes de mais nada, escute o resto da profecia. Você ainda não compreende o significado do seu convite.

- Saeko, se acha que a profecia não lhe diz respeito, não precisa escutar. Ela é um aviso, não uma ordem. No seu caso, o aviso de que haverá espólios, coisa muito útil em Arton. Mas se na hora não lhe apetecer o "pagamento", fique à vontade, eu ainda ajudarei como puder.

- Emilly, não precisa descontar em mim a raiva que sente do seu pai. Seu linguajar não condiz com sua linhagem, nem com sua educação. E não precisa de uma profecia para saber que quem caminha sozinho nem sempre chega ao final da jornada. Você quer mesmo carregar o seu fardo sem nenhuma ajuda? Mesmo sabendo que se falhar, não vai ser só você quem vai pagar?

- Sanosuke, em nome de todo o meu mundo, se posso dizer algo em nome de tantos: obrigada.

- Vou terminar agora a Profecia. Tudo o que peço é que ouçam, depois podem decidir o que quiserem. Apenas se lembrem que as consequências de suas decisões não afetam só a vocês.


Profeta-de-Sangue escreveu:AQUILO QUE HÁ DE SER FEITO

Eu olhei de novo.
Observei o futuro.
O que tinha de ser feito.
Por aqueles que ficam, e aqueles que partem.

Eu vi dois Impuros, de tribos inimigas, dando a luz a um Impuro sem falhas. Muitos fizeram guerra para obter esse Impuro Perfeito, mas ele foi levado por aqueles que dançaram o Labirinto Espiral. E ele se tornou um deles. E ele se tornou poderoso. Mas mesmo nos cantos escuros de Malfeas, ele foi são. E ele desejou resgate. Liberto dali, ele vai levar uma dúzia de Dançarinos com ele, e eles vão servir Wyrm-Que-Deveria-Ser, e eles vão lutar por Gaia, e ele vai liderar a 17ª Tribo por Gaia. Mas os tempos são duros. Se muito passar, ele se tornará Rei da Espiral Negra, e tomará morte por consorte.

Eu vi os servos de Gaia espalhados pelo mundo, em muitas nações e muitos lugares. Eu vi Fera, e outros filhos de nossa Mãe que Ela criou para servir de alguma forma. E alguns não eram seus filhos, mas netos, mas para todos Gaia é uma verdadeira Mãe. Cada um tinha suas tarefas, mas eles estavam espalhados e rancorosos pelas eras de guerra. Metamorfo de corpo poderoso, magista de vontade inquebrável, fragmento de sonho, mais novo ou mais velho dos servos, e mesmo criações da Wyrm, mas ainda com livre arbítrio para se dedicar ao trabalho de Gaia. Estes eram seus servos, mas eles eram dispersos e fracos e lutavam uns com os outros. Mas todos são parte do esforço, e todos eles precisam se unir contra o inimigo, e todos eles têm um legado.

Eu vi os tesouros do mundo todos de uma vez. E cada um teria um de dois destinos, ser destruído ou ser usado. Alguns seriam usados para construir o legado, alguns seriam usados para lutar por Gaia nas Noites Finais, e alguns seriam desfeitos, pois eles eram apenas para o serviço da Tríade Depravada da Corrupção, e nenhum bem viria deles. Mas cada tesouro não do nosso lado ainda estaria lá, no lado da Wyrm. E aonde nós destruíamos depravação, a Wyrm destruía esperança. E aonde nós os usávamos para o serviço de Gaia, a Wyrm os usava para trazer a morte de Gaia.

Eu vi a Umbra, e grandes buscas acontecendo lá. E nos dias finais, cada canto da Umbra Rasa é para ser explorado pelos servos de Gaia. Pois por toda a Umbra estão espalhados aliados e servos, e tesouros e inimigos, e também segredos do princípio do tempo, mas nenhum segredo o seria mais. Para Legado ou para Guerra, toda a Umbra tinha um pedaço de esperança, ou um fragmento de perdição, e perdidos nós estamos por cada um pego pelo inimigo antes de nós.

Eu vi as tribos, todas as tribos de Gaia. E uma vez mais, eu tive de tomar fôlego. E uma lágrima de sangue escorreu por minha face. Pois lá estavam nas últimas noites guerreiros de dezessete tribos. E eu vi a longa estrada de reconstrução, recuperando saber e empoderando Totems e unindo o Povo, e assim uma tribo perdida renasceu. E este seria o sinal dos últimos meses, o renascimento das Tribos Perdidas. Mas estava nas mãos dos Garou torná-los aliados, ou então eles iriam renascer para servir à Wyrm. E Dançarinos também seriam uma tribo deles próprios.

Eu vi as últimas semanas, e a Alcateia da Última Esperança em sua tarefa final. Eu vi uma arca que poderia conter a maior cidade do meu tempo, e o meu já é um tempo de incontável população, pois nós já estamos perto do fim. E de cada tribo dos Fera e cada de suas nações, e de cada Clã e Kith, pois tais são as palavras que eles próprios usam, e cada tribo dos mais obscuros servos de Gaia, de cada lá estavam ao menos seis membros. E também havia lá dúzias de humanos. E tal era Arca do Legado, e a tarefa final da Alcateia da Última Esperança durante os Dias Finais. O que será de nosso mundo e luta depois disso, eu posso apenas imaginar. Mas toda a alcateia entrou na Arca, pois deles era uma nova missão e luta.

RECOMEÇO

Fênix me pegou de novo.
Me carregou em suas garras.
Agora além do mundo.
Para que eu pudesse ver o novo começo.
E eu olhei.
Eu tive um vislumbre do que será.

Um vislumbre de homens virando crianças e crianças virando homens.
Tal era um novo mundo, que precisava de novos sangue e mentes.
Um de cada tribo viraram defensores e professores para o povo.
Pois este era um mundo perigoso, e eles precisavam de defesa.
Eles eram nosso Legado, e tinham que lembrar nossos modos.
Mas rei ou príncipe ou mestre, nenhum destes o era não mais.

Nossas crianças cresceram neste novo mundo, e aprenderam seus caminhos.
Melhor que nós, os velhos, poderíamos esperar aprender.
E assim, crianças viraram reis sobre seus pais, com sabedoria.
Pais ainda eram professores das tradições, e eram fortes.
Crianças eram fracas e inexperientes, sem Dons ou Posto.
Reis de outrora vão renascer nelas, vai ser um novo começo.

Os últimos trabalhos da alcateia, e eles serão tão numerosos.
Explorar o Mundo Além, pois este será de perigos desconhecidos.
Mostrar os caminhos para o crescimento, encontrar aliados e inimigos também.
E ensinar novos modos de pensar, pois diferentes eles serão.
Diferentes serão suas lições, e estas são necessárias, elas todas.
Ou nos arriscamos a errar de novo, mas este mundo pode durar para sempre.
Amanda Sato:

Terminando de ouvir novamente eu me pronunciei:

-Muito do que disse essa Fênix pode ser no minimo óbvio, menos a parte dos tesouros, seja como for eu não acreditarei em tudo que ela disse, já disse que o meu Senhor é aquele que foi crucificado e ressucitou e não é Gaia.

-Acredito que esse mundo não será destruido mas a sociedade local realmente vai passar pelo inevitavel Armaggedon.

Caminhando um pouco para o lado eu continuo:

-Mas até grandes nomes do passado se refugiaram longe de suas casas então eu irei para Arton sim, como eu já disse antes eu não possuo mais parentes, mas existe algo simples que quero buscar antes de partir, depois disso eu ajudarei os demais no que precisarem.

-Mas algo que precisamos relembrar é que não fará diferença se Stuart não for detido. Então precisamos nos preparar creio subordinados dos Tecnocratas podem nos ajudar com Equipamentos, bom eu espero.

-Pra concluir acho que todos somos unânimes nessa decisão agora com licença eu preciso ir até o centro da cidade e comprar o que eu quero levar.

Não havendo mais o que dizer eu me retiro e vou a uma livraria/biblioteca local comprar uma Bíblia.

Guerra

- "Cassandra.EU não vejo como o meu convite pode interferrir, sobre a última parte da profecia não entendo o que ela quer dizer. Mas talvez já estejamos demorando tempo demais."


Amanda:

Durante a compra de um exemplar da Bíblia em uma livraria, meditava do inicio ao fim do caminho, comprei o exemplar mais resistente e um ocúlos escuros em uma otica local.

Em Pensamento:

-Abandonar a Terra....... a que ponto chegamos, eu poderia pedir para trazer comigo os poucos Garous cristãos que existem mais algumas pessoas com eles. Mas se eu fizer isso eles ficaram sem defensores fisicos na linha de frente, o papel de cada um esta definido inclusive o meu para o futuro, que Cristo os protejam.

-Deus me ajude, pois não vou poder trazer nenhum deles comigo, a solidão fisica será maior, os outros terão seus entes queridos consigo e eu terei apenas aqueles que eu quero me acolham.

Uma lágrima corre pelos olhos discretamente e eu a limpo.

-Vou para o exilio e nem sei se vou voltar, mas sei que a luta contra o Diabo e a Wyrm terá exito, o bem vencerá mais uma vez.

-Os humanos deveriam valorizar mais esse mundo até porque foi dado a eles o direito de governa e não aos Garous. Minha mente esta divida entre a lealdade mais intensa na cultura dos caninos e a razão de viver para um futuro melhor. Vou seguir a direção de Deus e vou para Arton.

-Lealdade.... estou deixando meu dever, mas adquirindo outro bem maior.

Voltando o quanto antes eu me ajunto ao grupo sem deixar transparecer emoções, se bem que vai ser doloroso ver as familias juntas e eu não ter nenhuma para abraçar.

_________________
In fearful day, in raging night,
With strong hearts full, our souls ignite,
When all seems lost in the War of Light,
Look to the stars-- For hope burns bright!
avatar
Monteparnas
Mentor
Mentor

Mensagens : 408
Data de inscrição : 14/11/2013
Idade : 30
Localização : Sobradinho, DF

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Operação Retorno (IN GAME)

Mensagem por Monteparnas em Sab 23 Nov 2013 - 1:59

Mamorra escreveu: Petersen Way, Kenai, Estados Unidos – Pouco depois das 14:00 - Nublado.

Melody ouviu o fim da Profecia de Cassandra com receio. “Como assim já estava tudo previsto?”, pensara ela. Mas, como Artífice da Vontade, nunca descartava nenhuma possibilidade. Porém se tudo estava escrito, então até o que ela pretendia já havia sido pensado. Ela apenas queria proteger suas filhas... E voltar...

Veronica havia terminado a pouco enquanto Cassandra explicava cada detalhe da Profecia. Pouco tempo depois, após a chegada de Amanda, Veronica entregou os passaportes a cada um, com olhar de questionamento.

-- O que pretendem fazer?

Melody, que observava tudo, levantou-se e pegou seu passaporte.

-- Passarei primeiro em Langley. Assim posso dar um jeito para que vocês não sejam parados de forma alguma. Cassandra e Sarah venham comigo. Você não se afastará de minha menina e eu também não o farei. Alguém mais virá comigo?

—Você ficou boa em Português, Melody. Não me lembro de você falando esse idioma. -- Disse Veronica descontraindo o ambiente.

Melody apenas riu. Notava agora o quanto Arton a mudara. Não era boa em trabalho em equipe. Havia pouca gente que ela era capaz de confiar. Mas trabalho em equipe, esse sempre fora seu ponto fraco. As Tradições não a queriam, as Convenções queriam disseca-la. Seu ex-marido a matou... Mas agora estava ela ajudando várias pessoas. Trabalhando em equipe.

—Enquanto isso, tentarei dar um jeito para conseguir dinheiro para vocês. -- Finaliza Veronica.
klebersm17 escreveu:Major Guerra

- "Eu preciso ir ao Brasil buscar uma pessoa. Quanto a você Verônica? Virá conosco ou vai ficar nesse planeta para morrer?"
Pontus Maximus escreveu:Amanda Sato:

A tristeza de sair da Terra me vem em mente, mas meditando mais claramente em meio a tristeza eu pergunto a Tecnocrata:

-Olha, vocês possuem mais dessas naves certo? ou vocês são o que resta da Tecnocracia?

-Se for possivel eu preciso encontrar e tentar trazer mais alguns comigo, viajarei ao Brasil também para adiantar as coisas.
Mamorra escreveu:Verônica olha para Guerra e responde calmamente.

-- Porque você acha que ESUNA veio aqui me procurar? Jack deve estar precisando de mim lá onde ele está.
klebersm17 escreveu:Major Guerra

- "Ótimo. Excelente adição a equipe."
Lienn escreveu:*Emilly suspira ao ouvir a Garou e diz:*


----Sabe o quanto temos que consumir de recursos para fazer uma nave do tamanho da carolina ? acredite garota, muito mais do que esse planeta aguentaria...

faze-las em massa mataria a terra muito mais rápido do que pensa, nós temos temos mais uma..

*ela olha para o grupo e pensa:*
" onde foi que eu amarrei meu Burro, estou cercada de imbecis"


*Saeko ouve atentamente e diz:*

---Eu tenho quem buscar no japão, vamos nos separar e agir o mais rápido possivel
Iron Man escreveu:Sandra só observava todos falando e fazendo planos, enquanto isso ela pensava se esses planos dariam certo ou não então ela respirou fundo e disse em português:

--Bom. Então vamos! Não temos muito tempo, pois o relógio esta correndo contra nós.

E rapidamente ela olha para Cassandra e fala:

--Tudo bem sobre esta coisa de profecia, mas "Verdade-em Vermelho"? Onde você tirou este nome e dos outros? Eles são muito esquisitos.
Pontus Maximus escreveu:Amanda Sato:

-Não fazia ideia de que este cruzador era tão poderoso assim enfim, vou tentar buscar alguns comigo.

-Retornarei ao pais ainda hoje se for possivel.

Em mente me veio o Coronel/Capelão Gregório e alguns de minha Brigada de Operações Especiais.

-Creio que não serão muitos.

Falo com um certo ar de tristeza.
Cassandra

- A Langley então. Eu vou entrar em contato com minha seita em NY para conseguir alguma ajuda. Temos um nível um pouco maior de cooperação com outros Fera, além disso existem vantagens em trabalhar com os Andarilhos do Asfalto. Nosso totem é chamado em português "A Toda Poderosa Grana", então podem imaginar que dinheiro não é problema.

- Sandra, esse tipo de nome é uma tradição Garou. Recomendo que, entre metamorfos, se apresentem com esses nomes, mostrará que têm conexão com os servos de Gaia e, com sorte, serão reconhecidos por quem já tiver ouvido a profecia.

- Os brasileiros podem e devem andar juntos. Agora que conhecem o sobrenatural é inevitável que o encontrem, e a América do Sul não é tão hospitaleira quando isso acontece. Decidam entre si a ordem em que farão alguma coisa e andem juntos.

- Saeko, leve com você nossos amigos artonianos. Morrer no caminho não vai salvar sua família. Eu vou tentar conseguir ajuda local para vocês, os Hakken. São lobisomens, mas devem ser companhia mais do seu gosto. Abandonaram o modo dos lobos completamente a muito tempo. São samurais, paradigmas de honra e de disciplina, e completamente sintonizados com a sociedade humana japonesa. São o povo de Amanda, mas acho que ela não deve ter muito contato com eles. Se tiver, tanto melhor.


Dito isso, Cassandra pede apenas um celular. Felizmente nunca foi difícil fazer contato com sua seita quando necessário. Pedir dinheiro e contatos não deveria ser muito problema, e para si mesma tentaria solicitar a ajuda extra de dois espíritos, um para enviar mensagens e outro para ajudar com a Umbra até que a pequena Sarah estivesse habituada a percorrer atalhos. Amanda era naturalmente capaz de fazer isso, e com sorte deixaria a teimosia de lado quando fosse necessário.
Iron Man escreveu:Sandra olhou para Cassandra e ouviu atentamente que ela disse e esboçando um leve sorriso ela fala em português:

--Tá bem. Vou usar este nome quando estiver diante deste metamorfos, pois não quero ter problemas com eles, não agora que temos uma missão de tão importância assim. -- Sandra então se vira em direção de Guerra, mas por ultimo diz uma coisa a vampira --Ah. Este nome "A Poderosa Grana" soou muito bem aos meus ouvidos, Profeta-de-Sangue. Me lembrou do deus artoriano Tibar, o deus do comercio.

Assim ela se fasta de Cassandra e ao se aproximar do Major ela diz:

--Então Guerra? Parece que temos um longo caminho até o Brasil. Vamos fazer o que for preciso, rápido e "limpo".
Pontus Maximus escreveu:Amanda Sato:

Em pensamento:

-Amanda, pensa, os Garous já te falaram de atalhos, como é que se faz mesmo?....... Não faço ideia de como seguir por trilhas no além, nunca tinha passado entre os mundos antes.

-Melhor não arriscar........ acho que tem haver com espelhos.........

Me retiro até o banheiro fitando um espelho.

-Hum........................ como é que eu vou passar por algo tão apertado e se eu passar como é do outro lado? Melhor deixar quieto e usar o meio normal.

Saio do banheiro.
Berserker_Lancelot escreveu:*sanosuke olha para cassandra e diz:*

---Irei com saeko san, afinal não posso deixa-la sozinha... tenho uma missão para com ela, certa minha querida...

*Sanosuke fakla acariciando o rosto da esposa e ela fala*

---Sim sanosuke-kun, iremos com saeko san, mas emilly san vai ficar sozinha ?
Mamorra escreveu: Petersen Way, Kenai, Estados Unidos – Pouco depois das 14:00 - Nublado.

O grupo ainda encontrava-se no quarto quando ouvem claramente...

-- Senhora, três Garou se aproximam. Tempo de chegada: 8,39 segundos. Não há tempo suficiente para contramedidas. Sugerida fuga imediata.

-- Visual – Ordena ESUNA.

-- Não será necessário... – Diz o homem enquanto quebra a janela do quarto. Outras duas figuras também entraram pelas janelas e o som de vidro quebrando pode ser ouvido por todo lado – Há tempos que venho querendo boas notícias, Veronica, e você me dá logo três? O que vocês fazem aqui? Podem ir desembuchando, antes que eu fique nervoso... E vocês sabem o que acontece quando fico nervoso, certo, filhota?





-- Mas que ignorância a minha. Eu sou Jonas Albrecht, Rei da Nação Garou, e esses são Mari Cabrah e Evan Cura o Passado. Vim atrás da Profeta-de-Sangue... Então, começou mesmo?

Poucos instantes depois, Mari começa a farejar o ar e olha diretamente para Amanda.

-- Essa aqui é a tal renegada estupida que foge das Bençãos de Gaia em troca um Deus de Livrinhos e histórias de dormir.
Lienn escreveu:*Emilly fica branca como um papel sem reação nenhuma ela balbucia algo algo em russo e da um passo para tras:*

---Não é possivel, mas... PUTA que pariu... eu tenho que ir gente, depois agente se ve... temos que resolver coisas em lugares separados certo ?

*Emilly começa a se preparar para dar no pé dali, com magia*

*saeko apenas olha desconfiada e diz:*

--Esse é seu pai Romanov san ?
klebersm17 escreveu:Guerra

O Guerra se dirige aos três:

- "Vocês podem ser O Nada e O vazio fundidos na minha frente, mas mesmo assim vão sosser o rabo e falando direito. E você fedelha meça as palavras ao falar da religião da minha colega. Não compartilho da visão dela, mas não vai ser uma pirralha metida que vai destratar. Antes que vocês pensem em me ameaçar já aviso: não tenho o psicológico muito certo, já enfrentei criaturas tão ou mais brutais que vocês lobisomens, não tenho nada a perder. Pouco me importa morrer em uma luta, mas levo vocês pra vala junto.
Se estiverem de acordo com o termo de falarem sem esse tom de superioridade e violência podemos conversar de forma amigável."
Iron Man escreveu:Sandra quase não tem tempo de reagir. Quando as três figuras imponentes aparecem ela puxa sua arma e de imediato mira para o mais próximo dos três, pois sabe que pelo menos pode ferir bastante um deles. Contudo quando Guerra se dirigi com sua habitual "delicadeza" ela se interpõe entre Guerra e a mulher e diz em inglês:

--Calma ai!!! Todo mundo!!! Por favor. Peço que todos vocês se acalmem. Vocês garou não podem entrar na casa de alguém sem respeito assim. Onde está a educação? Vocês não são uma raça nobre e honrada? -- se direcionando ao Guerra ela continua -- E você Guerra segura a onda, pois temos uma missão a cumprir e se você morrer agora a missão esta arruinada.

E antes que os garou possam responder ela fala:

--Antes que vocês perguntem "Quem é esta humana?" Deixe-me apresentar. Sou Verdade-em-Vermelho e se conhecem as profecias da Profeta-de-Sangue devem saber quem eu sou.

E assim ela termina fitando os três e sem pensar diz uma simples frase em inglês:

--Que Allihanna nos proteja agora!


Off: Estou fazendo um teste de Diplomacia com bônus base de +4. Caso entre o bônus de Inimigo Predileto seria no total +8. Caso entrasse Empatia com Animais seria no total +13.
Cassandra

A vampira se posiciona próxima a Mari, preparada para tentar domar a fera caso a Garou perca o controle (OFF: Ação preparada para usar o Toque Anestésico de Obeah).

- Os Garou são um povo em guerra. Você também não é um poço de educação, Guerra, e deveria compreender isso. Você não sabe o que é a batalha contra a Wyrm, e o quê eles têm de enfrentar todos os dias para sobreviver e tentar manter esse mundo inteiro mais um tempo. Nem o quê é viver com uma besta de fúria primal dentro do peito...

- Sim, majestade. Começou. Esses são a alcateia da profecia. Incluindo sua filha, Emilly. E sim, Amanda é Último-Ômega. Sei que tem muitos motivos para não gostar dela, Fúria Negra, mas não é o momento para brigarmos por isso. Essas pessoas não estão habituadas à vida na Nação, compreenda que, ainda que estejam na profecia, nada disso é uma obrigação para eles.

- Pessoal, esses são Garou de grande renome e respeito, reconhecidos em toda a Nação Garou e por muitos outros mundo afora e por todos os espíritos. A guerra é constante e torna os ânimos exaltados, mas são pessoas de respeito e merecem o respeito de vocês também.

- Emilly, antes que se escafeda, lembre-se que você só vai piorar sua situação fugindo assim. Fique e nós resolveremos tudo. Eu sou sua amiga, e estou do seu lado.

Iron Man escreveu:Sandra observa a ação de Cassandra e mesmo esperando a reação dos garos ela fica olhando atentamente para eles. Analisando os mesmos, vendo seus pontos fortes e fracos. E quando nota que o homem mais alto é um rei ela se dirige a ele em inglês e diz:

--Majestade. Desculpe por nosso amigo, infelizmente sua sanidade está abalada e ele não sabe medir o que fala. -- Sandra diz isso olhando de canto de olho para Guerra, e continua. --Ele é Inimigo-da-Wyrm, acho que é assim que se pronuncia. Pode ser meio insano, mas é um guerreiro sem igual.

E a jovem observa os garou esperando a reação deles.
Lienn escreveu:*Emilly apenas para onde esta, estanca feito um carro velho:*


---Mas.. mas... ele vai me....

*Saeko olha para eles e diz:*

---Não tenho que ficar me explicando para o pai dos outros, só devo satisfação ao meu pai e minha mãe e ao meu Shogun... esse cara não é nenhum deles
Berserker_Lancelot escreveu:*Sanosuke saca sua katana e sua esposa se põe em posição  combativa pronta para tacar os seus "algozes" ao menor sinal de agressão*


---Quem são eles Cassandra ? o que eles querem ?

*A esposa de sanosuke olha e diz.*

--estou com medo sanosuke-kun
monteparnas escreveu:Cassandra

- Sim, o homem desbocado seria capaz de enfrentar uma alcateia de Dançarinos da Espiral Negra sem pestanejar, e ainda não alcançou o ápice do próprio potencial. Ele é difícil de lidar, mas será um agente útil na guerra contra a Wyrm.

- Saeko, ainda que não seja seu pai ou seu Shogun, esse homem é um rei. Respeito é o mínimo que você deve a ele, e ele pode ter mais a lhe oferecer do que você pensa. Majestade, essa é Saeko, Lâmina-do-Além, e como profetizado, não deve ser esperado que faça alguma coisa apenas porque achamos que é o certo. Mas talvez os Hakken tenham mais condições de convencê-la.

- Emilly... você vai ficar bem. Confie em mim. Não dá para fugir dos problemas para sempre, mas essa é a hora de resolvê-los. Você está entre com amigos aqui. É hora de encarar o seu futuro, ou você quer correr o resto da sua vida?

- Sanosuke, eles são líderes dos Lobisomens, da Nação Garou. São amigos. Albrecht é rei da tribo dos Presas de Prata, e por consequência rei da Nação Garou. Meu rei, e tenho muito orgulho em servi-lo, apesar de não poder dizer o mesmo de muitos de sua tribo.
Lienn escreveu:*Saeko  fica  calma e diz:*

---Esta bem Cassandra, eu fico quieta..

*Saeko Sauda ao modo dela albrech como um rei deve ser saudado em sua cultura e depois diz:*


---Onde esta a tecnocrata que tinha coragem até de mamar em um tigre ? encolheu ? é bem bizarro ver você com medo...

*Emilly ouve o que cassandra falou e apenas fica em estado de alerta padrão da tecnocracia, não baixa a guarda, mas fica preparada para escapar ou se defender.
Ao ouvir saeko ela diz:*


----Não sabe da missa o terço de que esse cara é...
klebersm17 escreveu:Guerra

- "Não vou respeitá-lo só por ele ser um rei. Se ele quer meu respeito terá que me provar que é um bom líder pro seu povo. E ele vai ter que começar em respeito negativo, por ter entrado sem ser convidado, quebrado a janela, nos ameaçado e sua companheira ter hostilizado a Amanda."

Guerra se senta em um local próximo e fica em silêncio. Mas alguns segundo depois ele se levanta e fala:

- "Mas caso ele concorde em me treinar, para eu aperfeiçoar minhas habilidades de luta e combate ele já terá um enorme respeito bônus meu."

Ele fica em silêncio e depois fala com uma voz e expressão de decisão e seriedade total:

- "É sério Albretch. Eu quero muito ser treinado pelos Garous. Lobisomens dos contos já são guerreiros sem igual, os Garous então devem ser a realidade dos contos e mais um pouco. Mas não ache que estou babando seu ovo. Ainda não fui com sua cara."
Pontus Maximus escreveu:Amanda Sato:

Depois de a fronta eu simplesmente me acalmo e digo:

-Agora vocês vem é por isso que sou ronnin e cristã. E alem do mais vinheram apenas para fazer um espetacúlo e a ameaças?

Depois de um tempo:

-Não me recuso em lutar ao lado de garous tribais mas exijo respeito, até porque não sou filha da Wyrm.

Conhecendo que Garous são cabeças quentes começo a mudar de forma, apenas para a Glabro.

_________________
In fearful day, in raging night,
With strong hearts full, our souls ignite,
When all seems lost in the War of Light,
Look to the stars-- For hope burns bright!
avatar
Monteparnas
Mentor
Mentor

Mensagens : 408
Data de inscrição : 14/11/2013
Idade : 30
Localização : Sobradinho, DF

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Operação Retorno (IN GAME)

Mensagem por Monteparnas em Sab 23 Nov 2013 - 9:59

Mamorra escreveu: Petersen Way, Kenai, Estados Unidos – Pouco depois das 14:00 - Nublado.

Quando ouve as palavras de Guerra, a mulher Garou treme de fúria, mas logo depois se acalma, ao ouvir que ele 'não bate bem da bola'. É apenas um louco. Mari não tem paciência para isso, e passa apenas a ignorá-lo. Ao invés, se volta com desprezo evidente para Amanda:

-- Respeito não se exige, sua bostinha, se conquista. Quando você tiver feito por Gaia, o mundo, ou chame do quê quiser, a metade do que eu faço em um final de semana, eu começo a pensar no seu caso. E não misture as coisas. Você é ronin porque ninguém te aguenta. Minha tribo tem um Kuklos... uma facção... inteira de cristãs, e nenhuma delas é uma surtada incapaz de admitir a existência de alguma coisa que não está na bíblia, mesmo que a coisa esteja dançando na frente dela. Então cale a latrina que você chama de boca, ou eu calo ela para você.

Antes que a mulher se exalte demais, o outro homem, o menor do grupo, segura o braço dela gentilmente para acalmá-la.

-- Acalme-se, Mari. Ainda que não seja do seu agrado, ela não é nossa inimiga. Nenhum deles é. Você conhece a profecia, e conhece nossa missão.

-- Quanto a vocês, peço que entendam duas coisas. Uma, que a invasão foi necessária, e a forma como aconteceu foi estratégica. Necessidades militares.

-- O que nos leva ao número dois. Nós, os Garou, estamos em guerra. Nós temos um mundo para proteger e uma besta apocalíptica para deter. Em meio ao estresse e necessidades da guerra, muitas vezes não temos tempo nem paciência para boas maneiras.

-- De toda forma, peço desculpas pelo que aconteceu aqui se isso lhes incomoda tanto. Se o tempo da Segunda Profecia começou, então nos resta realmente pouco tempo para fazer muita coisa. Nós não somos um povo polido, e não mudaríamos nem se tivéssemos o tempo para tal, mas o mundo precisa de nós bem agora, e não depois que tivermos tempo de sentar pra tomar chá e resolvermos nossas diferenças.

-- Desculpem se tiverem que aguentar esse tipo de coisa, mas são as nossas e as suas famílias que vão pagar se nós brigarmos aqui.


Enquanto isso, o homem que foi identificado como um rei, alto e de cabelos perfeitamente brancos, olhava para Emilly. Quanto mais ele a olhava, mais sua expressão se desmanchava, se desarmava. Do olhar de um fanfarrão foi se enchendo de carinho, com um toque de saudade. E conforme Emilly respondia com nervosismo crescente, o carinho saudoso virava preocupação e se intensificava.

Finalmente ele se aproximou dela, se ajoelhou e a segurou...

-- Filha... minha filha, eu...

O grito que seguiu partiu duas janelas da casa e o coração de um pai.

Mesmo Saeko não tinha o quê dizer agora. Emilly estava completamente transtornada. Ela se debatia nos braços dele, completamente fora de si, gritando como uma louca, o olhar perdido como se focado em monstros imaginários. Não parecia em nada a mulher segura de si e de sua independência de momentos antes.

Ela lutava para se soltar, o agarrava, o abraçava, urrava de ódio, gritava de pânico, pedia socorro para o pai e que a socorressem dele, e que a socorressem da mãe, dos magos, dos humanos, das Tradições, da Tecnocracia, de tudo. Ela pediu ajuda a Daniel Stuart, seu superior, seu amante, seu marido, então gritava juras de matá-lo e falava do marido Garou.

O quarto parecia se distorcer. Distâncias e direções perderam o sentido para todos lá dentro. Quem tentou se aproximar se viu incapaz, como se a distância nunca diminuisse, o próprio espaço conspirava para isolar Emilly, e apenas seu pai estava com ela. E mesmo para ele as coisas não foram fáceis.

Todos ouvem uma mensagem do sistema que parecia proteger a casa:

-- Sistemas falhando. Distorções de espaço ultrapassando massa crítica. Brechas na Película identificadas e se multiplicando, invasão de Efêmera iminente.

As luzes se distorciam aonde parecia abrir-se rasgos no meio do ar. E desses rasgos começaram a sair entidades estranhas, parecendo feitas de algum material impossível. Algumas se solidificaram, outras pareciam ser feitas de vento colorido. Algumas eram bestas míticas, ou animais comuns em tamanhos enormes. Outras eram alienígenas saídos de filmes baratos de ficção científica, robôs estranhos e sem sentido, demônios, anjos, deuses, figuras geométricas dotadas de animação própria.

Os dois Garou que acompanhavam o tal rei mudaram para a forma de combate e ficaram atentos às entidades, sinalizando para que todos estivessem prontos para brigar se necessário, ao que as magas prontamente atenderam, e em seguida o fez a menina Sarah. Mas não foi preciso brigar. As próprias entidades pareciam lutar contra o que quer que as estivesse mantendo nesse mundo, embora poucas tenham conseguido voltar para sabe-se lá de onde vieram.

Mas perto de Emilly, as entidades pareciam se mover contra a vontade, comandadas por um titeriteiro invisível. E se atiravam perigosamente com garras, presas, e coisas mais estranhas, contra o rei Albrecht. Mas ele não soltava a mulher. A segurava firme, mas sem machucar, com o olhar desesperado procurando um laivo de sanidade em meio ao balbucio desvairado de Emilly.

Uma forma começou a se formar em pleno ar. Uma entidade como as outras, que parecia se construir com material saído da cabeça de Emilly, mais material tomado das entidades ao redor (que não estavam felizes com isso, mas não pareciam ter muita escolha). Conforme crescia e se formava, parecia assumir a forma de um ser humano de tamanho normal. Uma mulher. E Emilly focou essa mulher, a primeira coisa que ela pareceu ver de verdade desde que começou a gritar.


Albrecht, no entanto, não desgrudou os olhos de Emilly. Ele notava a mulher com o canto do olho, e lágrimas escorriam por sua face, mas ele continuou focado em Emilly.

-- Não é a sua mãe! Emilly, me escute, não é a sua mãe! Sua mãe se foi! Todos nós estamos... eu... eu também sinto falta dela, mas essa não é ela... por favor...

-- Por favor, minha filha. Volte pra mim. Eu não vou aguentar perder você também...


Por um instante Emilly pára, e com ela todas as coisas acontecendo. Ela olha o homem de verdade pela primeira vez, e direto nos olhos.

-- Vai ficar tudo bem, filha. Eu prometo, vai ficar tudo bem.

Emilly desaba tremendo nos braços do pai, soluçando, exausta.

Pela janela, carros estão cercando a casa. A voz já conhecida do sistema geral da casa anuncia:

-- Aqui é a Nova Ordem Mundial. Agente Romanov, retorne para recondicionamento imediato. A União Tecnocrática solicita aos Trangressores da Realidade presentes que se apresentem para devida Reeducação. Esse é o único aviso.
klebersm17 escreveu:Guerra

Guerra cerra os dentes e grunhe então fala:

- "Aviso? Vou enfiar um aviso no meio do seu c..."

-"Todos atenção! Não me questionem, ouçam. Estamos cercados, não dá simplesmente para sair daqui andando numa boa. Precisamos de uma distração, mas uma distração eficiente, pois imagino que a tecnologia que possuem seja bem avançada. Quem pode fazer  isso? Esuna, você é capaz? Além disso precisamos de um meio de locomoção muito rápido, pois concerteza eles nos perseguirão"

- "Albretch pelo visto sua filha não está em condições de lutar. Assim que conseguirmos uma distração se transforme em sua forma mais rápida e a retire daqui. Acho que você pode cuidar dela, mas tome cuidado pelo visto Emily tem poderes que nós não sabiamos, e esses poderes podem ser bem perigosos."
Pontus Maximus escreveu:Amada Sato:

Olhando para a Fúria Negra:

-Sou ronnin e com alegria, sua feminista louca, e eu não tenho medo de você.

Nesse instante de Glabro mudei para a Crinos e permaneci assim, me prontifiquei para dividir aquela garou ao meio.

-Seus feitos não são nada se não tiver amor por aqueles que não gostam ou acreditam em você.

Quando o pau ia quebrar o rapaz apartou as coisas mas e nos aquietamos.

Quando a Tecnocracia bate a porta eu imagino logo que a Tecnocrata havia nos traido, mas creio que é cedo demais pra dizer isso.

Mesmo na Forma Crinos eu pego minha pistola:

-Major eles não vão esperar para sempre, se Esuna não puder criar uma distração talvez eu tente criar uma.
monteparnas escreveu:Mellody

- São muitos e já cercaram o prédio. Fugir sem magia vai ser impossível, e a melhor maga de Espaço disponível acabou de quase se tornar uma Desaurida. Acredito que a melhor opção contra esses malditos seja fritar até o último. O que é ótimo, ainda vou querer acertar as contas pela minha última estada em Autoctonia.

- Sarah, minha filha, se conseguirmos uma brecha no meio da luta você VAI FUGIR, ENTENDEU!? Não precisamos de crianças tentando ser heróis aqui! Proteja... proteja a Emilly e vá com ela assim que tiver oportunidade...

- Cassandra, por favor, cuide delas também, eu sei que você tem uma chance melhor. Não sei como consegue, mas sei você não é notada quando não quer.


Melody já empunhava a pistola em uma mão e preparava seu material médico com a outra. A Tecnocracia ia ter de se esforçar muito para derrubá-la ali. E se fossem vencer, Melody ia vender bem caro essa vitória.


Sarah

A menina estava nervosa com tudo que acontecera até então. Esse tipo de situação ainda era mais nova para ela que para qualquer outro. Mesmo assim, ela tratou de assumir a forma de combate. Mesmo para os Garou mais experientes, o lobo branco não era uma coisa que se vê todo dia, muito menos do lado deles da briga, e o glifo na fronte da menina não era visto em batalha literalmente a séculos atrás. Ainda assim, era um filhote sem experiência, renome ou tribo, e se curvou levemente ante às palavras da mãe, falando com a voz gutural da forma Crinos.

- S-sim, senhora, mamãe. Mas se não der pra fugir eu v-vou ajudar vocês! E-eu vou tentar não perder o controle, mas eu vou lutar. Eles não vão tocar na tia Emilly. Pode deixar, seu Jonas, eu arranco o braço que tentar tocar nela!

A confiança da menina crescia aos poucos, mas ainda era pequena. Ainda era apenas uma menina entrando na adolescência, com todas as inseguranças normais adicionadas ao horror do que se tornou.


Cassandra

- Arton enfraqueceu um pouco meus poderes, minha amiga. Mas verei o quê posso fazer. Antes de mais nada, vamos ver o quê estamos enfrentando.


Com um instante de concentração, a Cainita some diante dos olhos de todos. Até mesmo os lobisomens perdem o cheiro dela, como se nunca houvesse estado ali. A próxima coisa que sentem é o movimento violento do ar, e em seguida Cassandra (e seu cheiro) surge de novo, mais perto da porta.

- São seis carros cercando a casa e dois carros de suporte. Apenas oito auras são de magos, e pelo nervosismo deles eu diria que metade é verde, nunca esteve em campo contra TRs antes. No total, são 5 tecnocratas com experiência indefinida e 3 novatos que não devem dar muito trabalho.

- Mas os carros estão cheios, eles trouxeram amplo reforço humano, e um reforço não humano, uma das máquinas de guerra deles. Eu acho que a máquina ainda está desligada, mas pronta para ser ativada se as coisas esquentarem. Não diria que eles esperavam encontrar muita resistência, mas não vai ser uma batalha fácil para nós.



OBSERVAÇÃO: Cassandra combinou Auspícios, Celeridade e Ofuscação. Ela gastou 1 de Vitae para conjurar Recuo Acelerado como Ação Livre, 1 de Vitae para conjurar Velocidade como Ação Livre, ganhou +10 em Destreza por 1 minuto, fez o teste de Furtividade sem precisar de cobertura pelo efeito de Ofuscação, com um bônus de +35, não precisou ir longe para analisar os inimigos com Auspícios, teste de Percepção +31, teste de Intuição para ler auras +35.
klebersm17 escreveu:Guerra

- "Mas que droga! Como eu queria uma bazuca agora! O máximo de estrago que consigo infligir são 4 granadas. Além disso é bem provável que estejam com armas de prata."

- "Bem estamos cercados, eu precisaria de mais granadas, mas apenas essas quatros terão de servir. Infelizmente todos teremos de lutar. Dividiremos a casa em um quadrado, cada um do grupo pega uma granada e  vai para um dos lados do quadrado. Ao sinal arremessem as granadas contra o inimigo. Não deve causar muito dano no geral, mas com sorte conseguiremos acertar os carros, com os mesmos explodindo acertarão quem tiver perto ou dentro, e nos darão mais chances na fuga."

- "Cassandra você já mostrou que é boa em se esgueirar. Foque nos magos."

- " Assim que a batalha começar os Garous, eu, Melody, Saeko e Sandra, sairemos da casa em direção ao carro que contém o robô de batalha. Os Garous e Saeko abriram caminho na porrada, e eu Melody e Sandra viremos atrás dando cobertura e abatendo qualquer inimigo que tentem acertá-los a distância."

- "Sanosuke, você é um dos nossos diferenciais. Qualquer efeito de controle coletivo que você possa usar será bem vindo. Se possível conjure alguma proteção em Cassandra antes dela partir, também se possível a ajude com os magos."

- "Assim que o robô e os magos estiverem neutralizados entramos em um carro e damos no pé."

- "Atenção, nenhum plano resiste ao contato com o inimigo. Caso as coisas corram de bom modo sigam o plano, caso não ocorra, deveremos improvisar. Mas lembre-se de abater quem pode causar mais dano. Mantenham os sentidos abertos. Que Nimb nos role acertos críticos em todos os testes."
Iron Man escreveu:Sandra estava vendo toda a situação meio tensa, mas quando o jovem do trio de garou pediu desculpas ela pode ficar mais calma e acenou com a cabeça que aceitava as desculpas. Contudo quando o Rei chegou perto de Emilly e a realidade se distorceu ela não pode se conter e disse:

--Mas que porra é esta?!?!

Porém antes de pudesse fazer algo Albrecht "conseguiu" acalmar Emilly, que parecia ser a fontes destas alterações, sabe Deus como isso funciona. Infelizmente não houve tempo para ela respirar, pois já estavam cercados e em uma situação quase sem saída.

Então, após escultar as ordens de Guerra e as informações de Cassandra ela diz:

--Se é distração o que querem deixe comigo. Tô louca para dar tiro em alguém.

Assim, Sandra puxa seu fuzil, engatilha a arma e se posiciona perto da janela, mas com cobertura parcial e olhando para fora ela fala em alto e bom tom em inglês:

--Essa é a minha resposta seus tecnocratas FILHOS DA MÃE!!! -- E a jovem prepara dar tiros contra os tecnocracia utilizando toda sua experiencia em enfrentar seres humanoides.


Off: Estou preparando para atirar usando Tiro Multiplo, Tiro Certeiro, Tiro Preciso e Inimigo Predileto +4 contra humanoides com o meu fuzil mais poderoso. E estou usando a parede onde está a janela para ter cobertura parcial.
Berserker_Lancelot escreveu:*Sanosuke anda um pouco para frente e diz:*

---Fiquem todos onde estão ou vão atrapalha minha doce Yumiko...

*Sanosuke se põe em posição combate e diz:*

---Pode dar um jeito neles sem termos que nos sujar ?

*Yumiko simplesmente diz:*

---Hai sanosuke-kun


*Yumiko tira um leque extremamente enfeitado de suas vestes*



*e começa a dizer em mandarim*

----偉大的靈魂,我的土地,破壞人類之火淨化那些誰也不敢攻擊公務員榮譽

(Grandes espiritos, seres de minha terra, destruam com o fogo da purificação aqueles que ousam atacar os servos da honra)


*e começar a recitar palavras mgicas com ele e lá fora uma começa um tremor onde os tecnocratas estavam e pode server a luz estranha vinda do lado de fora*


Sanosuke tambem faz seu trabalho  ecomeça a recitar mantras

---大林武,幫助我指導都在這裡精神的土地,離開這個地方,沒有不被人尊敬的
(Grande Lin Wu, ajude-me guiando todos aqui para terra dos espiritos e para longe deste lugar sem honra)

*Abre-se um portal  para um lugar misterioso, a umbra para quem conhece e ele diz:*

---podemos ir embora, vamos logo

*Magias usadas, erupção de Aleph maximizada e potencializada com yumiko e teletransporte planar com Sanosuke*
monteparnas escreveu:Melody

- GUERRA, SUA MULA, PÁRA!

- Você não tem nenhuma experiência enfrentando a Tecnocracia, então fique quieto e deixe os planos para quem sabe lidar com eles.

- Deixe eu explicar uma coisa sobre esses tecnocratas: ELES SÃO MAGOS! Podem focar a magia deles com tecnologia, mas ainda são capazes de fazer coisas que vocês nem imaginam! Além disso, são uma organização pára-militar extremamente antiga e eficiente. Parem de agir como se estivessem lidando com amadores, ou vão acabar mortos.

- Emilly, eu já me reabituei à nossa Tellurian, você está pronta? Quer se entregar como um cachorrinho obediente ou nos tirar daqui? Se está comigo, proteja a casa porque eu vou fazer um estrago... Sandra, SAI DAÍ! ELES VÃO SE VER COM UMA ARQUIMAGA DO PRIMÓRDIO!


Melody observa pela janela a erupção de magma começando a se formar sob um dos carros da Tecnocracia. Um brilho no olhar da maga/médica é tudo que antecede a explosão, conforme os tremores se expandem e o magma mágico toma TUDO. Com uma intensidade inesperada, uma temperatura inimaginável, e um poder mágico que desafiaria qualquer um em Arton a dissipá-lo.
Lienn escreveu:Emilly

*Emilly tremia nos braços do pai e dizia chorando:*

----Me desculpe, Papai, me desculpe... Eu sinto muito...

*Depois ouviu a Nova Ordem mundial chamando e falou:*

---Bem esta na hora de mover os muculos de novo... vamos ver como posso fazer com que eles tenham uma morte lenta e dolorosa por ousarem dizer que eu preciso ser recondicionada....
Eu sou a Dama Ferro da tecnocracia, ninguém me diz o que fazer...

Acha mesmo que eu vou me entregar a Eles mellody ? eu não sou burra, eles vão no minimo me lobotomizar se eu for....


*Emilly pega um óculos no bolso e um Tablet e digita algumas coisa e começa a criar uma proteção para que a casa não seja destruída e depois ela concentra o foco para que a erupção não se espalhe pela cidade e foque nos tecnocratas, depois ela com que o portal aumente de tamanho e arrasta a casa como se fosse um brinquedo (sem danifica-la) para umbra.*


Saeko

*Saeko olha para amanda e diz:*

---E quem é você para critica-la e dizer que ela não retribui o amor que as pessoas que se importam com ela demonstram... você é uma puta de uma escrota Amanda.... e qual o problema de ser feminista.. pior é ser como vc que quer se submeter a qualquer um que tenha um membro entre as pernas...
Você é uma piada e é muito arrogante sua escrota...


*Ao ver o que emilly faz saeko fica assim*




*Saeko se preparava para agir, mas foi parada pela surpresa de ver a mulher de Sanosuke fazendo magia:*

---Perai.. ela é uma maga ?




*Depois ela vê mellody  e Emilly acabando com tudo e fica parada olhando como uma criança vendo uma chuva de fogos de Artificio e diz:*

--O sanosuke... vc não avisou que sua esposa era uma maga....

*e depois de toda a destruição ela apenas fica assim*

klebersm17 escreveu:Guerra

Guerra observa Mellody e Emilly fazerem tudo de uma forma tão fácil que ele fala:

- "Mas que merda eu estou fazendo aqui então? Pra que precisam de mim? Ah se fuder! Pra que todo meu treinamento?"

Ele se senta no chão de pernas cruzadas, cruza os braços e diz:

- "Beleza! Vão façam tudo sozinhas."
Pontus Maximus escreveu:Amanda Sato:

Depois desse estrago todo ainda fico em posição defensiva, retaliação quase sempre acontece. tentando adquirir um ponto mais estratégico nisso tudo.

-Hummm.... facil demais isso nunca é fácil de mais.

Com Saeko:

-Hum..... é dificil ouvir um conselho seu, vindo de uma mulher que seduz e dorme com o noivo das outras, apagando de sua mente pertubarda uma das poucas razões de se manter sã, e dane-se se ele concentiu. Agora vai ajudar nesse briga ou vai me encher o saco?
Mamorra escreveu: Umbra – Horário indeterminado



A casa se move como por mágica (e é), e depois de um tempo repousa de novo. O grupo nota que há algo de diferente no ar. Também têm a impressão de estarem sendo observados, mas não parece ser nada hostil. A luz do mundo lá fora não é mais do começo da tarde, mas um tom
opalescente de crepúsculo. Jonas Albrecht se ergue, espantado, olhando ao redor e para Emilly boquiaberto.

-- Minha filha... eu não sabia que você era capaz

dessas coisas... o quê mais você ocultou de mim todo esse tempo? Isso é

incrível... filha? FILHA!


Emilly e Melody caíram ao chão, quase juntas. O espaço se distorcia mais
uma vez enquanto Melody se arrastou até Emilly e se concentrou. O
fenômeno que começava atraía uma sensação estranha, mas logo cedeu,
parou. Mas as duas se contorciam com muita força, começaram quase
imediatamente a passar muito mal. As duas magas vomitaram copiosamente,
sujando o chão de restos poucos de comida, bile e sangue, a pele
apresentando escoriações espontâneas aqui e ali. Não conseguiam se
levantar, ou sequer falar,A dona da casa comenta:

-- Paradoxo... elas pagaram o preço para nos trazer em
segurança... eu vou cuidar delas, vocês verifiquem se estamos sozinhos e
protejam a casa.


Depois de alguns minutos de silêncio, sanosuke fala:

-- Nobre rei, quem era aquela, mulher?

-- Era minha esposa Eva Albrech, a muito tempo morta.
Na verdade a forma dela, não era ela realmente... ela se foi a muito
tempo atrás. Aquilo foi um espírito que Emilly criou, não sei como minha
filha é capaz disso, mas não era ela de verdade, apenas um espírito com
sua forma... muita coisa mudou na nossa família depois que ela se foi.
Ela era o Laço que unia nossa família, depois disso, nós dois nunca mais
fomos os mesmos...


Yumiko, a esposa de Sanosuke, olha para o marido e em mandarim diz:

-- Sanosuke-kun será que você podia...? Você tem dois
deles, não? São uma família destruída... honra também fala de família
certo? É nosso Dever ajudar, eu penso.


Sanosuke pondera olhando para ela e diz:

-- Sim, é nosso dever, e nós vamos ajudar

Sanosuke pega um pergaminho em sua bolsa e o lê:

-- 強大的洛德林武,以您的名義來要求他的榮耀,主最榮譽,家庭盾,紅武士...
幫助我恢復榮譽和愛,缺乏這個女人,伊娃阿爾布雷希特,摧毀...
我來這裡不是我的名字,但在神聖的職責,我的家人和我的祖先的名字...
我的主,我來這裡履行我應該和你的名字超越界限的可能,因為沒有什麼是不可能的林武。
我的上帝回答我的請求,賜我這恩典,這帶來的靈魂放逐在這個家庭,再次關閉它們。

(Poderoso Lorde Lin wu, venho em seu nome e sua glória pedir para que o Lorde Máximo da Honra, o Protetor da Família, o Samurai Vermelho...
Me ajude a restaurar a Honra e o Amor que a falta desta Mulher,Eva
Albrech, destruiu...
Venho aqui, não em meu nome, mas em nome do dever divino de minha
família e meus ancestrais...
Milorde eu venho aqui para cumprir meu dever, e levar Seu nome além das
fronteiras do possivel, pois nada é impossivel para ti, Lin wu.
Meu deus, atenda minha súplica, me conceda esta graça, traga esta alma
há muito exilada do seio desta familia, para perto deles novamente.)



Passa-se ainda algum tempo em profunda oração. De alguma forma, todos os
presentes podem sentir o poder dessa oração, e uma presença suave,
longínqua. Mas que lembra aos viajantes do agora distante mundo de
Arton. Por um breve instante, Sanosuke sente a presença de seu deus
novamente, ainda que apenas uma sombra dela.
Depois disso o papel vira cinzas nas mão de Sanosuke. Voando, as cinzas
formam pouco a pouco o corpo da mulher antes vista, mas agora em carne e osso. Ela está em um belo vestido de seda vermelha, com o desenho de um dragão serpente, e apenas olha espantada para Albrech e para a filha.

Sorrindo, sanosuke diz:

-- Bem eu acho que isso não é mais um problema Lorde AlBrech. Com as graças de meu deus, Lin Wu, espero que possam ter diante de si a felicidade que lhes foi negada.

Albrecht observa espantado o que acabara de acontecer. Não era concebível que isso pudesse ser verdade. Na verdade, mesmo Sanosuke e Yumiko não tiveram antes muita ocasião de observar um feito deste nível. Para todos os outros, ainda que teoricamente possível em Arton, o que se sucedera era completamente novo.

O rei olhou desconfiado. Por um instante, em sua tempestade de emoções, quase pulou no pescoço do japonês (ou assim ele o julgava, só agora compreendendo que a parte da profecia sobre vir de outro mundo podia ser terrivelmente séria). Finalmente, berrou para a mulher Garou.

-- MARI! POR FAVOR, USE TUDO QUE VOCÊ TIVER À DISPOSIÇÃO, MAS DESCUBRA QUE ENGODO É ESSE!

Mari Cabra se aproxima da mulher assustada. Ela se concentra por muito tempo, incerta, fareja o ar perto da mulher... e a abraça, feliz.

-- Eva! Como... como isso é possível!? Nós vimos você... você morrer...

-- É ela, Albrecht! Eu não posso explicar, mas é ela! Nenhuma mácula, nenhum nada, é apenas ela!


Albrecht não entende o que está acontecendo. Parece aturdido e perdido no mundo. Mas se aproxima, toma nos braços a filha, ainda fraca e suja, e a esposa, revivida, e as abraça. E Albrecht chora.

Após um instante observando essa cena tocante, a anfitriã do grupo, igualmente aturdida, sai de seu espanto e se volta a todos:

-- Muito bem, mas o quê nós vamos fazer agora? Estamos perdidos sabe-se lá aonde na Umbra, e minha casa foi encontrada pela Tecnocracia. Vocês precisam repensar seus planos, e nós precisamos arrancar o rastreador que colocaram em Emilly.
Lienn escreveu:*Saeko Olhava tudo abismada e chocada Aparte da casa ter sido levada e diz:*


---Mas que merda é essa, vocês duas arrebentaram a boca do balão...


*Ao ver que as duas caem desmaiadas e extremamente feridas Saeko faz menção de ajudar mas, Verônica já havia tomado a frente e dado a ela o que fazer, o que deixara Saeko com seus Pensamentos e suas duvidas, mas nada a prepara para o que esta por vir A umbra deixa Saeko de queixo caído e ela apenas engole seco*


*Saeko Vê Sanosuke Ressuscitar a mulher do nada e diz:*

--Ta bom o cara me provou por A+B que tem alguma coisa de diferente no deus dele, ele trouxe alguém dos mortos e do nada na minha frente, isso é quase uma prova que...

A meu pai Não é que o tal do Lin wu é de verdade? mais De verdade que muito gato por lebre que tão vendendo por ai...
O cara não é nem um escolhido ou predestinado do cara é só tipo um sacerdote...
Agora estou começando a achar que tem coisa errada aqui...
monteparnas escreveu:Sarah

- Mamãe!!!


A menina-loba estivera pasma até o momento em que a mãe caiu. A partir dali, teve de ser contida enquanto a mulher cuidava das feridas. Sarah nunca vira nada disso. Ela sabia que havia algo em sua mãe, mas isso! Superava toda e qualquer expectativa. Mas agora a mãe parecia estar morrendo, e o que a mulher falou não a confortava.

Sarah não reverteu à forma natural em nenhum momento. Ela queria estar pronta. Queria proteger a mãe. Queria abraçá-la e cuidar dela. Ela era incrível, mas agora estava morrendo para protegê-la...

Quando Sanosuke operava seu longo milagre, Sarah se concentrava na sensação. Era leve, mas era um certo conforto. E trazia alguma esperança indefinida, um conforto para o coração da adolescente. Mas isso não diminuiu sua surpresa quando a mulher voltou à vida.

Felizmente a essa altura a situação de Emilly e Melody já estava levemente melhor, e ela pôde abraçar a mãe. E desde então ainda não fazia menção de soltar Melody. O milagre de Sanosuke era incrível, e talvez um dia... Sarah não queria pensar nisso. Antes não precisar dele. E assim, ela voltou a cuidar da mãe.


Cassandra

- Eu ouvi estórias sobre isso em minha estada naquele mundo, mas não consigo acreditar! S-será...?

- ...

- Majestade, isso é uma mostra de quão incrível é aquele mundo. O lugar para onde nós vamos. A Profecia estava certa. Esse homem veio de lá e... isso é um milagre...


Cassandra logo se prontificara a ajudar a cuidar de Emilly e Melody, e suas habilidades de cura eram formidáveis, mas ainda assim não bastavam. As feridas eram de uma natureza peculiar, incomum demais. Ela já tivera a oportunidade de conhecer, com um antigo colega do caern. Paradoxo, o Mal dos Magos. Feridas que Gaia infligia aos que tentavam dominá-la de forma tão crua.

Mas o milagre de Sanosuke lhe tirara toda a atenção por um bom tempo. Aquilo era, mesmo com todas as maravilhas que ela sabia existir, impossível. Pessoas se tornam magas. Se transformam em bestas. Permanecem nesse mundo depois de mortas. Algumas até se tornam imortais. Mas elas não voltam dos mortos. Não assim.

O espanto só se dissipou um pouco quando Verônica fez questão de lembrá-los das novas dificuldades e decisões a tomar.

- Você tem razão. Mil desculpas por todo o transtorno que lhe causamos. Mas agora temos que pensar em como proceder. Vamos precisar de um guia pela Umbra, e vamos precisar de um meio de sair. Um meio que não tente matar nossas amigas de novo.

- Majestade, eu imagino que estão ocupados, mas por hora estamos juntos nessa. Teremos tempo na jornada à nossa frente para que converse com sua filha. Mas se puder aguardar um tempo, precisamos que as duas estejam em condições de viajar. Além disso, eu cuidarei de tentar encontrar esse localizador, mas corremos o risco que a coisa possa nos encontrar, mesmo aqui.

- Desculpem, estou atordoada, não sei bem o que pensar, mas... estamos em perigo, ainda, e não podemos viajar com as duas assim. É isso.



Enquanto isso, Melody apenas sorri para a filha, mas ainda está fraca demais para falar.
Pontus Maximus escreveu:Amanda Sato:

Durante toda aquela situação esquisita, mas do que o padrão aquela cena também me chamou a atenção, fiquei pensando naquilo por um tempo. Mas depois eu sacudi a cabeça e tentei me lembrar do que a Bíblia dizia:

Em Pensamento:

Acho que é mais ou menos assim...... "no fim dos tempos........ se não tiver cuidado sinais e prodigios de mentiras enganariam até o povo de Deus que não vigiasse" Algo mais ou menos assim.

-Hummm será necessário muito mais do que um falso milagre pra me convencer.
Iron Man escreveu:Sinceramente Sandra não esperava aquilo tudo. Ela tinha visto coisas realmente fantásticas em Arton, mas isso acontecendo na Terra, sua "casa", na qual ela pensava conhecer, foi um pouco demais para ela. Por isso assim que eles chegaram, onde que se seja, ela ficou sentada em silencio tentando entender o que estava acontecendo.

Foi então que algo mais bizarro e maravilhoso aconteceu. Quando viu Sanozuke usar um pedaço de papel magico para trazer uma pessoa de volta a vida, pelo que entenderá era a falecida esposa do Rei dos Garou, ela ficou se palavras somente balbuciando coisas sem sentido.

E quando a família estava finalmente reunida e Verônica falou algo sobre está na Umbra, seja lá o que seja, Sandra simplesmente ignorou isso e foi em direção do sacerdote e começou a inqueri-lo com uma metralhadora de perguntas em português:

--Sanozuke! Como você fez isso? Por que senti a presença de algo enorme e sublime? Era Lin Wu? Seria possível sentir a presença de Allihanna aqui na Terra? Eu estou confusa e preciso saber o que foi isso!!! -- e assim falava Sandra segurando o sacerdote pelos braços querendo ansiosamente resposta para a sua alma. Ou assim parecia.
klebersm17 escreveu:Guerra

Guerra ao observar o que acontece e pra onde eles vão parar, fica preocupado. Dimensões novas escodem perigos novos. E ele não tem capacidade para avaliar esses perigos.

Quando Melody e Emily dão sinal que estão passando muito mau, ele nada diz, sua expressão é calma, mas ele fica preocupado. São duas pessoas que ele aprendeu a se importar. Mas ao ver que as mesmas começam a ter alguma melhora ele relaxa um pouco.

Mas nada seria mais estranho do que ver um ressurreição feita a partir do zero. Novamente ele nada diz, fica quieto na sua, procura não manter sinal de espanto. Mas ele sabe o quanto poderoso aquilo era. Após alguns segundos ele se levanta e fala aos presentes:

- "Esquadrão, estamos em local hostil e desconhecido. Minhas habilidades messa dimensão não são de grande valia, nem meus equipamentos. Por isso estou bem aqui ao aguardo de novas ordens e funções para mim. É um bom sinal todos estarem bem, pois assim torna nosso grupo mais forte para o combate e sobrevivência."

Ele não sabia o que aconteceu mas por um momento seus sentimentos retornaram, fracos mas retornaram. Ele consegue sentir satisfação por ver todos bem, e até é capaz de dar um sorriso sem motivos para Saeko.
Mamorra escreveu: Umbra – Horário indeterminado

Repentinamente o grupo pode ouvir sons ao redor da casa e se aproximando, alguns já à porta. Sons estranhos e risadas maníacas. Quando a porta e as janelas estouram,

entram no recinto oito criaturas. Demora um pouco para entender que são lobisomens na forma de combate.

Demora, porquê cada um é uma massa disforme de pelos cinzas e músculos, metade marcados por deformações grotescas, todos carregando peças de metal e fios que parecem

implantados na carne, alguns faiscando de eletricidade mal contida.

-- Espirais Negras! Evan, Mari, aqui! Vocês, se preparem pra mostrar do quê são feitos!

O líder, um monstro com três braços e uma bocarra na barriga, olha direto para Albrecht e ri por ambas as bocas. Gargalha.

-- Jonas Albrecht! Meninos, esqueçam a moça, temos uma presa muito mais saborosa aqui! Aliás, peguem-na também, vai ser ótimo o papai dela ver o que nós vamos

fazer!


Ao mesmo tempo que os recém-chegados avançam, Albrecht e seu grupo assumem a forma híbrida enquanto cercam as três magas e sua esposa, protegendo-as. Mas dá para ver

que os monstros vão se aproveitar deles estarem na defensiva. O líder avança com as presas arreganhadas contra os três Garou, acompanhado de outros cinco companheiros.

Os outros dois olham para o grupo espalhado na sala, em especial com ódio para Sarah, e gargalham como maníacos. O som de mais coisas se aproximando pode ser ouvido.

[url]http//images2.wikia.nocookie.net/__cb20130929151850/whitewolf/images/6/6b/Jonas_Albrecht_crinos.png[/url]
Jonas Albrecht

[url]http//static.tvtropes.org/pmwiki/pub/images/Black_Furies_5985.jpg[/url]
Mari Cabrah

[url]http//darkblueangelsc.tripod.com/sitebuildercontent/sitebuilderpictures/.pond/werewolf.jpg.w300h446.jpg[/url]
Evan Cura-o-Passado

[url]http//seniorpaws.com/vtm/wp-content/uploads/Black_Spiral_Dancer_by_darknatasha.jpg[/url] [url]http//fc09.deviantart.net/fs71/f/2012/161/c/7/black_spiral_dancer_by_filhotedeleao-d52zq3z.jpg[/url]
[url]http//images2.wikia.nocookie.net/__cb20120229025514/gamelore/images/7/78/Black_Spiral_Dancer.JPG[/url]
Dançarinos da Espiral Negra

Um dos dois lobisomens ocupados com o grupo parece ter sido retirado de um estômago, a carne descolando dos ossos e a pele derretendo, o ácido ainda pinga no chão.

Pústulas recobrem todo seu corpo, e inúmeros fios desencapados estalam por toda a forma grotesca. Perto desse monstro, o outro parece alguém normal.

INICIATIVAS
Cassandra 24
Guerra 33
Saeko 31
Sandra 34
Sanosuke 21
Sarah 16
Yumiko
klebersm17 escreveu:Guerra

O militar entra em situação de combate. Seus sentidos alertas, preparado para o que acontecer. Ele analisa o posicionamento das pessoas e dos monstros na sala, caso o grupo de aberrações que está se focando em Albretch estiver a uma distância segura deles, ele arremessa uma granada contra os lobisomens da Umbra.
monteparnas escreveu:Cassandra

A vampira não pôde deixar de sentir certo alívio que os Dançarinos se mostrassem um tanto estúpidos. Não era a primeira vez que enfrentava os servos da Wyrm, mas tinha confiança que o grupo daria conta de apenas dois, e depois deles poderiam ajudar Albrecht com os outros.

O rei e sua alcateia dificilmente precisariam de ajuda com apenas 6 Dançarinos que nem mesmo eram amplamente conhecidos. O negócio era sobreviver às bestas à frente do grupo, e pensar no que mais estava chegando. Seus sentidos lhe alertavam sobre mais Dançarinos, com azar alguns fomores ou espíritos da Wyrm, mas a algazarra dos monstros atrapalhava que mesmo seus Auspícios dessem conta de quantos exatamente eram, ainda mais ainda se acostumando aos sons, cores e cheiros da Umbra.

Finalmente ela teria a oportunidade de experimentar alguns truques que aprendeu em Arton, junto com seus poderes modificados pela estadia naquele outro mundo. Concentrando brevemente e queimando sua Vitae para aumentar as capacidades físicas, Cassandra salta sobre o menor Dançarino da Espiral Negra que ataca o grupo, tentando agarrá-lo para fincar as presas.

Ela já está consumindo muita Vitae. E está com fome...

Ação: Queima 3 de Vitae para Reforçar com Sangue (Agilidade, Brutalidade e Resistência), e ainda recebe nisso os benefícios de Potência e Celeridade. No fim, recebe um Bônus de Força +12 (Total 24) e Destreza +12 (Total 22), a CA vai para 38, fica com Resistência a Eletricidade e Frio 36 e Redução de Dano 36/Adamante e Mágica.

Para fechar, Agarrar +22 contra o Dançarino da Espiral Negra.



Melody

A maga ainda está pagando o preço de sua húbris, e continua no chão, ferida demais para ajudar.


Sarah

Olhando diretamente nos olhos cheios de ódio do Dançarino mais aberrante, Sarah primeiro sente medo, mas em seguida deixa fluir o instinto e a Fúria que a tanto tempo vem reprimindo. E assumindo uma posição mais lupina que humana, com as garras no chão, ela toma uma grande golada de ar e deixa tudo isso fluir com um poderoso uivo!

<iframe width="420" height="315" src="//www.youtube.com/embed/uQ_gp-bE6YQ?rel=0" frameborder="0" allowfullscreen></iframe>

<object width="420" height="315"><param name="movie" value="//www.youtube.com/v/uQ_gp-bE6YQ?hl=pt_BR&amp;version=3&amp;rel=0"></param><param name="allowFullScreen" value="true"></param><param name="allowscriptaccess" value="always"></param><embed src="//www.youtube.com/v/uQ_gp-bE6YQ?hl=pt_BR&amp;version=3&amp;rel=0" type="application/x-shockwave-flash" width="420" height="315" allowscriptaccess="always" allowfullscreen="true"></embed></object>

Ação: Inspirar Coragem. Todos os aliados recebem +1 de Ataque e Dano, e em testes de Resistência contra Medo.
Iron Man escreveu:Nimb estava rolando os seus dados. Só podia. Pois no meio dessa situação complicada como essa, presos em uma estranha dimensão, agora havia oito criaturas deformadas que pareciam lobisomens estavam atacando-os.

Era uma coisa extremamente irritante para Sandra, além disso, havia algo em seu ser que dizia que aquelas coisas NÃO deviam existir, que representavam a entropia e destruição e que deviam ser eliminadas. Ela não sabia se era sua parte Lefou ou ensinamentos de Allihanna que dizia isso, mas era hora de agir e não de pensar.

Assim, Sandra puxou seu IMBEL IA-2 e mesmo perdendo pouco da sua mobilidade e precisão era necessário atirar rápido e mortal contra eles, e seu alvo seria o "monstro" ao lado que Cassandra parecia ir contra. Além disso, seu treinamento permitiria acertar em pontos fracos para maximizar os ferimentos.


OFF: Estou atirando com o IMBEL IA-2 usando o talento Tiro Rápido, e como eles devem está a pelo menos 9 metros de distancia todos os bonus vão entrar (Tiro Certeiro, Inimigo Predileto etc). Assim, será dois tiros com +15 e dando 2d8+15 de dano. E após isso vou gastar um Ponto de Ação para repetir o tiro, mas sem usar o Tiro Rapido, sendo com ataque de +17 e 2d8+15 de dano.


Última edição por Monteparnas em Sab 14 Dez 2013 - 7:52, editado 1 vez(es)

_________________
In fearful day, in raging night,
With strong hearts full, our souls ignite,
When all seems lost in the War of Light,
Look to the stars-- For hope burns bright!
avatar
Monteparnas
Mentor
Mentor

Mensagens : 408
Data de inscrição : 14/11/2013
Idade : 30
Localização : Sobradinho, DF

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Operação Retorno (IN GAME)

Mensagem por Lienn em Seg 25 Nov 2013 - 21:08

*Saeko olha de forma assassina para os tais animais em sua frente e se prepara sacando sua espada ela vai dar um golpe limpo e forte com uma velocidade incrível*

(Investida, ataque poderoso, golpe de execução,grito de kiai, golpe com as duas mãos)


_________________

In blackest day, in Brighest night
Beware your fears made into light
Let those who try to stop what's right
Burn like his power, Sinestro's Might.
avatar
Lienn
Mentor
Mentor

Mensagens : 107
Data de inscrição : 14/11/2013
Idade : 31

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Operação Retorno (IN GAME)

Mensagem por Gilgamesh em Sex 13 Dez 2013 - 14:33

*Sanosuke avança frente a criatura que ameaça seus amigos e usa sua espada*

( investida +ataque poderoso+ grito de kiai)

*Yumiko usa velocidade em sanosuke*

_________________
avatar
Gilgamesh
Mentor
Mentor

Mensagens : 4
Data de inscrição : 14/11/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Operação Retorno (IN GAME)

Mensagem por Mamorra em Sex 13 Dez 2013 - 18:50

Sandra reage rápido e mira sua rajada contra a criatura maior e mais deformada. Dos 3 tiros de sua rajada, dois acertam o alvo, e bem acertado. Deveriam causar um bom estrago. Mas a verdade é que mal desaceleram a criatura, que continua avançando a toda. (27 de dano o primeiro tiro, 26 de dano o segundo tiro, ambos reduzidos por RD)

Guerra avalia a situação (Teste de Estratégia, resultado 20). Os monstros são rápidos, muito fortes e muito resistentes. Albrecht e os seus estão em vantagem mesmo contra 6, mas a briga deles deve demorar um pouco. De toda forma, uma granada contra os monstros que o atacam seria péssimo, em um piscar de olhos os 9 lobisomens já estavam engalfinhados, e o dano maior seria para as mulheres indefesas que o Rei Garou está protegendo.

Mas devotar tanta atenção a eles foi um erro. O grupo é inexperiente e está muito mais vulnerável contra esses monstros. A tática deles parece simples: pular no meio do grupo e atacar sem distinção clara de alvo, com tudo o que têm. Contam com sua resiliência natural e força superior para finalizar esse combate logo. O grupo precisa eliminá-los rapidamente, com fogo concentrado, e isso não vai ser fácil. Cuidado especial: uma vez engajados em combate corporal, eles atacam com uma fúria extrema, que permite vários golpes de uma vez.

A maior criatura, a massa de músculos, pústulas e fios elétricos, investe contra o grupo com uma velocidade impressionante. Ele decide que a menina Sarah vai ser sua presa, e investe contra a Garou com fúria assassina. Ainda inexperiente demais, a menina não consegue se defender, e é ferida pelas presas furiosas, mas ainda assim resiste de pé. (Sarah sofre 23 de dano).

Uma das pústulas do monstro ainda estoura, e o jorro de ácido quase acerta Sanosuke, mas termina apenas fumegando no chão.

Para seu horror, Sandra pode ver os buracos de balas se fechando diante de seus olhos. A besta estava regenerando os ferimentos, e rápido.

Saeko investe com a espada em direção ao mesmo monstro medonho, e faz um corte terrível nele. (23 de dano, IGNOROU A RD). Para horror da criatura, esse corte passa como faca quente na manteiga pelo seu couro. Não tem a limpeza que a Samurai gostaria, mas assusta o inimigo.

O outro lobisomem investe contra Sanosuke, tentando arrancar, sem sucesso, um naco de sua carne. (22 de dano).

A Profeta-de-Sangue fica vermelha com o fluxo repentino de Vitae, e quando avança com as presas estendidas parece, ela própria, um monstro. Ela se move sem grande dificuldade através da fúria da criatura menor (ainda assim com mais de 3 metros), e num instante está se preparando para fincar as presas (pode usar Drenar Sangue na próxima rodada, se ainda estiver Agarrada).

Ignorando o animal que o ameaça, Sanosuke se concentra sobre o perigo maior, e investe com sua espada, fazendo outro corte que, para o horror do monstro, passa por sua pele como se ela fosse papel. (29 de dano).

Diante disso, o uivo de Sarah enche o grupo de coragem, mas deixa todos alertas: essa batalha precisa terminar agora. Yumiko conjura velocidade sobre o marido.

FINAL
Sandra: OK, -1 PA.
Guerra: OK, +1 de Ataque no próximo turno pela avaliação de posicionamento.
Mutante: 28 de dano a bala, 52 de dano das espadas. Está a menos da metade dos PVs, mas regenera o dano a bala todo turno.
Saeko: OK, está sem novos recursos até que a ficha esteja atualizada.
"Minion": OK, tem uma vampira no pescoço e está Agarrado.
Cassandra: OK, está bufada e no pescoço do anterior.
Sanosuke: 22 de dano, sob efeito de Velocidade, precisa colocar a lista de Magias Conhecidas e Preparadas.
Sarah: 23 de dano, precisa selecionar talentos e magias.
Yumiko: OK, precisa de uma ficha.
Essa lista está em ordem de Iniciativas.

_________________
avatar
Mamorra
Mentor
Mentor

Mensagens : 166
Data de inscrição : 14/11/2013
Idade : 31

Ver perfil do usuário http://orangovivo.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Operação Retorno (IN GAME)

Mensagem por Monteparnas em Sab 14 Dez 2013 - 9:05

Cassandra tenta cravar logo as presas e sugar o precioso sangue e vitalidade do Dançarino da Espiral Negra sob suas garras.

Sarah apenas tentava se defender, atacando com tudo o que tinha o lobisomem que tentava destruí-la.

_________________
In fearful day, in raging night,
With strong hearts full, our souls ignite,
When all seems lost in the War of Light,
Look to the stars-- For hope burns bright!
avatar
Monteparnas
Mentor
Mentor

Mensagens : 408
Data de inscrição : 14/11/2013
Idade : 30
Localização : Sobradinho, DF

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Operação Retorno (IN GAME)

Mensagem por Iron Man em Qui 4 Set 2014 - 3:29

Sandra olha espantada para a criatura que quase não sofre dano de seus tiros. Estes seres são tão fortes como a Cassandra falava e precisava agir rápido. Por isso ela manteve o foco e continuou a atirar na criatura que já havia acertado, com tiros curtos e rápidos. Assim, esperando que com tiros contínuos ele caia.

Off: continuar atirando contra o mesmo lobisomem com tiro rápido e todos os bônus.

Iron Man
Cliath
Cliath

Mensagens : 46
Data de inscrição : 16/11/2013
Idade : 40
Localização : Torre dos Vingadores, NY, Terra 616

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Operação Retorno (IN GAME)

Mensagem por Mamorra em Dom 19 Abr 2015 - 22:44

Fugir nunca foi fácil.
Fugir nunca foi bonito.
Fugir nunca fez bem ao ego.
Fugir nunca foi tão necessário.


Mas fugir pela Umbra era diferente. Andar pela Umbra era sempre diferente. O céu lembrava o que se acostumaram a ver em Arton e a água era doce como os riachos de Petrynia.

Cada paisagem lembrava aquele magnífico mundo e uma certa tristeza batia, ao saber que esse era o fim do seu mundo. O Apocalipse. Não aquelas coisas que se lia em livros, ou se via em filmes. Era real. E toda sua história, tudo o que a humanidade havia conquistado, em breve seria extinto. E, pra piorar, não havia como contar a ninguém. Não sem serem taxados como idiotas ou loucos. Não sem levantar suspeitas desnecessárias. E também não havia tempo.

Vancouver International Airport, Grant McConachie Way, Richmond, British Columbia, Canada – Manhã Ensolarada.

Após vários dias caminhando pelas belíssimas paisagens umbrais, onde todos puderam ver quão bela a Terra poderia ser, finalmente retornaram ao plano material, onde Veronica alugou dois carros utilizando um cartão completamente branco e todos seguiram para Vancouver.

Poucas horas foram necessárias para chegarem até o aeroporto, onde seus destinos temporariamente se dividiram. ESUNA 348 pegou vários pontos de ouvidos e entregou a todos.

-- Eles estão integrados aos meus sistemas e interligados aos satélites da Tecnocracia via várias Backdoors instaladas pelo mestre Jack. Sigam para seus destinos e eu retornarei à base para preparar a partida. Vem comigo, senhorita Larson?

-- Claro, ESUNA... Vamos preparar tudo. O Jack ainda me deve um drink...

-- O que pretendem fazer? – Interrompe Albretch – A Guerra já começou e nós precisamos organizar a Nação... Filha?! – Disse ele sem jeito – Vai correr com seu povo nessa hora crítica?

_________________
avatar
Mamorra
Mentor
Mentor

Mensagens : 166
Data de inscrição : 14/11/2013
Idade : 31

Ver perfil do usuário http://orangovivo.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Operação Retorno (IN GAME)

Mensagem por Lienn em Qui 23 Abr 2015 - 22:46

* Emilly olha para o pai e diz:*
-meu povo ? Claro que vou pai ... Eu vou estar ao lado do senhor e da minha família que é a nação garou... Gaia me deu uma missão e eu pretendo cumpri-la com excelência e para isso eu tenho que estar com você pai...

Saeko

*Saeko olha para situação ainda confusa, tudo que acontecera fora surreal demais, ela realmente esta um pouco fora da realidade, mas esta na hora de reunir a coisa mais importante para ela, sua família e os desenvolvedores de games do mundo inteiro....*

_________________

In blackest day, in Brighest night
Beware your fears made into light
Let those who try to stop what's right
Burn like his power, Sinestro's Might.
avatar
Lienn
Mentor
Mentor

Mensagens : 107
Data de inscrição : 14/11/2013
Idade : 31

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Operação Retorno (IN GAME)

Mensagem por klebersm17 em Seg 27 Abr 2015 - 18:25

Guerra

- Não tenho muito o que salvar desse mundo decadente. Irei ao Brasil, descobrir se uma amiga está viva ainda, caso sim, explicarei a situação a ela e tentarei trazer comigo. Depois disso, caso ainda haja tempo hábil eu me juntarei a vocês: Albretch e Emily. Pelo menos vocês tem um propósito maior. E eu me sinto afetado por não ter um.

klebersm17
Fostern
Fostern

Mensagens : 91
Data de inscrição : 14/11/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Operação Retorno (IN GAME)

Mensagem por Iron Man em Seg 27 Abr 2015 - 23:40

Sandra ainda estava impactada com que havia ocorrido, já que aquelas criaturas eram extremamente mortais e resistentes e possuíam algo que deixava a jovem lefou incomodada, já que ela sentia no âmago do seu ser que elas deveriam ser eliminados, como eles representassem forças primordiais que reviralizavam com sua natureza. Ela não sabia ser era a parte dela ligada a Alliahanna ou ligada a Tormenta.

Contudo isso não era importante agora, pois eles tinham coisas mais importantes a fazer, como no caso dela ir atrás da sua família e tentar leva-los para Arton, mesmo sabendo que seu pai seria realmente um grande problema.

--Bom. Como o Major Guerra eu preciso ir ao Brasil para tentar trazer a minha família para a nave. Mesmo que tenha que traze-los a força! -- Ela dá uma pausa e continua. --E concordo com Guerra. Assim que minha família estiver segura quero ajudar acabar com aqueles Dançarinos, ou o que quer que eles representam, já que sinto que eles fazem parte do problema, algo corrupto e ensandecido.

Iron Man
Cliath
Cliath

Mensagens : 46
Data de inscrição : 16/11/2013
Idade : 40
Localização : Torre dos Vingadores, NY, Terra 616

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Operação Retorno (IN GAME)

Mensagem por Monteparnas em Ter 28 Abr 2015 - 8:56

Melody Fiorentino

Andar pela Umbra dava a Melody tempo para pensar, mas não tinha muitos pensamentos que a pudessem confortar. Ela veio para proteger a sua filha, mas Sarah não precisa de proteção. Ela não tem mais amigos ou família aqui. Sarah, inclusive, parece se sentir instintivamente mais a vontade que a própria mãe na Umbra, apesar de ser sua primeira viagem aqui. A ex-CIA já não tinha sequer emprego e identidade na sociedade Adormecida...

- Eu não sei para onde vou primeiro. Cassandra disse que vai procurar acesso a uma "Ponte da Lua", não é? Foi o que ela disse antes de os Espirais Negras nos atacarem. Vamos esperar ela fazer seus acertos, viajar por uma dessas coisas é mais rápido do que usar um avião, e nós podemos manter contato mais facilmente através de Caerns, se a Nação Garou estiver disposta a ajudar...

Ela olha muito nervosa para Albrecht e sua matilha. Emilly tinha uma família, no final das contas. Sua filha era mais um deles. Melody se sentia sozinha e infeliz, mas tentava não demonstrar, e aproveitava para isso o nervosismo de estar diante dos Garou.

- Olha, eu não estou aqui para brigar com a Nação. Vocês têm a Sarah, eu só peço um pouco de ajuda. Já dei a vocês o que vocês queriam, o que querem de todos nós, e não vou criar caso ou ficar no caminho de vocês.



Sarah Fiorentino

A menina ainda não tinha qualquer pudor com a ideia de fugir. Estava aliviada de correr daquelas coisas, e agora aproveitava esta viagem pelo Mundo Espiritual. Mesmo as conversas com Emilly não esclareceram muito sobre a Umbra, mas ela percebe que não importava. O Mundo dos Espíritos sempre a chamou sem que ela percebesse, e agora ela se sentia tão à vontade que não saberia dizer se não era, afinal, esta a sua casa.

Era a primeira coisa que fazia sentido e parecia estável em sua vida em muitos meses.

Os outros lobisomens eram seu povo, mas Sarah ainda não se sentia confortável com eles. A ideia de SER uma dessas criaturas ainda estava começando a parecer aceitável para ela, mas viver com eles era outra história. O mais velho deles era um armário, altivo e musculoso, e pelo que entendeu, era um rei, além de ser pai da Emilly. Sarah tremia de nervosa só de ficar perto dele e de seu grupo. Eram gente importante, ela era só uma menina.

Com tudo isso, ela preferiu passar mais tempo sozinha, mesmo. O grupo era quase desconhecido para ela, sua tia Emilly, como Sarah agora pensava nela, estava ocupada com o pai. Cassandra era uma figura um tanto estranha, mas dava para conversar com ela, e Sarah estava com ela quando não estava sozinha. A menina só sentia uma ponta de tristeza quando olhava para a mãe. Não sabia se a mãe entenderia o que ela estava passando. Tinha medo, sabia que tinha se tornado algo que a mãe não gostava. Ela sentia que se separava dela, e isso a entristecia. Sarah se deu conta durante a viagem que ela nem mesmo conhece de verdade a própria mãe, e agora vê um abismo se formando entre elas. E pensa em sua irmã, perdida naquele outro mundo, sem ideia de como ela está, ou como vai ser encará-la de novo.


Cassandra Profeta-de-Sangue

A vampira já havia estado na Umbra muitas vezes antes. Talvez mais que as duas magas, mesmo que não fosse capaz de fazer sozinha a viagem. Durante boa parte do caminho ela se manteve absorta com os próprios poderes, se re-acostumando com a Maldição nesse mundo. Acompanhou um pouco Sarah, mas a menina precisava chegar um pouco às próprias conclusões. Ela e a mãe precisavam desse tempo com suas próprias cabeças, por mais doloroso que fosse, antes de estarem prontas para entender...

- Meu rei, eu planejava ir ao Caern dos Wendigo ao norte. De lá podemos viajar para New York por Ponte da Lua, e então entrar em contato com outros Caerns, pedir ajuda. A partir do Caern será possível viajar mais rápido sem perder contato. Este grupo tem muito o que fazer antes do fim, como a Fênix me revelou antes de seu tempo, no livro da Segunda Profecia. A sua filha está nele, Rei Albrecht, e nós a ajudaremos a cumprir sua parte. Nós trabalharemos com a Nação, como eu sempre fiz, mas nossos caminhos não serão sempre os mesmos.

_________________
In fearful day, in raging night,
With strong hearts full, our souls ignite,
When all seems lost in the War of Light,
Look to the stars-- For hope burns bright!
avatar
Monteparnas
Mentor
Mentor

Mensagens : 408
Data de inscrição : 14/11/2013
Idade : 30
Localização : Sobradinho, DF

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Operação Retorno (IN GAME)

Mensagem por Mamorra em Dom 3 Maio 2015 - 21:52

ANTES:
Os lobisomens rasgavam os Espirais com uma brutalidade absurda, junto com as dádivas de Lin Wu, invocadas por Sanosuke. Os tiros de Sandra e dos outros pareciam ser pouco eficazes, mas todos não se dariam ao luxo de ficar sem fazer nada numa situação daquelas.

-- Acha mesmo que vim atrás da menina sem ajuda? Garotinha, você é uma de nós, e hoje a faremos dançar a Espiral. ATAQUEM!!!!

Cada vez mais Espirais e Fomori começavam a chegar. Em pouquíssimos instantes, estavam todos cercados por dezenas deles. A saída estava difícil e mesmo os Garou experientes estavam tendo dificuldade em manter o perímetro.


Vancouver International Airport, Grant McConachie Way, Richmond, British Columbia, Canada – Manhã Ensolarada.

-- Tem um Caern Wendigo a apenas 1 hora de carro daqui. – Disse Jonas Albretch – Do Golden Ears podemos pegar uma ponte da lua...  Saeko, leve o Sanosuke e a esposa com você e peço apenas para entregar uma carta nesse endereço. – Disse ele entregando um envelope a ela – Não o estresse muito, pois um homem velho não sabe o que a tecnologia pode fazer...

-- E você sabe cachorrão?! – Interrompe Mari descontraindo

-- Vá se foder!!!! Como eu ia dizendo, antes de ser interrompido pela artista de Baby Bob*, peço que entregue ao velho, e pode seguir o que quer que tenha planejado.

“Atenção passageiros com destino a Houston, Estados Unidos, embarque pelo portão 08.”

-- Esse é o voo de vocês, senhorita Sandra e senhor Dante. É melhor se apressarem. – Disse ESUNA 348 ao ouvir a chamada – Em 3.4 minutos o seu voo também será anunciado, senhorita Saeko. Já comprei as passagens para o senhor Sanosuke e a senhora Yumiko. Agora vou preparar o Explorador!


Sandra e Guerra - George Bush Intercontinental Airport – Houston/United States – Noite nublada.

Pouco tempo depois de pousarem, Sandra e Guerra seguiram pelo saguão do aeroporto, procurando um ponto para descansar enquanto aguardavam o voo que os levaria ao Rio de Janeiro.
Passaram alguns minutos andando até que decidiram que era hora de comer alguma coisa, pois a noite certamente seria longa. Adentraram num café e Guerra teve uma grande surpresa ao ver um homem sorrindo e acenando para eles.

Spoiler:

Era Daniel Stuart. Ele havia conseguido voltar de alguma maneira para a Terra e agora estava ali, num lugar publico, onde deixava as coisas mais difíceis para ambos, mas também não deixaria que ele tomasse alguma atitude estúpida.

-- Guerra!!! Que bom que voltou!!! Encontrei uma passagem há poucos dias e também consegui voltar com meu esquadrão... Como vão as coisas. Sente-se e coma algo. Quem é a sua amiga?!

Saeko, Sanosuke e Yumiko - Aeroporto Haneda – Tóquio/Japão – Madrugada

Era bom estar em casa. Foi o que Saeko sentiu ao finalmente, depois de tanto tempo, o retorno ao sair do aeroporto. Havia um homem esperando com uma placa com seu nome no portão e uma limusine.

-- Busujima-san, Seja bem vinda de volta. Se puder entrar no carro, levarei todos em segurança.

Cassandra, Mellody, Emilly e Sarah – Golden Ears Provincial Park, British Columbia, Canadá – Manhã Ensolarada

Pouco depois de deixar todos no aeroporto, o grupo seguiu junto com a matilha de Albretch até o Caern Wendigo, no intuito de seguir rapidamente até New York. Muitos Wendigos acampavam em trailers e barracas ao longo da entrada do parque, o que parecia eles já começaram a se reunir.

Pouco tempo depois, um Urso saiu do meio da floresta com um enorme urro, para em seguida virar um homem num elegante terno.

Spoiler:

-- Então a Profeta-de-Sangue está de volta? E ainda com a Menina Sem Tribo? Parece que fiz bem em contatar os Wendigo e os Gurahl para vir para cá... Eu me chamo Kyle “Urso da Cidade” Bianco. Eu sou um dos três lideres dos Guardiões das Montanhas. É bom ver que a Menina sem Tribo já é uma mocinha tão bonita... Mas o que fazem aqui?


*Baby Bob está na colocação 14 das 50 piores sitcons de todos os tempos, quase a Zorra Total.*

_________________
avatar
Mamorra
Mentor
Mentor

Mensagens : 166
Data de inscrição : 14/11/2013
Idade : 31

Ver perfil do usuário http://orangovivo.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Operação Retorno (IN GAME)

Mensagem por klebersm17 em Dom 3 Maio 2015 - 22:57

Guerra

O major não esperava encontrar alguém "conhecido", muito menos Stuart, o ex-marido de Mellody. Guerra já sabia que ele não era confiável, mas de toda a forma não estava com muito saco para bate-papo, como se ele fosse seu melhor amigo. Não se daria a Stuart e gosto de achar que estava no controle da situação. Se o inimigo usa de inteligência para te manipular ou investigar, use de contra-inteligência para bloqueá-lo. Já fazia um bom tempo que ele não usava mais aliança, e a marca de seu dedo havia sumido. Então ele faz uma expressão de quem está confuso, e segura na cintura de Sandra, e conversa com Stuart:

- "Perdão, mas eu não o conheço. Como você me conhece? Qual seu nome? Porque está interessado na minha namorada?"

klebersm17
Fostern
Fostern

Mensagens : 91
Data de inscrição : 14/11/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Operação Retorno (IN GAME)

Mensagem por Iron Man em Qua 6 Maio 2015 - 2:44

Sandra estava realmente com fome e mesmo negando estava com saudades da comida da Terra e a parada em um café para beber e comer algo. Contudo ao ver Stuart, o conhecido Mago Nefandus, ela ficou surpresa, mas ficou mais surpresa ainda com a atitude de Guerra e quando o seu ex-major falou em direção do Mago Desperto ela notou de imediato a intenção dele e entrou na onda dizendo:

--Querido, quem é esse homem? Você o conhece? -- torcendo que Stuart caísse neste engodo.

Iron Man
Cliath
Cliath

Mensagens : 46
Data de inscrição : 16/11/2013
Idade : 40
Localização : Torre dos Vingadores, NY, Terra 616

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Operação Retorno (IN GAME)

Mensagem por Lienn em Qua 6 Maio 2015 - 22:01

Saeko, Sanosuke, Yumiko

*Saeko olha para o homem e tenta ver se o conhece de algum lugar e antes mesmo de responder ela se dirige a um telefone publico e liga para casa com um cartão que ela se reserva a comprar no próprio aeroporto e liga para casa e quando atenderem ela fala:

-Alô ? aqui é Busujima Saeko, alguem sabia que eu estava indo para casa ? alguem mandou por um acaso um motorista para me buscar ? Tem um cara aqui com uma plaquinha com meu nome, só que eu não o conheço.

*Sanosuke e Yumiko seguem Saeko e deixam que ela fale e faça o necessario,pois ela era a “nativa “ e eles os estrangeiros nesse lugar. *

Emilly

*Emilly olha para o pai e diz *

-PAI,MARI parem de brigar pelo amor de GAIA!!! CARALHO, sera que vocês dois não podem fazer nada sem um soltar gracinhas para o outro ?

*depois disso Emilly segue com o pai ficando junto dele um pouco, fazia tempo que ela não via o pai e sentia tanta falta dele que era bom poder aproveitar o momento para estar junto do pai que ela não sabia por quanto tempo teria.*

_________________

In blackest day, in Brighest night
Beware your fears made into light
Let those who try to stop what's right
Burn like his power, Sinestro's Might.
avatar
Lienn
Mentor
Mentor

Mensagens : 107
Data de inscrição : 14/11/2013
Idade : 31

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Operação Retorno (IN GAME)

Mensagem por Monteparnas em Sex 8 Maio 2015 - 3:33

Mellody acompanhava o seu grupo fingindo-se absorta, mas apenas observando sem ânimo. A pergunta de Kyle Bianco lhe parecia bastante pertinente. Ela sorria quando ele comenta sobre Sarah, mas já não tinha resposta para mais nada.

A resposta vem quando Sarah instintivamente agarra o braço da mãe, tímida, como procurando proteção diante do homem desconhecido.

Cassandra se adianta, intrigada, e se dirige a Kyle e aos Wendigo.

- Eu não esperava que palavras sobre minha existência já houvessem alcançado os Guhral. Me pergunto o que mais mudou no tempo em que estive fora, mas fico feliz que os Wendigo daqui ainda se lembrem de mim.

- Precisamos de acesso à Ponte da Lua, para alcançar meu Caern. E de espalhar a notícia para os outros Caerns estarem com as Pontes preparadas. Estamos no meio da tempestade final agora, e os trabalhos de nossa e de muitas matilhas serão árduos e nos levarão para muitos lugares. Tempo é essencial.

- Temos amigos, aqueles dos quais a Segunda Profecia fala. Eles estão resolvendo seus assuntos e reunindo pessoas. Nós precisamos fazer o mesmo, e mais. Temos que reunir os Fera, a Corte e a Nação, assim como outras criaturas. Aqui estão fotografias de Dante Guerra e Sandra Carone, brasileiros, Busujima Saeko, Sanosuke e Yumiko, japoneses, e da Garou Amanda, de sangue Hakken, assim como as nossas. Espalhem a notícia, para que essas pessoas encontrem aliados. Conto com os Corax nessa hora acima de tudo, e choro a falta dos Camazotz.

- Mandem notícias, e enviados. Prepararemos a Nau de Colonos a partir de Nova Iorque, já encontramos o mundo da profecia. Há espaço para nós lá, ainda que haja perigo, muito mais do que há espaço aqui. Enquanto isso, veremos o que mais Gaia terá para nós.

_________________
In fearful day, in raging night,
With strong hearts full, our souls ignite,
When all seems lost in the War of Light,
Look to the stars-- For hope burns bright!
avatar
Monteparnas
Mentor
Mentor

Mensagens : 408
Data de inscrição : 14/11/2013
Idade : 30
Localização : Sobradinho, DF

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Operação Retorno (IN GAME)

Mensagem por Mamorra em Qua 13 Maio 2015 - 13:42

Sandra e Guerra - George Bush Intercontinental Airport – Houston/United States – Noite nublada.

Ao ver a fraca tentativa de enredar, Daniel apenas sorri tranquilamente. Já estivera em bastantes tramas para cair em tão amadora encenação.

— Creio eu que, pela sua cara, vocês querem me ver morto, mas quero que saibam a verdade. Se desejarem nada mais que a verdade, sentem-se. Se não, eu realmente espero que vocês vivam muito bem naquele lugar... Mas quero apenas alguns minutos para me escutarem...

Saeko, Sanosuke e Yumiko - Aeroporto Haneda – Tóquio/Japão – Madrugada

Por um momento Saeko esqueceu que havia desaparecido por cerca de cinco anos e ligou para sua casa, esperando respostas. Porém, o que ouviu foi algo bem diferente.

— Quem é você? Como possui esse número?! Como ousa profanar o nome da Saeko?! TENHA RESPEITO PELOS MORTOS!!! -E o som seguinte foi o de telefone sendo desligado.

Enquanto isso, o motorista ainda olhava para ela, aguardando a decisão da mesma.

Cassandra, Mellody, Emilly e Sarah – Golden Ears Provincial Park, British Columbia, Canadá – Manhã Ensolarada

Kyle sorriu perante a reação de Sarah. Em seguida, ouviu tudo o que Cassandra disse a ele atentamente, enquanto fazia anotações num bloco de notas e por vezes pediu desculpas. “Força do hábito” disse.

—Está cada vez mais difícil viajar pelas Pontes da Lua. Tanto que muitos têm medo até de tentar. A Tempestade do Mundo dos Espiritos aumentou de maneira absurda, e a Estrela Vermelha pode ser vista cada vez mais perto. Temo que o fim esteja cada vez mais próximo. Eu não aconselho usarem a Ponte, mas se quiser, eu as levarei... – Finalizou Kyle temeroso.

_________________
avatar
Mamorra
Mentor
Mentor

Mensagens : 166
Data de inscrição : 14/11/2013
Idade : 31

Ver perfil do usuário http://orangovivo.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Operação Retorno (IN GAME)

Mensagem por klebersm17 em Qua 13 Maio 2015 - 16:36

Guerra

- É o seguinte cara: você não está falando coisa com coisa, eu realmente não te conheço. Se há algum motivo por eu querer te matar, pode ser por você estar me aporrinhando quando eu só quero comer. Então faz o seguinte: vai escolher um maluco como você para aporrinhar e nos deixe comer em paz.

Guerra então, segura na mão de Sandra e caminha para outra parte do balcão ou alguma mesa. Ao achar um local para comer, ele dá um selinho em Sandra e uma "cheiro no cangote", quando ele aproveita a proximidade com o ouvido dela, para dizer de forma disfarçada:

- "Mantém a encenação."


Última edição por klebersm17 em Dom 17 Maio 2015 - 17:20, editado 1 vez(es)

klebersm17
Fostern
Fostern

Mensagens : 91
Data de inscrição : 14/11/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Operação Retorno (IN GAME)

Mensagem por Iron Man em Sex 15 Maio 2015 - 1:00

Sandra é guiada pelo Guerra até a outra parte do "restaurante" enquanto olhava para Daniel com uma vontade enorme de estourar a cabeça dele, mesmo que fosse ali diante de todos. Contudo ela respira fundo quando acompanhava Guerra e quando chegou perto do balcão e escutou o pedido do Major ela responde sussurrando no ouvido dele.

--Guerra não adianta nada. Ele já notou a nossa encenação. Eu sugiro a gente sair daqui e procurar outro lugar para comer, pois não estou afim de aturar aquela pessoa novamente. -- dando uma pausa na fala ela continua. --Se ele continuar falando conosco vou quebrar a cara dele aqui e agora!!!

Iron Man
Cliath
Cliath

Mensagens : 46
Data de inscrição : 16/11/2013
Idade : 40
Localização : Torre dos Vingadores, NY, Terra 616

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Operação Retorno (IN GAME)

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 7 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum